Senador dos EUA contacta Apple devido à privacidade do Face ID

Por Tomás Santiago para Pplware.com

Destaques PPLWARE

44 Respostas

  1. LG says:

    Heh, na carta diz pergunta-se:
    “Apple has stated that it used more than one billion images in developing the Face ID algorithm. Where did these one billion face images come from?”

    • Vítor M. says:

      É boa pergunta 😀 realmente e à parte da tecnologia ser o futuro ou não (que acredito que será pela sua qualidade, com provas dadas até ao nível militar e governamental) a questão aqui é mesmo interessante. Ora a Apple terá feito testes em milhões de rostos, mas esses rostos são de “alguém” 😉 e esse alguém saberia que estava a ser tido num teste de uma empresa? Com que dispositivo a Apple usou para captar e testar esses rostos? Esses rostos ficaram numa base de dados, foi autorizado? Mas, sendo esta uma tecnologia de uma empresa israelita adquirida pela Apple, poderemos ter uma ideia mais clara 😉 mas é uma óptima questão.

      • MLopes says:

        essa pergunta seria de facto ótima se também tivesse sido colocada, em tempo, às varias entidades que pelo mundo fora desenvolveram (e terão utilizado utilizado) a tecnologia.
        é que segundo um artigo vosso de ontem (penso) a apple nada tinha inventado no iphone x já que era tudo tecnologia que já existia e até era usada em android 😉
        se foi tudo desenvolvido por outros e utilizado já há muito tempo também por outros, esses outros devem ter feito algo semelhante, digo eu 😉

        • LG says:

          Aqui não se trata da questão da tecnologia em si, mas o facto da Apple ter exclamado que foi desenvolvido, usado (testado) em mil milhoes de faces.

          Nunca ouviste a Samsung dizer que o Iris Scanner foi testado em milhões de olhos…

      • LG says:

        É um número muito grande (billion = mil milhões) e não serão imagens mas sim, caras (ou moldes 3D?)

        Propagandas Apple 😛

        Eu estou muito curioso nessa resposta mas possivelmente terão sido feitas milhões de simulações (não físicas) com algorítos de uma face certa e incorreta…

        • Bruno says:

          Eles dizem imagens, não faces, mas ainda não sei bem onde é que disseram isso para perceber completamente!
          De qualquer das maneiras há alguns meses atrás a Apple demonstrou uma tecnologia na sua investigação em AI que basicamente treinava a criação de fotografias realistas artificiais, em que se incluíam caras, olhos, etc, como forma de aumentar o número de imagens para treino de sistemas de reconhecimento de objectos.

          • Bruno says:

            só para se entender melhor, por fotografias realistas estou a referir à parte de criar fotos com as imperfeições normais por ruído, artefactos, etc.

    • Bruno says:

      Já consegui descobrir o contexto em que foi dito isso na apresentação.
      Esses mil milhões de imagens foram tiradas pela Apple de milhares de pessoas em diferentes pontos do mundo. É estranho como algo que foi dito com alguma claridade acaba deturpado.

  2. Adalberto says:

    “De facto, todos os produtos trouxeram, de alguma forma, novidades para o mercado tecnológico”
    Eu não vi grande novidade para o mercado a TV 4k e o Iphone 8.

  3. QuimRoscas says:

    Depois de NSA recolher milhões de impressões digitais, agora agradece o vosso esforço em dar 1300€ para enviar o vosso face id 😀

    • Bla Bla says:

      Milhões de impressões digitais, só se for dos Androids. Porque falar sem perceber nada do assunto também é engraçado. Passo a explicar: Os dados de Touch ID (e o Face ID também) ficam guardados numa parte segura do processador do iPhone e nunca são enviados para algum servidor. Como falar mal é fácil, para a próxima, antes de dizer alarvidades informe-se primeiro

      • UmRevoltadoComOMundo says:

        Lool Continua a acreditar nisso… “numa parte segura do processador do iPhone e nunca são enviados para algum servidor” Como é que podes ter certeza que isso nunca vai acontecer?

        • Bruno says:

          dados encriptados não acessíveis ao sistema operativo

          • UmRevoltadoComOMundo says:

            Achas mesmo que isso existe? Os chips são feitos em poucas empresas do mundo que facilmente podem inserir um backdoor que ninguém dá por isso! Achas mesmo que o sistema operativo não tem acesso? Talvez… E os governos? Acreditar na privacidade online é uma piada. Se algumas empresas de espionagem admitem espionar as pessoas então imagina o que se passa nas nossas costas. Aposto que não há um processador no mercado que não tenha pelo menos um backdoor.

          • Bruno says:

            @ UmRevoltadoComOMundo, onde é que tu viste que não há um processador no mercado que não tenha um backdoor? Saberás sequer o que seria um backdoor num processador?
            O facto é que o sistema operativo iOS não tem acesso ao TouchID, é tudo feito no hardware, chegando ao ponto de ser estabelecida uma ligação encriptada entre sensor e o Secure Enclave, onde o iOS não corre.

          • UmRevoltadoComOMundo says:

            @Bruno Mas eu não disse que é preciso o iOS ter acesso ao TouchID. O sistema operativo apenas é executado e simplesmente nenhum consumidor consegue “ver” o que tem dentro do processador. Por muita boa vontade que uma empresa tenha esta não consegue estar acima de nenhum governo. É apenas uma questão de confiança, não apenas na empresa, mas sim em milhares de empregados que lá trabalham e em partes sensíveis. Existe muito dinheiro em jogo… A apple é objetivamente a melhor no mercado em privacidade, mas existem muitas teorias da física que o público em geral desconhece e que podem estar a ser usadas por governos para espionagem em massa. O jogo não é esconder que a espionagem existe, mas sim fazer as pessoas acreditarem que ela se restringem às coisas ligadas à internet. Por exemplo entrelançamento quântico… Mas ainda não foi descoberto! Pelo menos que nós saibamos… Com isto a informação nem precisa sair do TouchID pelos circuitos, basta observar a outra partícula que foi entrelaçada com a que está dentro do TouchID… Quando conspiravam acerca da existência da bomba atómica muitas pessoas disseram que não existia, mas era um segredo de estado que ninguém sabia… As descobertas na área da física estão demasiado paradas (apesar do dinheiro investido) e isso não me cheira bem. O iphone é seguro? Para os meros mortais sim, mas não ponho as mãos no fogo acerca das coisas que a empresa e os consumidores desconhecem.

          • Bruno says:

            @ UmRevoltadoComOMundo, tu começaste por pôr em questão o que eu disse, ou seja dados não acessíveis ao SISTEMA OPERATIVO…
            Entreleçamento quântico já está a ser aplicado, mas tu não vais ver tal coisa num processador destes pois isso requer que o hardware tenha sido desenhado para tal, não sendo coisa para se enfiar à socapa num chip de silício, ainda para mais em chips produzidos em larga escala.

          • UmRevoltadoComOMundo says:

            @Bruno Não existe necessidade do sistema operativo ter acesso a estes dado se existe alguma forma de telemetria que não é conhecida para o público. Logo ser acessível ao sistema operativo ou não é um preciosismo. Esta informação pode estar em algum servidor sem nunca ter passado pelo sistema operativo. Para além de que nunca sabes qual é o real avanço tecnológico, logo é muito provável que seja possível usar comercialmente a tecnologia que falei e a maioria dos funcionários que trabalhem nas fábricas nem imaginarem isto.

          • Bruno says:

            @ UmRevoltadoComOMundo, deves pensar que entreleçamento quântico se faz e se mede com qualquer material. Não vais ver tal coisa a ser feita numa fábrica de semicondutores normal com os processos de fabrico actuais – seriam necessários processos de fabrico diferentes, materiais diferentes, estruturas lógicas diferentes, etc. Ou seja não só seria complicadíssimo de fabricar sem ser notado, à priori e à posteriori (os chips da Apple são literalmente analisados à lupa), como ficaria muito caro.
            Se queres telemetria passa pelo sistema operativo já que é com o sistema operativo que o firmware dos chips wireless comunicam via CPU.

          • UmRevoltadoComOMundo says:

            @Bruno Assim como é impossível o ENIAC caber dentro de chip do tamanho de uma moeda, isto pelos padrões de 1945. Se o ENIAC tivesse alguma forma de telemetria ilegítima, na forma de um pequeno chip ninguém o encontraria pois ele poderia estar camuflado. Para além de que seria uma piada procurar um computador do tamanho de uma moeda dentro de um computador que pesa toneladas. O microondas também era apenas algo usado em laboratório e hoje é comercial. “Não vais ver tal coisa a ser feita numa fábrica de semicondutores” Porque não? Pode ser que exista uma forma de o fazer… É verdade que a probabilidade disto acontecer pode tender para zero, mas não é zero! Por isso não podemos garantir que não aconteça.

          • Bruno says:

            @ UmRevoltadoComOMundo, e tu a dar-lhe! Vais-me dizer que um chip é feito com os mesmos materiais e processos de fabrico do ENIAC?
            Não leias na diagonal!
            “”Não vais ver tal coisa a ser feita numa fábrica de semicondutores”” NORMAL COM OS PROCESSOS DE FABRICO ACTUAIS.
            Se queres medir estados quânticos vais necessitar de estruturas especializadas feitas com materiais distintos daquilo que se usa nos chips normais! Ou seja, não só é uma coisa que não se fabricaria numa fábrica normal, como facilmente se notaria.

      • Rui says:

        “.. e nunca são enviados para algum servidor.” – é um bocado inocente pensar assim.. tenho sérias dúvidas.. sérias dúvidas!! (quer seja IOS ou Android ou WM..)

  4. UmRevoltadoComOMundo says:

    ahahaha O governo não está preocupado com as informações dos cidadãos, mas sim que estes dados sejam partilhados com governos que não seja os EUA. Ou seja, um monopólio de invasão de privacidade e de informações sensíveis. (Nada contra a Apple, foi um excelente progresso tecnológico, simplesmente nenhuma tecnologia é resistente aos olhos dos governos)

  5. Zeze says:

    Ou seja uma cópia 3D de um rosto, a conseguir ser impressa, desbloqueia o dispositivo.

    • Bla Bla says:

      Ou seja, veja a apresentação e vai ver que a Apple trabalhou em conjunto com efeitos especiais de hollywood, para produzirem máscaras idênticas, e não… o telefone não desbloqueia com máscaras. #hatersgonnahate

    • Joao ptt says:

      Estou à espera que o Chaos Computer Club ou outros provem que este sistema é tão seguro como o fabricante o afirma. No passado provaram que o leitor de impressões digitais no iPhone não era tão seguro como diziam.

      Infelizmente estes fabricantes continuam a brincar à segurança… qualquer verdadeiro perito dirá sempre que deverão ser necessários pelo menos dois métodos diferentes como algo físico da pessoa, ou algo que a pessoa têm, ou algo que a pessoa sabe, ou todos em conjunto.

      No caso do iPhone o ideal era a visualização 3D da cara com um código à escolha do utilizador… porque qualquer criança pode meter o iPhone à frente da cara da mãe, pai, irmã enquanto dormem… e desbloqueia aquilo, e o mesmo com o assaltante e por aí em diante… saber o código já pode ser mais complicado em especial se utilizarem teclados que exibem os caracteres em posições aleatórias.

      • Bruno says:

        Uma criança pode meter à frente mas muito dificilmente irá desbloquear, pois o aparelho está definido à partida para avaliar o olhar do utilizador e estando a dormir terá os olhos fechados impedindo a autenticação.
        Isto é primeiro que tudo uma questão de conveniência para não ter que estar sempre a inserir a password, sendo que continua dependente duma password e não é um método permanente.

  6. V.T. says:

    À América o que é da América…

  7. Artur Santos Silva says:

    Gostava de esclarecer uma questão em relação à privacidade de terceiros do FaceID.
    Quando estiver junto a grupo de amigos, como funcionará o FaceID? Vai tentar reconhecer todas as caras num determinado raio? Qual a distância e o ângulo em que o telefone ativa o reconhecimento facial?
    Penso que será uma questão pertinente em termos de privacidade. Basta alguém passar com um iphone x numa determinada posição perto de mim e o mesmo tentará reconhecer a minha cara?
    Quem me garante que essa informação não fica guardada no telefone?
    Penso que é um debate importante a ter…

    • celso says:

      É uma questao pertinente, essa. O problema é que já metemos tanta informação nossa online que muita gente nao se preocupa com isso. O faceID não será uma preocupação para elas também.
      Mas cada vez me preocupa mais sobre o que é feito com os nossos dados pessoais.

      • Bla Bla says:

        Então recomendo que se informe sobre como a Apple trata da privacidade dos seus utilizadores. Por alguma razão as agencias de espionagem americanas andam às voltas, porque não conseguem sacar informação de nenhum iPhone actual com código.

      • Artur Santos Silva says:

        A maioria dos utilizadores não tem preocupações com a privacidade, porque não tem sequer noção de como as coisas funcionam. Mas existem muitas pessoas preocupadas com essas questões, por isso penso que mais cedo ou mais tarde a UE legislará acerca deste tema.
        Em relação a como a Apple ou outra empresa privada tratam os dados, tem muito que se lhe diga… além de que hoje em dia ninguém confia no que essas empresas dizem (ou pelo menos sabemos que, por muito boa vontade que tenham, existem riscos de quebra de segurança enormes…), ou por lado temos a Constituição Portuguesa, que dá ao cidadão total controlo sobre os seus dados pessoais, pelo que o facto de um telefone estar constantemente a fazer reconhecimento facial a quem estiver perto dele, pode ser considerado um abuso sobre os dados pessoais e biográficos do cidadão.
        Acredito que este tema irá dar pano para mangas nos próximos tempos…

        • Bruno says:

          Por essa tua ordem de ideias qualquer pessoa com uma câmera na mão perto de ti pode ser considerado um “abuso sobre os dados pessoais”.

          • Tiago Oliveira says:

            Se tiver apontada e a guardar algo sobre ti é. O iphone apontado para ti e estar sempre a captar a tua FACEID é abuso da privacidade. Mas eu pedi para guardar e analisar me»

          • Artur Santos Silva says:

            Se a câmara estiver a gravar diretamente a minha cara, sim é…é mesmo ilegal caso eu não dê autorização…
            Existem leis nesse sentido em Portugal…por isso é puxei o tema da privacidade.
            Podes filmar a “paisagem”, por exemplo, estás a filmar um jogo de futebol, é normal que filmes e que se identifiquem algumas pessoas no meio do jogo, mas o foco geral do video é o jogo de futebol. Mas já não podes filmar diretamente a pessoa A ou B…pelo menos é o entendimento que a maioria dos juristas tem da lei da privacidade.

          • Bruno says:

            @ Tiago & Artur, é aí que quero chegar, é ilegal se estiverem a gravar a tua pessoa intencionalmente, não é ilegal existir uma câmera perto de ti que tem a capacidade para gravar alguma coisa, sendo que no caso do FaceID nem sequer está a gravar, é apenas um sistema de autenticação para uma única pessoa dona do aparelho, que definiu a sua cara no aparelho para o efeito. Porque é que tem que ser o FaceID a levar com essa teoria de ilegalidade em cima quando há muito tempo os smartphones podem captar a vossa imagem?

            @ Tiago, essa do captar o teu FaceID não faz qualquer sentido! O FaceID é apenas para autenticação do dono do aparelho no aparelho, não existe para identificar mais alguém, ou gravar alguém.

    • Flávio Ferreira says:

      E não só, uma pessoa pousa o telemóvel na mesa, vai ser preciso se chegar a frente para não tirar o telemóvel de cima da.mesa para reconhecer? No carro quando funcionar como GPS não vai dar raia uma pessoa olhar ou outra olhar e bloquear o telemóvel e depois ter que desbloquear por código abstraindo da condução ou fazer parar a mesma? A mesma se aplica que quando o telemóvel está sempre quase de frente neste caso se for usado como GPS a posição e quase frontal a pessoa, não vai estar sempre a ler a cara e isso drenar mais bateria? São estas e muitas mais questões que pronto, preciso pensar

    • Bruno says:

      E porque é que esse iPhone haveria de guardar a tua cara se isto se trata dum processo de autenticação para o dono do aparelho? Ou será que tens esse receio com todos os smartphones?

  8. Só rir says:

    Meu Deus tanta complicação que para ai vai, se for em Gps ja esta desbloqueado por que raio iria estar a ler a cara, se por alguma razão se bloquear , basta olhar para ele e desbloqueia, qual o drama?! Quando se gosta de complicar, realmente implica-se com tudo e mais alguma coisa! Enfim!

  9. aaaaa says:

    Confio tanto nos fabricantes, Apple ou outros, que me recuso a tocar com a ponta dos dedos em modelos que têm sensor de impressões digitais.
    Agora com as câmaras é pior. Gostava de sentir que a minha vida é mais privada, mas cada vez mais somos um livro aberto para corporações e governos.
    Por enquanto as pessoas acham piada a estas tecnologias. O problema é o uso real lhes irão dar. Um dia vamos pagar bem caro por todo este progresso.

  10. David Cordeiro says:

    Em caso de Morte? Será que o FaceID vai funcionar na mesma? Se funcionar os FBI, NSA e amigos não vão mais precisar de pedir favorzinhos á Apple! Basta apontar o telefone para a cara do “terrorista” e ver os dados. Ou o telefone reconhece que a pessoa está imóvel (mortinha), e pede segunda autenticação? Claro que esperamos que o Iphone X não fique reinicie em algum momento, se não, lá se ia a possibilidade de entrar nos dados.

    • Bruno says:

      Segundo a Apple o iPhone avalia o olhar da pessoa no processo de autenticação normal, o que complica a coisa em caso de morte, já que existe um número limite de tentativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.