Quantcast
PplWare Mobile

Tags: James Webb

JWST capta impressionante ampulheta de luz ao redor do nascimento de uma estrela

O Telescópio Espacial James Webb (JWST) captou uma imagem de uma estrela que ainda não terminou de se formar e é visível um disco de detritos que podem eventualmente se tornar planetas. Esta imagem, de um nascimento, foi captada a cerca de 450 anos-luz de distância e os pormenores são únicos, nunca antes percebidos pelos humanos.

O JWST captou uma protoestrela ou um protótipo de estrela. Este objeto é um candidato a uma estrela caso a sua massa seja grande o suficiente. Mas há mais dados interessantes nesta imagem incrível.


Há planetas “desaparecidos” na nossa galáxia e estamos mais perto de saber a razão

Este ano foi atualizada a lista de exoplanetas descobertos pela humanidade e este número excede agora 5.000. Além disso, existem ainda cerca de 9 mil candidatos que ainda não foi possível confirmar. Contudo, o tamanho dos exoplanetas encontrados sugere uma “lacuna”. Há planetas de um certo tamanho que mal conseguimos encontrar. Então, onde estão os planetas do tamanho da Terra?

Foi apresentado um novo modelo para a evolução dos planetas que possivelmente terá a respostas a esta pergunta que intrigou os astrónomos.


Telescópio James Webb da NASA capta imagens incríveis dos Pilares da Criação

O Telescópio Espacial James Webb tem-nos maravilhado com imagens do Universo até hoje impossíveis de obtermos. Quanto mais tecnologia colocamos no espaço mais percebemos o nada que até hoje descobrimos. Contudo, essa insignificância mostra-nos que existem estruturas que nos surpreendem pela sua beleza, como é o caso dos Pilares da Criação.

As últimas imagens disponibilizadas pela NASA, captadas por este telescópio, trazem um detalhe incrível de novas estrelas a formarem-se dentro de densas nuvens de gás e poeira. Vamos ver essas imagens.

Imagem dos Pilares da Criação captada pelo telescópio espacial da NASA James Webb


James Webb mostra Neptuno como nunca o vimos, com os seus gloriosos anéis

Não há dúvidas que o Telescópio Espacial James Webb veio mostrar o universo de uma forma como nunca o havíamos visto. Muitas das novidades trazidas para Terra mostram mesmo que até de planetas do nosso sistema solar há muito que nem demos conta. Um caso agora trazido a público é o do primeiro olhar sobre os anéis de Neptuno em 33 anos, e eles são gloriosos.

Conhecíamos imagens deste gigante gasoso tiradas, por exemplo, pela Voyager 2 ou pelo Hubble, mas nenhuma tem o detalhe e as novidades que o JWST trouxe.

Imagem de Neptuno captada pelo Telescópio Espacial James Webb da NASA


Uma lua há muito perdida pode ser responsável pelos anéis de Saturno

Saturno é um dos planetas mais deslumbrantes do nosso Sistema Solar. Os seus belos anéis fazem-no sobressair de praticamente todos os outros planetas que chamam a nossa região do espaço de lar. Esta beleza, e estes anéis, há muito que parecem quase místicos para os astrónomos. E para muitos, esses mesmos anéis têm permanecido um mistério. Contudo, uma nova investigação pode ter descoberto como apareceram os incríveis anéis que fascinam quem contempla o planeta.

Segundo os resultados da investigação, a origem dos anéis de Saturno é uma lua perdida há muito tempo.

Imagem de Saturno com os seus anéis