PplWare Mobile

Fedora é a mais recente distribuição Linux a abandonar os 32 bits


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Paulo Oliveira says:

    Porreiro, assim ficam somente algumas distribuições a suportar os 32 bit como o Debian, e por conseguinte mais users para elas xD

  2. Ruy Acquaviva says:

    Acho que é um processo natural. Ainda haverá distribuições voltadas para máquinas mais antigas e portanto com suporte a 32 bits, mas a maioria das distribuições tende a concentrar seu desenvolvimento nos 64 bits, evitando o consumo de recursos ao dar suporte aos 32 bits.

  3. Samuel says:

    A migração total para arquitetura 64 bits é um dos maiores erros que algumas distros vão fazer pois arriscam-se a ficar sem utilizadores.

  4. Gekko says:

    Porque tens várias distribuições que ganharam utilizadores por serem distribuições que correm bem em hardware antigo tipo 32 bits. O que para pessoal com poucos recursos ou qu náo gosta de desperdiçar hardware ainda funcional. Esse tipo de distros são uma boa maneira de por hardware velhinho a funcionar de modo aceitável.

    Como por exemplo o Lubuntu.

    Ainda há muito sitio no planeta onde o pessoal ainda tem que usar hardware antigo, por falta de dinheiro ou outros motivos.

    Se essas distros que ganharam utilizadores por correrem bem em hardware antigo deixa de suportar 32 bits, então deixam de fazer a coisa que lhes trouxe utilizadores.

  5. Kan says:

    Eis a pergunta, e as ongs e computadores mais antigos que ‘amam’ idolatrar o LInXO ? qual aternativa resta para eles ?

    pois tem varias ongs que embora nao gostem e nao possam, usam linux, esse FEDORa, eles terão de ficar com a versao old ?

  6. Daniel says:

    Acabar com isos de 32-bits é diferente de acabar com todas as libs de 32-bits.

  7. Paulo Costa says:

    Muita lamúria para quem, como eu, viu a passagem de 8 para 16 e de 16 para 32 bits. Essa é só mais uma mudança natural. Há quem fique choramingando que estamos chegando a 2020 e preferia ficar eternamente no ano 2000. Sinto informar que o tempo não para. E a transição tem ocorrido já há anos. Versões 64 bits das distros estão disponíveis a tempo suficiente para as pessoas testarem e migrarem com calma. Quanto ao uso de hardware antigo, também olho para o presente e futuro. Já há hardware antigo com suporte a 64 bits. Ou alguém acredita que ainda há em uso placas da família 80486 com 32mb de ram em uso? O antigo não é eterno, ele também se altera.

  8. Alucard says:

    Para quem não sabe o Fedora é uma distribuição mais focada no bleeding edge, ou seja em ter os pacotes mais actualizados e as ultimas inovações do Linux primeiro.

    O utilizador do Fedora sabe disso e gosta dele por isso. Quem quer correr Linux em hardware mais antigo tem um panóplia de opções mais válidas, algumas até com base Red Hat. Por exemplo,o CentOS.

    As distribuições Linux não são nem tem de ser todas iguais e ter todas os mesmos objectivos. Quem corre Fedora, dificilmente será o mesmo utilizador que mudaria para um Debian, por exemplo, que é uma distribuição muito conservadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.