Quantcast
PplWare Mobile

Apple não quer mais ninguém no iOS 14 e força agora a atualização para o iOS 15

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Ochinês says:

    Os dados:
    No início de janeiro de 2022, nos iPhones até 5 anos, a percentagem de cada versão do iOS é:
    – O IOS 15 lançado em setembro de 2021, passados 3 meses tem 72%
    – o IOS 14 lançado em setembro de 2020, passados 15 meses tem 26%
    – Versões anteriores (2 anos e mais) são 3%.

    Toda esta história tem como suposição que a Apple está desagrada porque, no período de 3 meses, a instalação do iOS 14 era de 80%.
    Quanto às atualizações. Nestes três meses, quem tinha iOS 14 podia instalar atualizações de segurança ou instalar o iOS 15, com mais funcionalidades e as atualizações de segurança – e ambas as opções apreciam.
    A última atualização menor, iOS 15.2.1 (as atualizações têm três grupos separadas por pontos, correspondendo o último o atualizações maiores e o último às menores), destina-se aos iPhones 12 e 13 para resolver problemas de quebra de chamadas.
    Não houve atualizações de segurança para o IOS 14, eventualmente nem eram precisas.
    E ficou montado o circo na blogosfera – “A Apple não está contente com a adoção do iOS 15 ao fim de três meses e tomou medidas drásticas”.
    A verdade é que quem tiver iOS 14 e não se quiser dar ao trabalho de atualizar vai ter atualizações de segurança. Até o iPhone 6, com 7 anos, que já não recebe atualizações do SO, recebe atualizações de segurança.
    Quanto ao iPhone 6SE, que terá 7 anos, quando sair o iOS 16, é possível que não tenha esta atualização maior, continuando a receber atualizações de segurança.

  2. jorgeg says:

    afinal os 100 milhoes do timmy cook sao bem merecidos!

  3. Mário says:

    Romanos 10:9
    Net

  4. Manso says:

    Há que forçar a malta a comprar telefones novos…

  5. KeyboarWarrior says:

    Uma notícia sobre iOS, e tens de vir falar no android (e com um português medonho), é inveja ou frustração de não teres um Android?

    • rodrigo says:

      qualquer um pode ter um android. Mas o contrario nao acontece.

      • João Magalhães says:

        Loooooool, na meo por 10€ por mês tens um Iphoje . Eu tenho um Mi8 com quase 4 anos, sem atualizações ( se for iguais à da Apple dispenso bem ) custou 200 paus ( pago a pronto, algo mais normal nos utilizadores android, visto que não temos o smartphone para os outros gostarem ) e quando trocar vai ser por outra máquina destas, pelo mesmo preço porque na realidade a maioria das pessoas usam 10% da capacidade do smartphone e para o que usam dificilmente notam as vantagens que custam 1200€, na minha modesta opinião, um autêntico roubo.

        • rodrigo says:

          lol sim porque pagar mensalidades para ter um telemóvel ‘e mesmo de inteligente.
          Olha este que acha que actualizações são algo que nao vale a pena! Nao queres ter novas funcionalidades no telemóvel com actualizações?? Nao queres ter o telemóvel mais seguro com actualizações?

          Ha com cada um que nao percebe nada e que prefere ficar na sua ignorância.

  6. Luis says:

    Updates na Apple sempre, ja no android nepias. Nao admira que cada vez mais se vendam iphones e so usa android quem nao tem ou nasceu para ser pedreiro

    • Blam-O says:

      Ui, aquele post de gajo que ainda anda desapontado com o seu iPhone mas está com o bolso a arder.

      Deve ser lixado para ti ver malta a largar o mesmo valor que podia largar num iPhone mas num Android e ficar mais contente com a compra.

  7. SteveRobs says:

    Estes updates forçados são legais?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.