Quantcast
PplWare Mobile

Tesla Model S com 682.000 quilómetros mostra uma realidade que muitos duvidam

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Unknown says:

    ”tinha já conseguido percorrer 402.000 quilómetros.

    Na verdade, este é um número que está muito acima do que é típico para a vida útil de qualquer automóvel.”

    Que automóvel hoje em dia n aguenta 400 mil km principalmente se tiver apenas 6 anos de vida? Essa nao percebi mas falem com taxistas e nao digam coisas sem sentido.

    Uma coisa é ter-se um carro de 1990 com um motor que ja sofreu com o desgaste do tempo e aguentar pouco, outra é um carro com meia duzia de anos a circular muito e aqui, fazem 1 milhao de KM se for preciso apenas com as devidas manutençoes. Afinal de contas 7 anos mal da para criar ”ferrugem” e o desgaste de um carro com 15 anos ou 20 onde as borrachas ja estao secas e a estalar, a pintura gasta, peças enferrujadas.

    • Louro says:

      Tirando secalhar em Portugal onde muitos compram um carro com 10 anos para que ele dure mais uns 10, é relativamente raro ver carros com mais de 300 mil km percorridos e a média anda nos 200 mil mais coisa menos coisa.

      Eu pessoalmente, tenho um Model S, 2014, já conta com mais de 400 mil e só trocou a bateria uma vez ainda dentro de garantia (defeito de fabrico).

      Os 7 anos mal dá para criar ferrugem, depende do país onde circular, no entanto a manutencao de um carro elétrico é muito, mas muito mais baixa que qualquer ICE.

      • Pedro F. says:

        Compro frequentemente carros com 2 ou 3 anos com 100 a 150 mil kms e faço-lhes outros tantos em mais 2 ou 3 anos…
        Problemas? Zero. Sejam meganes, lagunas, leons, ou passats…
        A escolha recai normalmente na megane porque anda a vapores…

        • André Martins says:

          Tive um Megane 1.5 DCi 105 CV.. Dizer que andava a vapores é muito.. Cheguei a fazer médias de 4,2 naquilo.. Mas claro, outros virão dizer que é mentira 😀

          Lixado foi quando os injectores foram à vida.. Crónico nos DCi.. Enfim.

          • Pedro F. says:

            É o meu carro de escolha. Compro por 13mil com 3 anos de garantia, espeto-lhe 150mil a 200mil e não se passa nada. Cheguei a fazer 3,8 em viagens longas a andar como andam os EV a cumprir os limites.
            Contas feitas, um EV não compensa para mim. É perder tempo e dinheiro. E não faço como a malta que tem EV que mede os consumos pelo melhor caso da folha de especificações. Falo de consumos reais.

          • RC says:

            Quanto gasta no total para fazer esses kms ?

          • Pedro F. says:

            Eu em 2018-2021 (janeiro a março) fiz pouco mais de 160mil km e gastei cerca de 8200€ em combustível, e em manutenção/IUC sei que passou por pouco dos 1000€ mas não tenho agora os valores certos.
            Comprei a carrinha por 13500€ e vendi-a por 7500€.
            Ou seja, gastei 6000€ para fazer 160mil kms…
            Estou a ignorar pneus e seguro que isso é igual em todos os carros…

          • RC says:

            Nas minhas contas dá:

            8200 + 1000 + 13500 – 7500 = 15200.

          • RC says:

            Só com o valor do combustivel eu faço 700 000 km na minha partner eléctrica.

          • Pedro F. says:

            Estava a falar do custo do carro que depois do vender fiquei sem ele e foi dinheiro que perdi.
            Em relação á partner, primeiro não dura 700mil kms.
            Depois onde é que ela te faz consumos desses? Nas descidas?
            Já para não falar da comparação de uma partner com uma megane…

          • RC says:

            Não dura porquê ? Conhece alguma destas que não tenha durado?

            Consumos: 13kwh/100 * 0.088 (tarifário galp mobilidade electrica já com IVA) = 1.144 euros a cada 100 kms * 7000 = 8008 euros.

            Você falou numa carrinha, pensei que se tratava de uma carrinha comercial.

          • RC says:

            O dinheiro que perdeu é aquele que gastou com ela em operação, para mim tudo são custos, porque isso é que para uns dá a conta para outros não, mas estas coisas tudo conta.

          • Pedro F. says:

            Ah, és daqueles que diz que a média é.9 melhor consumo que fez até hoje e acha que para meter 1kw de carga numa bateria DC só gastas 1kw de energia AC… OK… Então a minha carrinha gasta menos de metade do que eu disse…
            E é como digo, para mim não compensa porque é uma perca de tempo e dinheiro.
            Já agora, tem quantos anos, e kms e como está a saúde da bateria?

          • RC says:

            Isto é o consumo que aferi num monitor de consumo que tenho instalado, como deve imaginar uma carrinha de 1998 não mostra consumos. e sim, tem razão, nalguns veículos o consumo mostrado não relata o que sai da tomada, nessa altura há que adicionar uns 5 a 8% mais, mas não o meu caso, porque a carrinha não tem nada destas tecnologias, o máximo que mostra é um ponteiro analógico com zona verde, amarela e vermelha do consumo instantâneo atual, sem qualquer numero. Idêntico aos que os veículos a combustão dessa altura têm para o consumo instantâneo.

          • RC says:

            Sobre a carrinha, tem 23 anos, 250 mil, mais de metade metidos por mim nos últimos 3 anos, 3 anos desde que meti uma bateria maior, não que a que tinha tivesse pifado, mas porque não tinha autonomia que me chegasse. Estava e deve estar ainda já que está em uso na mesma no meu sistema solar, com 83 %, isto depois de vários testes de carga e descarga que fiz.

            Em 2018 meti parte de uma bateria de um tesla batido, que é a que tem hoje, o dinheiro que gastei na altura já o recuperei com o uso dela, bastava fazer 80 mil km comparativamente se tivesse usado uma carrinha idêntica a gasóleo. Já fez bem mais que isso e está de boa saúde, era de um carro com 4 anos na altura, portanto esta bateria já tem uns 8 anos.

          • RC says:

            Peço desculpa por mais uma mensagem, é que esse custo não contempla os carregamentos que consigo fazer nalguns dias de semana e durante o fim de semana com o meu sistema solar, esse é o custo se carregar em casa de noite, deve perfazer 40 a 50% das vezes que carrego, portanto o meu consumo real é bem menor, sobre os paineis, claro que tiveram um custo, mas sobre o que pagava e pago agora, em 4 anos tenho o dinheiro recuperado, cerca de 5000 euros.

            Como vê, estas coisas por vezes não é dar ou não dar, é uma questão de perspetiva, você gastou 15200 euros para fazer pouco mais de 160 mil kms e já não tem a carrinha, eu gastei cerca de 13 mil euros (8 mil para a carrinha + 5 para os paineis) e tenho tudo por cá, com a possibilidade de poupar 1000 euros ano em gastos de electricidade durante pelo menos os próximos 25 anos, e uma carrinha que apesar de velha vai continuar a fazer pelo menos 25 mil kms ano durante muitos mais. poupando outros +- 2250 euros em gasóleo por ano.

          • Louro says:

            4.2 lol

            Como te disse em outro lado lá mais para baixo, tens de fazer as médias a mao, se te guiares pelo CB tens uma margem de erro grande.

          • Louro says:

            @Pedro F.
            Dizes ter feito medias de 3.8, entao quer dizer que a marca anuncia o que? 1 litro aos 100? lol

          • Pedro F. says:

            RC, são realidades diferentes. Uma carrinha com uma média de 30km por dia não me serve de exemplo. Espeto 2000km na carrinha numa ida a Barcelona em 2 dias e numa dessas demorava 1 semana para cada lado… É como digo, para mim, uma perca de tempo e dinheiro.
            Louro, não sei quanto anuncia a marca mas podes pesquisar que tens essa informação disponível. Cheguei a ir de Leiria ao Algarve e a chegar com autonomia para maid de 1000km. É certo que fui pela nacional a 90-100 mas se achas esses consumos estranhos então só te digo que andas ao engano como muitos… Se desse para meter aqui ainda deixava a foto que tirei quando cheguei ao Algarve…
            Experimenta fazer 100km no teu carro a 90km/h onde não tens ninguém a estorvar e depois diz-me o que é que é errado nos consumos que anunciei…
            Em relação ao CB não sei a que te referes. Quando falo em consumos falo do que gasto em combustível e nos kms que faço… Confio apenas no conta quilómetros e no talão do posto de combustível.

          • Pedro F. says:

            RC, que potência de painéis solares é precisa para carregar um carro com a bateria de um Tesla?

          • RC says:

            Pode não servir para o seu caso, serve para a grande maioria , já que a média de kms do condutor português é bem menos de metade da minha.

            Eu tenho 4 kW de painéis, atenção que não é uma bateria de um tesla, é parte de uma, na verdade é metade.

          • RC says:

            No carro que ele tem 100 kms a 90kmh deve gastar uns 20 % de bateria. Na minha carrinha uns 25%

            Raramente ando abaixo de 110 e autonomia é coisa que nunca me preocupou, na verdade nem sei qual a autonomia dela, nunca a carreguei a 100%, os 350 kms que tem de autonomia serve me perfeitamente.

          • Pedro F. says:

            Nunca pensei que 4kw de painéis solares desse para carregar a bateria de um EV…

        • Louro says:

          @Pedro F.
          Problema absolutamente nenhum, cada um compra aquilo que quiser.

          Eu pessoalmente nao compro carros usados, muito menos com tantos km já percorridos sem eu saber o historico.

        • Vitolas says:

          O que andava a vapores eram os 1.5D dos PSA, não se mexiam é um facto mas eram motores para fazer facilmente 500mil km.

      • Paulo Rebelo says:

        200 000? Ok, na minha casa houve uma Scenic que vendi com 500 000 e ainda circula, tenho um Terrano com quase 400 000 e que não tenciono abater enquanto houver gasóleo e um Clio 2 com quase 300 000. Na verdade fico admirado é de as baterias de um Tesla aguentarem 600 000 km, muito admirado mesmo, principalmente com o advento das cargas rápidas, coisa que eu não acredito ser compatível com longa duração.

        • RC says:

          A tesla tem um eficiente sistema de refrigeração, as cargas rápidas provocam aquecimento nas baterias, devido à passagem de correntes altas, se o sistema de refrigeração for bom, não provocam degradação acima daquela que é esperada com o uso.

          Se estes já duravam bastante, as novas já são para mais de 1.6 milhões de kms.

          Certo que se vê muito veiculo a andar com muitos kms, mas o que levaram ao longo da vida ?

          • Paulo Rebelo says:

            Caríssimo RC, embora tenha ali há mais de dois anos, um saco de plástico que terá neste momento cerca de 3 Kg de pilhas velhas, por não haver aqui na minha zona sítio para as meter para reciclagem e, por isso, as baterias dos carros a baterias me meterem muita confusão por, na certa no futuro virem a ser um grande problema, não é minha intenção dizer que um carro com motor de combustão interna é melhor ou mais barato que um carro a baterias. Na verdade não acredito que o meio de locomoção do futuro sejam carros a baterias, acredito sim no hidrogénio, que esse seja o futuro, mas o que mais me desagrada nesta história dos carrinhos a pilhas, é que parece que agora é a panaceia do momento, enquanto que há cinco – dez anos atrás, não eram coisa a ter em conta. Portanto, não me faz sentido nenhum que quem está servido de meio de locomoção, seja pressionado para abandonar o que tem, para adquirir veículos eléctricos, o que isto me parece é vigarice e negociata, não é o ambiente que os move, aos grandes defensores do ambiente, é o negócio.
            Já agora, tenho muitas dificuldades em acreditar que baterias de lítio venham a conseguir fazer 1 600 000 km, mas pronto, não é esse o cerne da questão, nem o que me motiva é dizer que o dieselm ou a gasolina é melhor que as baterias, é sim a moda, a forma como isto está a ser feito.

          • RC says:

            Paulo, faz lhe confusão porque anda mal informado, começa por comparar pilhas com baterias, como devia saber, são coisas diferentes, não sabe o que fazem as baterias dos carros que usa ? E dos óleos que saem do cárter ? Também se preocupa ?

            Depois não sabe o que é um carro a hidrogénio, esse sim o verdadeiro carro pilhas, já que funciona com 2 tipos de pilhas, as baterias tal como os híbridos e as pilhas de combustível. Já agora e se é um petrolhead ambientalista, veja o estudo do ICCT sobre as emissões globais dos veículos de passageiros, onde estão incluídos os a hidrogénios, estão equiparados aos a gasolina com o mix energético atual, só ficam melhores quando a totalidade da energia for renovável , ainda assim muito piores que os eléctricos só de baterias(só devido ao que disse antes)

            Sobre este estudo não me venham com outros argumentos, se sabem mais que esses e os da T&E candidatem se ao lugar.

            Sobre a duração secalhar se lhe mostrar uma viatura eléctrica com 23 anos e a andar com a bateria de origem também vai dizer o mesmo, mas está aí e anda todos os dias.

          • Paulo Rebelo says:

            Caaro, já nem sei porque me meti nesta conversa, pois verifico que o meu caro, tal como os outros, é um fundamentalista convencido que sabe mais que os outros. Refiro-me aos carrinhos de pilhas porque é a forma depreciativa que uso para apelidar uma tecnologia antiquíssima que apenas inovou no tipo de baterias que utiliza e que, apesar de toda a publicidade, vende carros com b aterias que custam mais que o próprio carro.
            Também a certeza que lhe perpassa pela cabeça de que eu não tenho ideia do que é o hidrogénio, é de um convencimento absurdo, talvez induzido pelo nome de “pilha de combustível”, não conheço de facto a tecnologia inerente ao hidrogénio, mas sei que é uma tecnologia que dá os primeiros passos e que ainda se desenvolve.
            Sobre os “estudos”, acho piada a esse dogma e acho hilariante e idiótica a beatificação do dogma, pois um “estudo” que não leva em conta o aumento da população que em 70 anos cresceu de 2 500 000 000 para 8 000 000 000, não é estudo, é uma campanha publicitária, pois no limite, arriscamos-nos a ser afogados na trampa produzida pelo aumento populacional, mas graças ao estudo, o mundo vai ficar limpo da queima de combustível fóssil. Não sei mais que quem o fez, mas não me importava de ter um dos seus lugares, pelo menos tinha a subsistência assegurada. Acho interessante ainda que o mal sejam os veículos a gasóleo ou a gasolina e não sejam as turbinas dos aviões que o sr usa para passear, é sinal de que sabe bem como a coisa funciona e que “come” a ideia vendida que “os aviões gastam muito combustível, mas trasportam muita gente” . . . curiosamente, esses transportadores devem ser óptimos para o ambiente, pois não são pagos impostos sobre o combustível de avião . . .
            A sério, nem sei para que meti em tal conversa, ainda pensei que houvesse opiniões sérias e que se conseguisse manter um debate com interesse, mas a sua é tal e qual como a de outros que já por aí li que comparam custos de uns e outros e que dizem que “o seu” é melhor porque gasta menos, ou não precisa de manutenção, ou custo benefício melhor, eu sei lá, na verdade “o meu”, é apenas o que tenho e que, apesar de qualquer tendencioso estudo de icct, não tenciono substituir porque a minha vida pretende ser um pouco mais do que criar sucata a comprar carros novos.

          • Paulo Rebelo says:

            já agora e para finalizar, mesmo, para que lhe conste, posso não saber nada da tecnologia do hidrogénio, mas sei que os carros a hidrogénio são veículos eléctricos . . . mas também sei que o hidrogénio põe um motor de combustão interna a trabalhar, portanto, o hidrogénio é uma tecnologia que está no começo; os carrinhos a pilhas são movidos que uma tecnologia que não aprovou há 100 anos atrás e que não vai aprovar agora, é apenas moda, bem como o nome do seu carro, Tesla, que se podia ter ficado pela corrente alterna e ser lembrado por isso, mas que vai ser lembrado por ter dado nome a um carro caríssimo e que vai fracassar.
            OK, esta última parte foi para a brincadeira provocativa, mas de facto, carrinhos de pilhas é coisa de brincar e apenas são a moda do momento, as Barbies de quem tem dinheiro para gastar.

          • RC says:

            Não fique chateado e comece a disparar e fundamentalismos e outros ismos, quando não temos razão aliviamos o orgulho e aproveitamos para aprender em vez de tentar tirar o sarro como dizem os brasileiros.

            Não perca tempo a arranjar desculpas para o hidrogénio, e sim sei muito sobre ele até porque já trabalhei com essa tecnologia, e não não é nova, as fuel cells foram inventadas à quase 2 séculos , baterias de ions de lítio têm pouco mais de 20 anos.
            E também não são novos desde 1966 que se investe em carros a hidrogénio, pode começar pela GM Electrovan. Meta list of fuel cell cars no Google e vai contar as dezenas de protótipos que já existiram.

            Sobe combustão é verdade sim, mete um motor a combustão a trabalhar e anda, mas procure o resultado dos testes do toyota corola em pista , duvido que depois dos testes em agosto volte a ouvir falar dele. Das 24 horas andou 12, metade nas boxes, 4 horas em abastecimentos para 1600 kms, nem um eléctrico leva tanto tempo para estes kms, 45 kms de autonomia por depósito e gastou 230 euros de hidrogénio por cada 100 kms, considerando que foi em pista com uma média relativamente baixa, 137 kmh, acha que é este o futuro ? Um carro a consumir 80 a 100 euros por 100 kms ?

            Sobre a poluição, fala dos aviões e também podia ter falado dos navios, e não se esqueça dos navios que transportam petróleo, mas fala por isso mesmo, porque os gajos do ICCT já tinham mandado estudos cá para fora sobre isso, não se lembra do artigo que os navios poluíam em termos de SOx mais que os carros ? Pois é, são dados deles, e muitos outros, o escândalo diesel , os híbridos a poluir mais que o anunciado quando não carregados nas tomadas, todos esses artigos vêm desses gajos.

            Fique bem e Boas Festas.

          • RC says:

            Fica aqui o link do resultado do teste ao corola, na mesma página tem outro link onde mostra o aparato de camiões para poderem abastecer o carro.

            https://toyotatimes.jp/en/insidetoyota/150.html

          • RC says:

            A moda agora é dizer bem de uma coisa que ainda não deu provas do que consegue e mal de uma que dá provas do que faz, ainda por cima dito por pessoas que não testaram nem uma nem outra.

        • RC says:

          Eu não tenho nenhum tesla, tenho uma peugeot partner electrica de 1998 e um 106 eléctrico de 2002.

    • gustavo says:

      qual é o carro com mais de 300cv dura 400mil ?! diz para eu comprar um
      sem contar que se falarmos de manutenção, óleos, correia de distribuição e etc…

    • Jon says:

      Eu por exemplo tenho o meu a 30 anos e tenho mais de 400k kms feitos e ainda rola mais uns 400k se for preciso

    • Jon says:

      Eu por exemplo tenho o meu carro a 30 anos e tenho mais de 400k kms feitos e ainda rola mais uns 400k km se for preciso!!

      • RC says:

        E quantas peças levou ? é que aqui fala-se em troca por ser em garantia, como sabe as marcas não reparam nada em garantia.

        Se fosse fora da garantia qualquer um daqueles equipamentos dava para reparar com custos aceitaveis.

  2. jardineiro says:

    Como isso deve ter custado 10x mais que um carro normal que faz na boa 300000km, não sei qual a poupança??
    Com 3 carros novos supero essa quilometragem e ainda tenho o cheirinho a novo 3x.

  3. Anonuser says:

    “o carro com garantia vitalícia” …. Bravo!

  4. João says:

    Considerando que um Tesla model S custa cerca de 100.000, não me parece que possa ser um bom exemplo. Mesmo comprando usado, são preços que um consumidor normal não irá ter disponibilidade financeira para pagar. Há mais exemplos de elétricos mais acessíveis cujas baterias tenham boa duração? Isso sim, seria mais útil.

  5. giovani says:

    Aqui no brasil os carros tem que durar muito mais tempo .

  6. Secadegas says:

    Boa anedota. “Apenas” teve de trocar de bateria e motor. Caso não tivesse o pacote de garantia ilimitada, já estava na sucata há muito tempo.
    Apenas o detalhe…

    • RC says:

      Nop, motor custa 6 mil euros e a bateria uns 13 mil, o que poupou já deva para algumas baterias e motores.

      • night says:

        Em Portugal pouca gente tem dinheiro para pagar uma reparacao dessas, no meu caso nem para comprar um carro desses nem para uma repacao dessas. Com os salarios que temos mais vale andar de carro a diesel da menos chatices, reparacoes baratas, e nao tenho de parar para carregar o carro se quiser fazer 1000km seguidos

        • José Carlos da Silva says:

          Um carro a diesel já teria gasto bastante mais que isso em manutenção e combustível, para fazer o mesmo número de quilómetros até à substituição das peças referidas.

          • Night1991 says:

            O meu carro tem 400mil e de manutenções gastei no máximo 2000€, não contando pastilhas discos, amortecedores e todas as peças que um eléctrico também gasta para a comparação ser justa, se gastar 30mil€ em combustíveis para 400k um eléctrico neste momento a carregar na rua gasta o mesmo que o meu carro.

          • Louro says:

            @Night1991
            De um momento para o outro os carros ICE ficaram extramemente economicos…

            2000Euros em manutencao a cada 400 mil km é de rir.

        • Carved says:

          Devias de descançar 30min a cada 2h de condução, vê lá se nesse descanso não conseguias carregar o ‘bicho’ o suficiente para outras 2h 😉

          • Night1991 says:

            Carregava o carro a pilhas e gastava o mesmo que por gasóleo para andar 350km se for 500km gasto 30€ para o carregar na rua tanto eléctrico e gasoleo. Posso ter com um carro a diesel com custos extra de manutenção, mas não tenho que gastar dinheiro em pilhas e motores etc. No fundo ainda poupo, manutenção faço em casa, todas as peças troco em casa gasto em 10anos nem metade do que gastava num eléctrico. Além que nunca na minha vida ia me por em créditos para pagar baterias/motores de um carro. Poluição como muitos falam, polui bastante um carro a gasóleo, mas vejam o desastre ambiental que faz a exploração de lítio para os carros depois digam o que polui mais, não passa de interesses económicos nada mais, acabam com os combustíveis fósseis, criaram outro igual o lítio. Dos barcos, foguetões para o espaço, e navios ninguém fala. O que interessa e acabar com os combustíveis fósseis dar uns anos de carregamento gratuito para os eléctricos e depois subir tudo em flexa, ate a electricidade das casas andam a subir para compensar tudo o resto.
            Existe combustíveis sem usar petróleo e que não polui quase nada mas isso não interessa. Não admira que países como a América se estejam a borrifar para a Europa, andam com carros todos podres a cair de velhos e nem querem saber, a eiropa

        • Louro says:

          Acho uma certa piada ao pessoal dos diesel que acha que tem ali a melhor coisa que já existiu no que diz respeito a poupanca.
          Depois vem comparar um diesel, sujo, poluente com manutencoes completamente absurdas com um eletrico.

          A manutencao dos eletricos é quase zero, claro está que se tiveres de trocar o motor e/ou a bateria, vais pagar bastante, no entanto se fizeres as contas bem feitas, num diesel pagas bem mais que isso em manutencao ao longo dos anos, parece menos claro porque vais pagando.

          Se considerares as poupancas em combustivel entao nem vale a pena tentar comparar.

          A autonomia, como alguém que tem carros eletricos desde 2014 e que abandonou na totalidade os ICE em 2018, nao consigo perceber quando falam em 1000km de autonomia, mas vamos lá ver.

          Estás a comparar um carro ICE a diesel entrada de gama (leia-se motor pequeno e pouca potencia) com um eletrico de alta performance?
          Depois, fazes 1000 km seguidos, sem nunca parar para que essa autonomia seja assim tao importante para ti é que eu nem nos meus melhores tempos conseguia conduzir durante mais de 300/400km seguidos sem parar e já acho isso uma estupidez pois ficas extremamente cansado e por consequencia és um perigo na estrada para ti e para os outros.

          Como disse tenho eletricos, viajo regularmente pela Europa, se tive 5 situacoes em que estava a ver que nao conseguiria chegar ao próximo SUC foi muito, na maioria dos casos foi mais por confianca a mais e claro por ignorar os avisos que o carro dá a dizer para reduzir a velocidade caso contrário nao chegarei ao próximo carregador.

          Depois, ainda na autnonomia e comparando coisas comparaveis, ou mais ou menos comparaveis, antes de ter o model S tinha um M5, autonomia andava nos 400km e quando comprei o Model X foi para trocar uma Mercedes E63 Avant que tinha uma autonomia nos 400/500km.

          • André Martins says:

            Tenho um carro a diesel, 2015. Faço 12K – 15K Km por ano.
            Consumo de combustível (média): 756€/anuais
            Manutenção (média): €80/ano – não estou a contabilizar consumíveis, pois esses também terão os eléctricos – só manutenção motor!

            Gasto anual Médio: €836
            Gasto Total (6 anos): €5.016

            Se tivesse esse Tesla:

            Gasto Electricidade Total (€3/100Km): €2.160
            Gasto Manutenção (Motor dianteiro + Baterias): ??

            Será que as contas são assim tão diferentes?

          • Louro says:

            @André Martins,
            tens de comparar coisas comparaveis, o teu diesel de 2015 será comparável a que? Um Nissan Leaf ou Renault Zoe?

            Mas vamos a contas…
            Gasoleo neste em média no ultimo ando andou em Portugal nos 1.40Euros/Litro.
            Para fazer 15 mil km gastaste 540 litros de gasoleo? Fazes médias de 3.6Litros/100km? Nem a descer ravinas quanto mais a andar na estrada.
            Portanto atira isso mais para os 1260Euros.

            80Euros por ano em manutencao?
            Nao trocas oleo? Nao trocas liquido refrigerante? Nao trocas de travoes?
            80Euros nao dá sequer para 1 hora de mao de obra em muitas oficinas quanto mais para fazer manutencao completa de um carro para 1 ano, por isso manda lá isso para cima, pelo menos 300Euros/ano em manutencao, e estou a atirar para baixo.

            Depois adiciona a isso outras coisas como IUC.

            Num eletrico, quase nao há manutencao, travoes devido a travagem regenerativa duram e duram (o meu Model S trocou de travoes pela primeira vez aos 280 mil km), nao há oleo para mudar, nao há liquidos de refrigeracao, o motor nao requer manutencao alguma.
            É praticamente só carregar o carro e está a andar e tal como num ICE, os valores por 100km vao depender do carro e do teu pé.

          • rui says:

            defender o diesel e fazerem só 15k km por ano, não sei porque enterram dinehirodo diesel e não têm a gasolina ou gpl

          • André Martins says:

            @Louro

            Fiz as contas a 12K km (4,5l média*1,40€): €756
            Para 15K (4,5l média*1,40€): €945

            Revisões: sim, em média custam-me 80eur por ano. Se quiseres o contacto da minha oficina, o meu mecânico ficará satisfeito com mais um cliente. Sim, algumas revisões rondam os €40/€50..outras os €100/€110. Life is hard. €300 por revisão??? LOL Deves…

            Ah..e por norma, se marcar a revisão com 3 dias de antecedência, quando lá chego já tem o ,material todo e demora 1h…1h30 a fazer tudo. Life is hard. 🙂

            IUC: €32/anuais
            Eléctricos, actualmente, não pagam IUC. Mas isso vai mudar..tal como o valor da electricidade…mas isso já todos sabemos, infelizmente 🙂

            Realmente, em termos de consumos dos eléctricos baseei-me num comentário que estava por aqui, só para ter uma pequena base de comparação.

            Não estou a defender nada. Apenas estou a explicar o meu caso, que seguramente é diferente do teu..e de outros.

            A minha opinião é que o eléctrico não é assim tão vantajoso, para alguns (muitos) casos.

            Tenho uma Berlingo 1.6HDi 90cv.

            @rui,

            Há coisas que não podemos escolher. Foi a oportunidade do momento, e com ela tenho que viver enquanto for possível. Mas não estou nada triste! Perguntas como as tuas? Mais uma vez, cada caso é um caso, é perigoso generalizar (porque gasolina ou GPL em vez do diesel? Porque cada um tem uma experiência diferente de vida. Se calhar podia-te perguntar mil coisas sobre a tua, que para mim não faziam sentido). O facto é que tenho este carro, e foi com ele que fiz as simulações.

            Bem haja a todos.

          • RC says:

            Um diesel de 2015 paga 32 euros de iuc ? que carro é esse ?

            As baterias do tesla não custaram nada, foi em garantia é para isso que ela serve, cobrir defeitos de fabrico ou perda abruta de desempenho, alguns carro tiveram de trocar, mas não é norma, é desenvolvimento da tecnologia, anda por ai muito diesel que muito antes dos 100 mil o motor deu berro e foi trocado. Pode começar pelo caso mais evidente, os VW Siroco.

          • RC says:

            Ah uma berlingo comparada com um tesla, tá certo, então compare com a minha partner, que é elétrica e tem só 17 anos a mais que a sua berlingo. Gasta em média 1.15 euros/100 kms, manutenções são aos 50 mil, leva meio litro de óleo no diferencial, e como é um motor antigo ainda leva escovas, que custa 70 euros e leva 30 minutos a trocar. De resto usa liquido refrigerante normal, cerca de 4 litros.
            Pastilhas troquei este ano, e ao que parece, segundo o antigo dono fez 125 mil kms com elas, troquei não por estarem gastas, já que pareciam novas, mas estavam a desfazer-se.

            IUC já pagou durante alguns anos, neste momento está isento e paga um pouco menos que a sua, 32 euros.

          • RC says:

            Esqueci-me de dizer, faço entre 1800 a 2200 km por mês.

          • Louro says:

            @Andre Martins,
            O que fiz foi precisamente fazer as contas…
            Tu é que falaste em 15 mil km com gastos de 756euros, agora afinal já vens com 945, daqui a nada vimos a descobrir que afinal já era um pouco mais…

            As revisões, o teu mecânico deve de passar fome então, porque esse motor leva só em óleo 5 litros de 5w30 que custa mais ou menos 30€( e nem estamos a falar de marcas de óleo xpto), depois adicionas filtros de combustível, ar, óleo, cabine e facilmente só em material já são bem mais de 80€, quanto mais 50.
            Mete mais mão de obra nisso e voilà.

            Depois não gastas mais nada, é sempre siga lol

            Repara que estamos a ignorar completamente o estares a tentar comparar uma carrinha de gama baixa, feita para trabalho e transportar coisas com um tesla…

            Realmente há quem não saiba do que fala e ainda por cima inventa números, até porque mesmo os 4.5l/100 te garanto que não os fazes, até pode dizer no cb isso, mas na verdade andarás sempre nos 6

          • Louro says:

            Ah e espera até a FAP dar de si… Depois anda cá dizer que resolveste com 20euros e uma sandes de desperdícios que pagaste ao teu mecânico.

          • André Martins says:

            @Louro

            Não invento nada. Até porque não tenho cb. Faço as médias eu..atestar depósito, fazer Km, voltar a atestar e fazer as contas. E sim, faço 4,5. Aliás, com um Skoda Rapid 1.6 TDi (que costumo conduzir com frequência, consigo fazer 4,1..deve ser porque é mais aerodinâmico que meu caixote Berlingo)

            Referi no meu primeiro post que faço 12k a 15k km.

            Apenas fiz uma questão, será que os valores são assim tão diferentes (?), nada mais. Não estou aqui para ouvir o que quer que seja do teu lado. Não tenho interesse em estar a inventar valores para o que quer que seja. Foi só tentar expor a minha experiência, para tentar discutir um pouco sobre o tema.

            Atitudes “chico-espertas”, “donas da razão” e que apenas afirmam que estamos para aqui a inventar números.

            Comparar uma Berlingo a um Tesla? Não…nunca o fiz..lê bem as minhas palavras nos meus comentários. Apenas fiz a exposição do meu caso (claramente aldrabado, segundo a tua pessoa), e coloquei a questão..será que os valores são assim tão diferentes?

            A sério? Mecânicos no chinês? Taças de arroz? Oh pah…não tenho vontade. Não faço Manutenções a €80/ano em média? Pronto, não.não faço.

            Fica lá com a bicicleta..eu continuo com os meus pedais. (Lê como bem entenderes)

          • Eu says:

            @André Martins,
            Tu calado eras um Doutor 😉

          • André Martins says:

            @Eu,
            😉

          • Louro says:

            @Andre Martins,
            Primeiro nem tu nem ninguem faz medias desse genero, podes fazer uma vez por outra numa viagem a andar devagar em auto-estrada a velocidades muito moderadas, caso contrario nem a descer ravinas fazes medias abaixo dos 5/6.

            Eu por mim e irrelevante as medias que tu fazes e o que tu achas, eu nao venho de carros ICE como berlingos, venho de carros com performances muito mais parecidas com os tesla que tenho e portanto comparaveis.

            Do teu mecanico, e como te digo, trabalha deborla ou faz de conta que te fez a manutencao, pois por 80Euros (so em oleo ja terias quase isso gasto)… ou entao es daqueles que acha que manutencao e so mudar o oleo de X em X km, mas esquece de tudo o resto.

            Enfim, nem vale a pena, bons km na tua berlingo a poluidora a diesel, eu continuarei a fazer boas milhas nos meus Tesla… mais limpos…

        • David Guerreiro says:

          Quem tem os 100 mil para pagar o carro, tem para pagar a reparação. É como um tipo que compra um Ferrari reclamar do preço dos pneus…

        • RC says:

          Se não têm compram um mais barato, eu tenho 3 que custaram menos de 10 mil euros.

  7. Fossas says:

    Portanto um “carro do estado” = garantia vitalícia.

    O que se deve procurar esclarecer é…
    Ao fim de 100.000 km degradação da bateria… Aos 150, aos 200…

    Eu adoro tecnologia adoro a tesla pelo que fez, mas permitam que seja um anti carros a bateria…

    Hidrogénio commme please and save the world !

    • João says:

      Exatamente! E é muito mais realista acreditarmos que a produção de hidrogênio verde (produzido usando energias renováveis) será uma meta mais fácil de atingir do que fazer uma transição completa para carros a bateria.

      • RC says:

        E tá disposto a pagar o dobro do que paga hoje num a diesel para rodar 100 kms ?

        Já agora, são electricos na mesma, vai ter 2 degradações a contar, a da bateria de tracção, identica à dos hibridos e a da fuel cell.

    • rui says:

      como se os de hidrogénio não tivessem baterias

      • Fossas says:

        Muito diferentes e mais pequenas…
        Eu até seria apologista de híbrido (bateria normal para 100km) + hidrogénio para o restante…

        Uma bateria deste tamanho tem custos menores, muito menos peso e é viável carregar numa tomada normal ou até quem sabe com painéis solares.

        Uma grande percentagem de condutores 100km dá para vários dias.

        • gustavo says:

          faltou falar que ninguém sabe a fiabilidade destes, depois o hidrogénio verde é muito mais caro que os combustíveis fósseis, estamos a falar que custa quase o dobro e precisa de grandes instalações para ser produzido, em acidentes é muito mais perigoso que um carro elétrico ou a combustível fóssil e ainda deita água para a estrada, o que não ajuda nada na segurança …

        • rui says:

          as baterias são iguais, o mais pequeno é relativo o meu BEV elétrico tem 16kwh menso que alguns híbridos sem ter as manutenções da parte a combustão, e sim tem autonomia real de +/- 100km e se fizer pelo menos 50km durante mais 5 anos fica pago (foi comprado com 1 ano) e não fica pago antes que só faço 12k km/ano

        • RC says:

          São mais pequenas mas degradam na mesma, e depois tem de contar com a degradação da fuel cell, e ainda dos depósitos, se verificar o manual do mirai tem de os rever e testar a cada 5 anos e trocar ao fim de 15, e olhe que é uma das partes mais cara do carro e mais emissoras de poluentes no fabrico, mais até que as baterias, se não acredita pesquisa os dados do ICCT sobre as emissões globais dos veiculos de passageiros, onde inclui também os FCEV.

    • RC says:

      Com hidrogénio vai ser igual, são eléctricos na mesma, têm uma bateria de tração na mesma e uma fuel cell que também sofre de degradação e muito mais depressa. As fuel cell têm uma duração estimada de 10 mil horas.

      Depois ainda tem os tanques de hidrogénio, também têm degradação mas não provoca diminuição de autonomia pelo menos enquanto não tiver fugas, por isso mesmo a toyota manda fazer revisão e testes (logo têm de sair fora do carro) e trocar ao fim de 15 anos.

      É muito fácil dizer bem e mal de uma tecnologia quando pouco se sabe dela.

  8. Jorge says:

    Não sei onde fazem as vossas revisões dos diesel, mas o meu ronda os 100€, se for ao stand oficial sim fica a volta dos 300€.

  9. wtvlol says:

    E quantos ecrãs é que já foram substituídos?

    Ainda por cima dos primeiros Model S. As bordas ficam amarelas depois de alguns anos…

  10. Pedro F. says:

    Quanto custa o pacote de garantia ilimitada?

    • Lelo says:

      Já não existe, dura 8 anos e era de borla. Foi implementada em 2014 para os model x/s até Fevereiro de 2020.
      “Tesla ended its “Infinite Mileage Warranty” program in February 2020, but the vast majority of Model S and Model X vehicles built before then will still have it. You can tell if any given Model S or Model X has one by answering the two questions:

      1. Was it delivered by Tesla to its first owner before February 2020?
      2. Is its battery capacity 70 kilowatt-hours or more?

      If the answer is yes to both of those questions, it will have an unlimited-mileage warranty.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.