Quantcast
PplWare Mobile

Alunos estão a esgotar limite de internet e rede fica mais lenta (mesmo em aulas)

PUB

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. j says:

    A burrice continua, metam tv, net e telefone e eles não removem o limite.

    • carlos says:

      A questão é que os operadores a nível mundial estão a ter dificuldade em suportar o busco aumento da procura.
      A maior parte do tráfego existente nesta altura vem do estrangeiro. Até as plataformas como o Teams e outros obrigam a um aumento do tráfego internacional.

      • Joao Ptt says:

        É uma questão de falarem com as empresas mais utilizadas para elas disponibilizarem servidores para correr localmente nas empresas operadoras, ou para aceitarem correrem em servidores cedidos pelos operadores localmente nos mesmos, para que no final os clientes sejam beneficiados.
        Isto não é nada de inovador, em muitos casos trata-se somente de aumentar a capacidade das “caches” locais.
        Em outros casos trata-se de aumentar a capacidade para o centro de dados mais próximo, em Portugal existem alguns mas não são assim tantos que os operadores/ empresas não consigam resolver, por vezes é apenas uma questão de em vez de contratarem 10 Mbps passarem para 100 Mbps ou 1 Gbps ou 10 Gbps ou 100 Gpbs, enfim varia, por vezes já está tudo colocado a nível de fibra-óptica e outros equipamentos, outras vezes nem por isso, tem de ser colocado.

  2. Luis Henrique Silva says:

    depois o problema está nos outros que querem apenas passar o tempo em casa……

    Depois pagam todos……..os alunos querem lá saber das aulas, querem é borga….

  3. Pedro Teixeira says:

    Simplesmente ridículo.
    Há imensas casas com ligações não fibra e muito tem a famosa fibra hibrida da Nos.
    Para quem não são a fibra hibrida da nos, só é fibra ate a rua, mas depois usa um cabo de cobre pra a residência. O que leva a quebra de sinal forte.

    Para fazer tamanha afirmação sobre a “net estar lenta”, ninguém pode esperar milagres quando pagam a prestação mais baixa de internet, compram computadores de 500 euros, usam o router dado pelas operadoras, etc.

    Tenho fibra da vodafone e nunca tive nenhum problema, antes ou durante a pandemia.
    Vai ser um precedente para a NOS chular ainda mais nas velocidades em vez de investir numa fibra que vai ate a residência. Para um país de apenas 10 milhões, não é preciso muito investimento para duplicar a largura de banda nacional.

    • Art says:

      Não vejo nada de mal em pagar o pacote mais barato, comprar computadores de 500€ e usar o router fornecido pela operadora.
      Nunca tive problemas com isso. Quem precisa mais do que isso deve ser a larga minoria. Ou então tem que largar o vício e arranjar emprego

    • Francisco says:

      Só os gostam de comparar o tamanho do chouriço é que se preocupam se a fibra vai até casa ou até a rua.
      Não há nenhuma relevância em ter um cabo coaxial ate casa.
      E se o router dado pelo operador tem portas Gb qual é a necessidade de usar outro? Mais uma vez… É só para medir o chouriço.

      • Pedro Teixeira says:

        “Não há nenhuma relevância em ter um cabo coaxial ate casa.” – completamente errado.
        O sinal em cabos de cobre sofre mais interferência e perda de sinal quando comparado com fibra.

        “E se o router dado pelo operador tem portas Gb qual é a necessidade de usar outro?” – A maior parte usa a rede wireless e basta uma parede para usar só 30% da velocidade contratada. E confundir velocidade de internet com velocidade de rede local, não ajuda em nada.

        • J.M. says:

          Está também enganado. Sim, cabo coaxial pode sofrer mais interferências (principalmente se houver clientes com “xanatos” na mesma linha :)), mas tudo depende do n de clientes ligado. Ora se for fibra até um posto de distribuição, e coaxial para apenas 6 ou 10 clientes, e norma DOCSIS 3.1, vai ver que tem 10gbps / 6.. upload é mais fraquito no coaxial, mas mesmo assim tenho um conhecido a tirar 500/100 sem quebras. Tem latência maior, em relação a vodafone por exemplo (7ms vs 3ms) mas não é mau de todo.
          Tudo depende da sorte do cliente.. o problema é que em vez de ligarem um maximo de 10 cliente, ligam 20 ou 30 na mesma linha coaxial, e usam material de muito baixa qualidade…

        • Martim Rocha says:

          De facto o amigo pedro está correto, usar routers da Meo e Nos é uma valente merda quando se tratam de routers que já foram utilizados mil e uma vezes, routers do ultramar…
          Eu tenho vodafone há 8 anos e nunca tive nenhum problema com os routers fornecidos por eles, trocavam de router quando saia novo e sempre foi fibra, e sim o cabo coaxial para a residência afeta e muito a velocidade internet, pois deve custar muito o técnico passar um cabo de fibra para a residencia, enfim

          • Cortano says:

            Já usei NOS e raramente tinha problemas.
            Download = 200 Mb
            Upload = 20 Mb

            Mudei porque o upload para trabalho é pouco.

            Agora uso MEO
            100/100 Mb e não tenho problemas também.

        • Francisco says:

          Se a velocidade contratada são 100mbps aposta que a velocidadr obtida no computador com cabo de rede é 100mbps. FTTH ou essa fibra híbrida é irrelevante. Tambem estou certo que umas dezenas de pings ao Google não vão ter perda de pacotes relevantes (se alguma)
          Quanto ao router. Que culpa tem o operador de a casa ter paredes, azulejos, humidade, espelhos, etc? 30%? Nada mais falso. Facilmente a 10/15m (separados com uma ou duas paredes) se consegue 100 ou mais Mbps através da rede AC. Agora se andarmos a testar norma N e Huaweis modelo Y e semelhantes não há milagres.
          Em suma, se Cliente quer mais do que o operador está disposto a contratar (e nenhum operador garante o que quer que seja por WiFi) então é comprar um router próprio, e um PC ou tablet ou telemóvel com placa de rede decente.
          É que com uma pen WiFi sem antenas exteriores ligado numa porta USB traseira do Desktop que até está por baixo de uma secretária não vai ter a melhor prestação WiFi. E isto é que aqueles que gostam de medir o tamanho do chouriço não sabem nem querem saber. Como também o que lhe interessa é meterem o router atrás da TV para não se ver. Ou mesmo na despesa!!

      • Luis Henrique Silva says:

        Há diferença há…..já ouvi amigos a queixar-se da suposta fibra hibrida…

        Também tenho vodafone 200/100 e não tenho problemas nenhuns.
        Onde pode talvez haver é em prédios, penso eu, pois está tudo ligado numa caixa e ai divide por cada apartamento…..na adsl sei que é uma porcaria, na fibra não sei

    • wut says:

      “os hotspots com internet grátis” estamos a falar de internet móvel, não de fibra

    • carlos says:

      1 giga é sempre 1 giga seja sobre cobre ou sobre fibra

      • José Fonseca Amadeu says:

        1 gbps sobre cobre? só se for a 100 metros..
        Muita gente não sabe o que é HFC nem o DOCSIS 3.0 ou 3.1 (que em teoria será maioritariamente usado pela NOS), deviam informar-se.

        • carlos says:

          Certo, mas então estamos a falar de uma situação que tecnicamente não tem 1 giga de capacidade.
          Eu tive durante muitos anos um cabo da NOS com 30 metros.

        • Miguel Luís says:

          Seja qual for o serviço, NOS, MEO, Vodafone, seja através de FTTH ou HFC na grande maior parte dos distribuidores de rua/prédios tem banda larga suficiente para dar e vender a um serviço residencial, seja 100Mb, 200Mb, 500Mb ou 1Gb, tanto em downstream como em upstream. A questão aqui é que as infraestruturas que estão montadas neste preciso momento não só no nosso país como pelo mundo inteiro, não foram pensadas para atingir os limites que estamos a atingir, normalmente vão melhorando as infraestruturas conforme a procura e não é uma procura repentina como é o caso.

          Outro esclarecimento, 90% do país já deve estar coberto com DOCSIS 3.1 e eventualmente 4.0, a acrescentar a isto também temos as redes dedicadas de FIBRA desde os datacenters até ás residências, da MEO e da Vodafone.

          Outra situação que não tem nada a ver com as infraestruturas é que na maior parte dos problemas reportados pelos clientes provêm de um “router” defeituoso ou uma instalação obsoleta dentro da própria residência que faz a qualidade do serviço ser bastante inferior ao que vem de fora, sejam os cabos em mau estado, splitters com redutores de ruído com ferrugem, splitters que não são os adequados para determinadas situações, os próprios encaixes, cabos que passam perto de instalação elétrica que faz baixar o sinal e bastante, enfim… são tantos fatores que podem condicionar a qualidade do serviço, seja em hora de ponta ou fora dela.

          Além disto temos as políticas de todas as operadoras aplicam em determinadas zonas a determinadas horas, no que toca ao Traffic Shapping e Traffic Splitting que permite assegurar “serviços mínimos” de ligação aceitável em caso de picos de utilização de banda larga muito acima da capacidade atual das próprias infraestruturas.

          E ainda temos os Hotspots MEO e NOS em que eu posso utilizar parte da banda larga da Internet do vizinho quando estiver por perto, ou em outro lado qualquer desde que esteja perto de um router NOS ou MEO posso utilizar as redes “FREE” e isso ainda causa mais impacto nos serviços.

        • adbu says:

          Até há 10GB sobre cobre (10GBASE-T)

    • Pirata das cabernas says:

      tenho fibra da NOS vai até á ligação interior, 500/100 hibrido só o meu carro

      • Celso says:

        Tal como eu tenho da nos 1GB/100 e vai até dentro de casa essa pessoa é que acha que sabe… Aliás no router 5 de FTTH o cabo da fibra é ligado diretamente ao router

      • Pedro Teixeira says:

        Meu caro, a NOS não tem fibra direta ate a casa. Informe-se bem e vai ver que tem a dita hibrida.

        • nuno27 says:

          Desculpe informar-lo mas o que está a dizer não é verdade, conheço algumas pessoas que tiveram a “sorte” de ter fibra até ao router da nos.
          Não sei como isso de lhe instalarem fibra até a casa aconteceu, mas até estava ligado a um Gpon Huawei.

        • Arlindo says:

          Todas as expansões da NOS desde 2013 são em fibra até casa tal como MEO e Vodafone.

          Infelizmente Lisboa é Porto mantêm-se essencialmente com a dita fibra híbrida, daí que perceba o seu comentário, mas não é verdadeiro o que afirma.

    • ervilhoid says:

      No artigo diz que o serviço que está lento é o dos hotspots emprestados pelo governo pois após esgotado o plafound, este passa a uma velocidade mais baixa..

      não percebo porque estão a misturar com outros problemas

    • Miguel A. says:

      Pedro Teixeira, a noticia não fala nada disso, já percebemos que gosta muito da Vodafone fibra, ainda bem para si, também queria, mas já me dou por contente de ter MEO Fibra (unica fibra na minha zona), com 500mbps/100mpbs.
      Os alunos que tem acesso à net social, tem um limite de tráfego, que depois de esgotado, continua a ser possível navegar, mas com uma velocidade muito reduzida, que não permite assistir a aulas por vídeo conferência de uma forma decente, a noticia é disso que se trata.
      A minha critica vai para as operadoras e a forma como o tarifário está pensado, com um limite de tráfego genérico sem qualquer referência, e até ausencia de uma happy hour, como existe há uns anos. Era preferível reduzir o limite de trafego, mas permitir um acesso livre às aplicações de vídeo chamada, como Zoom, Teams, Skype, etc, e até permitir uma happy hour em horários que o tráfego geral da net é baixo (as pessoas pobres podiam ter acesso a algum conteúdo lúdico, são pobres, não são criminosos).
      As criticas dos computadores de 500€ é simplesmente ridiculo, para mim nem devim ser pc’s, deviam ser Chromebooks ou algo do género. O Zoom funciona em browser assim como o Office 365 online, e não me venham dizer que são lentos, cá em casa há um computador de 11pol com um Celeron e 32gb de capacidade, que corre perfeitamente em ambiente browser, custou-me 150€.
      Se há problemas de consumo de tráfego, das duas uma, ou ninguém informa ou os pais não controlam e os putos não querem saber.
      Quando comecei a ter internet, tinha acesso a 10minutos de dois em dois dias durante a semana e 1 hora ao domingo (internet dial up). Quando passei para ADSL, tinha 4Gb por mês, mais happy Hour durante a noite e fins de semana (foi a alegria, e nunca passei o tráfego, estava tudo controlado ao milímetro, ai de mim que passassse a conta da internet, levava uma malha e ficava sem internet durante um mês).
      Mais uma vez, Portugal e a sua portugalidade tacanha.

      • João says:

        Miguel A.
        Os pais não querem saber. É de graça, logo não há “responsabilidade”. Infelizmente é assim que o português pensa na sua generalidade.
        Eu também ainda sou do tempo do dial up e de net muito limitada, quer em velocidade, quer em tráfego. Era eu que pagava se ultrapassasse os limites.
        Agora sinceramente, não estou a perceber a lógica da maioria dos comentários neste artigo. O artigo fala de alhos e estão a discutir batatas. Foram cedidos equipamentos e ligações á net para os putos terem aulas. Estão a ser usados para outros fins e estão a bloquear por terem passado os limites. Aqui em casa a net é ilimitada (mas sou eu que pago) e mesmo assim há limites. E se a minha filha ultrapassar os limites que tem, tem repercussões. E não é preciso a net ser bloqueada ou vir o ministério. Ela tem pai para impor limites e aplicar as sanções quando não cumpre. Ser pai é isto, não é deixar rolar e depois atirar as culpas aos outros.

    • João says:

      O meu PC custou menos de 500 euros e chega muito bem Podia ter comprado bem melhor, mas não preciso. Tenho aulas, reuniões, conferências, filmes, downloads, impressora, leitor de cartões, colunas, webcam, blah, blah e ainda jogo online numa net 100/100. Se eu queria um pc hiper mega para ray tracing 8K 1250FPS? Mehhh. Não me faz falta. Prefiro ir de férias tranquilo quando for possível. E ainda estou para ver qual é o jogo online que precisa de net a 1 Giga. Eu não compro Bugatis para andar a 50 daqui até ao trabalho. Tenho coisas bem mais interessantes para fazer ao dinheiro.
      E durante uns anos tive net da Nowo sem problemas e velocidades 100/10 sem qualquer razão de queixa. Recentemente mudei para a Meo 100/100 e é melhor, mas principalmente porque tem 100 de upload, além de ter pings ligeiramente melhores. E na Nowo os pings não eram maus. E quando começaram a ter problemas de estabilidade na rede (provavelmente venderam mais do que a rede suportava) aí mudei e pronto. Mas andes de ter problemas, funcionava bem.
      É preciso alguma sorte e há locais e locais. Mas qualquer uma das tecnologias se estiver bem dimensionada e configurada, é suficiente. Se não estiver, podem vir com a última coca cola do deserto que não se safam na mesma. Claro que, em teoria, quanto mais recente a tecnologia, melhor. Mas na prática é preciso a infraestrutura acompanhar em qualidade e quantidade.
      E quanto ao wifi, quem tiver necessidade de net ultra, mega, giga rápida, nem mete wifi na equação. Isso só mesmo para o facebook no telemóvel.
      Isso de não ter fibra dentro de casa vale o que vale. Se a rede ou a infraestrutura de fibra for fraca, a ligação é fraca e não é um cabo de fibra que a salva. E já pensaram que em muitas e muitas empresas as ligações entre os vários switches de rede e os computadores é feita por cobre? No trabalho temos 50 pc’s e nenhum está ligado por fibra aos bastidores. E tem cabos com muitos metros pois o edifício é grande. Temos fibra entre bastidores e na ligação á rua e chega bem.
      Isto faz lembrar uma vez no mecânico um cliente a chorar que não tinha 100 euros para mudar o óleo mas uma semana antes tinha lá estado a comprar umas jantes pipis. Cada um tem as suas prioridades.

  4. Pipoca says:

    Pois lá está, a net à borla não é para os meninos estudarem, é para a netflix e youtube, ainda para mais a netflix é um serviço pago mensalmente. Se tem um Hotspot gratuito é porque a família apresenta dificuldades económicas, mas para a netflix não há falta de verbas nessas casas.

    • Daniel Paiva says:

      Os hotspots gratuitos deveriam ser só para usar nas aulas e pesquisa geral, digo eu…

      • Pipoca says:

        exacto, mas como todo o tuga gosta de ir buscar alguma coisa à borla… mesmo que não precise… foi lá buscar a net e agora paga a netflix…. o interesse é a borla para sobrar para o luxo.
        E com os PC é igual…. se forem pesquisar nos IRS quantos papás meteram nos últimos 3 anos PC no irs afeto à educação para receber o reembolso, iam perceber que não precisam de doar tantos computadores às supostas famílias necessitadas.

    • molik says:

      Porque é que os operadores não bloqueiam o acesso a esses conteudos nesses cartões de dados, e explicaram aos miúdos o funcionamenteo dos dados?
      Acho normal que quem passou a ter acesso a um pc com net e nunca teve nenhum que experimente ver tudo.
      A netflix permite ser usada sem pagamento durante 1 mês.

      • José Fonseca Amadeu says:

        Essa gestão representaria um custo e uma reconfiguração de todos os equipamentos com um APN especifico, isso não foi acautelado e logicamente a NOS não poderá ser responsabilizada.

        • JJ_ says:

          Não tem de se configurar os equipamentos. É possível fazer limitação de acesso pelo número de banda larga.

          A dificuldade disso, é basicamente, selecionar os números em questão, e aplicar filtros, que até já estão configurados no sistema.

          Existe muitas empresas que tem isso contratado as operadoras.

        • Miguel A. says:

          Qualquer operadora pode fazer isso se quiser, basta ver os tarifarios moveis dos jovens que permite um acesso a apps de redes sociais em que contabiliza o trafego de forma diferente dos conteudos genéricos. A net social para as aulas devia ter essa componente bem especifica, Zoom, Teams, Skype e Office estarem livres, o resto, um limite e um Happy hour (numa hora que haja pouco trafego a nivel nacional), simples.

  5. Vitor says:

    Para mim o problema é fácil de resolver…ou limitam o horário de funcionamento dos hotspots fornecidos pelas escolas ou caso isso seja de difícil execução limitam a velocidade de navegação nesses sites (Netflix,Youtube,Tik Tock,etc) para o mínimo possível! Neste momento existem serviços essenciais e milhares em teletrabalho que não podem ser prejudicados por “brincadeiras”…

  6. Pedro Liz says:

    Uso netflix e disney plus mas espero que em tempo de pandemia o governo nos de apple music também incluido ou spotify. Ainda bem que o governo subsidia isto para quem não pode pagar pode usufruir.

  7. LA says:

    Este pais está-se a transformar, numa anarquia. Em que ninguém controla nada. Não sou a favor das ditaduras, mas tem de haver algum tipo de controle, nas coisas.
    Já me faz lembrar a Associação DNS.PT, que a partir do dia 2 de Fevereiro deste ano, passou a ser uma entidade estritamente comercial e deixou de controlar e penalizar qualquer tipo de registos massivos e especulativos de domínios. Acabaram, com o artigo 35º, que previa da remoção dos domínios registados, no caso em que fossem detetados, ou denunciados, registos especulativos e abusivos, pela mesma entidade.

  8. estragador says:

    a internet está um kaos! pelo menos a NOS tem-me falhado tanto…

  9. Ze says:

    NOS e velocidade de internet na mesma frase, so se for por critica negativa

  10. Thomas says:

    Estou a pagar 60€ à 5 anos com ADSL, 4Mbps down e 0,54Mbps up em dias bons e nunca ninguem se preocupou….
    E agora querem me cortar mais ainda nisto?

    • Francisco says:

      Ninguém vai cortar nada. E se acha que 60€ é muito por tão pouco então é puxar os cordões a bolsa e instalar uma rede de fibra própria.
      Ou é preciso que um subsidiozito para isso?

    • Miguel A. says:

      Não consegues ter acesso a outro tipo de serviço? Nem devias pagar tanto. Há aí qualquer coisa que não está bem.

  11. Americo Alves says:

    Tenho uma duvida diferente, se a travagem se deve ao computador(portátil) não ter desempenho para “Video Decode” e “Video Encode” que é efectuado principalmente pela gráfica.

    Pc Setting
    Faz sentido fazer vídeo stream 1080p ou 1080i…?! Com janelas inferiores a 480p ou mesmo 360p…

  12. adbu says:

    O problema é que as operadoras quando detetam que o plafom contratado foi gasto reduzem a velocidade de todo o trafego.
    Gastaram a net toda no netflix e depois já não têm para as aulas

  13. ricardo says:

    Pois pois esta conversa não tem pés nem cabeça.
    Em Portugal, quando comparados com pais europeus como a França , é possível constatar um preço exorbitante pelos serviços fornecidos por essas Operadoras NOS, Meo etc face aos ordenados que os Portugueses ganham.
    Durante todo esse tempo houve dinheiro para pagar mordomias aos gestores das empresas em vez de investirem nas infraestruturas e melhorarem os serviços prestados.
    Agora vêm com a conversa de que não aguentar os contractos prestados aos clientes e caso para perguntar teremos um redução drástica de no valor que pagamos ou iremos continuar a pagar as mordomias dos senhores. Quem fala nas operadoras pode também falar nas seguradoras de automóveis etc

  14. Vasco says:

    Reflexos da mentalidade do poucochinho a darem os devidos frutos em todas as áreas da sociedade.

  15. Ze Duarte says:

    Quem tem net grátis do governo é cortar acesso a Netflix e coisas do género e limitar a velocidade no YouTube para os obrigar a não ir para os 1080p. E não venham cá com tretas que não conseguem fazer isso porque se oferecem tarifários com X Mb em dados móveis mas para as redes sociais é X Gb é porque têm forma de diferenciar.

    • Arlindo says:

      Isso não conseguem. Conseguem limitar a largura de banda num determinado serviço.

      Parece uma ideia um pouco autocrática no entanto. Aliás, esta ideia de eles saberem o que as pessoas com determinado tarifário andam a fazer parece próprio de um estado policial controlador.

      • Ze Duarte says:

        Como não conseguem? Eu tenho Vodafone no telemóvel e eles conseguem perfeitamente diferenciar entre tráfego “normal” e o que é do Facebook por exemplo. Nem que seja pelos IPs!

  16. Nuno25 says:

    Posso estar a ser redutor na minha analise…. Mas não conheço pessoas que tenha dito ter problemas com a Fibra da MEO ou da Vodafone. Não falo de avarias nem router fracos, mas sim de regularmente ter lentidão na rede.
    Mas na NOS, oiço com alguma regularidade. Acho que o tema não é necessariamente pela tecnologia, mas sim sobre-aproveitamento da rede por parte da NOS. Porque já estava muito em cima do limite, agora está pior… Eles sempre foram famosos por fazer traffic shapping, nunca admitiram… e agora parece que são os únicos que querem de uma vez por toda ter legitimidade para fazer traffic shapping . Inclusivamente muita gente de forma inocente está do lado das operadoras, querendo respeitar as “urgências” e os “hospitais” ou serviços críticos…
    O problema é que na pratica, eles vão fazer isso indiscriminadamente, sempre que alguém use largura de banda em demasia, e isso afecte a performance em algum troço da rede.

    • Arlindo says:

      É questão de ver os relatórios da ANACOM.

      A NOS apesar de não ter mais clientes é de longe a que tem maior tráfego de Internet Fixa e de longe a que tem maior tráfego de Internet móvel.

  17. JJ_ says:

    Isso é extremamente fácil de resolver!
    Primeiro, é as operadoras bloquearem nessas bandas largas, o acesso ao Netflix/Disney+.
    Segundo, em serviços especifico, como Facebook/Youtube, limitar o plafon de utilização da velocidade normal.

    Isto pode ser feito em questão de dias, visto que passa por apenas fazer uma configuração no sistema aos números dessas bandas largas. Configurações que até já existem, e utilizadas por varias empresas que fornecem aos funcionários acesso a internet banda larga para trabalhar.

  18. João says:

    Estamos a falar de equipamentos emprestados e serviços á borla para os utilizadores. A mim ninguém me deu nada. Tenho de pagar para ter net. Sei que há zonas mais complicadas (já vivi assim muitos anos) e sei que há quem tenha menos possibilidades. Também há quem se calhar pode mais que eu mas estoura o dinheiro noutras coisas… mas enfim. Não têm dinheiro para net, mas andam a ver netflix.
    Mas é claro que estes serviços devem ser limitados e servir apenas para as aulas e pesquisas escolares. Ou alguém anda a acender a lareira ou a limpar o traseiro com os livros?
    Mas a culpa não é das operadoras, nem do governo. É dos pais e dos putos. Haja bom senso! Sinceramente, começo a pensar se não seria preferível não bloquear nada. Os putos atingiam o plafond, ficavam sem net, não participavam nas aulas e levavam falta. E no fim do ano se calhar ficavam pelo caminho. Podia ser que aprendessem alguma coisa para a próxima, tanto eles como os pais. Tem de haver responsabilidade porra! Parece que andamos sempre com medo de ralhar nos que fazem asneiras. É a porcaria da mentalidade do português. É do estado, é para estragar. É de borla é para abusar. Quando na verdade, deveria ser bem ao contrário. Eu sempre tive mais cuidado com o que não era meu do que com as minhas coisas. As coisas do estado sai do bolso de todos nós. Ora imaginem lá se toda a gente tivesse cuidado em cuidar e poupar aquilo que é de todos. Imaginem só…
    Agora, quem quiser usar net à vontade, contrata um serviço e paga, assunto resolvido! Já podem ver netflix, youtube, pornhub ou seja o que for á vontade. Agora, se é net só para a escola, deveria era já vir bloqueada. Não faz sentido. Eu tenho viaturas de serviço á disposição para quando preciso. Não vou às compras nem as levo para casa.
    Temos de ter noção que todos nós estamos a pagar por isto. Pelo menos os que pagam impostos. Não conheço os termos do negócio entre o estado e as operadoras, mas certamente não é de graça. E terá sido acordado um serviço que fosse suficiente para o fim a que se destina…. as aulas.
    Além de que eu estou a pagar a net de minha casa, não é grátis nem me foi oferecida pelo governo. Só é 100/100, mas ponderando o que preciso da net (não o que quero, mas o que preciso) e o que quero pagar, chega muito bem. E nunca fiquei sem fazer nada por ser “só” 100.
    Isto já parece a rábula dos livros que têm de ser devolvidos no final do ano. E quem não devolver? Nada. E quem não vier a devolver os pcs? Nada. E os que venderam os gamalhães? Nada. É facilitismo atrás de facilitismo.

  19. Jose Lapao says:

    Pelo preço que pagamos pelas telecomunicações ( não falo das bandas largas “emprestadas” pelo governo) comparando com os outros países europeus, e pela dimensão do país em termos de território/número de habitantes sou redondamente contra o bloqueio de qualquer tipo te tráfego de internet, a não ser que esse bloqueio se reflita numa redução da mensalidade paga ao operador de telecomunicações assim como ao serviço de terceiros pago a parte. A história do governo que é para preservar o acesso dos serviços essenciais do estado é tanga, pois no meu tempo de tropa as forças armadas tinham redes de telecomunicações próprias e independentes das civis, e assim devia de ser o dinheiro que o estado rouba em prémios de jogos de asar e outros que os invista numa rede telecomunicações própria e independentes da civil. Pois obrigar-nos a ficar em casa em prisão domiciliária e ao mesmo tempo retirar-nos uma forma de distrair a mente e uma forma de tortura, e isso ninguém cometa, nem se houve nos jornais, porquê, porque não interessa aos governos nem a esse governantes .

    Quanto á qualidade da rede tanto interna como externa sim conta até ao fim do ano tinha NOWO HFC contrato de 250/15, mas em 98% dos 24 meses de contrato tinha 80/8, coloquei MEO 500/100 sobre rede regional DST em FTTH, faço medições diárias tanto no PC como no telemóvel e tenho sempre em média de 498/112 por WI-FI, por cabo tenho sempre 530/120 mesmo a ver TV (por Android TV que consome internet) e com o router do operador.

  20. ernez says:

    15gb de plafom, isso são 4 a 5 aulas de zoom, enfim, depois saem com estas do netflix e não sei que, realmente o nosso país mergulhou numa politica terrível para caraças, é só mentiras e tretas nas noticias, que tristeza de país.

    • Vítor M. says:

      Bom dia. Mas então qual é o problema? Os operadores dizem que não há hipótese em dar mais do que o que existe em termos de fornecimento de sinal. Não há mais estrutura e não têm forma de o conseguir da noite para o dia. O que dizem é poder gerir a rede por forma a oferecer aos serviços prioritários mais qualidade, sem eventuais problemas de sinal. Se para isso tiverem de limitar os vídeos do YouTube, o streaming de vídeos, coisas de lazer, a lei diz que podem fazer. Mas não tem havido nenhuma destas ações, oq ue mostra que deverão estar a fazer a devida gestão, digo eu.

    • João says:

      De uma forma geral, não me parece que hajam grandes problemas de internet no nosso país.
      Mas em casos particulares, especialmente fora dos grandes centros, terá de haver uma gestão mais cuidada e penso que será daí que vem a eventual necessidade de bloquear alguns serviços, especialmente no móvel. No fixo sempre será mais fácil “balancear” tráfego, mas no móvel a insfraestrutura não dá mais do que pode.
      Temos de pensar que são mais de 1.000.000 milhão de miúdos com aulas online. Acrescido das milhares de pessoas em teletrabalho e ainda os que simplesmente estão em casa e que aproveitam para ver uns filmes ou umas séries. E ainda o aumento de reuniões virtuais e tele conferências entre empresas. É um aumento brutal. Terão também falhado os vários ministérios a não desfasar horários. Do que sei, é quase tudo de manhã no primeiro ciclo.
      Por outro lado, acho mal que a legislação não tenha sido clara quanto aos eventuais serviços a ser bloqueados ou “preteridos”. Aceito que seja pontualmente necessário. Se me dizem que é necessário bloquear o youtube para se conseguir dar aulas em determinada localidade (ou até a nível nacional), não tenho qualquer dúvida. Há coisas importantes e outras que não. Mas a legislação não deveria dar carta branca ao governo. Deveria estar bem especificado. Mas resta-nos acreditar que será aplicada com bom senso. Ou pelo menos todos os eventuais bloqueios deveriam ser tornados públicos.
      Mas quanto ao tráfego dos hotspots, será que é assim tão difícil de acreditar que os putos andaram a ver filmes e vídeos do youtube? A mim não me admira nada. Se calhar até andaram os pais. Não nos podemos esquecer que vivemos num país de “furas”. É fura filas, é fura lei, é fura serviço. Andamos sempre á caça de borlas, favores e arranjinhos.
      O que é triste é termos pessoas que necessitam de ajuda para conseguir ter acesso á internet e a computadores. Infelizmente nem todos têm as mesmas possibilidades. Mas ainda mais triste é saber que muitos dos que estão a ser ajudados se calhar vivem melhor do que outros a quem não dão nada.
      Se no passado fosse possível deduzir despesas com smartphones no IRS, se calhar agora era fácil saber quanto andavam alguns desses “aflitos” a gastar em iPhones. Olha, eu em vez de dar 600 ou 700 (ou mais) por um iPhone, dei 120 paus por um xiaomi que faz tudo o que preciso e o resto do dinheiro deu para um pc novo que o que tinha estava bem velhote.

  21. Nazar Romasiun says:

    A NOS ta a reclamar tendo em conta que ja ha pessoas a queixar se da internet deles ha 1 ano nunca vi a vodafone a queixar desses problemas.
    Caso o façam não pagarei mais a minha internet pois eu pago fibra por alguma razão rapidamente, se o querem fazer, o governo que me pague não é pra isso que pago 50€ por mes para depois não puder usar a net a vontade.
    Isto é uma Burrice e um absurdo da parte do governo a NOS se ta a reclamar eles que resolvam os problemas deles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.