Quantcast
PplWare Mobile

Será que faz algum sentido? Microsoft lançou o seu antivírus para o Linux

                                    
                                

Fonte: Microsoft

Autor: Pedro Simões


  1. eu says:

    No mínimo irónico e uma grande estratégia de marketing (ainda que não tenha sido intencional).

  2. Fulano says:

    E porque não? Linux, tal como qualquer outro sistema operativo está sujeito a ataques. Há malta que acha que há pequenos almoços grátis…

    • Jorge says:

      Quem não atualiza o seu sistema estará sempre sujeito a ataques. Mas o Linux é de longe o sistema mais dificil de hackear e o tempo de resposta para resolver problemas é rápida.

    • Miguel says:

      O Linux por definição é mais seguro, atenção não estou a dizer invulnerável, mas a maneira como funciona, todo o software que se instala que seja dos repositórios não tem qualquer vírus. Fora teres de dar a pass sempre que modificas o sistema. E por ser um SO mais usado por quem sabe o que tá a fazer.

      • TwoEyez says:

        Tão mas tu no windows também tens de meter a pass em tudo o que é alterações de sistema, a não ser que não tenhas as coisas bem configuradas, como por exemplo separar o utilizador Administrador do utilizador sem poderes administrativos. Já pensaste nisso?

        • Klaus says:

          Por padrão, a instalação de 99% dos Windows não existe separação de usuário comum/padrão e administrador, usa-se uma só conta com poderes administrativos, sem necessidade de senha alguma. Por isso torna-se mais suscetível a pragas, além de outros milhares de fatores.
          Nenhuma distro destinada a usuários leigos loga-se como root, visto o risco que é. Até o Kali que fazia isso, não faz mais e é um distro para segurança, pentesting, etc…

          • TwoEyez says:

            Concordo contigo, mas não é o sistema que é mau mas sim as boas praticas de segurança que não estão a ser usadas. Não quero com isto estar a dizer que o linux é mau ou o windows apenas que as configurações existem para ser usadas.

  3. eu says:

    Sabem quando é que o Linux vai passar a ser considerado inseguro ?
    Sabem ?
    É simples !
    Quando passar a ser usado por um número não insignificante de utilizadores, principalmente o mercado dos end-users e não dos experts, que é o maior e dominado por Windows.
    No entanto creio que ao contrário de outras teorias, aqui não é “quando” mas “se”.

    • desinformado says:

      Ri-me…

      P.S.: Concordo com o facto de passar a ser menos seguro quando tiver mais pessoas a usar, pois o problema da segurança na maioria das vezes está entre o teclado e a cadeira.

      • Louro says:

        O nick assentou que nem uma luva.

        O problema está de facto entre a cadeira e o teclado, mas o que ele queria dizer é que quando passar a ser mais amplamente usado, quem quiser hackear, infectar etc, irá investir mais tempo nisso e irá encontrar muito mais falhas, possivelmente mais falhas que as existentes no Windows ou Mac.

        • eu says:

          Alguém que entendeu 🙂

        • Filipe Coelho says:

          A questão é que o Linux está presente em tantas mais coisas e pessoas que o Windows, que acho discutível se não é já mais vantajoso encontrar vulnerabilidades no kernel em si do que no Windows. Linux não se baseia à sua versão de desktop para utilizadores. Digam-me, sendo um hacker de intenções maliciosas, qual preferiam, ter acesso a milhões de computadores pessoais ou milhões de servidores, smartphones, boxes, TVs, dispositivos IoT, super computadores e até carros?

        • Klaus says:

          Dificilmente encontrará mais falhas já que o código está aí pra todos… E diferente do Windows, para tudo precisa senha no Linux. Não é tudo aberto. Um vírus sem permissão de root não poderá fazer um estrago a nível gigantesco como faria se fosse no Windows. Além disso, muitos pacotes são instalados via sandbox. Se houver vírus não afeta todo sistema.
          Antivirus no Linux não faz sentido algum, não é a toa que ninguém usa.

    • NL says:

      Basta pesquisar para mudar de opinião.
      Começa por dar uma vista de olhos na lista CVE

  4. Ze Carlos N says:

    Normal. Com a cloud, IoT, cloud computing etc, ou se da as maos ao Linux ou fica-se para tras.

    Curioso para ver em 5 ou 10 anos o windows nao sera uma especie de RedHat.

  5. Carlos Santos says:

    faz sim. efeito guarda-chuva, tal como as vacinas os linux podem interceptar e impedir a dissiminação de programas maliciosos para outras plataformas

  6. ervilhoid says:

    é bom para eles, assim ficam a saber o que as pessoas têm nas máquinas Linux

  7. Samuel MG says:

    Não faz sentido nenhum ter um antivírus no Linux e eu sei do que falo já o uso a mais de 11 anos. Nunca precisei nem se quer é viável ter uma suite pois o Linux corre de forma totalmente diferente do Windows. A única coisa necessária é algum conhecimento por parte de certos utilizadores.

    • eu says:

      E quem é que te disse a ti que este antivirus (ou qualquer outro) são pensados para power users ?
      Até o Windows sem antivirus mas atualizado nas mãos do utilizador certo, pode ser seguro.
      Se tiver desligado da Internet então e não aceitar periféricos, pode-se dizer que é à prova de virus a 100%.

    • Louro says:

      Antes de mais, sou Linux user ainda do tempo do Mandrake (provavelmente a maioria nem se lembra de tal distro), e lá por nunca teres tido problemas nao significa que nao tenhas tido o teu sistema infectado, apenas estava lá e tu nao sabias.

      É a mesma coisa que alguém afirmar que nao tem qualquer tipo de doenca, pode ter, nao se manifestou e por consequencia nao sabe.

  8. Thiago Salvatico says:

    Agora sim o Linux irá ter brechas não só para luz da NSA. Será um campo onde a NSA não penetra tão fácil, e com a Micro$oft, esse trabalho será mais facilitado e a ganhar umas moedinhas. Pagar para ter brechas. Não irá tardar para que surjam notícias de que encontraram bugs na ferramenta.

  9. João Pereira says:

    Com senha root, para fazer qualquer alteração no sistema, coisa que o Windows não tem, actualizações da dos utilizadores e correções quase imediatamente, coisa que o Windows tem, a única coisa que o Windows tem é antivírus, é como por a raposa a guardar o galinheiro.

    • NL says:

      De que serve a senha root quando tens o sudo? Nada

      • Klaus says:

        E para executar via sudo tens de ter, adivinha, a senha root. 🙂

      • Ruy Acquaviva says:

        O sudo permite que um grupo de usuários registrado no arquivo sudoers possa executar comandos exclusivos do root, mediante digitação de sua própria senha. Trata-se de um sistema de delegação de permissões, definida pelo root através da edição do referido arquivo, onde estão quais usuários podem utilizar o sudo e o que eles podem fazer usando essa ferramenta.
        O sudo bem configurado é uma ferramenta de administração que não afeta em nada a segurança do sistema. Claro que se algum doidivanas resolver dar permissão completa de sudo a todos os usuários estará destruindo a segurança do sistema, mas isso é uma deturpação da ferramenta, que não foi feita com esse intuito. E cá entre nós, se for assim fica mais fácil já divulgar a senha de root de uma vez.

  10. Bob says:

    É infeliz a quantidade de pessoas mal informadas…. os comentários de pessoas que continuam a afirmar que os sistemas Linux são 100%, só revela a falta de experiência na área.
    Assumir que por 1 computador não ter problemas de segurança, é idêntico a um ecosistema de sistemas de milhares ou milhões de máquinas, é muito diferente.
    Convém lembrar que uma solução de ATP (advanced Threat Protection), para os endpoints, é mais uma barreira de segurança.
    Tal como ter um óptimo sistema de UTM entre o endpoint e o acesso a todo o tráfego WAN.
    Os ataques são aos milhares por dia…. as falhas de sistemas usados por milhões de pessoas e brechas de segurança, também são noticias semanais!

    Todos os sistemas são vulneráveis. Ponto final.
    Usem com cautela, e adoptem as medidas de segurança que podem.

    • Zé Ruela says:

      Ora nem mais ! Apenas idiotas sem experiência alguma na área ou informáticos de esquina vem pregar que o Linux não tem problemas de segurança. Sim o Linux é um sistema de uma forma geral superior ao Windows. É um facto que actualmente tem menos falhas de segurança ou vulnerabilidades mas tudo isso apenas por uma razão ! Market Share …

  11. Ruy Acquaviva says:

    Todo sistema tem suas vulnerabilidades. Os sistemas operativos Linux, apesar de serem robustos e mais seguros que muitos outros sistemas, também estão sujeitos ao ataque de malwares. Porém a instalação de um programa antivírus não é uma abordagem correta para aumentar a segurança do sistema. Na verdade a emenda sai pior que o soneto e o próprio antivírus torna-se parte do problema em vez de apresentar uma solução.
    Manter o sistema atualizado, separar as permissões, manter a senha de root segura, observar comportamentos inconsistentes do sistema e obter programas apenas de origem segura são exemplos de abordagens adequadas.
    Um antivírus seria apenas um consumo desnecessário de recursos e uma porta a mais para a entrada de malwares. Além disso os antivírus dão uma falsa sensação de proteção. Confiando-se na sua eficácia (que é extremamente questionável), deixa-se de observar as ações acima citadas, entre outras, que tem eficácia real para a proteção do sistema.
    Já usei antivírus no Linux, mas somente para recuperar partições Windows em computadores com dual boot.

    • Thiago says:

      Enfim um comentário complementar ao que escrevi. clap..clap..clap..clap! Diferente de outros asnos que não sabem nem compreender uma frase. Isso porque escrevi que o linux é mais difícil de a NSA penetrar. Todos já nascem sabendo que NENHUM sistema é 100% seguro. Isso é óbvio em qualquer lugar. Até os humanos não são imunes. Estou parvo dessas antas.

  12. Rafael says:

    Sei muito bem o motivo…. obter dados.

  13. Pedro says:

    É agora que o linux se torna em mais uma das ferramentas para roubar dados usada pela microsoft, se deixei de usar windows 10 por alguma coisa foi, e venhem eles agora desenvolver um antivirus para linux, ha ha, boa sorte a tentar forçar a instalação do antivirus também

  14. Miguel says:

    Claro que existe vírus para Linux, normalmente são falhas de segurança no software e não no próprio OS.
    O pior que existe para Linux são os rootkits.

  15. Miguel says:

    Este antivírus não é para o Linux em sim, mas sim para proteger os clientes windows, é que a Microsoft aos poucos tá a mudar os servidores deles para Linux. O Windows server é cada vez usado mais por pessoas singulares que empresas lá fora. Cá em Portugal a conversa é outra infelizmente. Preferem ter os sistemas desactualizados. Eu trabalhei na Barraqueiro transportes(não recomendo), e os PCs são quase todos com Windows xp em 2020. Menos da Engenharia.

  16. nop90 says:

    Vou já colocar um software da Microsoft que requer acesso root no meu Linux e sem poder ver o seu código, sim, sim, sim, claro. Que piada.

  17. sakura says:

    Não estou a ver a MS a instalar
    ClamAV,
    ClamTk,
    ChkrootKit,
    RootKit Hunter,
    Comodo,
    Sophos,
    BitDefender,
    F-PROT,
    na sua Azure, que é 100% gnu/linux.

  18. informado says:

    Só rir. Uso o linux há muitos anos nunca tive um único anti-vírus instalado. Que palhaçada a Microsoft. Não consegue proteger-se e quer proteger outros . ahahahaah

  19. Klaus says:

    A Microsoft só quer instalar-se no Linux, via “Antivírus” para obter mais dados dos usuários, muitos desses usuários ex-usuários de Windows. Ou seja, fugiu do Windows 10 e de sua telemetria? Pois é, ela pode te pegar se instalar o Windows Defender e Edge!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.