PplWare Mobile

Portugal: A Internet nas escolas está a funcionar a dois tempos “lenta” ou “parada”


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. security says:

    Não pagamos impostos suficientes para proporcionar melhorias no ensino, na saúde, estradas e condições gerais do próprio país. Temos de pagar ainda mais e mais, onde a carga fiscal já é superior ao tempo da Troika. Não pagamos ainda o suficiente para os senhores deputados que usam e abusam (d)o nosso dinheiro. Basta “entupir” os telejornais de futebol e está tudo bem pró Zé.

    Olhó colete amarelo.

    • Pérolas says:

      É pôr o Chrome OS ou o Xubuntu e é sempre a abrir até o hardware dar o berro. Em alternativa podem dar uns valentes milhões a alguém e comprar máquinas novas. O pessoal que está a fazer greve agradece o «necessário» destino desses milhões…

      • security says:

        O problema não está apenas e só nas máquinas… está também nos servidores, nos switchs e routers totalmente ultrapassados… porque até acredito que hoje em dia muitos míudos já andem de portátil para todo lado.

        • Joao says:

          E na mão de obra. Isso de por outros OS é muito bonito mas quem o vai fazer?

          • João says:

            Hoje em dia é tao simples instalar um OS que qualquer um com instruções básicas consegue fazê-lo

          • Pérolas says:

            O que é que os professores de IT anda la a fazer nas escolas? A ensinar come se abre um imagem e como se grava um ficheiro numa pen??? É usarem a «prata da casa» que sai mais barato!!! No poupar é que está o ganho!!!

    • censo says:

      A culpa é só dos portugueses. E não falo dos que foram às eleições. Falo dos que sistematicamente usam e abusam de todo o tipo de esquema para fugir às suas obrigações para com o Estado e a comunidade onde se inserem. E depois são sempre os mesmos a ter que pagar. Isso de culpar os outros é história da carochinha. Tá na hora de se apelar às consciências cívicas deste pais, de todos os portugueses reverem a sua posição para com a sociedade. Sabias que no mês antes da chegada da Troika, se todos os portugueses estivessem a cumprir com o que deviam, a Troika pura e simplesmente batia com o nariz na porta ?

      • security says:

        É tudo muito bonito mas num país em que os “desvios” de milhões acontecem sistematicamente, os restantes têm de se “safar” para sobreviver. Porque há quem não consiga viver com milhares de euros por mês como afirmam… já outros (sobre)vivem com salário mínimo. O exemplo vem de cima. Quando temos políticos a roubarem o povo não peçam que o povo não fuja aos impostos que são exagerados para a pouca qualidade existente em serviços públicos em Portugal. Porque em Portugal temos de alimentar muitas bocas. Agora concordo a 100%. A culpa é dos portugueses que só interessa em discutir o fora de jogo milimétrico e de ter uns trocos para pagar o copo no café ao invés de lutar por algo melhor.

      • Joao Ptt says:

        Ou então o estado poderia deixar de andar a extorquir a sociedade para construir as maiores pontes da Europa, auto-estradas umas ao lado das outras, auto-estradas com rendas garantidas pagas pelo zé povinho, talvez deixar de comprar tanto equipamento militar ao mesmo tempo que não tem aviões e helicópteros próprios para extinguir incêndios florestais que são uma ameaça real todos os anos à segurança nacional (leia-se: à vida de pessoas e infra-estruturas particulares e públicas).

        Se toda a gente pagasse os impostos todos e mais alguns, os governantes só iriam gastar em ainda mais porcarias… talvez comprassem agora uns porta-aviões, ou fizessem um aeroporto no meio do oceano Atlântico na costa de Lisboa ou outra despesa maluca qualquer que é o que os governantes gostam muito: queimar dinheiro! De preferência favorecendo os amigos no processo. Como o dinheiro não lhes custa a ganhar gastam o que têm e o que não têm… pior é que não é dinheiro deles, e não perguntam a quem paga toda a festa.

      • Joao says:

        +1 E aos que dizem que a culpa é dos politicos porque eles roubão…penso que seja uma questão de mentalidade…de culutra e acaba por ser um circulo vicioso. Os politicos antes de serem politicos, não eram politicos (obviamente) e como semrpe viveram numa cultura de roubar o que se pode, acabam por o fazer.
        Antes de culpabilizarmos os outros, limpemos os nossos proprios quintais para então termos moral para apontar o dedo. Agora se toda a gente rouba, se nós proprios roubamos, não nos podemos queixar de que o outro rouba mais do que nós.

  2. saotaobonsquenemroubarsabem says:

    meus amigos isto esta na hora da evolução !!!
    inteligências artificiais a gerir o país go samaritan go
    está mais que provado que com políticos não se vai a lado nenhum, passam a vida a mamar e produtividade = =0

  3. Joao says:

    Quais computadores? Os vários livros do Socrates e apartamento em Paris que foram pagos pelo dinheiro dos contributintes é que enriquecem a nossa cultura.
    E os que permitiram que isso acontecesse, junto com mentalidades como as de médicos que dão consultas no privado durante horário no público, estão a concentrar dinheiros públicos em malandros que depois vão gastar o dinheiro ao Japão e Maldivas para pôr fotos no Instagram 😉

  4. RATM says:

    Na Madeira,são fundos comunitários que “abastecem” as escolas do 1º CEB,no que diz respeito a PC’s. Pena é que a NET,que até é fibra,seja servida pela NOS,,com um router miserável… De resto não me posso queixar muito…

  5. Junior says:

    O governo olha para o lado e está a caaag… para as escolas publicas. É só paletó para invles ver.
    Os filhos dos manda chuvas já estão em Londres ou nos USA a estudar. Isso é que interessa.

  6. Nuno says:

    O problema nao esta nos computadores, alguem deve estar a fazer o caldinho para ganhar uns milhoes com a venda de computadores. Meu computador tem 11 anos e tenho 100mbps de down e up sem problema. Metam umas placas de rede/switches gigabit e uma boa ligaçao, fibra de preferencia, o problema fica resolvido gastando 1 saco de rebuçados. Tenham juizo.

    • rui says:

      esses 100mbps a dividir por 1000 alunos e professores ficam um mimo, não é só largura de banda e há sítios onde nem adsl de 2mbits se consegue.
      E principalmente não é nada plug and play. perfis de utilizadores, gestão centralizada, etc. não cai do céu

  7. Vera Lucia says:

    A canalhada poe-se a ver pornografia e depois enche os computadores de vírus que tornam tudo lento e inoperacional. A solução é vergastar em praça publica os delinquentes.

  8. Zé Montanelas says:

    Na minha escola secundaria em meados de 2011 eles tinham acesso fibra com velocidades simétricas 100/100 mbps. Não creio que acessos gigabit sejam muito dificeis de alcançar hoje em dia, a não ser que sejam escolas da aldeia com net ADSL.

  9. João Humano says:

    Mas o que é que isso interessa quando temos a Web Summit? O mundo vai girando e este país continua atolado num provincianismo secular, com o patrocínio dos sucessivos governos. Quer mostrar o que não é, todo forma e zero substância. Portugal devia ser como a Finlândia, onde se valoriza cada um dos seus habitantes, ao invés de criar um espetáculo de coisa nenhuma para não-português ver e arrogar-se de afirmar que esse mundo representa Portugal real. O país só progredirá quando cada um de nós for o melhor que conseguir ser.

  10. Falcão Azul says:

    Ou muito me engano ou os PC’s que existem nas escolas do país só serão substituídos daqui por um par de anos,depois das eleições legislativas do próximo ano.E se o próximo ministro das Finanças der o aval,senão… Depois dos milhões que se deitaram ao ar com os Magalhães nem me falem !! Isso é que foi uma “barraca” !! Como é possível haver pais que fizeram negócio na altura e venderam esses PC’s que o estado atribuiu aos filhos ?? Era só ir ao OLX,às feiras,à Internet,em todo o lado,por alturas de 2013,que se via isso.Que vergonha !! Agora claro,o governo está com um pé atrás,e não é de admirar.E Portugal também não nada em dinheiro,ao que eu saiba.Ainda na Segunda-feira se pagou a última tranche que se devia ao FMI,e isto porque a banca europeia nos emprestou esses milhares de milhões de euros para saldar a dívida.Se penso que a substituição dos PC’s nas escolas é um assunto importante ?? É-o,concerteza.Mas infelizmente não temos dinheiro de momento para pagar tal operação.É uma logística muito grande e o governo,para já,não vai virar os olhos para esta questão.

    • Joao says:

      Ora aí está. O estado dá PC’s e os portugueses vendem-nos para ganhar uns trocos e depois esses mesmos portugueses queixam-se de que não há PC’s…
      Enquanto a população continuar a agir de forma delinquente, o país continuará como está.

  11. Costa says:

    A internet fornecida às escolas é gerida pelo ministério, numa rede privada, pelo que existe traffic shaping limitando a velocidade mesmo em ligações por fibra, mas com velocidade suficiente para o necessário às escolas (20/20 por norma), pelo que os equipamentos (routers, switches) existentes são perfeitamente adequados. No meu concelho todas as escolas tem ligação por fibra, 50% com computadores novos e 50% com computadores perfeitamente atuais, com software atualizado, wifi disponível e uma assistência sempre pronta e permanente. Basta é haver boa vontade de quem manda que as coisas funcionam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.