Revelada a potência e capacidade da bateria do Tesla Model 3


Destaques PPLWARE

49 Respostas

  1. Hugo Costa says:

    258cv para um carro que faz 5,1s dos 0 aos 100km/h?
    o model s mais fraco tem 380cv e faz 5.6 aos 100…
    Algo de errado não esta certo 🙂

  2. EC says:

    “Long Range Battery vem com uma bateria de 230Ah, ou seja 80,500 Wh ou 80.5 kWh” – não percebi essa dedução “ou seja 80.5kW”. Como é que calcularam a potência sem terem o valor da voltagem?
    Se de facto a potencia for 80.5 kW, logo a voltagem deve ser 350V: (V) = 1000 × 80.5kW / 230A

  3. Profeta da Verdade says:

    Nada mau uns 300km de autonomia real para o modelo de base. Nada de muito diferente de um carro desportivo com os mesmos cavalos que dificilmente faz muito mais do que isso sem ter de encostar na bomba. Mas claro, os cabeças de petróleo vão arranjar mais desculpas para tentar viver agarrados ao passado.

    • Helder says:

      É, compram carros cheios de cavalagem, depois têm de ter jeitinho no pedal senão o dinheiro ou há-de chegar para a gasolina ou andam a comer latas de atum…

    • rui says:

      os 300km são NEDC (ou no caso destes dados eventualmente do sistema americano) os mesmos testes que dão consumos de mesnod e 3l/100 num clio.
      A 200km/h não fazes metade. Eventualmente o modelo de entrada deve ter 60kwh de capacidade é uma autonomia normal para uma bateria desse tamanho.
      Ver se as fuel cells avançam rápido que estou a ver longe chegar a Inovação de terem estes valores em menos de 30kw

    • Gerardo says:

      Exactamente o que eu digo. Estão sempre com a conversão da autonomia como se os carros doa dia a dia andassem 5000km sem encostar na bomba. O único problema dos carros eléctricos é a falta de “bombas” (calculo que no principio dos carros a gasolina também nem sequer existissem bombas) e o tempo de reabastecimento. Coisas que vão ser resolvidas muito mais rápido do que nos carros convencionais. Só o factor de esta revolução parar de enviar dinheiro para países onde imperam ditaduras religiosas que querem matar todos os que não seguem as suas fantasias, enche-me de esperança.

    • Ricardo says:

      A diferença é que um cabeça de petróleo só fica 5 min numa bomba para atestar. Já um Tesla precisa de várias horas. E o número de horas vai depender do tipo de carregamento (tomada caseira, supercharger, etc.).
      Sem garagem para mim um carro elétrico é apenas uma “coisa” engraçada.

      • Mico says:

        Os carros agora são para os religiosos do Musk. Os realistas comprarão mais tarde, com o mercado já em competição.

      • toni da adega says:

        sim isso já depende das condicoes.
        Por exemplo no meu trabalho uma das regalias a que temos direito é acesso a ponto de carga. Basta chegar ao escritório e podemos “atestar” o carro.
        Já dá para fazer casa-> trabalho -> casa a custo 0. Aqueles que residem mais longe já dá para poupar uns trocos.

      • Helder says:

        E se te calasses?

        Primeiro, num Supercharger, fica por menos de 45 minutos uma carga completa.

        Segundo, com o dinheiro que se poupa face a um carro a gasóleo, depois de uma viagem Porto/Lisboa ou Lisboa/Porto, que é menos que a autonomia do Tesla 3, dá para chamar um Uber a qualquer lado, ir almoçar, chamar outro Uber ao Supercharger, e continuar viagem.

        E como chamaste o Uber, nem tens de pagar ao arrumador, ou à EMEL.

        • Toni da adega says:

          Lendo muito dos comentários a maioria das pessoas conduzem cerca de 600km de seguida todos os dias. Devem morar no Algarve e vão todos os dias trabalhar no Porto.

        • Joel Reis says:

          E tu que “tens dinheiro” para essas coisas todas e mais alguma estás preocupado com o “que se poupa face a um carro a gasóleo”? Faz sentido!
          Porto- Faro tinha de parar 2 vezes, “só” perdia 1,5h… vão ter de pôr uns sofás nas estações de serviço.
          Os elétricos para já só fazem sentido como commuters e pouco mais, só que para isso são caros para o que oferecem; hibridos – o melhor dos dois mundos.

    • Daniel says:

      Sendo assim prefiro viver agarrado ao passado e continuar a derreter 50 euros de gasolina por 400/500km. A felicidade e boa disposição que ganho ao cheirar gasolina queimada e ouvir o motor a roncar às 7000rpm não tem preço.
      Carros eléctricos? Talvez um dia como um daily car quando houverem mais condições para os ter cá em portugal mas o que anda a petróleo tem que continuar lá na garagem nem que seja só para o fim de semana.

      • Gonçalo Mota says:

        fala em 7000rpm mas secalhar ate tem um carro a gasoleo xD

      • dajosova says:

        se já tivesses conduzido um P100D se calhar o cheiro a gasolina queimada e barulho de trator já não te satisfaria assim tanto. mas gostos são gostos… e a tua vizinhança deve também gostar de ouvir a tua máquina! Espetacular Paulito 😉

  4. Jose Cordeiro says:

    Boas
    “80,500 Wh ou 80.5 kWh” deveria ser “80.500 Wh ou 80,5 kWh”
    Agora um desabafo offtopic isto das virgulas e dos pontos e uma treta deviamos usar todos o mesmo sistema porque (falo por mim) no desenvolvimento de software às vezes da barraco.

    Cumps

  5. RC says:

    Qual será a autonomia de um carro destes, numa viagem de Lisboa ao Porto, a uma velocidade média de 120 Km’s/h, com 4/5 pessoas dentro da viatura?

    • Tiago says:

      Se fores ao facebook ao grupo da tesla portugal tens lá várias pessoas com tesla que te respondem a essas e outras questões.

      • RC says:

        …deduzo que esta pergunta não possa ser feita no pplware, para os leitores do pplware!
        Na verdade, a resposta, até não deve ser assim tão difícil e a ideia é criar a discussão, comparando-se o que temos com o que nos oferecerem como alternativa (veículos eléctricos). Valerá mesmo a pena adquirir estas viaturas, agora?

      • Belmiro says:

        Sim mas não é este modelo, logo não podes comparar.

  6. Pedro Gomes says:

    Boa pergunta

  7. Ricardo says:

    Qual é o custo aproximado em euros de um carregamento completo das baterias efetuado em casa?

    • Belmiro says:

      Em Portugal não sei, mas dizem que no geral dos países por cada 100 km fica a cerca de 50-66% do custo do gasóleo de um diesel equivalente. Isto sem contar que um diesel actual necessita de bastante óleo e ainda AdBlue, nos eléctricos não há essa despesa adicional.

    • Rui says:

      80 kw vamos considerar ineficiência logo será 90 digamos, preço tipico do kwh é 17 cents por exemplo, 15€, se for em bi horario passa a ser uns 12 cents logo uns 11€, se tiveres bi horario e usares a tarifa de dia por alguma razão que é uns 23 cents 21€…
      fica nuns 3€ por 100km…

  8. Daniel says:

    Em casa o valor pode variar entre 0,11€ e 0,22€ o Kw/h consuante estejamos a falar em bihorário horas vazio ou cheias. Para tarifas simples o valor é inter médio.
    Sendo assim, para uma bateria de 80Kw o valor varia entre 9€ a 17€ e que dá para 500 Km.

    Também concordo que no momento um carro elétrico apenas faz sentido para quem tem garagem, ou outra situação que lhe permita carregar diariamente com naturalidade.

    De todo o modo, há uns meses atrás falou-se de um acordo entre vários fabricantes automóveis europeus que pretendiam instalar postos de carregamento acho que de 250 Kw de potência, ou seja, pelo menos 4 vezes mais potente do que os postos de carregamento rápidos atuais, Isto permitiria carregar quase a totalidade da bateria em menos de 10 minutos o que aproximaria bastante do abastecimento a combustível fócil. Ainda há uns dias se falou de uma empresa alemã que estava a estudar a possibilidade de carregamento a partir de postes de eluminação urbana com custos de implementação bastante inferiores aos postos de carregamento atuais.

    Sem dúvida que o carro elétrico será o futuro, mas a adoção será gradual à medida que os vários problemas se vão resolvendo, nomeadamente preço, autonomia e facilidade/rapidez de carregamento.

  9. Joguirian says:

    Não percebo como podem dizer que comprar um carro elétrico pode ser bom negócio em Portugal. Só faz sentido se tivermos painéis solares a produzir a nossa própria energia e então aos 80000 que custa o carro devemos juntar mais 20000 para painéis e aí sim podemos andar quase de borla…

  10. José Gonçalves says:

    Parece que além disso tudo estão a esquecer-se do principal custo – > Aluguer das baterias
    Numa classe baixa de carros elétricos rondam os 80eur que a juntar à conta da luz, ou fazem muitos quilometros ou simplesmente não compensa.
    Claro que têm a opção de compra da bateria mas a que preço?
    Para mim o principal entrave à aderência ao carro elétrico está aí.

  11. Nitroglycerine says:

    Tudo muito bonito
    Fazem centenas de km sem emitir um grama de CO2. O problema é que a energia que serviu para carregar as baterias bem pode ter sido produzida em central elétrica que funciona a carvão e aí, também não se trata da emissão de um grama de CO2…
    E por fim, no dia em que as baterias ficarem obsoletas, vamos ficar com uns bons quilos de veneno que não vai poder ser reciclado. O que fazer então?! Um aterro para baterias obsoletas?!
    Cá me parece que os Srs engenhocas acertaram mais uma vez nos dois pés com a caçadeira..

  12. Gerardo says:

    Não vão nessa do hidrogénio, é uma forma de vos agarrar a outro combustível que depois será vendido ao preço que quiserem acabando por ser igual à gasolina. Com eletricidade podemos fazer a nossa própria, seja através de painéis, eólica, etc

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.