PplWare Mobile

É incrível, mas Red Dead Redemption 2 corre mais rápido no Linux que no Windows


Autor: Pedro Simões


  1. Manuelito says:

    Morte ao Windows

  2. Luis Silva says:

    O mais estrnho para mim é esse jogo estar preparado para dar bem numa rtx2060, e o jogo ser lento, acho que tudo vai depender de como é elaborado o motor gráfico de cada jogo.
    Em certos jogos da mesma altura de dead redeption 2 e roda e rodam bem na rtx 2060, o ultimo jogo de tomb raider, control, jedi fallen order, aqui vesse que o engine de cada jogo é diferente por em uns jogos dar bem outros não.
    Por exemplo tirei este fim de semana 3 jogos da quantic dream, detroit, beyound, e heavy rain, por incrivel que pareça heavy rain necessita menos poder gráfico e mais antigo, e fica mais lento que os outros dois mais recentes que corre fluido.
    O dead redeption 2 foi uma desgraça só mesmo com gráficas. Poderosas.

  3. Henrique says:

    Atenção que estes resultados estão muito dependentes do hardware usado. Se em vez da Radeon Vega tivesse sido usada outra grafica equivalente da NVIDIA, garanto que os resultados já não seriam os mesmos.

    Não deixa no entanto ser um grande resultado.

  4. Malamen says:

    Parabéns…

  5. Luis says:

    E tantos anos depois continua-se a caír no mesmo erro que está no final do artigo: “O mais curioso deste teste é ser usado um emulador para correr o jogo …”. Com uma citação directa do site do wine “Wine (originally an acronym for “Wine Is Not an Emulator”) is a compatibility layer capable of running Windows applications …” espero que seja assim perceptivel o que é realmente o Wine.

    No entanto isto não é vitória nenhuma para o Linux. Enquanto as versões nativas tardarem ou mesmo nunca saírem e se tiver de recorrer ao wine/proton, vai ser sempre um fracasso completo. Já chega de ter de usar “artimanhas” para jogar em Linux. E falando por experiencia própria, vai haver sempre uma dificuldade qualquer com o Wine, vai haver sempre um erro que nos faz crashar tudo a meio do jogo ou ter de reiniciar tudo a cada partida. Não só é desgastante como já me fez desistir de usar isso.

    • telescola says:

      Mas aí a culpa não é do linux. Não vão ser os developers do linux que vão desenvolver os jogos para a plataforma. São as empresas de jogos que têm de o fazer. Não o fazem porque sabem que a maioria dos jogadores têm windows e como tal, não perdem tempo e dinheiro a desenvolver para esse sistema. Ainda assim, existe uma ferramenta que “puxa” algumas aplicações para o ambiente do pinguim e em alguns casos (específicos) até conseguem melhores resultados. Agora a não existência do software específico para o mundo linux não é culpa do linux, logicamente. Já agora, Adobe tem a mesma postura e teria muito a ganhar se “oferecesse” a possibilidade de correr o software em linux.

      • Luis says:

        Nem eu quis dizer tal coisa. O Linux não tem culpa nenhuma.
        No entanto, continuamos a assistir a noticias destas que apesar de sensacionalistas, continuam a não dar em nada.

        Só vai ser uma vitória para o Linux quando as empresas começarem a lançar versões nativas das suas aplicações/jogos para Linux ( e aí sim, se essas conseguirem melhor performance do que no Windows, a vitória de que se fala neste artigo será merecida ).

        No entanto, a grande vitória será a massificação de versões nativas dos jogos.

        • mrProTech says:

          Então diga isso às empresas de jogos para fazerem isso ou caso contrário, não vai ser uma vitória para o Linux.

          Actions speak louder then words!!!

          • Luis says:

            É engraçado estar a dizer-me isso a mim, que já me recuso a comprar e a jogar qualquer jogo que não tenha versão nativa para Linux. Eu já estou a fazer a minha parte.

            Se todos os que dizem “Só tenho windows para jogar” fizessem pelo menos isso, talvez se começasse a notar alguma tracção da parte das empresas.

          • Leonardo says:

            Luis, tu não estás a perceber a vantagem do proton a longo prazo. Eu quero muito mudar para o Linux, mas como gosto de jogar, vou-me mantendo no windows, mas basta só o proton chegar a uma maturidade onde consiga ter exatamente a mesma performance e compatibilidade que tenho no windows e mudo logo. E quando digo eu, digo muitos por ai, e vai ser ai que as empresas vão ver o Linux a crescer e vão começar a fazer jogos nativos para o mesmo. Tens de pensar a longo prazo. O proton não é nada mais que um chamativo, espécie de uma isca para algo muito maior.

          • Carlos Mogas da Silva says:

            @Leonardo, posso perguntar-te quando é que foi a última vez que experimentaste?

          • Luis says:

            Leonardo eu percebo perfeitamente a vantagem do Proton e do Wine. Para mim, não são opções, mas acredito que funcionem como incentivo para muito mais gente.

            Agora, tu próprio estás na situação de estar à espera de maturidade e vais usando Windows. Como tantos outros que só usam o windows para jogar senao usavam linux.
            Quem tira estatisticas não sabe disso. Tu (e todos os outros nessas situações) só estão a engrossar a percentagem de utilizadores de windows ao invés de ajudarem a aumentar a percentagem de utilizadores de linux (que quem sabe, se atingisse a mesma percentagem de utilizadores de macOS, as empresas começassem de vez a olhar para o Linux com outros olhos).

            E isto ajudaria a começar a acabar com a situação da pescadinha. 😉

      • Filipe Rocha says:

        Se nem para Macbooks que têm uma grande percentagem enorme do mercado desenvolvem jogos, quanto mais para Linux que é um nicho que meia dúzia de gatos pingados usam.

        • Whiskyman says:

          Apenas meia dúzia de gatos pingados usa porque não existem jogos para a plataforma, se a maiorias dos jogos fosse lançada para Windows, Mac e Linux as coisas mudariam de certeza. Se calhar o Linux seria bem mais usado por gammers que só usam o PC para jogar visto que garantidamente o Linux correria os jogos de forma mais otimizada…

          • Luis says:

            Exactamente.
            É a chamada pescadinha de rabo na boca.
            As pessoas não jogam enquanto não forem lançados, mas as empresas não lançam porque não há pessoas suficiantes a jogar.

            E nunca se vai saber ao certo o numero exacto de pessoas que Linux ia ter a jogar, porque não se dá oportunidade sequer para as pessoas poderem mudar. Daí continuar a ver-se repetidamente a justificação “Eu só tenho windows porque o jogo nao corre em linux”.

          • Jonatha says:

            Penso o mesmo, tenho muita vontade de migrar para o Linux, porém tenho aplicativos, ferramentas e jogos que utilizo no Windows que me impedem fazer isso… Além disso, ainda não me dou bem com a forma de instalação de aplicativos no Linux…

          • Carlos Mogas da Silva says:

            @Jonatha não instalas aplicações no telemóvel? É igual…. Abrir a “store”, pesquisar o que queres, clicar no install. Done 😉

        • Luis says:

          Após consulta de alguns sites, essa “grande percentagem enorme” não parece passar dos 20% sequer.

          E se puder evitar esses comentários mais depreciativos do género “meia dúzia de gatos pingados”, só vai enriquecer a troca de opiniões.

    • Samuel MG says:

      A culpa não é nem do Wine e nem dos developers mas sim tua pois não escolheste os ficheiros da biblioteca. Exemplo: dinput8, ddraw, etc…

      • Luis says:

        O Wine não é perfeito e tem constantemente bugfixes para melhorar a jogabilidade de versão para versão. Não me adianta andar a afinar todos módulos se o bug for a nivel do proprio wine. E basta ver as release notes de cada versão para perceber o desenvolvimento que é feito.

        Ainda assim, enquanto o wine for a alternativa, vamos andar sempre a bater nos mesmos problemas. As empresas não lançam ports nativos porque agarram-se ao wine, volta e meia quem usa wine vai ser banido sem motivo só pq o DXVK é detectado como cheat, vamos andar à espera do bugfix para jogar algo que pode estar com problemas na versão actual, etc etc.

        Pessoalmente nao uso wine e prefiro as versões nativas. Se não houver, paciencia. É menos um jogo que compro.

        • Paulo Martins says:

          Acredito que em breve comecem a aparecer mais jogos AAA nativos em Linux isto porque os serviços de cloud gaming são baseados em servidores Linux. Relativamente ao DXVK ser considerado cheat infelizmente isso é algo que já acontece mas que aparentemente está para mudar em breve, a próxima versão do Denuvo por exemplo será compatível com Linux.

        • Samuel MG says:

          Mas quem falou em afinar módulo?
          Configuração do Wine-> separador bibliotecas ->Nova subtituição para: -> Dimput8 (exemplo) -> adicionar -> aplicar–> OK

          • Luis says:

            Peço desculpa pelo lapso, eu corrijo para o caso de não ter sido perceptivel:
            “(…) Não me adianta andar a afinar todas as bibliotecas se o bug for a nivel do proprio wine (…)”

            E assim mantenho o que disse. Não me adianta afinar isso tudo e no fim o bug ser do próprio Wine.
            Voltando a referir que “E basta ver as release notes de cada versão [do wine] para perceber o desenvolvimento que é feito [mesmo a nivel de cada jogo].”.

            Dado que os bugfixes têm sido lançados quase semanalmente (pela rate de releases) é estar a obrigar as pessoas a não jogarem um jogo que pagaram (normalmente, caro) durante (pelo menos) uma semana.

  6. Fulano says:

    O mais incrivél é que apesar de toda a publicidade o Linux continua a perder users a uma velocidade inacreditável…

    • Samuel MG says:

      Mais um gajo da forbes que não sabe patavina do Linux.

    • Carlos Mogas da Silva says:

      Eu sinceramente li o artigo, mas fico sem perceber a diferença do que ele diz para a questão da “pescadinha de rabo na boca” como é falado mais em cima nos comentários.
      Se por um lado ele fala bem do “ecossistema” existente em Windows, ele só não existe em Linux (na mesma dimensão) devido à falta de utilizadores em mesma proporção. Aliás, vamos a ver, e já há alternativas a tudo o que é mencionado no artigo (ou quase tudo).
      Mas ainda vou dar um exemplo. Se por exemplo, tiveres uma motherboard Asus, com um teclado Razer, um rato Logitech, e um headset , o mais provável é teres que instalr 5 softwares diferentes para controlares tudo de cada dispositivo incluindo RGBs que agora está na moda. Ora em Linux, a maior parte das vezes isto é tudo transparente e controlado num único local. Agora até tens o OpenRGB (que curiosamente funciona em Windows também) que te controla o RGB de todos os periféricos de todas as marcas (ok, não controla *tudo*, mas o suporte vai andando devagarinho com a ajuda da comunidade).

      • Whiskyman says:

        O problema são os lobbies..
        Se o jogos fossem produzidos pelo número de utilizadores não existiam jogos quando as consolas novas são lançadas… A pescadinha aqui é outra alguma vez a Microsoft perdia esse filão, se forem os jogos é meio caminho para ir tudo o resto…

  7. Dinis says:

    Epah, se não tivesse 115 GB até o mudava para o Manjaro. Não há uma forma fácil de o copiar, pois não?

  8. Samuel MG says:

    Que tal os jogos cross-platform:
    Warzone 2100 (RTS)
    Warsow (FPS)
    Warspear Online (MMORPG – uma total perca de tempo)
    The Mana World – Manaplus (MMORPG – bom para caraças)
    Endless Sky (simulador espacial com missões)
    Spring (motor mas existem jogos – gráficos demasiado bons para ser verdade)
    OpenCol
    OpenArena

    Nativos:
    Opencity (simcity)
    0 A.D. (RTS)
    Torcs (corridas automoveis)
    Frets On Fire (musica – muito dificil)
    Super Tux Kart
    Warmux ou hedwars (worms)
    Nexuiz (FPS – mete os outros fps a 1 canto)
    etc…

  9. Sardinha Enlatada says:

    E mesmo como alguem falou, nao basta as empresas terem vontade para desenvolver jogos nativos para linux. A microsoft sera sempre uma pedra no sapato para isso acontecer. E duvido que alguma vez se as empresas de jogos decidirem fazer isso, nao vem a microsoft a correr como uma p#ta a abanar as verdinhas que toda a gente gosta, para que essas empresas mudem de ideias

  10. Keviny Oliveira says:

    AMD no Linux é uma maravilha, se fosse uma Geforce o jogo iria rodar pior que no Windows.

  11. Daniel says:

    Dizem que corre melhor no Ubuntu, mas deve correr melhor ainda no Arch Linux.
    O problema é, que só puxam saco desse Ubuntu, como se fosse o melhor.
    A distro mais bugada ever
    watch?v=2xMJKh0idYc

    • Keviny Oliveira says:

      Sim, mas na verdade não, digo nesse caso especifico por ser uma GPU da AMD no Arch seria melhor, mas no caso da Nvidia não recomendo distros RR ou Bleding Edge.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.