Quantcast
PplWare Mobile

Apple AirPods Max já receberam os primeiros unboxing

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. TugAzeiteiro says:

    Estou chocado como não tem o logotipo da Apple em cada um dos auscultadores…. então assim como é que posso mostrar que o que tenho é da Apple e não do chinês?!

    • ervilhoid says:

      não precisa, quando sairam os air pods foi igual, toda a gente reconhece 1 produto apple.. porque desenhar la uma maça pode ser falsa na mesma

    • Vítor M. says:

      Perdeste o comboio há muito. Quem usa não precisa de dizer que usa, a experiência de utilização é o prazer maior de quem usufrui do material Apple. As mentalidades pequenas ainda tentam colar a cena do status (que nem sabem que raio é atualmente), mas isso são só os de mentalidade de minhoca. 😉

      • TugAzeiteiro says:

        Ahahah… nice try.. mas erraste, não sendo fanboy, utilizo vários produtos Apple! E sim, infelizmente há muita gente mesmo que compra pelo status da marca! Conheço muitos até que nem sabem bem mexer por ex. no macOS… e quanto à qualidade… bem… posso dizer que tem vindo a cair desde há 10 anos para cá!

        • Vítor M. says:

          Nem disse que era tu… logo, cada um que enfie a carapuça que quiser. E se usas produtos Apple, não podes dizer que desde há 10 anos têm perdido qualidade, isso é dito por quem não tem produtos Apple. Dado que há 10 anos para cá, a empresa lançou produtos que hoje são ícones no mercado, como o iPad, o Apple Watch, entre outros que vendem muito por serem bons e não porque as pessoas gostam de deitar dinheiro fora. Em termos de tecnologia, atualmente há sim é mais empresas fantásticas e há mais concorrência, como faz a Samsung ou a Huawei. Mas isso não diminuiu a qualidade dos dispositivos, bem pelo contrário, a Apple teve de melhorar muitos segmentos porque a concorrência estava melhor. Basta ver a questão do hardware do próprio iPhone na fotografia, cada vez tem tecnologia de ponta porque estava a ser ultrapassada pela Samsung Huawei. Isso deita por terra a tua teoria.

          Nem vamos falar no novo processador A14 Bionic de 5 nm nem do M1. Isso são campeonatos à parte. Já no que toca ao som, não há dúvida que estes auscultadores serão um salto na oferta da Apple. Resta saber a qualidade e comparar com os melhores. Mas, novamente cai por terra a tua teoria, dado que estes são um incremento a tudo o que a Apple lançou no segmento desde há 10 anos para cá 😉 olha só estes: https://bit.ly/34hGjfu

          • Nunes says:

            Bla Bla Bla Bla…
            Mas são uns headphones, e falam de tudo menos de…

            Ahhh!

            “Por fim, falou-se na qualidade do som, na qualidade do Cancelamento de ruído, o áudio espacial. Os microfones que “purificam” o que pode passar ou não para o canal auditivo”.

            Por fim lá vira o que interessa? Hmm, por fim? … Ok!

          • Vítor M. says:

            Se são as primeiras impressões, vão conforme conhecem o produto. Não podem colocar som sem o tirar da caixa.

      • AS says:

        Oi ?
        Então mas no segundo vídeo ele diz que o motivo de comparação é com uns Headphones de metade do preço Sony. Eles vão sempre comparar com os Sony XM4.
        Como é que não se trata de Status? Eu sei que tem mais specs e features que os Sony, mas daí a valer o dobro do preço, a componente Status deve ter um enorme peso na compra.

        • Vítor M. says:

          Ele compara o quê o som? Não, até porque ainda nem tempo teve para fazer essa assunção. Ele compara mas está errado, porque não têm sequer a mesma estrutura dos Sony, que têm materiais mais singelos, não faz sentido. Agora, ele compara com o que tem 😀 eu já iria comparar com estes: https://bit.ly/34hGjfu que além de serem mais parecidos, quer na estrutura, quer nos mecanismos, são os que poderão fazer alguma sombra (que para mim são dos melhores que estão no mercado, dentro deste segmento), quando se pretende materiais premium. Em relação ao som, ainda não se conhece e, por isso, a margem de comparação tem de ser nos materiais e eventualmente uma ou outra parte do transporte.

          Vê lá quanto custam estes da B&O 😉 e repara nos materiais e nalguns pormenores muito idênticos aos AirPods Max 😉

          Sobre o status, nem uses isso que fica mal, isso é conversa da treta de quem não tem argumentos e saca o “status” por incapacidade de argumentação. Nem vou mais comentar isso.

    • AlexX says:

      Se arranjares forma de pendurar a smart case frente ao peito, todos vão saber 😀

  2. Peace says:

    São feios que dói… Claro que estas sanguessugas da sociedade iam falar bem, foram dados… E vão querer continuar a receber novos gadgets de futuro.
    E o preço? Irra… E no final vão usá-lo para ouvir musica em stream sem a qualidade HiFi que mereciam.

    • Hidelberto says:

      Porque sem qualidade hifi? Podes liga lo por cabo ao iphone e ouvir flac como eu oico ha anos e tem qualidade suberba.

    • José Carlos da Silva says:

      Nice. Não gosta, não compra, não comenta. Next.

    • AlexX says:

      A maioria nem distingue a diferença de detalhe entre um mp3 a 128kbps dum flac, quanto mais directo dum bom leitor de CD…

    • Empreendedor says:

      ROTFL sanguessugas da sociedade um YouTuber?
      É melhor criar negócios à tuga nas crises para vender máscaras em tempos de sofrimento, ou então material nos incêndios para se aproveitarem de dinheiro alheio de quem está aflito? Se calhar é melhor ficarmos todos a chorar pela galinha da vizinha ser melhor que a minha, isso é que está certo?
      Sejam empreendedores, vão à luta e vejam onde podem melhorar a vida a alguém, aí sim normalmente nasce um negócio de sucesso que vos dá dinheiro e claro resolvem problemas…
      A Apple faz isso, não é para qualquer público, mas faz… Enquanto não pude não comprei, agora é o parque todo…

      Peace you’re out… Drop the mike

  3. Bruno Gonçalves says:

    Não dobram para viagem e não se podem desligar sem a case. Além de que a case protege muito pouco. Para mim não serve mesmo que o som possa ou não ser melhor que uns Bose ou Sony.

  4. AlexX says:

    Só espiei o 1° clip e até gostei pela imparcialidade. Os extra 50 euros pelo cabo áudio e outro tanto pelas almofadas fazem sentido. Já imaginava que alguns possam comparar com os Sony 1000xm4, são os que dominam actualmente entre os wireless, já comparar com os Sennheiser hd800s não faz qualquer sentido, estes últimos são de alta fidelidade no sentido sério do termo. Mas naquilo que realmente deveria importar, a qualidade de som entre concorrentes com características parecidas, talvez fosse interessante comparar também com os Sennheiser Momentum 3 ou os Shure Aonic 50 além dos Sony xm4 e até que ponto vale pagar o quase dobro por uma marca.

  5. sujeito says:

    A opinião de pessoal que é pago para fazer publicidade vale ZERO!!!
    Até agora não vi nada de especial e nas mãos de quem vai fazer uma review imparcial vão ter uma avaliação muito mais baixa. Para mim não passam de uns BEATS com mudança estética e super overpriced. Até estes que estou a utilizar neste momento têm mais autonomia e não custam 700euros.

    • Vítor M. says:

      Haverão de aparecer. Os que os receberam são convidados da Apple, mas aparecerão outros que não são convidados Apple. Depois vamos perceber a qualidade do produto. Para já, nada podemos dizer a não ser pelos hardware apresentado.

      • Nunes says:

        Quando o YouTuber Marques Brownlee (MKBHD), realizou as suas já populares “competições cegas” de fotografia, os iPhones em que lugar ficaram?

        Quando vierem os “testes cegos”, destes headphones, podemos falar.

        Não criticando, nem apoiando os testes da própria DxOMark, também não são a “verdade absoluta”, mas os fan boys, só adoram esse ranking quando no top está a marca que adoram.

        Resumindo, comprem Apple, sem stress, só não digam que compram por ser o melhor e nada de status.
        Não gostam de ser acusados que Apple é status? Ok! Mas também não podem dizer que é o melhor do mercado, quando não é.
        Gostam, compram, ponto final, ninguém têm nada haver com isso.
        (O mesmo é válido para qualquer marca ou produto!)

        • Vítor M. says:

          Volto a dizer que a “panca do status” não faz sentido e usar isso para explicar seja o que for é só parvo. Depois, claro que as pessoas compram o material Apple, como qualquer outro, porque gostam, porque querem. Pior que isso são alguns mal formados/intencionados que tentam condicionar as escolhas de cada pessoa (ou porque é caro para o salário que os portugueses auferem, ou porque não vale o que custa, ou porque é…. enfim).

          Claro que não é o melhor em tudo, ainda bem. Mas no conjunto, sim é o melhor que o mercado oferece. Não serve para todos, não, e´verdade que não, porque em muitas coisas há melhores e que servem “à peça”. A Apple tem um conjunto hardware, software e serviços que nenhuma outra tem. O ecossistema permite que tenhas um pouco de tudo, Apple e não Apple, que nenhum outro consegue, basta ver que fora do iOS, a dependência do Android é enorme. A não ser a Huawei, que deu um passo para se tornar mais independente, todos os outros ainda estão muito agarrados à Google. Quem mais faz o que a Apple faz? Nenhum, logo, tem de haver muito mérito.

          Depois há a questão do mercado, da forma como as pessoas o abordam “ui que é tão caro um iPhone”… mas é o equipamento que ano após ano mais vende. Mas então… calma, então é o que se diz, outra coisa é o que se pensa e faz. O mercado dos iPhone (ou os 3 mercados dos iPhone) é multifacetado. Isto é, os novos, os usados e os recondicionados acrescentam milhões de utilizadores todos os anos ao ecossistema.

          Por exemplo, referiste o campo da fotografia. Sim, a Apple tenta bater a Samsung e tem outro poderoso concorrente, a Huawei, mas no meio de centenas de marcas, estar sempre nos lugares de maior destaque é uma vantagem. As diferenças do bom para o muito bom ficam dissipadas no trivial, e mesmo que nalguns casos a Apple não tenha o muito bom, o bom é o que as pessoas gostam de ver sempre. Nas outras marcas, tens o muito bom, o bom e o razoável. O razoável é o mercado maior dessas marcas, o mais barato, logo, 85% dos utilizadores Android tem a entrada de gama e gama média, ficam-se pelo razoável. Mas atenção, para o que usam, e para os fins do dia a dia, é perfeito.

          Mas a diferença de preço está aí. Por isso um bom Samsung custa mais de mil euros, um Bom Huawei por aí anda e não foges dessa cifra. E quem compra um Huawei ou Samsung de 1200 euros é por status? 😉

          Isto aplica-se a qualquer marca sim, desde os carros, ao vestuário, passando pelos eletrodomésticos e até alimentação. É o mercado que temos e dele não consegues fugir. Mas o que é é… e temos de dar o mérito a quem o tem.

  6. ToFerreira says:

    Dados, qualquer um fala bem! O problema não está certamente na qualidade, mas em valer o que custam. Não significa isto, que sejam caros, como o valor das vendas vai mostrar.

    • rui says:

      Eles até podem valer o preço, mas as pessoas que os vão comprar vão usá-los para ouvir música no telemóvel ou num sistema de som de qualidade?

      E, apesar de tudo, ainda são mais baratos que as rodas para o Mac Pro! Lol!

  7. José Fonseca Amadeu says:

    Na minha proxima viagem aos US se o cancelamento de ruido for superior aos Sony e audio semelhante talvez compre uns, não me vejo a pagar quase 200€ mais para os comprar em Portugal.
    Desde 2015 que não compro tecnolgia em Portugal.

  8. UnExpert says:

    Por acaso já tinha visto um “youtuber” dizer algo que o MKBHD refere no video dele (embora o outro youtuber não tivesse acesso aos phones ainda), os Sony XM4 têm 99% do que estes airpods têm e custam menos 250 dólares, pondo nos preços originais. A qualidade de construção é superior sem duvida (embora os Sony sejam mais maleáveis e parecem me melhores para transportar) e vêm com o som computacional. Mas para o MKBHD que é também um grande fã dos produtos Apple não dizer imediatamente não isto compensa pagar o dobro do preço é pq (para já pelo menos) não o deixou de queixo caido. Por isso chamem me forreta mas tenho que me juntar ao pessoal que diz que o preço está um bocadinho puxado, havendo alternativas semelhantes a preços muito inferiores.

    • Vítor M. says:

      São bons os Sony, mas não tem 99%. Primeiro os materiais dos Sony não são premium, este são. Depois o software de gestão dos auscultadores não tem integração no ecossistema Apple como estes têm, não têm um assistente próprio, usam o de terceiros… em termos de som, ainda não conheço os da Apple. Por isso, 99% não têm, mas são bons os da Sony.

      Calma, primeiro vamos ver as análises.

      • UnExpert says:

        Claro, dizendo com um enorme asterisco, confiando em quem “sabe” ou quem testa mais disto. Mas acho sinceramente que a Apple ganhava mais em se calhar apostar numa construçao pior ou mudar um ou outro aspecto para ficar na casa dos 300/350 e competir directamente com os Sony (entre outros) era uma aposta melhor mas apontaram alto veremos se compensa. Isso e um botão off porque andar com a bolsinha atrás só para os desligar é uma ideia estranha, no minimo.

        • Vítor M. says:

          Competir com a Sony? Para quê? A Apple tem o seu mercado e em relação aos seus eventuais concorrentes tem a vantagem de ter um poderoso ecossistema. E sim, tira proveito disso, porque o construir e alimentou. Mercados como o americano, ingles, australiano, canadiano, japonês, EAU, finlandês, norueguês, entre outros… comprar uns auscultadores por 600 dólares ou 650 euros não é nada de especial. Sendo de qualidade e tendo o look&feel Apple, vendem milhões.

          Repara que este dispositivo vai ser mais um a trazer vendas à Apple, um segmento que a Apple não tinha, o do som de alta fidelidade.

          Vamos ver como se vai sair, se terá ou não sucesso.

          • Cláudio 99 says:

            Não é nada pessoal, mas que idade tem Vítor M. ?

            1° “Competir com a Sony? Para quê?” Está a insinuar que a Apple não terá que competir com a Sony ou qualquer outra marca! Erro grotesco. Sr. Analista, numa análise SWOT está já reprovado.

            2° “Mercados como o americano, ingles”, Qual mercado inglês? Entendasse mercado UK? Já agora onde está o estudo que valide?

            3° “um segmento que a Apple não tinha, o do som de alta fidelidade.” Então Sr. Vítor, novamente? Som de alta fidelidade! Mas já testou os headphones? Mau! Mau! Novamente na crítica de quem diz mal sem ouvir, e no seu caso já vale dizer que é bom? Hmm! Melhor testar primeiro, certo? Esse moral.

            4° ” Sendo de qualidade e tendo o look&feel Apple, vendem milhões.” Ah! afinal o look? Feel Apple? Oh! Pensei que esse comboio já tinha partido, essa história do status não era coisa do passado? Ah!! E novamente aquela insinuante de que são de qualidade. Mais uma vez pimenta na língua. Quando os tiver diga o que sente, minta mesmo que não goste! E não seja vidente, ainda não sabe se vai trazer vendas ou ser um enorme fracasso.

          • Vítor M. says:

            Não, não tenho idade para ser seu pai. Calma lá 😀 Sobre o que diz, há aí disparates e algumas infantilidades (não é nada pessoal). Vamos por partes.

            1° “Competir com a Sony? Para quê?” Está a insinuar que a Apple não terá que competir com a Sony ou qualquer outra marca! Erro grotesco. Sr. Analista, numa análise SWOT está já reprovado.

            Competir com a Sony num mercado onde a Sony é muito forte, vai trazer à Apple que tipo de ganho? Nenhum. A Apple não tem no segmento dos dispositivos de música a quantidade de oferta de uma Sony. Vai competir para quê?

            Leia um pouco o mercado. Isto porque a Apple sabe que no frente a frente, a Sony tem muito mais experiência e oferta (um mercado com muitos anos). Por isso a Apple tem de se encaixar num mercado intermédio (com os seus trunfos, o ecossistema, por exemplo), como o fez, entre uma Sony/Bose e uma B&O. Não tem outra hipótese. Portanto, a sua avaliação é totalmente descabida Cláudio.

            2° “Mercados como o americano, ingles”, Qual mercado inglês? Entendasse mercado UK? Já agora onde está o estudo que valide?

            Que valide que são os maiores mercados da Apple? São, não falta informação a referir que os EUA, o Canadá, Austrália, Japão, China (Hong Kong e Taiwan) e UK são os mais rentáveis (dentro da Europa, deverá ser o país com mais lojas Apple, por exemplo, maior número de ativações do iOS, entre vários outros números de destaque). Não falta informação sobre os últimos anos de mercado onde o Reino Unido está posicionado como um mercado chave para a Apple. Basta pesquisar, que não falta informação.

            3° “um segmento que a Apple não tinha, o do som de alta fidelidade.” Então Sr. Vítor, novamente? Som de alta fidelidade! Mas já testou os headphones? Mau! Mau! Novamente na crítica de quem diz mal sem ouvir, e no seu caso já vale dizer que é bom? Hmm! Melhor testar primeiro, certo? Esse moral.

            Não testei, mas é a Apple que o diz. Por isso, sem testar, a palavra está no lado de quem os coloca no mercado. Por isso, mais uma vez a sua “crítica” está assim a modos que infantil, pense um bocado: https://apple.co/2KbBug7.

            4° ” Sendo de qualidade e tendo o look&feel Apple, vendem milhões.” Ah! afinal o look? Feel Apple? Oh! Pensei que esse comboio já tinha partido, essa história do status não era coisa do passado? Ah!! E novamente aquela insinuante de que são de qualidade. Mais uma vez pimenta na língua. Quando os tiver diga o que sente, minta mesmo que não goste! E não seja vidente, ainda não sabe se vai trazer vendas ou ser um enorme fracasso.

            Mais uma bola ao lado Cláudio 🙁 Vamos lá então. Look&feel não é o mesmo que status. Está a querer confundir as pessoas? Isso não é lá muito sério, ó Cláudio!

            Na conceção do produto (software) o termo “Look and Feel” é utilizado em relação à interface gráfica, onde o utilizador compreende os aspetos da sua conceção, incluindo elementos como cores, formas, disposição e tipos de caracteres (o “Look”), bem como o comportamento de elementos dinâmicos (hardware) tais como botões, os materiais, os menus, etc (o “Feel”).

            Sobre as vendas, sim, a Apple facilmente com este produto conseguirá bons números. Atualmente, as unidades que tem no mercado foram poucas para as encomendas. Já há prazos de entrega para março de 2021. E uma empresa como a Apple não faz 100 ou 200, faz milhões, como deve calcular. Portanto, nesta altura (de natal) é fácil adivinharmos, até pela experiência do passado, que a Apple terá sucesso porque vai vender muito. É o mercado que nos diz, é o passado que nos mostra, não estou a fazer futurologia, apenas a interpretar o mercado. 😉

            Abraço.

        • José Fonseca Amadeu says:

          Salário médio US 40k, salário médio países ricos Europa 40k.
          Quem gostar do produto vai comprar independentemente de ser mais caro.
          Não podem olhar para Portugal e para o vosso bolso como exemplo.

      • Daniel says:

        Concordo com o que escreves sobre ter calma e esperar pelas análises, mas há coisas que já é possível comparar (peso e features) e criticar ou mostrar apreço.

        Agora, material premium é algo que discordo por completo (não se pode dizer que polímero é premium quando usado por uma marca e depois descartar quando usado por outra). O que é para ti premium? Um corpo em alumínio? Ter parte em metal não é mau, mas ser pesado na cabeça ou não ter tensão regulavel nas orelhas é precisamente o inverso de premium, independentemente dos materiais… há o ser e o parecer.

        Do que sabemos estes phones pesam quase 390 gramas (384g para ser preciso), isso não abona nada a favor dos Airpods Max (já referi no outro artigo, os 2~3 phones considerados top de conforto são os Bose QC35 e QC35 II – e eventualmente o Bose 700 – e pesam cerca de 235g… 255 no caso do 700).
        Por outro lado os B&O H95 pesam 323g e até são super confortáveis (não tanto quanto os QC mas não distam muito e foram uma agradável surpresa apesar do peso).

        À primeira vista, no unboxing, Marques Brownlee disse que os AirPods Max soavam como os AirPods Pro, o que dá-se o desconto que ele próprio diz que falta fazer uma review a sério e exaustiva, mas se a primeira coisa que lhe vem à cabeça com os primeiros usos é dizer que soa como os AirPods Pro… erm… deixa muito a desejar pois como bem sabes há um salto enorme de uns QC35 ou Sony para uns H95 e se não há isso à primeira audição entre uns AirPods Max para uns Pro então ou a pessoa tem problemas auditivos ou algo de muito errado se passa com o equipamento (por defeito ou design).

  9. Daniel says:

    “Claro, a smartcase, no entanto, tem uma função muito útil. Quando os colocamos dentro, irão desligar-se automaticamente e a bateria durará mais. O sistema magnético encarrega-se de “comunicar” com os auscultadores.”

    Maneira redutora de dizer que a Apple reinventou (e da pior e mais inconveniente maneira possível) o modo de standby, pois os headphones não têm botão de desligar/standby e a única forma de os colocar em standby é os colocar na caixa (independentemente do nome que a Apple queira dar aquilo, “modo de baixa potência” ou o diabo, aquilo é standby… já cansa a tentativa constante de reinventarem a roda e dizerem que foram pioneiros… há coisa que o foram, outras que não passa de marketing para incautos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.