Quantcast
PplWare Mobile

Gás Natural: Regresso ao mercado regulado “não é uma medida eficiente”

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. NN says:

    “inverte anos de progresso no sentido da liberalização e do mercado livre”…. ou acaba-se os lucros extraordinários?

    • FAR says:

      Ora nem mais. Também gostaria de saber em concreto que progresso é esse a que ele se refere. É que num verdadeiro mercado liberalizado existe concorrência e em virtude disso os preços baixam para o consumidor final. Se, após todos estes “anos de progresso”, o mercado regulado continua a ter os preços mais baixos então é porque a liberalização não funcionou como deveria, não?

  2. José Carlos da Silva says:

    Lel. Não é eficiente para os 420M€ de lucros registados no primeiro trimestre de 2022. Só e apenas mais 153% que no mesmo período no ano anterior.

    • Luís says:

      Exato. Esses 420M pagam IRC….Só é pena não termos mais empresas como a Galp. Pensamento provinciano não nos leva a lado nenhum!!!!!

      • Ze Manel says:

        Luis, se tivesse uma familia, e visse a sua fatura anual de gás subir de 250€ anuais para 600€ ia continuar a pensar assim? Ah vou pagar mais, para a Galp ter mais lucros, para pagar IRC.

        • Luís says:

          Hoje é a Galp, amanha serão a Jerónimo Martins e as Sonaes deste país….que odiozinho esta gente tem aos lucros. Sem lucro não há iniciativa privada. Sem privados não há emprego. Ou vamos todos arranjar tacho na administração pública?

          • RC says:

            Exato, pensam que alguém investe para trabalhar e aquecer.

          • Paulo Martins says:

            Mas os lucros adicionais estão a ser investidos ou estão simplesmente a pagar dividendos a acionistas?

          • freakonaleash says:

            Não tenho ódio ao privado, mas se a ideia é gamar os de costume no preço exorbitante de bens essenciais então bem que o senhor pode enfiar essas palavras onde o sol não brilha!

          • PTO says:

            Com esse pensamento deves ser patrão, daqueles com bons bónus no fim do ano só por sentar o cú nas reuniões da Comissão Executiva e que tudo que é despesa, seja profissional ou pessoal, é paga pela empresa. E que depois qd chega a altura de aumentar os funcionários nunca há dinheiro, só pode ser poucochinho porque estamos em crise (só para alguns, claro).

          • ERUS says:

            A falar assim, deves ter cota na GALP de certeza…

          • Luís says:

            ERUS…a Galp, como tantas outras, é cotada em bolsa. Se tu não tens, é pq não queres….

        • Lelo says:

          E depois usar uma boa parte dessas receitas extra de irc pra tapar buracos.
          Em boa verdade, culpa de governantes
          incompentes e da sociedade que os criou e elegeu…e continua.

      • José Carlos da Silva says:

        Felizmente vem a calhar bem a descida do IRC.

    • nunov says:

      E isso não será por causa do fim dos confinamentos? É que cada vez mais vejo carros nas ruas! E comparar estes lucros excessivos com os anos anteriores à pandemia? Alguém que publique esses dados aqui!

  3. k says:

    Confesso que me faz confusão ler “enormes filas”.
    Tratei deste assunto na semana passada na loja do cidadão de Odivelas e, para além de ter demorado 10min (no máximo) a senhora do balcão comentou que tem tido uma vida descansada no que diz respeito a este tema…
    Ou está toda a gente a ir ao mesmo sitio, ou estamos a querer lançar o pânico…

  4. Ziggy says:

    Portanto, alguém veio dizer que uma medida que prejudica a empresa dele, é má

    Que informação dramática.

  5. João Silva says:

    Algo que não percebo. Quem paga a diferença entre o mercado regulado e o mercado liberalizado?
    Não há almoços grátis e se a Galp ou EDP são fornecedores em ambos os mercados, porque raio o seriam no mercado regulado se poderiam ter (segundo as insinuações) maiores lucros no mercado liberalizado?
    Será que é como nas autoestradas? Em que as concessionárias recebem o seu passem ou não passem carros?
    Desculpem a ignorância…

    • PTO says:

      A EDP tem oferta no mercado regulado de gás desde sempre, só não tem no de eletricidade,

    • PTO says:

      E não é assim que funciona nas concessionárias das auto-estradas, tens de te informar bem melhor.

      • João Silva says:

        Será que sou eu que tenho de me informar?
        Nunca ouviu falar das famosas PPP rodoviárias e respetivas compensações?
        https: //www.dn.pt/edicao-do-dia/08-abr-2020/estado-obrigado-a-compensar-ppp-rodoviarias-resta-saber-quanto-12043690.html

    • Paulo Martins says:

      Neste caso não há qualquer tipo de compensação do Estado às empresas, quando se liberalizou o mercado a ideia era a concorrência permitir preços mais baixos e por isso no valor da tarifa regularizada já existe margem de lucro que permite às empresas competir.
      O valor da tarifa regularizada já tem em conta o custo do gás nos mercados internacionais, os custos com transporte, distribuição, manutenção da rede e infraestruturas e uma margem de lucro para as empresas que é superior aquela que as empresas aplicavam quando o mercado foi regularizado, por isso não tenhas pena da Galp ou EDP, mesmo que toda a gente mude para o mercado regularizado eles continuam a ter milhões em lucro com a venda do gás.

  6. PTO says:

    Que farsolas!
    Está é preocupado com o bónus dele no bolso, que se lixem as familias, que paguem mkais e não reclamem.
    Ainda estou para ver uma liberalização que crie verdadeira concorrência e que beneficie os consumidores.

  7. john says:

    Todos os setores essenciais deviam ser regulados. Só não são regulados porque são super apetecíveis para os privados, porque temos uns políticos de treta (para não dizer outra coisa) e porque o Estado é péssimo a gerir.

  8. Pedro says:

    Advirto que é possível aderir ao mercado regulado de gás tb através de telefone 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.