PplWare Mobile

Este minúsculo implante poderá prevenir o HIV durante um ano


Imagem: DGS

Fonte: The New York Times

Autor: Vítor M.


  1. Ricardo says:

    Vejam lá é se o implante tb vai servir para vigiar e controlar as pessoas… até parece que o nosso corpo é propriedade do governo ou de algum cartel farmacêutico…

  2. Pedro Ramos says:

    Curar que é bom nada. Já devem ter a cura mas como deixam de fazer dinheiro, fazem estes medicamentos para chular as pessoas.

    • Miguel says:

      Até doi ler estes disparates, o combate contra a sida tem sido um combate da humanidade e não de x ou y empresa, nestes últimos anos tivemos avanços fantasticos.

      • Mf3rRo says:

        Segundo as teorias da conspiração e acredito nesta, quanto foi feito o vírus foi feita a cura também, mas não é para todos… 😛

      • jose says:

        Aí é que te enganas, sabem-se de alguns casos de pessoas influentes e com dinheiro que já foram curadas.
        A cura já anda por aí há mais de uma década, simplesmente faz-se muito mais dinheiro com retrovirais e profilaxia.

  3. Pedro Ramos says:

    Curar que é bom nada. Já devem ter a cura mas como deixam de fazer dinheiro, fazem estes medicamentos para chular as pessoas.

    • Nuno Monteiro says:

      A cura daria Milhões, repara na quantidade de pessoas infetadas com o virus, agr faz a 100€ cada. voala biliões de dolares. Tens altas patentes como baixas patentes infetadas, um dos cientistas mais famosos na luta contra o HIV está infetado com o vírus, tudo isso que disseste pode aplicar-se na farmacêutica em geral mas neste caso especifico não acredito

      • Vítor M. says:

        Se dúvida quer é um grande negócio, e sem dúvida que se coloca em causa a seriedade do mercado farmacêutico. Como é referido, é mais lucrativo ter uma doença crónica que uma doença curada.

        • RM says:

          Sem dúvida que é um mercado muito lucrativo e não é por serem boas pessoas que investem milhões em investigação, mas sim (principalmente) pelo grande retorno desse investimento. Infelizmente é assim!

      • José Martins says:

        A cura daria 100€ uma vez apenas… Mas agora 100€ por ano, vá nem que fosse 50€ por ano…

      • Jorge says:

        mas acham que isto é chegar e arrancar o vírus e está tudo bem. O vírus da sida é extremamente agressivo, infecta os glóbulos brancos que é os que o devia combater, por causa disso é imune há única coisa que os pode matar, o que o torna diferente de todos os outros vírus que existem. Depois se alguém conseguisse produzir algo que curasse a sida ou uma vacina que prevenisse a sida, não ia custar 100 euros mas sim alguns milhares ou mais, os laboratórios tentam criar algo do género faz 40 anos gastaram-se milhares de milhões de euros a tentar descobrir como é que o vírus funcionava e como combater-lo, a apesar de hoje em dia a investigação sobre a sida perder relevo para o cancro continua a haver milhares de projectos no mundo inteiro que tentam descobrir novas coisas sobre isso. Não são industrias farmacêuticas, são estudantes, estudantes de mestrado, estudantes de doutoramento, projectos de pós doutoramento, pessoas que andam a pedir esmolas (porque um bolseiro é alguém que trabalha a esmolas), que caso descubram algo fazem a patente e daí a industria farmacêutica faz os testes para ver se a substancia tem acção curativa (porque lá porque em cultura provoca a morte do agente infectante não significa que no corpo humano cure, já para não falar dos efeitos secundários que têm que ser estudados, um estudo desse tipo demora 15 anos até um medicamento ser aprovado). Por isso não me venham com teorias da conspiração a ciência não é a má da fita e os cientistas estão cá a esforçar-se para que nós tenhamos melhor qualidade de vida, e para resolver problemas que podem levar à morte e ao sofrimento de nos próprios das pessoas que amamos e das pessoas que irão nascer.

  4. Tiago Ferreira says:

    Eu já nem diria que lançassem uma cura, mas tipo uma vacina que tivéssemos que a tomar todos os anos, claro que para quem já tem a doença esta vacina nada faria, mas esta notícia não fala de nenhuma cura, mas sim duma prevenção. Por isso julgo que seria mais fácil de administrar se fosse uma vacina (como a da gripe), e que pudesse ser tomada todos os anos. E visto que isto é um negócio para a farmacêutica, então julgo que este negócio de manteria, visto que as pessoas tinham (quem quisesse), tomar todos os anos, mas ao menos andariam protegidas e a doença não se propagava cada vez mais.

    • jose says:

      A doença mal se propaga, só mesmo no 3º mundo, e mesmo que propague, já ninguém morre de sida. Retrovirais dão muito dinheiro, mais do que a cura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.