PplWare Mobile

Tim Cook, CEO da Apple, é contra a Libra do Facebook e empresas não devem criar moedas


Fonte: Les Echos

Redator

Destaques PPLWARE

  1. Pedro says:

    Claro… Quem é que gosta da retirada de poderes?

    Mete em causa as elites e as suas instituições financeiras da treta com ratings comprados e programados. Siga com ela para a frente.

  2. Fixo says:

    Uma criptomoeda controlada por empresas privadas, como no caso da Libra, não faz sentido nenhum. Creio que a Libra já era.

    Quanto às criptomoedas versus moedas nacionais (de vários países, no caso do euro), a diferença é:
    – as minhas poupanças em euros hão de ter o sensivelmente o mesmo poder de compra hoje, daqui a um ano ou daqui a cinco.
    – se as aplicar em moedas virtuais a probabilidade de virem a valer pouco ou quase nada é grande.

    • Jorge says:

      Olá Fixo. Como chegou a essa probabilidade? Qual foi a sua base?

      • Fixo says:

        A 28/08 escrevi:
        “É que a evolução da cotação da Bitcoin não aponta nada para isso
        – Início de 2017 – 900 USD
        – finais de 2017 – chegou aos 20.000 USD
        – mais baixo a seguir – 3.200 USD
        – 13/08/2019– 10.900 USD
        – hoje [28/08] – 10.131 USD
        Se comprarem criptomoedas não se esqueçam que estão a fazer especulação. E que a primeira regra é – não gastem as vossas poupanças, não joguem dinheiro que vos faça falta.

        Moedas a sério, como o euro, o dólar ou RMB (China) quando têm variações de 2% já é um caso sério Por isso têm bancos centrais a defender a cotação da sua moeda – se estiver a cair muito compram-na e vendem-na se for o contrário. E têm outros instrumentos para procurar garantir a cotação que mais lhes convém.
        Nas criptomoedas não há guarda-chuva.”

        Disse mais umas coisas, se quiseres ler:
        https://pplware.sapo.pt/informacao/fluxo-bitcoin-especulacao/

    • Rrrrrr says:

      percebo o receio de achar que com criptomoedas, o seu dinheiro iria valer pouco ou nada, mas a verdade eé que a probabilidade de valer mais é maior do que a de valer menos. basta ver o historico.

      e nao, se tiver euros ou dolares, o mesmo valor dentro de 1 ou 5 anos nao será o mesmo. Basta considerar o dinheiro que é inventado a partir do nada e que é injectado na economia.

      • Daniel says:

        O dinheiro não é criado a partir do nada e injectado na economia, o dinheiro é a representação directa do valor economia. Ao imprimires dinheiro estás a diluir valor da economia por mais “papel”, embora que isto na verdade não aconteça normalmente pois o dinheiro é destruido diáriamente (literalmente, moedas perdem-se, notas rasgam-se e perdem-se para nunca mais ver), e só em casos extremos em que se imprime mais dinheiro do que o que é destruído (i.e. venezuela) é que a diluição do valor da economia pela moeda se torna mesmo real (e o caso da venezuela é pior, porque a par da impressão desmesurada de dinheiro, a economia está em grave contracção).

        Já as cripto-moedas são mesmo literalmente de zero valor intrinseco, não estão indexadas a nada (i.e. economia) e o único valor que têm é por transacção de moeda real em troca da cripto-moeda (para não falar de que são terawatts hora gastos ao ano para processar essa tanga toda).

        Deixem de propalar a mentira que é de que a moeda é “inventado a partir do nada”… Se não percebem algo, não inventem. A moeda real está indexada aos resultados economicos, à economia (em tempos foi ao ouro, o chamado “gold standard”, mas actualmente é indexado à economia em praticamente todos os países do mundo).

  3. Jorge says:

    2012 – $4
    2013 – $65
    2014 – $200
    2015 – $185
    2016 – $365
    2017 – $780
    2018 – $3200

    São os valores mais baixos de cada ano, da Bitcoin. Creio que a tendência é a subida.

    Creio que está, como todos, a “calcular” a probabilidade do preço da Bitcoin com base numa aposta e não em algo mais “provável”

    De qualquer forma é a sua opinião e eu respeito!

    Abraço

    • Fixo says:

      Escrevi no outro post:
      E o que dizem os que no final de 2017 “compraram o BTC à volta de 20.000 USD?
      O que dizem quando caiu para 3.200 USD e precisavam do dinheiro nessa altura? Ou agora quando estão a perder à volta de 50% ?

      Comprar na baixa e vender na alta é o que toda a gente quer quando especula. Muitos, mas mesmo muitos, não acertam e lixam-se.”

      Estava a ver no comentário acima que a 28/08 1 BTC valia 10.131 USD, hoje vale 8.117 USD.

      • Jorge says:

        Exacto, e em 2013 esteve a 260, foi para 60 e acabou o ano a 730. 2017 esteve a 4700, desceu para 2900 e acabou nos famosos 20000. Mesmo agora em 2019, está a 8100 mas já esteve em 13900.

        Continua a tendência de subida. Tudo isso são ciclos de mercado. Basta ver os gráficos do ouro, SPX, Apple, etc etc. O PSI20 está anual e tendencialmente em queda desde 2007, o que dizer sobre o futuro dele?

        Não haverá na sua probabilidade um pouco de palpite pessoal, porque não gosta/acredita na Bitcoin?

        Abraço e outra vez, opiniões são opiniões. O futuro vai dar razão a um de nós 😉

        • Fixo says:

          Se fizeres duas curvas em VV, unindo dois pontos encontras as subidas quer quiseres … mas as descidas também lá estão.
          Se fores comprar hoje não compras “a tendência” – compras 1BTC com 8.100 USD. A quanto o vais vender quando precisares do dinheiro – a mais ou a menos?

          “Comprar na baixa e vender na alta é o que toda a gente quer quando especula. Muitos, mas mesmo muitos, não acertam e lixam-se.”
          Agora, uma coisa considero importante que se tenha consciência – ao comprar criptomoedas ESTÁ-SE A ESPECULAR .

          Não se está a comprar ações de empresas onde, nos EUA, se investe as poupanças, em regra através de fundos de pensões.
          Quanto ao ouro, é mais do que uma reserva de valor – é um bem largamente utilizado na joalharia, indústria e eletrónica.
          Misturar o “mercado” das criptomoedas com as de ações de grandes empresas cotadas nos EUA ou do ouro é misturar alhos com bugalhos.

  4. Jorge says:

    Confere, as descidas também lá estão, e quais as percentagens das descidas em relação às descidas? Creio que poderá pesquisar mais sobre como flutua a variação de preços num instrumento financeiro.

    Se comprar uma acção da Google tambem está a especular, você não sabe quanto ela vai valer amanhã. Repare por exemplo as almas que compraram prata em 2011, ou acções da fantástica gopro em 2014, ou mesmo da Tesla em 2018 ou da Netflix em 2018. Mais exemplos é apenas pesquisar.

    Existem fundos de pensões já a ser aplicados em BTC, estados a receber impostos em BTC. Eu não disse que o ouro era pior que a BTC, disse apenas para analizar as suas oscilações de valor e reparar que curiosamente também sobe e desce. Curiosamente, em 2011 valia 1500 e em 2015 1100, e agora? 1500 outra vez, incrível como o mercado funciona.

    Creio que o melhor, se tem tanta certeza dessa probabilidade (que outra vez não conseguiu provar com dados, apenas com palpites) tem uma oportunidade de ouro para enriquecer: contacte a CBOE ou a BAKKT (detida pela ICE, recomendo que veja quem são estás entidades e o qual o negocio delas) e faça short à Bitcoin.

    Abraço!

    • Fixo says:

      Fundos de pensões a fazer aplicações em bitcoins? Nunca ouvi falar.
      Quanto a estados a receber impostos em BTC é que não há mesmo. O que há é estados (a Austrália) em que se o empregador quiser pagar, regularmente, os salários em BTC, o fisco aceita o correspondente contra-valor para o cálculo dos impostos, a pagar em moeda corrente (a BTC não é moeda).

      Quanto à compra de ações da Google, da Apple, da Tesla ou da Netflix – produzem bens e serviços. É possível conhecer a evolução das vendas e dos resultados. Mas a regra é sempre “rendibilidade passadas não garantem rendibilidade futuras” – há incerteza quando se compra, mas não há especulação pura, há valores reais a sustentá-los.
      Em bolsa (falo das bolsas- bolsas, devidamente consolidadas enregeladas) também há pura especulação? Por certo, em algumas circunstâncias, como na admissão à cotação. Mas não é a regra.
      Na compra de moedas virtuais o que há é apenas pura especulação, a que deve corresponder a primeira regra – não jogar as poupanças ou dinheiro que faça falta. A probabilidade de ficar sem ele é grande. Promessas de enriquecimento rápido tem havido muitas – e os correspondentes desastres. As bolhas especulativas da BTC são um exemplo.

  5. Jorge says:

    Se não sabe não quer dizer que não exista, basta fazer uma pesquisa mais alargada para ver que é verdade.

    A bolsa real não tem especulação? Não tem é os picos que tem a Bitcoin porque é preciso muito mais dinheiro para oscilar significativamente o preço de uma acção. Basta ver o que acontece quando há notícias das empresas citadas em bolsa, os mercados reagem a algo que ainda não aconteceu – seja para cima, e seja para baixo. Como por exemplo a forma que o George Soros fez short à libra e rebentou a economia inglesa na altura. Curioso!

    Mais uma vez, não conseguiu mostrar a base para o seu palpite, foi pura especulação 😉

    Mais uma vez o incito a fazer short à Bitcoin. Com tantas certezas, está a perder um futuro milionário.

    Abraço!

  6. Zé Duarte says:

    A Apple subiu ligeiramente na minha consideração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.