PplWare Mobile

Psttt Linux… Como estamos em termos de quota de mercado?


Autor: Pedro Pinto


  1. ZarkBit says:

    Tal como o Linus disse, enquanto a maioria dos fabricantes não começar a vender Desktops/Laptops com alguma distribuição já pré instalada, Windows e Mac vão continuar no topo.

    E depois temos isto: https://www.youtube.com/watch?v=5Qj8p-PEwbI

    • Paulo L says:

      LOL
      “Is to late to go back to windows”

      Porquê? Só funciona entre as 9 e as 17 e apenas quando não estás a olhar para o ecrã!!!

      A sério, obrigado pelo link, chorei a rir com a notícia e depois com os comentários “I’m surprised she didn’t forget to breathe and drop dead in the middle of the interview”

    • golo says:

      um video de à 10 anos é pá…
      o problema nem passa por os pc’s trazerem linux pré instalado, pois os poucos que trazem são mais em conta que o equivalente em windows e a malta vai a correr comprar e a 1ª coisa que faz é logo mandar de vela o linux e meter o windows, a razão é mais que simples o suporte por parte dos fabricantes continua a ser rudimentar para o linux e gigantesco para o windows, já nem meto aqui a Apple na equação que é basicamente um mundo à parte dos restantes.

      nos dias que correm o linux está bem desenvolvido e o acesso é muito mais simples que nos seus primórdios, ainda assim em alguns pontos carece um pouco estudo para resolver algumas coisas, no entanto com a quantidade de informação a que se tem acesso, a malta é preguiçosa para procurar a resolução que muitas das vezes e básica, e depois como é natural os programas que se usa apesar de se conseguir equivalentes ou mesmo correr alguns via wine não é a mesma coisa que usar directamente no windows logo a malta nem quer saber do Linux.

      Linux em servidores e outros equipamentos não haja duvida que é a melhor coisa que pode haver, agora em desktop , a meu ver o grande problema de os fabricantes não olharem mais para ele é o facto de existir n distros diferentes e não só uma como o windows, o que provavelmente seria mais simples para darem suporte do que andarem a ter de fazer n para as mil e uma distribuições linux, por isso é que sofre uma grande desfragmentação, basta vermos o seu derivado o android, que é um dos maiores sistemas de smartphones\tablets, e os fabricantes fazem exactamente o mesmo, nunca ninguém anda actualizado.

      o linux sempre foi um sistema aberto e gratuito, por muito bom que seja não é com n distribuições que a coisa lá vai, e eu sou utilizador de ambos os sistemas, mas como é evidente o linux o uso que lhe dou é apenas para programar outros equipamentos que é muito mais simples, já o restante é windows porque os softwares que uso maioritariamente , parte deles nem sequer trabalha na plataforma linux por não terem qualquer suporte para ela.

      • Frederico Almeida says:

        O linux nao é a melhor coisa que pode haver em servidores. É bom e estavel mas….
        Olhe para Solaris, Aix, z/OS (mainframe)…. depois pode entao olhar para red hat, centos, etc

    • Cortano says:

      Isso é conversa da treta.

      Um dos grandes motivos pela falta de aderência ao Linux é o próprio Linux em si e a sua comunidade.
      Se nem entre a comunidade Linux há entendimento, como querem vencer no mercado?

    • Danilo says:

      Não adianta trazer pré-instalado, tentaram isto na Polônia. Sabe o que ocorreu? As pessoas instalavam Windows piratão.
      Não adianta, as pessoas são dependentes do Windows ao ponto de torna-se doença mental.

  2. AM says:

    Agora façam o mesmo relatório para servidores e o cenário se inverte 🙂 o Linux é isso… O Linux não é para o utilizador ignorante na área de ti( e não estou a ofender ninguém), apenas isso.

    • Cortano says:

      Portanto, quem não mexe com servidores é ignorante?

      OK…

      • Ruy Acquaviva says:

        Sua conclusão é absolutamente ilógica e capciosa. O que ele disse é que o Linux não é para o usuário comum, leigo, que ele chamou de ignorante. Talvez o termo ignorante dê margem a uma má interpretação, mas só se for entendido de forma enviesada. É claro que ele refere-se às pessoas ignorantes em relação à informática e não ignorantes em relação a qualquer assunto.

  3. Nélio Rosado says:

    Não acredito que essa quota linux suba muito mais.
    Enquanto que no windows qualquer utilizador consegue instalar jogos, ver o espaço em disco, memória RAM, abrir o gestor de tarefas para terminar um programa, parar e arrancar qualquer serviço… tudo com simples click. No linux tem-se de conhecer sintaxes para tudo e mais alguma coisa.
    No windows não necessitamos de ver tutoriais de como instalar, basta fazer duplo click, seguinte, seguinte e finish.
    O windows está virado para um utilizador comum sem conhecimento de programação, mas o linux é quase especifico para programadores.
    No meu caso, e julgo que se enquadram muitas pessoas, mais vale pagar um sistema operativo simples e intuitivo do que um sistema gratuito em que depois não consigo fazer quase nada senão navegar no browser.
    Existe muito opensource como alternativa, é uma realidade, mas na verdade, se me perguntarem se viveria sem windows eu respondo que sim, mas não era a mesma coisa.
    Adoro a simplicidade do windows, o office, especialmente o access que pode ser vinculado em mysql com umas ribbons giras e accessos controlados. Tudo sem saber código de programação.
    Os utilizadores linux criticam o windows, mas na verdade ele é simples e prático, mesmo que tenha os seus problemas. Não gosto do win10 (porque ocultaram imensas ferramentas) mas o 7 ou 8.1 para mim são os melhores.
    Já experimentei várias versões linux e não me convenceram, mas quando criarem um linux com as características do windows (não de aspecto mas sim de simplicidade), aí sim, ganharão mercado.

    • The boy says:

      O que dizes não é verdade. Não é verdade que o Windows seja simples, e muito menos é verdade que seja mais simples que o Linux.
      Basta instalares um Linux tipo Debian/Ubuntu/fedora/openSUSE com o ambiente gráfico KDE ou gnome e em termos de usabilidade para um utilizador sem nenhum tipo de conhecimento técnico avançado, é até mais simples do que usar o Windows 10.
      Em termos de instalação de software é mais simples, configurações do sistema, em coisas básicas (o que é 95% dos casos dos utilizadores comuns) é mais simples (em configurações complexas, é muito mas muito mais simples do que no Windows), actualizações do sistema operativo é muito mais tranquilo, consumo de recursos muito menor, actualização do próprio software que vamos instalando é automático.
      E quando dizes que não é preciso ir à NET para configurar nada no Windows, olha eu tenho constantemente de ir à NET para saber onde raio é que se encontra uma opção para configurar isto ou aquilo, e o normal é andar perdido.
      Vai daí que só uso Windows em casos muito raros, quando sou mesmo forçado.
      Para ter um Windows limpinho sem as carradas de extras parvos que vêem por defeito, tive de ver um vídeo (a outra opção era ler umas páginas na NET) e seguir o que o tipo do vídeo dizia, com o risco de ter de correr um script que não me lembro se era código aberto (mas assumo que era), e isto apenas para poder ter um Windows mais limpo. Achas que isto é simplicidade?
      E até te dou exemplos práticos, já meti familiares a usar Linux, desde pessoas dos 45 para cima, a jovens adultos, a crianças, e nenhum se queixou que achava aquilo difícil, até acharam mais simples do que o Windows 10.
      A única coisa que ainda prende um utilizador ao Windows é única e exclusivamente o Office, que infelizmente não existe para Linux e como é fechado, causa transtorno para quem tem de usar ficheiros em formato fechado e com formatações manhosas.

      • Cortano says:

        Isso não é bem assim e sabes bem disso no que toca à instalação de software em Linux.

        1. tens a treta dos repositórios, debian vs ubuntu… a eterna guerra

        2. vais a um site fazer download do software e ficas à toa porque pergunta-te qual o sistema que estás a usar para teres acesso ao package correcto para a tua distro – WHAT?!?

        3. É normal ires à net pesquisares sobre windows. Eu uso o Windows todos os dias há 20 anos e continuo a fazê-lo. Há sempre coisas novas, há sempre novas formas de fazer as coisas e há sempre necessidades novas.
        Se o MS-DOS já tinha ~700 paginas no seu manual, imagina se existisse um manual completo de Windows.
        Eu uso a net para Linux também, e com muita frequência.
        É normal se queres saber mais.

        4. “A única coisa que ainda prende um utilizador ao Windows é única e exclusivamente o Office” Se achas que esta é a única razão.. estão mesmo à toa.

        • Cortano says:

          errata:
          4. Se achas que esta é a única razão.. estás mesmo à toa.

        • Samuel MG says:

          1. não existe guerra o que está disponível no rep do debian tb está disponível no ubuntu.
          2. Vais ao gestor de pacotes synaptic.
          3. não comento
          4. vais comentário ao longo destes anos dizem que sim (incluindo alguns teus)

          • Samuel MG says:

            errata:
            4.vários comentários…

          • Danilo says:

            Eu diria que além do Office, a suíte da Adobe e quem sabe alguns programas CAD. De resto, não tem nada realmente de outro mundo. As pessoas ficam no Windows basicamente por causa disso.
            É interessante pensar que, mesmo existindo o Office para macOS, os usuário preferem as soluções da Apple. Dizem que o macOS é “capado” em funções.

      • Ângelo Baptista says:

        Boas, basta usares o wpsoffice e adicionar as fontes que estao no Windows, não precisas de usar o office e tens tudo bonito 😉

        • Danilo says:

          Sim, e também evitar usar formatos fechados como docx, o ideal seria usar odf, mas o povão não quer.
          Aqui no Brasil é regra usar formatos abertos, mas parece que ninguém segue, mesmo na universidade está lá o maldito docx

    • paulo g. says:

      Distribuições como Ubuntu, Mint e etc não fazem isso tudo? são Simples de instalar e usar.

  4. The boy says:

    Este post é um tanto surrealista.
    O “ano do Linux” já foi ao tempo, e a quota de mercado nada tem a ver com isso.
    O ano do Linux não foi um, foram muitos, foram aqueles em que a Google decidiu fazer os seus sistemas operativos baseados no Linux, e foi/é também todos os anos em que toda a internet está praticamente assente em Linux, em que a esmagadora maioria dos servidores no mundo corre Linux, e outros correm BSD. O ano do Linux é aquele em que a Microsoft tem parte de toda a sua infraestrutura cloud em Linux.
    Quota de desktop / laptop é uma questão de lucro das marcas que vendem computadores, com Windows cobram mais. Simples, não compliques Pedro.

    • Cortano says:

      “Google decidiu fazer os seus sistemas operativos baseados no Linux,”

      Neste caso a Google e Android já são amigos Linux?!
      É que nas “cavernas” da comunidade Linux, falar de Android é crime.

      “Quota de desktop / laptop é uma questão de lucro das marcas que vendem computadores, com Windows cobram mais.”
      Isto não é assim que funciona!
      As marcas cobram mais porque pagam à MS a licença!
      As marcas vendem PC/Laptops sem SO se quiseres! Até tens marcas exclusivas Linux… vai lá ver os preços.

  5. bill says:

    Estas estimativas são sempre muito discutives. Não ha duvida que no que diz respeito aos desktops o Windows ganha de capote, ou nao fosse esse o S.O. que vem preinstalado nos ditos. Mas o S.O. mais usado no mundo, em todos os tipos de equipamentos é sem duvida o Linux e derivados.

  6. PauloT says:

    O problema destas estatísticas é que o raio dos servidores não costumam aceder ao PornoHub.

  7. moonlightz says:

    Ao ler a primeira parte do título, eu fiquei com a sensação que havia uma distro de Linux chamada “Psttt Linux” de que eu nunca tinha ouvido falar e depois de continuar a ler o título, é que vi que era outra coisa.
    Uma vírgula ali faria toda a diferença…

  8. Eu says:

    Isso de estatistica do sistema operativo mais utilizado é uma bela porcaria!
    Todos sabemos que a totalidade dos PC vendidos vêm com o Windows Embutido nos custos dos mesmos, e o mesmo é certo que a politica seguida pela MS é a de dificultar a troca do sistema.
    Mas o que impressiona nos 2%, são os seus numeros.
    As estatisticas não mostram o número dos utilizadores, mas sim as percentagens, mas imaginemos que estamos a falar de um universo no minimo de 100 milhões de utilizadores, 2% são dois milhões de pessoas que fizeram a transição de Windows para Linux, e isso sim é impressionante, pois é uma opção, não uma imposição.

  9. Cortano says:

    Resumindo, users Linux são fortes consumidores de porno

    • Cisco says:

      Mas muito menos que os consumidores com Windows. Esses são os grandes vencedores (quase que apetece dizer que é só para que serve o Windows…)

      • Cortano says:

        Em termos de percentagem de visitas sim, mas em termos de percentagem dentro da quota de mercado no proprio SO, o Linux bate em grande!

        Ou seja:
        – Windows é de ~85% nos outros sites, no pornhub cai para 75%
        – Linux: ~1,9% nos outros sites, 2.1% no porn!!! Eh lá!!! Até rebenta a escala da quota geral 😀

  10. Fulano says:

    Portanto… um sistema morto para ter num laptop ou computador de casa.
    Podemos então acabar com aqueles artigos do “vamos mudar do Windows para Lixonux”?
    É que isso não cola e já todos percebemos o quão limitado o Linux é para o utilizador normal.

    • Pérolas says:

      … right… é tão limitado que muitos PAISES estão em plena migração para o linux, entre eles a russia e a china. Não é preciso ser um génio para imaginar que, nestes paises, as ovelhas terão de seguir o pastor…

    • Ruy Acquaviva says:

      O Linux não é limitado, isso é mentira. Também é mentira que o Linux esteja morto no desktop, simplesmente não é o sistema dominante. Mesmo com uma pequena porcentagem de adesão entre o público em geral ele tem milhões de utilizadores e soluções em uso no mundo todo.
      Aplicações críticas, de alto desempenho e uma ampla gama de soluções empresariais utilizam o Linux. Um exemplo é o fato dos quinhentos supercomputadores mais potentes do mundo rodarem TODOS versões de Linux.
      Ah! mas e o utilizador normal? Ora, dane-se o utilizador normal, esse não é o foco do Linux. Acho interessante que várias distribuições tenham ferramentas que tornam a utilização do Linux no desktop até mais fácil do que os sistemas comerciais (Windows e MacOS), mas isso está longe de ser a coisa mais relevante para o sistema.
      Não e importo que pessoas frustradas como você, que não querem ou não tem capacidade de utilizar o Linux, queiram detratar o sistema que não conseguem utilizar. Pessoas frustradas e mesquinhas, que precisam de mentiras para compensar suas inseguranças, existem aos bilhões neste mundo. Não é nenhuma novidade.
      Porém se não se coloca um contraponto essas mentiras podem enganar algumas pessoas de conhecerem alternativas de software livre que podem ser úteis em muitas situações.
      Em resumo, esse tipo de mentira, mais do que uma simples expressão dos recalques de quem as propala, pode ser prejudicial a incautos que porventura nelas acreditarem.

  11. Gustavo Garcia says:

    O Windows em casa serve para os jogos. Há menos jogos para Linux e esse é o principal motivo.
    Depois há a questão do hábito que é o que coloca os Windows nas empresas.
    Mas reparem que estas estatísticas invertem-se quando falamos de sistemas operativos em equipamentos móveis. O Android (Linux) domina de forma ainda mais marcada que esta, o IOS (Mac) está em segundo e o Windows já morreu…
    Porquê?
    Porque o Android tem mais jogos, maior prevalência junto dos fabricantes de hardware e o mercado empresarial não foi dominado a tempo pela Microsoft (na realidade as empresas precisam de pouco nos equipamentos móveis).
    O problema não é ser melhor ou pior (cada um tem vantagens e desvantagens em relação aos outros), é ter maior ou menor aceitação nos fabricantes de software (especialmente jogos) e hardware.

  12. informado says:

    que continue assim que está muito bem 🙂 Continuem com o Windows que eu continuo com o Linux Fedora 🙂

  13. Sardinha enlatada says:

    Fizessem uma lei para proibir venda casada de software com hardware nos PCS . E um comercial entendido no assunto dos SOs a aconselhar linux no acto da compra a ver se os numeros da Microsoft nao desciam. E claro que tambem existem outros softwares dependentes dessa plataforma que dificultam a mudanca das pessoas, drivers, tudo isso se fosse feito em duplicado para outros SOs a Microsoft morreria num instantinho. Ou pelo menos ficaria a sangrar do nariz hehe. Em todo o caso faz-me confusao essa estatistica dos 2% que nunca sobe nem desce desde a decadas. Sera possivel ?. Alguem anda a mentir as pessoas haaha. Aqui em casa faço parte dessa estatistica dos 2%

  14. O mais inteligente do mundo says:

    Infelizmente O monopólio venceu , é inútil lutar contra isso. ficar de dual boot é coisa de besta, o sistema operacional tem que ser completo.

    • Fernando says:

      O android e o IOS vieram provar que as surpresas surgem de onde menos se espera. A Microsoft é a grande derrotada da última década. Uma década a apanhar bonés por muito que custe aos fanboys de multinacionais como a MS, coisa que eu nunca na vida hei-de compreender. A maior parte dos acessos à Internet e respectivo consumo de serviços já não é feito através do Windows. A tendência é para piorar.

  15. João Rainha says:

    Ainda bem, enquanto os outros todos tontos, ou não, não quero ofender ninguém, desdenham o linux eu vou continuar a usar, como faço desde 99 do século passado.

    • Ruy Acquaviva says:

      Algumas pessoas escrevem como se o grande sonho de todo utilizador de Linux fosse que ele se popularizasse a ponto de rivalizar com o Windows em termos de fatia de mercado.
      No meu caso, e pelo seu comentário aparentemente isso vale para você também, não poderiam estar mais errados.
      O que eu menos quero é que o Linux se popularize demais. Divulgo as vantagens dos sistemas operacionais livres, principalmente os baseados em LInux, não para aumentar a base de utilização do mesmo, mas para ajudar pessoas que podem se beneficiar muito desse recurso. Quanto ao “usuário comum”, aquele que não quer saber de nada, só usar, quero distância. Apesar de saber que muitas distros Linux podem tranquilamente atender a esse tipo de usuário, prefiro que o foco do sistema esteja em outros pontos como escalabilidade, flexibilidade, eficiência e segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.