Quantcast
PplWare Mobile

Microsoft em risco de perder o nome SkyDrive na Europa

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. Estes casos nunca deixam de ser curiosos, este serviço da Microsoft com o nome SkyDrive já existe desde 2007, e só agora é que a Sky vem falar? Porquê?

    O mesmo se passou com o Metro UI, o conceito Metro UI já existe desde o Windows 8 e o conceito não era desconhecido até porque era bastante conhecido na interface da Xbox, só depois de ter sido aplicado ao Windows 8 é que vieram reclamar?

    Disto tudo só há um interesse, interesse monetário onde as empresas que reivindicam os direitos pretendem uma compensação satisfatória face ao sucesso do produto com aquele nome.

    • Correcção: O mesmo se passou com o Metro UI, o conceito Metro UI já existe há algum tempo e foi aplicado ao Windows Phone e além disso o conceito não era desconhecido até porque está presente na interface da Xbox, só depois de ter sido aplicado ao Windows 8 é que vieram reclamar?

      Realmente faz sentido, o Windows 8 está presente em todos os computadores OEM e a percentagem de utilização do produto com aquele nome era muito superior à percentagem de uso da Xbox e do Windows Phone juntos.

    • Marina says:

      É verdade que nestes processos o retorno económico é central, e este caso é sem dúvida algo exagerado dadas as diferenças, mas o processo já vem de 2011, provavelmente após avisos à Microsoft e numa altura em que estes tipo de serviços aumentou a sua exposição mediática, o que afecta as marcas e pode confundir as pessoas! A BSkyB não é uma companhia qualquer, é uma das maiores companhias de TV do mundo com marcas como SkyNews, SkySports, etc! É igualmente fornecedor de TV por cabo, e serviços!
      Nalguns países, as companhias com marcas registadas são legalmente “obrigadas” a manter a “defesa” da marca pois correm o risco de mais tarde perder o direito à marca!

      Quanto ao Metro a situação é diferente! Antes do Windows 8 era meramente um nome de código que não aparecia em lado algum do software. Com o Windows 8 a Microsoft pretendia passar a usar esse nome no software para os utilizadores distinguirem os diferentes UI! A Microsoft nem sequer foi a tribunal por causa disso e simplesmente decidiu não usar o nome

    • Anónimo says:

      1) Se têm direito a fazê-lo (se a marca é deles), porque não haviam de reclamar dentro dos prazos para tal? Ou agora a Microsoft é imune aos direitos dos outros?

      2) O sucesso do produto que usurpa a sua marca é obviamente central. Se o produto fosse para sempre desconhecido de pouco ou nada importava que o seu nome fosse similar à sua marca (porque poucos seriam os que o conheciam).
      Já um produto de sucesso provoca a maior colagem à sua marca. Milhões conhecem o nome e milhões aceitarão como natural a usurpação da sua marca.

      É engraçado ver alguém ingénuo vir dizer que isto é apenas interesse monetário. Tem lá o nome Microsoft, ia ser interesse de quê? Ainda acredita no Pai Natal?

      • Jacinto says:

        Mas porque?? já agora não se pode usar a PALAVRA sky só porque alguém tem no nome da empresa?? Tão temos de deixar de nos referir a Portugal continental como o Continente, nem vamos poder usar nais a palavra Público….
        Mais ridículo que a resposta do juiz é haver pessoas que realmente concordam…

        • CondeGil says:

          Errado, a culpa não é do juiz, a culpa não é da Sky e a culpa não é da Microsoft. Processos do mesmo tipo acontecem a toda a hora. A culpa destas coisas é toda da lei (e de quem a faz), que é uma lei que controla tudo e mais alguma coisa. Não se pode fazer nada sem correr o risco de infringir esta ou aquela lei. A liberdade é privada até ao vender maçãs (se forem muito pequenas ou muito grandes não se podem vender) quanto mais nestas coisas.

  2. Abílio says:

    Mais uma questão que envolve patentes, milhões de € e que é uma treta. Não tem nada a ver o nome e os serviços mas as legislações permitem estas disputas…

  3. Telmo says:

    Existem disputas que não fazem sentido mas claramente esta não é um desses casos.
    Não é verdade que o SkyDrive exista desde 2007 porque comecou com um nome differente. SkyDrive era na altura apenas um codename mas o produto tinha um nome comercial diferente. De qualquer forma agora é que comecou a ser usado em grande parte dos computadores e a empresa Sky existe e oferece um servico cloud, porque haveria de se calar? É tipico dos portugues calarem e deixarem andar, e como não lutam pelos seus direitos acham que os outros também se devem calar, mas neste caso a empresa tem razão (de acordo com o tribunal)

    • Carlos says:

      O SkyDrive que originalmente se chamavae Windows Live SkyDrive foi sim lançado em 2007, 1 de agosto de 2007 para ser preciso.

      Sim, o nome “SkyDrive” era o nome de código durante a fase beta (o nome oficial era para ser Windows Live Folders) mas felizmente alguém percebeu que o nome oficial era idiota e foi mudado aquando do lançamento oficial.

  4. Miguel L. says:

    Empresas que querem fazer dinheiro fácil em vez de o fazerem através da venda dos seus produtos.

    • okapi says:

      Será que ela pretende fazer dinheiro fácil? olha que esta não é uma empresa falida como a maioria das portuguesas. Simplesmente quer salvaguardar a sua marca e duvido muito que deixe alguém usurpar o seu nome. Estas empresas americanas só porque são a nº1 no mundo chegam à Europa e pensam que é tudo deles.
      A SKY já existe desde 1990 e a skydrive tem 5 anos. Quase 3 anos a tentar resolver a bem e 3 no tribunal isto porque a MS não tem vergonha na cara.

      http://en.wikipedia.org/wiki/BSkyB

      • Jacinto says:

        Mas esta gente está maluca?? Que tem a ver Sky com SkyDrive?? Vai confundir quem?? Só se for a ti 🙂
        Como é obvio isto é só mesmo pelo dinheiro, e sim a Sky anda com dificuldades financeiras à uns anos já.

        • okapi says:

          Achei o teu comentario muito funny! Confuso deves de andar tu e em vez de andares a falar o que não sabes informa-te. Cada um defende o nome como pode e que seja bom a British Sky Broadcasting Group plc, a ganhar a batalha.E já agora essa da British Sky Broadcast andar em dificuldade é de risota.

  5. naoliveira says:

    Depois deste caso http://en.wikipedia.org/wiki/Microsoft_vs._MikeRoweSoft, se a MS fosse coerente, só tinha uma solução.

  6. Ruben Miguel says:

    Esta questão da guerra das patentes é, na maior parte dos casos, uma autentica estupidez…
    Sendo Sky e Drive palavras existentes no dicionário inglês e não havendo anteriormente uma “SkyDrive” então porque não se pode usar??? Então agora só porque uma empresa se chama Sky mais ninguém pode usar essa palavra???
    Então e vão por processos a toda a gente que usar essa palavra no dia-a-dia???
    Lembro-me da Apple registar uma patente sobre o seu MacBookAir por causa da sua forma em cunha, então e mais ninguém pode fazer computadores com essa forma???
    Então e se eu quiser fazer uma cunha para por debaixo da porta, posso???
    Isto tudo para dizer que há certo tipo de patentes que não fazem sentido, na minha opinião.

    • Marina says:

      Marcas e patentes necessitam de apresentar em que moldes são aplicados, não abarcam toda e qualquer circunstância! A sua utilização é avaliada para determinar se se coaduna com o pedido
      A marca registada da Sky aplica-se a um conjunto restrito de situações.
      A patente da Apple aplica-se a dispositivos electrónicos e poderá ser técnica ou de imagem

  7. Pedro says:

    Parece-me ridículo que por haver uma empresa chamada Sky, já ninguém possa usar “Sky” no nome. Se criar um produto chamado “Skya”, também vou ser levado a tribunal pela Sky?

  8. Rui P. says:

    Ao ler o título pensei que existisse uma marca/empresa SkyDrive na europa, mas ao ver que é o canal Sky que nunca teve qualquer Drive… Estupidez pura.
    Por muito que goste de ver empresas como a ms a provar do seu próprio veneno no que diz respeito a patent/IP trolling, isto já cai no patético.

    • JL says:

      Mais um processo patético com desfecho patético.
      Quem se segue? A Skyscape? Ou será a Sky…?
      A Sky, empresa, trabalha na área da televisão. O SkyDrive é apenas um “produto” informático.

  9. diogo says:

    a palavra sky é assim tão invulgar? -.-

  10. Manuel Costa says:

    Por um lado concordo com o facto de se defender o que é nosso, mas por outro acho que muitas vezes se exagera. Dizer que o nome SkyDrive se confunde com o Sky é algo estranho… Mas se calhar sou só eu que acho.

    E depois de uma breve pesquisa pelo Google gostava de saber porquê que a Sky não processa as seguintes marcas (será que tem a ver com o facto de não terem tanto €€€ como a Microsoft para pagar?):
    SkyPlus Raadio;
    SkyTop Lodge;
    SkyScanner;
    SkyTab;
    SkyTex;
    And the list goes on . . .

  11. Ricardo Santos says:

    SkyDrive != Sky

    Just saying!

  12. Gonçalo Damas says:

    Então a Google também devia ir a tribunal por ter o nome Google Drive.

  13. José Pires says:

    Com base na decisão final do tribunal britânico, o próximo alvo deverá ser o Skype….

  14. JPLT says:

    Nada de novo… Acho que se conta pelos dedos de uma mão as empresas que hoje em dia não se aproveitem destas situações

  15. Francisco says:

    Numa palavra: palhaçada…

    Será que posso processar todos os Franciscos do mundo que nasceram depois de mim por terem “usurpado” o meu nome?
    O pior é mesmo se todos os Franciscos do mundo que nasceram antes de mim me podem processar?

    Acho que hoje não vou conseguir dormir descansado…

  16. A. Pereira says:

    E pronto, mais uma empresa a querer “papar” algumas coroas à conta de processos sem nexo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.