Quantcast
PplWare Mobile

Tags: exoplaneta

Astrónomos descobrem um raro exoplaneta semelhante a Júpiter sem nuvens nem neblina

Uma equipa de astrónomos norte-americanos descobriram um raro exoplaneta com muitas similaridades a Júpiter, mas sem nuvens nem neblina na atmosfera. Este é o segundo corpo celeste deste tipo observado pelos cientistas.

O corpo celeste WASP-62b encontra-se a 575 anos-luz de distância do nosso planeta. Este astro tem aproximadamente metade da massa de Júpiter.

Ilustração de exoplaneta WASP-62b


Raro Planeta “algodão doce” está a intrigar os astrónomos

A procura constante por respostas leva os astrónomos a novas descobertas, algumas delas que contrariam completamente o conhecimento que se julgava seguro. Por exemplo, existe uma categoria rara de planetas, denominada “superpuff” ou “algodão doce”, que intriga os astrónomos. Isto é, são mundos gigantes, cobertos por um imenso envelope de gases que lhes conferem um tamanho incrível. Contudo, estes pesos plumas têm muito baixa densidade, uma vez que têm núcleos sólidos menores do que os de Júpiter e Saturno, os nossos gigantes gasosos.

Um caso que está a desafiar particularmente a comunidade científica é o exoplaneta gigante WASP-107b.


Descoberto planeta estranho, rochoso, coberto de lava e ventos à velocidade do som

Se a Terra, em tempo de pandemia, parece um sítio difícil, agora imagine viver num planeta rochoso, com ventos a milhares de quilómetros por hora que fustigam o solo provocando chuva de pedras. Segundo o que foi agora descoberto, o exoplaneta, uma superterra, encontrada pelo telescópio Kepler, pode efetivamente ainda ser um lugar pior.

Apesar de ter sido descoberto em 2018, o K2141b só agora foi estudado pelos cientistas da Universidade McGill, York e do Instituto Indiano de Educação e Pesquisa Científica em Calcutá. O planeta é estranho, muito estranho!

Imagem do exoplaneta K2-141b que está coberto de lava


Se as leituras estiverem corretas, há algo muito estranho neste exoplaneta

Uma equipa de astrónomos da Universidade de Kansas descobriu evidências de uma atmosfera em torno de um exoplaneta extremamente quente. Contudo, esta atmosfera não deveria existir e, se as leituras recebidas pelos cientistas estiverem certas, algo muito estranho se está a passar no exoplaneta tão quente e exposto a grandes quantidades de radiação.

LTT 9779b orbita a sua estrela, a LTT 9779, que é do tipo G8 localizada a 260 anos-luz de distância na constelação de Escultor. A estrela tem cerca de 2 mil milhões de anos e é rica em metais.


Cientistas dizem ter encontrado o primeiro planeta fora da nossa galáxia

A cada passo são descobertos novos exoplanetas na nossa galáxia e outros elementos que até ali eram desconhecidos. Aliás, o primeiro exoplaneta foi detetado em 1992 e, desde aí, milhares de outros foram já analisados pelos cientistas. Assim, estes estimam que a Via Láctea conte com cerca de 40 mil milhões de mundos.

Apesar de se encontrar a uma distância absurda da Terra, uma equipa de cientistas diz ter encontrado o primeiro planeta fora da nossa galáxia.