PplWare Mobile

Portugal: Escolas com PCs velhos e acesso à Internet lento


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

154 Respostas

  1. Monkeyd says:

    Se adotacem Linux, teriam sistemas recentes é rápidos em PCs antigos com internet rápida…

    • André says:

      Se comprasses um dicionário, saberias escrever “adotassem”…

    • Luis says:

      Sim porque o linux só por ser linux é milagroso, até acelera a Internet.

    • ... says:

      Se soubesses escrever!

    • Ana says:

      adotacem?? isso é por passar muito tempo no linux?? esse sistema operativo que promete todos os anos sair da cepa torta, mas que não passa dos 2% nunca no total de pcs mundiais. Siga, mais um troll.

      • Pedro Pinto says:

        É apenas um erro…não confundam com outros assuntos.

      • arc says:

        Alguns factos curiosos:

        Windows users, agora possuem a alternativa de poderem instalar algumas distribuições de Linux com a participação da Microsoft nesse processo e até mesmo encorajando esse procedimento, do “quanto mais Linux” dentro do Windows e para utilizadores Windows, melhor.

        Windows users, que tanto reclamavam da complexidade da utilização da bash shell no Linux, e que esse procedimento, era uma das razões para não se sentirem confortáveis em experimentar Linux, agora são obrigados a aprender e a saber utilizar a CLI, assim provando algum “veneno” e logo servido pela Microsoft.

        Windows users, que viviam reclamando, insultando, denegrindo os utilizadores de Linux, agora, deviam reclamar por a Microsoft lhes dar esta possibilidade e sem dual boot!

        Engraçado…o Linux é cada vez mais GUI e a Microsoft vem aprovar o uso da CLI nas suas Windows builds.

        Não deixa de ser “curioso”, que entre várias opções, o Windows 10, permitia ou permite via PowerShell Admin, algo como:

        Get-AppxPackage *onenote* | Remove-AppxPackage
        Get-AppxPackage *windowscamera* | Remove-AppxPackage

        O que para a visão de muitos, deveriam criticar o uso da CLI (terminal), mas ficaram encantados!

        Obviamente, que nem todos os Windows users possuem uma visão tão tacanha, redutora, distorcida e mal formada das potencialidades e dos defeitos do Linux e o mesmo se passa, aos que utilizam o Linux versus criticas ao Windows.

        O mundo que é mundo, sempre foi feito de completa mudança e assim vai continuar, por muito que alguns velhos do Restelo, teimem em não querer ver e aceitar, que tal acontece diariamente sem qualquer tipo de compadecimento.

        Mas paciência, quando não gostamos, não temos a capacidade de aceitar as diferenças e
        não possuímos o altruísmo suficiente, em que essa mesma diferença até pode ter alguma mais valia, ou até mesmo, pelo simples facto de ser DIFERENTE, na medida em que alguém se “atreveu” um dia a apresentar uma visão diferente, distinta do restante, desviada dum “padrão” predominante,…infelizmente a norma é simplesmente, utilizar a arma do insulto, da calúnia e da agressividade (só porque SIM), seja ela linguística ou outra qualquer.

        Aceitar de uma forma descontraída e de mente aberta, discutir de uma forma séria, sem fanatismos e com elevação, deveria ser a norma e base de tudo na vida.

        Assim e no meu modo de pensar, esse tipo de comentários, que no mínimo enviesam o que devia ser a boa norma e teimam em que não o seja, passam ao dia de hoje a serem canalizados para /dev/null.

        Fica a dúvida, … visão Troll ou Nerd?

        • Canibal says:

          Hoje em dia podemos ter o melhor de dois mundos num PC e este pessoal ainda vem para aqui com “guerrinhas”…
          Tomara eu que no smartphone pudesse ter a liberdade que tenho no PC.

        • Cortano says:

          Estás a exagerar quando referes isto “agora são obrigados a aprender e a saber utilizar a CLI, assim provando algum “veneno” e logo servido pela Microsoft.”
          Não são obrigados porque o Windows vai continuar a existir com o GUI e formas de interagir com sempre teve – e cada vez menos dependentes de ir muito a fundo no sistema.

          Aprender a usar CLI é opção e nunca passará disso – estamos cada vez mais a entrar num mundo do digital onde quanto menos inteartivicade entre Homem-máquin é o caminho.

          CLI é e será sempre para “geeks”, curiosos ou que de alguma forma necessitem de usar por alguma coisa.

          Mas reforço a ideia, um utilizador normal (serão quê, 90% dos utilizadores?!!) não precisa de aprender a usar CLI e nem precisa de saber o que é.

          • arc says:

            Cortano, quando eu disse “agora são obrigados a aprender e a saber utilizar a CLI, assim provando algum “veneno” e logo servido pela Microsoft.”, … foi no contexto, que para instalarem as distribuições de Linux, dentro do Windows10, NÃO o podem realizar doutro modo mesmo, ok?

            Não quis dizer RIGOROSAMENTE, mais nada do que isso mesmo, e que eu saiba, não disse algo transviado da realidade.

            É claro, que 90% dos utilizadores NÃO necessitam de CLI para coisa alguma e até em alguns casos, é melhor que NEM saibam.

            Nunca fui preconceituoso, ao ponto de IDOLATRAR a CLI em Linux, como sendo o Santo Graal, quanto mais em Windows.

            NUNCA ninguém leu, algo em que eu algum dia, colocasse em causa a validade do Windows como SO..

            Que fique claro:

            o Linux tem DEFEITOS, … TEM.
            o Windows tem DEFEITOS…TEM

            Cada um, utiliza as ferramentas que melhor servem os seus desideratos.

          • Cortano says:

            @arc: Calma! 😉
            1. Quem quiser e precisar de usar Linux no Windows deverá ser um user avançado, portanto, habituado a CLI.
            CLI sempre houve no Windows, nem percebo a discussão neste ponto.

            Já agora, e tal como referi em outros tópicos sobre Linux, hoje em dia existem distros muito boas que podem ser usadas praticamente sem usar comandos (p.ex., Mint).

      • itguy says:

        E pena ver pessoas que gostar dar “bitaites” sem saber do que falam. Não sou defensor de codigo aberto ou fechado. Mas 80% dos servidores na internet utilizam software de código aberto. Existem outros meios de forma a proteger os sistemas e começa pelas redes de comunicações. Infelizmente vejo cada vez mais desleixados nesta area a trabalhar. Todos os sistemas são faliveis, tudo depende de como se trabalha ou o que se pode fazer. A mania do “tuga” é querer comprar um Ferrari a preço de um mini e depois “artilha-lo” para andar como um Ferrari. A seu tempo alguma coisa vai correr mal. E esta mentalidade que tem de ser mudada. Otimizações devem sempre ser feitas mas não existem milagres sem a ferramentas corretas. No dia a dia tudo se resume a lucros e cada vez mais sacrifíca-se a qualidade. Tenham gosto no que fazem, não existe nada pior que trabalhar frustado.

    • jd says:

      Tenho cá em casa um PC IBM com 1gb de Ram e já lhe meti o Linux só que ficou muito lento tive de voltar a meter o windows XP que é de longe mais rápido

    • Jorge says:

      Não é bem assim.
      Burro velho não aprende linguas.
      Não é por mudar o software que o computador fica mais rapido do dia para a noite
      As peças nestas maquinas estão completamente obsoletas. Por isso instalar outro tipo de software não irá alterar tal;
      Digo isto porque foi testado na escola que andei, onde as máquinas possuem um core 2 com 4gb ram e um disco de 250 gb.
      Os mesmos, após alteração, não tiveram uma melhoria significativa.
      Sem contar claro que para tal mudança, deveria haver aprendizagem do mesmo nas escolas onde tal não existe!

    • Louro says:

      Sim e depois gastavam 3/4 vezes mais em suporte e manutencao dos sistemas.

      Para além de que os alunos só aprendiam Linux…

    • eu says:

      A velha desculpa que já enjoa.
      Parem de bater nesse cavalo morto.

    • Cortano says:

      Quer dizer então, que eu tenho em casa um serviço de 120 Mb… se meter Linux será que consigo passar a ter velocidades de 200 Mb?
      E o meu velho PC Quad-Core de 2008 será que fica a voar? Se calhar posso despachar o meu novo e fico só com o velho… já que isto do Linux, segundo dizes, é milagreiro.

      • Jonas Tadeu says:

        É melhor não… ao experimentar uma distro gnu/linux pode ficar a gostar, e depois não volta a ver o windows da mesma maneira. Acontece a alguns. É melhor jogar pelo seguro e manter a ignorância

    • Marcos says:

      E teríamos menos infoexcluídos com incapacidade de qualquer coisa nova que lhes apareça à frente.

    • David says:

      Ridículo André e Luis…

      app.pt vejam se precisam de alguém lá na associação!

    • informado says:

      ADOPTASSEM.. E LÁ MAIS PARA BAIXO DIZ-SE FOGE…..E FORA COM O ACORDO ORTOGRÁFICO—

  2. maria vieira a atriz says:

    Número de PCs nas escolas diminuiu drasticamente e ainda deviam diminuir mais a escola e para estudar e não estar nas redes socias mais nada

  3. Marco says:

    Que comecem a colocar discos SSD’s.

    • arc says:

      Ó Marco, essa é para a gente se rir?

      • Marco says:

        Não é, mas é uma forma barata de minorar o sofrimento. A maior parte do computadores são computares core 2 duo, algo muito semelhante aos Celeron N3050, em termos de performance, estes computadores tal como estão para os alunos utilizarem o office, já começam a ser um pouco lentos, mas se passarem os discos para SSD de 128 que já estão com um preço baixo, ganham uma nova vida. E se investirem em mais 4gb de RAM, já passam a ter um comportamento um pouco mais aceitável. Seria uma forma, de não se investir já uma grande pipa de massa.

        • Cortano says:

          LOL! Isso não faz sentido nenhum!!! AHAHAH
          1º estamos a falar de harware velho, se calhar muitos nem suportam SSD
          2º Quando o motor é fraco, não é por meteres mais 4GB (em cima dos outros 4GB, e se não forem so 2GB), que vais ter aumento de performance significativa
          3º fazer upgrade de harware em PCs publicos com mais de 10 anos seria ridiculo

          • Nope.avi says:

            Mas esses core 2 duos com as mobos 775 que nem sata 3 tem vao aproveitar pouco do ssd

          • Marco says:

            nope.avi: vai aproveitar mt mais do que com discos de pratos. Escreve alguém que já fez isso num destes e nota-se bem a diferença. Mas pronto é preciso ter SATA 3 para se notar.

            Cortano: 1º os Dell que foram “oferecidos” pelo Socrates tem portas SATA, os portáteis da Lenovo tem SATA.

            2º O motor não é fraco, para Office e companhia (70% a 80% do que vão fazer), é razoável, coloca-lhe um SSD e aumenta-lhe a RAM não troques o windows 7 pelo 10. Como já disse ao nope “been there, done that”.

            3º só por ser hardware publico é que ridículo? se sim, vamos já comprar computadores novos com intel x9 e brutas gráficas, para office.

            Se o pplware faz reviews a portáteis com Celeron N3540 e diz que office chega, estes core 2 duo que tem uma performance semelhante não vão chegar?

          • Cortano says:

            @marco, o problema não reside apenas no hardware do pc em si. Há a falta de manutenção, há problemas de infraestruturas, etc.
            Meteres um SSD quase que apostava que era deitar dinheiro fora.
            Mas, como ja disse antes, são equipamentos do Estado, os updates não são feitos dessa forma (trocar peças)

          • Marco says:

            @Cortano: Quem te disse a ti? Se soubesses os discos que troquei nos portáteis Lenovo das escolas. As escolas podem fazer este tipo de manutenção.

        • arc says:

          Perfeito, agora percebi.

        • informado says:

          OS DISCOS SSD DURAM MENOS .. ORA VAI LÁ LER NO GOOGLE E DEPOIS FALA…

    • Rui pedro says:

      Um SSD ajuda mas não faz milagres. Se tiveres pouca RAM e fraco processamento vai ficar quase na mesma.

    • kjvf says:

      se as bolinhas dos ratos desaparecia quanto mais os SSD’s

      • Marco says:

        As bolinhas eu percebo e sei como desapareciam, agora um SSD que tem de estar dentro do PC. Se desaparece é porque o professor não está atento ao que andam a fazer ou porque não quer saber o porquê do PC estar aberto e alunos estar de chave de fendas na mão.

  4. Ricardo. says:

    E aquelas que têm PC´s muitas das vezes foram doados por empresas ou outros organismos ….

  5. Hugo Gomes says:

    Isso é normal o estado quer e fala mas depois mete máquinas da treta nas escolas. E as redes de Net nas escolas sao uma treta. Tinha dias se tivesse 10 megas era uma sorte.ate o servidor ia abaixo na altura

    • jd says:

      trabalho com técnico de informática numa camara municipal e dou apoio nas escolas e olha que ainda encontro pc,s com windows 95, 98 o governo nao da verbas para computadores novos as vezes nem dá vontade de trabalhar em certos computadores, se o estado corta-se mas era o rendimento de inserção (rendimento Mínimo) e fosse buscar o dinheiro roubado dos bancos e com isso aplicava em parques de informática novos era mais bem empregue esse dinheiro.

      • Marco says:

        Se és de uma câmara municipal e se dás apoios a essas escolas, se calhar o mal não é só do estado, leia-se governo porque o estado é também a câmara municipal onde trabalhas. Se dás apoio quer dizer que estás a dar apoio a escolas que estão sob alçada de gestão camarária, se calhar não fazia mal nenhum a câmara para a qual trabalhas abrir os cordões à bolsa e comprar computadores novos para essas escolas, em vez de andarem a distribuir dinheiro pelas associações no final de mandato para conseguirem mais uns votos, podiam comprar os PC’s para as escolas. Possivelmente a mesma câmara para a qual trabalhas deve ter por ai uns computadores encostados que são bem melhores do que esses que tem o windows 95 e 98, se isto acontecer já podias ter sugerido a doação às escolas.

        • jd says:

          estamos há espera de uma doação que bem de Espanha de material informatico em bom estado e praticamente novo Dell 780 Dual Core 4GB 1000GB WiFi Windows 10 64-Bit agora computadores encostados e novos nao temos

      • informado says:

        O Estado cortava no Rendimento Mínimo e essas pessoas que são os mais pobres dos pobres comiam como? E o RM são 100 euros mês por pessoa. Antes de falar vai ler no google. Ora tenta viver com 100 euros por mês e depois vem cá relatar… Mete lá nesses computadores o Linux Chalet OS https://sites.google.com/site/chaletoslinux/home >> Muito parecido com o Windows e vem cá dizer o que pensas…

  6. ivan says:

    E uma vergonha o meu irmão ainda anda no secundário encontra se a tirar um curso em que dão um pouco de tudo a nível de pc, programação edição de vídeo imagem e som desenho digital e vetorial e os pcs que dispõem mal são capazes de aguentar os programas, queixa se imensas vezes do tempo que demora a renderizar ou fazer algo um pouco mais exigente. É verdade que os professores deixam levar o próprio pc mas como sabemos nem toda a gente pode e ficamos com alunos que não tem as melhores condições para trabalho, o que é uma vergonha pois vejo que isso por vezes desmotiva um pouco o meu irmão que é um aluno super interessado e empenhado no seu curso

    • Rui says:

      É o que eu digo em baixo, os computadores não têem um sindicato que zele pelos seus interesses!
      Mas olhe que lhe digo e com conhecimento de causa, que há escolas (com e minúsculo), que recebem dezenas de computadores novos em folha e assim ficam anos embalados e encaixotados sem saberem o que lhes fazer. Aparentemente o Ministério não pagou a uma empresa para instalar o parque, porque os professores das IT não sabem abrir as caixas!!!!! Só sabemos queixar-nos, para vermos se calha alguma coisinha do estado!

      • O Coiso says:

        Se fosse só isso… e as escolas que tem computadores encaixotados, porque não tem salas disponíveis para os colocar ou quadro eléctrico, e que depois quando o ministérios lhes pergunta se tem computares que possam ceder a outras escolas eles dizem que não que estão todos em utilização.

        Ou aquelas escolas que receberam computares a mais na era do Socrates e que fazem o mesmo, e quando foram confrontadas que tinham de devolver, disseram que já não era possível que já estavam em uso e que precisavam deles. Estando os PC’s escondidos na escola.

      • Iz says:

        E isso faz mesmo sentido……ao ponto até não haver competência para se conseguir abrir caixas. A ser mesmo verdade essas escolas devem ser punidas!

    • maria vieira a atriz says:

      estou comovida vai trabalhar vagabundo

  7. Sxac says:

    A realidade política é muito diferente da realidade do dia a dia… Escolas, aldeias, centros médicos, juntas de freguesia… Etc.

  8. don orelhone says:

    acabem com essa PARODIA de computadores nas escolas e garanto que os estudantes portugueses ficam 10 anos a frente dos restantes europeus basta de ter alunos a estar nas escolas como toupeiras

  9. arc says:

    Isso mesmo, tratem de substituir a totalidade do parque informático!!
    Mas não se atrevam a seleccionar os melhores formadores, esqueçam que devem investir em ambientes acolhedores (sem luxo), em que o formando sinta o mínimo de conforto, não recuperem o parque escolar que mereça ser recuperado, etc., etc.

  10. Rui says:

    É uma chatice, os computadores não têem um sindicato Comun…. (perdão), que exija mais e melhores computadores! Vai tudo para salários, progressões de carreira, férias em todas as interrupções lectivas, …… não sobra um tostão furado para obras de manutenção dos edifícios nem equipamentos!!!!

  11. jm says:

    Os telemóveis não são computadores? Adoptem a filosofia BYOD (Bring Your Own Device). Se servem para fazer 500 coisas também servem para estudar. O problema é a falta de definição de objectivos para os alunos.

    • Pedro Pinto says:

      Os telemóveis não são computadores…só os smartphones 😀

    • ivan says:

      Tenta aplicar Photoshop edição de vídeo com o final cut pro ou Premier num tlm então isso foi completamente desnecessário o comentário

      • Asdrubal says:

        Mas… então os smartphones não iam acabar com os desktops e portáteis?

      • jm says:

        Também não faria renderização com SolidWorks ou Autocad, se estivessem disponíveis.
        Parafraseando: ‘…anda com um ferrari …’ em Alfama.
        Obviamente, cada coisa no seu lugar. Para uma percentagem muito elevada do que é feito na escola, o smartphone é suficiente. Apontamentos (ler, ver, escrever), trabalhos, videos, programação e muitas outras coisas podem ser feitas no smartphone.
        Até parece que quando têm que apresentar vídeos editados, estes não são apresentados…
        As questões aqui são outras: falta de objectivos, para alunos e professores (à parte a montanha de burocracia a que têm que dar resposta e que os retira da sua função principal), e conteúdos.

        • Ing says:

          Programação no smartphone?
          Deves pensar que usas o bloco de notas e compilas de cabeça não?
          Se conseguires correr um eclipse mais uma parafernália de tretas que vêm por arrasto, mais um web server mais um PostgreSQL, tudo a funcionar, pago-te um jantar onde quiseres…
          Portanto, já estás a ver que à minha conta irias passar fome certo?
          Não fales do que não sabes.

          • jm says:

            No post fala-se em Escolas Públicas de Ensino Básico e Secundário.
            Tanto quanto sei não fazem programação cliente/servidor e se fizerem alguma coisa com bases de dados duvido que usem sql.
            Para aprender a programar não é preciso usar uma linguagem que necessite compilação.
            Sim! Quando necessário faço scripts no smartphone. Python/kivy e testo com kivy launcher. As micro sd servem para mais do guardar fotos e música.

          • Ing says:

            “Tanto quanto sei não fazem programação cliente/servidor e se fizerem alguma coisa com bases de dados duvido que usem sql.” <– sabe mal, usam sql e aprendem, por exemplo, normalização.

            "Para aprender a programar não é preciso usar uma linguagem que necessite compilação." <– que é como quem diz, para aprender a andar de bicicleta não é preciso bicicleta, basta uns videos no youtube.

            "Sim! Quando necessário faço scripts no smartphone. Python/kivy e testo com kivy launcher. As micro sd servem para mais do guardar fotos e música." <– pois, devem ser coisas super simples então.

            Como ultima nota, Python é uma boa linguagem,relativamente rápida de se começar a mexer, mas nunca como primeira linguagem de programação, por diversos motivos.

  12. joao says:

    Essa de Portugal ter das melhores infraestruturas no mundo é completamente para rir. Algumas cidades têm fibra, o resto ADSL. Ainda agora com os incendios a fibra foi tudo ao ar, vem sempre a pplware dizer que temos das melhores infraestruturas. Ganhem juizo.

      • zuma xuma says:

        Deviam fazer um artigo a sério sobre a cobertura da fibra, por toda uma cidade e não só , porque a fibra chega ao edifício da pt, dizer que temos fibra com qualidade em portugal.
        Temos cidades com fibra num lado da estrada e do outro não.
        adsl de um lado fibra do outro, tvcabo de um lado meo do outro e nao se pode mudar de operador, porque a estrutura nao permite mudar da fira meo para a vodafone..
        para nao falar que em muitas cidades nas horas de pico é impossivel ter internet rápida seja por adsl ,cabo ou fibra, ai notasse bem que os router e servidores nao comportam a quantidade de assinantes que contratam. por isso nao estamos mal?, Não estamos piores. e o objectivo é claro, acabar com a net neutral para todos.
        Para empresas pode justificar agora para o cosnumidor final ?

    • João Terra says:

      Não somos o melhor país com Internet super rápida. mas existem países onde a net é mesmo fraca e dou o exemplo das ilhas e da america latina. Outra questão é teres sorte com o sitio em que vives. Eu vivo numa aldeia e com banda larga MEO em 4G apanho 30MB a 40 MB, mas existe gente na aldeia que nem com a banda larga o sinal chega. mesmo ADSL a 1MB, ou seja, net lenta ou nem net têm

    • O Coiso says:

      Anda a Inglaterra talvez tenhas uma surpresa, btw já está a ficar melhor.

    • Tigo oliveira says:

      Olha a minha velocidade da net e de 2 mb

  13. joao says:

    As escolas receberam PC’s com os dois S.O. (win 7 e Caixa Magica) que escolhem dar nas aulas TIC???

    Windows e Gmail

  14. Filipe Gouveia says:

    Isso é um realidade que até nas universidades está bem presente…

    • Ing says:

      Não sou assim tão velho, mas incrivelmente tive aulas de programação em terminais, sim, tive aulas práticas em que ligava o terminal ao servidor, e usava o vi ou Emacs ou outro pico/nano e toma lá é mais nada.
      E logo desde o primeiro ano, ou seja, quem nunca tinha visto Unix, aprendia à bruta, e rápido.

  15. arc says:

    Na época, a Caixa Mágica, desenvolvida no ISCTE/Adetti, pelo Paulo Trezentos, Daniel Alves e pelo José Guimarães, ainda tentaram umas parcerias interessantes a nível governamental. Nem sei como isso agora está.

  16. Ars says:

    isso.. queixem-se.. queixem-se muito! mas não façam nada!
    maquina velhas/antigas podem ser ou não lentas.. há “n” razões.. podem discutir sistemas operativos, falta de investimento.. o que quiserem.. a verdade é que seja velha ou nova é preciso manutenção! e não há! é feita normalmente por professores e muitas vezes pelos proprios alunos. E porquê? simples.. porque quando se vai a concurso, a manutenção de um pc velho custa tanto quanto um novo.. obviamente… temos de pagar o Favores e o Cunha!
    O estado tem de investir? tenham dó.. o estado somos todos nós.. NÓS temos uma divida externa…. “ah e tal.. os que roubaram que reponham”.. oh meus amigos.. NÓS estamos a deixar-nos roubar.. porque é esta a nossa culturinha.. inha.. assim não vamos a lado nenhum… que tal em vez de andarem a discutir marcas e imagens de marketing, se discutir uma proposta de manutenção de computadores a preços realistas? se roubos de dizer que é “uma placa mãe nova” quando o problema é um cabo mal ligado…? se calhar… era mais útil…
    Ou é ofender alguém pedir que façam algo de útil?

  17. Francis says:

    Isto é a realidade do nosso ensino.
    Sou professor de uma escola profissional que tem como principais cursos os que estão ligados a informática.
    Os PCS já tem mais anos do que eu na escola.
    Estão todos remendados, a internet é uma vergonha enfim….
    Já procurei soluções em portateis e pcs fixos mas fica tudo muito caro pois não há fundos para fazer esse investimento
    Proponho ao pplware uma ajuda aos responsáveis pelos parques informáticos sugerindo software livre para lecionar as várias matérias do curriculo.

    • Marco says:

      Francis, não me faças rir.
      Vais tentar dar as matérias de office no libreOffice? se conseguires força. O mais certo é a tua vontade esbarrar nos superiores, porque se estás numa escola profissional eles vão te dizer que não é isso que se usa no mercado de trabalho.

      Nos curso de programação que se inicia com C, ou C#, se calhar podia começar-se com python, ruby.
      Se calhar em vez de se dar desenvolvimento WEB com php, se calhar era melhor começar a mostrar o outro lado RubyOnRails, ASP.NET, Angular + C#/Python (Flask)/rubyonrails. Quem diz Angular outra qualquer framework.

      • Ing says:

        Trocar C por Python pode parecer lógico, mas não é a melhor opção. Depende do que se pretende ensinar, ambas apontam para o modelo imperativo, mas Python pode ser útil pela simplicidade de utilização, mas C tem a vantagem de ensinar logo de entrada apontadores, gestão/manutenção de memória, e um rol de tretas que depois chegamos a conclusão que hoje em dia já é baixo nível, mas que em alguns casos, temos de recorrer. Python é muito bonito, é tipo uma linguagem do MacGyver, mas sendo duck typing, logo aqui tem uma enorme falha na questão do ensino de boas práticas.

    • Joao Ptt says:

      Qual é o nome da Escola Profissional?

  18. Francisco says:

    Este país vive de aparências. Está tudo preso por cordéis

  19. João Terra says:

    Eu ando a ler este post´s e riu-me muito. Na escola onde andei, tinham computadores mesmo fracos com o Windows 7, até portáteis que deveriam ter o XP, instalaram o 7 e aquilo era uma lentidão. Lembro-me de ter um pc desses no estágio e para digitalizar em qualidade máxima demorava 30 minutos, dava para ir ao café ler o jornal…. Uma escola para ter pc´s de jeito, custa muito caro, porque precisam de licenças e as proprias maquinas são caras

    Ninguém morreu por isso. Sempre tive pc´s lentos na minha vida, só há pouco tempo é que comprei um pc gamer para jogos e para trabalhar.

    • João Terra says:

      e temos que ver outra coisa fundamental. Muitos alunos jogam e vão ao facebook nas aulas, mesmo para trabalhar com office e outros programas do genero, chega e sobra. Agora para quem edita video, para quem trabalha com imagem etc… Têm de ter um pc bom. Agora essas escolas para os cursos que oferecem, estam muito bem equipadas

    • Ortografia says:

      Eu tambem “riu-me” muito com a forma como escreves certas palavras

  20. Cortano says:

    Não sei se ria ou chore com as soluções apresentadas aqui nos comentários.
    Claramente são soluções dadas por gente que não tem filhos e não tem a minima noção do que se passa numa escola, das condições gerais das escolas, da lacuna de equipamentos e, num outro nível, da lacuna tecnica da maioria dos professores para lidar com informática – que acaba por ser “aceitável” uma vez que as escolas não têm equipamentos, os profs acabam por nem se dar ao trabalho de explorar novas formas de dar aulas.

    Também num aspecto de educação especial, a informática faz muita falta, uma vez que hoje em dia existem inumeras apps e software específico de auxilio à educação especial.

    As coisas estão tão más que na escola onde os meus putos andam, muitas vezes são os pais “mais tecnologicos”, que dão assistência tecnica aos PCs e impressoras.

    Antes havia a Fundação PT que volta e meia dava uns equipamentos, mas se calhar isso também já acabou – mas também eram “peaners” e geralmente as coisas ficavam na escola principal dos agrupamentos – mesmo que não fossem as mais necessitadas.

    A velocidade da Net resume-se a infraestruturas de rede completamente descabidas, mal feitas, mal planeadas, mas tudo – alguém ganhou dinheiro com elas, mas fez um trabalho do tipo “metemos aqui um router… uns cabos por aí… e tá feito”… “a sala B não tem rede”… “normal, o cabo so chega até À sala A… para a semana montamos o resto” (5 anos depois… a “proxima semana” ainda não chegou)

  21. Lisbon lover says:

    Na Universidade Lusófona, em Lisboa, praticamente quase todos os computadores são sucata e às vezes demoram dois dias com atualizações.

    Investir em novos equipamentos para quê? Os alunos que se desenrasquem…

  22. Lisbon lover says:

    Quanto aos problemas na Internet, é fácil… Bloqueiem as redes sociais e os jogos online.

  23. Vasco Nogueira says:

    1999, curso tecnologico de informatica.

    31 alunos, 3 pc’s 386 que funcionavam… as vezes.

    engraçado foi no 12º, em 2001 termos uma disciplina pratica de visual basic em que só havia 1pc para os ditos alunos todos com capacidade de o correr durante todo o ano.

    • Asdrubal says:

      Isto sim, pessoal da velha guarda.
      Mesmo com poucos recursos, consegue-se ultrapassar tudo.

    • Internet ESTP ? num tem... says:

      E escusado comparar os requisitos das aplicações de 1999 ou 2001 vá, para os anos recentes. Provavelmente o google Chrome deve “pesar” mais que 20 programas dessa época. As apps evoluíram então os pcs escolares também o têm. Falando por experiência própria era um problema inorme instalar e utilizar o Blender na escola (curso gestão e programação de sistemas informáticos) renderizar ? Pushh mais valia estar quieto…. Até as professores/professores se queixam do mesmo… “Eles” têm de marcar presença via sumários electrónicos, a maior parte do tempo têm de consultar o pc durante a aula para saber se o serviço esta a funcionar pois a internet e de tal ordem lenta que nem o trabalho dos professores pode ser realizado.

    • runestone says:

      1998 estava eu no curso tecnologico de informática, éramos 2 turmas na escola secundária e estavamos a aprender programação em c++ nuns fabulasticos 286 e 8086 mais velhos que nós. sendo que ja havia pentium 2 a bombar.

      curso de engenharia informatica na universidade do algarve em 2003, epoca do pentium 4 a bombar, la tinhamos pentium 1 e no maximo 2, tinhamos 486 nas salas de programação, já na sala para trabalhos de programação… eram pcs tao novo e rápidos que corriam a X do gnome no servidor

  24. Trolorol says:

    Mas estes dados apontados pela pordata apenas se referem aos computadores que são propriedade da escola, ou não? Hoje em dia muitos dos miúdos têm portáteis próprios e lavam-nos todos os dias para a escola.

  25. Carlos says:

    Em 2005 tínhamos PCs (alguns estragados) com Windows 98 e 2000 com 32MB de ram e Pentium a 233Mhz para usarmos o office 97 e 2000… Curso Tecnológico de Informática…

  26. Rui says:

    Se as escolas quisessem muito, conseguem computadores muito decentes (não estou a falar em tratamento de imagens, edição de vídeo, etc), com processador de 3ª geração core i3 ou i5, 8Gb DDR3 e até disco SSD 120Gb + monitor LCD por 200 a 300€ usados!
    Costumo encomendar dezenas deles, todos iguais (normalmente só encomendo HP, DELL e Fujitsu para torres) com essas características. Vem meia dúzia a mais para peças ou para alguma necessidade e está feito o serviço com pouco dinheiro!
    Mas realmente dá mais resultado chamar a TVI e o sindicato e queixarmo-nos das condições das Escolas e exigir uma escola nova, computadores novos……. falta-nos e muito o sentido crítico de gastarmos pouco com o dinheiro comum!!!!!
    Volto a repetir, sei de uma escola pública que teve (não sei se ainda existem), dezenas de computadores novos em folha e que nunca saíram das caixas!!!!!!!
    Software há muito disponível, desde SO até programas equivalentes ao office. Ou então licenças de volume!

    • JS says:

      Mais um que vomita sem saber do que fala: 200€/máquina * 200 máquinas (a maioria dos agrupamentos possui mais de 200 :-)) = 40000€. As escolas nem dinheiro têm para pagar água, luz, papel higiénico, etc como é pagariam este valor?

      • Rui says:

        Se você estivesse a falar com alguém que não sabe o que é um orçamento aprovado no Conselho Geral, ainda lhe dava razão!
        Então supostamente a Direcção Executiva não pode comprar o ar condicionado que utiliza, nem pode comprar máquinas para uso pessoal, certo?
        O que a maior parte das pessoas desconhece é que uma Escola tem muitas fontes de receitas (e os custos de pessoal é o estado que paga directamente, limitam-se a fazer o processamento local), nomeadamente os Município, as candidaturas financeiras (por exemplo cursos profissionais, cursos CEF), angariação de verbas junto dos pais e comunidade local, associação de pais…….
        Se calhar conheço bem melhor do que você como é que funciona o financiamento secundário e universitário 🙂

      • O Coiso says:

        Ele tem razão, no que diz.

    • Cortano says:

      Relembro: As escolas são entidades publicas, não vão à loja ou ao OLX comprar coisas!!
      Ele é com cada uma…

    • poiou says:

      O problema não são as soluções, o problema é que seja qual for a solução é preciso dinheiro, e esse não chega ao TI (porque não o há ou porque alguém não quer)

    • O Coiso says:

      Também sei de algumas. Mas oficialmente estão/estavam todas em uso, esqueceram-se foi de dizer que estavam na arrumação ainda nas caixas, era para quando fosse preciso. E uma escola ao lado com falta deles.

      • Joao Ptt says:

        Denuncie as escolas ao ministério da educação, diga-lhes quantos, características, em que locais estão armazenados, e quem é que não deu seguimento para os respectivos equipamentos fosse para as escolas do agrupamento que precisam, para que se possa colocar tais pessoas no desemprego.

        • O Coiso says:

          Não são escolas do mesmo agrupamento.
          Já dei para esse peditório.

          Mas se o ministério quiser que vá as escolas, de surpresa, e que confira.

  27. MAFF says:

    Eu dirio que estão preocupados com detalhes menores. Se o governo não investe o suficiente para reparar escolas onde chove dentro das salas de aulas, então como é que vai investir para a parte informática?

  28. Golden says:

    Lembro-me antigamente no básico quando tinham carrinhos com thinkpads a correr Windows XP

  29. fábio says:

    Formação interna a dois ou três funcionários para que pelo menos uma vez por anos os computadores fossem formatados já ia ajudar e muito esta situação. Quem foi estudante já com este novo hábito de usar computadores nas aulas sabe que os alunos instalam tudo e mais alguma coisa, lixo atrás de lixo, jogos e joguinhos e os computadores arrastam-se todos.

  30. Martim Pinheiro says:

    Eu por experiência própria posso dizer que apesar de tudo, nas escolas secundárias e básicas nem tudo está mal quando há uma boa manutenção. Por exemplo:
    Na escola onde frequento os ultimos PC’s que a escola recebeu foram os HP Compaq Elite 8300. Estes PC’s correm Core2Duo com 4gb de ram (tinham 2gb mas foram adicionados outros 2gb), em 2009. Todos os Pc’s são formatados no final de todos os anos portanto funcionam como novos.Após estes anos todos os PC’s continuam a ser capazes de servir os professores e os alunos para todas as tarefas básicas (office, chrome com bastantes separadores abertos, manuais digitais, etc.). Grande parte destes computadores muitas das vezes não funcionam corretamente nas outras escolas como já verifiquei simplesmente pois não existem projetos para manter os Pc’s limpos e sofrerem updates de hardware e fazer-se formatações sazonais aos discos. Portanto considero que aqui o maiores problemas disto tudo são a falta de manutenção.

  31. Vasco Nogueira says:

    escolas profissionais com cursos de informatica…. não tem dinheiro para pc’s decentes, entao que leccionem outra coisa mais util.

  32. JC says:

    O problema é que, apesar de toda a propaganda difundida nos media, Portugal é dos países mais atrasados dos países desenvolvidos.

    Dos países desenvolvidos ou em vias de desenvolvimento, apenas quarto países conseguiram a proeza de no fim de 2017 não terem recuperado o PIB de há dez anos: Portugal, Finlândia, Itália e Grécia (fonte: Financial Times). A Irlanda, também “vítima” da Troika, ultrapassou em 2017 o seu PIB de 2007 em cerca de 50% (mesma fonte).

    Continuamos a pensar/acreditar que vivemos num pais rico, que tudo nos é devido e que o estado-providência tem a obrigação de nos dar gratuitamente tudo a que achamos que temos direito. Mas nenhum estado dá nada, não há jantares à borla. O estado distribui o que angaria através dos impostos, depois de reter o que gasta na sua própria preservação. Ou seja, se queremos melhores condições ou pagamos mais impostos ou criamos mais riqueza ou cooperamos com a luta contra a fuga ao fisco ou então exigimos ao governo, que gere os recursos do estado, que redistribua melhor a nossa “pobre” riqueza, uma vez que é utópico pedir ao estado/governo que faça dieta e emagreça.

    É verdadeiramente lamentável que não existam melhores condições para os alunos e especialmente escolas que soneguem os meios postos à sua disposição.

    Mas, mais importante do que os meios, é a vontade e a imaginação. Não posso deixar de recordar aquele professor informático, que foi notícia há bem pouco, que ensinava aos alunos o Office sem computador, desenhando no quadro negro a interface dos programas.

  33. Tiago says:

    Penso que o problema seja das updates do Windows.
    Como a rede das escolas são lentas não tem fim para acabarem de baixar uma atualização ou mais… Há dias em que eu levo a minha banda larga para a escola só para estar em uma rede mais estável e não só, também a ligo aos computadores da escola, e reparei logo que me gastou logo dados a mais do que o normal. Se não for updates não sei o que seja.

    • Rui says:

      vírus, malware, torrents, servidor de jogos, etc.
      O Windows tem uma grande responsabilidade nas actualizações das máquinas (as últimas actualizações de vários gigabytes de dados entopem qualquer rede (e basta uma máquina estar a actualizar).
      A verdade é que as redes são más, mas os alunos são os grandes responsáveis pela degradação das ligações à internet. Caso contrário, como é que explica que uma Escola com perto de 200 alunos tenha mais de 500 terminais sem fios ligados à rede wireless!?!?! (e a rede está vedada a terminais ligados de fora do recinto). Não há net que valha aos alunos a puxarem dados para o facebook a cada minuto! Ou até as próprias actualizações dos telemóveis! Registo alguns telemóveis que sacam mais de 1 giga de dados em actualizações por dia!!!!

  34. RJ45 says:

    O maior logro que foi feito no PTE foram os contratos ruinosos que o estado fez com a PT.
    Nesses contratos pode-se ler que cada instituição de ensino iria usufruir de 100 Mbit’s de acesso à Internet o que não está escrito, e aí a culpa foi dos governantes que encheram os bolsos, é que os 100 Mbit’s eram partilhados até ao Spliter de distribuição de rede. O que deveria existir era uma linha dedicada de 100Mbit’s por instituição e de certeza que não existiria problemas de acesso, nem mesmo com redes sociais ativas.
    Basta fazer um pequeno teste de download, do mesmo ficheiro, ao longo dia e verificar que a partir de 9:00 da manhã até 17:30, o acesso em muitos dias não passe dos 50Kbit’s, como isto é possível só Deus sabe (PT), após as 17:30, quando os computadores podem iniciam o processo de Update, em alguns dias, conseguem-se comunicações superiores a 2 GBit’s com muita sorte, isto não será um caso para investigação. Se é, então chamem o “Sexta às Nove” e descubram a fraude que a PT está a cometer com o estado.
    No meu ponto de vista, as linhas de fibra que deveriam ser da exclusividade das instituições de ensino estão a ser partilhadas pelo setor privado e a PT está a encher os bolsos à custa do estado que pagou a infraestrutura da rede de fibra ótica.

    • Tiago says:

      Não sei se rio ou choro com tanta asneira aqui dita.
      Quando não se sabe mais vale ficar calado!
      Faça uma pequena pesquisa sobre o assunto e depois reflita se o que disse faz algum sentido.

  35. Filipe says:

    Peço desculpa, mas esta parte: “É verdade que Portugal é um dos países do mundo que tem das melhores infraestruturas de comunicação. As redes de fibra ótica chegam cada vez a mais locais e há o compromisso de algumas empresas de telecomunicações, como por exemplo a MEO, que têm levado Internet onde nunca ninguém levou.”, levou-me do primeiro parágrafo do artigo até à zona dos comentários, sem sequer o acabar de ler. As operadoras nem sequer conseguem fazer chegar o mais básico de rede de telemóvel nalguns sítios, vão conseguir internet? Nalguns sítios nem ADSL tem. Noutros tem fibra de um lado da rua e do outro não, como também já alguém referiu acima. Noutros, net razoável, só depois das 2 da manhã e só até às 7, pois no resto do dia nem o google se consegue abrir. Essas informações são, apenas e só, conversa das operadoras, e claro está, que tinha de ser da MEO. E antes que a resposta seja a de “não andas atento às notícias”, ainda não há muitas semanas foi noticiado que Portugal é dos piores países da europa em termos de acesso à internet, e junta-se a isso o facto de sermos o segundo pior em termos de preços também.

  36. Pérolas says:

    Tudo isto são notícias da treta para fazer o estado gastar dinheiro em pc’s novos com licenças windows. Se querem, realmente, fazer uma reforma estrutural é apostar na economia circular e dar uma vida nova às máquinas instalando o xubuntu ou o lxde. Já para não falar da independência tecnológica, segurança e escalabilidade que esta solução traria. Se querem continuar a fazer jeitinhos aos interesses instalados continuem. No final das contas fazem o que querem… Depois não se queixem…

  37. informado says:

    Que deitem o Windows fora e instalem Linux

  38. Redin says:

    Está na hora do governo contratar serviços baseados em servidores VPS ou na Cloud. Na vez de se adquirir computadores novos a cada nova versão de software exigente, pode-se bem poupar recursos através dessa nova tecnologia.
    Na vez disso sempre se pode apostar em terminais simples como minicomputadores em formato de box. O processamento pesado fica do lado dos servidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.