Quantcast
PplWare Mobile

Lidl quer dominar mercado do carregamento rápido de elétricos com preços acessíveis

                                    
                                

Autor: Ana Sofia Neto


  1. _RJCA_ says:

    A ideia é interessante mas pelo que eu tenho visto por cá os postos de carregamento limitam-se 2/3 carros. Não será o ideal enquanto muita gente já começa a ter VEs…

  2. jota says:

    Que seja uma pedra no charco!

  3. Quim says:

    Ou seja 100kwh são 50 euros! É só fazes uns 350km, metade do que fazes com um carro a gasóleo!

    Ou seja o preço é o mesmo do gasóleo.

    • Américo Mendes says:

      Contas estranhas…podes desenvolver?
      Nessa afirmação daria um consumo de 28,57kWh por 100Km!!! Caramba, talvez seja o consumo a mais de 200Kmh…
      O meu carro faz uma média, agora com frio, e não ligo a consumos, de 16Kw por 100km. É um bom valor médio…
      Portanto, os tais 100kW dão para 625km.
      Vamos lá a ser sérios e não inventar.

      • RC says:

        Normalmente é assim, só quem não tem carro eléctrico é que apresenta consumos do além, depois vão buscar uns vídeos de gajos a testar os carros sempre em AE, como se na vida real andássemos sempre em ae, desde a porta de casa até ao trabalho. Vai ver…. 😀

      • Yamahia says:

        O teu carro dá 200? lool
        De qq forma não seria preciso. A uma média inferior a 120 já se amandam para cima de 30 kWh/100.

        • RC says:

          Quais, só conheço 2 a fazer isso, o audi etron e o volvo, que são grandes mastodontes.

        • Américo Mendes says:

          Carissimo, eu não disse que o meu faz 200kwh…vamos a ser sérios, repito.
          O que referi é que o conumo indicado de 28,57kWh/100kw deve ser a velocidades acima de 200 Kwh!

          • Yamahia says:

            Acima tens 2 exemplos dados pelo @RC

          • RC says:

            Pois, não há muitos mais, mas é de rir ver que quando falam em consumos de carros eléctricos usam o consumo dos que consomem mais, a partir de agora também vou começar a usar o consumo dos a gasóleo e gasolina que consomem mais, sem ir, claro, para Bugattis e coisas assim. 😀

        • Louro says:

          A ignorancia dos carros elétricos é em tudo similar a ignorancia dos que dizem que carros a gasolina consomem muito ou que quanto mais potencia um carro tiver mais consome.

          Tesla Model S 75 – 19kWh/100km
          Tesla Model X 100D – 22kWh/100km

          Isto mais coisa menos coisa, em auto-estrada respeitando os limites de velocidade.

          Se fosse 50€/100kwh, estaríamos a falar de 0.50€/kwh, o consumo iria corresponder a 9.5€/100km ou 11€/100km

          A gasolina está a 1.779€/Litro, pelo que corresponderia a um consumo de 5.34L/100km no Model S ou 6.18L/100km no Model X

          A gasóleo está a 1.809€/Litro, pelo que corresponderia a consumos de 5.25L/100km no Mode S e 6.08L/100km no Model X.

          Agora,
          Model S 75 – 310Cv.
          Model X 100D – 762Cv.

          Mostra lá um carro a gasolina ou a gasóleo, com as mesmas características e que façam consumos similares.

          Já que não vais conseguir, mostra também algum carro a combustão, que tenhas forma de gerar o teu próprio combustível em casa e que o possas abastecer essencialmente deborla, sem sair de casa.
          Caso não queiras investir em painéis solares, faz as para carregar em casa a 0.3279/kwh.

          É a vida amigo… é de rir os vossos argumentos.

    • RC says:

      O meu com 100 kwh faz 650 kms.

  4. Joao Ptt says:

    Tenho uma loja do LIDL não muito longe com um grande estacionamento, e ainda não há estação de carregamento nenhuma. Por outro lado um hipermercado não muito longe, que nem sequer fala disso (ou não me chegou nada), já tem um posto de carga a funcionar há bastante tempo. Enquanto uns falam muito, outros fazem.

    Pelo menos no interior da notícia referem-se a França e a Alemanha, mas em outras notícias anteriores que tenho visto por aí, parecia referir-se a Portugal, e claramente (se a minha impressão estava certa), não tem passado de conversa fiada. Não que o LIDL tenha qualquer obrigação, até me admira quererem meter-se nesse negócio… só por dizer que não vejo esses postos de carregamento de veículos eléctricos a chegar ao “terreno”…. neste caso literalmente ao terreno do LIDL mais próximo.

    • RC says:

      Numa busca rápida encontro por cá mais de 100 (perdi-me na conta, já ia em 120)lojas LIDL com carregadores, e já vão com mais de 2 anos de operação.

    • B@rão Vermelho says:

      Na minha área de residência as lojas Lidel principalmente as novas ou as restauradas já todas têm, em compensação una outra marca de supermecados inaugurado a pouco tempo tem uns 20 e todos fora de serviço
      Tenho uns amigos que foram trabalhar ao Algarve no carro de serviço um 208 EV, e foi um filme na AE tiveram de chamar a PSP, para utilizar o posto de carregamento do outro lado da AE, porque os carregadores estavam fora de serviço a PSP abriu a passagem superior destinada a emergência e depois tiveram de esperar novamente para regressar ao sentido do destino.
      Foi uma história que pode munca mais se repetir, mas também pode até piorar com o aumento de veículos EV
      Eu continuo a dizer que o futuro não passa pelo modelo que temos atualmente, acho que não é muito prático, não sei se será combustivel sintético ou hidrogénio ou outra forma de eletrónico mas assim como temos hoje acho que não será

      • Pedro says:

        Seja lá o tipo de combustível que for para ficar, acho que é muito importante ter em conta o custo, redução da poluição nas cidades, e também a redução substancial do barulho (carros e motos), tudo com a devida segurança.

      • RC says:

        Isso foi há quantos anos, eu lembro-me de ouvir umas histórias dessas, mas não foi no Algarve, só havia um posto rápido na área de serviço e quando estava avariado passavam para o outro lado por um túnel, e não , não era preciso psp, eram os moços da área de serviço que abriam o túnel.

        Com hidrogénio e combustível sintético é um pouco pior, já que têm de colocar o carro num camião e levá-lo a Espanha para abastecer, e esperar que o posto esteja a funcionar, senão tem de ir para França porque em Espanha só existem 3 e 2 estão avariados, em França tem uns 5, mas a maioria está tambem com problemas, portanto segue para a Alemanha, e aí sim, existem mais postos, apesar de grande parte também não funcionar, mas como tem alguns dezenas, a coisa até funciona, porque só existem mil e poucos carros por lá, desde que existe a rede por lá, há cerca de 92 estações desde 2018.

        Combustivel sintético, o melhor é encomendar dos Estados Unidos e esperar que chegue, é complicado na alfândega, mas acaba por passar sem pagar grandes impostos, desde que não seja apresentado como combustível para carro, senão até ISP paga.

      • RC says:

        Portanto não sei como passar por um túnel debaixo da AE é pior que estas situações.

        Nos estados unidos têm uma rede de hidrogénio com 18 anos, cerca de 50 postos, ontem só 4 é que tinham combustível, normalmente quando não estão avariados , duram pouco tempo com combustível, no país onde existe o maior número de carros, 14 mil.

        É uma situação tão boa tanto para os donos como para a marca que a toyota já se recusa a vendê-los a particulares, vendendo apenas a empresas de aluguer e leasing.

        Se quiser comprar um em segunda mão, aproveite, importar um carro destes é simples, por lá encontra usados por pouco mais de 5 mil dólares, com 2 a 3 anos, a oferta em segunda mão é tanta, e com tantos incentivos, que deixam o carro a menos de metade do preço, dos 59 mil que custa novo, se conseguir os incentivos todos, fica a 22 a 23 mil, como a malta raramente os matem mais de 3 anos, porque é quando acaba o combustível de borla, depois passam a pagar 20 a 25 dólares o kilo do hidrogénio, vende o carro, já que estamos a falar de um país onde o combustível custa pouco mais de 1 euro por litro.

      • Joao Ptt says:

        O modelo que parece mais viável, se o eléctrico veio para ficar, é o modelo da mudança de baterias, tipo mete-se o veículo dentro de uma estação que se ajusta automaticamente ao veiculo e procede à troca em coisa de 2 ou 3 minutos.

        Mas isto só acontecerá se houver legislação a exigi-lo, e ainda vai ser preciso convencer as pessoas a não ficarem agarradas à sua bateria de origem de fábrica. É algo difícil de solucionar porque vai sempre haver alguém a prometer um bocadinho de mais autonomia que o outro fabricante com uma bateria feita com não sei o quê.
        A única solução que vislumbro seria tipo um único tipo de bateria com um padrão único de cumprimento obrigatório e que os fabricantes teriam de se contentar em basear para desenvolver os seus veículos da mesma forma que hoje em dia têm de se contentar com os combustíveis existentes nas bombas de combustível. Basicamente teriam de optimizar outras coisas para terem melhores performances.

        • RC says:

          Isso já existe por parte da Nio, que está a instalar locais de troca das baterias, paga um fee por usar uma bateria, essa mesma que nunca é do dono do carro.

          E não, não é preciso nenhuma legislação.

          Agora para ser massificado e em grande escala era necessário sim que fosse padrão, mas como isso é apenas uma solução para um nicho de mercado, não vejo muitos a apostar nessa solução, até porque não faz muito sentido com a vinda de novas baterias e novos carregadores cada vez mais rápidos.

          Hoje em dia, já oferecem soluções para grandes viagens onde o tempo de viagem pouco aumenta , numa boa rede em condições, já os melhores carros fazem 1000 kms em 10 horas, alguns até menos. 100 kmh por hora, parece-me uma excelente média.

        • Yamahia says:

          Como sabe ando pouco em urbano.
          Só para ir às compras.
          De resto é AE e nacional. Sim. E qd saio são de facto muitos kms. Gondizalves e Almeria sobretudo.

          Nao gasto nem de perto esse valores que alvitrou.
          Um deposito da-me para chegar a Almeria e voltinhas da semana, só abasteço no regresso.

          E Gondizalves da para ir e vir e ainda praí mais um mês em LRS incluindo 5 idas ao supermercado.
          Portanto não é assim como vc diz

          • RC says:

            Ah afinal só para os eléctricos é que usa mastodontes n as AE do norte a 125 km/h nas subidas, boa. Quando se trata de defender os combustão já vai direito a sul, entendi a sua fé. Looool

            Então qual é o seu mastodontinho ?

  5. Miguel Oliveira says:

    Cuidado com os carregamentos rápidos. vocês vão estar a forçar as baterias, que por sua vez vão estar a degradar as baterias. Esse tipo de carregamentos é para ser feito em ultimo caso… E esquecam a garantia de fábrica por mau uso!

    • RC says:

      Os carregamentos rápidos só são problema para carros que não têm gestão ativa de temperatura, no atual mercado só existe 1 modelo de 1 marca, e não há qualquer perda de garantia por as usar, as garantias não têm qualquer limitação por se usar mais ou menos as cargas rápidas, nem isso é considerado mau uso.

      • Miguel Oliveira says:

        Sim sim acredita nisso. Amigo as marcas podem garantir xpto, mas está provado que o calor prejudica e muito a longevidade das baterias. Para já ainda há poucos eléctricos com muitos km +30.000. Quando começarem a aparecer nas marcas carros com 30.000km a pedirem para mudarem as baterias vais ver a gestão activa da temperatura… As marcas a coçarem-se todas para garantirem baterias novas!

        • RC says:

          SIm, acredito, até porque tenho 3.

          Foi isso que eu disse, não leu ? só existe uma marca e 1 modelo que sofre disso, e eu tenho um com 4 anos e 190 mil kms, onde viu isso dos 30.000 kms, conheço cá eléctricos com mais de 500 mil kms e com a bateria de origem, 30 mil, só pode estar a brincar….

          30 mil kms a mudarem de baterias, ohh santa…. 😀 😀 😀

  6. Miguel Oliveira says:

    Amigo tenho um taxi com 5 anos com quaze 300.000km não tás a falar para um inocente. Bem sei como é que as marcas funcionam, achas mesmo que se eu for a marca ao final de 300.000km pedir um motor novo achas mesmo que te vão dar com um sorriso na boca? Eu não digo que há eléctricos com 200.000 mas com esses km esquece não te dão baterias novas!

    • RC says:

      Mas é electrico ?

      Se eu acho ? claro que não, a garantia é muito menos, agora falar em 30 mil, só pode estar a brincar. A garantia das baterias varia entre os 160 mil, na maioria, 192 em teslas, e até 1 milhão nos novos toyotas.

      E precisam de dar baterias novas porquê ? com esses kms já rentabilizou o veiculo para comprar 3 baterias, e não, não precisa de comprar bateria nova quando acaba a garantia, tal como você não precisa de comprar um motor novo quando ela acabou, o meu vai continuar a andar, e se a bateria continuar com a degradação que tem, que como já se sabe é estável ao longo da vida, faz mais de 500 mil até decidir o que faço depois, se bem que até propostas de 4 a 5 mil euros para baterias novas já existem.

      Mas agora a sério, era 30 mil que queria escrever, ou 300 mil ?

      • Yamahia says:

        É preciso seriedade e informar o que a Toyota pede em troca para garantir 1000000 de kms.

        • RC says:

          Entao o que pede ? 50 mil euros ?

          • Yamahia says:

            -Pede no max 10 anos. Faz 1 milhão em 10 anos?
            -A garantia tem que ser renovada anualmente num concessionário da marca.
            -A velocidade de carregamento é reduzida de forma a proteger a bateria.
            Conclusão para fazer 1 milhão deve ter que passar a vida na estrada e nos postos de carregamento

            Penso que não vão pedir esses 50 mil mas as intervenções anuais visando a renovação da garantia não são nenhuma pechincha. Disso pode estar certo.
            É uma boa tactica para manter os índice de clientes nas oficinas e respectiva facturação em alta Eheh

            De qq forma na pag Toyota esse milhão para 10 anos já não aparece.
            Agora aparece 7 anos e 160000 kms
            https://www.toyota.pt/carros/bz4x/reliability-and-warranty
            Devem ter aberto as goelas à velocidade de carregamento eheheh

          • RC says:

            Onde e que isso está escrito ? É que já estamos habituados as duas invenções.

            Onde nesse link diz que é garantia da bateria ? Não sabe que até nos híbridos têm uma garantia separada ? Pois é:

            https://www.toyota.pt/carros/bz4x

            “ Usufrua de uma garantia de bateria até 10 anos ou com 1 milhão de KM renovável anualmente com check-up de manutenção.”

      • Miguel Oliveira says:

        No meu caso faço a garantia de 160.000km em 2 anos e depois? Claro a Toyota não é burra claro que é marketing. Quem é que faz 1 milhão de km? Um particular se fizer 200.000 já é bom! É assim se custarem 4\5 mil euros menos mal, agora um advogado disse-me que está a defender um caso de um senhor que tem um leaf que tem de colocar baterias novas no carro so t autonomia para 60km. Achas mesmo que a Nissan lhe garante baterias novas? Mau uso tem de dar 25 mil euros !

        • RC says:

          E depois o quê? Não sabe o que é a garantia ? Ou faz confusão com duração ? O seu motor a combustão partiu depois dos 2 anos?

          Quem faz ? Quem fizer 100 por ano, é só o dobro do que o meu fez, que nem é muito, ainda há uns dias falei com um tvde que tem um tesla com 400 mil em menos de 4 anos.

          Disse ou você viu uma reportagem ?

          É que isso já foi tudo desmentido, não vale a pena andarem a inventar e a mentir, não era 60 kms, não era 25 mil euros nem era por mau uso.

          Mas enfim, já todos sabemos que isto mete comichão a muita gente.

          • Miguel Oliveira says:

            Que vi uma reportagem? Transportei um advogado que está a defender o caso, para que saiba sou do Porto não spu de Lisboa.

          • Miguel Oliveira says:

            Esse Tesla deve ser mesmo para uso particular em 4 anos 400.000? faz por dia mais que eu com o taxi mais de 200km deve viver no Algarve e trabalha em Lisboa… E não esquecer que um Tesla tem de autonomia +600km, a maioria dos carros electricos novos são para pouco mais de 400km. Os carros elétricos não foram feitos para fazerem carregamentos rapidos e quem disser o contrário está a mentir. Tenho duvidas das wallbox degradarem as baterias. O ideal é chegarem a casa com a bateria abaixo dos 80% e não deixar ir a abaixo dos 20% meter na garagem e carregar lentamente. Nesse caso não se precisam de preocupar em trocar as baterias!

          • RC says:

            Não, está a mentir, se transportou foi há vários anos, até porque as baterias não custam 25 mil, escusa de inventar mais, porque essas informações são públicas.

          • RC says:

            Se tem duvidas vá ao Tesla club Portugal, no Facebook e procure os que lá andam.

            Se não fossem feitos para cargas rápidas, porque lhes metem sistemas para carga rápida ?

            Já lhe disse e volto, no mercado não existem só Nissan Leaf , que é o único carro que não tem gestão ativa de temperatura, qualquer um outro tem, e portanto cargas rápidas não têm qualquer efeito na degradação da bateria, isso é um mito, quando não se fala de Nissan Leaf, que é o caso do senhor do advogado, só errou no valor da bateria e na autonomia.
            Porque não mete a Marca do seu carro a combustão em tribunal ? Também consumo o que eles anunciam.

            Ninguém ganha esses processos em tribunal, a não ser que de confirme que a bateria esteja danificada, agora por ter menos autonomia lima que o anunciado, isso é uma tremenda perda de tempo é dinheiro.

          • RC says:

            Para fazer 100 mil por ano, basta fazer 450 por dia, 5 dias por semana, ora qualquer carro eléctrico faz isso com uma perna às costas, qualquer 16 minutos de carga pelo meio faz isto.

            O meu tem 900 cargas rápidas registadas e 1500 lentas, e continua a andar .

            Deixem se de mitos e mentiras, isso não vos leva a lado nenhum, nem a Galp vos faz o gasóleo mais barato.

  7. José Trindade says:

    Os utilizadores não têm que ser portadores de um cartão de qualquer operadora (EDP, Galp ou outra)?
    Obrigado

    • RC says:

      Os utilizadores usam o cartão que escolheram, podem escolher um ou vários cartões (ou todos, não têm custos) de qualquer um dos 23 operadores que existem.

  8. Yamahia says:

    Que seja.
    Anulo de bom grado o meu último parágrafo.
    Vá conferir a velocidade de carregamento em uso real e depois diga se tem paciência para aturar aquilo só pq a marca resolveu dar 10 anos e naturalmente quer defender-se.

    Já agora se a degradação estiver abaixo de 31% não há garantia para ng.
    Ainda assim 71%, na maioria dos equipamentos a alimentados a bateria, significa que estão despachados ou terão que trocar a bateria para poderem funcionar normalmente.

    Por outro lado, sempre gostava de saber como se são feitas essas medições. Se é com o fabricante a coçar para dentro com diagnósticos “a lá carte” ou se há alguma entidade isenta que zele pelos interesses dos consumidores.

    • RC says:

      É muito comum os primeiros virem com curvas de carga com tempos maiores, acontece com quase todas as marcas, depois fazem updates e ficam melhores.

      Não é se for abaixo é acima de 30%, ou seja se ao fim de 10 anos tiver 70 % ou mais , não há direito a bateria nova.

      Nao serve porquê? Compra um carro novo a pensar que 70% da autonomia chega para tudo ?

      Estão despachados ? Então porquê?

      Não sabe vá a uma empresa fora da marca e meça.

      Simples, é medida em relação à capacidade util de nova.

  9. Miguel Oliveira says:

    Quero ver o mito acho que me vou arrepender redondamente, tou a pensar trocar meu carro a combustão que já tem 5anos por um electrico tou a pensar no Nissan Aryia tenho uma Peugeot 308 sw a gasoleo. As marcas tambem “garantem” que o carro pode andar sempre nas 5 mil rotações num motor convencional. Faça isso todos os dias e vai ver a garantia de fábrica… Tretas. Eu tive que meter uma bateria convencional e eles tavam-se a coçar todos, quanto mais umas novas baterias pra um carro electrico. O senhor não pode comparar um Tesla com um Nissan Leaf… Nem eu posso comparar um Mercedes com um Fiat. As baterias por mais que digam o contrario, as baterias dão para cargas rapidas mas o normal sao cargas lentas.

    • RC says:

      Desde quando existe alguma limitação por rotações ? essa é boa. LOL

      O fabricante do carro dá a garantia para a bateria, após isso mete a que quiser, porque haviam de coçar todos ?

      As baterias nos carros eléctricos é igual, se a trocou porque havia de pedir garantia no fabricante ?

      Eu não comparei, você é que diz que todos são iguais ao nissan leaf, quando já disse várias vezes que só existe uma marca e um modelo sem esse dispositivo, ainda assim o fabricante recomenda, sem qualquer perda de garantia, apenas 1 carga rápida por dia.

      O normal é carregarem rápido quando andam em serviço e lentamente quando fora de serviço.

  10. _RJCA_ says:

    Em vez de andarem à batatada virtual sobre quem tem a “fita métrica maior”, deviam era falar/mostrar os vossos VEs e dar opiniões sobre os mesmos para que um dia quem puder mudar para um desses ficar com uma ideia do que poderá contar a nível de veículo…

  11. Miguel Oliveira says:

    Desculpe a inventar nada os 100% eléctricos não são construidos para carregamentos intensivos. Não sou eu que estou a dizer está provado cientificamente que qualquer bateria se degrada com o tempo ainda mais rápido se for itensivo, os carros eléctricos não são exceção. Isto dos carregamentos electricos vão ser um grande negócio, quer o que até então havia falta agora não vai faltar até os supermercados vão ter. O que eu disse no primeiro post não é nada contra os carros elétricos até sou a favor, mas quem tem carros elétricos para que tenha em atenção que os carregamentos rapidos degradam mais rapidamente as baterias e as marcas não garantem baterias novas por mau uso. Só isso.

    • RC says:

      Onde é que isso está escrito ? pode usar qualquer carro, diga apenas qual a página onde isso está.

      Então mostre lá essa prova cientifica.

      Então as bombas de combustível não são negocio também, até os supermercados têm. Não entendi a diferença.

      Como já foi dito várias e várias vezes, só é prejudicial para os veículos que não têm gestão ativa de temperatura, porque não mencionou isto ? que só existe numa marca e num modelo.

      Onde está nas condições de garantia que eles não garantem em caso de uso abusivo de cargas rápidas ?

      Se quer ter razão, é apenas indicar, os manuais e garantias dos carros estão na internet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.