PplWare Mobile

O monstro do Artigo 13 e o fim da Internet


Maria Inês Coelho

Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.

Destaques PPLWARE

391 Respostas

  1. Pedro Cruz says:

    Se servir para acabar com a boa vida de quem vive a conta do youtube, não faz nada e mete lá um video de vez em quando acho muito bem. Eu também tenho que acordar cedo todos os dias para ir trabalhar. São uns parasitas os agonias, tiagovskis e companhia…

    • Tx2 says:

      Inveja é muito triste…

      • cat says:

        Inveja, lol ! A verdade é que esta nova pseudo-profissão de “youtuber” é feita à pala de trabalhos de outros, muitas vezes usados abusivamente. Isso, o Tx2 não diz. Inveja é o que deveriam sentir esses youtubers por não conseguirem produzir certos conteúdos que não são seus e ganhar dinheiro com eles. Ao fim e ao cabo, não se trata de inveja mas sim de ver desaparecer uns quantos parasitas. Se são assim tão bons, que criem os próprios conteúdos.

        • Luisa Santos says:

          Muito bem dito. Concordo plenamente. Ha muita gente a governar se com o trabalhodos outros!

          • Jorge Pereira says:

            O que é que é governar com o trabalho dos outros? Por exemplo: um youtuber que faz covers de artistas consagrados e, com isso, ganha dinheiro. É isso?
            Se sim, esse youtuber não trabalhou para cantar bem? Não é o seu trabalho que é reconhecido?
            É que eu não conheço nenhum artista que tenha chegado ao topo só com criações próprias. Ninguém aprende a tocar guitarra ao criar uma melodia. Aprende através de outros.
            Da mesma forma que um investigador não descobre um mundo novo, vai usando teorias de outros investigadores dele e faz uma nova investigação…

        • Duarte says:

          SERA QUE AINDA NAO PERCEBEU que este ARTIGO nao vai acabar com essas “parasitas” MAS sim com TODOS OS YOUTUBERS ??????????? PORQUE SE ESTE ARTIGO FOR EM FRENTE O YOUTUBE VAI ACABAR !!??

        • anónimo says:

          e porque nao tentas fazer o mesmo. fazer videos tambem nao e tarefa facil, ja que sabem muito façam voçes mesmos. e sim tem inveja. se os youtubers recebem e porque fazem videos que o visuaslisadores. e quem disse que eles nao trabalham eles tem vida pessoal. para alem de certas pessoas que vem para os sites deitar os outros abaixo e demonstrar inveja,m essas sim nao tem vida. quando soberem fazer vidios tao bons como os deles vao perceber que nao e tao façil como parece, as vezes os youtubers na dormem so para editar os seus video para ficarem bons. portanto voçes se nao sabem calam-se. volto a dizer voçes tem e inveja e muita dos trabalhos deles.

          • Bruno M. says:

            anónimo:
            Aconselho-te a teres uma aula de Português! Porque sinceramente tens credibilidade 0 (zero) com tanto erro de escrita!!

    • Adalberto says:

      Isso é inveja? Cada um faz o caminho que quer, se é possivel juntar dinheiro ao prazer melhor, correto ?

    • Tiago says:

      se é tão fácil viver à boa vida à custa do youtube porque é que não fazes o mesmo então?

    • ivan says:

      Podes sempre tentar fazer como eles se tens tanta inveja, são figuras publicas como as outras que ves na TV e fazem tanto como elas…o problema do nosso pais nao e esse mas sim quem vive de rendimentos minimos mas nao vou entrar por ai.
      sempre ouvi dizer inveja e fod*** mas pronto 🙂 abraço

      • Miguel Costa says:

        Sempre vi 60000000 milhões de vídeos de “youtubers” que usam imagens de outros, fazem críticas, piadas e tudo só por base com uma marca, uma pessoa, um filme ou um desenho. Não é estar a roubar aquela imagem e usá-la para proveito próprio fazendo publicidade (boa ou má) aquela coisa? Quem ganha com isso (directamente) é o youtuber, sem que a outra coisa tenha algo a dizer sobre aquilo. Sim, é possível as marcas pedirem bloqueios desse tipo de vídeos ou publicações, só que com milhões de vídeos, gastavam mais dinheiro no departamento jurídico e informático do que ganhavam…

      • Ricardo says:

        Aliás os youtubers fazem mais do que os famosos da tv. No YouTube eles gravam editam e tudo mais. Na tv eles só têm de falar para uma câmera e por trás têm uma equipa de técnicos. Mas sim a inveja e a raiva por o sucesso dos outros é fod***

        • Luisa Santos says:

          Se os youtubers sao assim tao criativos e tudo mais, nao ha qlqer problema para eles…. so tem de jogar segundo as novas regras…. ou que tentem ser apresentadores de tv!!!
          A mama esta se lhes a acabar!!!! K lutem pela vida e pelas oportunidades como o resto das pessoas

      • cat says:

        Mas inveja do quê ? Ainda não consigui perceber. Por exemplo, eu nem os vejo. Nem gosto nem deixo de gostar. Passa-me ao lado. O que não me passa ao lado são pessoas a ganhar dinheiro à pala do trabalho dos outros. Olha, e que tal acabarem com o canal pago no youtube e criar um não pago ? Sempre podem pedir dinheiro via patreon ou similar. Sujeitem-se a uma realidade onde há justiça, como o resto da sociedade.

        • Sofia Silva says:

          Pena que para fazer este comentário infeliz não passou ao lado.
          Pena é que o que a incomoda é que eles ganham mais dinheiro que você!
          Têm uma qualidade de vida numa idade em que esta geração não está habituada a ter e que vive à custa dos pais, exploram e maltratam os pais. Crie juízo! Eles são o sonho de muitos pais!

          • Luisa Santos says:

            K forma tao basica e imediata de ver a vida e a sociedade!!! Cresca e aprenda a faze lo com respeito pelos outros!!! Haja justiça!!!

          • Ricardo says:

            Exato Sofia. A mim preocupa-me mais o que os políticos ganham (ou nos roubam). Além do mais se não me engano quem paga aos youtubers é o próprio YouTube, ganham em dólar. Nem dinheiro português eles estão a “roubar” a cat aí de cima.

    • Tiago Brito says:

      Caro Pedro, não se pode ver o mundo a preto e branco. Eu também saio para ir trabalhar todos os dias, mas olhe que o pessoal do big brother nem a casa ia, passava a vida no estudio, e não é por isso que considero aquilo trabalho.
      Seja na empresa ou no youtube, trabalho é trabalho e ha pessoas que fazem vida do youtube com trabalho que eu considero muito válido, por exemplo o pessoal que faz tech reviews, para ajudar quem vê os videos a comprar os seus equipamentos com conhecimento de causa. Acho injusto por tudo no mesmo saco.
      Há efectivamente casos de gente que ganha a vida lá, e que não merecem a minha atenção, mas infelizmente ha outras pessoas que gostam.

      • Miguel says:

        Pedro Cruz, vai-te informar um pouco em vez de cagares postas de pescadas. Ou vais dizer que não usas o Youtube também para ver vídeos? Tens noção de quantas horas de trabalho podem estar por detrás de um vídeo de 10 ou 15 minutos? Tens? A inveja é lixada.

        • GM says:

          Se demora assim tanto tempo (horas?) a fazer um vídeo de 10/15min, essas horas poderiam ser aproveitadas numa profissão realmente válida.

          • Tiago Brito says:

            Isso da profissão realmente válida é muito subjectivo.
            Além de que eles provavelmente ganham mais ali do que a trabalhar em algo mais convencional, o que por mim, bom para eles.

          • GM says:

            Tiago Brito, ok, eu explico melhor: uma profissão mais convencional, como seja médico, enfermeiro, engenheiro, recepcionista, auxiliar, etc, etc , etc. Temos (Portugal) tanta falta de alguns profissionais em determinadas áreas, que certamente estes YOUTUBER’S teriam a capacidade necessária para aprender uma delas e contribuirem para a nossa comunidade. Assim, é o que se vê. TÊm de facto (algns deles) um excelente rendimento, mas o conteúdo é vazio. E que contribuição válida é que apresentam? Umas larachas eumas risadas? Faz bem à alma, é certo. Mas as nossas necessidades são bem superiores a essas.

          • Tiago Brito says:

            Certo, mas também os há que fazem, por exemplo, reviews de equipamento informatico, por exemplo, o que para mim como eng informático, dá bastante jeito.

            Há efectivamente os que refere fazerem conteudo vazio, mas eu não os queria como meu médico. Ali ao menos não estragam nada.
            Eu culpo sim quem lhes dá vizualizações e atenção. O Zé Cabra também dizia “Se eu acho que canto bem? Não, mas pagam-me para cantar, eu canto”, desde que o ouvi dizer isto nunca consegui ter má opinião do homem (do homem, não do “cantor”).

          • GM says:

            Tiago, agora tiro-lhe o chapéu. Mas do muito pouco que vi das queixas, e os meus miúdos têm comentado, refiro-me ao Wuant e companhia lda. Que no fundo, são os que se têm queixado, tanto quanto é do meu conhecimento.
            Do pouco tempo que ligo ao Youtube, dedico-o a documentários, nomeadamente da NGS, ou da NASA, ou algo semelhante e dentro desses contextos e assuntos. Estes, penso eu que nada têm a temer.

          • Tiago Brito says:

            Confesso que nunca tinha ouvido falar da criatura até ler os comentarios neste topico. Fico agora no dilema se mato a curiosidade ou se será melhor manter-me na ignorância. Suspeito que a 2a será a mais sensata.

          • Nuno Anjos says:

            E são editor de video é uma profissão com mais de 50 anos de existencia, se calhar mais anos do que o senhor tem!

          • Sujeito says:

            GM e Tiago, ambos pontos válidos mas esta história vai além do youtube e semelhantes.

            Estas leis vão efetivamente censurar partilha e criação de conteúdo. Não são só youtubers que andam a espalhar umas opiniões que vão ficar coxos.

            É uma medida para ganhar mais dinheiro, criando uma nova indústria e, simultaneamente, censurar a mesma.

          • AqueleGajo says:

            É entretenimento, só uma mente fechada como a sua é que não vê a utilidade disso. A vida não é só trabalho e cada um pode escolher o que quiser ver sem ser julgado. Esses youtubers podem não ter grande conteudo mas geram entretenimento e fazem-no bem nao fossem ter os seguidores que tem.

          • GM says:

            AqueleGajo, está a confundir mente fechada com formatada. É que, apesar do que parece, e a mensagem que estes “profissionais” tentam passar nos seus canais, não vale tudo.

          • Capeladosossos says:

            Não diga asneiras sobre profissão válida. Profissão válida é o que a sociedade lhe meteu na cabeça que você tem de fazer. Você nunca vai ser feliz porque está preocupado em ser válido. E digo-lhe porque há falta de médicos e enfermeiros, PORQUE NÃO HÁ DINHEIRO PARA LHES PAGAR, é por isso que os nossos médicos emigram todos está a perceber? Porque o estado não paga mais para hospitais. É esse o problema, Einstein. Você está realmente preocupado com a falta de rececionistas em hotéis e auxiliares de quê mesmo? Mentalidade de servilismo vergonhosa. Não, não faltam profissões. Não é qualquer um que consegue ser médico, não é qualquer um que consegue ser designer e não é qualquer um que consegue ser apresentador, jornalista, ator…etc. quem é você, e para que é que você serve? Você que só está neste mundo a gastar recursos e poluir? Você que comete crimes ambientais todos os dias? Mete-se no seu carro e queima combustíveis fósseis que os seus filhos respiram e morrem de cancro do pulmão, a natureza adoece, o clima altera-se. Faz quantidades vergonhosas de lixo todos os dias que se vai acumular na terra a intoxicar as águas e os solos. Faz lixo da sua responsabilidade que manda os “homens do lixo” levar e tratar por si, porque os considera abaixo da sua condição, por isso eles que tratem da sua porcaria. Você que consome tecnologia que se vai acumular em lixeiras do outro lado do mundo. Você que alimenta a indústria dos agrotóxicos e o aquecimento global e que vai contribuir para este país perder metros de costa pela subida do nível das águas. Você serve para quê mesmo? Para ser a formiga funcional de uma sociedade tóxica que só destrói a terra?
            Não se esqueça que “profissão” é uma invenção da sociedade civil. As pessoas trabalham para sobreviver. Ponto. Pergunte a um animal selvagem qual é a sua profissão. E se você se considera tão útil então pode continuar o seu onanismo autocentrado. Pois eu garanto-lhe: você é bem desnecessário.

          • CdO says:

            Quando você liga a televisão ou compra o jornal, paga para isso porque está a visualizar/usufruir de conteúdo criado por outras pessoas cuja profissão é fazer os filmes/programas/telejornais/séries/telenovelas/documentários [inserir conteúdos] que você quer e por isso paga para ver. Não é diferente com os youtubers: criam conteúdo que as pessoas gostam e vêem. Eles não ganham do céu: ganham consoante a quantidade de pessoas que USUFRUEM do conteúdo. Se há pessoas a usufruir e a DESEJAR um conteúdo (a “comprá-lo”), então é mais que natural e justo ganharem com isso. OU você é daqueles que também acha que os músicos não devem receber €€ pelo seu trabalho? Já agora ninguém se dedicava a mais nada a não ser à medicina e ao rececionismo xD xD xD

          • Sofia Silva says:

            Tipo qual? A sua que o deixa tão amargo como pessoa! Dá para ver que você é alguém infeliz com a vida! Você transmite frustração. Eles por outro lado são felizes

          • Guilherme Almeida says:

            Pessoas como o GM que antigamente eram levadas assério hoje com esse tipo de comentários partilham, e com muito sucesso, o espaço online dedicado ao intertenimento fazendo até concorrência aos próprios “youtubers” que tanto crítica o que não deixa de ser interessante até pelo uso de um discurso comunista ao nível de cuba

      • Miguel Costa says:

        Os que fazem reviews autorizadas, não terão qualquer problema. Aqui o ppleware só vai precisar de adicionar uma alínea ao contrato que tenham com as empresas promotoras, em como lhes cedem o direito de usar a marca, logotipo e modelo para fazerem vídeos e notícias.
        Agora aqueles que o fazem por “auto-didática”, que usam clips de outros lados, que usam marcas e equipamentos, para outras coisas, esses sim vão ser atingidos a doer por esta legislação. Já não podem fazer os seus vídeos humorísticos, com as imagens que tiraram de outros sites a servir de separadores ou usarem vídeos televisivos, para os comentar, nos intervalos.

        • Sujeito says:

          Estás a falar sem teres lido o suficiente. É bem mais do que isso Miguel Costa.

        • MiguelC says:

          O que é um review autorizado?
          Caso a marca não goste do review que fazes de um artigo deles pára de te dar autorização e já não podes fazer mais reviews deles..
          Hmm.. Isso quer dizer que os reviews param de ser verdadeiros! (porque ficam com medo de dizer mal de um produto e perder o seu ganha-pão)

          • Nuno Martins says:

            exacto, reviews autorizados são reviews pagos, ou seja não são reviewers nenhuns são propaganda. e é isso que a EU quer, canais de noticias só de propaganda, reviewers só de propaganda, é censura no seu melhor. Bem vindos a União Sovietica 2.0

          • Vítor M. says:

            Como assim? Eu posso fazer uma análise a um equipamento, por exemplo, fizemos um ensaio ao Tesla Model S, foi autorizada e o veículo disponibilizado pela marca, isso é o mesmo que dizer que a review foi paga? Claro que não 😉 não embarquem nos disparates.

            Cumps.

          • Sujeito says:

            O que ele disse, por outras palavras, é que daí até as reviews deixarem de ser autorizadas se não forem do agrado vai um passo muito pequeno, pois a legislação já está do lado das empresas, e não só de coisas inocentes como reviews de um produto.

            Qualquer pessoa atenta sabe que se eles já aldrabam quebrando leis, muito mais o fazem quando apenas basta deturpar a interpretação dela.

            O vosso caso pessoal não serve de prova de que não irá ser feito.

    • Rita says:

      O trabalho deles e fazer conteúdo para o YouTube .
      A pais que metem o dinheiro na mesa mas quem mete um sorriso uma gargalhada nos seus filhos são os youtubers
      E para não falar que não estamos a falar só do YouTube estamos a falar da internet toda
      Sebe o google imagem? Não vai ter imagens
      Sabe o google notícias? Não vai notícias
      O YouTube , o facebook , o Instagram , o Google tudo vão simplesmente desaparecer e a Europa vai voltar para a idade da pedra
      Trabalhos escolares não irá dar para fazer porque não haverá noticias , nem imagens
      Redes sócias não irá haver
      A Europa em vez de andar para a frente está a voltar cada vez mais para trás

      • Rita, leia o artigo primeiro. A Internet não vai acabar nem o que disse vai desaparecer da Europa… Pode ser que tudo se transforme, e nós vamo-nos todos adaptar, como sempre aconteceu.

        • Tiago Brito says:

          Isto se as plataformas estiverem dispostas a pagar os sistemas de detecção automática de violação de copyright e pagar tb as royalties. Remota ou não é uma possibilidade que essas empresas possam vir a bloquear o acesso aos conteúdos a partir da UE se acharem que não rende.

          • Pirata dos Bits says:

            Pode ser que faça o trabalho da escola com recortes de jornal, sabe que ainda se vende jornais? E livros… fotocopiar livros como se fazia antigamente… chama a isso “desenrascar com o que há” ou adaptação.
            E ter de escrever sem usar os textos dos outros… isso é que era de valor!!

          • Tiago Brito says:

            Pirata dos Bits, não percebo o que tem o seu comentario a ver com o meu.

          • Patrícia Delgado says:

            Simplesmente ridículo, sabe o que era de valor Pirata dos Bits? Viver numa caverna como os antigos faziam, experimente. Estamos numa fase de regressão.

          • Noboruu says:

            Patricia Delgado, o comentario do pirata dos bits pareceu-me sarcastico.

        • CB says:

          Engraçado engraçado é que a não ser que estejam a pagar royalties das imagens e links que estão aqui a publicar nesta noticia…não o podem fazer após a aprovação do artigo 13. Lindo não é?

        • RB says:

          Maria Inês Coelho… mestre em Economia e passar ao lado do impacto financeiro que empresas como Google e Youtube podem vir a ter e que é por causa disso que ponderam retirar-se do espaço europeu se a lei avançar nestes moldes…. quanto ao resto do artigo acho que a frase em que perdemos qualidade e quantidade diz tudo….. é uma castração, é para pior e para servir interesses instalados de quem não se adapta às realidades. Sugiro fazer um artigo a abordar a parte financeira e ver se a opinião se mantem a mesma… e se a Maria Inês Coelho enquanto CEO de uma empresa que se visse na eminência de ter gastos superiores aos lucros so para se manter a operar num determinado espaço, qual seria a decisão? Disse à Rita para ler o artigo…. mas será que viu algum desses videos que fala da “internet vai acabar” “o meu canal vai fechar” é que eles (youtubers não mestrados em economia) abordam a questão financeira para estas empresas… e já agora efectivamente muitos canais vão fechar…. uns assim à cabeça são os canais de REACTS a videos de outros youtubers ou de outros criadores de conteudo, qualquer youtuber que tenha um canal de REACT (e são muitos), com esta lei… adeus canal! É mais complexo do que parece e com mais implicações do que as faladas neste artigo. Temos também “interpretações” diferentes do artigo 11…. todos os utilizadores que queiram partilhar links de noticias em plataformas como youtube, facebook, instagram ou outra qualquer plataforma publica, não o vão poder fazer, pois essas empresas ou vão filtrar (risco de o filtro errar e sao multados na mesma), pagam direitos de autor (investimento avultado e com risco de não ter o retorno desejado) ou simplesmente deixam de operar no espaço Europeu (opção como zero risco e perdas bem definidas). No fundo esta lei resume-se a responsabilizar as plataformas pelos actos dos seus utilizadores, mas será que o jornais pagam o que seria devido a um fotografo que lhes tira as fotos para o seus artigos, eu acho que não! E esta dicotomia só me apetece dizer…. LOBBYS!! P.S. e os streamers de Jogos? Os jogos sao conteudo com direitos de autor, como ficaria a plataforma twitch exclusiva para stream de jogos? Como ficariam as vendas de jogos? Não mexe so com as Plataformas e com os utilizadores…..e esta questão dos jogos mostra como a lei esta fraquinha em termos de definir que conteudos exactamente, deixando as empresas envolvioda à merce dos LOBBYS que querem esta lei à força.

          • Vítor M. says:

            Sabes, no meio de vários disparates que falaste, porque ligaste coisas sem nexo, disseste algo que faz sentido. Este barulho começou porque alguns estão com medo de “financeiramente” saírem a perder porque estão a transgredir 😉 agora pensa.

          • Bruno M. says:

            @Vitor M.
            A verdadeira razão deste artigo é controlar as noticias, é calar a direita que ganha na europa cada vez mais voz contra os globalistas, é acabar com as noticias reais das quais são chamadas fake news, acabar com as fake news propriamente ditas, e impor a censura na internet!!

            O facebook/intagram já utilizar grande parte desses sistemas e são grandes aliados da Europa e dos globalistas, por exemplo!
            Os youtubers ganham na mesma, deixam é de poder usar material que usam hoje em dia. Marcas, publicidades, excertos, etc.. nada disso poderá ser usado sem o devido consentimento. A liberdade acabará na internet!

            A europa não é o que era há 10 anos atrás, muito menos há 20!

            O Sarkozy há 10 anos dizia algo como obrigar as pessoas a aceitar as mudanças através de leis, e isso hoje está a acontecer de maneira identica a ditaduras comunistas, nazis e socialistas!
            O artigo 13, o pacto das migrações e as migrações propriamente ditas não são coincidencia serem ao mesmo tempo!!

            Agora que falamos nisso…… Pacto das migrações e o novo voto do artº 13 são no mesmo dia ou perto!!!

            2019 irá ficar para a história como o inicio do fim da Europa Livre como a conheciamos! Casos como o Tommy em inglaterra rião ser cada vez mais recorrentes e ao contrário do mediatismo do tommy, desta vez será “fake news” e censurado pela internet com o artº 13!

          • Vítor M. says:

            Bruno M… menos, muito menos 😉 não inventem cenários que não fazem sentido. Tal como temos hoje as redes sociais, o caminho no futuro será complicado, repara que até a liberdade de pensamento está manietado pela engenharia social que é aplicada nas redes sociais, e os exemplos dos Estados Unidos e do Brasil são claros, mas mais que isso, há aspetos de organização que também ninguém tem conseguido agarrar, ordenar e criar método. Hoje é tudo a monte e fé em Deus. Basta ver os acontecimentos por esse mundo fora, onde uma fake news levou no México que ase incendiasse o pai e o filho com a acusação de serem pedófilos. Qual direita qual quê!!!

            Se há motivos mais preversos por trás desta lei? Não tenho dúvidas, mas isto de ser direita ou esquerda… não vou nessa cantiga, há interesses sim financeiros e há interesses que os Estados querem ver acautelados em termos da defesa dos seus cidadãos.

            Hoje, com as redes sociais, acontecem crimes e quem tem de suportar a integridade dos ofendidos é o Estado, mas então e as redes sociais que são o caminho desse crime?

          • RB says:

            Vitor M .. sem nexo? qual é o conteúdo do teu comentário mesmo? É facil dizer que não faz nexo e não apresentar nenhum argumento…. isso de facto faz muito nexo! Isto há cada um…

          • RB says:

            Vitor M .. sem nexo? qual é o conteúdo do teu comentário mesmo? É facil dizer que não faz nexo e não apresentar nenhum argumento…. isso de facto faz muito nexo! Isto há cada um… Lá porque escreves para o pplware e vens defender a tua querida, não quer dizer que não tenhas de argumentar, alem de fazer tudo muito nexo no meu comentário, a tua amiga mestrada em Economia não fala em momento nenhum da area que ela estudou…. mas continua a dizer que eu nao faço nexo com 0 de argumentos que so me dás mais razão 🙂

          • Bruno M. says:

            @Vitor M.
            Direita e esquerda… bem,… contando que são países governados por partidos da esquerda (será que deverei chamar de extrema?) que querem calar tudo e todos que são contra as suas ideologias e chamam de extremistas quem quer e faz por defender as escolhas do povo e o seu próprio manifesto eleitoral….

            Bem…. é que podemos ver pela Alemanha que quer calar a direita (mas afinal não são democráticos?!?), e como a alemanha podemos ir mais a fundo: A Comissão Europeia, a própria ONU e uau…- tchan thchan tchan tchan…. a Comissão dos Direitos Humanos onde um dos key players principais foi adicionado recentemente e é nada mais nada menos que…….. Sauditas!!
            YAY!!

            Basta perceber um pouco do que se passa pelo mundo, pela Europa principalmente, nomeadamente o que se passa nos ultimos 5 anos para entender que isto do Artigo 13 e do pacto das migrações andam de mãos dadas e estão ligados directamente 😉

            Quanto aos cenários inventados, eles já andam por cá, há alguns anos e podemos ver as leis da blasfémia no Reino Unido, Duplos Standards em França e Alemanha, na Suécia é o que se vê….

            Oxalá que seja rejeitado o acordo senão a ignorancia das pessoas irá permanecer já que as noticias reais serão anuladas (aquelas que não passam na TV e que o facebook e outras redes sociais já removem) e as “fake news” dadas pelos media (como acontece actualmente em todo o mundo) são consideradas reais porque ninguém se dá ao trabalho de questionar ….

            Abraço!

        • ivan says:

          Quem le apenas o titulo da vossa noticia da muito a entender que a internet vai acabar “…o fim da internet”, por isso acho que é normal haver gente que fique com essa ideia

        • Bruno M. says:

          adaptar?! Numa europa cada vez mais fascista, a aproximar-se a países como a CHINA….

          Até o próprio youtube está contra.. Celebridades estão contra, criadores de conteudo, grandes plataformas digitais….

          Se o caminho da censura é viver num mundo livre, então temos prioridades e conceitos diferentes no que toca a liberdade!

        • José Ferreira says:

          Se isto for para a frente da maneira que está, muito coisa vai correr mal. Muitos mercados vão cair e até bolsas crashar. As pessoas não estão preparadas para o que vai acontecer. E duvido que as redes sociais consigo filtrar todo o conteúdo que é postado em toda a Europa para conseguirem manter se cá.

        • Mikey says:

          Adaptar-se a andar um século para trás?
          Eu considero que isto está muito errado porque estão a acabar com a vida de muita gente que nasceu na era digital.
          Adaptar-se à mudança só quando há novas ferramentas de tecnologia, facilitando o dia das pessoas, agora perder os maiores fornecedores de qualquer tipo de conteúdo.
          Século XX Vs Século XXI

        • Nome says:

          Pois…Isto faz-me lembrar o RGPD. Todos opinam sobre o que ouviram alguém dizer, mas ir à fonte e tentar perceber do que realmente se trata está quieto! Dá muito trabalho.

        • secret says:

          Este artigo ira afetar as plataformas ou seja elas acabar por ir enbora ou seja de certa forma a internet vai terminar se a porcaria do artigo 13 for aprovado e se o 11 tmb for aprovado ja mal nos poderemos nos informar pois muitas veses no face as pessoas partinham noticias e mais adaptanos minha cara senhora hoje em dia a maioria dos jovems ve muito youtube e ve coisas na internet ou sja as pessoas que se adptaram facil sao as pessoas que nao utilizam a internet pois quem comsime e trabalha pela internet nao sera facil e ser youtuber nao é nada facil e quem acha que é e so concorda por isso esta a ser idiota…

      • Celso says:

        Digam-me que não acabei de ler o que li neste comentário… Decididamente que tenho que deixar de ler os comentários…

      • runt says:

        De acordo 100%

      • Joao says:

        Mais uma retardada que nem leu, sem viu a explicação no video. Quando vejo este tipo de comentários só me apetece esbarrar com o PC na parede. A internet devia acarbar sim, para alguns.

      • Miguel Costa says:

        ERRADO e MENTIROSA.
        Quando postas uma foto que tiraste, em qualquer local da internet, já assinaste o acordo que a foto estará disponível para toda a gente. Mantêm o direito de usar a foto mas, não sabe quem a pode usar. Se descobrir um desses youtubers “famosos” que usou a sua foto num clip, pode exigir que o vídeo seja apagado. Desde 2014 que é assim… O que vai mudar é que um desses “famosos” não vai poder andar a fazer vídeos sobre o ti gaspar que tropeçou e se partiu todo, usando os vídeos que encontrou num site noticioso. Para o fazer terá de pedir autorização ao site. O mesmo se passa se forem copiar a sua foto e a usarem num clip de mulheres bonitas ou feias.
        O que muda é que em vez de ser você a só descobrir que a sua foto foi parar aquele vídeo e que lhe chamaram “porca nojenta” 2 anos depois de 30 milhões de pessoas a conhecerem por aquilo, passa a ser o local onde o ficheiro é alojado que terá de verificar se a foto foi obtida com autorização.

      • Rui says:

        Mais um profeta do apocalipse. Calma mulher, que ainda vais poder ter o google e o facebook. Que drama!!!
        Irá haver muitas alterações, mas o conteúdo irá existir. Vão ter é de ter cuidado com as propriedades intelectuais.

      • martins says:

        tretas da treta.
        Idade da pedra? Eu nao quero que o meu puto se torne um futuro inadaptado social refem de programas da treta. Que olhe nos olhos dss pessoas e nao se refugie atras de um telemivel cono se ve atualmente os jovens. Mas sim, se tiver de ganhar dinheiro cim is inadaptados sociais, que ganhe, mas que nao seja um deles.

        • Noboruu says:

          Tenho 19 anos, sempre tive conexão com computadores, consolas e internet, não sou um inadaptado social, tenho curso profissional de programação equivalente ao 12º ano e acabadinho de sair da escola, graças aos meus gosto por computador que me fizeram seguir este caminho, estou a ganhar 900€ e dentro de 6 meses deverei estar a ganhar mais. Sempre gostei de ter tecnologia por perto, de facto não me sinto bem sem ter porque me habituei a te-la, mas inadaptado social? Não, eu consigo sair à rua, falar com pessoas, crias amizades sem ser pela internet. Existe de facto pessoas que são da forma que você tem medo que as pessoas se tornem, mas são casos muito mais raros de que a media convencional o fez pensar!

      • Anonimato says:

        Sabes que se a Internet acabasse toda a Europa ficaria paralisada. A internet mexe com quase tudo no dia a dia, se a internet acabasse, nem os computadores dos políticos, nem o mail nem coisa nenhuma funcionária! Temos de nos informar, e essa questão da Idade Da Pedra acho que você devia voltar para a escola e para as aulas de História, porque o grande problema é que os pais NAO DAO EDUCAÇÃO AOS FILHOS, e isso sim. Onde é que se viu um miudo chorar só porque o Want vai acabar? Tenham tento!
        Depois às vezes acho que o público português é burro! Antes de dispararem piropos, devem-se informar! Porque a informação é essencial!
        Esses Youtubers que não fazem a ponta dum chavelo, deviam estar a cavar terra e a cortar lenha como faziam os seus avós! Vivem à custa dos outros e depois são tão importantes só porque fazem videos de conteúdo obsceno!
        O que é mais importante, um estivador ou um Youtuber? Digam lá!!
        Sinceramente, está sociedade está cada vez pior. Eu admito que algumas medidas são ditatoriais mas, sei que não é o fim do mundo!

      • Felipe André dos Santos Carvalho says:

        Oh Ritinha… Pela maneira como escreves já vi que devias passar mais tempo era a ver canais sobre gramática. E com essa de que são os youtubers que “metem um sorriso nos filhos” também me meteste um sorriso (sarcasmo). Se os pais precisam do youtube para que os filhos sorriam é muito triste mesmo…

      • Gonçalo Ribeiro says:

        Porque antes de haver redes sociais e youtube não se faziam trabalhos ….
        Claramente eu quando fiz trabalhos na escola e universidade foi batendo com pedras umas nas outras ou a ter que me deslocar fisicamente no espaço e/ou no tempo para assistir a factos. As noticias rebebiamos uma vez por mês com um homem que andava de aldeia em aldeia a gritar as noticias do condado, porque não dava para mais.
        O youtube não vai acabar, nem o facebook, nem o instragram. Podem acabar com quem não produz nada de oirginigal e vive do trabalho dos outros.
        Já agora claramente não é criadora de nada nem de conteúdos nem de trabalho artistico ou orginal nenhum, porque se fosse claramente não iria gostar de ver outros a ganhar dinheiro com o seu trabalho.
        Há vida e muito mais para além do Facebook, google news e Instagram, se calhar era interessante sair de casa, lagar o telemóvel e quem sabe entrar numa livraria, biblioteca ou até tabacaria. É surpreendente a quantidade de coisas que se encontram … mas atenção com os cortes de papel, que isto para quem não tem experiencia pode ser um perigo.

    • Pedro Lobo says:

      E é por pensamentos como o seu que isto está tudo como está e não anda para a frente, mentes retrógradas, sem noção do que diz. Depois queixam-se de ditaduras.. Mas pronto nem vou por aí.. Reconsidere a sua linha de pensamentos por favor e tente evoluir.
      Nem todos ainda pensam que a mulher deve ser doméstica ou que os pais não têm que ser “exemplo” para os filhos e que o “Faz o que te digo, não faças o que eu faço” anda resulta. Os melhores cumprimentos

    • Vítor M. says:

      Não concordo, pelo menos acompanho 4 ou 5 e são de valor, têm trabalho lá por trás. Outros, é como tudo, vão na onda e fazem coisas… e há povo que gosta de ver coisas, há de tudo.

      Mas os bons, aqueles que têm valor e material próprio 😉 repara que não estão assim preocupados 😉

      Outros, na minha opinião, estão a ser manipulados.

      • Hugo Nabais says:

        É isso mesmo , os youtubers de valor não têm nada a recear. Só vi essa preocupação naqueles onde o conteúdo deixa muito a desejar.
        Um dos exemplos foi o wuant que fez um vídeo a dizer que o canal dele ia acabar por causa disto.
        Das duas uma ou anda muito desinformado ou então sabe que não produz conteúdo original!!

        • GM says:

          Pois, esse é um dos tais.

        • AS says:

          É exctamente essa a grande questão. Se o que tu fazes no Youtube é ir buscar a outros vídeos e comentar, devem estar preocupados. Supostamente a partir de agora têm que contratar o que vão buscar.
          Lembro me do Pewdiepie que com alguma frequência faz análises ao programa do Dr. Phill. Isso não vai acabar, mas vai ter que contratar com ele para continuar a fazer.
          Por exemplo o – Captain desilusion – que tem realmente trabalho cada vez que faz um vídeo (vejam o “invisible box chalenge”). Neste caso, estamos a falar de conteúdo de pessoas comuns que ele utiliza para analisar. Deverá também ter que fazer contratos para utilizar o conteúdo.

          Assumo que se trate de colocar algumas regras e premiar o “conteúdo original” . . .

        • Sujeito says:

          O problema maior não são de todo os youtubers. A malta está toda focada nisso enquanto as verdadeiras questões passam ao lado.

        • Nuno Martins says:

          Ignorancia. Pega em canais como digital foundry, yong ya, canais de critica seja de filmes, jogos, livros etc mas europeus. Tudo fica na merda, pk não podem usar conteúdos do que falam pk a empresa ou tira lhes a monitorização para eles pk usam imagens dos jogos ou deixam existir só as criticas positivas. Canais de noticias que muitas vezes mostram as mentiras dos media deixam de puder mostrar como eles mentem pk não podem mostrar os links e as noticias etc. O pessoal tá a ser censurado a todos os níveis e vem malta defender censura e cuspir num conceito essencial para a internet. fair use. Depois não tem conteúdo de jeito e tá td censuradinho e choram uns anos depois que não tem criticas honestas, que não sabem o que realmente se passa no mundo, que não há creatividade, que é tudo controlado pelas grandes empresas, etc.

      • Miguel Costa says:

        O problema é que youtubers, bloggers e outras coisas parecidas, estão habituados a recolher alguma coisa de outro lado sem pedirem qualquer autorização. “Internet é livre.”
        Com esta legislação, acabam por perder a fonte de rendimento que eram aqueles vídeos críticos ás notícias da actualidade, aquele vídeo com clips de uma série de desenhos animados, enquanto diziam que aquilo era horrível e muito perigoso e aqueles vídeos, caçados dos sites das revistas, fazendo comentários sobre as coisas que lá passam.
        A de 2014 é muito mais apertada mas, deixa a procura nas mãos das empresas. Já tive vídeos bloqueados no youtube porque usei um clip da TVI, com mais de 30 segundos, sendo que a televisão usou algum algoritmo e viu que o clip tinha mais 10 segundos que o limite, ordenou que o youtube o apagasse.

      • Alexandre Leitão says:

        Vítor, repara que o conteúdo ser bom ou mau vai da opinião de cada um.

        Não estando a defender ninguém, o facto do Wuant se queixar porque usa muito material com copyright não quer dizer que o canal que tem conteúdo original não possa usar uma musica, uma imagem, um meme ou o que quer que seja que tenha copyright.

        Porque quer queiramos quer não todos os canais serão afectados com isto os bons e os maus (à opinião de cada um).

        Quase todos os comentários aqui estão basicamente na luta do youtubers são bons ou youtubers são maus porque não têm um trabalho a sério.

        A questão não é criticar o conteúdo mas sim o impacto do Artigo 13.

        • Vítor M. says:

          Não disse que o conteúdo dele é bom ou mau. Atenção que, não sendo um YouTuber que sigo mas (por imposição juvenil) cá em casa sei do trabalho que faz 😀 contudo, há muitos bons YouTubers que sigo e que vejo o trabalho que fazem, conteúdos que usam, material que produzem. Outros, desculpa lá, mas não, são fracos e desonestos.

          Repara que eu não sou da opinião que os YouTubers todos são maus, disse-o em cima e digo-o desde há muitos anos. Já para não falar que alguns, se calhar dos maiores, fomos nós que os lançamos 😉

    • User Pplware says:

      Liberta-te…

    • Cruz says:

      porque n fazes o mesmo ? Ah pois nao tens talento, n tens nd de util para dar a sociedade, nem fazer rir algumas pessoas, nem passar um bom bocado. A unica parasita aqui és tu. Até o trabalho que fazes é mau.

      • cat says:

        E tu imbecil, tens “talento” ? Não fazes patavina, portanto nem se põe o facto de fazeres bem ou mal. És nada ! O verdadeiro parasita atrás do ecrã. Mas certamente sabes clicar em botões, ver vídeos engraçados, usar as últimas apps, escolher emoticons e memes bem giros. Certamente, um contributo incomensurável para a sociedade ! Palhaço …

      • Isa says:

        Muitos desses youtubers são especiais somente na cara-de-pau e tempo livre que têm. É por não ser assim que muita gente não se torna youtuber, e não por não ter talento ou graça.

    • Pedro Mendes says:

      O seu comentário é como a sua foto. É tão má que nem deve ser vista.

    • Zé Povinho says:

      Simplesmente ridículo, eu também acordo todos os dias para ir trabalhar e chego a casa do trabalho por volta das 01.00 apos 16h de trabalho. Não quer dizer que seja mais do que alguém. Cada um tem o seu negócio e faz o que pode para o manter. Se eles ganham ao criar conteúdo para entreter outras pessoas qual é o mal? Não ias ao circo quando eras pequeno? É praticamente o mesmo

    • Samuel says:

      Mas isto também vai te afetar pois não vais poder ler mais as noticias devido ao artigo 13 e 11

    • Henrique Prego says:

      Os artigos 11 e 13 não vão afetar só os Youtubers como você insinua, afeta toda a gente que usa a Internet como ferramenta de trabalho e/ou de divulgação de conteúdo. E isto não afeta só uma plataforma. Também afeta o Facebook, Twitter, Instagram, Reddit e muitas outras plataformas em que o utilizador pode partilhar conteúdo. Imagina que alguém talentoso na Ilustração e no desenho decide partilhar a sua criação mais recente sobre um filme, livro, série, videojogo, etc. numa das plataformas mencionadas para saber o que o público acha. No estado em que estão os artigos agora, esse criador de conteúdo teria a sua publicação eliminada o bloqueada pelo site porque não pediu autorização a quem detém os direitos autorais do conteúdo em que se baseia.
      A mesma coisa podia acontecer consigo se postasse um “meme” na internet.

      Você fala de Youtubers mediáticos como o Nuno Agonia e o Tiagovski como se fossem parasitas da sociedade que não fazem um chaveto e têm vida de reis. O que não lhe passa pela cabeça, e que lhe devia passar, é o trabalho que dá para gravar e editar um vídeo antes de o publicar na plataforma. Existem canais no Youtube que fazem um trabalho estupendo no ramo do entretenimento e que, por causa destas novas regras, vão ter que se adaptar para que o seu conteúdo não seja bloqueado na Europa. E digo desta maneira porque não só são afetados os produtores de conteúdo a nível europeu, como também a nível internacional porque irão perder esse público.

      E mais. Se estes Artigos forem de facto oficializados, todos os sites vão ter que adaptar essas regras a nível mundial para evitar confusões. Um exemplo de isso acontecer é a entrada da lei da proteção de dados que entrou em vigor à algum tempo.

      Como o Mark Twain dizia: “Get your facts straight first, and then you can distort them as much as you please.” Acho que deveria seguir esse exemplo. Por isso, partilho aqui um vídeo que explica muito bem o assunto.

      https://www.youtube.com/watch?v=GbXHrj8k7dg

      • cat says:

        Então, como castigo, vais escrever a frase de Mark Twain 1000 vezes no quadro. Os artigos só se aplicam a quem LUCRA com os conteúdos que incluem material copyrighted. Esse PEQUENO facto muda completamente a perspectiva do assunto. Facto que desconheces ou escolheste não mencionar. Caso seja a segunda situação, então não precisas de escrever a frase de Twain porque fizeste exactamente o que ele afirmou …

        • Luís says:

          De facto está correto, vai prejudicar apenas às empresas que lucram com os conteúdos que incluem material copyrighted, no entanto a ausência das mesmas conduz à impossibilidade da partilha de algo que alguém pretende.
          Você pode me dizer que vão surgir outras empresas que respeitam os Artigos, no entanto não serão tão conhecidas como as atuais, isto aplica-se não só para um usuário que pretende partilhar o seu conhecimento/trabalho mas sim para qualquer empresa de música, é na internet onde o conhecimento se espalha mais rápido e não nos offilne media, há que pensar um bocado sobre o que esses artigos põe em causa.
          É correto proteger os direitos autorais, mas não desta forma, em que ninguém mais vai poder ter acesso aos mesmos, com isso o “fair use” deixaria de existir

    • Kico says:

      Se anda a lavar chão, é porque não deve ter capacidade para aquilo que gostaria, youtuber
      Tem mesmo uma “Cruz” ás costas…

    • Inês Cardoso says:

      Eu só gostava de saber porque é que os sites de notícias estão a distorcer este problema. Isto é realmente um assunto sério, irão cortar a liberdade do consumidor e do criador e infelizmente os sites de notícias, televisão, rádio não estão a dar importância porque irão ganhar dinheiro e audiência. Se isto for aprovado será o fim da internet.

    • Paulo Sá Moreira says:

      a ignorância é muita!!! no caso dos Youtubers que conheço (Nuno Agonia e Wuant), sei bem o trabalho que teem, as horas que passam não só a gravar como a editar, bem como o investimento em equipamento que teem! por isso se não sabe, não diga asneira! aliás se é assim tão fácil, deixe de os criticar e faça como eles: TRABALHE!

      • Sergio says:

        Não está em causa o mérito dos youtubers, trata-se de fazer algo que já devia ter sido feito há muito tempo em termos de direitos de autor de conteúdos originais utilizados por muitos. Vai doer a muito gente mas é o correcto. A internet adapta-se. Dói porque já vem tarde.

        • Ricardo says:

          Mas tem de ser feito porque? Os ricos já não estão ricos o suficiente?

        • VC says:

          “A internet adapta-se” na Europa – que não a inventou (a internet). Nos EUA e no resto do mundo não há censura.
          A questão da protecção dos copyright é importante, mas o que pode acontecer é que, devido a incertezas legais, acerca dos mesmos muitas companhias abandonem o mercado europeu.
          É uma questão séria.

        • cat says:

          Sérgio, nem vale a pena tentar racionalizar com esta gente. São seres de muita emoção e pouca razão. Parecem criancinhas a que querem tirar um rebuçado. Se ao menos pensassem …

    • alex says:

      isso aplica-se aos actores e actrizes, apresentadores de televisão, jornalistas…epá, é começar a juntar profissões á balda, quando não se sabe não se fala
      por detrás de um video está uma produção de video, um video de 10 minutos secalhar demora uma tarde inteira a gravar, fora as horas de edição etc etc
      não estou a dizer que a vida deles não é menos relaxada que a tua, mas também posso dizer que não fazes nada da tua vida se te vir a passar de carro acabado de acordar ás 6 da tarde, mas tu vais trabalhar a noite toda !!! eu é que não sabia !!! eu é que sou burro !!!
      neste caso o burro és tu claro

    • Pintor says:

      Não tens a mínima noção do que comporta ter um canal de Youtube que te permita viver exclusivamente disso.
      São bem mais que as tais 8 horas por dia a trabalhar para lançar conteúdo que ter permita viver disso.
      Isto para a realidade Portuguesa.

    • Ricardo says:

      Porque tanto ódio nesse coração? Fico mesmo triste por existir pessoas tão invejosas e que desejam o mal de quem não lhes faz nada. E antes de mais não sou fã de nenhum youtuber mas nenhum deles me fez mal nenhum nem invejo ninguém. É só triste de verdade ser-se assim. Eu até fico feliz por ver que pessoas têm sucesso sem roubar nada a ninguém. E pelo que vejo eles trabalham e muito. Eu não conseguia fazer o que muitos fazem. Fazer vídeos para meter no canal todos os dias não é fácil. Alguém devem trabalhar mais do que muita gente por aí. Mas pronto este mundo está perdido realmente.

      • Sergio says:

        Ricardo estás a passar ao lado da questão. Eu não tiro mérito aos youtubers, sei que não é fácil embora pareça. O que está em causa é a matéria-prima que muitos deles utilizam, que não é deles e está sujeita a direitos de autor. Mas isto só se discute porque eles ganham dinheiro com isso e não me parece correcto que só eles ganhem dinheiro quando estão a utilizar material criado por outros.

        • Ricardo says:

          Mas já existe lei para isso. Eles já ficam sem monetizacao do vídeo caso coloquem um vídeo de outra pessoa ou música etc. o artigo 13 vai muito além do YouTube. É uma maneira de censura extremista. Uma pessoa não vai poder falar bem ou mal de um produto por exemplo. Isso é censura. E os detentores dos direitos autorais são empresas multimilionarias que já usam as leis para tirar as monetizacoes. Informa-te sobre isso. O artigo 13 é desnecessário. Não faz qualquer sentido

          • Nuno Martins says:

            Bem dito Ricardo. 10 segundos de uma musica pode logo dar a monitização do teu video para a produtora da musica ou bloqueado hj em dia logo no youtube já estão todas as bareiras para não roubares o conteúdo a ninguém, mas felizmente ainda era respeitado fair use onde podes correctamente usar excertos de conteodo de copyright de alguém de forma educativa, transformativa, de comentário ou de review. Exemplo criticas de jogos, criticas de filmes, criticas de anime, canais de comentário politico, canais de noticias. Que só existem graças ao conceito liberal de fair use, sem ele eles morrem. E esta lei mata o conceito de fair use.

    • ficolixado says:

      Tanta inveja junta lol Estudasses… nascesses criativo…. faz como eles e já não te levantas cedo para ires trabalhar lol
      enfim, é assim o tuga.

      • Sergio says:

        Tens razão em parte, mas não basta “nascer criativo”, é preciso respeitar a “criatividade” dos outros. Este é um grande problema de hoje em dia e que no fundo é uma questão ética e cultural. Hoje e dia pensa-se…ah este vídeo/imagem/whatever está na net, logo posso usar isto para EU ganhar dinheiro, mastiga-se tudo muito bem em forma de review ou crítica ou sátira e a coisa passa…já para não falar que essa malta ainda por cima não paga impostos. E que tal algum respeito e repsonsabilidade social???

        • Nuno Martins says:

          Sabes o que é fair use? Sem ele não tens sociedade liberal. Tu tens e tens que ter o direito de usar excertos de conteúdos de copyright para fins críticos, educacionais, noticiários, etc. Tiras isso e nem as noticias são legais nos canais de noticias. Parece me mais que este comentário vem de dor de cotovelo de quem faz dinheiro com redes sociais, e vamos ignorar as consequenciais graves para os direitos das pessoas e liberdade pk tou com inveja que outros fazem dinheiro usando esses direitos.

          • cat says:

            “Sabes o que é fair use?” E tu, sabes ? Parece que não …

            O fair use só existe nos EUA. A verdade é que o art 13 é uma versão europeia que vai na direcção dessa mesma legislação dos EUA.

            :p

    • BGG says:

      As pessoas têm é de estar vigilantes e pensar quem está por detrás desta lei e qual o objectivo desta lei…as pessoas com as novas tecnologias estão a abandonar as televisões e os canais tradicionais que se estão a ver e desejar para sobreviverem…assim controlar mentes torna-se complicado…controlar os oradores e as opiniões fica mais dificil…esta lei tem o intuito de tentar por um travão na liberdade de expressão e mais não digo…pensem que chegam lá…há poderes instalados que estão a ser mexidos, por exemplo há quem tenha medo que apareçam indivíduos que venham mexer com poderes instalados como fez o Bolsonaro no Brasil…isto vai além do que se possa imaginar…internet livre é o que queremos

    • Alexandra says:

      E vc deve pensar que é fácil todos os anos que eles trabalharam pa chegar onde estão achas que é fácil a cada dia que passa criar novo conteúdo para publicar no canal ou pensa que é so coçar o cu a frente da câmera que ganham se acha que é fácil faça o tbm

      • Sergio says:

        Tens razão em parte, mas não basta “nascer criativo”, é preciso respeitar a “criatividade” dos outros. Este é um grande problema de hoje em dia e que no fundo é uma questão ética e cultural. Hoje e dia pensa-se…ah este vídeo/imagem/whatever está na net, logo posso usar isto para EU ganhar dinheiro, mastiga-se tudo muito bem em forma de review ou crítica ou sátira e a coisa passa…já para não falar que essa malta ainda por cima não paga impostos. E que tal algum respeito e repsonsabilidade social???

    • Peter Calm says:

      Comentário tão infeliz

    • Francisco Monteiro says:

      Se criar um canal do youtube, com a quantidade de imbecilidades vazias de fomentação que consegue debitar em tão poucas palavras, com certeza que vai ganhar dinheiro. Duvido é que passe a trabalhar menos do que faz agora, mas isso já é outra questão.

    • Sofia Silva says:

      Eles trabalham tal como muita gente, são jovens, empreendedores que ganham imenso dinheiro honestamente, sem roubar a ninguém, nem projedicar ninguém! Ganham fama? Ganham! São invejados, claro que sim! Agora para chegarem ao topo, tiveram de pisar em alguém? Não! Tiveram que dormir com o superior? Não! Dependem de alguém? Não! Porque é que vos incomoda??? Simplesmente pq o dinheiro não cai na vossa conta!

    • Duarte says:

      Meu caro amigo podes pensar que vida de youtuber qualquer um faz mas estas muito enganado … Vida de youtuber nem é tão fácil como parece ( youtubers dedicados ) para além de tarbalharem 7 dias por semana ( os youtubers que põem videos todos os dias como e obvio ) , os vídeos podem durar horas a editar e a carregar( contando as horas de gravação ) vocês pessoas não muito ligadas a este tipo de assunto pensam que é ligar a câmera e está feito mas estão muito enganados … Mentes fechadas

    • paulo matos says:

      Ola boa tarde so queria dizer ja que tanto falam de trabalho duro podem ir para as ruas a fazer trabalho comunitario a varrer as ruas ,cortar lenha, levar pedras pesadas e fazer mão de obra são tao ignorantes que voçes tem boms trabalhos atras de uma secretaria e fazem muito menos que um youtuber um youtuber tem que fazer milhoes de videos editar ver o que esta mal cortar meter efeitos especias diverte as pessoas ajudam as pessoas ja que dão coisas com o seu dinheiro e voçes so estao bem a perjudicar a vida a todas as pessoas , os politicos são quem robam dinheiro os jornalistas tanbem não fazem muito mais que um youtuber, um jugador de futbol ainda faz muito menos que um youtuber e ganha milhoes .

    • Cristiano Alves says:

      Faz videos também “já que é tao facil” enfim…
      Muitos deles criam conteúdo importante, reviews, informações, canais de historia, tutoriais etc etc…
      Cada um vê os conteúdos que quer, há os que so criam palhaçadas, mas outros são muito mais importantes e muita gente pode aprender em diversos canais no youtube.

      mas desta forma TODOS ELES VAO DESAPARECER porque o YouTube simplesmente nao vai pagar a todos os detentores de direitos so para nao correr o risco de ser processado.

      Velhos do restelo houve, ha e sempre vai haver.
      Bom dia.

  2. FugaparaVigo says:

    Claro que motivo para alarme e preocupação. A censura e perseguição são métodos de controlo. Quem se submeter e aceitar está destinado a ser mais uma ovelha do rebanho.

    • BC says:

      Censura e perseguição? Really? Então tu se meteres um vídeo no Youtube sobre o shrek e fizeres montagens e cenas com o boneco, ganhas dinheiro com isso, e eu enquanto criador do Shrek, tenho de estar caladinho e não posso exigir a minha parte do que ganhaste graças ao que eu criei?
      Foge para Vigo, foge…

      • Tiago Brito says:

        E como vai funcionar com reviews de filmes, por exemplo?
        Fazem publicidade gratuita e ainda têm de pagar?
        Se a review for negativa pode ser censurada sob pretexto de copyright?
        Como é que isso vai funcionar?

      • Jc says:

        Existe simpre um exemplo para qualquer argumento.
        Mas as coisas não são simples como true or false.

        Com esta legislação um vídeo de 1 hora, sobre a corrupçao, pode ser bloqueado porque lá no fundo da imagem alguém ia a passar com uma t-shirt do Shrek.
        A partir desse momento ganha tem mais capacidade de enfrentar o combate legal prolongado e não quem tem tem razão moral.

      • Tiago says:

        Não é bem assim. No youtube, por exemplo, caso sejas tu realmente o criador do shrek e encontrares um vídeo monetizado com a tua criação, toda a monetização daquele vídeo será tua, basta tomares as medidas certas…

      • alex says:

        não faz sentido o teu comentário, se eu comprei o boneco do shrek eu faço o que quiser com ele, incluindo esfaqueá-lo todo num video para o prazer dos meus subscritores e atirá-lo para as silvas, seja o que for, não é o boneco do shrek que está a fazer o dinheiro por mim, eu podia ter utilizado um super mario e ganhava igual…como também podia usar um peluche comprado na loja dos 300

      • Ricardo says:

        Mas não achas que, para seguir o teu exemplo, o criador do shrek não tem dinheiro suficiente? Vai morrer a fome por alguém fazer um vídeo a mostrar o shrek e a dar-lhe publicidade? Por amor de Deus. Isso é bom senso. Esta lei só vai deixar os milionários mais milionários. E nós mortais que tentamos ganhar a vida é que vamos ser prejudicados. Pah não me cabe na cabeça. Eu sei que o certo é que o criador tenha os direitos mas também não se pode ser extremista a esse ponto.

    • Miguel Costa says:

      Qual censura? Se fizeres um vídeo de uma queda que dás, vais ganhar dinheiro com isso. Se aparece um lampeiro que use o teu vídeo para fazer umas parvoíces, vai ganhar dinheiro com isso e não te pediu autorização para o usar, nem te deu nada para o usar. É isto que á perseguição? Há chavais parvalhões que não percebem nada de leis…

  3. Kapoing says:

    Não é por vocês tentarem adocicar as diretivas que elas deixam mudar drasticamente a essência da Internet livre e de partilha de conhecimento e informação. Os autores em vez de criarem lobis para limitar a partilha deviam eles reinventar se para obterem o lucro desejado com o conteúdo que criam. Acredito que uma nova Internet surgirá mais livre. É a Internet limitada por por leis será mais um deserto.

    • Carlos Fernandes says:

      publicidade é a única coisa que um consumidor esta disposto a “pagar” para experimentar ou aceitar produtos de baixo valor.
      quanto ao resto vale mais pagar 10€/mês por uma boa VPN …que ver noticias de jornais europeus, youtube e afins.

  4. Tiago Brito says:

    Um problema que me parece grave é que pelo que percebi cabe às plataformas detectar as violações de copyright. Como é que isso será feito? Gigantes como Google e Facebook poderão ter dinheiro para implementar tais soluções com tecnologia de ponta, mas e as empresas emergentes e as pequenas empresas terão capacidade para as implementar para poder competir com os gigantes?

    • Miguel Costa says:

      Já é possível. Várias empresas de média já o fazem nos principais canais de vídeos. No youtube já é possível uma empresa inserir um pequeno código de um vídeo original que tenha. Caso esse código (um MD) surja nalgum vídeo partilhado, sem ser pela conta original, o pedido de remoção de conteúdo por copyright é enviado automaticamente.
      O Netflix também já tem isso no youtube e no Vimeo. Agora vai passar é a ser o distribuidor a usar esse sistema para bloquear e remover todos os vídeos que se cruzem com isso. Com imagens é a mesma coisa e dá para cruzar até com vídeos.

      • Tiago Brito says:

        Mas se alguém editar o video original esses codigos deixam de bater certo, ou estou enganado?
        Há também pessoal que filma uma TV a passar um video, o que não deixa de ser conteudo alheio.

  5. Ricardo says:

    “Não partilhe desinformação, nem alarmismos” , então para que o titulo ?

    • Vítor M. says:

      Caro Ricardo, o título nada tem de alarmista, vai ao encontro de certo alarme social causado por pessoas que não sabem interpretar e por outras que vivem no conforto da ignorância. Se o Ricardo entendeu o título como fora destes dois exemplos, não conseguiu interpretar a mensagem. Na caia no outro exemplo.

  6. Dioguinho says:

    É preciso ser muito anjinho para dizer que isto não vai influenciar nada aa simples pessoa que partilha uma imagem com alguma trademark, porque o mais certo é que se a lei for para frente, nem sequer se tenha acesso a essa funcionalidade de partilha, uma vez que os gigantes tecnológicos não vão correr o risco de estarem eles a pagar

  7. Josué says:

    Acabou-se a mama. Wuant e companhia vão ter que pegar na enxada e trabalhar de verdade.

    • Miguel says:

      Quem são esses?

    • Luís Gonçalves says:

      Inveja é F*****

    • Nuno says:

      Pá e pica, mas eles não aguentam um pouquinho de pó, mas se aquilo é o trabalho deles há que dar mérito e não viver com o mal dos outros.

      • Filipe says:

        Dar mérito a vídeos cancerosos? “Comi canela e olha no que deu”. “Comprei um audi tt e olha no que deu”. “Risquei o carro e olha no que deu”. “Dormi a noite inteira fora de casa e olha no que deu”. Mérito de quê? Vídeos de palhaçadas dessas qualquer um faz.
        Os únicos vídeos úteis dessa malta que se auto-intitulam de influencers, são as reviews de algo.
        Tudo o resto, se desaparecer, também não faz falta.
        Têm medo da possibilidade de poderem ter de procurar emprego… Temos pena. Toca a todos.

        • Frank says:

          Filipe, como alguém diria, e que se aplica na perfeição à humanidade de hoje :
          “Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho certeza absoluta.”

          NOTA : se existem youtubers e outras porcarias do género, é porque existe clientela a dar para o estúpido, que os mantêm activos

        • Celso says:

          Ora aí está…!
          “Os únicos vídeos úteis dessa malta que se auto-intitulam de influencers, são as reviews de algo.
          Tudo o resto, se desaparecer, também não faz falta.”
          Isto!!!

          • GM says:

            Mas Celso, eles são realmente “influencer’s”. Basta ver a quantidade de gentinha, desde miúdos (incluindo os meus) a não tão miúdos assim, que se deixam influenciar por estas pessoas. Infelizmente.

        • Rui says:

          Não há pessoas a ver o big brother e afins? Novelas? Filmes? Se algué te quiser pagar uma fortuna todos os meses para fazeres algo que gostas mas que alguém te ache uma aberração por isso, não fazes?

        • Tiago says:

          Tanto ódio… A imagem que o senhor está a usar no seu perfil é da sua autoria? Penso que não. E caso não seja, poderá ser processado por isso. O mal que deseja aos outros a si também lhe cabe com esta lei e não apenas aos youtubers.

  8. CB says:

    …… é para o lado que eu durmo melhor…….

  9. Helena says:

    Sim, isto é no fundo o implementar da censura, mas se for para acabar com certos canais até será bom.
    Tipos que nada fazem na vida a não ser videos têm de pensar duas vezes no que irão fazer para comer.
    Não é inveja, porque eu trabalho todos os dias e custa, mas existem pessoas que produzem bons conteudos e outras, como a maioria dos que agora se anda a queixar, que apenas fazem bosta…. custa trabalhar? Claro que sim, mas videos no YouTube não é trabalho.

  10. Pirata dos Bits says:

    Já aplicado cá pelos Unidos dos VideoClubes, é uma questão de tempo para que a internet seja um mundo organizado. Já que defendem tantos os youtubers, vão lá perguntar onde estão os impostos desse trabalho? Onde está a segurança social nestes casos? Eu não sou contra o que eles ganham ou como fazem para ganhar, mas um mundo onde querem viver do “online” havia de acabar por sair o tiro pela colatra e agora? Choram? Façam conteúdos privados e convidem para as festas, assim não tem de pagar nada. SE querem publicar coisas para o publico com conteudo sujeito a direitos de autor tem de pagar ou solicitar. As vezes pedir não custa nada, para muitos a divulgação é de borla, mas quando há situações ilegais como alterar conteudos e muitas vezes difamar… já não há culpado.
    Basta verem uma vhs de 1998 para verem o que é direitos de autor (agora aplicada pela “brigada” dos Unidos dos VideoClubes)
    Fecharam montes de sites e ainda dizem que vão “chorar” por fechar o Youtube…

    • Ricardo says:

      É tudo muito politicamente correto por aqui. Só pergunto uma coisa. Nunca fizeste download de um filme ou série ou música pois não? Espero que não se não vais contradizer-te

  11. Diogo Moniz says:

    O YouTube até já ameaçou que eliminaria todos os vídeos feitos aqui dentro da UE caso essa lei passasse, e que ainda iriam bloquear o conteúdo internacional que esteja a infringir estas novas regras da UE (que é a grande maioria dos vídeos). Os pequenos criadores, todos sem excepção, vão sofrer as consequências! Agora digam-me lá, como é que podemos fazer uma crítica, paródia e todo o resto, se não podemos usar os vídeos e/ou imagens por causa dos Direitos de Autor? Isto não é motivo para alarmismos? Isto não é chamado de censura?
    Agora temos este vídeo que explica o porquê de haver razão para alarmismo: https ://www.youtube.com/watch?v=GbXHrj8k7dg&t=1s
    É a palavra deste canal contra a vossa. Quem é que tem razão agora? Ou vocês vão querer dizer que qualquer palavra contra a vossa, é dita por ignorantes?

    • Vítor M. says:

      Esse canal só por si, com esse tipo de imagens e mensagens, apresenta-se tal como é, cheio de informações incongruentes e misturadas com fantasia. Tu, no teu direito, acreditas no que quiseres 😉 estás à vontade. Mas, tal como referimos, a proposta de lei é uma coisa, a interpretação por parte de algumas pessoas que estão a fazer vídeos e notícias a mando do YouTube… é outra.

      Alias, nós falámos disso logo quando saiu a proposta, este assunto já não é de agora.

      • Sergisergio says:

        Esta malta agora informa-se no Instagram e no YouTube, não há consciência e discernimento para procurar fontes de informação fidedignas. Vivem absortos numa realidade fantasiosa de redes sociais aumentadas com fake News e notícias/ vídeos fantasiosos. Este é outro dos problemas da internet, para além dos varrimento que se faz aos direitos de autor. Esta lei vai doer apenas porque já vem tarde. Na essência, is going to give the power back aos autores.

      • Bruno M. says:

        Se acham que as empresas como youtube/insta/twitter/face e outras vão-se dar ao trabalho que implementarem os sistemas quea UE quer, estão enganados!

        Se acham que as plataformas acima descritas vão-se sujeitar a receber possíveis processos judiciais por violações de direitos de autor, desenganem-se!!

        TUDO o que está disponível actualmente será eliminado! Tudo o que será upado depois, será censurado até prova de que não há violações de direitos de autor!!

        As pessoinhas vêm tudo como se fossem só para elas, como se fossem os unicos a usarem, as plataformas e não entender que a cada minuto estão milhares de milhões de utilizadores a upar e a ver os conteúdos!

        Artº 11 e 13 (principalmente o 13) são prejudiciais para a liberdade na internet como hoje a conhecemos e esta irá mudar para pior, após o artigo!

        Digam adeus aos youtubers, aos utilizadores que fazem covers, ao reviewers, etc…!!

        Excelente explicação do youtuber Felipe Neto… !
        https://www.youtube.com/watch?v=O1KPNcvOHQ4

        • Vítor M. says:

          Caro Bruno, podem não implementar, até acredito que não queiram fazer, mas depois sofrem as consequências. O Filipe Neto sabe, porque já foi mais do que uma vez ameaçado pelo YouTube, que se for contra as regras é “punido”. Também não gostamos de muitas coisas e somos literalmente contra, mas não temos como não cumprir, quando certas leis passam pelo crivo dos senhores na UE.

          Vais ver se nenhum vai acabar, vão mudar a forma como atuam.

    • Miguel Costa says:

      ROTFLLLLLLLLLLLLL Se acreditas nessa coisa, vai morrer longe… que vais morrer bem depressa.
      Isso é MENTIRA. Essa coisa está preocupada porque faz vídeos de publicidade com coisas que compra e ganha MUITO dinheiro com essa publicidade… sem pagar a quem é o dono da marca e do produto. Segundo essa coisa ESTÚPIDA, “por ter comprado já tenho o direito de publicar a minha opinião”. Portanto, se comprares um Mercedes, já tens o direito de dizer que a marca do carro é tua e podes vender pipocas Mercedes com o símbolo, pois pagaste o automóvel.

  12. pic says:

    pensem um pouco em vez de mandarem sempre a boca aos youtubers. além de ser mau para eles também vai ser mau para nós.

  13. DWz says:

    Artigo muito pobre.
    Quem diz que isto não irá mudar de forma profunda a forma como a internet funciona é, no minimo, ingénuo.
    Não estou a favor de se partilhar sensionalismos nem alarmismos quando não há razão para tal, mas também não se pode ficar à sombra da bananeira à espera de ser tarde demais para se agir, e depois de ser tarde demais é que se vem chorar.

    E já agora, ao abrigo da nova lei este artigo não poderia ser publicado como está, só para verem a gravidade.

    • Vítor M. says:

      Não vejo qualquer outro mais completo, mas mesmo assim, há sempre algo que se pode fazer a mais.

      Vamos lá Dwz, agora traz algo para o completar, fica o desafio. A partilha de informação, é sempre bem-vinda. Dizer mal qualquer um sabe dizer (e cada vez há mais cigarras), agora fazer mais e trazer mais… isso agora 😉

      Vamos lá, partilha aqui para todos ganharmos com isso.

      Cump.

      • DWz says:

        Ok, vamos começar com alguns exemplos das infrações do próprio artigo:

        – screenshot dos vídeos do youtube: ilegal ao abrigo do Art. 13, não têm licença para esse conteúdo pois não?
        – Links para artigos externos com mais de 1 palavra de descrição num site que vai tirar rendimento deste artigo: ilegal ao abrigo do Art. 11

        Depois, algo que é um big deal é que, ao contrário do DMCA, esta lei não tem uma clausula de “Fair Use”, o que significa que qualquer material copyrighted, por mais pequeno ou insignificante que seja não pode ser usado sem ser licenciado, quer se esteja a ter rendimentos desse produto ou não.

        E mais, outro big deal é, também ao contrário do DMCA, não haver lei de “safe harbour”, o que quer dizer que as plataformas são legally liable pelo conteudo infringidor que os utilizadores coloquem, e podem ser processadas por isso, logo todas as plataformas terão de agir pela segurança e bloquear todo o conteúdo que possa ter a minima chance de ter partes copyrighted, ou arrisca-se a levar com processos milionários, conclusão: apenas as empresas grandes que possam garantir que têm licença sobre 100% do conteúdo irão poder fazer upload.
        E ainda mais, se eu quiser criar uma plataforma de upload de imagens, por exemplo, e não tiver milhões para desenvolver um algoritmo que flag todo o conteudo copyrighted, e, por acaso, alguém colocar lá uma imagem com conteúdo copyrighted, eu posso ser processado até à falência por isso, porque sou legally liable por esse conteudo que os meus utilizadores colocaram.

        Por fim, o Art. 11 é tão mau ou ainda pior, visto que possibilita a censura. Eu posso criar um artigo de fake news e não licenciar o uso a ninguém, e mais nenhum site pode citar ou linkar o meu artigo para me desmentir.
        Plataformas como a Google News e o Wikipédia simplesmente não vão conseguir existir devido ao Art. 11, ou irão ter de pagar licenças para todos os links de sources em todos os artigos do Wikipedia e todos os links de noticias no Google News.

        Entendem agora a razão para alarmismo?

        • Miguel Costa says:

          ERRADO. Falta-te lembrar que o Pplware tem um canal e um contrato com o Youtube. Por isso, pode usar imagens e links para vídeos que tenham sido eles a publicar.
          Por outro lado, segundo o DMCA, um vídeo colocado em share pelo seu proprietário, pode ser partilhado por qualquer site em qualquer sítio. O mesmo se vai passar com o artigo 13, pois a licença de atribuição é legal e continuará a ser.
          O que vai passar a ser controlado é o upload dos vídeos, não é o share, como pareces não perceber a diferença… Ao colocar um vídeo ou fazer uma publicação, é necessário existir uma autorização da fonte original. Isso pode ser feito por contratos de longa duração e acordos entre as entidades. Com a vantagem que se eu coloco um vídeo no Youtube, posso escolher se permito que seja partilhado ou que só o possam ver no site. Com o novo artigo 11, até poderei bloquear o acesso por links externos. (Se o pplware não tiver contrato com a Alphabet, os links do youtube aqui colocados não funcionam.)
          Cabe ás empresas criar uma forma de validar esses dados. O Facebook já tentou ficar com os direitos de todas as imagens publicadas nas suas 4 redes sociais, só não o conseguiram porque teriam de apresentar declarações assinadas por todos os utilizadores. Basicamente é o mesmo que este artigo 13 irá pedir.

          • Vítor M. says:

            Claro que sim, há contratos, há acordos, licenças, há vários mecanismos que temos acionados e que nos permitem ter este conteúdo. Não temos material ilegal nem queremos ter se a lei mudar, temos como todos, de nos adaptar e adaptar a forma de fabricar conteúdo. Termos parcerias ao redor do mundo, temos visitantes ao redor do mundo e há regras que têm de ser cumpridas e adaptadas.

          • DWz says:

            tu não percebes ou não tentas perceber.
            O Pplware, em cima, tem um screenshot dos vídeos do Wuant, e de mais alguns Youtubers. Esse screenshot é ilegal ao abrigo da nova lei. Os vídeos não são deles, e provavelmente não terão permissão escrita dos produtores desses vídeos para partilharem esse screenshot.

            Isto é só um exemplo.

            É claro que se o vídeo for teu, podes partilhar screenshots desse vídeo, como é obvio, não estou a dizer o contrário.

            A partilha de conteúdo está abrangida pelo Art. 11, a publicação de conteúdo (seja upload de vídeos, imagens, artigos de noticias como este, audio, etc) está abrangido pelo Art. 13, logo colocar imagens sobre as quais não se tem licença num artigo como este é ilegal segundo o artigo 13, a não ser em casos muito muito específicos.

            Lê: https://www.consilium.europa.eu/media/35373/st09134-en18.pdf

            As exclusões estão na Pag 43.

          • Tiago Brito says:

            VÍtor, o Pplware tem as parcerias, contratos, etc, mas ao porem um video no youtube, não é o youtube (a plataforma) que precisa ter essas parcerias, contratos, etc?
            Se voces fizerem uma review de um telefone xiaomi, e o youtube n tiver acordo com eles, como fica a situação?

          • DWz says:

            @Tiago quem coloca o conteúdo (vídeo, imagem, audio, etc) é que tem de ter 100% dos direitos de autor do conteudo que colocou.

            Se colocarem um vídeo de uma review de um Xiaomi têm de ter licença com a Xiaomi. Se disserem mal do equipamento a Xiaomi pode negar essa licença e simplesmente não podem publicar o vídeo (ou são processados).

            Se tiverem licença da Xiaomi, mas a meio do vídeo estão a testar a câmara do telemóvel e apanham um McDonalds no fundo têm de ter licença da McDonalds para fazer upload desse vídeo.

            etc etc..

            You get the idea.

          • Tiago Brito says:

            Eu pensei que isso seria assim agora.
            Com a nova lei o YouTube tem de detectar violações aquando do upload para o impedir.
            Como é que eles vão saber quem tem ou não permissão? Vão ser inundados de envios de comprovativos de permissão?

          • Vítor M. says:

            DWz outra vez a criar ruído? Repara que o ponto que referiste é só por si uma resposta que vai contra o que andas a afirmar nos comentários.

            Nesse e noutros pontos é referido que os Estados/organismos têm ainda muitos procedimentos a colocar à disposição dos intervenientes e que a regra geral não se aplica sem que cada Estado determine métodos, locais de disputa de litígio e outras áreas resultantes de possíveis ações judiciais. Como referi, não há nada ainda que diga que o que foi feito seria ilegal num processo que ainda não tem determinados os caos particulares como é o uso de um screenshot.

          • DWz says:

            oh Vitor… então o teu argumento é que, como ainda a lei não está finalizada e ainda não existem os recursos legais, vamos deixar isto passar até ser tarde demais para mudar alguma coisa?
            Isso é realmente uma lógica acertada, sem dúvida.

            Até porque nunca se viu empresas a abusarem de leis de copyright e patentes para o seu ganho, e esta lei, com a abstração que tem nas palavras que usa, é facilmente abusada por quem tiver os advogados certos.

            É claro que os cenários que aqui estou a criar são uma interpretação extrema da lei, mas se a lei permite ser interpretada assim, a empresa que vir que consegue ganhar dinheiro com isso vai inevitavelmente abusar da lei nesse sentido.

            É isso que se está a lutar, contra a maneira como a lei está escrita para evitar abusos.

            Ganha um pouco de sentido crítico e apresenta argumentos e factos, não opiniões.

          • Vítor M. says:

            Estás novamente enganado, está no artigo, nas alíneas, que há margem para haver adaptações, diz claramente que há ainda muito a fazer e que cada estado e organização pode tratar de adaptar os métodos. Alias, como está já a acontecer, a Nintendo já mudou a forma como estavas a encarar as realidade, um simples ato desmontou o teu sentido crítico alarmista 😉 http://bit.ly/2PbpBDX

            Estás a levar ao extremo erradamente, porque o artigo em si, traz mecanismos para certos cenários que falaste nunca acontecerem. Não inventem estes cenários para amedrontar e criar uma realidade que não é verdadeira nem o será. A tua última frase é mesmo para ti, não para mim.

          • Vítor M. says:

            Tal como eu referi, o que é dito e o que será feito não é nada como o DWz está a dizer, o mercado vai-se adaptar, as empresas vão tornar os processos diferentes, vejam este exemplo:

            http://bit.ly/2PbpBDX

            Tal como referi, não “embrenhem pelos ouvidos”.

          • DWz says:

            Vitor, esse exemplo não está de todo a teu favor.

            Deste um exemplo de uma marca que só por acaso tem tudo a ganhar em que sejam transimitidos os jogos deles para ganharem audiencia e publicidade gratuita, e que eles próprios tinham tentado proibir essas transmissões mesmo antes da entrada desta lei.

            Logo, mesmo esse exemplo que tu deste não tendo nada a ver com o Art. 13 nem com a legislação em vigor, dá para ver a vontade das empresas de licenciar o conteudo deles, mesmo quando têm a ganhar com isso.

            Agora pensa quando a empresa não tiver nada a ganhar com a publicação de um conteúdo (por exemplo uma review negativa a um artigo que é realmente mau).

            “o artigo em si, traz mecanismos para certos cenários que falaste nunca acontecerem” – onde? Em que ponto de qual artigo estão esses mecanismos?

            As limitações e exclusões estão nos Art. 3 até ao Art. 5 (https://www.consilium.europa.eu/media/35373/st09134-en18.pdf), e nenhuma tem protecções contra os cenários que eu descrevi.

            E já agora, dá-me em que casos concretos é que esta lei (especialmente o Art. 13 e Art. 11) protegem melhor os cidadãos em relação à legislação actual, porque continuas a defender esta lei mas sem apresentar qualquer argumento em como esta lei é de facto melhor que a actual.

          • Vítor M. says:

            Dou-te todos os exemplos com o que virá no dia a dia, tal como irás ver. Para quê estarmos agora a perder tempo com cenários irreais?

          • DWz says:

            temos mesmo de nos preocupar com todos os cenários possíveis para tentarmos prevenir os desfavoráveis.

            Não é depois da porta arrombada que vamos meter as trancas.

            Não é depois de acabarmos com o resto dos recursos naturais do planeta que nos vamos preocupar em arranjar alternativas.

            Não é depois da lei em vigor que nos vamos preocupar com o que deveríamos ter defendido.

            Não, nessa altura já é tarde demais. Antes da lei ser aprovada em Janeiro é que temos de pressionar os Eurodeputados a fazer as alterações que nós, como cidadãos europeus, queremos. Sem deixar os lobbies das grandes empresas de copyright.

          • DWz says:

            Isto, dito por alguem que percebe muito mais disto que eu: https://twitter.com/afonsojferreira/status/1068070393418788864

        • Fernando says:

          Quero ver resposta a isto que explica o DWz… vamos lá…

          • Vítor M. says:

            O DWz está a generalizar e a inventar pois há ainda muitos pontos a determinar e mesmo assim, há regras que cada Estado terá de criar mecanismos próprios para atuar. O que ele diz não é verdade. Ele tesourou o que lhe apeteceu para fazer uma manta de retalhos.

      • DWz says:

        DWz
        O seu comentário aguarda moderação.

        à 2h lol

  14. Miguel says:

    “dissipar” não é o mesmo que “disseminar”.

  15. Pedro Ferreira says:

    Honestamente, não percebo qual é a preocupação. Em primeiro lugar, desde que esteja disponivel em qq parte do mundo, é sempre possível aceder ao conteúdo (esta ideia de aplicar fronteiras a algo intangível é tão inteligente como achar que um humano consegue voar com o bater dos braços se se atirar do cimo de um arranha céus). Em segundo lugar, revela uma terrível inocência por parte daqueles que fazem grande parte da vida no online. Achavam mesmo que os lobbies existentes não iam dar luta? O utilizador comum tem é que perceber de uma vez por todas que há formas de arrumar com estes parasitas de vez: basta desligarem-se da TV e da Net de vez em quando. Não só sabe bem, como dá saúde.

  16. Element Zapper Mode says:

    Tudo o que sirva para desmembrar, dissolver e enterrar as Redes Sociais e os gigantes de Silicon Valley e não só que lhes estão associados, é muito bem vindo.
    Tudo o que cause disrupção nos manipuladores criminosos, geradores de Fake News e em todo o tipo de dejetos que saem dos esgotos da sociedade é muito bem vindo.

  17. Rui says:

    Resta saber saber como se fará cumprir o que for decretado… Uma coisa é legislar que não é permitido uma plataforma disseminar conteudo/imagem de empresas sem um acordo/compensação (falam do youtubers que vão ficar sem trabalho… mas se calhar, também não gostariam de ter o trabalho que fazem e que por vezes custa a fazer para o youtube, estivesse a ser partilhado pelo Vimeo e a verem a sua fonte de rendimento a ser menor que aquela que poderia ser…) outra coisa é saber como é que isso vai ser monitorizado/penalizado.

    • Miguel Costa says:

      Ele só falou dos youtubers porque há um grupo de 186 (pelo menos na última vez que vi o site deles) que estão lixados, pois tiram 600 a 3000 euros mensais de publicarem vídeos sobre produtos, coisas do dia a dia ou comentar notícias ou revistas, que vão deixar de ganhar dinheiro com isso, pois não tem autorização das marcas ou dos sites, para poderem fazer aqueles vídeos que lhes dão mais dinheiro.

  18. Tiago V. says:

    O intuito desta lei como ta é zero só serve para as grandes empresas que têm os direitos de imagem ou som ganharem dinheiro em cima de criadores de conteúdo que pagaram pelo que têm no quarto/estúdio isto serve também para os canais de tv terem mais algumas pessoas a verem, os criadores de conteúdo vão-se reinventar só se for com um fundo branco o youtube não quer pagar o direito de uma imagem que não é deles é do utilizador mas se o utilizador não pagou pelos direitos dessa imagem mas sim pelo artigo em si e que tem no quarto/estúdio o video é bloqueado isto é o que interpreto da lei.

    • Filipe says:

      Nota-se que és outro youtuber destes que agora se estão a chorar com medo de poderem ter de procurar emprego. Vá, corrige lá o texto e escreve isso em português e com pontuação.

      • DWz says:

        Eu não sou Youtuber, mas até dói de ver tanta dor de cotovelo aqui nestes comentários lol

        Se acham que os Youtubers é só receber e não fazem nada porque não começam também vocês a fazer vídeos? lol

        • Francisco says:

          até doi ver tanta ignorancia da tua parte, eu acho que nem sabes do que escreves, porque não te começas a informar ? LOL

          • DWz says:

            Eu é que não sei o que escrevo? lol informa-te tu, eu já estou informado sobre esta legislação á muito tempo e já tenho uma boa ideia das ramificações que vai ter.

            Quem diz que isto não vai mudar a internet não sabe do que fala e de certeza que não está informado.
            Ou então faz parte do lobby das grandes empresas que estão a empurrar isto.

            Mas o tipico Português prefere criticar quem está a chamar a atenção até ser tarde de mais do que se informar e ler a lei.

          • Francisco says:

            tu és o chamado papagaio, fala fala fala , mas não diz nada….sabes tanto disto como eu de submarinos, = 0 em tantos comentarios teus li 0 informação, eu é que critico? le todos os teus comentarios, so juntas palavras mais nada….como os youtubers, só juntas coisas dos outros, musicas, videos, imagens, vai la entreter menores vai

          • DWz says:

            Oh Francisco, lê o meu comentário acima, lê a lei e depois talvez possamos discutir objectivamente isto como adultos, baseado em factos e não na tua opinião.

        • GM says:

          Porque têm um emprego / trabalho / empresa e têm de dar o litro. Ou dois. E cumprir prazos. E também pagar impostos. Para quem não se lembre, é também com eles que o colectivo funciona (nem sempre bem como se viu infelizmente no início da semana passada)

          • DWz says:

            mas se o YT dá milhões podem deixar isso e começar a “não fazer nada” para o YT, certo?

            Já não precisam de dar o litro nem mililitro, é só mandar umas postas de pescada para a câmara… ceeerto?

      • Tiago V. says:

        Não sou criador de conteúdos, e quanto há pontuação eu pensava que estava a escrever um comentário na internet num dia de folga sem ninguém a chatear-me, mas afinal estou na escola e tu és o professor chato e ignorante, mas vá agora vai aprender a ser menos ignorante e deixa-me em paz.

    • Miguel Costa says:

      Isso mesmo. Estás certo. Se um utilizador quiser fazer um vídeo sobre o “detergente da máquina de lavar” não pode ter a embalagem na imagem, nem referir a dita marca. Para o fazer terá de pedir autorização à proprietária da imagem e da marca para o poder fazer.
      É disso que os youtubers estão em pânico, pois as principais fontes de rendimento são os vídeos sobre esta e aquela coisa. Com isto em vigor, as empresas de alojamento vão apagar-lhes os vídeos e lá se foi o rendimento.
      Basicamente, é a transposição da legislação das televisões para a internet. Não há nada de diferente. Se uma televisão transmite a imagem de um produto ao lado do comentador, precisam de ter autorização da empresa que é proprietária dele. (Foi algo que deu muito dinheiro ás produtoras ali entre 1998 e 2009, quando o product placement passou a ser uma fonte de rendimento para muitas empresas produtora de conteúdo televisivo.)

      • DWz says:

        e não vês isso como um problema? Imagina os canais de reviews de telemóveis e outras coisas.

        Se fizeres uma review a criticar o equipamento a marca do equipamento simplesmente não te dá autorização e limitam (ou eliminam) assim o criticismo.

        Não sei quanto a ti, mas isso a mim parece-me censura da liberdade de expressão.

        • Sergisergio says:

          Acredito que se perca alguma coisa… mas quem ganha é a humanidade. Há coisas mais importantes do que a review patrocinada etc bla. O respeito pelos direitos de autor e a desinfeção da internet é mais importante.

      • asd says:

        Exatamente, não basta ter pago pelo produto como é preciso autorização para o mostrar e dar o feeback do mesmo. Ridículo.

  19. Deuzinho Junior says:

    Nada mais justo, quer um canal no Youtube, crie seu próprio conteudo, é fácil hoje ganharem dinheiro usando imagens, musicas e textos de outros sem pagar nada pelo direito de autor.
    Não acredito que isso seja ruim, pelo contrário, quem realmente quiser ter canal que produza seu conteúdo a 100% e pare de pegar coisas prontas na Internet

  20. Filipe Ezequiel says:

    De uma coisa eu tenho certeza, além do impacto que tem nas plataformas online, as vendas de telemóveis e afins também levará um grande rombo, isto tudo terá também consequências no volume de trafego online das operadoras que vão aumentar os preços para compensar as perdas de pacotes etc… isto com toda a certeza que vai ser barrado em última instancia, estou cá para ver!

    • runt says:

      de acordo. Europa á estúpida, “comissão europeia” são burocratas, velhos bêbedos ….

    • Rui says:

      Não me parece que as operadoras se importem de aumentar os preços… e se tiverem uma desculpa como esta…

    • Miguel Costa says:

      Mas, o trafégo online já não é a fonte de rendimento das operadoras. A eles tanto lhes dá se consumires os 15gb de tráfego como se consumires 200kb durante os 30 dias. Paga a mensalidade quer seja um ou o outro… é daí que aparecem os rendimentos das operadoras. Se alguém tem um telemóvel e gasta 20 euros mensalmente para ver vídeos de youtubers ou ver reviews em blogs, é porque é milionário e o dinheiro não lhe faz falta nenhuma.

  21. otario says:

    o que é o youtube?

  22. thievery says:

    Chama-se a isto lápis azul digital e capitalismo, ou seja, controlo da informação e dos capitais sobre o grande rebanho.
    É normal que que a pplware esteja do outro lado da barricada e venha apressadamente dizer que esta “tudo bem”!! Há que eliminar a concorrência, pois a mesma apresenta melhor , mais cedo e com mais qualidade a informação. Isto é contra a internet e os seus principios!!! Estas aberrações não deviam existir!!!
    Comecei na internet com um modem de 28kpbs, ainda a internet era uma folha em branco, e nunca pensei em ver isto,isto é matar a internet e tudo o que a mesma significa e o avanço civilizacional que a mesma permitiu, fico ainda mais triste por saber que pessoas da informática apoiem isto e venham ainda publicar esta porcaria de artigo, tenham vergonha!

  23. Mazarin says:

    Gostei especialmente desta frase: “há relatos de pais que tiveram que acalmar os filhos em pranto no fim de ouvirem os seus ídolos a dizer que os seus canais vão acabar”

    Tadinhos…!

    • Vítor M. says:

      Sabes que, e concordando em parte com a tua ironia bem colocada, sei de casos que vi esse tipo de reação. É parvo, sim é, mas hoje há miúdos que são loucos por estes fulanos.

      No verão tive como vizinho um dos maiores YouTubers do Brasil… posso-te afirmar que ele a passear por Braga, por Santo Tirso, Por Guimarães e pelo Porto, foi “varrido” pela quantidade de miúdos que o cercaram. Numa conversa que tive com ele à porta de casa ele dizia que já tinha dificuldade em andar por aí sem ser de boné, óculos escuros e meio disfarçado. Tempos modernos!!!!!

      • Celso says:

        Tempos modernos, não!
        Tempos estúpidos!
        Por isso é que digo, as gerações mais novas estão cada vez mais lerdas! Sem tirar nem por!

        • Vítor M. says:

          Não sei, se calhar sim, provavelmente não, muitas vezes há estas evoluções que não entendemos logo mas, mais à frente, faz sentido. Repara que no passado, estar na Internet era só parvo, quem estava atrás de um ecrã ali com tanto mundo cá fora? Hoje faz mais do que sentido. Sei lá…

        • Tiago says:

          O senhor se visse o Cristiano Ronaldo a passear pela rua de braga ia-lhe virar a cara e passar para o outro lado da rua, não é claro?
          Cada um tem o seu ídolo, independentemente do que faça para ganhar a vida (desde que não prejudique ninguém, claro)

          • Vítor M. says:

            Eu? Bem, ele, embora seja para mim o melhor jogador do mundo e o melhor de sempre na história do futebol, não me faria atirar aos seus pés, ou incomodar se ele estivesse sentado ao lado ao meu lado numa esplanada. Ele até nem é o exemplo que me faria fazer essa figura.

            Mas compreendo o que queres dizer.

  24. Fabio Chainho says:

    Não faz falta nenhuma… Esta coisa, faces e instas é que vieram estragar a Internet. Acabem com todas essas malditas instituições que ameaçam seriamente os principais valores do ser humano

  25. Bruno Nogueira says:

    Desde já tenho que agradecer a informação pública prestada.
    Lembro de ainda à pouco tempo falar com amigos sobre a União Europeia e sobre o porque o desinteresse dos europeus sobre todas as questões sobre leis e questões europeias que nos prejudicam e nem nos damos conta. Esta lei dos direitos de Autor só vem realçar o que todos (em café) concluímos: a União Europeia é importante mas não nos serve e têm que se reinventar. Esta lei é a prova disso, até porque está claramente visto que isto é para regular, não os criadores de conteúdos, mas quem detêm os elementos decorativos .

    A verdade é que, se agirem de boa fé, não “irão cobrar nada” mas sabemos bem que isso não funciona assim.

    Agora, também tenho que concordar com o artigo sobre os criadores terem-se que reinventar e que não é um drama. Não é um drama, ninguém vai ficar no desemprego. Como foram “idiotas” (idiotas -> pensadores) para criar conteúdos, também o podem ser agora para criar conteúdos realmente criativos, sem depender de outros.

    Antigamente, era assim e as pessoas vivam.
    Portanto, não sejam hipócritas em lançarem videos para a internet só porque são youtubers preocupados com “leis europeis”. Estes videos existem porque isto afeta-lhes a criatividade e isso é que é assustador.

    Obrigado PPLWARE e Maria Inês Coelho por este maravilhoso artigo e trabalho que os youtubers deviam ter feito logo desde o primeiro dia.

  26. Rafael says:

    Vocês pagam aos detentores de direitos de autor a maioria das imagens que usam nas vossas publicações, desde 2005 até agora?

    • Vítor M. says:

      Claro. Mas repara que grande parte das imagens são nossas, outras são enviadas juntamente com os press release das empresas em causa, outras são free, outras são compradas e outras são autorizadas.

      • Rafael says:

        Compreendo. Mas por exemplo com esta lei não vai ser mais complicado partilhar noticias sobre tecnologia? A maioria dos vídeos vão ser bloqueados na Europa, principalmente se forem vídeos criados nos EUA que não são obrigados a respeitar esta lei.

        • DWz says:

          Até este próprio artigo seria ilegal ao abrigo da nova lei lol

          – Não têm licença sobre o screenshot dos videos do Youtube de certeza (Art. 13)
          – Não têm licença para os links (Art. 11)

          Mas não há caso para alarmismos, right?

          • Vítor M. says:

            Não é verdade. Estás a generalizar e a inventar. Os links podem ser autorizados, quem é que te disse que todos os links serão proibidos?

            Não será necessário estares a truncar informação e a criar falsos cenários. E depois, onde diz que os screens não podem ser usados? Se um screen for autorizado, uma imagem ou conteúdo, podes usar. Não juntes informações erradas. 😉

          • DWz says:

            “os links podem ser autorizados” – se tiverem licença para tal.

            Têm licença para *todos* os links colocados neste site desde o primeiro artigo?

            Mais uma vez reitero, é uma interpretação extrema da proposta de lei, mas é uma interpretação válida porque a lei é demasiado abstracta, e se existe essa possível interpretação, alguma empresa que veja lucro nisso vai abusar da lei nesse sentido.

          • Vítor M. says:

            Primeiro, estás a dizer que a lei pode ser retroativa, o que não será dessa forma que estás a dizer, de maneira nenhuma, era impossível tal acontecer. Claro que à data de os colocar eram autorizados sim senhor, e mais, mesmo depois de entrar em vigor estas normas, haverá ferramentas, que estão já previstas nos pontos do artigo, para haver adaptações, correções, exclusões e outros mecanismos que enquadrem a legalidade destes assuntos. Se temos um link para uma notícia e a empresa noticiosa refere que a partir desta altura todas as pessoas podem usar, como aconteceu agora com a Nintendo, então além do que está para trás estar legal, daqui em diante também poderá estar. Caso não possa ser usado, não será e os mecanismos automáticos farão o seu trabalho.

            A lei não é abstrata, a lei só poderá entrar em vigor se cada país decidir a forma como dentro de portas será usada. Até lá, sem ser ratificada no parlamento, nada disto será legal. É o mesmo, em grossos modo, como o RGPD, as tais multas milionárias que se falaram ainda não têm em Portugal essa moldura.

        • Vítor M. says:

          Não vai ser nada complicado partilhar seja o que for se forem mudados determinados procedimentos, determinadas políticas de utilizações e passarem a existirem autorizações transversais a certos critérios. Este tipo de regras, depois, tem de se adaptar ao local onde o conteúdo é consumido. Isto ainda vai dar uma volta grande para as interpretações não serem de livre arbítrio. O mal é mesmo “vou ter de fechar o meu canal”…. e debitar baldes de asneiras.

          • Claudio says:

            Nitidamente este artigo é uma forma de exprimir aquilo que o autor (e não só) sentem dos youtubers.
            Mas esquecem-se que estas novas regras que vão a votos não são para regular os conteúdos do youtube, são para para tudo.
            Vou dar um exemplo:

            As plataformas após a aprovação destes novos artigos vão ser co-responsabilizadas se forem disponibilizados conteúdos com direitos de autor e que esse “dono” faça uma queixa sobre danos causados.
            Bom, até aqui parece-me bem mas o que as plataformas vão fazer não vai ser pagar a quem se queixar, o que vão fazer é criar ferramentas que bloqueem a publicação de conteúdos que sejam sujeitos a pagamentos de royalties.
            Agora, eu chego e no Twitter publico uma foto da vitoria do Porto querendo festejar com eles. O twitter com a sua “nova” ferramenta de detecção elimina o meu post porque possivelmente poderia estar sujeito a pagar direitos de imagem que pertencem ao FCP.

            Outro exemplo: Chego ao reddit e publico um link para uma noticia em que o link contem diversas palavras que descrevem a noticia. Se esse link estiver sujeito segundo o artigo 11 a pagamento de royalties, as ferramentas do Facebook vão impedir a publicação dessa noticia no meu moral.

            Outro exemplo: Chego a esta noticia do pplware e comento com um link para uma noticia que argumenta contra ou a favor desta noticia. o pplware está sujeito a pagar royalties sobre um conteudo que EU publiquei na vossa plataforma. Obviamente o que o pplware vai fazer de forma preventiva é ser muito mais criterioso e provavelmente alterar a forma como os comentarios são eliminados (ex: se tiver um link o comentario é eliminado automaticamente).

            Agora digam-me que isto é uma melhor internet???

          • Vítor M. says:

            Claudio, calma, não é bem assim como diz. A autora do artigo não colocou qualquer sentimento para com um público em particular, alias, explanou os artigos, explicou onde serão aplicadas estas regras (que para já são generalistas e terão de ser posteriormente afinadas estado a estado) e deixou mesmo vários exemplos. Embora os exemplos possam ter sido mais em particular sobre os YouTubers, isso deveu-se a quem abriu esta polémica com desinformação, que foram eles.

            Volto a dizer que está errado nestes exemplos. Se nos nossos comentários colocar um link, e esse link for contra a lei, garanto-lhe que não coloca link nenhum, percebe? E, para já, a extrapolar as regras gerais face a um caso em particular. Não criem cenários que não serão viáveis ou que não serão tal como estão a explicar, tesourando a regra que poderá entrar em vigor mas terá adaptações particulares, adaptações estado a estado, haverá um tempo de implementação de novas políticas e não haverá essa rigidez que estão a querer fazer passar.

            Concordo que não iremos ter uma internet melhor, assim como com a chegada das redes sociais não ficamos a ganhar uma internet melhor, assim como com determinadas regras de direitos de autor não ficamos com uma internet melhor, mas ficamos sim com uma internet diferente e vivemos com isso, mesmo que eu ou o Cláudio tenhamos mais pontos negativos que positivos a apontar.

            Depois, se tudo for nesse ponto de rigidez que o Cláudio refere, garanto-lhe que muitos players que hoje são apontados como estando por trás destes artigo vão desaparecer… não há forma, depois, de controlar a Internet tal como se pensa que estes artigos podem impor, é só impossível, mas é uma forma de obrigar o Google, Facebook, Twitter e afins, estes gigantes, a perder poder, a retirar certo monopólio das suas mãos.

            Abr.

          • Sujeito says:

            Vitor, isto não é um ataque cerrado ao monopólio do Youtube e Twitter, até porque eles não têm um monopólio. Eles não estão atrás das plataformas mas sim do conteúdo.

            As plataformas passaram apenas a ser consideradas culpadas de algo que dantes não podiam ser. Da mesma forma que não podias culpar um cafe genérico por um cliente ter usado o local para alguma ilegalidade. Agora inverteu-se, com a agravante do que é considerado ilegal.

            O objectivo é sim criar monopólio, nas mãos de outros, não exterminá-lo.

    • Miguel Costa says:

      Basta terem o contrato com o fornecedor de conteúdos onde as imagens são alojadas. Tal como é o contrato com o Youtube que ali o DWz não sabe o que é. É isso que vai passar a ser obrigatório existir a montante.

      • DWz says:

        o fornecedor de conteúdos onde as imagens estão alojadas? O alojamento não é o detentor dos direitos das imagens.

        Se eu tirar uma foto e a colocar no Imgur, o Imgur não é do dono dos direitos da minha imagem. E ainda mais, se eu tirar uma foto a um quadro com copyright, nem eu sou o detentor dos direitos da imagem, mas sim o pintor do quadro.

        Logo, apenas ter um contrato com o Imgur para hostar imagens deles não serve de nada na prática, pode servir apenas para lhes passar a batata quente para cima caso se leve com um processo, porque eles é que, supostamente, devem ter o algoritmo para verificar todas as images se são copyrighted ou não.

  27. Frank says:

    Por mim, podem acabar com isso tudo, internet, telemóveis, etc..
    Podia ser que voltássemos a ser pessoasm (seres humanos)

  28. Sousa says:

    Ui ui ui, o artº 13º….que medo 😉 Vai ser para o lado que melhor durmo.

  29. ERocha says:

    Muito bem, para ver se acabam com a balda da utilização indevida de conteúdos. Não me venham com tretas que fazer vídeos usando música e imagens de terceiros é ser criativo…
    Aqui até está uma boa oportunidade para os bons youtubers e blogers se destacarem do lixo.
    Só tem medo desta lei quem não é criativo.

    • #saveyourinternet says:

      Não da para ser criativo se nem der para carregar um vídeo. É isso que o pessoal não entendeu. Está tão focado em querer ver os youtubers acabem que não perceberam as coisas como ela são. Vou partilhar o link enquanto posso. www .dn.pt/vida-e-futuro/interior/amp/youtube-diz-que-politica-de-direitos-de-autor-da-ue-colocam-site-em-risco-10069805.html

  30. Kapoing says:

    Talvez a nova internet passe pelo “SOLID” https://pplware.sapo.pt/informacao/solid-tim-berners-lee-salvar-a-web/ e a união europeia fique com as leis deles. Estou curioso para saber o que será da política daqui a uns anos, as pessoas cada vez mais desacreditam nos políticos, pela cambada de corruptos, vejam o caso de um dos tipos que impulsionou esta lei que nem sabia os artigos que a lei tinha. Ou seja foi apenas pago para votar.

    Tudo está ser feito para que a Internet pertença a meia dúzia de players.

  31. carlos almeida says:

    A Internet como a conhecemos irá acabar e com isso também a audiência que tem. Quando as empresas ficarem sem os clientes quero ver como vai ser.

    • Nuno Anjos says:

      Os grandes grupos dos midia compram as empresas / sites e depois revogam a lei, claro.
      O problema é que antes de isso acontecer a google e o Facebook podem comprar esses grandes grupos , era o que eu já tinha feito se fosse dono da google ou do facebook

  32. Francisco says:

    Criadores de conteudos ? Claro que sim, mas com o dos outros! A maioria dos youtubers tem 0 originais, publicam videos dos outros , com musicas dos outros, etc etc. Depois como o seu grande publico é menor e pouco informado colocam videos do genero o youtube vai acabar, estamos a falar de muitos youtubers adultos a enganar crianças…mas ai já tem a ver com os pais tambem a meu ver.. Acho muito bem que acabem com isso, se fizerem originais, pagarem o que devem aos autores do que usam não tem de temer nada. Os primeiros culpados s os pais… hoje em dia as crianças tem muitos amigos virtuais”youtubers” mas sem o tablet não são ninguem e tem 0 amigos… o conceito de amizade hoje é virtual na sua grande maioria

  33. João Roberto de Oliveira Furtado says:

    O único aspecto positivo do Artigo 13 é acelerar o fim das plataformas centralizadas (Facebook, Youtube, …) e criar um incentivo para que sejam substituidas por plataformas descentralizadas onde qualquer regulação será impossível ou extremamente difícil, tornando obsoleta essa cambada de velhos burocratas ignorantes do parlamento europeu.

    • Miguel Costa says:

      Armazenamento e trafego ficam MUITO caros. Para um site de vídeos, qualquer coisa como 6000GB de espaço é o mínimo, o que leva a que precisem de várias ligações de 2000Gbs para poderem ser rentáveis.

  34. pic says:

    daqui uns tempo metade desta gentinha que só critica youtubers etc, andam a mandar emails para o pplware a perguntar que vpn aconselham. ahahah

    • Francisco says:

      valente engenheiro assim é que é, deves saber muito de networking 😉

    • DWz says:

      Já para não falar que as reviews vão ter de começar a ser obrigatoriamente todas favoráveis aos artigos, reviews negativas não têm licença para publicar :p

      • Francisco says:

        e não és youtuber… :D, as reviews tambem não s patrocinadas nem nada… devias era tar calado… cada cavadela cada minhoca….

        • DWz says:

          e não sou, mas mesmo que fosse, apenas estou a constatar factos.

          Mas quem quer saber de factos quando existem opiniões?

          Conta lá, trabalhas para qual empresa de direitos de copyright? Para estares a defender tanto isto só podes trabalhar para o lobby que está a forçar este lixo.

          • Francisco says:

            O problem é esse eu trabalho, com material legal e licenciado, como sys admin que sou, 0 lobby. Vejo YouTube, Sou “inacio” no YouTube caso percebesses isso perceberias o resto, como veres sport tv na net , como ouvires musica no YouTube so com Uma imagem dum canal qq etc etc, este é o principio, que tem originais vai manter o canal, so esta com medo que usa coisas does outros sem lic e isso na minha terra é roubo. Mais desta forma e espero que sim que limpem isto, os bons YouTubers so tem a ganhar, aqueles que realmente produzem conteudos e nao roubam conteudos

      • martins says:

        Comprar algo por ver uma review de um youtuber ou bloguista… que tem grande probabilidade de receber da marca em money ou géneros… só mesmo totos…

        • DWz says:

          por essa lógica, o que estás aqui a fazer no pplware, quando parte do trabalho deles é fazer review de equipamentos?

          • Sergisergio says:

            Autocolante, é preciso ter capacidade de seleção de fontes de informação hoje em dia. És da geração que se informa no instagram e no YouTube e isso é apenas ridículo. Há lógicas melhores que a tua, principalmente para a humanidade. Apesar d estarmos rodeados de parcealidade, temos poder para escolher fontes de informação fidedigna ou que pelo menos se esforçam para isso.

          • DWz says:

            @sergio mas a lei, que é o que se está aqui a discutir, não faz selecção de fontes, não quer saber se a tua review é parcial ou imparcial.

            Se o produto for bosta, e tu fizeres uma review a dizer que o produto é realmente bosta, a marca pode-te revogar os direitos de colocares esse artigo ou sequer mencionares o produto deles.

            Isso é que é preocupante para mim.

  35. Ana C says:

    Internet vai virar uma valente m***. Censura prévia a doer e imbecilização dos povos em massa, com bloqueio da informação alternativa e da liberdade de expressão. As televisões já não transmitem nada de jeito. Documentários e filmes nenhuns, só imbecilidades para cretino ver. O pouco e mau que há requer pagamento extra, ainda por cima. O mesmo vai acontecer na internet. Pensamento único e politicamente correcto. “Eles” estavam mortos por isso, admira é que tenham demorado tanto tempo… O Youtube só vai servir para ver vídeos domésticos e pouco mais.

  36. Bruno Costa says:

    Concordo. Em qualquer outra indústria ou meio de emissão de conteúdo (que não Internet), o uso de marcas de terceiros para fins comerciais/produtivos PAGA SEMPRE DIREITOS de AUTOR.

    Acho muitíssimo bem que todos paguem, desde que não seja para fins académicos ou meramente opinativos na liberdade de expressão a que cada um assiste. Sendo que mesmo nestes casos, às vezes, é difícil descortinar se não existirão motivações comerciais por detrás deles.

    Youtubers, donos de canais de video, donos de sites terão que entender de uma vez por todas que, no acto de geração de conteúdos ou num normal acto produtivo, há custos de “matéria-prima” que se têm de pagar.

    • Miguel Costa says:

      É isso que os youtubers, bloggers e outras coisas similares, estão preocupados. É que ganham dinheiro a usar coisas que não são deles.
      Usar marcas, imagens, logotipos e coisas registadas, há o pagamento de direitos de autor. Até quando vamos a uma loja, o que lá estiver exposto, já tem um contrato (normalmente gratuito) para aquilo estar à vista do público em geral. Só que quem ganha dinheiro a usar essas coisas para publicar na internet, está desesperado por ir perder o dinheiro que arranja dessas coisas. A maioria são crianças que não sabem sequer o que são os direitos de imagem… só pensam nos direitos de imagem da pessoa que dá voz ou a cara num vídeo, mesmo que tudo o resto não esteja autorizado, acham que por serem eles a fazer o vídeo, já tem direitos sobre tudo o que lá está.

      • JJ_ says:

        Uma coisa é ganhar dinheiro a copiar ou as custas das marcas dos outros.
        Outra é o Facebook bloquear uma foto tua num jantar com amigos, porque aparece lá a marca da bebida que estavas beber. Ou teres um blogue de viagens e o Google bloquear as imagens e vídeos que lá tens, porque aparecem a marca de varias empresas dos locais por onde passas-te.

        Ou teres um site, onde simplesmente anuncias e comentas concertos em todo o mundo, e seres obrigado a fechar por não poderes mostrar fotos do cartaz, das bandas e afins. Podes dizer, que tens de pedir autorização para mostrar essas fotos, mas o mais certo é a empresas não responderem ou pedirem 100€ ou 200€ (se for só isso) por cada foto. Visto que tu com a publicidade só ganhas 50€ ou 70€ por mês, e tens 10 ou 15 concertos por mês… fale mais fechar.

        Resumindo, a Internet passa-se a limitar a quem tem muito dinheiro ou é um puro criador. Perante esse cenário, deixa de ser preciso grandes velocidades de Internet, porque os sites vão voltar a ser apenas texto, como eram quando a Internet começou…

        É um erro olhar para isto, como fosse só afectar o Youtube e afins…

        • Bruno Costa says:

          Conteúdo com citações a marcas, exposição de logotipos e relacionados que estejam protegidos por direitos de autor, somente se enquadrarão nesta lei, caso esse conteúdo seja monetizavel.

          Se não existir nenhum: acordo de monetizacao com o YouTube ou outras de streaming , adsense ou outras redes publicitárias nos sites/blogs e coisas similares, nunca serão impostos valores a cobrar por uso de direitos/marcas de propriedade intelectual.

          A regra será simplesmente está : estás a ganhar de alguma forma dinheiro com a minha propriedade intelectual ? Sim? Então passa-me um pouco do que tu auferes 🙂

          • JJ_ says:

            Isso até pode fazer sentido, se a pagar algo a quem tem a propriedade intelectual fosse com base numa percentagem do dinheiro ganho.

            O problema esta é que os valores exigidos pela propriedade intelectual, normalmente são muito superiores aqueles que a maioria dos titulares do projecto tem em receitas anuais.

            Existe um grande problema a pensar-se que a Internet é só Google, Facebook, Amazon e afins… A maioria dos sites vive de receitas anuais abaixo do que essas empresas ganham por hora.

  37. Emanuel says:

    A internet não tem barreiras fisicas. Num instante os produtores do conteúdo realojam as suas criações num servidor fora da UE. Para acedê-los? Basta pagar 25€ por ano para ter uma VPN satisfatória. Hà quem investigue, inove e desenvolva e hà quem coloque areia na engrenagem que defende certos interesses. No fundo, não se preocupem que os engenheiros sempre superaram esses politólogos/burocratas.

    • Miguel Costa says:

      Quem produz conteúdos originais, não terá qualquer problema. Quem cria conteúdos baseados em imagens, marcas e direitos de outros é que precisa disso, só que não tem essa capacidade, pois não gera rendimentos.

      • int3 says:

        e usar esses conteúdos produzidos por outras pessoas para expressar a minha ideia política que por acaso é contra o atual governo? sou bloqueado? se sou então onde está a ser respeitado a liberdade de expressão e ideologia política?

  38. CT says:

    Finalmente uma maneira de controlar quem vive a custa da criatividade dos outros…. bem vindo sejas 13

  39. Bruno Costa says:

    Em complemento ao meu último comentário, julgo que por outro lado, um dos efeitos nefastos que o artigo 13 irá causar, será centralizar ainda mais os conteúdos nas plataformas unicórnio.

    Somente os fornecedores que tenham tecnologia de ponta e uma carrada de moderadores humanos, é que poderão monitorizar as suas plataformas e evitar as pesadas multas.

    • João Roberto de Oliveira Furtado says:

      Bruno, bem visto. Creio que foi criado um incentivo para 2 cenários completamente distintos:
      – Maior centralização em fornecedores com capacidade de fazer cumprir a regulação a baixo custo
      – Total descentralização sendo impossivel a fiscalização e censura de conteúdos

    • Rui says:

      Mais postos de trabalho!!
      Quem está com medo de perder trabalho por o Youtube bloquear os seus videos, porque neles aparece uma lata de sagres quando a mesma não tem acordo, pode ir trabalhar para monitorizar essas coisas e bloquear os Uploads dos outros…
      Se não posso “UPar ” um video tu também nao podes…. XD

  40. David says:

    Finalmente… Já não se suporta títulos como : “Vamos ficar sem INTERNET!!” , ” O YouTube vai MORRER!!”
    E assim começam as noticias falsas….

  41. Pedro says:

    Tanto alarido… mesmoque venham a bloquear a europa, nada que uma vpn não resolva.

  42. Heliolix says:

    É com alguma tristeza que vejo e perdoem-me o termo tanta ignorância em alguns dos comentários. Já basta a incompetência dos que estão a votar esta matéria no parlamento europeu.
    Em primeiro lugar quero esclarecer alguns pontos:
    1.º A Internet claro que não vai terminar, vai apenas sofrer umas pequenas moças, ora vejamos:
    a) Todo e qualquer upload, em qualquer site, (sim qualquer site… não é apenas o youtube, bem como facebook, tweeter, whatsapp, snapchat, páginas empresariais e pessoais, o blog de receitas da minha vizinha e do seu cão, etc..) serão alvo de análise a fim de verificar se existem direitos de autor ou de terceiros, para quem não sabe, estes direitos estão presentes não só em musicas e filmes, bem como em imagens, documentos, notícias, fotos de outros, bem como nas nossas próprias fotos caso estas apanhem algum conteúdo de terceiro, um exemplo tão estúpido como alguém tirar uma selfie com uma lata de coca cola não mão no Mc Donalds, logo ai estão a violar o conteúdo de terceiros, podendo ser alvo de processo por parte da MC Donals ou da Coca cola , mesmo que as nossas intensões sejam promover as marcas, bonito né!
    b) Não sou youtuber, mas respeito muito o trabalho deles, sim o trabalho deles, ora passo a explicar. A minha atividade no youtube passa por ser 80% em tutoriais de Informática e Electrónica, 10% em canais DIY e os restantes 10% em outros vídeos engraçados por assim dizer, ora 90% do conteúdo para mim representa educação de uma forma autodidática, informação que não possuo ou pretendo aprofundar e não adquiro nas novelas da TVI. É informação grátis alguém partilha do seu conhecimento de livre vontade, gastando o seu tempo na produção e edição, por isso vejam lá esta azia aos youtubers, pois alguns têm conteúdo superior a alguns canais de tv. Não nego também que existem alguns canais em que pegar fora era pouco, mas ainda assim têm tanto direito ao uso da plataforma como os restantes.
    2.º Este projeto de lei sendo aprovado só me faz lembrar uma coisa, a Coreia do Norte, Comunismo no seu melhor, onde toda a informação é filtrada / censurada e só é disponibilizado o que as entidades reguladoras querem.
    3.º A uns anos atrás a Espanha tentou cobrar à Google valores devido aos cabeçalhos de notícias que eles ponham no Google News com o link para os jornais, sem meias medidas a Google encerrou o serviços Google News em Espanha, pensem na possibilidade sem falar no Youtube de perder o Google Maps, o Google Tradutor, entre outros serviços em que o garantido para já é o Google imagens, sendo que este último será o primeiro a desaparecer, pois quem nunca viu o logótipo da BMW, se tentar pesquisar pelo Google ou mesmo outro motor de busca através da imagem está a violar direitos de autor e terceiros, maravilha não é?

    Por fim só para animar mais um pouco e num exercício de reflexão da canalha que andamos a eleger, viram a besta daquele deputado europeu a festejar após a proposta ter passado e logo de seguida em entrevista não saber bem do que se tratava nem as suas consequências? E está um camelo daqueles no parlamento, para quem não sabe a proposta do artigo 13 passou por um ponto. Tal burro criou o seu pai.
    E todo este alarido para meia dúzia de multinacionais como a Sony e outras juntarem aos seus biliões mais outros tantos, numa falsa premissa de estas medidas mitigarem a pirataria aos artistas, quando de uma forma legítima a Google, Spotify, entre outros já pagam biliões para disponibilizar conteúdo de terceiros.

    • DWz says:

      Exactamente, sem nada mais a adicionar.

    • JJ_ says:

      Ora nem mais.
      Isto irá fazer com que muitos projectos pessoais tenham de terminar.
      Podem dizer que apenas aplica-se a quem ganha dinheiro com esse conteúdo. Mas basta o projecto ter uns anúncios do Google AdSense, que já entra na categoria de estar a ganhar dinheiro. Ou SE vierem a ter outra qualquer fonte de rendimento.

      Por exemplo, tenho um cliente a qual faço a manutenção do site, que é uma galeria de fotos de aviões. Apesar de as fotos serem retiras pelos utilizadores, tem os logótipos das respectivas companhias aéreas. Com base nesta lei, o site corre o risco de ter de fechar porque apresenta a imagem de marca dessas empresas.
      Ou então o meu cliente terá de contactar todas as companhias aéreas do mundo a pedir uma autorização para o efeito. Fazer isso em si, não será complicado, ao enviar emails para essas empresas, o problema esta é no obter da resposta, positiva ou negativa. Estarão as empresas dispostas sequer a responder a um email de um desconhecido?

      No meio disto tudo, o problema desta proposta e acabar por causar grandes problemas e dificuldades a pequenos projectos na internet.

      O problema é que a sociedade tem criado a ideia que quem trabalha com Internet ganham milhões. Mas se calhar, mais de metade dos projectos que existem na Internet, os seus criadores ganham apenas o suficiente para pagar as despesas de alojamento e serviços associados, e talvez para cobrir algumas horas de trabalho.

      A Internet na sua maioria é mantida por projectos individuais e que fazem isso quase por hobby. Se esses projectos fecharem, começará cada vez mais a não fazer sentido utilizar os motores de busca, porque para visitar sites de empresas não é precisamos ir aos motores de busca. Logo a Google e afins, vão aumentar a venda de lugares na pesquisa, limitando ainda mais o acesso a projectos com menos recursos financeiros.

      Falam dos Youtubers, mas isto vai mais alem do Youtube. Vai afectar pessoas que usam e não usam o Youtube. Isso é outra ideia que a sociedade tem, todos usam o Youtube, Facebook e afins… mas isso não é verdade. A Internet e muito mais que isso!

    • Tecnical says:

      Vá lá! Um comentário acertado.

  43. Samuel says:

    Só agora e que os youtubers estão preocupados!! Isto vai afetar nos a todos pois é tipo a lei da burrice!!! Isto tudo devido aos autores que querem mais dinheiro 🙁 Assim também vou me queixar ao Parlamento Europeu para ver se eles metem a internet de borla LOL

  44. pic says:

    e além disso o google imagens vai po caraças

  45. DarkMatter says:

    Um artigo para amansar uma lei parva, sem lógica e suportada por aqueles que nao percebem nada das reais implicações que pode trazer. Ainda por cima um artigo num site em que 80% das publicações vêm de fontes externas. Gostava de ver como é que o pplware vai fazer se esta lei passar.

  46. Fernando Neto says:

    A verdadeira intenção é acabar com os memes sobre a esquerda, os conservadores (direita) sabem fazer muito bem o uso do humor e a esquerda não suporta isso.

    • Bruno Costa says:

      Não. Não acho que esta lei tenha qualquer pendor político e é totalmente apartidária.

      Aliás diria até que, existindo ideologia política por detrás , esta lei é bem de direita. A direita liberal e conservadora normalmente luta mais pela mercantilização de tudo, ao invés da esquerda liberal (a grande parte) que refuta até certo ponto o capitalismo da sociedade e a alguma anarquia no que toca à propriedade 🙂

  47. Francisco says:

    Apos ler dezenas de profetas do apocalypse da internet ja comprei um kit : VPN, disco 100 tb para copiar o YouTube, ja, para la, a parte toda que gosto para ver local, a parte dos irmaos Neto, tendo um filho coitadinho, nao va ele sofrer, depois é doentinho e hiperactivo…como é q depois ele janta? O que é que eu faco da minha vida? Onde oico musica sem pagar? ONDE? Onde posso ser Inacio sem o meu kit? ……os YouTubers..o dinheiro investido em material dizem aqui é enorme..e anana mas facto, eu posso fazer um video de m*””* musica etc, o valor do video é atribuido por quem o ve e ao seu conteudo, seja com muito bom ou mau material para o fazer. O problema esta no fazer com o que nao é nosso. 90% deste chat é sobre o YouTube….ha muito infiltrado Inacio aqui…a fazer $ com isso ….agora andam ó tio ó tio..facam o video do fim o do apocalypse LOOOOOOOOOOOOOOL

  48. Dr1v3r says:

    Tenho uma conta de instagram onde partilho as fotos que tiro de carros desportivos e super carros. Ganho 0 com aquilo, é um passatempo e uma forma de conhecer mais pessoal com a mesma paixão. As fotos são originais. Isto pode afetar-me?
    Já agora para quem gostar de carros ou tiver curiosidade é só procurar Gated Gear

    • Sergisergio says:

      Se não ganhas nada com isso não terás problemas.

      • JJ_ says:

        Problemas não tem, mas pode ver as suas fotos apagas…
        O Instangram ganha, logo tem de pagar algo a todas essas marcas, se não pagar terá de rejeitar todas as fotos que contenham as mesmas.

        • Cabecinha Pensadora says:

          Exatamente. O Instagram não fará distinção entre contas. Se durante o upload de uma imagem verificar algo que possa conter de direitos de autor de outrem (logos, produtos, etc.) irá proceder à não autorização do upload. O medo de plataformas como o Instagram não os fará fazer essas pequenas distinções de pequenos utilizadores que não ganham dinheiro com isso.

  49. ficolixado says:

    Agora um gajo vai ter que tirar a roupa na internet só porque tem lá o símbolo da ADIDA ou crlh. Já havia pouca nudez na internet?!! agora vai disparar ^^

  50. Daniel says:

    Boas isto agr e bom para o “mercado” VPN

    Penso eu que seja a solução para isso em certos casos como ter um canal e visualizar conteúdos

  51. Falcão Azul says:

    A MIM NEM ATA NEM DESATA.SOU UM UTILIZADOR COMUM E VULGAR DA INTERNET.ESTE ARTIGO 13 A MIM NÃO ME VAI AFECTAR.SEGURAMENTE,PODEM CRER.E PORQUÊ ?? PORQUE VENHO À INTERNET PARA VER NOTÍCIAS NO SAPO,NO PPLWARE,IR AO FACEBOOK,IR AO TWITTER,VER UNS VÍDEOS NO YOUTUBE E VER O MEU E-MAIL PRATICAMENTE.POR ISSO NÃO ESTOU PREOCUPADO. 🙂

    • JJ_ says:

      Então tu é que devias estar preocupado, porque se calhar muita da informação a que aceites, vais deixar de conseguir aceder, visto que esse conteúdo poderá ser bloqueado.

  52. PoPeY says:

    O que vai acontecer? Vamos começar a ser todos “crimosos” e navegar na Deep. Os conteúdos não vão desaparecer, vão é começar a estar alojados em servidores diferentes…

    Quanto aos diretos de autor. As marcas exigem que se pague para usar ao mesmo tempo que elas pagam para divulgar. É estranho… è como aquelas t-shirts da Levis em que as pessoas pagam para andar com um outdoor ao peito.

  53. André Cruz says:

    O mais engraçado do texto é dizer que “os produtores de conteúdo terão que se reinventar” enquanto os mais beneficiados (grandes mídias, tvs, rádios etc) não precisarão se reinventar em nada. Tanto o Artigo 11 quanto o 13 são CENSURAS disfarçadas.

    É a porra do establishment tentando a todo custo manter seu poder de narrativa sobre as verdades do mundo. A ascensão de grupos contrários às sociais democracias e ao “comunismo disfarçado” crescem enquanto são chamados de “extrema direita” ou “fascistas”.

    Quem defende esses artigos ou qualquer outro tipo de regulamentação sobre a INFORMAÇÃO não passa de massa de manobra.

  54. paulo g. says:

    O software livre também poderá ser afectado.
    Partilho aqui um link para mais informações sobre essa lei: https://direitosdigitais.pt/comunicacao/noticias/64-o-minimo-sobre-a-reforma-direito-autor

  55. horuhe says:

    consumo cerca de 99% de youtube/twitch e embora não siga nenhum youtuber/streamer PT (nomeadamente porque não considero que a maioria deles tenha qualquer qualidade) sou obrigado a concordar que esta lei vai de facto afectar a vida daqueles que, por mérito ou não, fazem desta a sua forma de ganhar pão. Este articulo em concreto é francamente fraco e não espalha a verdadeira face do que está prestes a ser aprovada pela EU e que vai afectar qualquer utilizador da Internet na sua forma actual.

  56. nuno a says:

    Há muita gente a comentar que nem leu o artigo e a desinformação que anda a circular pelo youtube e redes sociais não passa disso mesmo, desinformação.
    Não sou a favor nem contra mas que tem de existir regras isso tem.
    A Internet é tão útil quanto o conteúdo que contem, e acho que todos podem concordar comigo quando digo que infelizmente está cheia de lixo.
    Fica aqui o link do artigo completo e cada um que tire as suas conclusões e não vão atrás de títulos do tipo ” o meu canal vai acabar” ” é o fim da internet” pois estão completamente errados.

    https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52016PC0593&from=EN

  57. Gusravo Garcia says:

    Portanto, a defesa feita neste artigo às alterações resume-se a que se irão encontrar alternativas para contornar os seus efeitos. Muito bom!
    Ou seja, o que a Maria Inês Coelho diz é que não devemos combater uma alteração nefasta à lei, temos é que procurar formas de contornar a lei…
    Realmente, há quem não tenha noção do que diz.
    Sim, alguns dos Youtubers fizeram declarações parvinhas e exageradas, mas a verdade é que a vasta maioria dos peritos e pensadores independentes (não afiliados com os chamados “gigantes da internet” como Google ou Facebook) ligados à tecnologias e à luta pela liberdade na Internet, (Tim-Breners Lee, Jimmy Wales, Mitchell Baker, Brewster Kahle, Bruce Schneier, directores do MIT, professores de direito de Berkeley e de Columbia, chefes de departamento de TI de universidades na Dinamarca, Escócia, Itália, etc., a Electronic Frontier Foundation e dezenas de outras entidades) alertam para a grande probabilidade de estas alterações terem consequências negativas irreversíveis na liberdade de utilização e utilizadde da Internet.
    Mas não, tenham calma, a Maria Inês Coelho sabe mais…
    Basta olhar para os problemas causados pelo DMCA nos Estados Unidos ou para a parvoíce que foi a implementação do RGPD na Europa para perceber que este tipo de alteração não é boa ideia.

  58. Deivid Araujo says:

    BEM VINDOS A ERA GRAND THEFT AUTO. O Game retrata o mundo em que vivemos com marcas mascaradas de carros, produtos etc.

    a Era digital vai copiar o GTA e mascarar as marcas para divulgar o produto sem bloqueios.

    Ou se alguem ler este comentário e for criador de conteudo já pode aderir a ideia.

  59. Samuel says:

    Há que a pplware ainda não percebeu!! A pplware não poderá mostrar noticias que não estejam de acordo com o artigo 13 e se existir um link para outra pagina a pplware terá de pagar taxa de acordo com o artigo 11. Nisto tudo a pplware poderá ter de fechar. Então não há razão para alarmismo?? VÂO VER O QUE ACONTECEU EM ESPANHA QUANDO FOI UM PROJECTO PARECIDO 🙂

    • Vítor M. says:

      Calma, que grande disparate Samuela 😉 Então se o material é nosso, ou é autorizado, se é enviado por parceiros, se é comprado ou se é parte de projetos, temos de ter receio de quê? Não digas estas coisas que assustas os incautos 😉 vejam, por exemplo, este exemplo: http://bit.ly/2PbpBDX

      Deixem a internet responder e adaptar as políticas, ainda há muito a perceber e a tratar para que nada seja desastroso como tu estás a sugerir 😉

      Abr. Samuel

      • Pedro says:

        Quando gentalha como a sony se comporta assim https://boingboing.net/2018/09/05/mozart-bach-sorta-mach.html
        Podemos ver o futuro da net com o artigo 13

        • Vítor M. says:

          Certo certo.. eu percebo o que queres dizer, mas isso vai além do Artigo 13. Olha aqui https://pplware.sapo.pt/informacao/artigo-13o-comissao-europeia-responde-a-youtubers/

          Mas percebo e dou razão á tua preocupação. Mas isso vem de trás, vem de normas que estão há anos aplicadas e tens visto a Internet padecer com isso? Não, está a adaptar-se e a criar alternativas. Claro que estas marcas vão ter de perceber se não mudarem certas políticas, as pessoas deixam de as visitas, de as usar de as comercializar. Reapara que a Sony, neste caso em apreço, ao longo dos últimos anos tem perdido muito do interesse que as pessoas tinham na marca, ou será que não? 😉 Não sei, diz-me tu.

          • Pedro says:

            Eu só estou a alertar para o comportamento abusivo das “grandes companhias”, quando instituições como a comissão europeia, ainda lhes facilitam o trabalho em vez de as penalizarem, penso que está aberta a caixa de pandora…
            Até porque sabemos que o lobby (palavra linda para corrupção) nem existe!…

          • Vítor M. says:

            Verdade, nem existe mesmo 😀

          • Gustavo Garcia says:

            Sim, a internet tem padecido com isso.
            Basta abrir um site qualquer na Europa para ter que lidar com overlays de utilização de cookies, graças à forma ignorante como a legislação foi feita em relação à utilização de cookies.
            Teria sido mais simples e menos prejudicial proibir o uso de cookies de terceiros para atingir os objectivos pretendidos em vez de abrir uma alternativa fácil que coloca o problema à porta dos utilizadores e não de quem efectivamente beneficia desses cookies.
            E com estes artigos está aberta uma porta semelhante ao sugerir a utlização de filtros automáticos que simples mente não terão a sendibilidade e abertura para detectar usos legítimos como a paródia, versões cover, etc. de conteúdos “protegidos”.
            O problema é que os legiladores da UE simplesmente não fazem ideia do que é a informática, quanto mais a internet, e vão levados pelos lobbies das editoras e associções de autores que lhes enchem a cabeça de falsidades.

      • Samuel says:

        Sim é desastroso!! O CEO da Google avisou que vai fechar o youtube à UE. O Facebook ainda não se sabe se eles vão pelo mesmo caminho. O pior é que vem uma gaja da UE a mentir dizendo que o youtube não vai fechar!! OS políticos são todos uns mentirosos seja em Portugal seja no Resto do Mundo.

        • Samuel says:

          FDP da Sony.
          É assim que vai ser quando o artigo 13 entrar em vigor uns a dizer que são os autores e outros a dizer que não!! Se não é o fim da internet então não sei o que será.

  60. Carlos says:

    O YouTube já hoje faz tudo isso que dizem que vai passar a fazer, por isso a expressão correta para o caso é “olha, tarde piaste”.
    O que não falta é vídeos bloqueados porque têm uma música licenciada no fundo. A coisa é tão má que há streamers de jogos que fazem os streamings sem a música de fundo dos jogos precisamente para evitarem os bloqueios, e há YouTubers que usam a técnica do Jim Sterling, que é ter tanta coisa que vai bater na verificação de copyrights que acaba por baralhar o algoritmo e ninguém recebe dinheiro nenhum.
    Aliás, não é por acaso que cada vez mais vídeos têm patrocinadores ou pedem dinheiro através do Patreon.

  61. youtubi ponto comi says:

    Estou aqui a comer pipocas e a ver o pessoal a flipar. LOL artigo 13 whatever….. Bem, como velho utilizador da internet sempre fui muito critico sobre a falta de moderação que a mesma teve. Esta vem tarde. Acho piada chamarem “criadores de conteúdos” quando muitos o que criam são videos com trabalhos ou obras derivadas de outros, mas que no fim querem monetizar o rendimento para si.. Criador de conteúdo pelo que me consta é que cria conteúdo do zero.

    Se os youtubers estão “preocupados” com o artigo, isso será mais panico do que outra coisa. Ie: existem muitas marcas que só tem picos de vendas porque são feitos milhares de videos por terceiros a promover o conteúdos deles (exemplo, jogos…). Para bem da verdade isso tudo que a CE está a fazer deverá não ser só para proteger os detentores dos direitos mas também para combater os gigantes da internet. O que os youtubers deste mundo acham que ganham muito, quem enche o badulho é o youtube (que ironicamente está a copiar o modelo do Twitch – subscrição my ass).

    A internet dos youtubers pode acabar para eles (tal como a visão apocaliptica do ano 2000, o mundo acabou e ninguem deu por isso), mas na realidade a internet reinventa-se e adapta-se.

    E não se esqueçam o mesmo que se pode aplicar deles aos youtubers… pode ser aplicado em reverso.

  62. Diogo says:

    Boas Sem falar nos “youtubers”, canais com pessoas que tocam/cantam musicas a sua maneira, ou mesmo ensinam a tocar, deixaram de existir certo? Os “How to…” de uma maquina de lavar, por exemplo, também deixaram de existir? cumprimentos

  63. Carlos Bonaparte says:

    Eu não devia ter lido para além de “Aqui incluem-se os agregadores de notícias, como o Google Notícias, por exemplo”. Porque a Maria Inês não sabe que o Google News é um serviço gratuito. E que aliás, por causa destas taxas, já acabou em Espanha há bastante tempo. Perderam todos . Jornais inclusive Quanto aos utilizadores não saírem afetados, também não é verdade. E quanto às imagens com direitos de autor serem passíveis de ser publicadas sem fins clucrativos,também não é verdade. Se não há acordo do Youtube com os autores ou detentores dos direitos de autor dessas imagens, ninguém pode publicar essas imagens. Se o Facebook não tiver as licenças, ninguém pode partilhar determinados links para notícias. Ironicamente eu encontrei esta notícia do Pplware no Facebook, e às vezes, na csecção cência e Tecnologia, encontro várias notícias vossas pelo Google News. Isso deixará de acontecer, sim. Aqui não se faz distinção entre fins comerciais ou não, não se faz diferenciação entre uso privado ou não, e sim, eu sei queo artigo 1 permite que os links sejam partilhados sem problemas, ppelo uso priado. aMas o Fcebook é uma rede social, e é ela que tem que pagar sessas licençs. O que a Maria Inês Coelho descreve é o processo atual, . Não o Pplware que tem que ter acordo com a Dreamworks, é o Youtube. E se o Youtube não tiver esse acordo, nem o pplware, nem eu, podemos partilhar essa imagem, ou esse excerto musical. E se o Facebook não tiver determinada licença, ninguém pode partilhar ligações do Pplware. É a mesma coisa, exatamente a mesma coisa, que os comboios terem sintos de segurança. E por cada sinto de segurança que não estiver colocado num adulto, quem paga é a CP, e não o adulto. Atualmente o que acontece é que quem paga é o adulto. Com o artigo 13 e o artigo 11 quem passa a pagar é a CP. Claro. O negócio não rentabiliza. De forma que isto pode levar ao fecho destas plataformas na União Europeia. Eu recordo: o Google News fechou em Espanha e não voltou a abrir. Se fizer http://news.google.es vai ver o mesmo que vê desde, salvo erro, 2015.

  64. Gustavo Garcia says:

    Esperando que este comentário não seja censurado como o anterior, que não continha nenhum dado falso, ofensa ou insulto, aqui fica o link para o documento assinado por mais de 70 personalidades históricas da Internet, entre as quais o criador da WWW e outros que inclui desde empresários não ligados aos “gigantes da internet” a professores de direito e tecnologias de informação de várias universidades mundiais, que foram simplesmente ignorados pelos deputados do parlamento europeu, tal como parece que a malta do pplware parece querer convercer-nos a fazer. Espero que não me façam pagar uma taxa por vos passar esta informação gratuitamente. 😉
    O documento está na Electronic Frontier Foundation, organisação sem fins lucrativos para a defesa dos direitos e liberdade na utilização da Internet:
    https://www.eff.org/files/2018/06/13/article13letter.pdf

  65. Samuel says:

    Resumindo Vamos todos ser lixados pelo artigo 13 e 11. Politicos vão todos pó car… seus mer….
    Nisto tudo o vai acontecer é os “exits”

  66. José Ferreira says:

    Este assunto preocupa-me mas noutra vertente. Como é que estes valores estão a ser distribuídos? Sei que alguns montantes referentes a artistas e produtores estão a ser entregues, mas será que são os valores reais? Por que será que estas ditas Cooperativas de Gestão de Direitos estão isentos de IVA? Por que será que têm mais directores que administrativos e pessoal de campo? Por que será que os directores recebem salários milionários com todas as regalias, desde carros, combustíveis, despesas de representação desmedidas e os artistas estão sempre a “pedir esmolas”? Por que não utilizar estes fundos para apoios na cultura, já que o orçamento de estado prevê reduções de apoios? Já tentei fazer chegar estas questões à comunicação social para que se investigue, mas até hoje, ficou tudo em águas de bacalhau. Por que será?

  67. Simples says:

    O alarmismo disto, não percebo.
    Hoje em dia já existe algo do género no youtube.
    à 9 anos atrás. Repito 9 anos. Tentei fazer upload dum video sem som. e permitia-me adicionar uma musica. Tentei adicionar um mp3 de uma musica que gostava. O youtube bloqueou-me o video logo antes mesmo de publicar por a musica ter direitos de autor.
    É comum quando há lançamento de filmes/tv, haver quem faça upload do filme, episódio na integra para o youtube. Os mesmos eventualmente são retirados/bloqueados. Existem técnicas de espelho de imagem entre outras para evitar detenção.

    A única diferença que poderei ver é que a UE quer responsabilizar directamente as empresas dos direitos de autor e obrigar-las a fazer a validação antes de publicar invés de ser retirado posteriormente.

    Qual é a novidade disto?

  68. Telmo says:

    Vejo pessoal, a queixar-se dos youtubers que não pagam nada, não tem impostos nada disso… Que eu saiba eles pagam para descontar todos os meses como toda a gente deveria fazer ( porque sim existe muitos a receber do desemprego e a trabalhar ilegalmente, mas não iremos entrar por esse campo ). Todos eles demoraram o seu tempo desde 5 anos, 6 anos para atingir o patamar em que se encontram. Digam-me, se tivessem a oportunidade de alegrar a sociadade ou ser util de outra maneira ganhando bom dinheiro, não o fariam? Deixem-se de inveja, porque cada um escolhe o seu caminho.
    Em relação aos novos artigos que poderão a vir ser implementados, acho absurdo e inutil. Por alguma razão já existe uma lei que não permite a utilização sem autorização de um conteúdo com direitos de ator, caso o mesmo quebre essa lei, todo o lucro irá para o dono do conteúdo. Agora vou ser sincero, toda a Europa está habituada à internet, peço desculpa, o mundo inteiro está habituado à mesma! Querem chegar ao facebook e não verem noticias? Publicações a desaparecer do nada porque naquela foto foi usada uma marca qualquer? Querem poder ver videos e os únicos que vão ter vai ser músicas? Esta lei é de regressão, fazendo com que voltem a dar importancia a uma media morta (televisão, jornais, revistas etc..). Acabo com esta apelação: Não permitam que isto aconteça e protestem, não queiram enriquecer os que já são ricos porque rapidamente se notará o desiquilibro da europa nos proximos meses.

  69. Ubion says:

    começa assim, “ha é só para proteger os direitos autorais” , depois vai aumentando até não podermos fazer mais nada, toda grande mudança seja para bem ou para mal (essa é par ao mal) começa assim aos poucos ,

  70. El programador says:

    Lei dos corruptos políticos para as empresas ricalhaças.
    Essa lei vai contra os principios fundadores da internet, isto acontece só mesmo na europa.

  71. paulo matos says:

    Ola boa tarde so queria dizer ja que tanto falam de trabalho duro podem ir para as ruas a fazer trabalho comunitario a varrer as ruas ,cortar lenha, levar pedras pesadas e fazer mão de obra são tao ignorantes que voçes tem boms trabalhos atras de uma secretaria e fazem muito menos que um youtuber um youtuber tem que fazer milhoes de videos editar ver o que esta mal cortar meter efeitos especias diverte as pessoas ajudam as pessoas ja que dão coisas com o seu dinheiro e voçes so estao bem a perjudicar a vida a todas as pessoas , os politicos são quem robam dinheiro os jornalistas tanbem não fazem muito mais que um youtuber, um jugador de futbol ainda faz muito menos que um youtuber e ganha milhoes .

  72. João says:

    já que temos aqui pessoas a favor do fim das redes socais e do youtuber, para preservar os direitos de autor, de pessoas que já ganham milhares de euros por ano e basicamente sentados e de costas direitinhas, então preservem também os direitos dos trabalhadores que trabalham no duro e que recebem uma miséria, como o meu caso e de quase 70% da população.
    E já agora já que os putos que estão sentados na cadeira vão ser afectados. Então tratem de acabar com a exploração infantil nos programas de televisão, tais como filmes, novelas etc.

  73. Emanuel says:

    Uma sugestão. Todos estamos preocupados (ou não) com o impacto do artigo 13. Os politicos não querem saber nem estão interessados em como operacionalizar de forma tecnológica o automatismo do mesmo que tanto argumentam. A sugestão é o pplware entrevistar um professor de inteligencia artificial (por exemplo) para sabermos se em termos de engenhenharia informática é possivel,se sim quais são os custos, e mais interessante, para os que gostam de ciência da computação, explicar de forma abstrata como poderia ser feito. E aí ficariamos a perceber se os burocratas percebem de alguma coisa do assunto ou se estão a pedir uma circunferância com a forma de quadrado. Hehe.

  74. Nacho Vidal says:

    se tivesse que chamar um nome a esta geração… Que fica cheia de medo porque hoje em dia não sabem o que é um Torrent, não sabem o que é uma VPN ou um proxy! Tenho pena de todos aqueles que estão preocupados com esta notícia. A ignorância deixa-vos dependentes e reféns destas “americanadas” empresas que ganham, essas sim(!) milhões à pala da vossa estupidez! Vocês nem sequer sabem o que realmente se passa. Vocês são os mesmos que usam a netflix e o spotif, viciados em facebook e instagrams e já não sabem sequer usar um piratbay proxy.
    Meu deus, tanta ignorância!

    • #saveyourinternet says:

      Eu sei o que isso é tudo. Mas se agora podemos usar os sites livremente. Pra que esperar isso mudar para depois dar a volta com vpns.

      • Nacho Vidal says:

        Se percebi bem a tua pergunta, aqui vai:

        -“Mas se agora podemos usar os sites livremente” não é verdade, tanto em Portugal como no Brasil, existem muitíssimos sites barrados.
        -usar uma VPN é uma maneira de não seres barrado pelo teu ISP no acesso à internet. Não precisas de uma vpn para publicar um video no youtube ou escreveres no reddit, mas podes faze-lo! a lógica de usares uma VPN é quando quiseres ceder a algum conteúdo que o artigo 13 te quiser barrar. fazes assim: ou usas uma vpn e tens acesso a tudo, ou sais da europa e vais para um país que não barre esse conteúdo.

  75. Bye Internet says:

    Eu sou de uma geração mais recente. Não sei usar nada disso pois nunca foi necessário nem tive interesse. Tenho menos de 20 anos e por isso só sei viver com esta Internet. No entanto o que mais me chateia é mesmo o YouTube. Pois eu passo o dia no YouTube. Mas não gosto de Facebook ou insta por isso podem acabar todas. Se for para acabar com a minha ignorância e começar do zero para todos não me importo

  76. Gonçalo Silva says:

    Eu gosto-mo ver muitos animes (animação Japonesa) e Ler mangá (BD Japonesa) mas todo online porque em Portugal, só passa o animes nos canais privados e eu não tenho como ver nesses canais.
    Também desenho as personagens dessas histórias e partilhar os meus desenhos no Facebook e Instagram, gostava de saber se vou deixar de fazer isso todo?

  77. Bye Internet says:

    Vais deixar de puder ver isso tudo uma vez que esses sites não deverão ter os direitos de autor comprados. Isso vai acabar. Televisão vai voltar ao ativo

  78. Bye Internet says:

    Vais deixar de puder ver isso tudo uma vez que esses sites não deverão ter os direitos de autor comprados. Isso vai acabar. Televisão vai voltar ao ativo

  79. Bye Internet says:

    Existe uma coisa chamada Netflix. caso contrário ficas limitado à TV

  80. .po says:

    O mais engraçado e que esta tudo a basear-se nos youtubers. mas alguem se lembra do caso “Baleia azul”? “MOMO” E muitos outros casos que navegam na internet a espera que os vossos filhos as assistam, coisa que vão perturbar e fazer o que querem dos mesmos, ou não se lembram quantas pessoas morreram a conta da “Baleia Azul? Foram conteudos como esses que a Internet livre trouxe ao mundo que conhecemos hoje

  81. pph says:

    A historia ja nos mostrou no que descambam estas leis.
    Ca estaremos para ver quando perceberem que isto é uma lei da rolha muito maquilhada.
    Abram a pestana, e voces pplware, estao-se a limitar a emitir uma opiniao ou interpretaçao do que supostamente vai acontecer, errada e basica na minha opiniao. Acredito que tenham algo em agenda, como preparar caminho para publicaçoes mais sem sal, e nao perder “clientela”(€).

  82. Ortiz says:

    Já ouço a décadas que o fim da partilha de musicas . Filmes. E livros estava proxima . E não!! Não está pois sempre vai existir sites torrentes é partilha P2P ou seja quanto a YouTube é so uma forma mais rápida de ver vídeos. !!! Sempre à alternativas a burlar direitos de autor. Está lei é ruim para quem usa conteúdo dos outros para ganhar din din. !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.