Quantcast
PplWare Mobile

iPhone 12 foi posto à prova em teste de resistência à água. Veja o vídeo

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Omg not again says:

    Tudo o que eu mais queria neste natal de 2020… Saber que posso andar debaixo de água a fotografar as babes este verão….

  2. Sílvio Pinto says:

    O alarido à volta disto é tanto que me faz pensar que é o primeiro smartphone do mercado a fazê-lo. O meu velhinho Galaxy S6 já podia ir ao banho comigo, isto há 5 anos atrás…

  3. Filipe says:

    Tudo o que já existe nas outras marcas há mais de 5 e de 10 anos só é visto como inovação quando colocam nalgum aparelho da marca da maçã roída…
    É claro que têm de tentar arranjar alguma coisa para tentar justificar o preço que pedem por um aparelho que é apenas razoável, em que um aparelho igual de outras marcas que faz o mesmo numa qualidade idêntica custa menos de metade do valor.

    • Marisa Pinto says:

      O que tem a notícia a ver com isso? São teste que se fazem sempre a qualquer equipamento desta gama, sobretudo se for recente 🙂
      Onde leste na notícia que este é o 1º equipamento com estas características?

  4. André R. says:

    Impossível isso ser IP68.
    IP 68 é para emersão prolongada, não apenas meia hora… está descrito nas normas. Isso quando muito um IP 55. Um exemplo das luminárias das piscinas, estão submersas sob pressão e não tens de as tirar para fora de água a cada meia hora. Por isso é que a Apple vai pagar 10 milhões de multa por causa desta publicidade enganosa

      • Krasy says:

        https: //tecnoblog.net/389319/iphones-a-prova-dagua-rendem-multa-de-e-10-milhoes-a-apple/

        • Marisa Pinto says:

          Não é isso que eu estou a perguntar… Isso eu sei, até porque é uma notícia que temos. A questão era em relação às normas IP68 específicas para o iPhone 12, e sobre isso já foi respondido: https://ibb.co/HPPJCsc

          • André R. says:

            Marisa, os índices de proteção IP xx são definidas por normas internacionais e não por normas criadas pela Apple. O IP 68 é para equipamentos submersos de longa duração, por exemplo bombas de água, iluminação piscina, etc. com uma duração prolongada, como por exemplo meses/anos. Não podem alegar que é IP68 em meia hora… se disser IP 55, ainda acredito, agora IP68 nunca…

          • Nuno T. says:

            André R., a norma IPx8 não define a duração do teste.
            A norma indica que será o fabricante a definir essas condições, sendo esperado que sejam superiores à norma IPx7.
            Falares em IP55 também não faz nenhum sentido. Com isso estás a mudar a resistência a poeiras e estás a usar um teste de resistência a jatos de água, que é diferente dum teste de submersão.

          • Vítor M. says:

            André, as normas são obrigatoriamente reguladas e as marcas não podem inventar. E não são de longa duração, aliás, a Samsung diz assim sobre o seu topo de gama:
            IP68 resistência à água e ao pó
            Mantém o seu telemóvel protegido de salpicos, gotas de água e até 1,5 metros submerso debaixo de água durante 30 minutos.

            Portanto, ou tu estás certo e todas as marcas estão erradas, ou tu estás errado e as marcas estão certas.

          • Test User says:

            Segundo Autoridade Italiana a Garantia da Apple não cobre os danos causados por liquidos logo publicidade enganosa.
            Teste Laboratorio feitos em condições especificas e não reais,
            Alem disso, Apple recusa-se danos por liquidos na garantia.

            Vitor M. por acaso lembras-te do Dieselgate.

            https://gadgets.ndtv.com/mobiles/news/apple-fined-100-million-iphone-12-mini-pro-max-water-resistance-warranty-claims-italy-antitrust-2332208

          • Vítor M. says:

            Exemplo que não tem nada a ver. No caso do regulador italiano, se leres o que escrevemos, eles querem que a Apple diga que tipo de garantia existe no caso de um smartphone que é “resistente à água com certificação IP68”. Então se é resistente à água, a garantia não deveria cobrir problemas de líquidos? Bom, faz sentido a não ser… (é aqui no “a não ser” que a Apple não diz e o regulador quer saber).

          • Test User says:

            Vitor M. : Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?

            Se entrar agua nas condições que deveria garantir não entrar e garantia não cobrir danos por líquidos.

            Regulador Italiano alega que iphones não provaram ser resistentes à água numa profundidade de 4 metros e durante 30 minutos.
            https: //www.cnet.com/news/apple-fined-12m-dollars-by-italy-over-iphone-water-resistance-claims/

          • Vítor M. says:

            Sim, o regulador italiano que testes fez para saber se a Apple, que recebeu a certificação IP68 dos seus smartphones, não fez? Se calhar achas que foi a Apple que se lembrou de dizer que tinha certificação IP68, queres ver? Não há um regulador que faz testes para certificar o equipamento? Pensa nisso.

            Fiz uma pesquisa alargada sobre o tema, olha aqui: https://bit.ly/3lyLw8f

            Mas então quem é o regulador que atribuiu a certificação?

            OS níveis de classes de proteção IP ou grau de proteção IP são padrões internacionais definidos pela norma IEC 60529. A Comissão Eletrotécnica Internacional (em inglês: International Electrotechnical Commission, IEC) é uma organização internacional de padronização de tecnologias elétricas, eletrónicas e relacionadas. Alguns dos seus padrões são desenvolvidos com a Organização Internacional para Padronização (ISO).

            Existe na internet muitos papers que informam que procedimentos são necessários para um dispositivo ganhar a certificação IP.

            Mas lê bem o artigo que deixamos para perceberes bem o que realmente quer o regulador italiano 😉

          • Test User says:

            Vitor M. le o parecer do regulador:
            http://www.dirittoegiustizia.it/allegati/Antitrust_Apple.pdf

            1- Resistente à água somente de acordo com a certificação :
            “Somente em presença de condições devidamente controladas, como o uso de água estático e puro. Portanto, um determinado dispositivo estará em conformidade com o nível proteção indicada pelo código atribuído a este último apenas no caso em que essas condições são replicadas”

            2- Fora das condições controladas que não é resistente, ficou provado pelas queixas dos consumidores . Exemplo dado : ” breve mergulho na água do mar”. Esse uso não esta de acordo com a certificação.

            3- Apple fez publicidade enganosa devido publicitar produto impermeável à água e líquidos em geral quando na realidade a garantia não cobre danos causados ​​por líquidos.

            5- Teste que agora mostram agora não esta de acordo com a certificação. Caso entra-se água, garantia não cobria danos por líquidos.

          • Vítor M. says:

            Isso tudo o que disseste está explicado no artigo que escrevemos. Cada ponto desses leva a um único: pressionar a Apple a dizer o que está ou não coberto pela garantia no que toca a danos por líquidos. E a Apple tem de dizer, porque é justo para o consumidor. Se o equipamento é “resistente à água”, então que damos poderão ser tidos em conta?

            É isso que eles querem saber… o resto, esta entidade italiana não se pode sobrepor à entidade que certificou os telefones da Apple, competências diferentes e esta italiana não pesca nada do que a Apple foi obrigada a testar para obter a certificação.

          • Test User says:

            Regulador Italiano defendeu o consumidor. O que obrigou foi Apple
            publicitar líquidos não estão coberto pela garantia.

            O bonito dos Indicadores de contacto com líquidos, podem indicar ter sido expostos, sem nunca ter entrado liquido no equipamento. Se tiveres equipamento sempre num sítio húmido, indicadores vão indicar sem nunca ter entrado liquido .

          • Vítor M. says:

            Exatamente. Tem é de obrigar a Apple a desfazer esta contradição. E ser mais transparente com o consumidor.

  5. Milarilas says:

    Vim-me juntar a esta chain para dizer que também não tenho vida própria nem tenciono ter e que faço assunto bélico de conversas de telemóveis. Para além disso, alienei todos os meus amigos porque não concordam com as minhas opiniões de “geek” – eles é que perdem porque eu é que sei tudo e sou o maior!

  6. Pedro Santos says:

    Para ter a certificação IP68 tem de seguir os critérios definidos por essa certificação. Neste momento a Apple se usa a certificação IP68 como característica dos seus equipamentos tem que a mesma ser atribuída pela entidade reguladora dessa mesma certificação. Em relação à exposição do iPhone a líquidos não ser coberto pela garantia de fábrica, isto está errado e pode ser mesmo considerado ilegal visto ser uma das funcionalidades apresentadas pela marca e que pode ou não estar a funcionar e causar danos caso não esteja. Deveriam especificar que a garantia apenas cobre danos relacionados com água desde que os mesmos se encontrem dentro ca certificação IP68 conforme anunciado, ou seja, nada de café, vinho, etc … outros liquidos … Pelo menos é a minha opinião ….

    • Nuno T. says:

      a verdade é que quase nenhum fabricante dá garantia nesses casos, mesmo quando apresentam a certificação!
      O problema de cobrir com a garantia é que o que é apresentado às pessoas é para situações estáticas como salvaguarda de exposição limitada a água, sendo dito que a resistência pode deteriorar-se com o tempo. Os telemóveis sofrem diversos stresses mecânicos e térmicos com o uso normal que acabam por degradar as barreiras que protegem da água.

    • Vítor M. says:

      Os smartphones são IP68 e isso é regulado. Aliás, eles pautam todos pela mesma tarimba.

      Agora, o que a Apple está a “falhar” é na garantia meter tudo no mesmo saco em relação aos danos por líquidos. E o que o regulador italiano (e muito bem) quer é que a Apple descreva muito bem descrito o que ela entende como danos por líquidos.

      É que a Apple, como faz nos Macs, usa os tais sensores de humidade e não difere o que são de facto inundações das partes eletrónicas do que é, por exemplo, humidade que o equipamento ganha, por condensação, por exemplo. Aliás, esse vídeo mostra que a lente fica embaciada e se existir um sensor de humidade perto, ele ficará ativo como se estivesse em contacto com líquidos. É isso que o regulador quer obrigar a Apple a descrever para proteger o consumidor.

      • Toni da Adega says:

        Estas sao as especificaoes do IP68 (definidas em – IEC standard 60529)

        “8 Immersion beyond 1m The equipment is suitable for continuous immersion in water under conditions which shall be specified by the manufacturer. Normally, this will mean that the equipment is hermetically sealed. However, with certain types of equipment, it can mean that water can enter but only in such a manner that it produces no harmful effects.”

  7. LSousa says:

    A Apple numas coisas está mt atrasada em relação ao Android (ex: a adopção do fast charging, mts anos depois do Android) noutras foi também a precursora (ex. auscultadores em fios). Existem novidades quer de um lado quer do outro, Como utilizador muito esclarecido no mundo deste tipo de tecnologia acompanhei desde o inicio o surgimento dos telemóveis ainda gigantes e ligados ao carro bem como o mundo da programação, para mim continuo a escolher e a ter como opção o Android…. Cada um escolhe o que quer e pode.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.