PplWare Mobile

Fisker Pear: Um elétrico com autonomia de 500 km a 28 mil euros

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Pergunta says:

    Muito baratinhos, tudo muito giro. Mas pergunto, como é que se carrega um carro numa cidade como Lisboa ou Porto, sem garagem? Será através extensões elétricas pelas janelas?

  2. SANDOKAN 1513 says:

    Olhem,eu vou ser sincero.Se não é agora que tenho condições económicas para ter um carro novo ou usado em boas condições(o meu carro já é de 1998,tem agora 25 anos e dei por ele 500 euros há já um bom tempo),não será daqui para a frente que terei um carro destes,um carro eléctrico.De maneira alguma.Com estes preços ?? Nem morto. 😐

    • LU Motores says:

      Igual a mim, tenho dois Volvos, um de 1985 por 750€ e um V70 ll de 2000 por 3700€
      Faço semanalmente 80km(trabalho-casa vice versa)100+-(quando tenho que fazer um desvio.
      Um carro elétrico só comprarei quando arranjar algum com autonomia para aí de 200km(para manter a bateria entre os 20 e 80%) que dê pelo menos 90km/h e não só 45 e no máximo dos máximos, na loucura dou 4000€. visto ser elétrico, não comprarei nada com bateria com mais de 5 anos. Carrego durante o fim de semana em casa, carregamento ULTRA LENTO…tenho mais de 6 carros em casa, para andar…

      • JL says:

        Na loucura,…… também para fazer 80 kms por semana, até uma bicicleta serve.

        • Lu Motors says:

          Sim! se não tivesse que carregar todo o material que preciso(precisava de um reboque) e um belo par de pernas com muito “binário”, pois é a subir um monte, já descer, todos os santos ajudam…

          • JL says:

            Qual o problema da bateria ter 5 anos ?

          • Grunho says:

            A bici eléctrica transforma os Himalaias na Holanda. O esforço que exige para subir um monte é quase o mesmo que para estar num sofá, até um coxo a pedala. E a conta da energia são 0,75 kwh/100 kms. Uns 15 ou 20 cêntimos. Quanto a tralha, sempre pode levar uma caixa de ferramentas atrás, numa grade.

  3. acontece says:

    A Fisker já deu provas, no seu passado recente, da capacidade de aldrabar investidores; uma vez que estes já não caem na esparrela, entrou no mercado de retalho e aldrabam os consumidores.
    Desta marca não sai mais nada que pseudo-prototipos.

  4. Lu Motors says:

    É uma segurança para mim(para quem compra carro usado) pode-se apanhar dentro da garantia e ainda tem pouco tempo de uso, se for 10 ou mais pode estar nos seus limites de usabilidade, o que acarreta custos, por norma elevado.
    Não tem de ser propriamente 5, à garantias superiores…

    • JL says:

      Também compra um a combustão com mais de 200 mil kms ?

      • Lu Motors says:

        Sim, tenho um opel corsa b com motor Isuzu com mais de 500K de km, comprei com 4xx e tal. E um volvo v70 com 3xxK, sei que são motores que não dão problemas e aguentam muito mais que isto. Tal como sei que as baterias de lítio e seus ciclos de vida…
        Por isso, SIM COMPRO!

        • JL says:

          Os ciclos de vida não contam para a sua vida util, além disso ele regista tanto o uso como a sua capacidade atual, que também pode ser testada em oficinas e centros de assistência, até a dekra já faz esses testes.

          Saio agora um estudo que diz que os carros nos últimos 10 anos, apenas 1.5 % tiveram de substituir.

          • Lu Motors says:

            “Os ciclos de vida não contam para a sua vida util” no teu planeta…

            “ele regista tanto o uso como a sua capacidade atual,” estás a falar deste modelo? É que eu falo geral, uns sim, outros não…

            “que também pode ser testada em oficinas e centros de assistência, até a dekra já faz esses testes.” Novidades? Eu compro só a particulares e muitos não sei se deixam testar…(mas aí também não fazia uma compra cega.

            “Saio agora um estudo que diz que os carros nos últimos 10 anos, apenas 1.5 % tiveram de substituir.” Não sei do estudo, mas acredito, porque as baterias destes modelos, já são por módulos e basta substituir os apenas, com defeito, em vez de substituir o pack inteiro. Substituir um pack de baterias saí um carro novo! Mas também, substituir um módulo de cada vez(com o custo do material + mão de obra) ainda saí um “penso” valente!

          • JL says:

            Nem no meu, nem em lado nenhum, tanto que os fabricantes já não usam essa característica.

            Estou a falar de todos, não há nenhum que não registe, tudo acessível com uma simples aplicação no telemóvel e alguns até no ecrã do infotainment.

            Não deixam testar, não vendem, simples.

            Tem aqui o estudo: https://welectric.pt/2023/03/31/qual-a-percentagem-de-baterias-que-tiveram-que-ser-substituidas-nos-bev/?fbclid=IwAR1Wc3lT6wb6MHcVKDY_ddr7TXh_H1yH1dtK5fb4pN9RQ3Cqscypw-plYh8

            As baterias novas custam 1/4 a 1/3 do custo do carro novo, e porque não comprar uma em segunda mão ? eu já comprei.

  5. Lu Motors says:

    P.S:
    O VOLVO comprei com 301000km +-

    • Lu Motors says:

      P.S ll Prefiro comprar um volvo dos anos 2000 para trás com 500.000km ou mais, que um “0”km com motor térmico hoje em dia, principalmente se for alemão…

      • Grunho says:

        Se for um volvo a gasolina ainda tem mais outros 500.000 kms para fazer. Haja dinheiro para pagar o combustível.

        • Lu Motors says:

          Os meus Volvos são todos a gasolina. O 340 a carburador e de injeção o V70, um 5 cilindros o famoso 4T5. A minha prioridade é a segurança, consomem + 13L/100 mas eu antes do o comprar (como fiz com qualquer carro, investigo). Analiso os prós e contras, e siga rusga…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.