Play Store: Google vai punir aplicações mal concebidas

Por António Ferreira para Pplware.com

Destaques PPLWARE

17 Respostas

  1. Vitor says:

    É precisamente a “isto” que me refiro quando escrevo que não vale a pena ter uma “loja” com dois milhões de apps…quando 1,5 milhões nada valem e ainda “atrapalham” o funcionamento do “aparelho”!! Prefiro a qualidade à quantidade…mas a “propaganda” da quantidade continua a resultar!!

    • macacOS says:

      E no entanto uma app que não vale nada para a grande maioria pode valer ouro para alguns, que não se deviam ver privados da mesma.

    • Daniel says:

      Eu na verdade prefiro ter todas as necessidades cobertas e qualidade, nisso a store do google não desaponta.
      E está longe de ser o 1/4 que tentas dar a entender (é precisamente o inverso), só que basta uma má app para estragar a experiência de utilizador, daí mesmo podendo ser somente 1/8 ou 1/4 de apps más basta ter o azar de instalar uma e que haja uma actualização dessa app que faça drenar a bateria como doido (o facebook é um bom exemplo, há um par de meses tive de desinstalar o facebook momentâneamente pois um update fazia gastar-me a bateria no espaço de poucas horas, quando com uso normal dá-me dia e meio a dois dias, 4100mAh).

    • joao magalhaes says:

      Como se fosse necessário a google store para instalar o que eu quiser na minha máquina, sem duvida que prefiro 2 milhões de apps e ser eu a escolher o que é bom para mim ou não do que querer e não ter. Quanto à qualidade, ainda recentemente a Apple removeu da sua store centenas de milhares de Apps que não estavam actualizadas porque o programador simplesmente as tinham abandonado, enquanto não foram removidas a qualidade devia ser de topo. No meio dessa “propaganda” encontras apps que provavelmente são de grande qualidade, mas lá está, no meu ver mais vale ter e poder escolher do que não ter.

    • Aníbal says:

      https://www.statista.com/statistics/276623/number-of-apps-available-in-leading-app-stores/
      Google Play – 2,8 milhões
      App Store – 2,2 milhões
      Windows – 669 mil

  2. diogomm92 says:

    A Google está a querer, finalmente, tornar um sistema mais seguro, forçando os programadores também a pensar em segurança e estabilidade. Como já foi dito aqui , quantidade não se reflete em qualidade, e nesse aspecto, a Google deixou-se “atrapalhar”, mas parece agora tomar um bom rumo.
    Estou muito curioso do que vai sair da Google nos próximos meses ou mesmo anos.

  3. macacOS says:

    O mercado já trata de tirar visibilidade ás “más aplicações”, ninguém melhor que os utilizadores para classificar a qualidade (visivel) das apps.
    Que a Google não caia no erro da Apple, de decidir pelos utilizadores, de partir do principio que somos todos iguais, tipo rebanho.

  4. Patrick says:

    Não me digam que a Google vai punir a sua própria app da PlayStore…

  5. César Oliveira says:

    Eu defendo que sites dentro de aplicativos devem ser eliminados da Play Store.

    Com essa atitude a Google removeria 80% do lixo que há na Play Store.

  6. falcaobranco says:

    Excelente atitude!

  7. Miguel says:

    Se em 2015 comparássemos a Windows Store e o Google Play o segundo tinha mais aplicações mas muito mais lixo…

  8. José Gomes da Cruz says:

    Play store não funcionar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.