PplWare Mobile

Tags: pornografia infantil

Apple analisa conteúdos da iCloud para detetar crimes de abuso a crianças

Recentemente, um funcionário da Apple revelou como é que a empresa de Cupertino deteta ficheiros com conteúdos ilegais através da iCloud.

Num altura em que tudo está praticamente ‘online’, por vezes a privacidade terá que ser violada em prol de valores maiores.


Linha Internet Segura registou 676 denúncias de Pornografia Infantil em 2019

Sendo hoje o Dia da Internet Segura, não chega dar conselhos, consciencializar e sensibilizar para os riscos e perigos. É igualmente importante falar em factos, na realidade que acontece no dia-a-dia na Internet que todos usamos.

Assim, a APAV divulgou as estatísticas de 2019 da Linha Internet Segura.


Facebook remove perto de 9 milhões de imagens de crianças nuas em 3 meses

Não temos dúvidas que o Facebook tem muitos aspetos positivos, mas tem-se pautado por vários escândalos ligados à manipulação da sociedade, spam, atrocidades no campo da privacidade, crimes de difamação, notícias falsas e conteúdos de cariz sexual.

Numa tentativa de controlo de um descontrolo anunciado, o Facebook fez saber nesta quarta-feira que os moderadores da empresa, durante o último trimestre, removeram 8,7 milhões de imagens de crianças nuas.


Blockchain da Bitcoin contém links para a Pornografia Infantil

A criptomoeda Bitcoin foi popularizada pelo submundo do crime. Era o meio de pagamento sugerido pelos criminosos porque “não deixava rasto”. A imagem da moeda virtual Bitcoin foi “limpa” pela imensa popularidade e crescente utilização no nosso dia a dia. Mas não quer dizer com isso que ficou “livre” dos meandros do crime da Internet.

Investigadores alemães encontraram centenas de links para pornografia infantil dentro da tecnologia subjacente a Bitcoin, a Blockchain.

Imagem ilustrativa pornografia infantil e blockchain


Facebook trama a BBC após e-mail com imagens pornográficas

Desde o final de 2015 que a BBC se encontra a fazer uma investigação relacionada com a pornografia infantil que existe na rede social Facebook e que esta não deteta nem elimina perante as denúncias.

No seguimento desta investigação, o Facebook foi contactado para uma entrevista que aceitou, com a contrapartida de receber antecipadamente as imagens que a equipa da BBC tinha conseguido encontrar na rede. Depois do envio das imagens por e-mail, o Facebook cancelou a entrevista e entregou as imagens enviadas pela BBC à polícia britânica.