Quantcast
PplWare Mobile

União Europeia quer que o ecossistema Apple se torne numa espécie de Android

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. mamba says:

    Se se tornar mais android menos o lag e a insegurança, já é bom.

  2. mojorisin says:

    ja ontem era tarde.
    ou se põe mão nas big techs ou qualquer dia mandam mais que os estados.
    Já não basta a influencia e interferência que causam nas populações.
    O caso das eleições americanas e o brexit são só o inicio.
    Tal como as companhias de telecomunicações, permite-se lhe tudo sempre em desfavorecimento do cliente, lamentável

  3. Luis says:

    E que tal se a CE criasse ou ajudasse na criação de um novo sistema operativo com base europeia e que fizesse concorrência a médio/longo prazo ao Android e iOS?
    Não seria melhor?

  4. Nelson R. says:

    Espero mesmo que não. O sistema “fechado” da Apple permite alguma fiabilidade e segurança acima de tudo. Não sei qual é a relação de bad apps nos dois sistemas para poder comparar, mas parece-me que se lê muito menos vezes de limpezas de bad apps no ambiente Android do que iOS.

  5. Manuel says:

    Sendo assim, o que vai diferenciar os dois SO? Vamos passar a ter dois SO inseguros, em vez de um seguro (iOS) e outro inseguro (android) ?

    • Sabe-se lá says:

      Lol, inseguro por ter apps de terceiros? Por puder descarregar de outra loja?? Só descarregas se quiseres, só instalas se quiseres. 🙂 Se procuras apps “pagas de borla”, isso é um risco que tomas…

      • Manuel says:

        Certo, nada contra esse argumento.
        Mas e quantas pessoas menos informadas instalam essas apps? E quantas pessoas instalam apps de lojas externas que são sugeridas em apps da Play Store? Pelo menos no iOS isso não é possível, a não ser que façam jailbreak (conheço muito poucas pessoas que o saibam fazer).

        • Alex says:

          Há uns 5 anos atrás o android era assim, mas nos dias que correm isso já não é assim tão literal!
          Para tu instalares algo de uma app externa à da google, tens que dar permissão a essa app em específico, e ainda recebes o aviso de que é perigoso instalar apps de terceiros, aí se concordas com os termos, decides instalar e corre mal…
          Opa, sempre ouvi dizer que quem procura, acha!
          Depois também há marcas e marcas, e cada uma explora o quão seguro querem que os seus aparelhos sejam, por exemplo, a Samsung é reconhecida por ser muito segura, não fica a dever nada à apple nesse aspeto, inclusive, o exercito militar dos estados unidos, usam aparelhos samsung. O sistema foi feito em cima de varias protecções e tens um anti virus que corre nativamente no background que não consegues desligar.
          Fazer root tbm já não é uma prática assim tão facil de fazer como há uns anos, apps como as de bancos, recusam se a iniciar em telemóveis com software modificado e em alguns modelos é um bicho de sete cabeças, manter o root e poder continuar a usar tudo como antes.

          • Ivan says:

            Até digo mais na versão 13 do Android, tens mesmo que aceder um pouco mais “deep” nas definições para que a instalação de apps fora da play store seja possível por isso o average consumer dificilmente irá instalar algo fora da play store sem que se aperceba do que está a fazer. E sim como dizes muitas marcas já implementam várias medidas criadas por elas mesmas que dão scan dos ficheiros e funcionam como uma espécie de antivírus no caso da Samsung e da Xiaomi

    • oh says:

      Mas tu tens noção do que estás a dizer? Se fosse PRIVACIDADE ok, era válido.. agora seguro?! A Apple é que anda a vender a ideia que o sideloading é um bicho papão e vocês vão atrás da cantiga.

  6. Toni da Adega says:

    Ninguém quer proibir a AppStore. Simplesmente querem que os utilizadores possuam mais opções.
    Quem não se sentir confortável com as opções, pode utilizar exclusivamente a AppStore.

    E como nos carros, as pessoas possuem a opcão de ir a qualquer oficina, mas muitos continuam a ir exclusivamente á marca.

    Essa é o lado bom de existirem opções , por se introduzir algo não significa que se está a proibir o restante.

    • Tim says:

      Só que não.

      O que achas que vai acontecer quando houver outras app stores que protegem menos o utilizador? A maior parte das apps vai deixar de estar presente na App Store da Apple e vão passar a estar exclusivamente nas outras com menos controlo.

      Quem se lixa é o utilizador da Apple que gosta da walled garden.
      A UE não entende que o povo compra Apple precisamente por haver este controlo. Querem vir estragar o iOS e torná-lo num android.
      Epa, deixei nos em paz, não venham estragar o que está bem e nos faz feliz. Usem android e não nos chateiem. Nos tb estamos no nosso cantinho e não vamos mandar bitaites para o android.

      Olha no Mac por exemplo, quase não tens apps nenhumas na Store porque há a possibilidade de estar fora dela sem controlo nenhum.

      • Toni da Adega says:

        ” A maior parte das apps vai deixar de estar presente na App Store” – Não entendo nada destas coisas mas pensei que a maioria das Apps estao na Google Play.

        “Olha no Mac por exemplo, quase não tens apps nenhumas na Store ”
        Isso significa que o Mac é extremamente inseguro e não protege o utilizador?

        Usar Android, isso não é o mesmo que ter escolha? Não era preferível banir todos os sistemas e utilizarmos somente Apple. Assim ficávamos todos mais protegidos.

      • oh says:

        “Olha no Mac por exemplo, quase não tens apps nenhumas na Store porque há a possibilidade de estar fora dela sem controlo nenhum.”

        Certo, e são todas inseguras? A questão é essa. Devia existir outro SO para equilibrar isto tudo. Infelizmente nem o Linux nem o Windows Phone vingou.

        • Vítor M. says:

          Não são inseguras e algumas que são, a Apple no macOS conta com outra ferramenta, o Gatekeeper https://apple.co/3Nu1X50. Claro que dentro das lojas o controlo é maior (não confundir com perfeito). Mas ainda não é atrativo o que se paga para estar na loja e o que se ganha com os Macs. O mercado é diferente dos Macs para os iPhones.

          Sobre outros sistemas operativos nos dispositivos móveis, não é fácil vingar quando não se tem ecossistema e, acima de tudo, um vasto leque de utilizadores. Não vingou o Palm OS, WebOS, Nokia Symbian, Maemo, Windows Mobile 6.5 (mais tarde Windows Phone), Bada, Tizen, entre outros. E por isso é que, quem conseguiu vingar o seu sistema operativo não o quer “em modo socialista”. Porque foi esse modo que matou todos os outros. O “gratuito” para a comunidade não tem grande futuro e num mercado caro, gigante e constante… tem de haver dinheiro a entrar no bolso dos programadores e das empresas por trás desses sistemas.

    • oh says:

      +1
      O único comentário de jeito aqui.

    • PTO says:

      Nunca ouvi um verdadeiro utilizador de iPhone ou iPad a queixar-se que quer mais opções para além da Appstore. Isso é o argumento de quem quer deitar o ecossistema da Apple abaixo, pois como não conseguem concorrer com ele, quer na qualidade como na segurança, querem destruir a sua essência, que é o que realmente lhe dá valor.

  7. Anti-Azeite says:

    Eu vou é comprar um telemóvel com SO Linux e mudar definir para Linux na workstation. A Apple precisa mudar algumas coisas, mas comparar a segurança do ecossistema Apple com Android é de quem não percebe nada de nada. Além disso, só usa Apple quem quer. Quando começarem a tomar medidas que coloquem em causa a segurança do ecossistema Apple mudo para Linux sem pensar duas vezes.

    • Toni da Adega says:

      Se abrir um ecossistema traz insegurança isso significa que Linux é a coisa mais insegura que existe, Isto porque Linux é extremamente aberto e com bastante alternativas.

    • Manuel Joaquim says:

      realmente, há mesmo quem não percebe nada de nada

    • oh says:

      Outro.
      A Apple é mais segura porque não deixa instalar apps de outras/fora lojas?
      Então o problema não será o utilizador? Não deviam ser as pessoas a escolher o querem instalar de ONDE se instalar ?

      E chamar a isto mais seguro é “quem não percebe nada de nada”

      • Vítor M. says:

        Não deve ser o utilizador, claro que não. O utilizador, sempre classificado como o problemático entre a cadeira e o ecrã, é facilmente enganado (e vemos isso todos os dias nos mais variados esquemas que de tão simples, são lucrativos aos criminoso). E por isso é que as lojas (PlayStore, App Store, PlayStation Store, Amazon Store, Microsoft Store, Galaxy Store, entre muitas outras) querem ter o controlo do que podem ou não usar. O utilizador pode usar a escolha que tem. Quer Android? Muito bem, tem Android. Quer iOS, escolhe iOS, mas em cada lado cumpre as regras.

        Claro que também existem questões económicas, mas tem de haver. As empresas têm de gerar lucro, ou morrem. Se a Google, a Apple, a Samsung, a Xiaomi, A Huawei, a OPPO, a VIVO e afins não gerarem lucro… desaparecem. Vê o exemplo da Huawei, e das dificuldades que enfrenta.

        Claro que a segurança é também uma questão muito importante, pois a base de muitos serviços são os pagamentos, a movimentação de dinheiro através dos cartões de crédito, das apps bancárias. Claro que é por questões de segurança. Sem confiança os utilizadores não disponibilizam os pagamentos desta forma, simples e prática. Basta ver o temor que muita gente tem ao MBWAY e não deixa de ser uma fantástica aplicação. Mas os casos de insegurança/esquemas e burlas têm “manchado” a confiança desta ferramenta de movimentação de dinheiro.

  8. Art says:

    Quando eu compro um produto informo-me primeiro e já sei ao que vou …A UE parece que nos quer tratar a todos por patetas , e impor regras que eles acham que são para cuidar de nós , como um paizinho faz aos filhos menores…A UE que nos deixe em paz

  9. SamuelMGor says:

    Mas isto recentemente aprovado não vai afetar o Windows também?

    • Vítor M. says:

      Vai afetar tudo, na medida que a Comissão Europeia quiser. O documento tem linhas “ambíguas e genéricas”, o que permite aplicar “ad libitum”. Se por um lado tem uma intenção de proteger o utilizador, por outra traz o desinteresse das empresas em criar mais e melhor para atrair escolha. Afinal, mesmo que façam mais ou diferente, têm de abrir a todos e ficar igual a todos e ser como todos. Uma justiça “salomónica”… estranha!

    • jr says:

      No Windows tu podes instalar o que quiseres de onde quiseres, não há limitações, para o bem e para o mal.

  10. eduardo says:

    Mas alguém é obrigado a comprar um IPHONE?????? ou um produto da Apple??

  11. Nuno says:

    Comentário tipo gasolina na fogueira vindo de um utilizador iPhone/iPad/Mac. Totalmente a favor de existir side loading no iOS. Só instala quem quer. Quem não quer não instala, vão sempre existir utilizadores que instalam a App “Fotos da boazona do momento” e depois ficam sem dados ou €. As pessoas tem é de aprender mais e criticar menos. A App da boazona tb me pode acontecer a mim, não é só aos outros

  12. Reis says:

    Discordo completamente. A UE tem de deixar estes laivos de absolutismo e deixar que o mercado e as pessoas escolham livremente o que querem . Há iOS e há Android – se eu uso iOS é porque não me importo da forma como está montado . Já tive Android e fartei-me! Mas há pessoas que seguiram o percurso inverso … então porque nos querem a obrigar a escolher a cor que queremos desde que seja “preto”? Acho incorrecta esta atitude de quererem mandar na forma como as empresas entregam os seus produtos . A Apple já teve algumas decisões que foram contra a corrente e que depois acabaram por ser acertadas, como o facto de terem sempre sido a favor do html 5 e terem impedido a utilização do flash nos seus dispositivos . Há coisas em que os legisladores não se devem meter, não se pode fazer tudo sob a égide da “defesa dos interesses do consumidor “. Hoje em dia por exemplo temos carros SUV com 200 cavalos e mais … porquê? Se calhar deviam proibir : são menos ecológicos , mais caros e “não servem para nada”…

  13. poupa-me says:

    Porque claramente a UE está muitíssima bem preparada para falar de assuntos com este nível de complexidade. Meter mão nas big tech? Mas vocês tem noção do ridículo?

    Quem é a UE para dizer à Apple como deve PROGRAMAR?! Sim, porque isto não é o mesmo que os entalar por não usar USB-C, atenção.

    Sou a favor de regulação, mas não pode haver governo nenhum que vá a uma empresa dizer como eles devem fazer o código deles. Quem não gosta de “estar preso” na Apple, use outra merda qualquer.

    É assustador como vocês são meninos do governo e acham que para tudo deve ser o daddy gov a tomar conta.

  14. PTO says:

    Quando metem burocratas que não percebem nada do assunto a legislar sobre esse mesmo assunto, dá nisto, decisões absurdas e que em nada beneficiam os utilizadores/consumidores.

    Em vez de fomentarem uma verdadeira concorrência de mercado, querem criar uma espécie de sociedade comunista onde é tudo enquadrado na mesma bitola, onde tudo é igual venha de que lado for, acabando assim com a inovação.

    Que cambada de ineptos que temos à frente destes dossiers na UE. Que tristeza de gente.

  15. upedreiru says:

    tenho ali de lado – faz uns anos (350€) – o tablete da microsoft, windows surface RT, OS ARC.
    Pois, ficamos todos entalados qd a microsoft deixou de actualizar e, NINGUÉM disse nada, e ninguém faz nada; e ninguém diz nada; pois,

  16. Miguel says:

    O vírus mental do socialismo vai-nos regredir até à idade da pedra

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.