PplWare Mobile

Veículos Elétricos: Mais um recorde batido em setembro

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Rui says:

    É natural será sempre um gráfico em ascensão, os veiculos a combustão vão deixar de ser vendidos em 2030 isso aliado ao preço dos combustiveis as pessoas já pensam sempre duas vezes antes de comprar um carro a combustão

    • Naodouonome says:

      Nem todos tem interesse num carro eléctrico, pelo preço, autonomia, carregamentos, etc etc.

      • Toni da Adega says:

        Com interesse ou não daqui a uns anos comprar carros a combustão deixará de ser uma opção.

        • Mr. Y says:

          Não necessariamente, vai continuar a ser possível comprar usados.
          Agora a questão é saber como estará o preço dos combustiveis e a rede de distribuição

          • Toni da Adega says:

            Esta notícia e dados diz respeito a veículos novos.
            No mercado de usados irá sempre ser possível. Até daqui a 100 anos

          • Gonçalo says:

            Toni da Adega: Sim isso claro que sim em 2030 deixam de ser vendidos carros novos a combustao o mercado de usados vai durar muito mais tempo ainda hoje se vendem carroças por ai mas o mercado vai mudar bastante ate em termos de mecanicos

          • RC says:

            Não é bem 2030, na melhor das hipóteses 2035.

            A pergunta que se faz é se nessa altura ainda pensam em andar num veiculo a combustão.

          • Toni da Adega says:

            Os mecânicos que não se adaptarem fecham portas, ou trabalham para um nicho muito especifico, tão simples como isso.
            Conheço muitos que andam a fazer formacoes e aprender.

            Todo o profissional tem que se adaptar se quiser evoluir.

          • RC says:

            Nem mais, existem vários centros de formação em PT com cursos para esta área.

        • PTO says:

          Isso não quer dizer que não se possa continuar a usar os que já temos por muitos mais anos.

    • Joao says:

      Nao tenho interesse em carro elétrico aliás só quando não puder mesmo circular com o meu diesel e que mudo para eletrico

      • RC says:

        Todos dizem isso até experimentarem.

      • Rui says:

        Todos diziam o mesmo da carroça e do carro, mas é a vida há pessoal que gosta de pagar p gasoleo a 2€ o litro

        • PTO says:

          A diferença no valor de compra de um carro elétrico decente para um de combustão, dá para meter gasóleo por uma década.

        • Infinity says:

          Não te preocupes que o preço da electricidade logo sobe. Além que o gap entre o preço de um carro a combustao/hibrido para um electrico, da para pagar o combustivel, manutencao, seguro e ir de ferias. pois ao fim de uns 10 a probabilidade de ter que trocar de carro electrico ou baterias nao fica barato

          • RC says:

            Se subir sobe para todos, até na gasolina porque depende de muita electricidade.

            Ate pode dar para algum tempo, até que se acaba. As mesmas contas se faz em relação anum gasolina e gasóleo, porque os preços são diferentes.

            Tem de trocar ao fim de 10 anos porquê? Já trocou no seu ?

            Entao o futuro é o hidrogénio e combustíveis sintéticos, para esses a electricidade nao aumenta.

          • Rui says:

            Eu antes pagava 120 em gasolina agr pago 20 em eletricidade pode subir ? pode mas no dia que subir muito meto 5 paineis solares em casa com uma bateria e mando a EDP dar uma volta e abro já aí um negocio de carregadores com paineis e baterias para os vizinhos carregarem e em vez de pagarem à EDP pagam a mim que faço desconto, a questão aqui é que a eletrecidade tem sempre uma solução metes um macaco a rodar uma manivela e carrega te o carro, o petroleo nao pode fazer um buraquinho no chao para o ir buscar tens sempre de estar dependente de uma economia enorme de extração trasporte refinação transporte bomba de combustivel é uma cadeia enorme com margens para cada um mais os impostos são mundos paralelos sao tipos de energia completamente diferentes

          • Infinity says:

            @RC e achas que as baterias ao fim de 10 vão estar em condições de ter autonomia de jeito? Eu espero que o futuro seja o hidrogénio
            @Rui e quanto pagaste pelo carro? é que até teres algum retorno ainda vai demorar

          • RC says:

            Tenho a certeza, até porque tenho mais que uma nessa situação.

            Ah, para esses já existe energia com fartura e barata !!! LOOOOL

            Então porque não compra um carro eléctrico a hidrogénio ? esses também são baratos ? Já agora quanto custa fazer 100 kms num carro desses ?

            Então e as baterias nos carros a hidrogénio já duram mais de 10 ? e as pilhas de combustível ? que segundo os ultimos dados duram entre 2000 a 4000 horas, recordo que nenhum fabricante garante mais de 10 mil horas de uso.

            Ah e não se esqueça dos tanques de hidrogénio, que a toyota recomenda serem testados a cada 5 anos (ou seja, desmontá-los do carro e tens de ser testados em ambiente controlado) e ao fim de 15 serem substituídos.

      • freakonaleash says:

        Interesse tenho, guito é que não!
        Stop being poor!

    • David Guerreiro says:

      Pelo que já foi falado, há quem esteja a pagar imenso pelos carregamentos, e a tendência é aumentar o custo nisso também.

      • RC says:

        Acredito que sim, pelo menos quando são azelhas e deixam lá o carro o dia inteiro, tal como muitos faziam quando era à borla, como não se pagava “olha que belo estacionamento gratuito”.

        Mas olhe, quando ver um a queixar-se, diga lhe isso, já que está tão preocupado.

      • Rui says:

        sim os carregamentos na rua raramente compensam o que compensa é carregar em casa mas mesmo assim comparando os carragamentos de rua com o preço do combustvel nao tem nada a ver

  2. Naodouonome says:

    Enquanto isso estou a espera que um hibrido desde outubro, a partida será entregue final do primeiro trimestre, atrasos devido a falta de componentes.

  3. johnnydeep says:

    se as pessoas não fossem egoístas, ignorantes e se unissem nada do que estamos a viver hoje, e que certamente vai ser pior amanhã, era uma realidade!

    • RC says:

      Egoista parece ser você, que quer escolher pelos outros.

    • Luís Costa says:

      Mesmo, o facto de terem caído nas baboseiras dos elétricos está agora a vista o que estamos a pagar pelas outras energias.. quiseram dar um passo maior que a perna

      • RC says:

        Terem caído ? Então ?

        Qual a solução ?

      • David says:

        Eu cai que nem um patinho antes pagava 120€ de gasolina agr pago 20 de eletrecidade caí mesmo que nem um patinho

        • RC says:

          Eu também caí, mais um patinho… ehehehe, antes gastava 70 a 90 euros de electricidade em casa, depois de ter veiculo electrico passei a pagar entre 90 a 120, isto para uma média de 2200 kms por mês.

          Entretanto instalei painéis solares e uma bateria, que me custou tudo pouco mais e 5 mil euros, agora pago 12 a 28 euros por mês de luz, deixei de gastar gás que era mais 40 a 50, e antes disso tudo ainda gastava mais de 150 euros (antes dos aumentos) em combustíveis.

          Incrível como as pessoas caiem nestas coisas….

        • Infinity says:

          E quanto custo o teu carro?

  4. Naodouonome says:

    Isso é basicamente treta.
    A EU está a forçar os fabricantes a investir no desenvolvimento dos eléctricos, mas por outro lado a Alemanha é super protectora das suas marcas, ou seja se as marcas extrangeiras não atingirem o marco é um problema deles mas será sempre extendido pras marcas nacionais.

  5. Infinity says:

    Quantos desses carros são viaturas para empresas?

  6. Manuel Cruz says:

    Quando perceberem que a rede eléctrica não aguenta a massificação deste veículos sem investimentos brutais, quer na rede de transporte e distribuição, quer em produção de capacidade fixa para satisfazer o aumento da carga-base da rede, e que esses investimentos serão pagos por grandes aumentos na factura da electricidade, talvez abram os olhos…
    Fora a possibilidade de apagões a curto prazo por incapacidade da rede em suportar a procura existente.

  7. secalharya says:

    Tirem os benefícios fiscais aos mais ricos e empresas e as vendas de elétricos cai a pique.

  8. RC says:

    O interessante é que já se vendem mais BEV que PHEV.

  9. Micas says:

    Um carro elétrico após 8, 10 anos não vale nada para revenda, pois as baterias são mais caras do que o valor do próprio carro e a reciclagem de lítio ainda é um grande problema, sem contar a autonomia e o tempo de recarga.

    O engenheiro Paulo Almeida, da Área Departamental de Engenharia Eletrotécnica, Energia e Automação (ADEEEA) do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL) explica que as baterias dos automóveis elétricos, na grande maioria, “têm capacidade para fazer cerca de 500 ciclos de carga/descarga”. Isto traduz-se “numa vida útil (mais de 75% da capacidade inicial) de oito a 10 anos e 150 a 200 mil quilómetros. O fim da vida útil de uma bateria num veículo elétrico atinge-se quando esta apresenta uma capacidade menor que 75% da capacidade inicial”.

    De acordo com o especialista do ISEL, “o veículo pode continuar a ser utilizado, mas tem de ser carregado mais vezes e a sua autonomia será cada vez menor, limitando a sua utilidade”. O Automóvel Club de Portugal (ACP) até compara a bateria de um carro elétrico com a bateria de um telemóvel, caraterizando o “desgaste” como “inevitável”.

    Todas as baterias são constituídas por módulos que por sua vez são constituídas por células. O que varia entre diferentes fabricantes são os processos de fabrico destes módulos. Há fabricantes em que é possível substituir uma célula de um módulo e há outros em que isso não é tecnicamente viável”, clarifica Paulo Almeida. Efetivamente, é possível trocar os módulos da bateria. No entanto, avisa o especialista, “existem baterias construídas por apenas três ou quatro módulos, o que significa que trocar um módulo é trocar um terço ou um quarto da bateria. A capacidade de uma bateria é sempre limitada pela capacidade da pior célula”.

    O engenheiro garante que, quando essas baterias se encontram fora da garantia, podem ter “uma segunda vida” fora do automóvel, nomeadamente “para fazer armazenamento de energia elétrica proveniente de fontes renováveis”. No entanto, substituir toda a bateria sem garantia é caro e pode, realmente, exceder o valor residual do veículo. “A bateria é o componente mais caro de um veículo elétrico. Eu não conheço nenhum fabricante a propor a substituição da bateria fora da garantia por menos de 15 mil euros”.

    • RC says:

      Arranje lá 3 carros com essa idade que não valham nada que eu fico com eles.

      Mau, afinal já dura mais de 8 anos ?

      Olhe, eu tenho um com 24 anos e ainda anda.

      Não, reciclagem do litio já está a deixar de ser um problema, consulte a NorthVolt, que já faz bateiras para a Volvo, Li-Cycle, Duesenfeld, RedWoodMaterials, todas elas já reciclam litio das baterias.

      Além disso é um processo de evolução, durante décadas também não se reciclavam óleos lubrificantes usados, onde eram enterrados, agora são reciclados.

      Autonomia para si é um problema ?

      Tempo de carga ? para mim são 20 segundos por semana.

    • Rui says:

      1 – Grande Paulinho ahahah esse gajo devia ser uma caso de estudo serio ahah mas esqueces te de referir que esse gajo a teve uns 3 eletrciso
      2 – Arranja la esses eletricos que nao valem nada que eu fico ja com dois

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.