Quantcast
PplWare Mobile

Microsoft cumpriu o prometido! Edge chegou finalmente ao Linux e pode ser testado

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. CMatomic says:

    Quem estiver interessado e queria testar este navegador sem instalar no sistema aqui fica o Script para gerar uma AppImage

    Unofficial AppImage Edge for GNU/Linux
    * Script compatível com distribuições baseadas em Debian

    Esta sequência de comandos irá baixar os arquivos necessários e executá-los para gerar a AppImage do não oficial do Edge, depois podem aceder a pasta buildMicrosoftEdge / out e clicar na AppImage gerada.

    Microsoft Edge Dev
    [CODE]
    mkdir buildMicrosoftEdge;cd buildMicrosoftEdge;wget https://raw.githubusercontent.com/AppImage/AppImages/master/pkg2appimage; mv pkg2appimage pkg2appimage.sh;chmod +x pkg2appimage.sh;wget mkdir buildMicrosoftEdge;cd buildMicrosoftEdge;wget https://raw.githubusercontent.com/cmatomic/RecipesAppimage/master/MicrosoftEdgeAppImage/microsoft-edge-dev.yml;ARCH=x86_64 ./pkg2appimage.sh microsoft-edge-dev.yml [/CODE]

  2. Shynkendo says:

    Bom dia, não obrigado!

    • eu says:

      Porquê. Microsofobia ?

      • Pedro says:

        Medidas sanitárias, não aprendeste com a pandemia?

        • eu says:

          Aprendi a não seguir tudo, tudo o que passa na TV e sem deixar de estar atento, ainda penso por mim. Os vossos comentários não fundamentados, parecem saídos de 1 seita religiosa.
          Não vejo mal nenhum neste suporte ao Linux.
          Enquanto utilizador, se me perguntarem se podia usar Linux, a resposta é sim e não. O não é precisamente a falta de algumas ferramentas e quantas mais vierem, menor a resistência à entrada do Linux.

          • Paulo Jaime says:

            Eu instalei no meu Linux Mint 19.03 e rola que nem gelo e sem bugs! O Firefox 82.0 andava pesado e com travamentos, aliás assumidos pela Mozilla….então adoptei o Edge que aliás tb uso no Windows 10. Mas por norma uso sempre o Linux……

  3. Gabriel says:

    Mas alguem pediu? lol
    Quem utiliza o Linux quer o máximo de distanciamento da Microsoft e dos seus produtos spynet

    • Pensamento Positivo says:

      …Entre a velha guarda sim… Mas, olhe que há uma nova geração que já vê o mundo de outra forma… E o que a MS está a fazer é a preparar-se para um futuro não muito distante em que isso será a realidade do mercado pura e dura que ditará a lei!…

    • xtremis says:

      Sim, sim, vai ao reddit e logo vês a quantidade de pessoal que já estava à espera do Edge para Linux.

    • Carla says:

      Nem todos utilizam Linux por opção. E outra, que mal faz? Não é no Linux que se tem a “liberdade de escolha”? Mas aí quando querem dar essa liberdade muitos se opõem por ideais conservadores. Ninguém é obrigado a baixar, e a concorrência incentiva o desenvolvimento.

    • Ola says:

      Conheces toda a gente que usa Linux? Então nao digas disparates!
      Na lista de editores de texto mais populares em Linux tens dois da Microsoft: VS Code e Atom. Fonte de examplo:
      https://linuxhint.com/best_linux_text_editors_programming_2020/
      É melhor tirares o chapeu de aluminio da cabeça e tapares antes a boca

      • CVZalez says:

        Utilizei o Visual Code enquanto usava Windows a par com o Notepad++, ambos este programas NÃO são um IDE ao contrário do Microsoft Visual Studio, Eclipse, Intellij Idea,Netbeans etc. o Microsoft Visual Code é apenas um editor de código com marcação de sintaxe e “refracting” melhorado, neste tipo de aplicações que servem de apoio, quer-se algo leve erápido mas o Visual Code não é nenhuma das duas, o código base usa o Electron que basicamente é um web browser, basta abrirem o Visual Code e Notepad++ para verem a diferença, o primeiro consome logo à partida mais de 500 megas de RAM emquanto o outro nem chega a 50 MB, esta diferença vai ser perceptivel quando o código se torna maior.. No Linux ha diversas opções mas uma actual, rápida e de fácil utilização é o Geany

  4. Ricardo says:

    Interessante o que a Microsoft anda a fazer em relação ao Linux. Desconfio que com isto a integração do Office 365 vá passar a ser mais fácil e brevemente começaremos a ver mais Linux no desktop…. sim porque a grande barreira do Linux ainda é a compatibilidade 100% do Office… a ver vamos…

  5. Miguel says:

    Como se alguém fosse usar isto no linux 🙂

  6. Nothing to! says:

    Se portassem o office e que eram finos, agora esse lixo que ninguém precisa…

    • Pensamento Positivo says:

      Em breve tanto o Office como os produtos da Adobe será tudo web based… E nenhuma delas quererá perder a quota de mercado que as marcas Chinesas lhe vão tirar por optarem cada vez mais por Linux nos seus PC. A Lenovo já tem linhas com Ubuntu. A Huawei será a próxima… A Xiaomi não deve tardar… Eles têm de se preparar para o futuro…

    • Paulo Jaime says:

      Para que precisa do Office da Microsoft se tem o excelente Libreoffice da Oracle no Linux? Também tenho pc com Windows 10 e não uso o Office da Microsoft mas sim o LibreOffice….. muito completo e bonito

      • CVZalez says:

        Está a confundir o OpenOffice com o LibreOffice, o Open Office tem algumas licenças que pertencem à Oracle, o LibreOffice é regido pela Open Document Foundation, mas concordo consigo, o Libre Office é excelente,eu até prefiro ao Microsoft Office, pessoalmente acho muito superior em muitos aspectos.Tanto o Open Office como o Libre Office são gratuitos.

  7. Pensamento Positivo says:

    Já experimentei por breves momentos. Ainda não dá para tirar uma conclusão definitiva… mas, assim à 1ª vista parece um trabalho bem profissional (está leve, prático e intuitivo) e a pensar num futuro não muito distante em que a MS sabe que perderá a sua hegemonia total no desktop e quererá estar à altura dos desafios do futuro onde a oferta de produtos integrados ao browser será chave, mais que a venda de software “a la carte” como até aqui…

    • xtremis says:

      Bem, esse futuro para a Microsoft já chegou pelo menos há 3 anos 🙂 Desde 2017 que o revenue de Office 365 ultrapassa as licenças mais tradicionais.

      https ://arstechnica.com/information-technology/2017/07/microsoft-4q17-office-365-revenue-surpasses-traditional-licenses/

      • Pensamento Positivo says:

        Certamente; um dia isso aconteceria… Mas, há uma outra “revolução silenciosa” justamente prestes a acontecer: Os mercados, especialmente o business e o corporate vão descobrir alternativas fora do universo Windows ainda dominante… E isso dar-se-à a nível global, principalmente nos mercados Oriental e em algum Europeu também. Eles quererão estar um passo à frente disso…

    • Osvander says:

      Eu também… É mais rápido do que meu predileto opera. Funciona muito bem no video, música e meu site que não abria em outros como chrome etc, abre nele, ficou legal estou nele no momento, muito bom.

  8. clodoaldo says:

    Instalei no fedora-32-mate e está funcionando muito bem.

  9. informado says:

    ahahahahahha ! Nos meus linuxs e nos meus portáteis não entra de certeza! Palemoon para sempre!

    • Ola says:

      Good luck, num mundo dominado por Chromium, tenho muitas dúvidas desse browser.

      • CVZalez says:

        Chromium não é o mesmo que o Chrome, Chromium é o projecto OpenSource,esta versão da MIcrosoft é basicamente um Google Chrome com a cusquice Microsoftao invés de Google,ha muito browsers bem melhores, O mais conhecido é Firefox, Brave, Gnome Browser (Gnome Web), entre outros milhentos!

  10. Ibmi Media says:

    A Microsoft está realmente se desenvolvendo e agora ganhando terreno na área Linux.
    Você pode aprender mais sobre a instalação do CentOS 8 em um VirtualBox;

    https://linuxapt.com/blog/install-configure-centos-8-on-virtualbox

  11. Jorge Carvalho says:

    Desculpem a pergunta mas aqui fica. O que eu ganho em instalar o Edge par linux face ao Firefox que já vem por omissão em Xubuntu, Ubuntu e outras distros? Faço desenvolvimento WEB e o Firefox Developer Edition ou o Firefox normal chegam-me perfeitamente para o teste e debug das aplicações. Obrigado aos que ajudarem a esclarecer a minha dúvida.

    • CVZalez says:

      Não ganha nada, só perde, a Microsoft sabe que porque o WIndows envia essa informação sobre reinstalações e partições instaladas no sistema, nos ultimos tempos tem existido muitos utilizadores a mudar para Linux, a Microsoft sabe disso, o facto de investir no Edge para Linux é a Microsoft tentar criar um ecosistema de serviços como a Google, tanto o Google Chrome como o Microsoft Edge enviam informações de navegação do utilizador para a Google e Microsoft para a mesma ganhar dinheiro na venda desses dados para publicidade e outros fins, tem diversas alternativas, como o Firefox, Gnome Web, Vivald, Brave, este ultimo tem um modelo de negócio interessante para proteger a privacidade do utilizador.

      • Jorge Carvalho says:

        Obrigado pelo esclarecimento! Resumindo, é tudo bullshit da M$ para agarrar o cliente ao produto. Vou continuar com o meu FF que me tem servido muito bem durante muitos anos.

  12. Sardinha Enlatada says:

    A Micro$oft mais parece aqueles anuncios da televendas, em que muito pessoal vai atras comprar e depois percebe que foi um fiasco. Firefox serve perfeitamente aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.