Quantcast
PplWare Mobile

AirPods Pro podem atuar como aparelhos auditivos, diz estudo

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Nuno Fonseca says:

    Artigo enganador e deviam ter cuidado com os títulos…sou portador de aparelho auditivo convencional e um amplificador não é nem nunca será ajuda mesmo para quem tem uma perda de audição reduzida.

    A Apple nunca pode apresentar os airpods como uma ajuda a quem não ouve…ter de usar um aparelho auditivo implica reaprender a ouvir e isso não acontece com um amplificador.

    Para terminar acrescento que o estigma de usar aparelho auditivo só “ataca” quem tem preconceitos ou fraca auto-estima.

    • Vítor M. says:

      Não, em nada é enganador, bem pelo contrário, mas tens de ler o artigo na totalidade, porque só assim faz sentido falares. Se leres, e espero que o faças, vais ver que está correto o que é dito. É referido muitas vezes que os AirPods Pro não são um equipamento médico ou de saúde, apenas usa determinadas tecnologias que permitem a pessoas com leves problemas auditivos detetar esses problemas. Além disso, as caractertísticas dos auscultadores permitem ajudar nesses “leves” problemas.

      Mas há mais, sem querer colar aqui o artigo todo, o texto refere que o software Saúde traz uma área dedicada à audição e que monitoriza os níveis de volume e outros sintomas que podem informar o utilizador de dados interessantes que podem ser igualmente reveladores. Mas há mais… mas tens de ler.

      • Nuno Fonseca says:

        Vítor eu li tudo, contudo, continuo a não acreditar que a Apple tenha alguma inovação ou melhoria para este campo da perda de audição…

        • Vítor M. says:

          Certo, mas já usaste? Eu não tenho dúvidas que as tecnologias usadas melhoram o som exterior, e amplificam esse som quando em modo Transparência e isso pode ajudar.

          Mas era interessante haver quem use e que tenha esses leves problemas para explicar o que percebe das tecnologias usadas.

    • Tadeu says:

      segundo é referido não é mera amplificação! Ele pode amplificar sons de acordo com o audiograma da pessoa, ajustando-se às necessidades das pessoas… existem também opções para ajustes manuais e alguns testes. Pode não ser equivalente a um aparelho auditivo, mas também não será como descreves.

  2. PML says:

    Excelentes notícias. É muito importante aumentar a concorrência nos aparelhos de audição que têm preços proibitivos para a maioria da população. Um valor que não se justifica pela tenologia nem pelo serviço prestado. Vivem à custa de pessoas idosas desesperadas para poder ouvir. Quanto mais marcas e substitutos houver, melhor!

    • Pedro says:

      Concordo 100%

    • Nuno Fonseca says:

      So quem nunca precisou e que pode ter um comentário destes e, ao contrário do que pensa, não são apenas os velhos que usam aparelho

      • Vítor M. says:

        Isso é uma verdade, não são só pessoas idosas e é um dos pontos frisados neste estudo.

      • PML says:

        Nuno, não foi o que escrevi. Disse “vivem à custa de pessoas idosas” e esse é de facto o grupo etário onde vão buscar quase todo o dinheiro. Sei do que falo.
        Quando vendem aparelhos a 3.000€ até 6.000€ e para pagar a prestações “suaves é porque o modelo de negócio é mesmo virado para este tipo de pessoas. Basta ver as imagens e para quem a publicidade é dirigida. De facto cada vez mais pessoas mais novas usam aparelhos e muitas não o fazem por desconhecimento.
        Posto isto, um aparelho destes custar 4.000€ é uma barbaridade. Tenho alguns conhecimentos de eletrónica e o preço que é cobrado pode dizer-se pornográfico. Justifica-se por toda a publicidade, edifícios arrendados em quase todas as cidades com pequena ocupação temporal, comissões de venda, pilhas, etc. Um valor que cobraria custos e mesmo assim daria uma margem de lucro enorme seriam 2.000€. Se compararmos a tecnologia destes equipamentos com uns phones de alto desempenho que custam 700€ como os da Apple (sim, são diferentes tecnologias) mostra bem a discrepância de valores. Na realidade, são uns filtros passa banda com amplificação diferenciada por gama de frequência e programáveis. Tem tecnologia – sim tem. A grande diferença é que são muito pequenos e gastam pouca energia, mas hoje em dia mandando fazer milhões em Taiwan permite a que fiquem com custos muito baixos. Para terminar – é mesmo pena não serem mais baratos para que um maior grupo da população os pudesse usar. Tendo em conta o valor das reformas que existe em Portugal seria muito positivo.

    • Pensamento Positivo says:

      Meu caro: Infelizmente sou deficiente auditivo com perda quase total de audição, este momento só recuperável com implante coclear. Permita-me que lhe diga uma coisa: É verdade que há por aí alguns grupos que tudo fazem para explorar, muitas vezes quem nem de um aparelho auditivo propriamente dito necessitava, ou que ficava bem servido com um aparelho semi-analógico básico e relativamente acessível, mas também há, e cada vez mais, alguns bons grupos de aparelhos auditivos que fazem um trabalho excepcional na reabilitação auditiva destas pessoas.

      Colocar um aparelho auditivo não é apenas uma simples compra de um material. É um processo que se segue ao longo da vida…

      Mas, agora repare: Toda a população pode usar uns airpods ou similar, daí o terem um preço tendencialmente acessível. Porém, apenas menos de 10% da população mundial necessita de um aparelho auditivo e apenas menos de 1% da mesma serão elegíveis para implante coclear, logo o seu preço terá de pagar a exclusividade. Acresce que há todo um trabalho de acompanhamento pré e pós compra que tem de ser feito. Normalmente os bons aparelhos auditivos já incluem todo esse trabalho no seu preço pelo menos durante os 2 anos da garantia nacional do fabricante. Alguns vão mais longe e oferecem 5 anos de garantia ou permitem pagar por uma extensão da garantia.

      Falar deste negócio não é pois igual a falar da mercearia da esquina. Espero ter ajudado a tornar claro o porque é este meio tão caro, pelo menos na aparência. Investigação, acompanhamento, exclusividade… Têm o seu preço, infelizmente!…

      Tenha uma boa noite!…

      • PML says:

        Tudo isso é verdade, mas continuo a achar os preços exorbitantes. Além disso, ao fim do tempo de garantia ou aos 5 anos começam logo a tentar impingir outro aparelho, mesmo se aquele estiver bom “há agora um melhor… esse já não tem reparação… está a ouvir pior e precisa de um modelo diferente” são as frases conhecidas de quem já teve num destes centros. Cerca de 15% da população tem problemas auditivos e espera-se que o valor aumente substancialmente nas próximas décadas. Espero para bem da saúde de nós todos que esse passe a ser um serviço comum e com isso baixe o preço.
        Em Portugal temos o ditado “a saúde não tem preço”. Pois bem, tem preço e é muito elevado. As empresas da saúde sabem disso e que as pessoas estão dispostas a pagar.
        Desejo-lhe boa sorte no implante e que melhore a sua audição.

  3. Joao pequeno says:

    “perda auditiva” ?! Perda de audição! : Facepalm:

  4. kodiakshadows says:

    Lá está a Apple a ir buscar ideias aos outros, portanto não é o primeiro a faze-lo. Já um existe um projeto e em fase bem adiantada e a um preço abaixo dos 300 dólares para os primeiros que o suportarem. Mas nem só pessoas com deficiência auditiva os podem usar.

  5. art says:

    Já tinha feito há uns meses umas experiências muito simples com AirPods Pro (áudio em directo) numa pessoa familiar que ouve muito mal e precisa de usar aparelhos auditivos …e realmente posso afirmar que ela conseguia ouvir melhor com os AirPods Pro do que com audição natural ….conclusão : não são aparelhos auditivos específicos , mas ajudam …creio que com um audiograma seria fácil convertê-los para terem duas funções , ouvir melhor , e ouvir música , aquilo para que eles foram feitos ….eu uso-os muitas vezes para redução do ruído das cidades , quando estou na rua

  6. Rui Manuel says:

    Agora é só meter o Goucha a promover!

  7. Bruno Teixeira says:

    Bons dias.

    Penso que seja uma estratégia da Apple para intensificar a venda do produto…uma vez que estão abaixo do esperado nas vendas..

    Quem é portador desta condição sabe muito bem que não pode funcionar como um aparelho auditivo nem de perto nem de longe…pelo contrário o excesso de volume pode inclusive danificar os ouvidos.

    Sou portador desta condição desde nascença e só sei o que é “ouvir” normal com os aparelhos. Tenho esse mesmo equipamento identificado na publicação e o meu iPhone não indicou nunca que possuo uma perda auditiva..no entanto é de 50%..

    Fica a dica, não se deixem enganar por publicidades destas.

    Cumprimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.