Quantcast
PplWare Mobile

Carros elétricos: São precisos 3 milhões de pontos de carregamento

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. FernandoRJ says:

    “Para que a UE se torne neutra em termos climáticos até 2050” ou para enfraquecer economicamente o Oriente Médio.

  2. Informático Amador says:

    A falta de uma rede de abastecimento – a juntar ao estacionamento ilegal em postos electricos – em quantidade e qualidade, além do elevado preço de aquisição, faz tardar a verdadeira “explosão” de aquisições de carros elétricos. Pouco a pouco, penso que se resolverá e espero que a produção de eletricidade também acompanhe. No resto, se os OPEPS, e quejandos, perderem poder e ficarem só com os camelos e areia para se entreterem, não perco o sono por causa disso.

    • Rui says:

      Explique lá como é que pretende aumentar a produção de energia eléctrica?
      – Mais centrais a carvão?
      – Centrais nucleares?
      – Mega-barragens deslocação forçada da população atingida?
      – Mais eólicas subsidiadas pelo famoso déficite tarifário, e que só é permitido a quem tenha milhões de euros para investir? Tente instalar uma eólica no seu quintal e veja se lhe deixam!
      – Mais mega-centrais de painéis fotovoltaicos, financiados por fundos comunitários e benefícios fiscais pagos por todos nós, enquanto o Zé da esquina, se quiser instalar painéis no seu telhado/terreno, só o pode fazer a custo zero (auto-consumo, para produzir enquanto está fora de casa!!!!), ou com contrato de fidelização como faz a EDP, na qual o Zé paga 800€ para comprar um painel e só recupera o investimento em 10 anos (quer dizer que dá a energia solar de borla nos 10 primeiros anos e depois disso os painéis devem estar bons para a reciclagem!!!!).

      • Pedro says:

        Se 50% dos carros fossem eletrificados em Portugal o aumento de produção energética necessária seria de apenas 14% (há estudos sobre isso). E pela minha própria experiência também constato isso (o meu consumo de eletricidade subiu cerca de 30%… pelo que se metade de todas as famílias tivesse um carro elétrico então o crescimento era de cerca de 15%. Tendo em conta que o consumo de eletricidade tem vindo a reduzir-se desde 2000 e de que a maioria dos carros carregam à noite em bi-horário onde há excedente energético, penso que não seja esse o problema. Para além de que a transição não se faz de um dia para o outro. Tem razão quanto à instalação de painéis solares para auto-consumo… Quem me dera ser auto-suficiente mas o “investimento” demora muitos anos a amortizar!

        • Cortano says:

          “seria de apenas 14%”
          E o que corresponde esses 14% em termos de necessidades de produção constante?
          O que corresponde esse aumento de 14% nas linhas de transporte e na rede de distribuição?

          Existem estudos para estes impactos ou é só dizer que corresponde a 14% como se isso fosse uma coisa insignificante?

          “maioria dos carros carregam à noite em bi-horário onde há excedente energético, penso que não seja esse o problema. ”
          Carregam onde?! Em casa?!
          Como?! Grande maioria dos portugueses não vive em vivendas nem em prédios com garagem.

          • Toni da Adega says:

            Entre 2000 e 2015. A produção de eletricidade em Portugal teve um crescimento de cerca de 100%.

            Se foi possível duplicar em 15 anos. Aumentar mais 14% não me parece uma meta muito complicada

          • Cortano says:

            Depende de como está o limite atual!
            Pelo que tenho lido, a maior parte da rede terá de ser reestruturada para os novos tempos – em especial, desenvolvimento e implementação de smart-grids

        • João M says:

          Bem, a diminuição do consumo de electricidade pelas familias não aconteceu por acaso:
          – equipamentos mais eficientes e as pessoas a “apagarem as luzes” ajudou mas, pelo que tenho reparado, o consumo diminuiu porque simplesmente a eletricidade ficou mais cara. SE não quero gastar dinheiro a aquecer a casa, por exemplo, vivo numa casa fria para não pagar centenas de euros. A frase mais usada por uma familia é “desliga a luz porque não sou accionista da EDP” e há uma razão para isso – electricidade é cara.. claro que o consumo diminui.

          Investir em auto-consumo é bom para quem tem os euros, dado ainda ser um investimento alto . De notar que apartamentos já terão mais dificuldade no que toca a este tema.

          Para o pais ser autossufiente ao nível energético seria apostar no nuclear. É uma energia limpa e segura . A tecnologia avançou muito. As eólicas têm um grande problema no custo de manutenção (as poeiras do ar, ao longo do templo, reduzem muito a eficiência da hélice), solar é caro e requer um bom terreno para ser viável , barragens idem . O nuclear sempre me pareceu uma boa opção mas, infelizmente, as pessoas ouvem nuclear e pensam na bomba (tecnologia completamente diferente) .
          O problema é ter coragem para tomar decisões politicas destas. Ter 1-2 centrais nuclear em PT implicaria que os lobbies do carvão e gás e, principalmente, o lobby do “ambiente” iria perder muito dinheiro (o ambiente é o melhor negócio hoje em dia… e assustar pessoas dá bom dinheiro) .

      • Digo Eu says:

        O advogado da OPEP chegou. Esqueceu-se foi de falar do factor “CO2”, esqueceu a energia das marés, esqueceu a fusão (em vez da fissão) nuclear, esqueceu que as “capelinhas” desaparecerão quando a Europa decidir por fim ao fóssil e por cá ou acompanham ou serão processados, esqueceu de por a cruz no quadrado certo quando foi votar e preferiu eleger “a equipa em que sempre jogou” em vez de alguém que combata os excessos de que fala, esqueceu muita coisa… Não há crise: nós recordamo-lo.

        • Rui says:

          E notável ler argumentos sem pés nem cabeça.

          Conhece algum reactor de fusão nuclear a produzir energia? Indique lá um, para eu perceber como resolveram o problema da temperatura gerada na fusão!!!!!

          O que os fundamentalistas ambientais não percebem é porque é que a Europa paga a energia mais cara do mundo! Obviamente porque optam pelas energias mais caras!

          Mas depois não se queixem dos impostos por tudo e por nada, porque é necessário sustentar o lobby das eólicas e parques solares!!!!!!

          • Digo Eu says:

            Conheço vários como o Tokamak, em que uma vez resolvidos os problemas haverá energia limpa e quase inesgotavel. Quanto aos meios de energia “verde”, só têm os problemas que têm por causa dos governos que a coberto de pretextos variados, querem sempre é mais receita, e não por causa de tecnologia. Quanto ao resto, eu ao menos argumento, você limita-se a dizer mal e nem nisso é bom.

          • Rui says:

            Você não argumenta coisa nenhuma.

            Diga-me 1 único reactor de fusão nuclear, sem ser experimental, que esteja a produzir energia eléctrica!

            Se qualquer governo estivesse disposto em apostar em energias renováveis, deixava que cada um instalasse painéis nos seus telhados/terrenos e estabelecia um preço único nacional para a compra de energia.

            Já agora, sabe quanto custam 40.000 postos de carregamento eléctricos!?!? Quem paga a factura? Todos ou só quem se serve do serviço?

            E porque não a aposta no hidrogénio como está a fazer o Japão?

          • Ruy Acquaviva says:

            Sim, porque a indústria de petróleo não faz lobby nenhum né? Eles não corrompem, não chantageiam, não abusam do poder econômico… São santos.
            Demônios são os produtores de energia eólica e solar. Esses sim são empresas multimilionárias que já provocaram inúmeras guerras em todo o mundo e dominam o sistema econômico mundial com todas as suas injustiças, não são as petroleiras que fazem isso não.

          • Rui says:

            Sim Ruy, deve ser por causa da indústria do petróleo que em Portugal pagamos o kw de energia dos mais caros do mundo!!!!!!

          • Ricardo84 says:

            Actualmente a energia produzida por fontes renováveis já não é mais cara apesar que o ter sido por alguns anos e se pagar a energia mais cara foi o preço a pagar para ter o mundo melhor se calhar compensa.
            Vamos ter que fazer sacrifícios se quisermos salvar o nosso planeta!

          • Rui says:

            Ricardo84?
            Tem aqui um artigo muito interessante sobre a energia gasta em Portugal e o seu custo.

            Veja o custo de energia eléctrica em paridade de poder de compra (PPP). Portugal paga a energia eléctrica mais cara da Europa!!!!!

            Acha isso normal? Num país que o Ministro diz que temos de abraçar a mobilidade eléctrica?

            https://expresso.pt/economia/2019-05-28-Como-consumimos-energia-em-Portugal–Uma-historia-contada-em-numeros

        • Lobbista says:

          O Digo Eu e o Ruy Acquaviva tocaram-te num nervo, não foi Rui? És arraçado de Allah, trabalhas numa bomba de gasolina, ou levaste um choque elétrico e queres voltar ao petróleo de iluminação?

          • Rui says:

            Eu fico admirado por ver tantos beneméritos que gostam de pagar a energia eléctrica das mais caras do mundo. Parabéns a vocês.

            Estou a borrifar-me para a petrolíferas, para o sector solar, para as eólicas……

            Admira-me ver tantos experts informáticos sem o mínimo de visão para perceberem que o mundo é dominado por interesses.

            Vivemos na ditadura do politicamente correcto, da ecologia….. e nem nos apercebemos que quem divide o mundo connosco, não partilha a mesma visão ocidental.

            Dou só o exemplo da China. Quase toda a tecnologia que compram, é feita na China, com mão de obra explorada ao máximo e no país mais poluído à face da terra!!!!!!

            E porque a China é poluída? Porque ficou com quase toda a indústria “poluente” que o ocidente não quis ou que a gula dos empresários em explorar mão-de-obra barata. Mas foi grassas a essa poluição, que a China deixou de ser um país do 3º mundo nos anos 70 e 80, onde morriam à fome, para se tornar no país mais poderoso à face da terra!!!!!!

            Vá à Índia e diga-lhes que têem de viver na pobreza e não se podem desenvolver nem viver melhor, só porque vão poluír mais!

            Esperava mais de licenciados em Informática. Gostava de ver esta gente “des”governar um país, quase como faz a Europa actualmente, que é irrelevante em quase tudo e ainda não percebeu que neste momento, o que a Europa pensa, não conta para nada, há 3 países que mandam no mundo: China, EUA e Rùssia e apesar de garantir-lhe que nenhum deles é menos poluente que a Europa, veja lá se eles estão preocupados!!!!!!!

      • Ruy Acquaviva says:

        É xará , tem razão… Esse seu esforço hercúleo para satanizar todas as alternativas energéticas que não o bom e velho petróleo. Esse que não polui o meio ambiente, não é subsidiado, não usa nem abusa do poder econômico, não ocupa espaço, não desloca populações, não afeta a paisagem, não tem altíssimos custos de prospecção, extração, refino e distinuição, esse bálsamo da sociedade moderna que não está envenenando nem o planeta, nem nossos organismos. Esse petróleo que nós respiramos felizes diretamente dos escapamentos dos automóveis todos os dias e que alimentam nossos enfisemas e cânceres…
        Tem razão, é melhor ficar com o petróleo… é sim…

  3. asdasdasd says:

    Pra quê? O pessoal quer é sucata como ja constou em todos os POST semelhantes a este.

  4. King Banido says:

    Portugal tem mil, e quantos desses mil estão em funcionamento?

    Ainda há um longo caminho por percorrer, até ser realmente viavel a aquisição do electrico.

    • Pedro says:

      A aquisição já é viável… E para frota de empresas então é um excelente negócio: isenção de ISV, isenção de IUC, dedução do IVA, ausência de contribuição autónoma em sede de IRC, “cheque” de 2250€ do governo, etc…

      Uma viatura para um comercial de 25000€ a diesel fica ao fim de 3-4 anos mais cara que um elétrico de PVP de 40000€.

      • King Banido says:

        Certo Pedro, mas o adquirir é “facil”, sempre foi… Uma pessoa que receba 1200€, apartida vai conseguir fazer um emprestimo de 40K, que já é suficiente para ir buscar um RS3 dos antigos, o problema passa mesmo em alimentar o bixo…Manutenção e combustivel.

        Muitos dos carros bombas que tão a venda, é derivado disso. As pessoas não souberam fazer as contas e acharam que era só “comprar”… Não contaram foi com o manter…

        O mesmo se passa com os electricos, não na questão de manter o carro, mas sim na electricidade.
        Já existem relatos de pessoas que nao tem condiçoes de carregar o carro em casa, e estão super descontentes com os EV’s e porque? Porque a pouca infrestrutura que existe em Portugal está na maioria das vezes “avariada”.

        • Pedro says:

          Pois… Quando fui ao stand para comprar o meu, a primeira pergunta que o comercial me fez foi: “Tem sítio onde carregar, em casa ou no trabalho?”

          Com a infraestrutura atual, de facto, quem está a pensar tirar partido apenas dos carregadores de rua pode ficar frustrado, principalmente ao nível de carregadores lentos (PCNs). Os carregadores rápidos (PCRs) já estão bem melhor… Em 2016 contavam-se pelos dedos de uma mão e agora são mais de uma centena! O facto de passarem a ser pagos contribuiu para o seu aumento… vamos ver o que vai acontecer quando os PCNs também forem privatizados…

  5. anon says:

    Um bocado irrealista. A não ser que a UE dá dinheiro à Portugal, não estou a ver isso acontecer por cá.

  6. Cortano says:

    Finalmente a começarem a falar das infraestruturas!!
    Isto não é só meter EVs à venda. Há muito por fazer e mudar.

  7. Jorge Carvalho says:

    Alguém me esclarece como se abastece por exemplo um estacionamento privado de um prédio com 50 carros se forem todos elétricos ? è que a EDP comercial não sabe nem a DGE nem o ISQ.

    Abc

    • João M says:

      esta sempre foi uma questão que tenho. Não podes simplesmente colocar uma wallbox num “lugar de garagem” de um predio. O condominio paga a instalação? (condominio implica todos os residentes aceitarem, como é com a instalação de gas natural).
      Se a garagem for individual, acho que a eletricidade está ligada À casa e aí pode-se colocar wallbox MAS num lugar de garagem suponho que não esteja.

      São perguntas válidas em que a solução não é simples. O mesmo para casas, como a minha, sem garagem e numa rua antiga da cidade.. o posto mais proximo de carregamento fica longe de casa. Numa casa assim não pondero tão cedo comprar um carro eletrico.. não posso esticar cabos no meio da rua para carregar o carro..

      • Pedro says:

        “MAS num lugar de garagem suponho que não esteja.”
        Durante 2 anos com o meu lugar de garagem ligado ao meu quadro do 4º andar ligava a uma tomada normal 10A sem problemas… Não precisa de wallbox se fizer apenas 100-150Km dia pois numa tomada normal à noite consegue carregar o suficiente;

        “O condominio paga a instalação? (condominio implica todos os residentes aceitarem, como é com a instalação de gas natural).”
        Não precisa que todos aceitem. Já há legislação para isso… basta que seja comunicado ao condomínio a intenção de colocar essa instalação. Os prédios posteriores a 2019, se não estou em erro, também já são obrigados a ter a infra-estrutura para carregamento elétrico (também está legislado).

        • João M says:

          Não estou a par da legislação, confesso. Se novas habitações já estão preparadas então isso é positivo.
          Quanto ao ponto 1 – não vi muitos prédios com tomada em cada lugar de garagem. O que vi é umas 2-3 tomadas pela garagem para, por exemplo, ligar-se um aspirador. Acho que esse tipo de instalação não é vista em todo o lado. Pelo menos nos prédios em que já estive nunca vi uma tomada em cada local de estacionamento ligada ao quadro particular.

          • Pedro says:

            E meu prédio tinha lugar de garagem com arrumos do próprio em frente ao lugar de garagem e todos ligados a cada um dos quadros particulares. Bem feito e já não era muito novo (construção de 2000-2001).

            Infelizmente a maioria não tem isso pensado dessa forma e depois até para ligar um pequenos eletrodoméstico durante uns minutos há barulho nas reuniões de condomínio!

    • PeterSnows says:

      Lê isto:
      https://www.uve.pt/page/instalacao-de-posto-de-carregamento-num-condominio/

      Resumindo podes ligar ao ponto do consumo do condomínio. O condominio nao tem como te negar.

      Agora à que ser realista, provavelmente desses 50 carros so existe 3 ou 4 pessoas (se calhar nem isso) que tem carro (eu disse têm, não disse que vão ter …)
      Se for esse o caso essas pessoas podem avançar e ligar as walbox à instalação do condominio.
      Quando a instalação não aguentar o disjuntor vai disparar (provavelmente quando tiveres mais que 1 carro a carregar), ai vão ter de fazer algum planeamento e mudar algo na instalacao.
      Se puderes faz uma puxada do apartamento ate à garagem e liga-te à instalação de tua casa.

      So para teres nocao 50 carros a carregar a 13 amperes (uma tomada normal), daria uma instalacao 650Amp (149.5kva).
      O teu condominio podera ter no maximo uma instalacao de 40kva.
      Se fosse esse o caso teriam de pedir novo ramal, fazer projecto, ….

      Fala com as empresas que instalam e vendem wallbox que te vão ajudar de certeza.

  8. Fulano says:

    Enquanto houver carvão e petróleo para queimar e fornecer a tal electricidade é tudo muito bonito. Cada vez fica mais claro que os carros a hidrogenio são o futuro.

  9. PeterSnows says:

    Deixem la o Estado quieto. Eu pagava para eles não fazerem nada. Para não atrapalharem.
    Podiam ir todos para a praia. O pais agradecia.
    Vejam o estado da rede de carregamento da MobiE. Passados anos para poderem fazer algo.
    Uma vergonha !!
    Eu preocupava.me com a capacidade da EDP criar novos ramais e aumentar a capacidade dos existentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.