Quantcast
PplWare Mobile

Tesla luta contra proprietários que “hackearam” os seus próprios carros

                                    
                                

Imagem: potato3838 no Reddit

Autor: Vítor M.


  1. Vitor says:

    Calma que ainda é cedo…vão aparecer muitas mais formas e maneiras de desbloquear as funcionalidades que estejam bloqueadas! Os do costume só estão à espera de uma maior massificação na utilização de “elétricos” para os processos se tornarem (ainda) mais rentáveis…

  2. Cortano says:

    Isso sempre aconteceu com qualquer carro de qualquer marca antes da Tesla aparecer.
    Qualquer pessoa pode pegar no SEU de combustão carro e ir a uma oficina meter kits de potência, meter sistemas de segurança extra, meter computadores de bordo,.. fazer o que quiser. O carro é seu.

    • Miguel says:

      Mas não é legal.

      • Danny says:

        Como?? Não é legal? Instalar um simples sensor de estacionamento que não veio de série no carro, não posso instalar pois não é…. legal!?

        • Miguel says:

          Vá lá, não deturpem a notícia, estamos a falar em aumentar potências. A tesla está a processar quem desbloqueia autonomia e aumenta potências. Isso é o mesmo que fazer repros em carros, aumentam potências, podem até diminuir consumos, mas, não é legal. Porque se está a alterar os padrões de fábrica que consta no livrete.

          • JamesV says:

            Não é legal cá. Há muitos países, em especial nos EUA, em que muito provavelmente a Tesla vai perder nos tribunais. Eles alteram tudo e não tem que constar em lado nenhum.

          • Manuel says:

            Também não é isso, o carro vem é manietado de fábrica, vem padronizado para a potência e autonomia totais, estas vêm é limitadas, não há nada contra o código da estrada em optimizar o carro.

          • JL says:

            Não são todos assim?

          • Fernando says:

            Então mas Miguel se pagar a Tesla já e Legal?
            “Porque se está a alterar os padrões de fábrica que consta no livrete”
            Afinal é legal ou não é!
            E a marca de define a Lei?
            Ou a marca está a tentar obter lucros por disponibilizar capacidades que o próprio carro já têm?
            No software só e ativado as funções que supostamente vêm desativadas.

        • JL says:

          Não é legal alterar software proprietário, além disso estão a mexer nas características técnicas do veiculo.

          • JamesV says:

            N prática não alteram o software, apenas um input de memória. Isso não é ilegal.
            E as caracteristicas já constavam no carro apenas ficam desbloqueadas.

          • Miguel says:

            Input de memória? Eles não alteraram hardware, alteraram software, mexeram no software proprietário para fazer coisas que o fabricante não autoriza, isso é ilegal.

          • JL says:

            Mas essa alteração só pode ser feita modificando o software do carro, acredite no que lhe digo porque eu trabalho no ramo e também sei fazer essas alterações.

          • Manuel says:

            Se estivessem a alterar o carro teriam que alterar o livrete, o que não acontecendo, também não estará contra o código da estrada. Poderá ser ilegal é de acordo com o contracto celebrado.

          • Cortano says:

            Desculpa. O máximo que perdes é a garantia do carro.
            Mudar software não me parece que venha descrito no código da estrada regulamentado se é ou não legal.

          • JL says:

            Mas vem descrito nas leis internacionais de software.

          • Bitolas says:

            Como diz o Cortano, para mim isso é só um caso de garantia. Eu compro um telemóvel com garantia. Se quiser posso alterar o software, ou colocar Root, tenho é o risco de perder a garantia. A marca não anda atrás de mim a dizer que vou ter de pagar por isso.

          • JL says:

            A tesla não vai atrás de ninguem, tal como acontece com o seu telefone, se o deixar fazer atualização OTA, ele volta a ser como era, os carros a mesma coisa, o carro volta a ter as definições de origem, foi isso que o cliente comprou.

            Saiba que entre o pensa e o que a lei de software diz vai uma grande distância.

          • DELCINO SANTOS says:

            Afinal, JL, você que sabe a respeito, eles vendem carro ou software? E se vendem software poderemos remover o original, já que compramos o carro e instalar, por exemplo, open source? Esse exemplo é apenas uma figura pra ver se você entende que compramos um veículo e não o soft do mesmo. Tá parecendo a Apple, além de ser dona do soft quer ser dona do hard. tá na hora de começarmos a a nos questionar até onde empresas devem ir. Eu preciso de água e alimento, de empresas, não.

      • jose says:

        Nos USA qualquer alteração nos carros é legal. Se quiser andar num carro de formula 1 para ir para o trabalho tambem pode, só tem de adicionar a placa, faróis piscas, pagar as taxas e já está.

        • Rui Almeida says:

          Acontece que nos EUA como em Portugal e maior parte dos países do mundo, alterar software ou fazer engenharia reversa e crime, esteja esse software num PC, num carro ou numa escova de dentes elétrica. Além do mais, mesmo que “apenas” consistia no desbloqueio de addons, a homologação responsabilidade do imtt terá de ser feita tal como teria que ser para alteração de pneus, cor ou elemento que altere as características base da homologação vigente e aplicável ao veículo.

      • Cortano says:

        Há muita coisa que podes mudar num carro sem que isto implique passares por uma inspecção de homologação das alterações.

        Podes meter sensores, alarmes, computadores… Mudar jantes e pneus (desde que não saia da margem permitida), e até alterar alguns componentes mecânicos sem que estejas a mudar estruturalmente o carro.

        O carro é teu, a responsabilidade é tua.
        A marca o que pode fazer é não te dar assistência ao carro se este estiver na garantia.

        • Rui Almeida says:

          Não sei onde viste isso, mas não podes mudar pneus nem jantes que não constem no livrete. Vai lá reler os teus apontamentos que hoje em dia ou tens no livrete ou apanhas no pêlo, nem que o carro do vizinho que é igual ao teu tenha no livrete.

    • JL says:

      Poder pode só que não deve, loool, a marca pode processar e a polícia multar.

  3. LA says:

    Então mas o carro é propriedade da Tesla, ou de quem o compra.

    • Pedro says:

      Tens toda a razão. Mas há leis que existem para prevenir contornar os “mecanismos de segurança” ou a engenharia reversa do software do carro.
      Tal como acontece aos pontapés com o Windows e o Office – podes instalar de borla mas não deixa de ser ilegal “crackares” o software. O mesmo acontece se quiseres passar do Windows Home para o Windows Pro. O software é exatamente o mesmo, mas pagas mais se quiseres mais funcionalidades…
      Mas não deixa de ser imoral comprares uma bateria de 75kwh e só poderes usufruir de 60kwh…

      • Monte Gordo says:

        Não tem nada razão como é óbvio.
        – Se o teu PC vem com o Office ou jogos em modo teste (apesar de ser versão completa) significa que tens direito a eles? Óbvio que não.
        – Se pagas por um CPU de 4 cores ou GPU de 1200 unidades apesar dos chips terem mais, mas desactivadas, significa que tens direito a desbloquear o resto? Não;

        Aqui o tema é: recebes o que pagas e tens garantia sobre isso? Sim. Então está bem. A vossa mentalidade é que deixa muito a desejar.

        • Rui says:

          Quando compramos um produto estamos a pagar tudo o que la vem. No caso especifico da Tesla, quando vende um carro já vende com margem de lucro de todos os componentes e softwares utilizados pelo carro e na sua produção.
          Esta brincadeira de pagar para “desbloquear um serviço” não é mais do que lucrar sobre o lucro.

          A mim parece-me que a sua mentalidade de pseudo neo economista liberal é que me parece que está um pouco àquem

          • Joao says:

            é assim que funciona amigo, o hardware pode estar la mas tu nao pagaste por aquilo nao podes usar, no sistema dos carros tambem vem sempre instalado o android auto mas se tu nao o pagares nao o podes utilizar (existem peças para desbloquear pode agradecer dps) mas é assim que funciona

        • Fulano says:

          Pois é mas se eu pagar por todos os updates do MEU tesla e depois o vender, a Tesla irá apagar ilegalmente todos os upgrades feitos para forçar o novo proprietário a pagar por algo que foi pago anteriormente. Quando compras um BMW ou Mercedes de topo em segunda mão o carro vem com menos cavalos e são retirados os artigos de luxo ?

          • IonFan says:

            Errado. A Tesla faz isso nos carros que compra aos clientes como retoma. Ou seja, o cliente pagou pelas funcionalidades e vendeu o carro à Tesla com a valorização respectiva. Depois, se a Tesla entender retirar funcionalidades antes de revender o carro, o problema é da Tesla, uma vez que o carro vai ser vendido SEM a valorização dada pelas funcionalidades retiradas.
            Teslas revendidos através de outros circuitos não tem nada removido.

        • Rodrigo says:

          caso 1: você pode usar um software de terceiro completamente gratis, ou então seria crime de venda casada.
          caso 1: na verdade, tem o direito sim, era exatamente esse o caso com os AMD x3 antigamente.

          Se a Tesla vier pro Brasil com essa modelo algum dia, possivelmente ilegal será ela, da pra afirmar que vc paga duas vezes pelo produto (afinal vc já paga o valor dos componentes ali presentes mesmo não utilizando), e até msm uma venda casada já q vc pode falar que está pagando pelos componentes sem querer ter eles.

        • Cortano says:

          Overclock já ouviste falar?
          Podes fazer é até há marcas que te ensinam como fazer é dão as ferramentas necessárias.
          Mas avisam, a responsabilidade é tua.
          Mas… Podes fazer.
          O cpu é teu.

          • JL says:

            Para fazer overclock usa os recursos que o computador lhe disponibiliza, são comandos e parâmetros abertos, não percebi a relação.

          • JL says:

            Essa questão toda já se passou com a Apple, as pessoas pensavam que podiam fazer o que quisessem com o telefone, e faziam jailbreak que é literalmente desbloquear o telefone para fazer outras coisas, a Apple foi para tribunal e ganhou, uma coisa é o hardware, outra é software, que tem as suas próprias leis.

      • Miguel Costa says:

        Se comprares uma televisão com 2 portas USB, 2 HDMI e 1 SCART, por 1000 euros, a marca diz que 1 porta USB e 1 HDMI só funcionam se pagares mais 700 euros… O que lhes chamas?

        • Eu says:

          Comparar portas com a potência de uma bateria… As portas instaladas pagam royalties para lá estarem, resumindo o consumidor paga pelas portas. Não fazia qualquer tipo de sentido estarem “desactivadas”. Se ainda comparasse uma porta USB 3 que funcionava como USB 2 ainda se percebia

        • JL says:

          Não tem de comparar portas com software, software tem as suas próprias leis, se a empresa desenvolvedora não lhe forneceu uma licença open-source é ilegal mexer e ponto final.

        • Joao says:

          chamolhe exatamente a mesma coisa que chamo ao android auto estar instalado no meu renault clio e eu nao o poder usar porque nao o paguei, ja agr comparar portas com software deve ser a coisa mais estupida que ja vi na minha vida.
          Quando compras um pc tambem vem com o office inatalado mas dps de 30 dias tens de pagar para continuar

      • Wagner says:

        E simples, a tesla para de querer da uma de esperta e coloque as baterias de acordo com que está vendendo. Se vai vender com 60 coloque 60 e não 75 . Parece as montadoras brasileiras que tiram os itens de serie, pra vender como opcionais.

        • JL says:

          A tesla fez melhor, passou a vender os 75 pelo preço dos 60, e anteriores 75 passaram para 85. Não é simples como diz, a tecnologia da Tesla não permitia 60 sem ser com os packs de 75, tem a ver com a tensão total da bateria. Foi um modelo que esteve pouco tempo em comercialização.

    • JL says:

      LOOL, mas você vivem em que planeta ? desde quando é legal alterar software de outra empresa ?

    • Joao says:

      o meu renault megane tambem é propriedade minha mas ia ficando sem garantia por alterar o sistema para ter android auto que eu nao paguei como extra, pode ser propriedade tua mas nao podes fazer tudo achas que é legal tirar o airbagas do carro?

  4. Miguel says:

    Isto vai ser a mesma coisa que o jailbreak do iPhone…

    • Pedro says:

      Concordo. Vai ser mais uma história do gato do rato até a Tesla colocar uma coisa que faça o carro parar por completo se houverem modificações “não autorizadas”…

    • Monte Gordo says:

      Isto vai ser a mesma coisa que desde há anos nos CPU e GPU ou memórias flash onde o fabricante às vezes mete modelos superiores limitados a fazer de modelos inferiores, por questões de produção. Ou no mundo automóvel motores 2.0 Turbo de 180cv como 150cv, sistemas de rádio e GPS onde o GPS e TV digital estão desactivados, etc.

      Esta prática da tesla só é novidade… para vocês.

  5. Spoky says:

    A partir do momento que pago o carro, ele é meu. Faço o que eu quiser e bem entender, a marca não manda em nada. Isso é que era bom!

    Tão é malucos. Paguei pelo carro e ainda querem que pague ?

    Então era isso

    • Miguel says:

      Poder fazer o que quiser, pode, mas pode ser ilegal. É a mesma coisa que comprar uma carro com 100cv e alterar com 200cv, poder fazer pode, mas não é legal. Que raio de teoria….

      • Pedro says:

        Nisso de ser legal ou não… uma coisa é modificar o software do carro, outra coisa é a legalidade do carro continuar a poder andar na rua sem nova inspeção/legalização…

      • André Meireles says:

        Não, a tua comparação é que não faz sentido.. neste caso, ele comprou um carro de 200cv que estava limitado por software a 100cv. Como dono, limitou-se a desbloquear os 100cv que faltavam para poder usar por completo o equipamento que pagou bem caro!

        • Miguel says:

          Tu é que não fazes sentido, todos nós compramos carros a combustão limitados, seja devido a regras ambientais, consumos, etc, mas se alterares o software da centralina tiras essas limitações e ficas com mais cavalos mas não deixa de ser ilegal.

          • Miguel Costa says:

            Só está a mostrar que és estúpido e ignorante.
            Alteração física de uma coisa é muito diferente de um software bloquear componentes. Compras um telemóvel que permite carregar 72 horas de bateria, o software deixa ter carga para 24 horas e, se pagares mais 1000 euros, instalas software que usa a carga máxima da bateria… Pagas 2 vezes pelo mesmo produto.

          • Miguel says:

            O senhor Miguel Costa a chamar estúpido e ignorante sem perceber de leis é no mínimo irónico. Quando se compra um produto como um carro ou um smartphone, está se a adquirir um produto completo (software+hardware), alterar software que pertence a um iPhone, como já se provou, é ilegal, se não gosta não compra. Comprar um carro de 90cv, 1000€ mais barato que a versão de 110cv, é o software que está a pagar (e as emissões nos impostos), se altera fora do fabricante está a cometer uma ilegalidade, simples. Não gosta? Compre um carro a carburador. Deixa de ter esse problema.
            Em relação a “imoralidade” da bateria “bloqueada” a 60kwh, para mim é tão imoral como os fabricantes terem motores de 180cv castrados a 150cv, para ter uma versão diferente em termos de preço. É marketing, usado desde sempre pelas fabricantes.

      • Cortano says:

        Ser legal ou não é problema do dono, não dá marca do carro.

    • Pedro says:

      A mesma história acontece quando compras um carro com GPS mas o mesmo está desativado pelo fabricante a menos que pagues um “X” anual…

      • Jorge Carvalho says:

        Isso significa que não comprou com GPS , o meu vem com 5 anos de serviço incluido , após isso pago eu se quiser.

        Abc

      • Miguel Costa says:

        Isso é um serviço… Não um componente do automóvel. A mesma coisa acontece se o carro tiver acesso a WiFi, precisas de pagar um serviço de internet móvel para o usares… sem depender da marca do carro.

    • Maria says:

      Tem 100% de razão.
      Se o carro é meu e o comprei com os cavalos todos, sou eu que escolho se os quero usar ou não.

    • JL says:

      Também pode matar pessoas com ele ?

      Mas um que vive em Marte.

    • Joao says:

      podes fazer o que tu quiseres e bem te aptecer desde que nao sais da garagem de casa, porque os carros andam na rua têm de cumprir regras, tambem ha aqueles artistas que metem o carro a deitar fumo preto e é deles mas nao é por isso que é legal.

      Só uma coisa o teu carro tem muito mais potencia do que a que tu usas esta limitado porque causa de regras ambientais e etc

      • Fernando says:

        João então espera lá, pagas 2 mil euros a Telsa, eles ativam a função e que se lixe o ambiente e isso?
        Estamos a falar de um carro elétrico, que sai da fabrica com funções bloqueadas.
        Supostamente ninguém alterar o software, apenas ACTIVAM o que já existe.

      • JL says:

        Sim, as marcas nem se preocupam com isso, afinal quem paga as multas de fumo são os donos, como aconteceu com a vw nos Estados Unidos. loool

    • Pedro Ferreira says:

      Eu paguei por um carro que anda bem mais do que 120km/h. Nao esta bloqueado a essa velocidade e continuar a ser ilegal ultrapassar esse limite. As estradas nao sao suas, sao de todos. Portanto, ha que estar sempre dentro dos ‘limites da lei’ que neste caso está em conluio com os limites da Tesla (nao se pode alterar o especificado no livrete como bem se entende). Se realmente tem dinheiro e gosta de modificar carros, compre uma pista e ande la como bem entender.

  6. SANDOKAN 1513 says:

    Hackearem os próprios carros para terem um aumento de performance ?? E é algum crime ?? E,por exemplo,quem mete um disco SSD no seu PC para aumentar também a performance dos seus computadores não vai dar ao mesmo ?? Sinceramente,eu não vejo onde esteja o problema. 😐

    • Vítor M. says:

      A Tesla é que não achou graça à coisa, dado que quer comercializar esse produto. Como tal está a avisar os clientes… os modelos de negócio são diferentes atualmente no mercado automóvel.

    • JL says:

      Está a misturar alhos com bugalhos, um carro não é um computador.

      Se esse mesmo carro alterado pelo dono provocar ferimentos a várias pessoas, e se algumas delas fossem da sua família, se depois de investigado o seguro não paga nada porque o veiculo tem alterações ilegais, a marca não se responsabiliza porque o veiculo foi mexido, depois quero ver v.exa falar desse modo.

      • Jose Lapao says:

        Pergunto como se fosse muito burro.
        No livrete do meu corsa está a potência em CV(HP) e em KWh se o alterar ilegalmente mexendo na centralina e na inspeção periódica for detectado o carro chumba e é uma ilegalidade perante a lei em Portugal, agora vamos imaginar num Telsa, em que o cliente compra a versão menos potente, terá o livrete com essa potência, mais tarde decide aumentar a potência, a Telsa paga a alteração de livrete? E sempre que o cliente alterar algo que venha inscrito nesse mesmo livrete, seja para upgrade ou downgrade a Telsa altera isso no livrete, que que esses documentos não são digitais passíveis de alteração em tempo real, por uma empresa que quer ganhar mais uns troços exturquindo os clientes, como se disse atrás um carro não é um PC onde se altera software quando se quer.
        Sempre fui utilizador PC não sei como é no MAC, mas mesmo a marca CV vendendo me um PC com Windows eu posso o alterar para Linux, será que n futuro próximo posso alterar todo o software de um Telsa por outro?

        • JL says:

          Não existem alterações de potência pelas marcas em lado nenhum, onde foi buscar a ideia que a Tesla aumenta a potência nos carros ? O que se falou ali atrás é a capacidade da bateria, havia um modelo que tinha 60kwh de bateria disponíveis, mas tinha a mesma bateria do 75 kwh, a tesla desbloqueou os 75 kwh numa tempestade para os clientes terem mais autonomia, claro que isto foi reposto após a tempestade. Não tem nada a ver com potência no motor.

      • Cortano says:

        Problema do dono… Não da marca.

    • Miguel says:

      Pois, mas se alterar o código fonte do Windows para o PC ser mais rápido está a cometer uma ilegalidade. O Tesla não é um PC montado às peças. O software que lá está está protegido em termos legais, alterações ao código (jailbreak) é ilegal nos termos protegidos pela lei. É assim tão difícil de perceber? Tratando-se de um veículo elétrico altamente dependente de software, a lei tem que ser entendida dessa forma. O problema é simples, é ilegal.

      • JL says:

        Boa Sorte em alterar o código fonte do windows.

        Se a marca não o libertar com a devida licença de open-source, como é legal alterar ?

        Não é preciso perceber nada, só é necessário ler as condições de utilização e as leis.

      • JL says:

        Estou apenas a reforçar o seu ponto de vista.

        • Miguel says:

          Pois, eu percebi. Mas este pessoal pensa que pode alterar o código de origem do tesla, com a legitimidade que o hardware suporta, mesmo que a fabricante não o permita. Nem sequer lhe passa pela cabeça que as licenças do software a protege nos termos legais. Ter um carro com a possibilidade de alterar o software a belo prazer, teria esse mesmo carro estar equipado com software opensource, mas como o pessoal não quer saber de legalidades, manda umas postas de pescada, convencendo-se de que estão muito correctos.

      • Filipe says:

        Se bloquearem a alteração do software, em uns 3 meses vão aparecer alterações no hardware da bateria pra que vá até o máximo e o software ache que ainda está bloqueado. Aí vai ser tudo legal, mais perigoso mas legal. Ótimo!

  7. Os says:

    Pois depende. Se for um kit de sensores da marca e instalados pela marca, não há problema nenhum. Se for aquele kit que vem da china…aí a coisa já é diferente. É um produto que não é certificado e não cumpre as normas da marca. Depois é necessário furar para instalar. Já está a fazer uma alteração ao veículo. E mesmo que tenha outra forma de fixar sem furar, a coisa pode cair e provocar um acidente. É assim que as normas deles funcionam.

    • Maria says:

      Estou a alterar o MEU veículo.
      Não é o fabricante que diz se o faço ou não.
      Então ninguém podia alterar os carros a gás, colocar jantes de liga leve e mais largas etc…
      O Tesla é Apenas um carro. um mono de 4 rodas a ocupar espaço e a contribuir para filas de trânsito.
      Não é uma Pintura. Uma Escultura ou um Livro, obras de arte que não podem ser alteradas.
      Até uma casa pode ser alterada por dentro.
      Teslicez, tontice da Tesla.

      • Miguel says:

        Estás a alterar, mas pode ser ilegal já que não cumpre certos padrões de segurança.
        Podes também alterar a centralina de um carro a combustão e meter mais 30cv ou 50cv mesmo sendo teu isto é ilegal.

        • Miguel Costa says:

          Como é que há putos estúpidos como tu?
          Não é ilegal. Podes fazê-lo em QUALQUER AUTOMÓVEL!!! Tens é de registar essa alteração no livrete do carro, algo que muita gente não faz…

          • Kobo says:

            Nao podes alterar ponto. Também compras uma casa mas pagas IMi para o resto da vida. Boa sorte a ires as financas dizer que ja pagaste a tua casa, eles riem se. E se quiseres acrescentar uma piscina so com autorização e mais umas taxas senao também e ilegal.

          • Miguel says:

            Epá, ò Miguel Costa, pára de chamar estúpidos às pessoas que só te estás a enterrar. Meter mais cavalos num carro é possível, mas as alterações de livrete não se resumem só a mudar os cavalos, neste caso estamos a falar de testes de emissões, testes de segurança e robustez estrutural do veículo, imposto sobre o veículo revisto e outras complicações que nem sei se a lei portuguesa permite. É ilegal alterar os padrões de fábrica que estejam contemplados nos contratos de aquisição com os fabricantes, que são eles que ditam as regras. A marca que mais pressiona os clientes em relação a alterações é a Ferrari e ninguém se queixa.

          • Maria says:

            Por enquanto.
            Paga o IUC?
            Não sei não tenho um Tesla, gosto mais do híbrido.

          • JL says:

            Qualquer alteração ao veiculo seja ele de aspecto e de características é punível, leia um pouco mais em vez de mandar bitaites para o ar.

          • Rui Almeida says:

            Estupidez e querer passar a ideia de que se apetece fazer faz e depois de alterar fica tudo bem invertendo o caminho a fazer, isso sim, é estupidez maior que a apontada. O correcto é dizer que caso seja permitida pode ser feita a alteração no veículo e alterada no livrete!

        • Maria says:

          *Kobo
          Pagas IMI da casa como pagas o imposto automóvel, incluindo no Tesla. São impostos.
          Comprei uma casa, não aluguei um hotel. Pago um imposto, não ao agiota que me vendeu a casa.
          Se isso acontece com a Tesla… surpresa, quem comprou o Tesla não é dono dele. Paga ao banco a prestação de um carro que não é dele.
          Comprei um carro, não aluguei um carro.

          Uma coisa é a segurança outra é libertar cavalos do carro que… já lá estão. Não acrescentei potência, já lá está. Se isso for um problema estrutural de segurança para o carro, claro que a Tesla é responsável por os ter colocado lá de inicio.
          Outro exemplo… Se há um paiol de armas que depois são roubadas, fico tão chocado que peço a cabeça de quem as colocou lá e do resp. da segurança. Os beatos da Tesla pensarâo o contrário.

        • Cortano says:

          Se houver problema a culpa é do dono.
          A responsabilidade é do dono do carro. Sempre foi assim.

      • Toni da Adega says:

        Nao podes alterar ponto. Também compras uma casa mas pagas IMi para o resto da vida. Boa sorte a ires as financas dizer que ja pagaste a tua casa, eles riem se. E se quiseres acrescentar uma piscina so com autorização e mais umas taxas senao também e ilegal.

        • Maria says:

          Oh kobo…
          Gostas de aumentar os comentários? Também aumentas a potência dos artigos acrescentando nicks?
          Não é ilegal, só eticamente reprovável. Mas depois critica-se quem liberta os cavalos dos carros..
          Meus Caros, coerência precisa-se.
          É ilegal? Sim. Mas não é porque a Tesla o diz.

          • Miguel says:

            Por acaso é a tesla que diz. E a lei também. E sim, é ilegal. Libertar cavalos? Essa é boa. Eles estavam escondidos debaixo da cambota? Ganhe juízo, para os carros terem mais potência tem de fazer alterações de software, quanto mais potência tiver, mais se aproxima do limite físico da mecânica, não há cavalos presos. Essa ideia é para se convencer a si própria que não está a cometer nenhuma ilegalidade… Vá lá dizer isso em tribunal que depois vê se é só “eticamente reprovável”….

          • Maria says:

            Uma coisa é ser ilegal. Outra coisa é não poder porque a Tesla o diz.
            Percebe a diferença?
            A lei pode dizer “Não pode”
            A Tesla só pose dizer “Não deve”.

          • JL says:

            É ilegal qualquer alteração num veiculo, nem que seja de aspecto, muitas marcas não se dão ao trabalho disso, leiam o manual e o contacto de compra e venda do carro e ficam a saber porquê, as letras estão lá por alguma razão.

            https://pplware.sapo.pt/motores/alteracoes-em-carros-saiba-o-que-diz-o-codigo-da-estrada/

          • Miguel says:

            Mas é ilegal porque a tesla o diz. Quando compra um produto tesla, um Ferrari ou um iPhone, está a aceitar os termos ditados pelo fabricante. Se não gosta desse termos, não compra, é simples. Não venha com a história dos cavalos que estão escondidos, que isso é uma falácia. os débitos de potência são geridos por software e quem desenhou o software foi a tesla, e quem dita as regras são eles, se não gosta, não compra. O limite de cavalos é controlado por software, que pode ir até arder a bateria ou os cabos elétricos, lá está, limite de mecânica. É a mesma coisa que meter 1000cv num Nissan gtr, eles não estão escondidos,é alteração de parâmetros, pode é dar asneira e partir tudo. Não gosta desses termos, adquira um carro elétrico com software open source, assim já não tem problemas, porque pode alterar o código sem ser ilegal. Não existe? Pois é….

          • Maria says:

            Caro JL,
            Obg pelo link.
            Considere o artigo 115 n.2, sobre a ilegalidade da alteração.
            A Lei pode dizer “Não pode”.
            A Tesla só pode dizer “Não deve” .

            Isso bem espremido…
            É ilegal alterar o carro sem um regulamento que o valide e é ilegal a Tesla interferir com um bem que já vendeu e de que não é proprietária, já que o contrato, mesmo que diga isso, não será equilibrado para ambas as partes.

          • JL says:

            A Tesla e qualquer outra marca, empresa ou pessoa rege-se pelas leis internacionais de software, o que os jornalistas dizem ou não dizem é com eles.

          • Miguel says:

            Maria, quando a lei diz “não deve” significa que é proibido, ponto, sem margem para dúvidas. Quando a tesla tem nos seus termos (que devem estar protegidos pela lei norte americana) e diz, o cliente não deve interferir no software desenhado pela empresa, significa simplesmente que o cliente está proibido de mexer no software, e está protegido pela lei. Ou seja, o cliente pode fazer o que quiser com o carro, mas é proibido, logo, se a tesla bloquear o carro ao ponto de ter que se colocar parâmetros de fábrica, retirar garantias, etc, tem toda a legitimidade e autoridade legal para o fazer.

          • Maria says:

            Caro Miguel…
            Lei Norte Americana…
            Uma lei que permite mil e uma alterações em veículos e compras e vendas rápidas, mas que assenta tudo na responsabilidade civil individual…

          • JL says:

            Nos termos de software, só o open-source permite alterações, e também a responsabilidade passa para o utilizador.

          • Miguel says:

            Maria, sim, lei norte americana, que é baseado em common law, ao contrário do sistema codificado como deste lado. Mais ajuda, no passado recente surgiu a mesma questão, com os iphones, muitos diziam que a partir do momento que os adquiriam, podiam alterar o software, foram para tribunal com a Apple, e lá está, a Apple ganhou, porque o software é propriedade da Apple, ao adquirir o aparelho e pagar por determinadas especificações (independentemente de estarem bloqueadas no hardware) ao fabricante só dá o direito de usar aquilo que pagou ao fabricante. Não pagar por determinadas características é passar a perna ao fabricante, seja um iPhone seja um tesla. Não é à toa que muitos alteram os carros como disse, mas ainda usam tecnologia antiga, isso é cultural, e juridicamente aceite, mais uma vez, common law, jurisprudência. Hackear um tesla, como a própria expressão indica, é ilegal. Mas qual é a dúvida?

      • rodrigues says:

        A instalação de um kit GPL numa viatura está sujeita a uma inspecção do tipo B, e após esta (desde que fique aprovado) o respectivo averbamento pelo IMT… a viatura de alguém pode ser alterada como esta o bem entender desde que sujeite estas ao IMT. É que todos os veículos que circulam na via pública (reitero, via pública) estão sujeitos a uma homologarão que é feita pelo IMT, Nesta caso específico compreende-se que a Tesla esteja preocupada em ver que, uma oportunidade de negócio que criou, esteja a ser usada por outros. Também é possível que a própria Tesla encontre a forma de uma “parceria” com as autoridades para combater esta situação. Crendo que a empresa que introduz esta alteração ao Tesla, por metade do preço, até o faz de forma legal em termos de facturação, sendo metade do preço será menos imposto a entrar nos cofres do estado… resta saber como é feita a homologação deste veículos pelo IMT (para só dar o exemplo de cá)… com certeza que a potência do veículo entrará em conta pelo que qualquer alteração carece da aprovação da entidade.

        • Miguel says:

          Tenho a certeza que deve haver alguma clausula ou algum artigo nas condições de utilização do veículo que tende a proteger o software da tesla, nomeadamente da ingerência de código terceiro. Esse problema colocou-se com o iPhone há uns anos, com o jailbrake, em que se chegou à conclusão (e foi a jurisprudência que o determinou) que o fabricante pode restringir o tipo de código que é inserido no dispositivo, alegando até violações de segurança, porque o cliente compra um conjunto de hardware + software, paga por essa condições. Ninguém garante que uma alteração de software num tesla para desbloquear bateria ou criar novos modos de condução, não vá aumentar eventuais degradaçoes da bateria ou trazer novos problemas elétricos aos modelos. Lá está, ilegal.

        • Miguel says:

          Errado. A instalação do kit gpl é feita sob os trâmites legais, não se pode meter qualquer kit, têm que estar homologados e preparados para a legislação portuguesa. Alterar um software de um tesla ou outro veículo do pode ser feita se a lei o permitir, neste caso, não permite porque a tesla não deixa. Tem proteção de licenças de software para o efeito. Logo, não se coloca todos os exemplos no mesmo saco.

          • Yaroslav says:

            Até mais!!! Ao montar o GPL, mesmo provando e homologando, nas várias marcas do automóvel perde-se a garantia! Sabem disto?

      • JL says:

        Enfim, mais pessoas que vivem em Marte, fazem o que querem e o que lhes apetece, os outros que também circulam na estrada não interessam para nada.

    • Miguel Costa says:

      IGNORANTE!!!
      Adicionar peças novas é uma coisa. Vender peças e bloquear o seu uso por software é outra.

  8. Fulano says:

    Estão só a provar do próprio veneno.
    Isto só existe porque a Tesla desliga todos os updates de carros em segunda mão, isto depois do primeiro proprietário ter pago e ser obviamente um scam da Tesla.
    Mas mais está para vir… Aguardem novidades.

  9. rodrigues says:

    Claro que alterar “como bem entender” não é um “poço sem fundo”… existem limites, daí as alterações terem que passar pelo crivo do IMT pois podem não respeitar as normas que de momento terão que ser observadas.

    Mas compreendo e aceito que alguém tente uma modificação, por exemplo de potência, sem ser pela marca e a não passar pelo IMT porque é muito mais barato.

    Neste caso em concreto, Tesla, tenho alguma dificuldade em “entender” a opção não oficial… penso que o Tesla, pelo menos por cá, não está ao alcance de qualquer um e, sendo assim, não deve ser pelo preço que a marca pratica na alteração… depois sabendo-se que estas viaturas estão sujeitas a actualizações de software, pelo menos por causa disto não será de bom senso. A imaginação não tem limites… na primeira vez que o carro se ligar à Tesla e detectada esta modificação, ou não entra uma actualização ou o carro começa a ter este e aquele problema e é forçado a ir aos serviços da marca. Anulam a alteração “pirata” e corrigem o que, propositadamente, foi avariado durante a ligação e entregam o carro ao cliente. “Você procedeu a uma alteração não autorizada que provocou anomalias no carro. Removemos a alteração, corrigimos os problemas. desta vez não paga nada, da próxima já vamos ter que cobrar e vai ficar mais caro que alteração pirata.” – Todos temos o “redondo” ao fundo das costas….

  10. Eu says:

    “que são vendidos com bateria de 60 kW, mas que na realidade estão equipados com baterias de 75kW”
    Corrijam esta parte pois qualquer inteligente percebe!
    Deve ser:
    “que são ENGANADOS com bateria de 60 kW, mas que na realidade PAGARAM baterias de 75kW”
    Isto de carros já está como a tecnologia, pagas só para usufruir o que te deixam.

    • JL says:

      Você é que está errado e não leu bem, existiam 2 carros um com 60kwh e outro com 75 kwh, o de 60 era mais barato, como tal a pessoa pagava uma bateria com menor custo, na verdade era de75 kwh porque para a tesla o carro de 60 kwh saia mais caro produzir uma bateria para ele, e depois tem outra vantagem que nunca foi falada nos média nem vaiia a pena, tem a ver com a tensão da bateria de 60 kwh vs 75 kwh, isto porque só nessa frase cometem um erro grave de unidades, quando se fala de potências (motores, lâmpadas e etc) usa-se kw (kilowatts), cv(cavalo-vapor), etc, quando se fala da capacidade de uma bateria a unidade a usar é o kwh (kilowatt/hora).

  11. Atento says:

    O que a Tesla pode fazer, sem perder legitimidade na sua pretensão, é impedir o upgrade do firmware porque o existente é alterado/incompatível. Não tem legitimidade para bloquear o carro só porque não encontra o que quer no firmware que se encontra instalado. Outra possibilidade é voltar a bloquear as funcionalidades adicionais, tal como estavam de acordo com a especificação deste.
    O proprietário pode sempre pretender instalar um novo firmware no carro (hipotéticamente não proveniente da Tesla), e não acredito que os proprietários tenham assinado algum contrato de exclusividade software/hardware.

    • JL says:

      Tem legitimidade sim, tal como a MIcrosoft desativa muitos windows 10 que são activados com chaves pirateadas, geradas etc.

      Tem mais legitimidade ainda quando está a ser extorquida de uma funcionalidade que está a vender.

      Na pratica está a ser roubada quando os hackers ativam funcionalidades que não foram compradas, é o mesmo que piratear software, dá multas pesadas e nalguns casos até prisão.

      • Atento says:

        Não tem legitimidade, não!
        Ao contrário do que acontece com o software (onde a licença de utilização explicita de forma clara que o comprador não fica proprietário do software, fica com a licença de utilização), o automóvel é vendido (ponto) a propriedade do mesmo passa a ser do seu comprador. A intervenção sem autorização do proprietário é ilegal (pelo menos em Portugal).

      • Filipe says:

        Quando compras um computador com Windows 10, podes apagar o Windows e meter um Linux ou MS-DOS se quiseres. Com o carro deve ser igual, podes apagar o software da Tesla e colocar um software a parte que gerencie o carro. Só questao de tempo até começar a ter algum disponível. Esse desbloqueio atual até pode ser ilegal, mas não vão conseguir bloquear para sempre

  12. Felipe says:

    E a Tesla pode vender um carro que pode ser adulterado pelo proprietário? Se essa adulteração hipoteticamente diminuisse a segurança do usuário ou dos pedestres…?
    Nos poderíamos processar a Tesla?

    • JL says:

      Há alguma marca que não venda ? até existem milhares de empresas só em Portugal a fazer negócio dessas alterações em praticamente todas as marcas.

  13. Há cada gajo says:

    Quando se compra gato por lebre, dá nisto. Comprem carros a sério.

  14. Luis Faria says:

    Sinceramente concordo com toda a gente 😛 . De facto é ridiculo o modelo de negocio da tesla teres as funçoes todas e depois limitar via software e para desbloquear teres de pagar pode ser um oportunismo ? Sim pode! acho um aproveitamento por parte da Tesla? Sim Acho . Contudo a partir do momento que compro um Tesla estou a aceitar o modelo de negócios dele , quer dizer que estou a aceitar tudo o que critiquei com as questões que fiz atrás. Se concordei tenho de me sujeitar, se não não compraria um Tesla, a mesma coisa existe entre Linux e Windows . A partir do momento que compro um tesla aceito a forma de negocio deles se nao aceitar nao compro .Relativamente à ilegalidade a partir do momento que temos um contrato com as condiçoes e nao as respeitamos esta a ser ilegal, podemos fazer claro, tambem posso matar ninguem me impede tenho e consequências. Acho que toda a gente nos comentarios que li tem razao contudo temos de ser racionais.e começar a respeitar mais os softwares , pq como o software não e algu fisico o desrespeito e as limitaçoes do que se pode e n fazer ficam dúbias. O software da Tesla não é Open Source a partir do momento que o alteramos e ilegal seja no nosso carro ou nao .

  15. Pedro says:

    O que alguns chamam de imoral ou ilegal por parte dos proprietários eu chamo de imoral por parte da Tesla.
    O autopilot é um extra para mais de 5mil dólares mas os sensores e câmeras já vêm instalados no carro, a autonomia de bateria limitada e pontecia dos motores elétricos quando as baterias são iguais e os motores elétricos também, modo ludicrous como extra, Spotify e tune in gratuitos mas não no pack mínimo etc etc. O carro vem preparado para tudo isso, claro que a versão mais potente para poder se ter uso fruto do mudo ludicrous necessita de um condensador diferente de mais alta capacidade, penso que é a única diferença técnica, todo o resto é apenas software em que já está o hardware instalado, ora pagar 2mil, 5 mil ou até mais quando se tratando de desbloquear mais opções revolta pois se tens hardware para tal vais encher os bolsos a Tesla com 10 ou 15 mil dólares por apenas aceitar um “ok” num update a distância que nada mais faz que desbloquear o que já está presente na viatura. Nem à própria marca é necessário ir para tentar tapar os olhos com diagnósticos e testes de funcionalidade ou segurança quando se pagam milhares por funções extras.

    • JL says:

      Não é bem assim, o autopilot que vendem por 5000 doláres é pela activação do software sim, mas também é actualizado o computador do autopilot para a versao FSD (full self drive)

      Acha bem que quem tenha comprado a versão sem isso pague menos que quem tenha comprado a versao com tudo ?

      Isto era bom para o chico esperto, ah compro a versão não performance e depois vou ao zé da esquina e ele mete em performance. Também tem a questão de valorização.

      Mas nem é preciso falar da tesla, todas as marcas são assim. Trazem muita coisa desactivada nas versões não premium, a tesla ainda oferece a possibilidade de ativação, coisa que raramente se vê em outras marcas, queres, compra outro.

  16. O maior says:

    Logo quando se compra um carro, o carro passa a ser propriedade minha , do qual se eu quiser tunalo todo eu tuno, e a empresa que a fabricou não tem que estar a ver pelo software o que o meu carro tem ou não…se aumentares os cavalos de um carro doutra marca qualquer eles não vão chegar a tua beira e dizer que ali está algo que não havia de estar. A tesla aproveita se se ser pioneira mas óbvio que também se abelita a passarem lhe por cima .

    • JL says:

      LOOl, começa logo pela premissa errada de que o carro é seu, não, o carro é do estado, e este concede-lhe o direito de o usar, dai ter um titulo de propriedade, caso não o pague, ou não pague os seus impostos, eles vão busca-lo.

      Como disse é o maior, pode fazer isso tudo, tal como pode matar pessoas com ele, depois é tudo uma questão dos lesados quererem justiça ou não. Compre um carro com garantia e faça-lhe uma reprogramação, depois leve-o à oficina da marca e pergunte se depois da alteração ainda tem garantia. looool

      • Jazz says:

        “carro é do estado, e este concede-lhe o direito de o usar”
        A anedota do dia !
        Estás no país errado…

      • Fantasma says:

        Que exagero!
        O carro não é do estado. Se não pagar ao estado “apenas” vai aumentando a dívida ao estado, Iuc de cada ano + multas. Pode ser que a partir de uma certa altura o estado avance com o pagamento coercivo, mas isso é como em todos os outros impostos.

        • JL says:

          Certo, então porque precisa de pagar ao estado o registo do seu carro? E todos os anos pagar um valor mediante o valor do carro, e porque quando o manda para a sucata tem de informar e voltar a pagar uma taxa? Eu tenho uma bicicleta e nunca precisei de fazer isso. Lool, não liguem, é uma forma diferente de ver a coisa, o mesmo acontece com as casas.

          • Fantasma says:

            Não depende diretamente do preço, depende da data da matricula, cilindrada e quantidade de emissões.

            Paga para ter licença para poder usufruir da infraestrutura do país. O carro continuam a ser dos donos. Pode abatê-lo, vendê-lo. É seu.

            Mau exemplo! Para andar de bicicleta, teoricamente, também tem de pagar uma licença camarária! Até poderá ter que fazer um teste de condução/código da estrada se ainda não for encartado.

            Casas é exatamente a mesma coisa! Tem pontaria nos exemplos! A casa é sempre do comprador. Mas isso não impede que tenha de pagar taxas, neste caso por utilização do espaço. É uma forma de financiamento do estado e câmaras.

            Aconselho uma leitura saudável sobre os porquês de haver impostos, taxas, taxinhas e coimas e o porque de isso não alterar a posse de bens sujeitos a estas coisas.

          • Fantasma says:

            Informação errada: já há muitos anos que deixou de ser precisa uma “especie” de licença para bicicletas. Apenas é preciso andar com documentos de identificação.
            Para motocicletas (que não necessitem da respetiva carta de conducao) é que pode ser precisa uma licença que antigamente se podia tirar na câmara.

          • JL says:

            Licença camarária já não existe, mas ainda sobre as casas, eu tenho uma propriedade e em cima tenho a casa, tenho água própria, se fizer uma piscina o imposto aumenta, não é por ter uma piscina e usar a minha própria água que dou mais despesa à câmara. Mas tudo bem, eu sei muito bem das leis, sou cumpridor, mas nem tudo me encaixa me parece correcto e a única explicação que arranjo é essa.

          • Cortano says:

            Não uses exemplos dos impostos.
            Não percebes nada disso.

            É uma pior que a outra.

          • Fantasma says:

            Isso é outra história, a justeza e justiça nos impostos.
            Isso daria, com certeza, pano para mangas! Sem dúvida!

          • JL says:

            Daí a minha interpretação, se eu é que invisto e eles recebem mais por eu ter investido, se eu me negar a pagar posso ser despropriado, quer dizer que aquilo não é só meu.

          • Fantasma says:

            O IMI tem uma componente de “avaliação”, valor tributário dos imóveis. Tal como a localização influencia, tudo o que altera a percepção de qualidade e conforto, pode fazer aumentar o IMI (porque fazem aumentar o valor patrimonial).

          • Fantasma says:

            Eles não passam logo a desapropriação! Para o fisco pode até nem interessar qual o bem para o qual não paga imposto!

            Dependente do valor e circunstâncias até podem contactar (não diretamente o fisco, a justiça) a entidade patronal (se tiver uma) e caçar uma parte do ordenado uma série de meses.

          • JL says:

            Exacto, se eu fosse arrendatário eu iria pagar renda conforme o valor do património ,é o que acontece, quanto mais vale mais eu pago, logo aquilo não é só meu.

          • JL says:

            Se eu não trabalhar e não tiver mais nada o que acontece? Conheço um caso assim, e foi para o olho da rua.

          • Fantasma says:

            Não confunda modos que o fisco tem para ir buscar o dinheiro por incumprimento, com posse dos bens para os quais há impostos a pagar.

          • JL says:

            Então declaro falência por ter uma propriedade que supostamente é minha e não tenho outro sitio onde ficar? Depois vou pedir à câmara uma casa como fazem outras pessoas? Tá a ver que a casa afinal não é minha. Isto porque na constituição do estado vem uma parágrafo que o estado não deve deixar ninguém na rua.

          • Fantasma says:

            Não declara falência por uma casa que é sua!
            Declara-a porque deixou de ter meios para cumprir as suas obrigações. Com ou sem casa!

          • Fantasma says:

            Para o caso concreto do IMI até acho que há possibilidade de pedido de isenção por baixos rendimentos.

        • Fantasma says:

          Isso nada tem a ver com o direito de posse.
          Há vários casos assim, até derivados de heranças!

          Mais uma vez tem a ver com a capacidade de pagamento dos impostos, nada tem a ver com a posse.

          Tipicamente, nesses casos não há outra solução que vender os bens e/ou declarar falência, que traz muitas outras chatices.

        • JL says:

          Desculpe, mas não perca mais tempo comigo.

  17. lucas says:

    coitadinha da tesla vai falir!!!1 ;'((((

  18. Fantasma says:

    Uma boa parte das marcas, para “cilindradas” diferentes tem, de facto, cilindradas iguais. Terá a ver com o processo de fabrico em que, por vezes, é preferível poder fazer na mesma fábrica 2 coisas diferentes fado que ter que fazer 10 coisas diferentes.

    Por ser uma coisa “física” já parece não fazer tanta “impressão”. O facto do software ser um bem imaterial parece baralhar as ideias.

    O carro é vendido com um conjunto de características que levam a um determinado preço. Só ao fabricante diz respeito a maneira como produz os vários bens, desde que garanta o seu bom funcionamento. A alteração, no mínimo, até deveria invalidar de imediato a garantia dada pelo fabricante.

    Por outro lado, também parece verdade que quando vendem a posteriori algo que altera as características do carro, não faço ideia se fazem alguma coisa para que o dono do veículo fique com o registo legal, no país, de tal alteração. Confesso que não sei se alguma coisa é feita, até porque algumas coisas podem nem sequer ter legislação que o permita, como a questão dos níveis mais avançados da condução autónoma.

  19. rodrigues says:

    Yaroslav ninguém no seu perfeito juízo monta um kit de GPL numa viatura ainda dentro da garantia… se quer com garantia compra um veículo novo que venha equipado com GPL (bi-fuel, por exemplo Dácia). E quem puder “aguentar” não compra com o kit e só o coloca depois da garantia passada, pois os kits GPL de origem possuem dois problema: depósito de gás pequeno e não trazerem lubrificação (adicional) às válvulas.

    • Miguel says:

      Ninguém monta um kit de GPL numa viatura nova exactamente por causa da garantia, de resto não há problema nenhum, desde que seja totalmente compatível, qual é o problema? Fala dos Dacia, mas nem todos querem comprar Dacia. Esperar que a garantia acabe? E se eu comprar um carro com 7 anos de garantia, vou andar 7 anos a gasolina? Os problemas apontados nos kit GPL de origem são questões proprias dos veiculos e não da instalação. Primeiro, se o carro tem espaço para um pneu suplente fino, não vai poder ter um deposito tórico muito grande, como é obvio, segundo, a lubrificação das valvulas só é necessária em valvulas de abertura variavel, como os vvti e os vtec, e além disso, está a deixar de se usar, optando-se por injecção de gasolina (em menores quantidades) para a lubrificação das mesmas, visto que é um sistema mais fiável que o Flashlub. E essa injeção de gasolina é controlada pela centralina do sistema de GPL, deixando de ser necessário a lubrificação.

  20. rodrigues says:

    Indiquei os Dacia como podia indicar Fiat e Chevrolet… a questão da garantia é inerente a todos, quanto ao tempo de duração da garantia, são sete anos? Possivelmente existem marcas que o farão em determinados modelos, não faço ideia. Se tem que esperar pelo fim da garantia? É uma opção do cliente, pois parece que não é possível encomendar um Kit GPL à “medida” do cliente. O problema do depósito pequeno é que insistem todos no depósito tórico, não dando outra opção (cilíndrico) em que o cliente, por opção própria, poderia optar pela nulidade da mala na sua totalidade ou no seu quase todo. Também acontece que devido às dimensões da mala, a opção entre o tórico e o cilíndrico não trará vantagens significativas. Pelo que sei, as centralinas mais recentes já reconhecem a temperatura em que o carro se encontra e, encontrando-se numa temperatura ideal já pegam com uma mistura de gás e gasolina… parece-me que o anterior sistema de pegar exclusivamente a gasolina era melhor. Agora escreve “optando-se por injecção de gasolina (em menores quantidades) para a lubrificação das mesmas”… isso acontece enquanto o motor está em funcionamento? Que valores pode indicar? GPL como combustível coloca tensões térmicas de escape significativamente mais elevadas nas válvulas e sedes das válvulas, aumentando o desgaste. Isto tanto acontece no sistema convencional de válvulas como nos que indica… então faz todo o sentido uma lubrificação extra, função esta que não é assegurada pela gasolina.

    • Miguel says:

      Eu sou utilizador de carro a GPL e já vai com 350mil km e não tem nenhum sistema de lubrificação de válvulas nem injecção de gasolina. A lubrificação que fala é para válvulas de abertura variável, essa lubrificação é assegura pela gasolina, por isso é que não precisam de lubrificação de origem. Só mesmo quando são convertidos para gpl, isso não está relacionado com a temperatura mas sim porque o gpl é mais seco. Quanto a valores, isso deverá perguntar a um instalador, mas já ouvi falar de 1 litro de gasolina para 10 litros de GPL. A opção do depósito tórico ou cilindrico fica a cargo do comprador, mas nos carros de origem a GPL não existe essa opção (poucos querem cilíndrico hoje em dia). O meu é tórico e tem capacidade de 60 litros.

      • rodrigues says:

        A gasolina não possui características lubrificantes… o GPL atinge mais temperatura que a gasolina (+-50º) e é mais seco, produzindo um desgaste prematuro na “sede”. Em casa temos dois carros, ambos a GPL. Eu já vou no terceiro, sendo que o primeiro ainda era de injecção mecânica. Os dois carros possuem um Kit de lubrificação por vácuo, onde tenho uma regulação de 8 gotas/minuto. O meu carro é um Honda Civic 1.7, com um depósito cilíndrico de 90l (75l úteis), com uma autonomia a GPL de +- 750km (se não apertar) e a mala continua a ser descomunal, sendo que o pneu suplente está no sitio a este destinado bem como macaco/chave de rodas. Ainda não tem 100.000km. Só não quer cilíndrico quem quer aproveitar a mala se esta é pequena… quanto menos vezes me deslocar para abastecer, melhor. Já o outro, um Nissan Micra 1.3 (três cilindros) com depósito tórico (penso que não chega ao 40l úteis) faz +- 500Km, e o pneu suplente acompanha o carro, agora encostado a um dos lados, ao alto, sendo que chave de rodas/macaco se encontram nos lados do depósito tórico “embebidos” em espuma poliuretano no seu estado seco, naturalmente. Neste Nissan o depósito cilíndrico não compensava. Ambos usam Liqui Moly Top Tec 4300 indicado pela marca do fabricante (óleo) para motores a GPL. Afirmar que a lubrificação extra de válvulas num motor a GPL é facultativa é errado…. até porque são conhecidos relatos de problemas com às válvulas em GPL. Como sabe, o GPL deixa o motor “limpo”… não existe “carvão”, está tudo seco. Se o seu carro é de afinação automática, enquanto existe “espaço” para ela acontecer, não existe problema…depois acabado logo verá.

        • Miguel says:

          Não é uma questão de ser facultativo ou não, é uma questão de alguns motores precisarem e outros não. Motores Honda, Toyotas, Subarus e eventualmente outros motores que tenham válvulas macias necessitam de lubrificação. Se lhe venderam o sistema Flashlub como a melhor coisa da mundo para lhe estarem a vender óleo, óptimo, mas já vários instaladores e nós fóruns fala-se do sistema para injectar gasolina, com possibilidade de injectar em regimes mais altos. Há muitos carros que não necessitam, volto a dizer, o meu vai com 350mil km, já vi mercedes, fiaf, vw, alguns deles a passar os 500mil km sem necessidade de abrir motor. Pode acreditar no que quiser, mas está comprovado que nem todos os motores sofrem do mal de desgaste da sede das válvulas devido ao GPL ser mais seco. Quer insistir na temperatura, óptimo, esteja a vontade. Basta procurar um pouco na net para ver que todos falam do mesmo, é verdade que o ponto de ignição do GPL poderá ser mais quente, mas não é isso que afecta directamente o desgaste das mesmas. Tive um Fiat com 200mil km, tenho um Hyundai com 350ml km, já conduzi um vw golf 1.4 com 300mil km, Ford Escort Tuscany 1.6 com 280mil km, Mercedes 190 1.8 com 520mil km, Mercedes Classe S 4000 v8 com 450mil km, BMW 116i com 200mil km, Alfa Romeo 156 1.8 TwinSpark com 300mil km, nenhum deles deu problema de válvulas. Todos eles com kits gpl colocados com poucos km. Acredite no quiser.

          • rodrigues says:

            Não me venderam o sistema Flashlub nem o costumam montar… eu é que pedi para colocarem e nem levou nada a mais por isso. Mando vir o lubrificante da Inglaterra pois fica muito (mesmo muito) mais barato. E não tem que ser forçosamente Flashlub, existem outras marcas… Essa da injecção de gasolina é que ainda não percebi… a gasolina não tem propriedades lubrificantes, aqui se é introduzida de quando em quando apenas baixará (será?) a temperatura? E, sendo assim (a possibilidade de injecção de gasolina), o porque desta funcionalidade? Eu acredito que a lubrificação nunca terá um efeito nocivo ou que não é algo que está lá a mais, acreditando que prolongará a vida das válvulas.

          • Miguel says:

            E você a dar-lhe com a temperatura. Se fosse só uma questão de temperatura, acha que seria necessário o vaporizador, que utiliza a temperatura da água do motor para vaporizar o gpl? É uma informação unânime nos fóruns de que o gpl é mais seco que a gasolina, diferença essa que faz com que as válvulas macias não tenham lubrificação suficiente e apresentem desgaste prematuro. A injeção de gasolina é permitida pela centralina, em vez de ser uma sistema a pingar óleo, é um controlo eletrónico que vai permitindo os injetores da gasolina trabalhar de tempos a tempos, aumentando a sua frequência em regimes mais altos. Os técnicos até dizem que é um sistema mais fiável (pelo controlo eletrónico por centralina) do que o flashlube. Até porque nos carros com injeção directa, e tenha injectores de GPL à parte, os injetores da gasolina nunca deixam de trabalhar totalmente, para não queimar os mesmos. Não digo que o flashlube seja mau, mas nalguns casos, não é necessário. Se tem um Honda civic, a probabilidade de precisar é grande, mas conheço muitos casos de outros veículos que não é necessário.

          • Miguel says:

            Outra coisa, se o seu instalador não costuma montar, eu no seu lugar desconfiava dele. Porque parece-me a mim que está um pouco desatualizado.

          • Miguel says:

            Outra coisa, se o seu instalador não costuma montar, eu no seu lugar desconfiava dele. Porque parece-me a mim que está um pouco desatualizado.

  21. André Oliveira says:

    Hoje em dia até os carros já veem incompletos para o pessoal ter de comprar os DLC, depois a marca chateia-se se o pessoal vai comprar o dlc na G2A.

  22. rodrigues says:

    Parece que o instalador partilha da mesma opinião de si ou seja, não é necessário o sistema de lubrificação e não o monta… e você diz para desconfiar do instalador?… Onde é que a temperatura que ocorre na câmara tem influência com a passagem do estado liquido do GPL a gasoso? Isso é feito antes onde indica, o vaporizador ainda muitos antes do motor atingir a sua temperatura normal de funcionamento. Você já está a admitir que o GPL é mais seco, como já o tentei descrever e, juntando a esta condição, é a temperatura que é superior à da combustão a gasolina. E não é só as “válvulas macias” são as válvulas todas, macias ou menos macias. Eu não sei se os sistemas injectam gasolina de quando em quando… fazem isso? Desde quando? O meu kit tem cerca de um ano, e já pega com mistura gasolina/gpl quando em quente (não gosto). Mas mesmo que o façam, é evidente que o motor trabalhará a maior parte do tempo exclusivamente a GPL, pelo que a questão da lubrificação às válvulas não é resolvida por essa “mais valia”. Sei que existem países em que os veículos a GPL simplesmente não necessitam de gasolina uma vez que pegam sempre a GPL (nada que vaporizador eléctrico, para o arranque inicial, não seja capaz de substituir a água do motor)… você acha que não precisa e diz que está bem servido, de certeza que eu com o kit de lubrificação estarei, no mínimo, tão bem servido como você…

    • Miguel says:

      O sistema de injecção de gasolina vem nos kits multiponto de injecção indirecta, a centralina permite essa gestão. Eu tenho um Hyundai accent 1.3 12v com injecção multiponto de 1994. Basta pedir ao instalador para programar a injeção de gasolina, e pronto. Já está. Não o tenho feito porque não precisa, lá está 350mil km. Se a questão das válvulas se aplicam a todas, macias ou duras, porque raio vejo tanto carro sem lubrificação sem dar problemas? Sim, desconfio, porque eu estou a falar de sistemas que existe há anos e você não os conhece. Eu conheço-os porque foi o meu instalador que disse. Logo, tenho razões para desconfiar, eu quando instalei gpl no meu primeiro carro a gpl, perguntei logo como era a questão das valvulas, e ele explicou-me tudo, era um Fiat Stilo 1.6, disse-me que não era necessário, mas se fizesse questão tinha duas soluções, apesar de não ser as únicas existentes, Flashulub, ou injecção de gasolina ao mesmo tempo, a opinião do instalador é que a ultima solução é mais certa (devido ao controlo eletrónico na centralina, visto que o kit multiponto faz a leitura na porta OBD em tempo real, permitindo melhorar a riqueza da mistura em função do tipo de condução) estamos a falar de um kit metido há 7 anos. A partir daí percebi que sistemas é que haviam e há carros que necessitam e outros não. Se não conhece estes varios sistemas, então poderá haver uma lacuna de informação por parte do instalador. Mas se confia plenamente nele, óptimo, desde que esteja bem servido.

  23. PTO says:

    Se compro o carro ele passa a ser minha propriedade. Se quiser alterar alguma coisa, desde que esteja dentro da lei em vigor, não tenho de pagar nada ao fabricante se conseguir quem me faça a mesma alteração por metade do preço ou menos.

    Este caso da Tesla é ainda mais absurdo, limitar a autonomia de um carro propositadamente para ir sacar mais 2 mil dólares a quem a quiser usar na totalidade.

    Era como quando comprei o meu carro, que tem um depósito de 55 litros, o mesmo vir bloqueado só para 30 litros e eu ter de pagar à marca para eles me desbloquearem o depósito para poder abastecer os restantes 25 litros. Não faltava mais nada.

  24. Antonio says:

    Do ponto de vista legal e no caso do desempenho, quem nao cumpre a lei e engana o cliente é a tesla visto que no IMT o que vem homologado no livrete do tesla é a potencia maxima que os motores eletricos debitam.
    logo se a tesla limita e bloqueia a potencia, aqui esta em causa uma FRAUDE visto que enganam o cliente mas no livrete esta registado potencia indisponivel propositadamente pela tesla.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.