Quantcast
PplWare Mobile

Google I/O 2014 Keynote – Vem aí o novo Android e muito mais

                                    
                                

Autor: Hugo Cura


  1. Bruno M. says:

    Estou desejoso de saber as novidades para o android 5.0, Projecto Ara e android tv!! 😀

    Correcção:
    último parágrafo: Deixe-mo-nos … >>>> Deixemo-nos.. 😉

  2. Lumia 920 says:

    Estejam atentos fanboys da Apple às novidades aqui apresentadas hoje são as que serão apresentadas para o ano no ios 9.

    • Marco says:

      Va não vamos entrar por ai, deixa la estar eles em paz.
      vocês são tramados… lol

    • Nelson says:

      Já estou a contar as cópias…

      1 – App’s que abrem de links web
      2 – Spotlight (procurar dos dados das aplicações, históricos web)
      3 – Metal (Android Extension Pack)
      4 – JobScheduler API (exactamente a cópia do background app refresh no iOS 7)
      5 – Universal Data Controls (menu privacidade acho que já desde o iOS 6, permite definir permissões por cada app)
      6 – Android Wear = Siri a mostrar no relógio inteligente
      7 – AndroidAuto* = CarPlay do iOS 7.1, era para ser um SO inteiro, agora é só um ecrã para o telemóvel Android, ideia mais inteligente, eu já tinha dito porquê aqui 😀
      8 – AndroidTV = Apple TV/AirPlay + App Apple Remote
      9 – Pedaços da continuity no ChromeOS, menos aqueles que mais interessam, como fazer mesmo as chamadas (LOL!), o iOS já faz aquilo de log-in e mensagens via App’s third party…
      10 – Algumas features “Enterprise” do iOS
      11 – Abrir e editar ficheiros do Microsoft Office (LOL! Não tinham?)
      12 – “PowerPoint” do Android (Keynote da Apple)
      13 – CloudKit (se bem que eles estão á frente nas ferramentas, pudera… é a cena deles)
      14 – appurify (copycat da TestFlight que a Apple comprou)
      15 – Google Fit = HealthKit, cópia EXACTA!

      Que razia! Pareceu o replay da WWDC 2014!

      Até na publicidade fizeram uma cópia a carvão da Apple WWDC 2014!

      E da Microsoft
      1 – Extensões do “pré” assistente pessoal (da Cortana), até usaram o exemplo de comprar Pizza da Xbox
      2 – App’s que funcionam no Windows Phone, Windows 8 no tablet e Windows 8 no PC
      3 – Cena do Play Games – Cópia do Game Center (iOS neandertal), que na realidade é cópia do Xbox Live

      * Ahahahaha! ligar por cabo! Estamos outra vez em 1999? E quanto ás marcas, está certo… Ferrari = iOS, Maserati = Ferrari barato = Android… LOL!

      Quanto à Android TV… quase tão bom como XBMC? Não me parece… LOL!

    • Nunes says:

      não apresentaram quase nada que a Apple já não tenha anunciado – aplicável ao iOS diria até que não houve nada

      • Daniel says:

        Normalmente é assim, mas uns anos depois esse “nada” é implementado no iOS finalmente e falam no “next big thing”.

        • Nunes says:

          :S
          diz lá o “nada” que foi anunciado e que não existe no iOS 8!?

        • Nelson says:

          “é implementado no iOS finalmente”

          É?

          Quando é que “finalmente” vai ser implementado o CarPlay, HealthKit, Metal, etc… no iOS?

          • Nelson says:

            *Android Auto, Google Fit, Android Extensions, etc…

          • Daniel says:

            Acho que querias dizer “no Android”.

            CarPlay:

            https://www.youtube.com/watch?v=Q9aet_IXyGQ

            http://gigaom.com/2013/01/02/google-maps-navigates-its-way-into-kia-hyundai-connected-cars/

            Mas podes ver os comentários nesta e noutras threads em que falo nisso.

            Quanto ao Healthkit, deves ter leitura selectiva ou memória curta, pois já te respondi diversas vezes no entanto voltas sempre com essa.

            Metal eu nem comento. Não inventou nada, usava OpenGL, vai passar a disponibilizar API própria.

            Mas eu só referir algo que me deixou a atirar dinheiro ao ecrã enquanto via a keynote: wearables.
            Eu não uso relógio há uns 20 anos, um trambolho no pulso que só “diz” as horas não obrigado. No entanto vejo utilidade nestes. Mesmo quando foram anunciados e “demonstrados” anteriormente fiquei “meh, não me diz mesmo nada”, e desta vez foi o que mais à atenção me chamou.

            De resto, e tendo em conta o histórico da Apple, possivelmente o que venha a ser adoptado que já existia em outros ecosistemas até podem ser coisas com 4 ou 5 anos. Além de quem se colocou na posição de hipócrita foi a Apple, quem começou com troca de flames foi a Apple (e repetiu a dose este ano novamente apontando dedo ao Android, directamente e por nome, na WWDC, tendo levado resposta hoje, sem ser necessário ter sido dito o nome da empresa para todos saberem de quem se tratava).

            Quem tem telhados de vidro não atira pedras à casa do vizinho, já dizia o dito.

          • Nelson says:

            @Daniel…

            Que desespero, minha nossa!

            Um rádio com um tablet android! A primeira coisa que muitos fizeram com o iPad 1 foi meter no tablier! LOL! Nem Android 3.0 havia!

            O resto… dá-me sono…

            Se Steve Jobs é o Jesus Cristo da Apple, o Eric Schmidt é o Judas. Grande parte das inovações da Apple foram espiadas por ele, e foram para á Google. Agora que já passaram muitos anos, e o que estava a ser desenvolvido, já está tudo no mercado, é o que se vê… a Google era uma empresa que estava a ir tão bem, até cometer o Pecado Original… agora? Agora, é o que se vê! Em vez de ser uma cidadã de primeira classe, é só uma lapa da Apple, Microsoft, SAP, Dropbox, etc…

            Toda a cultura de inovação perdeu-se, por muito que os fãs como tu puxem do teclado, não há outra maneira de explicar, é a CÓPIA…

          • Nunes says:

            @ Daniel
            O Metal não é apenas uma API própria… tem um objectivo claro, reduzir o “peso” das API, libertando recursos consideráveis e dessa forma possibilitando aumentar a performance das aplicações.
            Para encontrares algo semelhante terás que olhar para o DirectX12 que só aparecerá no final de 2015.
            O OpenGL para plataformas móveis vai demorar bastante tempo até conseguir algo semelhante

          • Daniel says:

            Nunes, muito possivelmente o OpenGL não fará nunca porque é suposto abranger virtualmente um leque infinito de equipamentos enquanto o metal é suposto suportar tendencialmente UM equipamento à vez (com fronteira para 3~4 no max, mesmo que com funcionalidades reduzidas).

            Essa é a primeira, a segunda é que é mentira o que escreveste de não existir semelhante. Existiu com diversos “pushes” da nvidia e da ATI/AMD (a mais recente o Mantle). É uma low level API… sério, não é novo, a Apple só largou o OpenGL, genérico e que tem de suportar imensos fabricantes e modelos, por uma api própria e que por só ter um equipamento a pensar por ano (família de) pode desenhar como quiser e bem apetecer, sem gorduras. Não retires do Metal mais do que realmente é.

          • Nunes says:

            @ Daniel
            O OpenGL para computadores já caminha para algo do género, por isso não é uma questão de número de aparelhos mas de políticas e investimento para a área móvel – o OpenGL ES simplesmente não está a dar conta do recado, daí veres a Google a apostar em extensões ao OpenGL ES.
            O Mantle foi pensado para GPUs/CPU de computadores, não para sistemas com os constrangimentos em recursos como smartphones e tablets.
            Se queres mesmo algo semelhante na área móvel tens que olhar para o DirectX12, já que a Microsoft dará suporte a hardware em smartphones e tablets para algo idêntico.

            “É uma low level API… sério, não é novo, a Apple só largou o OpenGL, genérico ”
            A Apple não vai abandonar o OpenGL, vai isso sim apostar numa alternativa para os jogos mais exigentes

            “pode desenhar como quiser e bem apetecer, sem gorduras. Não retires do Metal mais do que realmente é.”
            Acho que não percebeste o que é o Metal, e o impacto que este tipo de tecnologia pode ter – não tem nada a ver com o número de aparelhos, isso é apenas um extra!

          • Daniel says:

            Nelson, de novo demonstras capacidade de leitura selectiva. O outro link, que antecedem o anuncio do que viria a ser conhecido como CarPlay em 6 meses já não te convem comentar, certo? Acho que se pode dar por terminada a discussão então.

            Nunes, ok. Ao ler DX12 pensei mais na componente PC e não Windows RT e WP8.x (tudo o resto, para o que conta em termos GPU, é arquitectura PC – incluindo a Xbox).

            E posso ter lido mal, mas é uma low level api para 3D, para substituir o GLES, para já em 3D (e a razão é simples, developers não estarão muito interessados em ter de começar a portar jogos 2D, e jogos 3D não são, ainda, assim tão expressivos). Mas espera ganhar tracção. Tirando indies, as outras software houses já desenvolvem em diversas tecnologias/APIs, não é tão descabido, dando tempo suficiente e maturidade comprovada, adicionarem uma nova API e portarem.

            E clarificando: eu acho que é realmente um grande melhoria, embora tendo um custo, calculado e acredito que bastante razoavel e expliquei porque no paragrafo acima, em portabilidade. O que não acho é que seja um grande feito. Dar isso como inovação (ou qualquer alteração sem ser acrescido qualquer feature relevante) é como dar uma roda como inovação simplesmente porque invés de usarem uma roda de outro fabricante decidiram fazer uma roda, também ela redonda, mas que pintam e dão textura às jantes que forma a condizer mais com o carro. Agora, se tivessem criado um novo GPU, com uma arquitectura nova inovadora (o adjectivo diz tudo) aí sim. Já melhoria de performance o adjectivo também diz tudo quando a isso.

            Mas se quiseres exemplos concretos “mobile” (não são mobile mas são handheld e sofrem dos mesmos constrangimentos): Nintendo DS 3D (pelo menos), que embora usava OpenGL ES, usava ainda extensões DMP proprietárias da MAESTRO, em 2D podia usar PICA-FBM ou PICA-VG, aceleracao de graficos vectoriais podia usar PICA-VG.

          • Nunes says:

            @ Daniel
            não é só para 3D, nem é meramente low level. A vantagem está no baixo overhead, o que liberta recursos. Tb permite ser usado para computação, não é só para gráficos – há até quem levante a hipótese que a Apple está a olhar como uma alternativa ao OpenCL para algumas aplicações.
            O suporte para OpenGL ES continua no iOS, não só porque todos os jogos fazem uso, mas porque o Metal só dá suporte para aparelhos recentes com o processador A7. O OpenGL continuará por muito tempo! Mas com o Metal torna possível elevar significativamente a fasquia dos jogos mais exigentes.
            Inovação é ser o primeiro em sistemas móveis com APIs com estas características, e as demonstrações parecem evidenciar impactos significativos.
            O Mantle não parece ter tido grande impacto, por sinal!

            “Agora, se tivessem criado um novo GPU, com uma arquitectura nova inovadora (o adjectivo diz tudo) aí sim”
            Criaram um SoC já a pensar no Metal, ou achas que caiu de paraquedas, que é um acaso a Apple andar a criar os SoCs?

    • Nuno says:

      REMOTE WIPE AND SECURITY: será que o Find iPhone também foi copiado desta funcionalidade que foi apresentada HOJE no Google I/O ??????
      Os SO’s movéis tem que evoluir no sentido daquilo que os utilizadores pedem e necessitam, como tal vão ter funcionalidades semelhantes. Quando o iOS 8 foi apresentado era tudo copiado, mas hoje é só inovações da Google!!!
      Tirem as palas!!!!

      • Marco says:

        O android ja tinha isso a muito tempo, tal como apple, eles apenas meteram de base no sistema, nao estou a ver onde esta a copia, alias o WWDC foi primeiro que a google I/O, de nada quer dizer que eles ja não tinha preparado a mais tempo, so porque apresentaram depois? hum… tas a falar da mesma empresa que mete “inovações” que ja estavam presentes no android desde 2009? ok fiquei esclarecido.
        Sinceramente não vejo qual e o vosso problema, qual e o mal da apple ir buscar ideias ao android e vice versa? vocês como consumidores devia estar contente de haver esta competição, que fica a ganhar são vocês!

        Sinceramente mentes quadradinhas, tem sempre a necessidade de tentar dizer que a coisa do vizinho e pior para se sentirem melhor…

        • Nuno says:

          Se souberes ler verificas que foi exactamente isso que eu escrevi, não existe mal nenhum nas empresas implementarem funcionalidades semelhante se isso for em beneficio do utilizador. O mal está em algumas mentes peregrinas que acham que só uns é que copiam e os outros são os senhores da Inovação. Já agora o que a Google tinha não funcionava da mesma forma que o Find iPhone, deves saber isso ( ou talvez não).

          • Nelson says:

            +1

            Deixem lá a Google e a Apple copiarem-se umas ás outras…

            Mas é muito engraçado “arrebentar a bolha” aos doutores do android que afinal não descobriram a pólvora num ficheiro ZIP com a última ROM…

      • Daniel says:

        Já tinhas isso ao tempo, mas no android device manager, não na framework do play services. Por outro lado no Android já existiam diversas apps que faziam isso (muitas delas de empresas de antivirus bem conhecidas) bem antes da Apple apresentar o Find My iPhone em 2012 (com basicamente todas as funcionalidades do Find My iPhone, antes de tal coisa existir). Ou seja, a funcionalidade existe aos anos, app oficial google é que só surgiu o ano passado, e agora o que é anunciado é que não é necessário a app da google mas sim que vem directamente via os serviços.

        Só assim de repente…..

        • Nuno says:

          Assim só de repente… Se eu furtasse um equipamento android e essas apps e funcionalidade que mencionas fossem accionadas, se efectuasse uma reposição de rom o que é que acontecia ao equipamento??? Ficava utilizável, ou não?????

          • Daniel says:

            Depende, tinhas feito root ou não (se fosse via app non google)? Ficou respondido?

          • Nuno says:

            Não ficou, porque ou não sabes responder ou não queres responder.

          • Nuno says:

            Mas eu dou-te a resposta: num equipamento iOS, se fores a iCloud e Find my iPhone e clicares em “Perdido”, o equipamento fica inutilizado (um pisa-papeis), enquanto não colocares lá a pass do iCloud, não fazes nada dele e podes repor o .IPSW as vezes que quiseres. Faz o seguinte: vai ao OLX e vê lá quantos iPhones estão lá a venda a dizer “Bloqueado por iCloud, vendido para peças”. Num equipamento android podes colocar lá as apps que quiseres eu reponho a rom e fico com um smartphone novo! Percebes a diferença??????

          • Nuno says:

            hehehe, estás apresentado! como não és capaz de admitir que não tens razão vens colocar links de bugs. O que está em discussão não são bugs é se a funcionalidade é igual ou não e que e implementou primeiro. Queres bugs do android???? também te encontro uns quantos

          • Nelson says:

            Provavelmente foste agora ao Google ver que problemas é que ocorreram agora no iOS…

            Mas não foste procurar o track record de correcções e atualização da Apple que corrigem esses mesmo problemas…

            A gente percebe…

          • Daniel says:

            Falas em funcionalidades invioláveis, mostro-te as vulnerabilidades.

            “Extraordinary claims require extraordinary evidence”. E basta uma prova para desmontar um argumento como esse.

            Mas de novo, mudar de argumento depois de o colocares não é bonito, principalmente porque não o consegues retirar. E como me vais pedir quote, faço-o já para poupar tempo:

            “num equipamento iOS, se fores a iCloud e Find my iPhone e clicares em “Perdido”, o equipamento fica inutilizado (um pisa-papeis), enquanto não colocares lá a pass do iCloud, não fazes nada dele e podes repor o .IPSW as vezes que quiseres.”

            Congruência….

          • Daniel says:

            “num equipamento iOS, se fores a iCloud e Find my iPhone e clicares em “Perdido”, o equipamento fica inutilizado (um pisa-papeis), enquanto não colocares lá a pass do iCloud, não fazes nada dele e podes repor o .IPSW as vezes que quiseres”

            Congruência….

          • Nuno says:

            Continuas a fugir á questão, não queres responder por isso quem está a mudar de assunto és tu e não eu. Não perco mais tempo contigo enquanto não responderes a 2 simples questões: As funcionalidades que referiste fazem ou não mesma coisa que o Find My iPhone???
            Atestas a veracidade total da informação desses links que colocas-te??

          • Nuno says:

            @Daniel, “Extraordinary claims require extraordinary evidence”. Coloca ai um video TEU a executares os bugs dos links que colocas-te.

          • Daniel says:

            Paga-me um e faço-o com todo o prazer. Mas quero factura em meu nome.

          • Daniel says:

            Nelson, provavelmente esse foi o único argumento que tiveste capacidade para usar, ou se calhar de ler que é um problema da versão específica do iTunes, por isso podem corrigir o que quiserem que desde que seja instalado a versão correcta do iTunes consegues fazer unlock sempre que quiseres. Mas somente “provavelmente”…

          • Nuno says:

            Tanta conversa e afinal o que sabes provem apenas de buscas no google e copy/paste de links. Conhecimento de causa: ZERO. Para quem escreve tantas vezes a palavra congruência, revelas muito pouca.

          • Daniel says:

            Nuno, argumentos ad hominem quando nem leste que eu tinha um iPhone 3G e nao tinha acesso a essa funcionalidade (conhecimento de causa, experiencia propria). Desespero?

        • Francisco Pinto says:

          O find my iPhone já existe desde o iOS 5 que saiu em 2010!

          • Daniel says:

            Tens razão. Pensei que a funcionalidade de wipe só tinha sido adicionado quando passou para o iCloud (antes era parte do MobileMe, e era pago), pois eu não tinha essa funcionalidade no meu iPhone 3G na altura (mesmo sendo 4.2 e teoricamente tendo acesso a isso de borla).

        • Nuno says:

          @Daniel,és um lirico quando és chamado a provar aquilo que afirmas e como não tens capacidade para o fazer porque os argumentos /factos que apresentas não são teus mas sim de terceiros, respondes com isto: “Paga-me um e faço-o com todo o prazer. Mas quero factura em meu nome.”. És o verdadeiro artista dos Fait divers e do copy/paste.

      • Nelson says:

        É como o amado Samsung Knox… que é a cópia desses serviços da Apple (iCloud lock, protecção de bootloader, etc…)

        Agora disponível no Android! Great!

        Os utilizadores Android das ROM’s e do Root, vão agora poder tripar o Knox em mais diapositivos!

        • Daniel says:

          Eu tinha essa funcionalidade no meu HTC Hero, mas via app (e necessitava de root). O HTC Hero foi lancado em 2009. Desde enviar sms para o meu numero com codigo predefinido para fazer “soar alarme”, a remote wipe via sms (tambem por codigo predefinido e passcode) ou net (site da app). So nao me recordo se ja tinha a opcao de configurar wipe e notificacao via sms em caso de alteracao de sim card (agora garantidamente tenho isso via avast, tambem com root). Um exemplo de tal app:

          https://www.lookout.com/news-mobile-security/lookout-launches-visionaries-see-mobile-security-opportunity

          Acho que ja chegamos ‘a conclusao que o Find My iPhone, com remote wipe, surgiu em 2010, tornou-se free para quem tinha iOS 4.2 em Novembro desse ano.

          Nao, nao era proteccao de bootloader, tambem nao era lock ao device (lock activation), no entanto ja chegamos ‘a conclusao que o lock activation e’ falivel. Ja fazer proteccao de bootloader tambem e’ “possivel”

          Mas tens toda a razao, finalmente chega ao android. Como ja’ escrevi diversas vezes, nao foi o android que sempre apresentou algo ja existente como inovacao ou se colocou a processar todos os que aproveitavam boas ideias (porque a posicao hipocrita do Steve Jobs, de “Good Artists Copy; Great Artists Steal”, so se aplicava a ele, ai de quem fizesse o mesmo ou ficava a conhecer a equipa legal da Apple). E’ verdade que a minha preferencia actualmente recai para os produtos da google no que concerne este assunto, mas e’ por motivos pragmaticos e de produtividade. Ja foi o inverso, ja tive macbooks (tenho um Macbook preto), tenho um Power Mac QuickSilver (G4) e um iPhone 3G. E nao tenho problema algum em dar o braco a torcer quando erro (ja o fiz neste artigo, por exemplo). A mim pouco me interessa quem ganha uma discussao de medir o dito, o que me interessa mesmo e’ a factualidade e a realidade bem como o impacto que isso possa ter, independentemente se uso o produto ou nao. Ja o disse diversas vezes: eu odeio a atitude que a Apple tomou, no entanto desejo o maior do sucesso ‘a Apple pois forcara a concorrencia a mexer-se, e nisso todos ganhamos. Agora, odeio hypes e tomarem opinioes ou marketing como verdades absolutas para justificarem fanatismo religioso, dando como exemplo bem simples a afirmacao do tamanho ideal para um smartphone, ou a questao do tamanho do tablet (e que afinal os hipoteticos estudos que “serviram” para dar um ar de autoridade ‘a afirmacao se esfumaram quando confrontados com a realidade, mas e se o fanatismo tivesse levado a melhor e nao se tivesse seguido em frente?!).

  3. Nelson says:

    Em termos de design… está muito bonito o trabalho da Google…

  4. DeuX says:

    A cena do trusted enviorment está altamente!

  5. Marco says:

    Correr jogos ao nivel dos pcs!? LOOL GG

  6. DASSE says:

    Espectáculo o novo iOS ainda não saiu e já está obsoleto (nunca esteve actualizado também)

    • Nelson says:

      Ai sim, em quê, já agora?

      É no iCloud backup, Audio de Baixa Latência, Inter-App Audio, Indoor Location, é aonde?

      Gostava MESMO de saber!

      Aquilo que nunca está atualizado são mesmo os telemóveis android…

    • Nuno says:

      Um post sobre sobre o Google I/O e fala-se mais em iOS e Apple que no evento em si! Bastante revelador da mentalidade de certas pessoas. O mais curioso é que nem são os chamados “Fanboys” a falar na Apple, mas sim os dogmáticos da Google. “Quem desdenha quer comprar”

      • Daniel says:

        Não deves ter prestado atenção aos comentários na thread do evento da Apple….. isso ou leitura selectiva.

        • Nuno says:

          Prestei sim, é tudo farinha do mesmo saco!!! Não tiram as palas, uns só vem bonecos verdes, os outros maças dentadas!!!

          • Daniel says:

            Mas olha que não foi isso que escreveste no teu comentário anterior, ao qual eu comentei… Congruência é algo bom de se ter num argumento.

          • Nuno says:

            então faz ai um quote para tirar-mos isso a limpo.
            Já agora, ainda estou á espera da tua resposta sobre o Find iPhone…

          • Daniel says:

            “O mais curioso é que nem são os chamados “Fanboys” a falar na Apple, mas sim os dogmáticos da Google. “Quem desdenha quer comprar””

            Tal como disse, basta olhar para as threads sobre o evento da Apple de há uns tempos atrás e ver o reverso….

        • Nelson says:

          Uma coisa são os fãs da Google irem falar para o artigo do WWDC original…

          Outra coisa são os fãs da Google a falarem da Apple no artigo da Google…

          Ainda por cima um comentário que é tudo ao contrário!

      • Carlos Correia says:

        ridículo, farto-me de ver o contrario óh Nuno, posts da apple cheio de comentários de android, e ainda por cima tu e o do costume são precisamente quem tem aqui a maior parte dos posts sobre o ios e ainda tens a lata de dizer isso, portanto repito, ridículo.
        E essa treta do quem desdenha quer comprar nem sentido faz, porque muita gente tem androids do mesmo preço, logo se não tem é porque não quer, quaisquer 2 ou 3 neurónios percebem isso, mas fica lá com o triciclo, vocês querem acreditar nessas coisas porque ficam com o ego inchado, deve ser falta de qualquer coisa que tentam compensar com essas balelas.

    • Nunes says:

      obsoleto? em que medida? Alguma coisa anunciado para o Android que não tenha correspondência no iOS? Aliás o engraçado é terem apresentado novidades que já existiam no iOS, como políticas de segurança para dispositivos em empresas, a ligação ao carro, etc.

      • Marco says:

        Ai ai, ele a fanboy e tu tbm.. agora arranjem um quarto e discutem o tempo que quiserem…

        Nao e mais que normal as empresas tirarem ideias umas das outras? o que não e normal e empresas pegarem nas ideias dos outros e chamarem de isso inovação, ou ate mesmo o “trash talk”.

        • Nunes says:

          :S desculpa!? e eu disse que não é normal?
          O que não é normal é dizer que o iOS já está obsoleto quando apresentam coisas no Android que já existiam no iOS, ou que já foram anunciadas. Não era a mim que deverias dirigir esse comentário…

      • Daniel says:

        Erm, políticas de segurança para dispositivos em empresas já existia, o conceito de “device administrator” (eu ao configurar a conta de exchange da empresa no telemovel sou obrigado a aceitar como device administrator ou nicles de email, por exemplo). Não confundir “aprofundar” com “finalmente ter”.

        Mas se quiseres mesmo ser pedante: blackberry.

        Quanto a ligação ao carro… o CarPlay foi anunciado quando mesmo Junho de 2013? Ver isto: http://gigaom.com/2013/01/02/google-maps-navigates-its-way-into-kia-hyundai-connected-cars/

        Não que seja relevante, pois eu sou da sincera opinião que nesse aspecto ambos começaram ao mesmo tempo, sendo uma evolução completamente natural, e havia quem já fizesse “hacks” para ter isso mesmo bem antes de qualquer um dos dois anunciarem: https://www.youtube.com/watch?v=Q65f84mjN_8

        • Nunes says:

          Mas o que é que estás para aí a dizer? Por acaso disse que foi o iOS a “inventar”? Apenas apontei para novidades apresentadas no Android que já existiam no iOS – para demonstrar o ridículo de dizer que o iOS está obsoleto após esta apresentação!
          O Android estava péssimo nas políticas de segurança para empresas… não queiras sequer comparar! Daí a Samsung ter adoptado o Knox, que pelos vistos foi agora aproveitado pela Google.

          “Quanto a ligação ao carro… o CarPlay foi anunciado quando mesmo Junho de 2013? Ver isto:”
          E…??? E em 2012 já a Apple tinha apresentado o interface auto para o Siri (Siri Eyes free), e antes a música, etc. Estamos a falar da casa, não dos tijolos. Mais uma vez, é um exemplo de a Apple já ter coisas a funcionar, e do ridículo de falar em obsoleto.

          “havia quem já fizesse “hacks” para ter isso mesmo bem antes de qualquer um dos dois anunciarem:”
          lol, em 2010 já colocavam iPads nos tabliers

          • Daniel says:

            Comecando entao com o 2010:

            https://www.youtube.com/watch?v=JdwaLeVoW8I

            https://www.youtube.com/watch?v=KRjC_EJK8Ng

            Mas temos ainda esta perola:
            http://mashable.com/2010/03/19/android-roewe-350/

            No entanto escapou-te a parte em que digo que era irrelevante, ninguem da Google ou Apple comecou a fazer isso (em publico), foram as proprias pessoas que mostraram existir essa necessidade e possibilidade e mercado, era uma evolucao natural (sim, transcrevo o que escrevi: “Não que seja relevante, pois eu sou da sincera opinião que nesse aspecto ambos começaram ao mesmo tempo, sendo uma evolução completamente natural, e havia quem já fizesse “hacks” para ter isso mesmo bem antes de qualquer um dos dois anunciarem”).

            Eu transcrevo o que escreveste: “Aliás o engraçado é terem apresentado novidades que já existiam no iOS, como políticas de segurança para dispositivos em empresas, a ligação ao carro”.

            Posto isto, acho que sim, o meu comentario responde bem.

            Quanto ao Siri Eyes Free e falando em “brick foundation”eu fico imensamente contente por terem tido o Siri em 2011, ja no Android podia nao ter assistente de nome mas tinha voice search bem antes, mas em meados de 2010, ano e meio antes do Siri, existia isto: https://www.youtube.com/watch?v=gGbYVvU0Z5s

            A parte de pedir para fazer chamadas ou enviar mensagem parece interessante, no no minuto 1:45 para a frente, de pedir mapas ou direccoes por voz.

            Bricks… Vou somente dizer novamente: era uma necessidade que o publico ja havia demonstrado existir e alguns na industria ja se tinham percebido disso. Q.E.D. novamente: http://mashable.com/2010/03/19/android-roewe-350/

          • Daniel says:

            E eu nao disse que as politicas de seguranca, para empresas, eram boas, ou sequer razoaveis.
            Tu disseste que finalmente passaram a existir no Android, eu disse que ja existiam e disse explicitamente nao confundir dois verbos “[finalmente] ter” com “aprofundar” (no sentido de “melhorar”).

          • Nunes says:

            Não Daniel, eu disse que apresentaram novidades que já existiam no iOS, como políticas de segurança em empresas. Essa afirmação não implica que não existia alguma coisa no Android, implica apenas que o que apresentaram já existia no iOS, estou a referir-me às novidades em si e à dimensão do que foi introduzido!

          • Nunes says:

            @ daniel
            quanto ao Carplay, meu deus, santa confusão que estás para aí a fazer! Desde quando é que meter o sistema Android no carro, ou um iPad, se equipara à solução que foi agora implementada? Estamos a falar da integração do aparelho da pessoa com o sistema do carro (protocolos), não em criar um novo sistema para o carro.
            O Siri Eyes Free é outro protocolo de interligação do telemóvel com o sistema do carro, não o sistema de reconhecimento de voz, não se equipara ao que mencionas dos Voice Actions – que não era um assistente, nem se tivesse outro nome! Já agora, antes do Siri o iOS já tinha reconhecimento de voz, um pouco arcaico, mas estava e continua a estar lá!

            E por fim, se a Google tinha começado ao mesmo tempo ou não é irrelevante para o que pretendo demonstrar. O facto é que já lá está no iOS 7.1 e creio que já em carros a circular.

    • Nelson says:

      Também reparei, e numa que começou a fazer caretas quando anunciaram aquilo da compatibilidade com MS Office…

      • Daniel says:

        Eu gostava era de ter visto os que foram escoltados para fora do recinto quando tentaram interromper a keynote a falarem sobre o dominio de robots…. Na volta era a Sarah Connor…… 😛

        • Nelson says:

          Pois… eu ouvi uns gritos também lá pelo meio… ainda pensei “WTF, quem é que está a gritar”, mas pausei o Youtube, e era do video… LOL!

  7. sakura says:

    Depois de ver a conferência da Google….
    Uma conferência espetacular! isto sim é uma conferência.

    • Daniel says:

      Nunca tinha perco tempo a ver conferências de nada, via sempre os highlights depois (quando não é só ler o que foi anunciado, resumidamente, depois).

      No entanto esta perdi um pouco de tempo realmente storytelling é a melhor forma de conseguir a atenção e interesse da plateia pois dá-nos algo com que relacionar. Steve Jobs era um grande storyteller, embora que para o meu gosto falava demasiado nos “adjectivos” e perdia menos em roleplay/hands on. Prefiro quando é menos “corporate friendly” e mais hands on, daí normalmente só ver os highlights.

      • Nunes says:

        :S não deves ter visto as apresentações do Steve Jobs, perdia bastante tempo a demonstrar os produtos ao vivo, quer por ele próprio quer por outros elementos da equipa ou até convidados de outras empresas.

        • Daniel says:

          Nem por isso. Eu vi o evento inteiro da apresentação do iPhone, por exemplo. 80% do tempo foi a falar do que se podia fazer com ele, e depois fez uma demonstração daquilo a dar um video e pouco mais. Ele fazia por ter sempre uma demonstração, mas nem por sombras “perdia bastante tempo a demonstrar os produtos ao vivo”. Eu posso estar enganado, mas acho que nas keynotes de Tim Cook se tem mostrado bem mais (porque se tem dado a palavra a outros bem mais que na altura de Jobs) do que Jobs fazia. Mas de novo, posso estar enganado e ser impressão minha, o único que vi do inicio ao fim não mostrou grande coisa (mockups não contam).

          • Nunes says:

            O evento do iPhone foi um caso à parte já que nessa altura ainda não tinham um dispositivo estável, logo não podiam ter muito tempo de demonstração!
            No lançamento do iPad já vês muitas demonstrações, e o mesmo se diz de quase todas as outras apresentações, de aparelhos e software.

            “Eu posso estar enganado, mas acho que nas keynotes de Tim Cook se tem mostrado bem mais (porque se tem dado a palavra a outros bem mais que na altura de Jobs) ”
            estás enganado! Na altura de Steve Jobs houve várias “keynotes” com outras pessoas a fazer demonstrações. Claro que agora já não há uma pessoa a tomar conta da apresentação a maior parte do tempo, mas o tempo de demonstração não difere muito. Eu diria que actualmente as demonstrações são mais rápidas, Steve Jobs era mais calmo e pausado a apresentar!

    • Marco says:

      pois quase que adormeci, continua-lhes a faltar ritmo e saber prender o publico.

  8. Tiago says:

    Gostei da parte dos gajos saberem quantas selfies a Malta anda a tirar (). Acho um abuso isso.

    • Daniel says:

      google+ mais algoritmo de identificação de formas/contexto, por exemplo. Nada demais tendo em conta que muitas pessoas activam isso, nem que seja pelo auto awesome feature. Havia a piada que o google+ estava “cheio de fotógrafos” porque era tudo a partilhar as fotos que tiravam automaticamente. Mas tens também o opt-in de partilhar estatísticas de utilização do Android com a Google (e sim, é explícito de opt-in, não opt-out).

      Não te esqueças, a google é perita em data mining. Muitos tentam fazer uma coisa “perfeita”, a google sempre tentou fazer muitas coisas “bem” e conseguir sinergias entre elas de forma a gerar ainda mais valor no seu conjunto, e isso esteve sempre presente nos “eternamente beta” que se começavam a interligar entre si (mesmo desde o início, dando como exemplo primeiro o search, depois os ads, e pouco depois juntar a estatistica de search à lógica de apresentação – e facturação – de ads, etc, algo que o facebook, mesmo tendo o exemplo da google – e algum know-how pois há ex-googlers no facebook – a seguir, mesmo agora ainda não acertou por completo).

  9. OMG says:

    A contar pelo numero de comentários dos “suspeitos do costume” (leia-se iFans acérrimos), a Google fez mossa… e grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.