Quantcast
PplWare Mobile

Dica: Quer o seu iPhone mais rápido? Só tem de mudar a região para um país diferente

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. MACnista says:

    Mas não vai ter consequências a médio ou longo prazo, no maps por exemplo???

    • andre says:

      Vai!!!! para a APPLE
      Se os telemóveis deixares de ficar lentos eles vendem menos telemóveis.
      Motivo publicitado – poupar a bateria – motivo real – chatear o cliente de modo a criar a necessidade de upgrade.

  2. V.T. says:

    Ir contra a uma regra da Apple… Heresia!

  3. FAR says:

    A ser verdade isto é verdadeiramente ridiculo.

  4. Jorge Carvalho says:

    Ou seja em vez de desligarem a opção no menu através de um botão, dão 50 voltas para fazer o mesmo……

    Abc

  5. Oscar says:

    “O desempenho fica mais elevado” isso em % representa o que?
    Mas sem alterar o idioma ?

  6. Strato says:

    Se realmente se verificar isto a bateria tambem deve sofrer…

  7. Pastilhas says:

    Todo este artigo, faz lembrar-me uma expressão: “Dourar a Pílula”
    Será que acreditam na boa samarinata, preocupada com os seus clientes?
    Não é isto a chamada Obsolescência programada? É um mal só da Apple? Não não é, mas por ser Apple já é justificável?

  8. Boaqwe says:

    A partir de que versão do iPhone existe esta limitação?

  9. Rijó says:

    tenho as minhas duvidas… hummmm

  10. lapizazul says:

    Sempre a “inovar”…

  11. Pwk says:

    Ao mudar para franca as fotos ficaram melhores principalmente a noite, o hdr fica mais definido e o night mode funciona melhor

  12. Jorge Carvalho says:

    Deixem de acreditar em tudo o que leem , basta ir à opção e desativar a opção respetiva de limitação de bateria que fica igual. O Pedro apenas foi dar a volta mais comprida.

    Abc

  13. Joao Ptt says:

    Seria mais interessante a UE proibir a venda de artigos com bateria integrada que não possa ser trocada pelo utilizador. E só permitirem artigos com baterias substituíveis pelo utilizador que possam ser facilmente encontradas no mercado em pelo menos mais de 6 empresas de grupos empresariais diferentes. Sempre era mais uma forma de prolongar os artigos.

    Também seria interessante todos os artigos eléctricos e electrónicos terem um tempo mínimo de vida útil de pelo menos 20 anos. Com as eventuais actualizações de segurança e de funcionalidades que mantenham os ditos equipamentos relevantes e utilizáveis durante todo esse período mínimo de vida útil.
    No fundo: ser mais ambientalmente responsável. Mesmo que a pessoa não queira manter o artigo durante esse tempo todo, para existir um mercado para receber esse artigo, já que o mesmo continuará perfeitamente funcional.

    Depois só falta mesmo só permitir equipamento eléctricos e electrónicos que possam ser facilmente reparados no mercado aberto/ por terceiros genéricos especializados na área. Se terceiros genéricos não forem capazes de reparar tal artigo, o mesmo não deve puder ser vendido até que se corrija tudo o que os impede de o fazer, incluindo ter de haver peças para substituir/ reparar do próprio fabricante e de terceiros independente para o caso do fabricante decidir fechar portas a cada novo modelo só para se ver livre das responsabilidades por exemplo, continuar a existir forma de reparar.

    A derradeira luta será que tudo o que puder ser actualizável utilize firmware e software que possa ser substituído pelo de terceiros, para o caso do fabricante original desaparecer, ou se recusar a actualizar, ou criar actualizações que os utilizadores considerem prejudiciais por acrescentar ou remover funcionalidades que os utilizadores queiram ou não queiram… para desta forma ser possível a terceiros criar alternativas, similar ao que se vê no “mundo” dos routers com o DD-WRT e o OpenWRT por exemplo, que permitem que tanto equipamento antigo como até algum equipamento moderno possa ser mantido mais actualizado e seguro e com os últimos desenvolvimentos tecnológicos que geralmente os fabricantes que ganham uma fortuna se recusam a fazer só porque não querem ou não são competentes.

  14. Tadeu says:

    Mas porque é que vêm descrever estas artimanhas quando existe uma opção para desligar a limitação de desempenho por causa da bateria!?????? Basta ir às definições do estado de bateria

  15. B@rão Vermelho says:

    Eu falo por mim Ipad 3 ainda funciona bem, mas como já não há atualizações muitas das páginas de internet já não abrem porque o explorador não é compatível, nem consigo instalar outro, mais um pouco e passa a ser um pizza papéis.
    Aplicações como Youtube já deixou de funcionar, devia ser proibido lançar novos modelos todos os anos, é um convite ao desperdício.

  16. AqueleAmigo says:

    Então mas o dinheiro dos Franceses vale mais que o dos Portugueses?!

    Compram o mesmo smartphone, aqui é mais lento. Não venham falar de ” foram obrigados a remover as medidas de limitação do iPhone.”
    A opção devia ser dada ao utilizador… mas infelizmente com a Apple é assim. Eles é que decidem tudo e as pessoas comem e calam…. Não é Vítor?! 😀

    • Vítor M. says:

      Novamente errado. Não acertas uma. Esta limitação coloca o smartphone ligeiramente mais rápido, o iPhone 6S, e o SE 1ª ger. basicamente, mas perde autonomia. As diferenças de desempenho num telefone com 6 anos, o que ganha com este hack fica diluído se usares o iOS 14. Isto é, ganhas algo no desempenho, apenas nalgumas ações, mas perdes autonomia. O que é normal. Se o iPhone ficasse com o SO de origem, o iOS 9, ou mesmo o iOS 10 (o que normalmente acontece com 80% dos Androids, que não recebem ou não são atualizados mais que uma ou duas versões, nem se notava qualquer alteração. Mas a Apple oferece mais aos utilizadores e um iPhone de 2015 recebe o iOS 15 😉

      Como tal, as limitações que a Apple colocou, apenas têm como intenção permitir uma maior autonomia e uma gestão melhor do consumo de recursos face aos novos sistemas operativos.

      A partir do iPhone 8, não se notará absolutamente nada.

      Quem come (mal) e cala são os utilizadores Android que com uma maquina de 2 anos, já está ultrapassada e nem tem suporte a novas versões 😉 Isso é que te deve incomodar 😀 e não o benefício dos utilizadores do iPhone que recebem constantemente novas versões. Mas aquele velho e feio hábito de cobiçar a galinha da vizinha… não é Zé amigo…?

    • Tadeu says:

      A opção é dada ao utilizador, aliás há vários anos que a mudança só ocorre se o utilizador aceitar, sendo que pode sempre mudar essa opção nas preferências! O que não se entende é a notícia não referir isso e andar com estas artimanhas desnecessárias.

  17. Ale says:

    Alguem devia pegar nos comentarios do Vitor e fazer um meme

  18. StupidDGS says:

    Q fantochada de empresa, mas continuem a comprar maças carneirinhos 😀

  19. IKAROS says:

    Isso só demonstra que este site é totalmente amador.
    Se fosse a vocês, tirava esta estupidez de dica da net… só fazem má figura!

  20. Daniel Santos says:

    Curiosamente esta pequena dica trás um aumento significativo no desempenho.

    Testei num iPhone 7 que ainda tenho e agora com bateria original nova e após mudar para França, a abertura de páginas web, aplicações em geral está bem mais rápido!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.