PplWare Mobile

Vodafone quer recrutar mulheres em interrupção de carreira


Autor: Pedro Pinto


  1. int3 says:

    Imaginem assim:
    “Vodafone quer recrutar homens em interrupção de carreira”
    “com o objetivo de aumentar as oportunidades laborais para os homens.”
    “Vodafone ReConnect pretende atrair homens qualificados”
    “iniciativas globais dedicadas ao encorajamento e apoio dos homens”

    Breaking news no DN e CMTV: “Blog tecnológico da sapo com conteúdos machistas”
    ou “Vodafone lança iniciativa machista beneficiando homens”

    -Democracy destroys itself because it abuses its right to freedom and equality. Because it teaches its citizens to consider audacity as a right, lawlessness as a freedom, abrasive speech as equality, and anarchy as progress.-

    A hipocrisia social.

    • Marco says:

      O teu comentário faria todo o sentido se não tivesse contextualizado, no entanto todos temos conhecimento do paradigma actual em que as mulheres ganham significativamente menos que os homens mesmo ocupando cargos semelhantes. A diferença é que com a contratação de mulheres a vodafone está a contribuir para a diminuição da desigualdade e se contratasse homens estaria a contribuir para o aumento.

      • Marco says:

        * se tivesse um programa especifico para contratar homens.

      • JJ says:

        “as mulheres ganham significativamente menos que os homens mesmo ocupando cargos semelhantes” – Sinceramente ainda não consegui perceber esta frase, que é muito dita!
        Em todos os locais onde trabalhei, onde havia tanto homens como mulheres a desempenhar a mesma função, todos recebiam o mesmo valor!
        Que trabalhos são esses em que as mulheres ganham menos que os homens, pela mesma função? Ainda não consegui perceber quais são…

        • David Guerreiro says:

          Também concordo. E mais, mostrem uma empresa onde exista uma tabela salarial para homens e outra para mulheres diferenciada. Ah pois, não há? Qualquer empresa pode escolher o que paga aos empregados, desde que se guie pelo CCT.

    • Vlad says:

      Não têm a ver com hipocrisia, mas sim a vodafone uma oportunidade para enriquecer ainda mais, enquanto passa a ideia que se preocupa com as mulheres. Ora não é segredo nenhum que as mulheres para o mesmo trabalho auferem um ordenado inferior a um homem. Se é uma mulher com interrupção de carreira significa que é uma desempregada de longa duração, que se sujeita a trabalhar por um ordenado mínimo com condições laborais de miséria.

      • José Rodrigues says:

        Achas que os callcenters da vodafone são diferentes? lol
        É só um método de recrutamento como tantos outros, simplesmente empresas como a vodafone são obrigadas por leis laborais e pressão social a ter um valor percentual de mulheres empregadas e em determinadas posições na empresa, sejam ou não competentes, o importante é cumprir essas metas, ficando assim os homens competentes para trás.

        • Vlad says:

          Acho que te escapou o que quis dizer. Não, os call centers não são diferentes. Isto porque os trabalhadores na sua maioria são empregados por uma empresa de trabalho temporário, cujo contrato é precário e onde não existe contrato colectivo de trabalho. Ou seja, as condições são geridas conforme o teu desespero.

        • Vlad says:

          Não existe nenhuma lei laboral que obrigue uma empresa a contratar mulheres.

          • José Rodrigues says:

            Em Portugal ainda não, existem noutros países, nomeadamente na sede da Vodafone, nos que não existem, existe pressão social e política, tem muito mais impacto que qualquer lei.
            Multinacionais regem-se todas pelo mesmo modus operandi.

          • int3 says:

            Não existe definição de mulher ou homem para com a Lei portuguesa.

          • Vlad says:

            @José Rodrigues
            Que eu saiba não existe nenhuma regulação no Reino unido que force uma empresa a empregar um determinado numero de mulheres.

  2. Gastão says:

    Hoje é um bom dia para não ler notícias. Volto dia 9 de Março.

  3. luis says:

    é de aplaudir a iniciativa 🙂 estes casos também acontecem (embora em menor número) no sector masculino

  4. Pai says:

    Sim e depois dispensam pessoas (neste caso Homem e pai) pq não queriam que o mesmo tirasse a licença de paternidade. Vodafone PT.
    E como não havia contrato (outsourcing) é só dispensar….
    Enfim, Hipócritas.

  5. Gusmão says:

    Vivemos na era em que só se diz o que é politicamente correcto, mas depois pratica-se exactamente o oposto…

    Falsidade, cinismo, hipocrisia, mentira, …

  6. José Rodrigues says:

    As mulheres deviam ter vergonha por serem tratados como seres inferiores e inclusive perante a sociedade em tudo, ao ponto de estarmos em 2017 e há mulheres que ocupam determinadas posições não pela sua competência mas porque as empresas são obrigas a determinada percentagem de mulheres. Eu teria vergonha de ser mulher nos dias que correm.

    • Revoltado says:

      Eu teria vergonha de fazer um comentário como este…

      • José Rodrigues says:

        É por existirem pessoas como tu que a sociedade está como está e que vês mulheres a serem promovidas antes de homens com maiores qualificações e mais competências pura e simplesmente porque são “obrigados” fazê-lo, motivos como este são a root cause das maiores injustiças sociais dos dias de hoje, onde já não existe qualquer descriminação sexual, racial ou de preferência sexual e continuam a fazer de conta que existem para andarem a usurpar “direitos”, por esse motivo aconteceu o que aconteceu nos oscares e acontece o mesmo no mercado de trabalho ou até mesmo nas caixas de supermercado com leis de treta.. Acontece semelhante com vagas para a faculdade nomeadamente direito que os “ilhéus” nem sequer precisam de ter as mesmas médias de entrada que as pessoas do continente, pois há sempre X% de vagas para esses independentemente das médias.
        É por se criarem tantos regimes de excepção e tantas tretas se pseudo equidade que essas politiquices de bem-feitorias sociais se toram nas maiores injustiças dos nossos dias.

        P.S.: Eu vivo bem com isso, não gosto é de ver ninguém comer gato por lebre.

    • David Guerreiro says:

      Concordo. Mulher que é mulher, sobe na vida por mérito, não por cotas.

  7. Alfredo Silva says:

    Depois da Vodafone Portugal ter despedido centenas de mulheres ainda no final do ano passado, e passá-las para outsourcing a ganhar muito menos… esta notícia é simplesmente asquerosa!

    • Pinto says:

      Sao menos inteligentes e menos capazes de produzir o mesmo que um homem logo devem receber menos…muitas usam os bebes para ficar em casa sem fazer nenhum..deviam era receber menos

  8. 123asdasd123123123123 says:

    Antigamente contractava-se pessoas pelas competencias 😀
    Agora é pelo sexo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.