Quantcast
PplWare Mobile

Questão: Como está a encarar a Telescola?

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Aybara says:

    Agrupar dois anos foi uma má ideia. As minhas filhas no 4º ano morrem de tédio com as aulas apontadas para o 3º ano. A minha do 1º ano às vezes ve-se aflita para acompanhar aulas do 2º ano.

  2. Pedro says:

    Para começar, faltam emissões em HD, ver tabelas e gráficos em SD é inaceitável nos dias de hoje.
    Depois os conteúdos deviam ser diferenciados ano a ano. De resto parece-me bem

  3. Luna Pacheco says:

    É muito superior à experiência que tive com o ensino mediatizado há uns anos. Estou satisfeita, mas também é verdade que ainda há espaço para melhorar. De facto, se a transmissão fosse em HD, seria tudo mais legível e fácil de compreender

  4. JJ says:

    Sinseramente, algumas palavras apenas:
    Trabalho Srs, trabalho, é o que é necessário para se fazer algo de jeito, e neste caso há muita falta dele.
    Anos juntos, professores que mandam trabalhos sem sequer uns minutinhos de apoio online, matéria que os alunos nem deram, os pais/esplicadores/trabalhadores/amas de casa/professores (pois agoram somos um tudo em um) que gramem a bomboca.

    • JJ says:

      Sinceramente… ups

    • Justino, o Justo says:

      É muito fácil falar quando não está do outro lado. Muitos pais, não sei se é o caso, agora é que perceberam o belo trabalho que tem estado a fazer com a educação dos seus filhos. Tal como médicos, enfermeiros e restante pessoal do setor da saúde, os professores são também os heróis do momento.

      • JJ says:

        Olá Justino, agradeço o comentário, que negativo ou positivo é sempre construtivo. A verdade é que até não é o caso porque a minha esposa é professora num colégio privado e tem muito mais trabalho com 8h diárias de tele-aulas para as diversas turmas, da minha parte, tele-trabalho 8h por dia, a nossa filhota que sempre tivemos um pouquinho depois da escola para ela nota diferença porque diz que estamos sempre cansados e nunca queremos brincar com ela tanto como antes. A verdade é que depois de um dia a tentar conciliar todos os “oficios ” que descrevi, ainda temos que nos desdobrar a enviar fichas para professores com matérias que nem deram, nós pais é que temos ensinado, e infelizmente haverá muitos pais que não têm formação suficiente para o fazerem, como haverá outros muitos que embora tenham preferem estar com o “rabinho” no sofá a ver filmes ( já nos aconteceu aos 2 estar algum papá ou mama a reclamar para os filhos porem phones para poderem ver televisão à vontade, enfim…).
        Concordo plenamente quando diz que alguns pais começaram a perceber a rica treta de trabalho que têm feito, felizmente como disse não é o caso , senão seria ainda pior tentar conciliar tudo, mas sim e ponho-me nop lugar de muitos lares, é muito dificil estar em tele-trabalho e “tomar conta” dos filhos ao mesmo tempo. A minha filha fez há pouco 7 anos e está no 1º ano pelo que sabe como é dificil, presumo. Não tiro o mérito a muitos professores, mas tal como nos aconteceu há infelizmente muitos também que não querem sequer saber, que vejam a tele-escola, enviam umas fichas ( várias vezes com erros inaceitáveis) e pronto, aí está. Felizmente cá por casa “desenrascamo-nos” e ela têm tido até uma evolução superior ao esperado, está mesmo a fazer algumas fichas de coleguinhas do 2ª ano. mas porque aprende e é ensinada. Felizmente temos essa sorte.
        Vejo que é professor quando diz que também são herois neste momento, espero que seja dos bons para que realmente mereça as minhas palmas, a minha esposa, as colegas dela, 3 primos e 2 tios já mereceram e merecem, mas por exemplo uma outra prima que tenho merece apenas uns assobios. Heróis somos todos nós, cada um há sua maneira: A minha irmã e o meu cunhado que estão na linha da frente lá no hospital, os meus amigos bombeiros, médicos e forças de segurança que todos os dias arriscam por todos nós, os funcionários de empresas de distribuição que não sabem sequer o que lhes passa nas mãos, os grupos que se juntão para ajudar como podem ( eu por cá juntando-me ao SOS-COVID ), o padeiro que não nos deixa acabar o pão, os pais que tudo fazem e se desdobram ainda mais para que tudo corra bem e sim, os professores que trabalham arduamente para pensar como chegar e como fazer para que os seus educandos percam o menos possivel com tudo isto, e apenas esses professores, pelos outros heroismo para quê, estou bem assim.
        Enfim espero não ter afetado susceptibilidades mas é o meu ponto de vista, onde no momento cada um é o heroi que pode ser e muitos como podem ser, e a todos esses que se esforçam mais e mais e tal como nós passamos horas de sono acordados a pensar ” como posso fazer mais”, a todos esses herois eu bato as minhas palmas e faço a minha vénia. Quanto aos que se acham injustiçados nestes dias apenas um pensamento, há alguém no meio desta batalha que não se sinta????
        Só quiz responder a pergunta com o meu, comentário apenas e só.
        Cumprimentos a todos

  5. Helio says:

    Eu sobrevivi à telescola durante 2 anos lectivos completos, nos anos 86/87 e 87/88.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.