PplWare Mobile

Carros elétricos: Portugal está em alta… à frente de países mais ricos


Fonte: Jornal de Negócios

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. João says:

    À frente de países mais ricos… ou à frente de países mais racionais?

    • Não Interessa says:

      Sim, mais ricos, pk racionais somos nós (portugueses) dado que os VEs para o tipo de utilização que muitos dão, faz muito mais sentido ecologica e financeiramente a longo prazo.
      Se pudesse e precisasse de trocar de carro neste momento seria um Nissan Leaf.

      • iDespairing says:

        Mais ricos em dívidas. lol

        • Pedro says:

          Nem mais. Alem disso, há carro mas n ha casa. Ha carro mas n ha ferias… Nem filhos ha pq fica caro. Se dessem metade do valor q dão aos carros em expandir os horizontes…

          • Luis carreira says:

            casa para quê? despesas? imi, manutenção, seguro.

          • Manuel says:

            Sem duvida .O comentario mais assertivo de todos os tempos.
            O portugues comum e um ser humano esquesito; casa nada , moveis muito menos, vida normal , é ter uma roda nas mãos.
            Pobreza de espirito total.
            O carro nao é tudo na vida.
            É so “lisos”a falar de carros

        • João Pequeno says:

          Em racionalidade não ganhamos de certeza! Se generalizarmos uma situação bem concreta que existiu mas que não deixa de ser sintomática da ligeireza com que se tomam decisões por parte de alguns Tugas: houve um iluminado que comprou um plug in e depois de o receber ligou para um prestador de serviço na area da mobilidade eléctrica que necessitava de uma solução para o seu problema – morava num 5º andar, sem garagem e não sabia como iria carregar o veiculo… como este haverá uns quantos que pelo menos daqui a pouco tempo vão desistir do eléctrico e vamos ter no mercado de 2ª mão muito “material não circulante” 😉

  2. Rui says:

    Afinal o Tesla nem está no top5!!!!

    Que é o que faz mais sentido!

    Apesar de estar aí o Smart ForTwo, a escolha mais racional entre os eléctricos, por agora, é o Smart For Four, mais barato 10.000€ que o Renault e 15.000€ que o Leaf, mas…… apesar dos 40Kwh da bateria, só dá para 170km!!!!!!!

  3. Motorista Inveterado says:

    Ainda há-de estar para chegar o dia em que, não generalizando, o Zé Tuga desista de investir num automóvel. Não me referindo à estrita necessidade de deslocação quotidiana, mas à soberba e ao hábito de encarar um veículo como uma extensão de si próprio enquanto indivíduo. Presado por todos, amado por muitos, no seu bólide veem afirmado o seu status social, ainda que para isso tenham de cortar na sopa durante toda a semana, já que, como sabemos, os impostos são proibitivos e os salários miseráveis…

    • João Reis says:

      Pois, isso é muito bonito de falar porque deves morar em Lisboa e até tens o resto do país a pagar para tu teres os passes dos transportes mais baratos e tudo. Agora anda cá para a província, para veres o que é bom, deixavas num instante esse discurso parvo. Além do mais não sabes como as pessoas têm os carros, podem ser leasings, pode ser muita coisa. E mais, o que cada um faz com o dinheiro que tem é com cada qual, não podemos generalizar. E sim, eu poderia ter comprado um mercedes, tinha dinheiro para isso, mas comprei um skoda. Na tua escala de status social devo estar mesmo em baixo não? Mas é que o carro que tenho é um espetaculo, é meu e está pago e não tens nada a ver com isso….

      • AP says:

        Concordo, só me consegui livrar do carro quando vim morar para Lisboa. Na terrinha até para ir ao pão tinha que ir de carro.

      • Rui says:

        É exactamente isso que sempre afirmo!
        Quem vive em Lisboa à custa de todos os outros que financiam duplamente os transportes públicos (primeiro era com o endividamento das empresas públicas e pela cobertura dos prejuízos, mas agora até pagamos os passes sociais de quem mora em Lisboa!!!!)

        No interior, até para comprar fósforos, temos de ir de carro fazer alguns km e regressar, o mesmo com o pão, etc…..

        E já agora, pense nisto, se tiver um AVC…….. está morto, porque o hospital mais próximo está a quase 100km de distância!!!!!!

        Para os actuais governantes, os problemas do país têem de ser o mesmos que os habitantes de Lisboa! Depois admiram-se da desertificação do país!
        Eu não sei o que é isso de transportes públicos no interior (financiados ou não);
        Também não sei o que é isso da explosão dos preços na habitação! Tomara eu vender o meu apartamento de 2003 ao mesmo preço dessa altura!!!!!!!

      • mlopes says:

        mas tens alguma dúvida que em portugal o carro que se tem é, na visão de muita gente (empiricamente diria que uma vasta maioria) um reflexo do estatuto que se pretende ter aos olhos dos outros? e tens dúvidas que esses outros lhe atribuem (ao carro) a importância de determinar estatuto?
        se tens dúvidas sugiro-te que penses bem, olhes melhor à tua volta e caias na realidade.
        a questão de que fora de lisboa um carro é mais necessário do que em lisboa é óbvia mas isso não implica que se faça do carro e se veja no carro uma extensão da pessoa ou algo que define a pessoa e na realidade é isso que vemos no dia-a-dia

        • César Ferreira says:

          Mas isso é no mundo todo. Somente grandes centros tem mobilidades melhores. Fora disso tens que ter um veículo próprio, seja no país que for.

  4. Jorge Carvalho says:

    Quando são quase todos de empresas de leasing ….

    Abc

  5. Jorge Carvalho says:

    Alias quando nem se incluía a Noruega que registou 86k mas a Alemanha é que está em 1º com menos diz tudo.

    Abc

    • Telmo says:

      A Noruega não faz parte da UE, o ranking aqui mostrado inclui apenas países da UE.

      • Artal says:

        desculpe este estudo tem a Noruega incluida veja la o mapa iterativo, nao me venha dizer que e so os paises que voce quer .

        • Telmo says:

          Não sou eu que quero ou deixo de querer, o nome do ranking é “Quota de mercado da VEs dos 5 maiores mercados automóveis da UE” por isso a Noroega não é incluída. O estudo até podia falar nos EUA e no Japão, o ranking só inclui países da UE.

    • Mateus Pinto says:

      Eu numa semana em Paris vi mais carros eléctricos que em vários meses de formação na Alemanha. Até a Alemanha ter opção eléctrica decente em casa, poucos alemães comprarão carros eléctricos. Os alemães estão numa corrida contra o tempo associando a Bosch e Siemens, até lá os alemães vão fazer de tudo para evitar comprar material externo.

      Os portugueses, franceses e suíços/ países da Escandinávia estão a dar o passo certo. Itália, Alemanha e outros países só o farão quando lhes convier. E garanto que essas marcas mentirão e vão aldrabar/ pagar os testes de autonomia o máximo que puderem para venderem ao máximo.

      • Rui says:

        Pois sim, os americanos só dizem verdades!!!!
        Está certo!!!!!
        Quando me lembro daquelas carrinhas de 6000 de cilindrada….. todas ecológicas!!!!!!

  6. Luis says:

    O preço de um carro elétrico está nos 30000 euros, equivalente ou da a gasolina 15000 euros.
    A diferença dos 15000 se dividir por 60 meses ( 5 Anos) dá nos 250 euros por mês.
    Sem contar com o valor do consuma da eletricidade acrescentada à factura da casa e o preço da substituição das baterias no fim de vida .
    Não compensa comprar carro elétrico essa é a minha opinião.
    Carros elétricos coisas de moda.

    • AP says:

      Luis, tinha toda a razão até chegar à parte de trocar baterias, isso é especulação parva porque ninguém troca baterias de 10000€. Pelos vistos os elétricos fazem muito sentido já, tendo em conta o número de vendas e o seu uso em empresas de leasing e transportes (Über e afins). Vá-se habituando porque mais ano menos ano, os petroleiros que fazem barulho de explosões e cospem veneno para o ar vão acabar.

      • Ahramis says:

        Por acaso e no que à Volvo respeita, um kit de baterias para uma V60 custa a módica quantia de 16 mil Euros, nada de mais para os ecologistas… Ou seja, um carro com 8 anos, garantia das baterias, e com problema nas baterias vai, literalmente, para o lixo… Ou seja, bem andam os construtores de automóveis ao estabelecer um novo paradigma de consumismo automóvel e com efeitos perniciosos para o ambiente, mas, estrondosamente apoiado pelos… ecologistas! Já agora, os ecologistas já garantem um sistema clean de reciclagem das baterias de lítio, ou o q importa é estar na onda dos eléctricos? Parece que sim…

        • AP says:

          Temos 20 anos de carros elétricos na estrada, zero casos de troca de bateria, mas quando é para ser do contra isso não interessa…

          Os fabricantes têm que fazer carros elétricos, é a única forma de reduzir a poluição nas cidades (nem falo do CO2) sem enganar os governos com filtros de partículas de 4000€.

        • Louro says:

          Só assim derrepente o que me ocorre é que é um pouco parvo pensar que acaba a garantia temos de trocar…

          Seria o mesmo que dizer que tens de trocar o motor do teu carro a cada 2 anos, pois a marca só te dá 2 anos de garantia…

      • Artal says:

        amigo os hybridos sao o futuro nao os eletricos , os hybridos sao muito muito superiores aos eletricos por agora e nas proximas decadas. existem hybridos com consumos de 1 litro aos 100kms de pois de fazer cerca de 60 kms so electrico com consumo zero, e sim as baterias sao muito caras muito pesadas e duravam muito pouco menos de 4 anos e agora duram menos de 8 ainda nao valem nada, e amigo custam a peso de ouro as dos volvo sao 16000 euros uma fortuna e o dos outros tambem sao mais de 10000 euros

        • AP says:

          Híbrido são para camiões e parvos. Era só o que faltava era andar com um carro que tem 2 sistemas completos de propulsão para se estragar e dar despesa. Uma das grandes vantagens dos elétricos é a falta de manutenção, metes um gerador ou um em-linha de 4 cilindros pelo meio e começam as fugas, os óleos, os orings, o pistões, as velas… nunca mais acaba as merdas para se estragarem, enquanto que um elétrico metes água nos mijas e estás.

    • anon says:

      Obviamente não compensa. Quem compra atualmente não compra para poupar dinheiro.

      • Nonnus says:

        Ai não!? Como é que chegou a essa conclusão?

        Se eu fizer 10km por dia não compensa, mas também não compensa ter um carro a gasóleo. Mas se fizer 200km por dia?

        Sabe que um carro eléctrico faz 100km com 1.50€ carregando em casa em bi-horario?

        Sabe que carro eléctrico numa revisão de 30000 em 30000 paga apenas 80€ e que num carro de combustão se conseguir por 150€ é uma sorte.

        Sabe por exemplo que os pneus de um carro eléctrico fazem 75000km e que as pastilhas fazem 150000km?

        Sabe que um carro eléctrico não muda correias nem embraiagens?

        Quanto a questão das baterias durarem pouco e custarem muito não passa de mitos que muitas pessoas que nem sabem o que é um carro eléctrico vão alimentado para fazer valer a ideia que o carro eléctrico é dispendioso, quando na realidade não é. É caro ao comprar mas paga-se ele mesmo.

        Acha que se as baterias durassem pouco as marcas davam 8 anos de garantia?

        Quantos carro a combustão queimam juntas da cabeça ou gripam antes dos 8 anos de vida? Alguém faz essa comparação do custo de uma reparação dessas? Mas as baterias é que são caras.

        Um motor de combustão novo para um carro pode ficar bem mais caro que a substituição da bateria de um VE.

        • anon says:

          Essa conversa vai dar ao mesmo que falar sobre comprar casa em Lisboa ou nos arredores. Ao logo do tempo acaba por pagar mais com o carro à combustão, o problema é que sai mais caro logo à partida. É uma questão de relatividade.

          • Nonnus says:

            Vejo uma alteração no seu comentário.

            Começou por dizer: “Obviamente não compensa. Quem compra atualmente não compra para poupar dinheiro.”

            Mas agora já diz que: “Ao logo do tempo acaba por pagar mais com o carro à combustão”.

            Então como é que ficamos?

            Se eu lhe disser que num ano poupei 3017€ com o carro eléctrico e que se multiplicar isto por 8 anos (garantia das baterias) tenho uma poupança de 24136€. Se calhar consegue perceber que a diferença a mais no acto da compra dilui-se ao longo dos anos.

            Você fez um cometário com base naquilo que ouve dizer e vê escrito por pessoas que simplesmente não sabem o que é e como funciona o VE.

            Eu antes de comprar o meu VE fiz muitas contas para perceber o quanto podia poupar, é essas contas que muitos dos que aqui comentam nunca fizeram nem percebem, apenas vão atrás de mitos e ideias pré-concebidas e ainda estão agarrados a tecnologias com mais de 100 anos. Quando apareceu o primeiro carro as pessoas andavam de cavalo com uma carroça e a transição também não foi imediata.

            Como alguém disse recentemente, são vendidos milhares de Veículos eléctricos no mundo, então esses milhares de pessoas são todas estúpidas e meia dúzia de pessoas que andam pelas redes sociais a escrever sobre aquilo que não percebem é que são os visionários.

            O VE pode não se adequar a todo o tipo de pessoa/utilizador, mas isso não quer dizer que não seja adequado a muitas outras pessoas.

          • anon says:

            Continuamos na mesma, pois se não tiver dinheiro para pagar um elétrico, não consegue poupar nada ao longo dos anos certo? Da mesma forma como se não tiver dinheiro para comprar uma casa em Lisboa a única solução tem é comprar na periferia.

  7. Luis says:

    O preço de um carro elétrico está nos 30000 euros, equivalente ou da a gasolina 15000 euros.
    A diferença dos 15000 se dividir por 60 meses ( 5 Anos) dá nos 250 euros por mês.
    Sem contar com o valor do consuma da eletricidade acrescentada à factura da casa e o preço da substituição das baterias no fim de vida .
    Não compensa comprar carro elétrico essa é a minha opinião.
    Carros elétricos coisas de moda.

    • Luis says:

      SR Monnus, poupou 3015 euros num ano com o seu carro elétrico? É esse o valor que vou poupar num carro a combustível logo na compra do veículo. Sabe quem compra um carro elétrico à partida tem mais poder econômico para o fazer, pois não é uma família de classe média que vai comprar, (15000 euros de diferença) como já li mais a cima e concordo, quem compra carro elétrico ao é empresas ou é quem pode e tem no como segunda viatura. O que sr sabe sobre as garantias das baterias?
      A garantia vai cobrir autonomia até o fim os 8 anos?
      Usa telemóvel , portátil ou outro equipamento com bateria? As garantias só são válidas caso da avaria , autonomia é considerado desgaste informe se.
      Se o meu dinheiro fosse fácil , também entrava numa aventura de comprar um carro elétrico.
      Como você diz há milhares a comprar carros elétricos, também há milhares a fazer contas à vida por isso não o compram.
      Carro elétricos vieram depois do escândalo do diesel lançado pelos americanos. Estranho telsa é uma marca americana… Foi oportuno não acha? E a corrida aos carros elétricos começou. …
      Cuidado eu não sou a favor aos carros a combustão, acredito que haverá outro tipo de energia , se calhar hidrogênio, se houvesse mais interesso em desenvolver essa tecnologia.

  8. Joaquim Martins says:

    Já os estou a ver a fazer fila pra carregar.

  9. Z/OS says:

    Ainda me irão explicar como é que um carro eléctrico permite reduzir as emissões de CO2… Só seria um carro com zero por cento de emissões se o carro fosse alimentado exclusivamente por fontes de energia totalmente limpas. Mas não o é. No entanto continua-se a dizer para comprar eléctricos e aqui pelo burgo, sendo a cultura nacional uma cultura de modas, compra-se.
    A melhor forma de não destruir o ambiente é consumir menos, utilizar os transportes públicos, não mudar de telemóvel de 2 em 2 anos, ter menos mudas de roupa, etc, etc. É curioso como esta nova geração se mostra muito preocupada com o ambiente, mas no entanto consome muito mais do que a minha geração consumia. É caso para dizer que os sacrifícios devem ser sempre feitos pelos outros… Somos todos hipócritas e co-habitamos muito bem com isso!,

    • Miguel Silva says:

      Essa é parte da questão mas não nos podemos esquecer que a não emissões de particulas nas grandes cidades melhora imenso a qualidade do ar. Para além disso, a produção de energia em Portugal tem mais de 50% de energias renováveis (o valor é bem mais alto mas coloco por baixo). Hipócrita é deixar de parte os benefícios óbvios que os VE trazem. Num caso extremo, fazemos todos parte de um país, podemos votar por isso, vota em alguém que te continue a investir em energia limpa e que o teu consumo eléctrico não venha de combustíveis fósseis. Estamos a percorrer um caminho que vai nessa direcção quer tu queiras ou não por isso daqui a 5-10 anos esse problema não irá existir (ou será bem menor) do que agora.
      Esta geração esta assente numa estrutura criada e impulsionada com a geração anterior, sempre foi assim. Os sacrifícios devem ser feitos por todos e para todos.

      • Rui says:

        Só esqueceu de referir que à custa das ditas energias renováveis (não considero as hidricas como energia verde pelo impacto muito negativo que tem para o local), pagamos rendas excessivas que nos colocam como um dos países mais caros ao nível da energia! Como é que explica isso?

        Esqueceu-se também de referir as 2 centrais a carvão e as centrais a gás?
        Não há nenhuma energia renovável absolutamente fiável que garanta o consumo!

        • Miguel Silva says:

          1) da mesma forma que os nossos impostos tornam os combustíveis (gasolina, gasóleo e afins) mais caros. Quer que explique o que? Não entendo a relevância disso para o assunto tendo em conta que 100km num carro elétrico fica mais barato a carregar em casa muito menos que 100km no meu smart que gasta 4L de gasóleo aos 100km.
          2) mesmo que 100% da nossa energia fosse de combustíveis fósseis e 100% dos carros eléctricos seríamos muito mais beneficiados…nem que fosse na qualidade do ar das cidades.
          Não posso discordar o que diz da energia hídrica e do impacto que tem no local mas isso não deixa de globalmente ter um impacto mais baixo que o equivalente em combustíveis fósseis.

    • AP says:

      > Ainda me irão explicar como é que um carro eléctrico permite reduzir as emissões de CO2…

      Fácil. Mesmo usando carvão numa central para carregar baterias, a poluição emitida é menor do que qualquer carro a gasolina. Não acredite em mim, pode confirmar por si. Junta o facto de realmente existirem melhores fontes de electricidade, e pimbas, o saldo é invariavelmente positivo.

    • Jorge says:

      Experimenta a meter o escape de um carro a combustão dentro da viatura e o fumeiro da central que produz a electricidade dentro do carro eléctrico, depois mede as diferenças.

  10. Zé Duarte says:

    Um Fiat Uno com 5 baterias de 9V não conta como carro eléctrico.

  11. anon says:

    Mais uma prova de que as pessoas querem lá saber dos carros elétricos, e quem compra é só para mostrar que tem.

    • Rui says:

      Os portugueses que compram um carro eléctrico, não têem dificuldades financeiras, não fazem grandes deslocações ou utilizam-no como carro secundário, para fazerem menos deslocações!!!!

      • Miguel Silva says:

        Isso não é verdade. A utilização substitui os carros a combustão de uso diário dado as vantagens como a redução de custos no dia a dia.

      • Nonnus says:

        Rui, você cada vez que escreve algo é só asneiras atrás de asneiras. A sua realidade não é a realidade dos outros.

        Dedique-se a estudar melhor o assunto e vai ver que nem só os ricos compram carros eléctricos.

        • anon says:

          Asneiras? Comprar um carro elétrico vs combustão é igual à comprar a prestações ou a pronto. Nem todos podem. Tão simples quanto isso.

        • Rui says:

          O nonnus é que não tem a menor ideia do que escreve.

          Então diga-me lá o equivalente de um i3 de 45.000€ e limitado a 150Km/h a combustão? Um Renault Clio de 20.000€?

          E o equivalente ao Nissan Leaf de 35.000€? Outro Clio de 20.000€?

          A verdade por muito que doa a muita gente é que se fizerem contas, percebem que um eléctrico está a baixo de um carro a combustão, mas isso é perfeitamente natural, porque são tecnologias que iniciaram verdadeiramente a competir com 100 anos de diferença.

          Um eléctrico não é barato, quem diz isso não faz ideia do que diz e depois fica com um carro inferior a um mero Clio!?!?! Excepto quem tiver disponibilidade para gastar mais de 50.000€!!!!!

          Fale com argumentos e não diga asneiras. Prove que escolha racional um português pode fazer ao comprar agora um carro eléctrico ou de combustão e depois conversamos!!!!

          Ah! E já agora, já reparou que o Renault Zoe é mais pequeno que o Clio que custa muito menos!!!!! Secalhar nem faz ideia……

      • Jorge says:

        Ena, mais um a dizer que eu sou mega rico, tenho 2. Epa sabem que mais, eu fartei me de gastar dinheiro com a galp, agora prefiro ir almoçar mais vezes fora e dar o meu dinheiro a portugueses que trabalham do que há galp e outros e ainda financiar guerras.

    • Jorge says:

      Quero lá saber do ambiente, as baterias dos meus veículos eléctricos até vão ser queimadas no quintal quando não derem pra mais nada, tudo por uma questão de igualdade.

  12. João Pinto says:

    É uma miragem ecológica enquanto for necessário queimar combustíveis fósseis para termos energia para colocar os carros eléctricos andar. “As instituições europeias aprovaram recentemente as novas regras no que respeita às emissões de CO2 para os veículos de passageiros”. Quando somarem as emissões para produzir e energia para os veículos eléctricos, começo acreditar os eléctricos são verdadeiramente ecológicos e amigos do ambiente. Até lá..miragem! Não se esqueçam do impacto ambiental também para produzir tanta bateria também..

    • Jorge says:

      O problema é que só têm somado as dos veículos eléctricos, se somassem também a energia total que os combustão consomem contanto com a extração, transporte, refinação, não andavam a falar em 80 e 100 gramas de co2 a cada km, mas sim de várias centenas.

    • AP says:

      João, sugiro que leia menos desinformação da industria petroleira, e procure informação por si. E isso inclui olhar para a real nojeira que é o percurso dos combustíveis, porque eles não nascem na bomba.

  13. Mark Collins says:

    Não tenho dúvidas de que os VEs vão ser o futuro da mobilidade e vão substituir paulatinamente os motores a combustão interna. Essa tendência ir-se-à consolidar ao longo do tempo…No entanto nas condições actuais de “pressão e temperatura” o preço médio relativo dos VEs ainda é muito elevado face às opções a combustão (gasolina/GPL, Híbrido por exemplo). Com as economias de escala e a melhoria da tecnologia de baterias os preços tenderão a diminuir e as autonomias a aumentar.
    Nas condições actuais, mantém-se o mesmo paradigma, ou seja: para quê comprar um VE por 30/35K com autonomia de 400 kms (isso se não passar dos 90/100 Kms h) e que demora 1 h a carregar (isto em postos de carregamento rápido) quando se pode comprar um V a gasolina por 15K/18K com autonomia de 900 Kms e que demora 5′ a atestar o depósito?!
    É claro se não existirem restrições orçamentais, há quem se dê ao luxo de ter um VE para as deslocações pendulares urbanas e um V convencional de combustão interna para as viagens longas, ou mesmo um Híbrido que normalmente é bem mais caro do que o convencional. Mas essa opção é para quem pode, não é para quem quer…
    Mais uma vez sublinho que os VEs são o futuro da mobilidade. Não tenho dúvidas sobre isso. Mas para que o paradigma mude de vez, o preço desses veículos terá que diminuir e as autonomias aumentarem de forma expressiva. Isso vai suceder, certamente, mas não é para já…

    • HC says:

      Concordo e julgo que vamos assistir a mudanças radicais nesses aspectos nos próximos 2-3 anos. Aliás, basta ver a VW e os VE que vai colocar no mercado a preços já muitíssimo competitivos. Neste momento, para quem possibilidade financeira, faz sentido ter um pequeno VE para as deslocações do dia-a-dia (trabalho, escola das crianças, compras, consultas, etc, etc) e ter outro a combustão para viagens maiores (fins-de-semana, férias, etc)

  14. Manuel says:

    Sem duvida .O comentario mais assertivo de todos os tempos.
    O portugues comum e um ser humano esquesito; casa nada , moveis muito menos, vida normal , é ter uma roda nas mãos.
    Pobreza de espirito total.
    O carro nao é tudo na vida.
    É so “lisos”a falar de carros

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.