PplWare Mobile

Emirados Árabes Unidos colocaram em produção a maior central solar do planeta


Fonte: Abu Dhabi Government Media Office

Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. OliveiraPatricia says:

    Custo de implementação – 772 milhões de euros
    Eletricidade gerada – 90 mil pessoas
    (Ponto final)

    • N1ldo says:

      Se calhar queriam dizer 90 mil habitações não? Cada habitação com 3, 4 pessoas já seria mais adequado.
      Também reparei isso, não vejo como isso seria solução com esses valores.

      • N1ldo says:

        Principalmente pela área ocupada 8km quadrado.
        Por exemplo, Dubai pouco mais 4mil km quadrado e com mais de dois milhões de habitantes.
        Essa área é o dobro do tamanho da cidade pra gerar energia pra alguns quarteirões?
        Fonte Wikipedia

  2. Filipe B says:

    1.177GW a produzir numa hora em contínuo = 1177000kWh * 0.19€ = +-224000€/h
    772000000€ (instalação) / 224000€/h = 3452.13h de produção contínua para o “break-even”
    3452.13h/5h diárias (estimativa diária de produção pico NO DUBAI) = 690 dias
    690 dias / 365 = 1.9 anos

    Mesmo descontando o custo de manutenção da instalação e custos com pessoal, julgo que em 5/7 anos está tudo pago e depois é só facturar…
    Vamos fazer uma vaquinha e fazer uma coisa desta cá em Portugal?

    • Blackbit says:

      O preço de venda não é de 0,19€ (isso é que tu e eu pagamos, não é o que central encaixa por cada kwh vendido), creio que o valor andará mais perto dos 4cts a 7cts (esses valores tem baixado muito ultimamente), pelo que o periodo de amortização da Central pode ser um “bocadinho maior”.

      • Filipe B says:

        Estava a fazer a análise do ponto de vista da EDP, não considerando uma série de custos que os clientes individuais têm de absorver quando por exemplo ligamos painéis fotovoltaicos lá em casa à rede (resultando num preço/kWh miserável, próximo dos 0.04€ a 0.07€ que falas).
        Dito isto não trabalho para a EDP ou similares e não faço ideia do que estou a falar, mas honestamente estava à espera de períodos de retorno à volta dos 20/30 anos. Achei no entanto estas contas (rigorosas 😉 ) interessantes.

        • Carlos says:

          Daqui a 10 anos a central está tecnicamente obsoleta.
          Sem ajudas, do ponto de vista financeiro, um investimento destes será sempre um fiasco.

          • Mapril Oliveira says:

            Se a central for amortizada em 10 anos e tiver um tempo de vida útil de décadas, com custos de exploração muito baixos, como pode ser um fiasco económico? Mas eu não sou especialista, talvez você nos possa esclarecer melhor…

          • Filipe B says:

            As centrais a carvão já são obsoletas neste momento e ainda funcionam…
            A questão é mais financeira do que técnica. Se uma nova solução industrial for mais rentável do que um equipamento existente é de mudar, independentemente da sua tecnologia.

          • Toni da Adega says:

            eles não devem estar muito preocupados, afinal é tudo investido com $$ dos paises do ocidente (Portugal incluido).

          • Hippo says:

            Esse comentário revela muitíssima ignorância. Sem subsídios e já com o armazenamento mais caro que existe (baterias) o último leilão na Califórnia deu menos de 4 cêntimos de dólar por kWh e apenas 2 cêntimos só para os painéis. O break even no Dubai deve estar nos 8 anos… Depois é só lucro. Tudo sem subsídios!

          • AJMS says:

            Carlos, o seu comentário revela total desconhecimento do que é energia fotovoltaico. Nunca é um fiasco, e dará sempre lucro a longo prazo, dos 8/10 anos até aos 25 anos é sempre a lucrar.

    • Oscar says:

      Onde foste os 0,19?
      77 Mihões de euros, não é uma vaquinha é mais um boizão

    • Pedro Silva says:

      A coopernico anda a tentar fazer isso mesmo. Para já tem sido iniciativas numa escala muito menor, mas cada vez somos mais e todos juntos podemos fazer muito mais. Convido te a juntar – te

    • Danilo says:

      Portugal é quente como inferno e sol é de matar

  3. Lucas says:

    “em berve vã…” corrigir por “em breve vão…”
    De nada…

  4. AJMS says:

    Isso é o futuro, mas qualquer habitação em portugal com boa exposição solar pode também dar um passo nessa direção e fazer baixar a sua conta de electricidade, 1 painel solar paga-se em 7/8 anos e depois tem mais +/- 15 anos a tirar lucro do mesmo.

  5. João M. says:

    A quantidade de água necessária para manter estes paineis limpos deve ser pequena…

  6. Saqueador de bits lord says:

    Os malucos do petróleo são inteligentes, estão a apostar nas renováveis.

    • Toni da Adega says:

      +1 Enquanto os malucos do terceiro mundo estão a comecar a cortar a sua dependencia do petróleo.
      Os inteligentes dos paises desenvolvidos dizem isso é má ideia.

  7. PcRat says:

    Depois vem uma daquelas tempestades gigantescas de areia que picam o vidro todo, e lá se vão os paneis solares com o galheto…

  8. Fernando says:

    Não era melhor apostar na fusão nuclear? É limpa e ilimitada. O sol já faz isso desde que nasceu.

    • JOAO LUIS says:

      A ITER primeira central de fusao nuclear está a ser contruida na França e só deverá produzir electricidade em 2035. Até lá acho que vamos daqui a nada andar todos de bicicleta e voltar a usar velas á noite.

  9. Pérolas says:

    Sol não lhes falta…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.