Quantcast
PplWare Mobile

IRS: Revolut não é preciso declarar! Mas N26, Bunq e Openbank sim..

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. anon says:

    E quem faz IRS automático?

  2. NEMC says:

    OK, aceito porque tem a questão do IBAN. Mas estive a ver e o REVOLUT também tem um IBAN diferente do PT! GB94REVO 009898989898989898999 . Isto não é um IBAN?

  3. Nuno Santos says:

    “Por atribuírem aos clientes um IBAN estrangeiro ”
    O revolut também atribui NIB estrangeiro

  4. bernardo silva says:

    Isto já não é verdade. A revolut já é um banco.

  5. bernardo silva says:

    A revolut é um banco, a AT está bêbada –> https://blog.revolut.com/we-got-a-banking-licence/

    • Justino, o Justo says:

      Não insistas. Não é. A Revolut gere cartões pré-pagos. Não tem autorização para fazer operações bancárias, nem está interessada nisso. A questão da licença bancária europeia é marketing. Não serve para nada. Alguém quer entrar num negócio de raiz com um banco ? Com taxas de juro negativas ? Só se eles comprarem algum banco em dificuldades.

      • Rodrigo says:

        Estás errado. Revolut é um banco. Está registado como tal em UK.

      • Hildeberto says:

        Então se não é banco porque tem IBAN? Porque lhe apetece?? tem IBAN, logo é uma conta aberta.

        • Ze Carlos N says:

          Quando aderi ao Revolut tinha um IBAN do Lloyds. Agora e’ REVO.

        • Filipe says:

          Ter um IBAN em nada está relacionado com ser ou não ou banco. Ser banco está relacionado com poder dar crédito e ter garantia de depósitos, coisa que o Revolut não tem

        • Justino, o Justo says:

          Onde é que achas que eles guardam o dinheiro com que carregam os cartões ? Imprimem as notas e guardam numa estante ? Dependem de uma conta bancária, salvo erro no Lloyds ou no Barclays. E com as referencias dos depósitos associam aos respectivos cartões. É assim tão dificil entender isto ?

          • Louro says:

            Tens um Iban único para ti, não tem nada a ver com referências nos pagamentos.

            Não digas asneiras quando não sabes do que falas

          • Filipe says:

            @Louro

            Falares em asneiras quando andas a dizer que o Revolut é um banco é absolutamente precioso lol, mas sim cada um tem o seu IBAN, e? Foi até disso que surgiu a confusão inicial da AT no ano passado

          • Justino, o Justo says:

            Ò Louro, tens muito que aprender sobre técnicas bancárias.

    • mlopes says:

      é pá vocês devem ter vontade de complicar!
      se autoridade tributária de um país vos diz que não é de declarar uma dterminada realidade porque raio insistem a discutir o assunto?! até parece que querem declarar à força!

  6. bernardo silva says:

    Na verdade, desde dezembro de 2018.

  7. Manuel says:

    Depois do Salgado e restantes capangas declararem o que enviaram para o estrangeiro eu declaro o que tenho na conta do N26. Até lá, temos pena…
    É a vida!!!

    PS: Alguém devia de perguntar à AT se dinheiro em offshres também é obrigado a ser declarado…LOL

    • mlopes says:

      arma-te em portuguesinho chico esperto e vê lá se te lixas por uma insignificância! 😉 claro que depois nunca viras aqui dizer que pagaste uma coima porque isso feriar-te-ia o ego mas enfim.
      não declarar é complicar uma coisa que é simples. é apenas uma obrigação declarativa sem importância alguma, uma única linha numa declaração com caráter meramente informativo, mas enfim

      • Manuel says:

        Não é Chico, é Manuel.
        Atrás de um teclado até pareces um entendido, mas não passas de um curioso.
        Não te preocupes com a coima. Se ela chegar cá estarei para a receber e contestar, caso seja necessário. Até lá espero que sejas coerente com o que dizes e declares o que tens de declarar.
        É por estas e por outras que nunca passaremos de um país menor e para tolos!

  8. Mac says:

    Off-topic, ou nem tanto…

    Então e o “pidesco” Big Brother actual nos depósitos?

    Há uns dias fui fazer um depósito de 10,00€ na conta de uma pessoa que me vendeu uma peça usada e tive de ir ao carro buscar o Cartão de Cidadão para me identificar, caso contrário recusavam liminarmente.

    RIDÍCULO, não?

  9. Anon says:

    Fascistas. Se uma pessoa tiver 1€ na conta tem de declarar, mas se forem políticos ou banqueiros está tudo bem.

    • Soldier says:

      Não se esqueça das despesas de manutenção,se tiver 1€ na conta,precisa de mais 4,15€ para pagar a mensalidade do banco,mas o José Sócrates e essa escumalha política,podem desviar milhões,não se passa nada.O povo paga.

  10. Filipe says:

    Mais uma notícia enganosa, copy paste to eco.pt, curioso como as incorrecções gritantes frequentes no eco vêem sempre aqui parar umas horas mais tarde… O IBAN não ser PT50 nada adianta em saber se se tem de declarar ou nao, o próprio Monese e Revolut que o artigo diz nãos e ter de declarar têm IBANs estrangeiros

  11. Luis Gomes says:

    Existe uma grande diferença no N26 as contas bancárias estão asseguradas pelo fundo garantia bancário de 100.000,00€ por isso é que a AT diz que temos de o declarar. O fundo garantia permite uma maior segurança para os proprietarios da conta que no caso de o banco falir pelo menos 100.000,00€ vao ser reembolsados. Na minha exclusiva opiniao penso que a AT interpreta o N26 como um banco seguro onde as pessoas podem querer ter algum dinheiro que não foi declarado em Portugal

    • Bernardo Silva says:

      Mentira. A revolut também já tem o fundo de garantia bancária.

      • Filipe says:

        Não, não tem, deixa de espalhar falsa informação

        • bernardo silva says:

          https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/banca—financas/detalhe/revolut-conquista-licenca-bancaria-na-europa

          “Os clientes agora podem receber os seus salários na conta da Revolut e ainda fazer depósitos. Estes fundos estão protegidos pelo sistema de garantia de depósitos até 100 mil euros, o mesmo que acontece numa conta bancária tradicional. Além disso, passa a existir a possibilidade de contas a descoberto e ainda a cedência de empréstimos.”

          • Filipe says:

            Já devias saber que as notícias nacionais sobre a banca, especialmente fintechssao uma completa desgraça e os jornalistas que a escrevem não percebem patavina do assunto.

            Parabéns em citar fake news

          • bernardo silva says:

            Então significa que a tua opinião tem mais validade q a do jornal de negócios? porque razão não és tu a citar fake news?

          • Filipe says:

            Não é a minha opiniao, é a realidade. O próprio Revolut no post em que falam da licença bancária avisa que isso não faz deles um banco, as termos de uso do Revolut explicitam que operam com uma licença de moeda eletrónica e em lado nenhum refere protecção de depósitos. Se lhes escreveres a perguntar dizem-te que não são um banco, mas tu achas que a imprensa portuguesa, que não acerta uma única notícia no que diz respeito a fintechs é que tem razão… E a AT também não sabe, tu e o jn é que sabem

          • Louro says:

            @Filipe,
            pessoalmente nao consigo perceber qual é a tua motivacao para andares a espalhar noticias falsas e tentar demover as pessoas de nao suar os bancos tradicionais em Portugal.
            A menos que sejas bancario e estejas com medo de ficar sem o teu trabalho.

            Sim no link que já foi publicado N vezes, diz que os depositos estao cobertos até 100 mil euros.

          • Filipe says:

            @Louro

            Sugiro que realmente leiadno que diz no post do Revolut on anunciam a licença bancária:

            “Now, it’s worth pointing out that nothing is going to change right away. Despite being granted with a licence, this does not automatically turn us into a bank right away.”

            Esta foi a última atualização deles em relação ao assunto.

            Estares a sugerir que eu apenas chamo a atenção para as fale news a serem propagadas por ti e por outros por causa de algum interesse escondido é um bocado estranho… Estar, como tu, a espalhar falsa informação mesmo depois de milhares de vezes corrigido, isso sim aponta para motivos pouco claros

          • Justino, o Justo says:

            E depois dessa noticia de 13 de dezembro de 2018 que citas, o que aconteceu ??? Já depoisitas dinheiro na Revolut ? Já te emprestam dinheiro para o carro ou para a casa ? Qual é o interesse em espalhar noticias falsas ? O que me está a escapar ? Tu até tens toda a informação sobre a Revolut debaixo dos dedos. O que pretendes ?

          • Louro says:

            @Filipe,
            Sim não são um banco, mas em 2019 estavam em risco de perder a licença para operar como um banco… Simplesmente fantástico…

            Pessoalmente so uso para quando viajo para fora do uk, devido às taxas da banca tradicional, no entanto conheço N pessoal que usa como conta bancária do dia a dia, incluindo débitos directos e afins.

          • Filipe says:

            Aprende a ler, repara no “Will”: “The new banking licence will allow its customers to start depositing their salaries, which will be protected up to €100,000 under the European Deposit Insurance Scheme.”

            Não é estritamente fake o que escrevem mas certamente irresponsável dada a quantidade de tantos como tu…

            E entretanto desde esse “Will” a licença do Revolut que era provisória está sob investigação e o próprio Revolut desistiu de a usar. Pediram agora uma licença na Irlanda que ainda não foi concedida.

            Interessante que como a comunicação do próprio Revolut não te agrada andas a desesperar a tentar alguma coisa para tentar provar a tua ideia que certamente por agora já sabes que está errada

          • Justino, o Justo says:

            Arranja lá uma noticia mais atual, que essa tem mais de 1 ano.

    • Filipe says:

      Nada disso. Simplesmente a leu diz que têm de se declarar contas bancárias e quando as leis foi feita isto das contas de pagamentos que não são bancos não existia. A AT está-se a lixar quer para uns como para outros

  12. Soldier says:

    Eu declaro o valor que tenho no N26 quando a Isabel dos Santos for considerada inocente e quando o José Sócrates justificar os 2 milhões que recebeu.

  13. Bruno says:

    As finanças podem dizer o que quiserem, não me parece que legalmente alguém seja obrigado a comunicar a quem quer que seja as suas contas bancarias.

  14. Fabio says:

    Uma questão, para quem tem N26, mas somente abriu a conta, pediu o cartão físico mas NUNCA efectuou uma transação lá, seja de depósito, levantamento ou pagamento, tem de declarar de igual forma? Cumprimentos

  15. Rodrigo says:

    As finanças podem dizer o que quiserem. Tenho conta em praticamente todas elas e não vou declarar nenhuma delas. Posso ser tuga mas não sou parvo.

    • Filipe says:

      Sabes que o banco declara à AT do lado deles. Se não declarares do teu lado podes ter problemas

    • mlopes says:

      outro portuguesito chico esperto como o @Manuel de uns comentários acima.
      digo-te o que lhe disse a ele: vê lá se te lixas por uma insignificância! claro que depois nunca viras aqui dizer que pagaste uma coima porque isso ferir-te-ia o ego inflamado.
      não declarar é complicar uma coisa que é simples. é apenas uma obrigação declarativa sem importância alguma, uma única linha numa declaração com caráter meramente informativo, mas enfim

    • mlopes says:

      e ainda te digo mais, tem cuidado com os valores das transferências para essas “contas” e movimentados por elas.
      olha bem para a legislação portuguesa e comunitária acerca de branqueamento de capitais para não teres uma surpresa 😉
      (isto assumindo que para teres assim tantas “contas” deves ser um gajo que movimenta muito dinheiro ;))

      • Manuel says:

        Ora aí está algo que a AT se deveria de preocupar, transferências comunitárias e inter-comunitárias para e de paraísos fiscais e não só…
        Nem debaixo do nariz eles as querem ver…
        Se eles fizessem isso bem feito não andavam preocupados com assuntos menores, mas isto é mais apelativo para os médias e blogs.

  16. rui says:

    – Há 2 revolut uma do UK e outra da Lituânia que podem ser utilizadas em portugal e nenhuma está registada com o banco
    https://www.bportugal.pt/entidades-autorizadas/all/revolut
    Não é só banco que tem de ser declaradas nos termos que indicam e tem a ver com os serviços financeiros, no entanto a revolut não precisa, assim como não têm o dinheiro protegido

    – Atenção que se tiverem rendimentos no revolut, caso de trocas de divisas ou com vendas isso deverá ser declarado mas em sede de rendimentos.

  17. Pedro says:

    Pedi esclarecimento directamente às finanças o ano passado sobre este assunto, e o que me foi dito é que qualquer conta no estrangeiro que tenha IBAN tem que ser declarada. O revolut tem…

  18. bernardo silva says:

    Desculpem, alguém sabe o que significa IBAN?

  19. bernardo silva says:

    Uma coisa, sabiam que as pessoas que vos informam no balcão das finanças não fazem jurisprudência, certo?

  20. Paulo Andrade says:

    Caros leitores, após verificar muitos comentários sobre o Revolut .
    Venho por esta via também tentar elucidar alguns de vocês?
    O Revolut não é necessário declarar pois está inscrito no banco de Portugal como Instituições de Moeda Eletrónica com Sede na U.E. em Regime de Livre Prestação de Serviços e como no Ofício-circulado n.º 20211/2019, de 18/04 no portal das finanças. ao contrário dos restantes N26 entre outros que estão registados como bancos de crédito.
    Espero ter esclarecido.

    • Justino, o Justo says:

      Não percas tempo. Há muita gente interessada em desinformar…ou se calhar é sempre o mesmo com nickname diferente. Algum interesse escondido e que nos está a escapar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.