Quantcast
PplWare Mobile

Tags: exoplaneta

Descoberto planeta estranho, rochoso, coberto de lava e ventos à velocidade do som

Se a Terra, em tempo de pandemia, parece um sítio difícil, agora imagine viver num planeta rochoso, com ventos a milhares de quilómetros por hora que fustigam o solo provocando chuva de pedras. Segundo o que foi agora descoberto, o exoplaneta, uma superterra, encontrada pelo telescópio Kepler, pode efetivamente ainda ser um lugar pior.

Apesar de ter sido descoberto em 2018, o K2141b só agora foi estudado pelos cientistas da Universidade McGill, York e do Instituto Indiano de Educação e Pesquisa Científica em Calcutá. O planeta é estranho, muito estranho!

Imagem do exoplaneta K2-141b que está coberto de lava


Se as leituras estiverem corretas, há algo muito estranho neste exoplaneta

Uma equipa de astrónomos da Universidade de Kansas descobriu evidências de uma atmosfera em torno de um exoplaneta extremamente quente. Contudo, esta atmosfera não deveria existir e, se as leituras recebidas pelos cientistas estiverem certas, algo muito estranho se está a passar no exoplaneta tão quente e exposto a grandes quantidades de radiação.

LTT 9779b orbita a sua estrela, a LTT 9779, que é do tipo G8 localizada a 260 anos-luz de distância na constelação de Escultor. A estrela tem cerca de 2 mil milhões de anos e é rica em metais.


Cientistas dizem ter encontrado o primeiro planeta fora da nossa galáxia

A cada passo são descobertos novos exoplanetas na nossa galáxia e outros elementos que até ali eram desconhecidos. Aliás, o primeiro exoplaneta foi detetado em 1992 e, desde aí, milhares de outros foram já analisados pelos cientistas. Assim, estes estimam que a Via Láctea conte com cerca de 40 mil milhões de mundos.

Apesar de se encontrar a uma distância absurda da Terra, uma equipa de cientistas diz ter encontrado o primeiro planeta fora da nossa galáxia.


Deserto Neptuniano: Astrónomos descobriram um novo exoplaneta

Que o Universo é gigante já todos sabemos. Aliás, sabemos também que, dele, conhecemos muito pouco e que representa ainda uma incógnita muito grande. No entanto, a tecnologia permite que este seja cada vez mais explorado e, assim, vão sendo encontradas novidades, como um planeta ou um exoplaneta, que despertam curiosidade nos especialistas.

Assim sendo, uma equipa de astrónomos descobriu um novo exoplaneta no Deserto Neptuniano.


Há um planeta na nossa vizinhança que pode ter a capacidade de abrigar vida

Astrónomos europeus e americanos descobriram que a estrela GJ 273, uma das mais próximas da Terra, também conhecida como Luyten, tem um sistema planetário com dois planetas confirmados. Um dos planetas está na chamada zona habitável e os outros dois estão numa zona altamente improvável para abrigar vida.

A Estrela de Luyten é uma estrela anã vermelha na constelação de Cão Menor. Conforme as medições de paralaxe, esta está localizada a uma distância de aproximadamente 12,40 anos-luz (3,80 parsecs), sendo uma das estrelas mais próximas da Terra. Será que existe vida num planeta da nossa vizinhança?

Ilustração planeta GJ 273b na orbita da estrela Luyten