PplWare Mobile

Jobs ataca agora Firefox e Opera!


Autor: Vítor M.


  1. Sun II says:

    LOLOLOLOLOOLO agora: todos os que compram produtos apple patrocinaram estas acções. Obrigado a todos.

  2. Nuno José says:

    O VP( é o futuro por isso. Vá vem dizer mal da google outra vez.

    • Rammy says:

      VP8, é o que quer dizer.

      O VP8 tem exactamente os mesmos problemas que o Theora. SE for posto cá fora em formato aberto (e tem que ser formato aberto, caso contrário também não pode ser standard), tem exactamente a mesma vulnerabilidade que o Theora tem em relação às patentes submarinas (que é assim que se chama, mas eu chamo-lhes chulos de m***a que só querem é viver à custa da miséria alheia).

  3. djx says:

    A Apple já começa a enjoar com estas palhaçadas.
    Quem é que lhe dá um “estaladão” bem dado para ver se param com parvoíces? Vocês fanboys nem sequer se atrevam a estar no lado do Steve sem parar para reflectirem um pouco e pensarem se a Apple está a agir eticamente bem ou mal!
    Antes de comentarem pensem 2x.

    • joao fernandes says:

      Estaladão ?? Damos todos nós a não comprarmos os seus produtos 😀 Por muito que gostemos dos seus produtos, como utilizador final interessa-nos que as coisas funcionem. Eu gosto dos prudutos da apple acho que tem um toque de beleza nos seus produtos que os diferenciam da concorrência, mas só isso não chega. Pelo meu pontos de vista nenhum utilizador vai comprar um produto sabendo que irá estar limitado numa situação ou noutra.
      Cumps….

      • joao fernandes says:

        *produtos… sorry 😀

      • Rammy says:

        Acho que o que diz trás mais razão que o que possa parecer. Desde há uns meses que a cota de mercado da Apple tem descido (não sei se as vendas desceram também, mas é possível)… Muito é devido à concorrência, mas gosto de pensar que não é só.

        • bigkax says:

          Este 1º trimestre do ano 2010 tem sido muito gentil tanto para a Apple como para a Microsoft.

          • Rammy says:

            É possível. Eu só olho para as estatísticas da internet… Mas como é que a Google se está a safar com o Android e os seus smartphones? Da última vez que vi, era uma maravilha…

      • bigkax says:

        Pela minha pouca experiência de vida pude constatar que existe uma grande percentagem da população que gosta(ainda que não saiba) que lhe digam o que fazer. Na nossa “alcatéia” tal como nos lobos a maioria segue o Alpha, é claro que existem pensadores livres mas esses são obra do demónio.

      • caco2 says:

        enfim … duas xapadas no funchinho do steve jobs era pouco … já é nao ter vergonha na cara … cambada de pu….

        nao aceitam a concorrencia a Apple e marca mais suja que existe que vergonha fdx

        enfim

  4. a Friend® says:

    Jobs não ataca o Firefox nem o Opera, apenas diz que o facto de serem Open Source não significa estarem livres de patentes…

    Onde está o erro ou mentira nisso?

    Aparte das afirmações de Jobs, a decisão do formato H.264 não foi dele, ele pelos vistos já foi mais que aceite pela comunidade em geral, e hoje em dia é o codec mais usado na Web com cerca de 66% como podem confirmar aqui: H.264 Já ganhou

    • Sun II says:

      E é isso uma boa noticia?
      Pareces-me mal informado acerca da MPEG-LA e das consequencias da adopcao mundial do H264

      • a Friend® says:

        Nem Steve Jobs nem a Microsoft apontou uma arma à cabeça de ninguem no mundo a adoptar o H.264… todos eles adoptaram por eles mesmos.

        E alias, um dos maiores a dar força ao H.264 foi a Google, que todos os videos que tem em flash, tem igualmente em MP4/H.264 … Por isso não percebo essa teoria.

        Errado seria adoptar o OGG quando todas as plataformas suportam nativamente o H.264, e não falo meramente de computadores, estamos a falar de consolas, leitores de DVD/Blu-Ray, Smartphones e afins… Todos eles suportam nativamente o H.264 e não o OGG… por alguma razão é…

        • Rammy says:

          Precisamente: o Flash suporta H264. Se eles querem matar o Flash com HTML5, pensem lá quem é que vai morrer junto com ele… É que o H264 não pode ser o formato standard do HTML5 porque não é aberto nem livre…

          E outra coisa: o suporte nativo dos aparelhos é irrelevante. O Firefox mobile suporta Theora mas não H264, mas se o instalares num aparelho com suporte H264 nativo, ele não suporta H264 no Firefox. Que é como quem diz, suporte nativo é o software que dita. O hardware pode ajudar. E já agora, o YouTube é H264, mas o encoder é interno, e podes fazer upload de outros formatos. A Google paga royalties por ter o encoder. Imagina o que é o H264 ser o standard (que, como disse, é impossível) e qualquer pessoa que queira criar um site em que os utilizadores façam upload de vídeos tem que pagar 5 milhões de dólares para poder ter um encoder interno.

          Não funciona amigo… Não funciona.

          • a Friend® says:

            Adotar o OGG nesta altura do campeonato simplesmente não dá… iriamos deixar milhares de plataformas obsoletas.

            Até a Televisão Digital já é MPEG-4…. e se as distribuidoras estão dispostas a pagar os royalies, quem somos nós (consumidores) para reclamar se não pagamos um tusto? .. afinal de contas qual é a preocupação?…

            O Opera e Firefox podem muito bem adoptar o H.264, até porque segundo dizem até 2012 está livre de royalties para players nos browsers. Se eles não quiserem, podem sempre inserir uma TAG para abrir esses mesmos videos nos nossos players, VLC, MediaPlayer, Quicktime, seja ele qual for.. e continuamos a usar à mesma o Firefox ou Opera.

            Esta guerra do H.264 está mais que ganha mesmo… mas de longe. Ninguem sai prejudicado nem mesmo o Opera e o Firefox pelas razões que apresentei… e nós consumidores é ter uma grande qualidade a excelente desempenho. A nós não nos toca rigorosamente nada, por isso não percebo tanto alarido em torno disto.. acho que as vezes é vontade de criticar ou ser do contra.

          • Rammy says:

            @ a Friend®
            “Adotar o OGG nesta altura do campeonato simplesmente não dá… iriamos deixar milhares de plataformas obsoletas.”
            Sería? Houve um tempo em que o formato flv (não sei qual era o codec) era o mais usado na internet. E não havia muitos aparelhos que o usavam nativamente… Numa questão de poucos anos, o cenário mudou para H264, apenas porque o Flash o adoptou. Se querem matar o Flash com vídeo HTML5 (e eu acho muito bem que queiram), vão matar o H264 também. Não importa o que os aparelhos suportam, isso é com eles. O BluRay é H264, deixa ser, ninguém tem nada com isso. Agora, os vídeos da internet é que não podem ser porque…

            “afinal de contas qual é a preocupação?…”
            A preocupação (que não é nenhuma, porque, como disse, o H264 nunca pode ser o standard HTML5) é que com um codec que não seja aberto nem livre, tudo o que é open source deixa de o poder conter (porque o codec não é open source), e não falo só de browsers mas de sistemas operativos open source também, porque não podem conter browsers com suport H264. E claro está, depois, quando alguém quiser fazer um site de vídeos ou assim, tu ou eu, tanto faz! Temos que pagar 5 milhões de dólares para usar H264. Isto é a censura pela moeda. Uma versão alargada do que existe hoje de quem não tem dinheiro não pode ir para o ensino superior ou comprar livros. E depois é esquecer poder fazermos nós próprios os nossos browsers (sozinhos ou em equipas pequenas) porque temos sempre que pagar balúrdios para se poder “ver o youtube” com ele! Essa é a preocupação. Songbird? Esquece! Flock? Esquece. Maxthon? Esquece (e se querem usar o motor do IE, têm que pagar também!!!). K-Melon? Esquece. Nenhum desses browsers, que criam diversidade, escolha, maravilha! Nenhum desses browsers poderia ver vídeos na net! Essa é a preocupação.

            “O Opera e Firefox podem muito bem adoptar o H.264”
            O Opera pode, mas o Firefox não, porque é open source e o codec não é open source.

          • bigkax says:

            a Friend®
            “Até a Televisão Digital já é MPEG-4…. e se as distribuidoras estão dispostas a pagar os royalies, quem somos nós (consumidores) para reclamar se não pagamos um tusto? .. afinal de contas qual é a preocupação?…”

            Não pagamos um tusto se a publicidade pagar por nós por que se não for o caso o preço vem incluído na factura da televisão, Blue-Ray, e tudo o resto que use essa tecnologia.

          • Sun II says:

            Até 2012 e depois? O utilizador que, em casa usando uma maquina de filmar tem que pagar para encodar video? E até para o converter para um outro codec? (licensas de decoding)

            Usar o quicktime? Entao inventam o video tag para n ter que se andar com plugins e vens falar de VLCs e Quicktimes?

            O opera n suporta h264 pq simplesmente n tem dinheiro para pagar as licensas. A apple e MS fazem parte da MPEG-LA, dai a estarem a fazer pressao para o h264 ser padrao e terem o mundo aos seus pés.

            Nao é isso que é o html5? Internet aberta a todos? Que cena é essa de até em linux teres que andar a pagar para andares na net quando html5 usa um codec que precisa de licensa?

            LOL Jobs e a carta aberta à Adobe sobre plataformas fechadas. Espero que mande um tiro no pé

          • a Friend® says:

            @SUN II

            Ve-se mesmo que não conheces o JPEG, MP3 e seus passados, que tiveram as mesmas crticas que o H.264 está a ter…

            Pagas para encodar o JPEG? Pagas para encodar o Mp3 ?… é para rir não?…

            Tás a fazer uma valente confusão em torno destes padrões… mas uma valente confusão……

          • Rammy says:

            @ a Friend®

            Você é que está! O MP3 não é standard da net, e os seus codecs não vêm em Linux nem em programas open source por alguma coisa é. Lá porque é o standard dos leitores de MP3 (lol) não quer dizer absolutamente nada! Ou será que por os leitores de DVD usarem MPEG2 nós vamos começar agora a usar MPEG2 na net? Não. O standard da net em audio é Vorbis (vem em ogg ou mka).

            E o JPEG é livre.

          • Sun II says:

            a Friend, precisas mesmo de fazer uma pausa e de ler umas coisas e com atenção o que estão as pessoas a dizer e porque são contra o h264.

          • leitorassiduo says:

            Este aFriend devia chamar-se “aFriend from Apple”.

            É raro as pessoas me chatearem com as suas opiniões mas tu este senhor é tão fanboy que até dá ansias!

            Rammy, já tentaste explicar, ainda por cima fundamentaste devidamente todos os pontos que argumentas, se ele não quer ver deixa-o, não te maces mais que não vale a pena.

            Cumpts

          • pfbatista says:

            @leitorassiduo:

            Tens toda a razão…

            Já em posts anteriores, surgem sempre os mesmos… os applefans que são tão fundamentalistas que os defeitos técnicos/estratégicos dessa marca, passam a características de grande valor.

            E não adianta argumentar, quando eu argumento algo, vem sempre outro comentário… e sempre a bater na mesma tecla.

            Por norma, nunca volto a responder, isto porque depois de expor a minha opinião, deixo de acrescentar valor… o valor foi acrescentado independentemente da repetição exaustiva por parte, normalmente, dos apple-fans.

            o fanatismo é lixado…

            Como nalguns artigos da microsoft, eu sou contra algumas das suas politicas, mas temos de dar o braço a torcer nalgumas situações, conforme faço…

            e para estes meninos (apple-fans) nem aí… é sempre mau desde que não seja apple…

            Olha… vem aí o Papa…

            oh Afriend… vai ver se o Papa tem um Macbook no Papamobil!!! 😀

          • dajosova says:

            Tenho seguido os vossos comentários com atenção e partilho da opinião dos outros leitores.

            Não chovas sobre o molhado 😉
            Todos aqui já perceberam as desvantagens desta pressão da Apple e M$ e o aFriend já nós conhecemos o rapaz o suficientemente para só lhe dar algum crédito quando devidamente justificado e quando não abusa do fanatismo! 🙂

          • racoq says:

            AFriend

            Se em muitos casos até compreendo o teu ponto de vista, acho que com a tua perspectiva neste aspecto não tens razão absolutamente nenhuma e estás a fazer papel um pouco de advogado do “diabo” (passo a expressão claro).

            Lá por um standard ser usado pela indústria, não significa que possa ser usado ou associado a uma norma como o HTML5 que é totalmente aberta. Principalmente quando é carregado de patentes e o seu dono já várias vezes as reforçou em tribunal.

            Aliás aplaudo a atitude da mozilla e opera que aliás estão a ser coerentes porque sempre apostaram em standards abertos. Relembro que antes que a Apple saber o que eram standards de web, já o Opera era pioneiro em os usar e era o browser que sempre cumpriu mais os standards de internet.

            É óbvio que existem interesses por parte da Apple em suportar o H.264, ao ponto do Steve Jobs se envolver directamente nesta batalhas. Só não vê quem não quer.

            Remato como comentário final, que codec estar livre de patentes até 2012, não quer dizer absolutamente nada, depois daí a detentora do codec pode muito bem voltar a retirar os direitos.

            Os destinos de um codec usado num standard universal não podem estar dependentes de uma tecnologia com uma dose elevada de patentes.

            Quanto ao Steve Jobs. Boa sorte a encontrar patentes violadas no ogg theora. As que alguem alegar que violam patentes, como a tecnologia é open source, serão mudadas num ápice

          • lmx says:

            boas..
            isto faz-me lembrar um caso grave de tentativa de extorção que foi levada a cabo pela graciosa M$, a quando da sua tentativa de eleminação por completo da tomtom, esta usa linux nos seus gps, a M$ acha que pode fazer as empresas usarem o que qrerem, então colocou-lhes um processo para uma indeminização brutal(como a gente sabe estes germes todos vivem disto), a FSF saltou com advogados em defesa da tomtom, e a coisa foi tão ridicula que as patentes que a micrisift tinha registadas, ja existiam como software livre fazia anos.
            Sendo este software livre ou seja patrimonio da humanidade, e ja existindo como software livre muito antes das supostas patentes, ninguém podia vir reclamar a dizer que algo era seu, foi ridiculo, mas ridiculo secalhar é pouco para descrever a vergonha(talvez eles não tenham), que foi lol.
            parece-me mais um caso de extorção ao mais alto nivel, e tem que ser a população, a controlar estes palermas, não adoptando os esquemas que eles querem impor e não comprando nada deles.
            Mas afinal quem é que manda somos todos nos os bilioes que existem no mundo ou centenas de milhares de larapios que ai andam bem montados a viver a nosso custa.
            Abaixo a &pple e a M$ ja…!!!

            cmps

    • -_-' says:

      Pst, cala-te. Não sabes o que dizes, até porque nestes dias saíram várias notícias dizendo que o IE está a perder cota.

      • Vítor M. says:

        Acho que sempre saíram notícias com essa “notícia” :D… todos os dias se lê algures que o IE está a perder quota de mercado… mas até onde isso será verdade?

        • Rammy says:

          Bem, olhando para todos os “contadores” (é assim que se chamam?), o IE perde cota de mercado continuamente, e o IE8 começou a perder cota de mercado (pela primeira vez desde o seu lançamento) há dois ou três meses atrás. Isto tudo ajudado, claro, pelo balot screen para a União Europeia.

          Não é tanto uma questão de notícias como uma questão de olhar para os dados directamente. É como aquelas “notícias” do novo gestor de add-ons do Firefox. Não é notícia até que entre nas nightlies, mas eu já tinha builds instaladas com o novo gestor de add-ons há meses, e faço testes há meses, e ainda faço… É tudo uma questão de percepção do público, mas os factos não mudam: o IE está a perder cota de mercado continuamente, e a um ritmo que está a acelerar.

    • Rammy says:

      Mas já ganhou o quê? H264 nunca pode ser standard porque é pago (5 milhões para se usar… à pois é) e não é aberto. Pode ter ganho hoje em dia que não há uma implementação fixa, mas nunca pode ganhar se o Flash morrer.

      Aliás, hoje em dia só ganha porque o Flash o suporta. Se o Flash morrer, o H264 morre com ele. É que nem tem hipótese.

    • Vítor M. says:

      Digamos que ele é o “amplificador” do que se fala por entidades com menos “tempo de antena”.

      De facto ele está apenas a amplificar um eco.

      Agora ele é esperto 😀 ele vai minar todos os ângulos possíveis para sustentar o HTML5 😉

      “Quem não está comigo está conta mim” 😀

      • Rammy says:

        Mas isso não faz sentido! O H264 não pode ser o standard nunca, porque não é aberto nem livre. Suportar H264 não é suportar HTML5 video, é suportar o codec com o qual eles ganham dinheiro…

        Simplesmente não faz sentido. É como a Microsoft a adoptar apenas o H264. Eles estão é a assegurar que o Flash fique por cá durante muito mais tempo que o que ficaria, caso contrário. E a Adobe está a esfregar as mãos de contente no meio disto tudo (vá-se lá saber porquê).

    • Tagus says:

      Eu não conheço muito bem o codec Theora, mas o que ele diz é verdade, “só porque alguma coisa é de código aberto não significa nem garante que não estejam a infringir as patentes de outros. Um standard aberto e livre de direitos é diferente de código aberto.”.
      Agora porque razão ele veio ATACAR o firefox e o opera por causa disso, é uma outra história.
      Contudo e na minha opinião faz mais sentido usar um codec standard como é o caso do H.264.

      • Rammy says:

        O H264 não é standard. É o mais usado, mas o IE6 também era o mais usado e não era standard.

        Está a ver a diferença?

        E, como disse várias vezes aqui (só para esclarecer), o H264 não pode ser standard HTML5 porque não é livre nem aberto. O que é preciso é encontrar um codec que seja livre e aberto, e aí usa-se esse, ou o melhor que se encontrar, se se encontrar vários. Não interessa qual, é preciso é um que seja livre e aberto. O Theora é o melhor candidato, mas lá está, as pantentes submarinas…

        • a Friend® says:

          Estas a esquecer totalemente as plataformas que lêem os videos directamente da fonte… se apostassem em formatos mutliplos isso era totalmente anti-standard, porque haveria players que so liam formato X.. e outros formato Y…

          H.264 é standard já adoptado a bastante tempo, nos smartphones, consolas, leitores, etc… e é essa razão de ainda dar mais força ao HTML5 usa-lo como standard também…

          • Rammy says:

            Mas não entendes que o H264 NÃO PODE SER O STANDARD HTML5 porque não é livre nem aberto?! A W3C, que é quem decide essas coisas, só escolhe formatos livres e abertos para manter a internet livre para todos. Podes ir ao site deles para constatares isso. CSS não é proprietário, JavaScript não é proprietário, XHTML, XML e por aí fora. Tem que ser tudo livre e aberto.

            É essa a alma da internet!

          • Sun II says:

            Estás a confundir tudo e a dizer asneiras.

            No maximo h264 poderá é tirar força ao video tag do html5, pelos developers nao querem pagar para encodar filmes em h264 que sejam suportados pelo IE, Safari e afins.

            Preferem por exemplo usar flash, ve la tu, que deixam À adobe os custos do uso do h264.

            Estás mesmo mal informado e devias ir ler bem mais antes de mandar bitaites

          • Rammy says:

            @ Sun II

            Ora nem mais! Penso exactamente o mesmo.

          • a Friend® says:

            @Rammy e SUN II

            Ambos estão a perceber mal a essencia da Internet. Ela sim é livre e deverá ser livre

            Mas videos e Música são conteudos que grande parte preservam direitos de autor, precisam de padrões pagos, precisam de certificados, DRM e afins… logo nunca poderão estar sob a base de OPEN STANDARDS mas sim de STANDARDS..

            O facto da Internet ser livre não tem nada a ver com o conteudo que nela roda. Quem põe conteudo PAGO tem que ter protecção do mesmo.

            Logo FLASH, OGG, THEORAS e afins não conseguem proteger os mesmos….

            Internet é livre e negócio também, logo tem que ter um padrão que possa suportar as duas vertentes e não apenas a livre…

          • Rammy says:

            @ a Friend®

            “Ambos estão a perceber mal a essencia da Internet. Ela sim é livre e deverá ser livre

            Mas videos e Música são conteudos que grande parte preservam direitos de autor, precisam de padrões pagos, precisam de certificados, DRM e afins…”
            Ó meu grande ignorante! Os codecs não têm DRM! Os formatos de vídeo é que têm! OGG pode ter tantos codecs como MP4 ou FLV ou qualquer outro que use H264.

            Valha-te… o senhor… ou lá quem for.

          • kekes says:

            O DRM… bem, se queres que te diga, ou as editoras largam o DRM o que se tem passado a pouco e pouco ou ficam com o ## preso…… UIIIIII

            O DRM tem sido tão eficaz que penaliza mais quem compra, e não penaliza nada quem “saca”.

            Eu sou mais adepto do h.264, alias eu tenho actualmente toda a minha colecçao videos em h.264, pelo menos backups e afins, mas concordo que nao deve ser standard da Web; alias basta vermos os actuais standards para atingirmos que a web tem de ser constituide de OpenStandards.

          • leitorassiduo says:

            SERÁ QUE AINDA NÃO PERCEBERAM que quando se fala de Apple só p fanboy aFriend from Apple tem razão em todos os aspectos?!

            Não adianta contra argumentar, fazer desenhos, etc.. W3C?! O que é isso comparado com A LEI DE JOBS?!

            Epá, a sério.. não devia ter aberto o pplware hoje.. que falta de paciência para este tipo de atitude por parte de pessoas com visibilidade limitada e opiniões pré-definidas acerca de um qualquer assunto.

    • kekes says:

      Se o Flash é o que é porque é proprietario porque o H.264 é exepção? Aiai falta de consistencia.

      O H.264 não ganhou nada; a Google lança o VP8; o youtube vai atrás e o H.264 perde quase todo seu share com outros sites seus “amigos” seguindo-lhe as pisadas…

      É a minha ideia do que se vai passar. O Jobs não ta a disparar tiros só porque sim… Ele ta com medo que a escolha do H.264 lhe saia pela colatra e vai “atras” o iPhone, o iPod e o iPad pois eles estão a apostar nesse codec para os seus aparelhos e se não se torna “standard” a Apple tem que revisar todos os seus planos até agora, não será o drama mas que vai ser chato vai ser. Alias o android agora tem mais peso que iPhoneOS.

      “Quem tem cu tem medo.”

      FTW Firefox and Opera 😛

      • a Friend® says:

        Medo porque ? lol 😀

        O tiro nunca lhe sairá pela culatra, porque vamos supor que aconteceria o OpenStandard vencer..

        Se ele é Open, a Apple adoptava-o com a maior das facilidades e sem custos… onde é que isso é um tiro a sair pela culatra?…

        O problema do Flash é que ele não é CODEC.. é um container… são coisas diferentes… Camadas sob Camadas para visualizar um video.

        • kekes says:

          Eu disse tiro pela colatra mas disse que iria ser o facto da Apple ter que rever a sua posição… É perciso ler tudo.
          Sim o Steve está com medo achas que ele veio dizer isto só porque nao tinha Action Mans para brincar? Isto foi tipo “ai mas, mas, mas escolham h.264, é a mesma coisa que o thora… Vá lá; vá lá…”

          • a Friend® says:

            Então e foi ele que obrigou a Microsoft também a adoptar apenas o H.264? 😀

            É como disse, a escolha não foi só dele, foi do mercado em geral que adopotou o H.264 como codec principal.

            Tu até nos smartphones actuais, practicamente todos gravam em H.264/MP4 …

            Achas mesmo que foram os Action Mens da Apple que obrigaram o mundo inteiro a usar o H.264 ?! 😀

            Ele só está a dar a cara o que a Microsoft e outras marcas já abraçaram ao tempo… pela calada, inclusivé Google. Que sabe bem que precisa do MP4 para que seja lido em grande parte dos players multimédia.

          • kekes says:

            O a Friend eu la quero saber se a MS usa h.264 ou raios a parta… Ouvi agora que a Canonical tambem secalhar vai usar…

            Agora tens dever factos o h.264 nunca vai ser um standard, temos o VP8 talvez ai a bater a porta…

            Eu não sou dono na MS nem seu funcionario nem da Apple nem da Canonical… O que eles pensam ou deixam de pensar para mim da igual, eu penso por mim e não por outras pessoas. O facto é que OGG é o que deve ser standard, e bato na mesma tecla como tu: O Steve Jobs não disse isto porque achou fixe o pessoal andar a porrada com a sua legião de disciplos World Wide… disse isto como mais uma das suas tacticas para alcançar os seus objectivos de ele dizer EU É QUE SEI O QUE É O FUTURO…

          • a Friend® says:

            Kekes

            H.264 nunca vai ser um Standard?

            Ele já é um Standard.. Olha para os produtos à tua volta… Blu-Ray.. Smatphones, TDT, etc..etc..

            Mais de 800 empresas o decidiram…já ao tempo.

            http://www.mpegla.com/main/programs/AVC/Pages/Licensees.aspx

            És tu que vais decidir que o OGG é que é?..

            H.264 já foi decidido ao “seculo” como standard. Não por mim, não por ti, não pelo Steve… mas pelas empresas todas que investiram nele! E não são nada poucas.

      • Vitor says:

        o tiro não lhe saia pela colatera, porque so por mandar um bitate destes, ja vai ter mais 1 milhão a comprar ipads.

    • scheldon says:

      se ta de brincadeira né?????

      Jobs e a apple fazem parte do consorcio que quer nos empurrar guela a baixo o H.264 através dos seus navegadores, e se tu achas que as estatísticas de uso do h.264 estão Certas (coisa que é impossível se levarmos em conta a participação do FF no mercado) a única coisa que fica provado é que os appletards são mais idiotas e manipuláveis do que se imaginava.

  5. apple renegade says:

    Isto começa a ser rídiculo, o Steve Jobs é um capitalista assumido e desejava que o open-source esmagasse a sua atitude megalómana.

    Nem os produtos apple têm a qualidade que deviam, com muitas vezes produtos sub-standard que as pessoas compram a um preço elevado para uns dias mais tarde verem o mesmo produto com o mesmo preço mas com specs muito superiores.

    Só tenho pena de o open-office não estar à altura do ms-office, porque aí o ubuntu (ou outro linux) traria competitividade à séria

    • Vítor M. says:

      Bom, em termos de qualidade os factos falam por si. Em relação à sua atitude perante o mercado mundial, quer-me parecer que ele está a tomar uma posição já vista em tempos (noutros prantos claro) pelo Steve Ballmer, mas o mercado o tal capitalismo ou o mercantilismo, é que fazem o mundo girar. 😀

      Quer-me parecer que ele está a alinhar-se pelas grande tomadas de posição dos governos do mundo, face a uma crise que se pensava nunca chegar.

      • Rammy says:

        Agora que fala de política…

        Lembro que o panorama político internacional da actualidade conta com o crescimento dos Partidos Piratas que lutam pela liberdade de informação (entre outras coisas mais directamente ligadas ao seu nome, está claro), com a divulgação da Web 2.0, que só existe graças às tecnologias abertas e à internet aberta (contra as quais a Apple se coloca contra, directa ou indirectamente), e com o crescimento da consciencialização ideológica das massas, bem como da alfabetização informática. O site WikiLeaks é um grande, grande exemplo da realidade política da actualidade, e quem passa ao lado disso está a leste.

        Duvido que a Apple esteja a leste. Bem… pelo menos neste caso. Duvido que a escolha deles, a pressão deles tenha a ver com questões políticas.

      • lmx says:

        boas..
        não quererás dizer antes que é o capitalismo que destrói a nossa economia, …esta a vista de todos a volta que isto tem levado nos últimos tempos…

        cmps

    • Rammy says:

      Não será pelo OpenOffice… O Wine trabalha muito bem com o MS Office.

      No final do dia, acho que as pessoas esperam demasiado do open source. Não é mais que um método de desenvolvimento. É o melhor que temos hoje, é certo, mas tem falhas, e graves. Contudo, e apesar de ser o melhor, o maior software open source que existe hoje no mundo é o Firefox, e em grande parte, foi o Netscape que lançou todo este movimento FLOSS. Devemos muito à Mozilla e àquele núcleo de pessoas que se lançam em busca de um futuro melhor. Se não fossem eles… bem, teriam sido outros, mas foram eles quem impediram que hoje tivéssemos um IE8 que é basicamente um restyle do IE6, e que a internet seja a maravilhosa plataforma aberta que é. Mas ainda há muito trabalho para fazer.

      Mas é impossível, contudo, que esta “guerra” traga resultados piores do que a realidade de hoje em dia. O Flash está aí para as curvas, e vai estar durante pelo menos 3 ou 4 anos. O que o MPGLA ou lá o que é tem a fazer é impedir que o H264 seja royalty free depois de 2010, e acaba-se a questão. E se não se puder usar o Theora, usa-se Flash e está a andar! É que é mesmo assim! Porque agora, nos dias de hoje, há muitos mais browsers a suportar Theora que browsers a suportar H264 e essa realidade não vai mudar enquanto o IE9 não sair e se tornar maior que o Firefox.

      O que, tendo em conta que não vai ter um browser para o acompanhar como os seus antecessores, e olham para o ritmo de adopção dos seus antecessores, vai demorar, pelo menos, ano e meio depois do seu lançamento.

      Se alguma vez bater o Firefox! Porque o IE8 ainda não o bateu.

  6. Preocupado says:

    Isto é preocupante, porque se moda pega a Microsoft ainda lembra-se de manda acabar com o OpenOffice. Este gajo abre um grave precedente, que poderá levar a evolução da informática para os tempos da idade média, onde tudo tinha dono. Vê lá se o gajo que inventou o “browser” não se lembra de fazer um processo judicial contra o safari. Ou o gajo que inventou o ecrã táctil. Isto, pela mentalidade do Steve Jobs, vai voltar ao tempo em que cada fabricante de pc’s fazia o seu próprios interfaces proprietários.

    • Rammy says:

      Acabar com o OpenOffice? Isso é impossível. Se for em termos de patentes, a Sun é que ainda acaba com o MS Office 😆 O OpenOffice está muito bem cimentado em termos de patentes e licenças, e tem várias empresas poderosas atrás a suportá-lo. Não são tão poderosas como a Microsoft, mas não são chiwawas nenhuns.

  7. Rafael says:

    hahahaha estou a rir!
    primeiro adota H.264 que é fechado e depois reclama do Flash ser fechado e ainda reclama que outros navegadores escolhem padrões abertos e sobretudo GRÁTIS para a empresa que fabrica o navegador.
    ele deve estar com raiva de ter que pagar pois tem um contrato com o “fabricante” do H.264 enquanto os outros (Fx e Opera) podem escolher ser livres, isso.

    • Rammy says:

      Ahahah! Se fosse isso era bom! O problema é que Apple é dona (em conjunto com outros) do H264! E quando mas o H264 for vendido e utilizado, mais eles ganham dinheiro!

      E a Microsoft também é dona do H264, em parte também… É tudo uma cambada de ladrões.

      • a Friend® says:

        Apple a Microsoft donas do H.264 ??…

        http://en.wikipedia.org/wiki/H.264/MPEG-4_AVC

        H.264 pertecence ao padrão MPEG, que sempre foi usado desde a digitalização dos videos… VideoCD, com o MPEG1, DVD, com o MPEG-2 …. Bluray com o MPEG-4 aka H.264 …

        Ele é o video padrão.. é natural que ele seja adoptado pelo HTML5 por esse mesmo motivo…

        • a Friend® says:

          E digo que é natural porque WEB e TV estão cada vez mais a abraçar um ao outro, e a TV interactiva é o futuro, logo têm que usar ambos o mesmo padrão.

          É tudo uma questão de lógica 😉

          • Sun II says:

            Estás a dizer asneira atrás de asneira.

            A sério, faz uma pausa, vai respirar.

            Jobs não é Deus, sim?

            Informa-te:
            http://www.osnews.com/story/23236/Why_Our_Civilization_s_Video_Art_and_Culture_is_Threatened_by_the_MPEG-LA

          • Rammy says:

            Mas, mais uma vez o digo, o suporte de vídeos da Web não está ligado ao suporte nativo dos vídeos da televisão. Primeiro, é o browser que os corre, não o software das televisões ou o aparelho que for. Segundo, o upload para serviços de vídeo pode ser feito em qualquer formato, porque o encoding é feito necessariamente pelo serviço (a não ser que seja upload directo, o que não existe em lado nenhum, a não ser em servidores de alojamento). E basicamente é só isso.

            É certo que Web e TV estão muito juntas, e ainda bem, mas são coisas totalmente distintas, apesar de tudo, porque o browser anda lá pelo meio, e é o browser, não o aparelho, que faz o suporte, seja ao que for.

          • a Friend® says:

            Sun II

            O que é que o Cu tem haver com as calças…

            Estamos a falar de padrões e vens com essa conversa…

            Não dizes coisa com coisa…

          • Sun II says:

            a Friend, a sério, preserva a tua dignidade e lê pelo menos o artigo.

          • Rammy says:

            Olha o link está aqui:

            http://html5.org/tools/web-apps-tracker?from=1142&to=1143

            “It would be helpful for interoperability if all browsers could support the same codecs. However, there are no known codecs that satisfy all the current players: we need a codec that is known to not require per-unit or per-distributor licensing, that is compatible with the open source development model, that is of sufficient quality as to be usable, and that is not an additional submarine patent risk for large companies. This is an ongoing issue and this section will be updated once more information is available.”

            Directamente do site deles. Esclarecido? Tem que ser compatível com open source e sem royalties.

          • a Friend® says:

            @Rammy

            Mas os serviços querem ter apenas um formato padão para o conteudo de video, em vez de vários a ocupar espaço e trabalho.

            os browsers, lêem directamente o Mp4, os players, igualmente, e a TV igualmente. Ou seja, vão todos ao mesmo ficheiro fonte visualizar o conteudo. É isso que eles pretendem, e é isso que é um verdadeiro Standard.

            Cada vez mais aparecem players que lêem videos do Youtube e afins, e eles não recorrem ao flash, recorrem directamente ao MP4/h.264…

            É mesmo inevitável que este padrão seja adoptado. Meio mundo pode espernear à vontade, que isto já está mais que decidido, e se o consorcio da MPEG tem aqueles gigantes todos, mais razão ainda me dá para afirmar que o H.264 já tem o padrão garantido. Ele já o tinha em todas as areas, e agora serve de motivo ainda mais para que seja usado na web.

            Web e TV é uma fusão inevitável, e os padrões tal como disse, têm que ser os mesmos. Se a TV em geral já usa o H.264 e a Internet está destinada a abraçar a TV, não há razões para esta ter outro padrão de video. Só seria prejudicial para os “gigantes” terem ser suportar multiplos formatos.

          • Rammy says:

            @ a Friend® says:

            “Mas os serviços querem ter apenas um formato padão para o conteudo de video, em vez de vários a ocupar espaço e trabalho.”
            Claro, claro que sim, mas a questão é que o formato padrão é só um, mas é aquele que o W3C disser. E como eles não vão dizer que é o H264, por agora o formato padrão é Flash, e é a Adobe que diz se é flv, se é VP1, H264 ou o raio que o parta. O formato padrão agora é flash. Não é o padrão oficial, é o padrão que todos usam.

            “os browsers, lêem directamente o Mp4”
            Não não lêm! Apenas o Chrome e o Safari actualmente! O que significa uns 8% do mercado. Ogg é muito mais suportado, porque é lido no Firefox, no Chrome e no Opera, que é para aí 35% do mercado. Faz lá as contas a ver quem tem mais suporte.

            “os players, igualmente, e a TV igualmente.”
            Isso não tem a ver com o conteúdo online. Os players lêm mp3 e tu não andas a ler mp3 no youtube nem em lado nenhum. O som da web é todo em ogg.

            “É mesmo inevitável que este padrão seja adoptado.”
            É mesmo impossível que este padrão seja adoptado porque não é livre nem aberto. A W3C é que decide, e a W3C já disse que tem que ser livre e aberto. Não há volta a dar.

          • a Friend® says:

            @Rammy o que interessa o Firefox e o Opera lerem o OGG se o formado mais encodado é o h.264 ?

            Eles tem mais marketshare mas o formato mais encodado na net entre o OGG e o H.264 é este ultimo…

            Faz lá bem as contas…
            Ainda no inicio do artigo deixei o Link com esse mesmo gráfico.

            http://tctechcrunch.files.wordpress.com/2010/05/videoencodingchart.jpg

            O OGG nem agua bebe… nem sei como dizes que ele é padrão com esse share de mercado…

          • Rammy says:

            @ a Friend® says:

            “Faz lá bem as contas…
            Ainda no inicio do artigo deixei o Link com esse mesmo gráfico.”
            Mas esses números vêm de coisas como BluRay e Flash! O BluRay não tem nada a ver com a net, e o Flash, se for morto pelo HTML5, o H264 morre com ele. Isto porque o HTML5 para matar seja o que for, precisa de um standard. E o standard não vai ser H264, como já disse várias vezes, porque tem que ser livre e aberto. Que importa ser o mais utilizado? Mais depressa a adopção do vídeo HTML5 demora dez anos a desenvolver que o Flash morre!

            Depois é ver que a Google, de facto, não quer que o H264 suceda. Por interesses comerciais. E quem tem mais cota de mercado dos browsers que suportam H264, quem tem? Pois é, Google Chrome… Agora pensa em quem manda aqui… E depois há o VP8.

            Mas se queres falar de coisas que não têm nada a ver com a questão, podes falar. Mas eu não quero saber disso.

            “O OGG nem agua bebe… nem sei como dizes que ele é padrão com esse share de mercado…”
            Primeiro, eu não digo que é padrão, e segundo, eu estou a dizer que o padrão tem que ser livre e aberto. Mentira! Não sou eu que digo, é o W3C, que é quem decide os padrões.

          • N says:

            LOL opá tu ainda te dás ao trabalho de linkar links que te enterram?

            A apple e a Microsoft fazem parte do consorcio MPEG-LA e têm patentes sobre o h.264 (a apple acho que até só tem uma, até nem deve receber muitas royalties…) mas se o h.264 for para frente quem quiser fazer encoding de filems para postar na net vai ter de pagar pelo encoder em royalties QUE a MS e Apple vão receber dessas royalties. Portanto SIM SÂO PARCIALMENTE DONAS, da mesma maneira se tu tiveres um X acções tens direito a mandar bitaites na administração da empresa.

            O h.264 é aberto para distribuição na Net até 2015 a partir daí… Pode acontecer o que aconteceu com o GIF que tentou chupar royalties a toda a gente, mas como a MS foi contra eles, lá se calaram… Agora se MS e Apple se lembrarem de chupar dinheiro disto. Acabou-se os filmes para toda a gente, que não use Browsers dos grandes

        • Rammy says:

          Não não amigo. A MPEG-LA é apenas a entidade que regula as empresas que recebem dinheiro pelas royalties do codec, não são os donos eles próprios! As patentes pertencem a empresas grandes e pequenas, e são muitas, como pode imaginar. São muitas entidades, e nem todas são conhecidas, é ver.

          É esse desconhecimento, fruto da podridão do sistema de patentes norte americano, que faz do Theora um codec “inseguro”, como o Job diz.

          • a Friend® says:

            Isto que está a acontecer com o H.264 é um dejavu do que aconteceu com o JPEG e com o MP3…

            Qual foi o resultado? Acho que está à vista de todos…

            São patenteados e isso prejudicou alguma coisa o seu uso? … Alguém está prejudicado com o Mp3 ?….

            😉 Tens esses breves exemplos daquilo que defendes e que poderás estar errado da obrigatoriedade de eles terem que ser Open-Source…

            Todo o processo de padronização envolve: patentes.. patentes e mais patentes. É inevitável.

          • Rammy says:

            @ a Friend® says:
            “Isto que está a acontecer com o H.264 é um dejavu do que aconteceu com o JPEG e com o MP3…”
            Prejudicado não, mas o que é certo é que o MP3 não é o melhor codec (nem o JPEG é o melhor formato) e a sua utilização está restrita a aparelhos de música físicos, ou ao flash! Na web não há MP3. Há Vorbis (ogg), esse sim, e é standard. E é bem melhor que MP3. Compara o H264 na web com o sucesso do MP3 é como compará-lo ao sucesso do VHS… Não há MP3 na web. Nem VHS, já agora.

            “Qual foi o resultado? Acho que está à vista de todos…”
            Claro. Não há MP3 na web, e o standard é Vorbis (ogg ou mka)

            “;) Tens esses breves exemplos daquilo que defendes e que poderás estar errado da obrigatoriedade de eles terem que ser Open-Source…”
            Não estou enganado, mas infelizmente não tenho links. Mas não estou enganado. Se não encontrar o link (basta procurar no site da W3C também) daqui a uns anos, quando H264 ainda não for standard HTML5, ficarei provado 😛

            “Todo o processo de padronização envolve: patentes.. patentes e mais patentes. É inevitável.”
            Patentes que só existem nos estados unidos, lembre-se, e que está para acabar, mais tarde ou mais cedo. Os padrões nunca forma patenteados, já agora. Têm sido sempre livres.

          • a Friend® says:

            @Rammy

            JPEG não é Standard?
            MP3 Não é Standard? 😀

            Então porque é que quando alguém tira uma foto e envia na web.. diz.. “vou-te enviar um JPEG…”

            Porque é que os leitores à venda são “Leitores de Mp3” ?..

            Se o OGG fosse padrão(standard) não deveriam ser “leitores de OGG” ?? 😀

            Acho que este debate no geral está a gerar uma GRANDE confusão entre o que é:

            Standard (Padrão)
            Open Standard
            Open Source
            etc…

            OGG não é Standard. É Open Standard.

          • Rammy says:

            @ a Friend®

            “JPEG não é Standard?”
            O JPEG é livre, como disse. Aqueles tipos nunca tiveram qualquer fundamento judicial. E já nem me lembro do nome deles.

            “MP3 Não é Standard? :D”
            Claro que não é! Quando foi a última vez que ouviste MP3 na internet com a tag audio? Eu digo-te: nunca, porque não há nenhum browser que o suporte.

            Sim, porque lá porque o txt e o doc são standards, não os andas a ver na internet… Não confundas as coisas. Uma coisa é os mais usados, outra coisa são os standards para interoperabilidade entre browsers e sistemas.

            “Se o OGG fosse padrão(standard) não deveriam ser “leitores de OGG” ?? :D”
            Fala-se de alhos e ele fala de bogalhos. Podes falar, eu não me importo.

          • a Friend® says:

            @Rammy

            à partida de tudo, já reparei que fazes uma GRANDE confusão do que é Standard e o que é Open Standard. Estás a por tudo no mesmo saco quando ambos são diferentes.

          • Rammy says:

            @ a Friend®
            E eu já disse que podes falar de coisas que não têm nada a ver. Eu não me interessa. O standard é a televisão. Não vais ligar um cabo de TV ao computador para ver televisão na internet pois não?

            Então…

          • pfbatista says:

            ahahah…

            fight for your blind conviction!!

          • a Friend® says:

            @Rammy

            Mas que falta de visão desculpa lá..

            Claro que tem tudo a ver e está tudo ligado, se a TV e outro tipo de leitores multimédia, smartphones, consolas, tudo está a “abraçar” a WEB é natural que queiram um Standard de video igual em todos. Se estes produtos já adoptaram o H.264 À muito, é natural que queiram que a WEB esteja recheada de H.264, dai eu estar a juntar as peças todas.

            E não, standard não é só a televisão. Se a Internet não tivesse standards ninguém a abria.. para tua informação.

            Só te dou um exemplo entre os vários… Protocolo TCP/IP …

            Mas isso nem é preciso caminhar por ai.. Simplesmente pensa um pouco no caminho que os players estão a ter ou até mesmo as proprias TV’s que já começam a vir com software embutido para ligação à web, e vê que formato eles descodificam nativamente…

            É tudo uma questão de lógica… Se eles descodificam o H.264, isso só dá mais força aos desenvolvedores usarem este codec para abranger a WEB inteira, e seja um browser HTML5, seja uma consola, seja um smartphone, seja uma player de TV, seja que plataforma for, todos eles seguirem o mesmo padrão de video. E esse é o H.264, que nem foi o Jobs, nem Gates que o ditaram padrão, foram mesmo todas as empresas e desenvolvedores que o adoptaram.

          • Sun II says:

            a friend,

            devias ser um bocadinho mais humilde e aprender a estar calado.

          • a Friend® says:

            @Sun II

            Se não tens argumentos passa a frente. Não és tu nem ninguém que me manda calar.

            Eu quando não sei o que falo, simplesmente calo-me.. não sou fala barato como tu que tenta ter razão sem saber o que está a falar. Mas tu já é tradicional, fazes o mesmo em todos os tópicos que digam Apple.

            Aqui ninguém está a defender nem Jobs nem Microsoft, está-se a discutir o que é obvio, e o que o mercado adoptou. Se não percebes o que digo, passa a frente. Mandares comentários com falta de argumentos e chamar burro, guarda para ti mesmo ou esperneia-te para outro lado. Se não te deram educação, não venhas aqui procurar quem que dê.

  8. RCS says:

    A desvantagem clara do firefox e outros ao não correr h264 nativamente é ficar mais pesado a correr os vídeos, o que pode originar a migração para o chrome e afins.

    Vamos lá ver o que se passa com o V8. Ou o V8 avança para a frente como open-source, ou então o firefox vai ter mesmo de pagar as royalties para se manter competitivo.

    • Rammy says:

      O Theora e o Vorpis são geralmente mais leves em termos de performance. São menos eficientes na qualidade (o que faz ser necessário ficheiros maiores para a mesma qualidade) mas em termos de performance não são prejudicados.

      E o Chrome também suporta Theora, apesar de ser mais pesado que o Firefox, porque o Firefox é quem está à cabeça nestas questões de HTML5. São eles que estão a liderar praticamente o trabalho todo, excepto em alguns campos.

  9. Misterious says:

    pronto… ja que a adobe ja arredou para o lado, venha os proximos…lol

    • Rammy says:

      Bem pelo contrário! Ao adoptar o H264, a Apple só está a assegurar que os sites de vídeo vão continuar a disponibilizar Flash, porque afinal de contas, nem 10% dos browsers suportam HTML5 com H264…

      Mas a cota de mercado do Safari é tão pequena que ninguém se importa! 35% do mercado suporta Ogg, e o resto é conversa! E só está para aumentar, já que o Chrome o Firefox é sempre a crescer.

  10. O preguiçoso... says:

    A imagem está demais! 😀
    Eu até escrevia mais qualquer coisa, sei lá, uma opinião, mas para isso teria de ler os comentários expostos acima, para não repetir, ou até, “contrariar”. E aí sim, seria uma tragédia.
    E eu pergunto: Compensa ler aqui tudo? Ou seja…
    A imagem está demais! 😀
    😛

  11. kekes says:

    Vejam, vejam falam mal dos outros mas este Sr mal teve um bocadinho de poder a mais tenta partir e dominar tudo: “quem manda sou eu”. Imaginem se este senhor tivesse o poder de muitos…
    A google anda-se a mexer no background… e eles caladinhos mandam mais que o Sr. Maça.

    • Vítor M. says:

      Não sei 😉 nesta altura Jobs tem muito mais poder de influenciar tendências.

      Mas se se abstraírem da “guerrilha a minha é maior que a tua” verão que o que este senhor tem feito é chamar os bois pelos nomes e deixar em cima da mesa temas controversos, que muitos ruminam no silêncio, mas ele faz questão de falar em voz alta.

      Seja como for… ele não é burro nenhum 😉

      • kekes says:

        Aiii burro não é senão não estava onde tá 🙂
        Sim é verdade este senhor é o novo nome da moda mundial, no entantoa Google tem ganho terreno com o seu Android que vai agora suportar flash… Têm um codecs potente nas mãos… São conhecidos como benefectores do mundo… e têm mão em tudo. E eles não percisam de falar em voz alta, eles caladinhos lançam e o pessoal vai atrás que nem um cordeirinho.

  12. Eduardo Garcia says:

    Não tem nem ideia do que esteja fazendo esse cara é loco, agora dizer que o flash não dá suporte touch é erro hiper-equivocado todos sabemos que flash suporta sim até multitouch e alem do mais apple com seus softwares caros e tudo mais… não o quero na minha lista de natal… 😀

    • Vítor M. says:

      Não concordo muito contigo. Nisso ele tem muita razão, o Flash é complicado pois consome mais recursos (sempre foi assim) é uma tecnologia problemática (a versão 9 deu muitos problemas no Windows) depois os developers a desenvolver por cima nem sempre cumprem as regras, enfim… ele não deixa de ter muita razão 😉

  13. Eduardo Garcia says:

    Preucupado demais com o open-source???
    Ah, até parece um absurdo que ele cobra por seus produtinhos que só pq tem aquela maçã mordida acha que me pode rancar-me o olho da cara.

  14. Nit Not says:

    Odeio a Apple a Microsoft, viva opensource.

  15. Tanto blabla… Será que ade andar sempre a discutir a morte da bezerra? ou numa m**da qualquer sem ponta de significado? eu concordo que é muito bom ir actualizando as tecnologias, só acho totalmente estúpido é abandonar tecnologias mais antigas antes de as explorar totalmente embora eu sou de acordo de abandonar e deixar morrer num canto qualquer o flash, alem de lerdo e comer mais recursos para fazer algo simples que a maioria dos programas… Mas o html5 quase de certeza que ainda vai conseguir ser mais lento e pesado 🙂 é o normal, hoje em dia para ter uma calculadora no pc é preciso que este tenha uma gráfica dedicada com 512m de memoria e que tenha no mínimo 2 gigas de ram… Estou a exagerar, mas pensem um pouco, eu por exemplo tenho um velhinho n80, flash não existe (que trabalhe claro) recursos tem poucos em java trabalha mal e porcamente, mas ainda á pouco tempo andei a passear nuns sites impróprios para menores nele, que usavam o framework de html pros iphones (java + css) e era lindo, rápido e funcional… A única melhoria que vejo nos últimos anos a nível informático é principalmente a ver a empresas a fazerem maquinas mais potentes e mais caras para nos TERMOS de comprar se quisermos continuar a (mais que não seja) aceder ao nosso email…
    (comentário de alguém que hoje está especialmente rabugento)

  16. Pedro Lopes says:

    O assunto dos codecs está encerrado, a WHATWG e os seus membros não chegaram a acordo quanto aos codecs a usar, o que “ficou definido no HTML5” é que cada empresa irá suportar o codec que bem entender, embora a W3C continue a recomendar os formatos da OGG.

    O MP3 e o H.264 foram escolhidos pelo mercado e não pela Apple nem Microsoft, e é isso que vai ficar, o OGG não tem hipótese.

    Os codecs da OGG são livres, mas são baseados em produtos patenteados, sendo os formatos OGG livres, as empresas que ostentam as patentes não fazem barulho, mas basta a Microsoft ou a Apple começarem a usar o OGG que os processos vão começar a aparecer em tribunal.

    Quanto ao H.264 (assim como o MP3), de facto está sujeito a patentes, mas são as marcas que pagam os direitos a MPEG LA (leia-se Apple e Microsoft), permitindo que nós os usemos livremente, o acordo do H.264 vai até 2012 com extensão por mais 5 anos, pelo menos até 2017 temos o uso garantido do H.264 sem problemas.

    Cumprimentos.

    • a Friend® says:

      Finalmente alguem que sabe o que diz.

      O Rammy diz que a Internet não é feita de Standards e a seguir contradiz-se ao dizer que quem define os standards na net é a W3C …

      Outros dizem que sou fanático porque estou a “defender” o Jobs…

      Este pessoal… sinceramente… nem há palavras possiveis.

      Como tinha dito mais acima mas este pessoal FINGE NAO LER, porque gostam de dar uma de espertos e tal… é que quem adoptou o H.264, quem o escolheu foi o próprio mercado, que no entanto ele já tem 66% de mercado a usar este codec nas páginas e é natural que o adoptem, porque cada vez mais são os players de TV ligados à net, com Yutube, etc.. e é natural que se adopte um formato igual ao da TV. É muito dificil verem isso…

      É o que eu digo, fala de visão e pespectiva de futuro que esta malta tem…

      Falam de Open-Source, Open-Standard e Standard e metem tudo no mesmo saco, nem sabem a distinção de um e outro…

      • pfbatista says:

        Meu caro….

        És completamente fanático… disso não há qualquer dúvida.

        Seja qual for a convicção da Apple/Steve Blow Job, tu vens atras defende-la…

        Tu não usas a inteligencia, mas sim a côr/facção.

        Nunca te vi, em post algum, defenderes algo que seja MS ou criticares algum produto Apple.

        Sê comedido e inteligente, pareces um fanático do futebol…

        Quando há um artigo, por ex., que diz: “Luz do Ipad provoca insónia”, tu vens logo de seguida, todo indignado: Isto e tal tambem acontece com outros produtos, o mal não é da apple…

        Porque razão quando há um artigo sobre uma falha de segurança do Windows, Tu surges a atacar a MS e porque nessa razão também não dizes que esse tipo de problemas tambem estão presentes noutros SO?

        Sê coerente, dessa forma aumentas a tua credibilidade

        • Vítor M. says:

          Acho que não etás tu a ser coerente, tens de argumentar como ele, como rammy… entre outros, em vez de atacares sem argumentação válida… atacas porque sim, isso não é lá muito útil, não te parece?

          Repara bem no valor que teve o diálogo em cima entre ele e o rammy… entre outros?

          Foi óptimo, apresentaram e apareceram informações importantes.

          Por isso, sê tu um pouco mais humilde e pára, escuta e olha… antes de atravessar, ok? 😀

          É que depois, por este teu comentário perverso, nascem outros que destroem uma debate interessante… é hmmm…. estúpido! Certo?

          Abraço e obrigado.

          • pfbatista says:

            Caro Vitor,

            É impossível argumentar com bom senso…

            Quando alguém, que, acima de tudo, defende sempre o mesmo lado, torna-se de todo impossível e irracional debater, seja que assunto for…

            Eu, ao contrário do Afriend, não defendo uma facção, defendo uma ideia.
            E quando passa para lá do ridículo… simplesmente me calo… não vale a pena continuar, é parecido com um loop em programação…

            Esclarece-me duma questão… aqui estamos a debater o quê? A “pressão” que Steve Jobs faz sobre Firefox e Opera, relativamente ao codec Theora?

            Ou o quê? uma obsessão por parte dum leitor fanapple?

            1 abraço e continuem com o bom trabalho.

          • pfbatista says:

            Conforme reparei, a minha resposta ao teu comentário foi “bloqueada”, apesar do conteúdo ser esclarecedor. Se assim o desejas, não volto a pronunciar-me no pplware.

            Simplesmente continuo a passar cá, visto que têm feito um bom trabalho na publicação de muitos artigos interessantes.

            Para comentar e tirar dúvidas Ficam cá apenas os fundamentalistas…

            Já que vcs dispensam comentários coerentes de pessoas humildes… até à próxima…

          • a Friend® says:

            pfbaptista

            Então lê melhor antes de mandares bitaites, eu estou a defender uma ideia e não estou a tirar partido de ninguém.

            Até porque, CASO NAO SAIBAS, o H.264 não foi apenas a Apple a adoptar, foram a Microsoft e todas as outras marcas que vendem smartphones, leitores de DVD e afins..!!!

            Só vês o lado que te interessa criticar: APPLE

            E estas-me a rotular de uma ideia que defendo e que todas as marcas estão a defender…

            Abre um pouco os olhos e lê melhor as coisas antes de vires com essa conversa.

            Ao rotulares-me com essa falta de argumentos só demonstra isso mesmo. FALTA DE ARGUMENTOS.

          • Vítor M. says:

            Estás enganado!!!

            Bloqueada?

            Não percebo onde queres chegar mas não vejo nada mais que a tua resposta a seguir ao meu comentário.

            Em relação ao resto que dizes… meu caro, tenho pena, como é óbvio mas é a tua vontade, à qual desconheço o motivo.

            Abraço.

          • Rammy says:

            Fico contente que o tempo que passei a escrever não tenha sido em vão 😛

            Quando à coisa de ser bloqueada, os meus posts nunca aparecem imediatamente depois de eu os publicar. Parece-me que o pplware tem um problema qualquer com a cache dos comments. Têm que actualizar o wordpress, ou então é algum addon que está a dar para o torto.

      • Sun II says:

        Comentário removido por desrespeito às regras do site.

      • Fontes says:

        @ afriend
        Eu normalmente concordo com o que dizes, porque costuma fazer sentido, e aqui tens tambem razao em muitos pontos, agora segundo o que eu li aí para cima isto nao é livre de custos para sempre, até aí tudo bem, mas e depois? Quando for preciso pagar?

        Concordo que sendo o mais utilizado em varios meios que se torne padrao como defendes, mas temos que ver que nao será gratuito para sempre…

        • a Friend® says:

          Claro é aí que nos devemos focar, porque para já o ideal é usar-se este codec.

          Claro que sou TOTALMENTE CONTRA o pagamento, de 2016 adiante caso ele surja, mas segundo tive a ler e reler, isso não irá acontecer. Eles querem garantir apenas o uso do mesmo em especial para as grandes empresas (nomeadamente cinema) que ao usar esta tecnologia, pague royalties.

          O problema é que ainda está tudo explicado entrelinhas e é isso que é preciso esclarecer, porque defender esta formato, não podemos pensar exclusivamente na WEB, se fosse para defender exclusivamente a WEB, tudo bem, que viesse o OGG ou melhor ainda, o VP8 da Google (ex. on2) … Agora o que quero defender é que o Standard usado seja a pensar em TODAS as plataformas e o unico que faz isso actualmente é o H.264… e as vantagens são imensas, daí eu ter essa inclinação para este Codec.

          Agora o que acho é que todos deveriam-se focar em EXIGIR que este seja SEMPRE livre de royalties, ao inves de lutar pelo OGG…

          Há contratos, e todos eles foram estipulados, ou seja, não é como muitos dizem que eles podem alterar a qualquer momento. Eles até 2016 não podem alterar isso. A nossa única preocupação é lutar para que ele se torne para sempre.

          H.264, presente em todas as plataformas (macs, pcs, smartphones, consolas, etc..) se for Livre e exigir-mos isso, é sem duvida o formato ideal. O importante a meu ver é torna-lo aquilo que o MP3 é, e aquilo que o JPEG é…. Standards patenteados, mas de livre utilização 😉

        • Pedro Lopes says:

          @Fontes

          Em principio mesmo após 2017 o acordo vai manter-se, é o mais conveniente até para os detentores das patentes.

          O H.264 tem mais de “1000” patentes encima, de mais de 20 empresas, isto é tudo gerido pela MPEG LA, facilitando o acordo entre detentores de patentes e utilizadores.

          Se quiserem saber os custos de licenciamento do H.264 passem por este artigo do Ed Bott (para um utilizador individual estamos a falar de cêntimos ao ano, mesmo que o acordo não se mantenha e tivermos que pagar não será muito grave).

          http://j.mp/bslBMG

          Cumprimentos.

          • Fontes says:

            o Link esta quebrado.

            Anyway se assim for como tu e o a Friend dizem de que continue livre, ou ate mesmo que o custo para um utilizador normal for de centimos ja é melhor, vamos a ver no que dá entao 😀

            Pelo menos para ja o que faz mais sentido é mesmo o h.264

          • Pedro Lopes says:

            @Fontes

            Só agora é que tive tempo de experimentar, mas o link está funcional, passa por lá.

  17. João says:

    Já não posso com este Steve Jobs…

  18. Malamen says:

    Ainda há quem ouça o diz este idiota?

    • Vítor M. says:

      Meu caro e grande amigo… é o senhor do momento e está em alta e sim… os mercados estão de orelhas em pé à espera das palavras dele 😉

      • Ryan says:

        A ver vamos se os mercados vao ouvir sempre o jobs. Fazer produtos bonitos nao quer dizer que sejam funcionais. Por exemplo que se lixem os tablets sejam apple ou outra coisa. E como eu ha outros. Portanto essa coisa de ouvir o Jobs so para quem quer ter Apples em casa.

  19. The Duke says:

    Ultimamente anda muito na berra este tipo. O que só pode significar uma coisa:

    As últimas acções da Apple deram em borrada. Agora quais…Ou os “updates” dos CrapBook Pro ou o iPad. Acho que fico pelos primeiros.

  20. BigOix says:

    Este tipo deve mas é ir aprender o que é a liberdade antes de a tirar aos outros, “toda gente sabe que o tabaco mata mas continua-se a fumar” porque o odio ao formato ogg ?
    Porque essas empresas como apple em nada ganham com adaptação desse formato , a qualidade de que se fala eu ate diria que o formato h.264 é muito pior que o ogg mas porque algumas indústrias principalmente americanas só vem o lados deles e não dos cidadãos, se não tivermos formatos livres como vamos armazenar a nossa informação ? num futuro os historiadores poderão ter serio casos não poderem abrir certo terminado formato porque a empresa já muito morreu e não abri-o o código de fonte do dito bom codec como o h.264 assim depois a historia fica perdida porque essa empresa queria ser dona de tudo.
    Pelo preservar do conhecimento futuro eu apoio todos sistemas openSource e ogg podera ter um ponto na historia

  21. pfbatista says:

    Comentário removido por desrespeito às regras do site.

  22. Abrantes J. says:

    Eu tenho a resposta para Steve Jobs…

    De: Abrantes J.
    Para: Steve Jobs
    Assunto: patetices têm limites!!!

    Deixa de ser um pateta armado em egoista, todos tão no mercado para ganhar o q é seu mas parece q só tas no mercado para tentar empatar os outros. Caso ainda n te tenhas dado por conta quanto mais tempo perdes a tentar empatá-los mais tempo eles têm para ganhar mais algum e verdade se diga q esse algum n é pouco… Conselho, continua a vender o é teu, deixa os outros e todos vão felizes p casa, claro q tu vais menos feliz afinal o SO mais vendido é o Windows q n é teu e o navegador sensação presumo q ainda seja o Firefox q tb né teu. Só tens duas hipóteses: ou revês as tuas políticas ou então tia um dia de descanso, já ta mais q provado q o teu mal é sono….

    Enviado do meu Dell com Windows 7

  23. Berto says:

    Vitor, quando puderes vê este link para fazeres um post sobre o outro lado do html5.

    Alias, todos deviam ler:

    http://www.webkitchen.be/2010/04/22/flash-is-as-open-as-html5/

  24. Ryan says:

    Este gajo parece um velho rabugento. Contra tudo e todos. Quer fazer as coisas a maneira dele e deve tar a pensar que as pessoas se vao vergar. Se e codigo fechado e porque e fechado… e o que eles nao fazem com o software deles que e fechado. Se e por ser livre tem isto e aquilo. Enfim… envia mails do ai paido aquilo deve ser um poco de seguranca.. enfim… o feitico qualquer dia ainda se volta contra o feiticeiro. Ele que deixe a open source em paz. O gajo que faca o dinheiro que quizer. Se o safari nao e tao utilizado no windows a culpa e dos outros serem bons e do safari ser apenas bonito.. mais que bonito tem de ser funcional.

  25. kwimerA says:

    Ai se o nojo matasse…
    Steve Blow Jobs deixa de ser tão agarrado. Juro que não entendo a filosofia dele nem a dos seus seguidores.

  26. afrsa says:

    Este Steve Jobs não se cala? Porra que até já mete nojo!

  27. a Friend® says:

    Para os interessados, deixo um Link interessante com perspectivas de futuro.

    http://daringfireball.net/2010/03/gif_h264_patents

    “The analogy some people are drawing between H.264 and GIF is that the MPEG LA — the industry consortium that controls the rights and licensing for the patent pool behind H.264 — could pull a similar bait-and-switch type trick: give H.264 a few years to become ever more popular, and then, boom, come 2016 (when the current license expires), begin requiring web publishers to pay a licensing fee for distributing H.264-encoded video.

    I disagree.

    I don’t know what the MPEG LA will do come 2016. Perhaps they will attempt to charge web publishers for licenses to distribute H.264 video. But if they do, web publishers will react the way they did to Unisys’s GIF threats: by switching to another format. Switching to another format would be an expensive time-consuming pain in the ass, but that’s how I think publishers will react if the MPEG LA pulls the rug out from under them.”

    Por agora, a escolha já foi feita e é mais que obvia. H.264 será o video padrão. Permite os Browsers lerem-no directamente, os que não lêem podem recorrer aos players (Quicktime/VLC/etc) e quem tem consolas, smartphones, leitores multimédia ligados à web, pode igualmente usufruir de sites que contenham videos em H.264 e abrir directamente. Se os videos nesta altura fossem trocados para OGG, grande parte destes dispositivos estaria dependente do H.264 para os abrir, alguns poderiam sofrer um update de software e resolver a questão, mas outros não, o que ficariam obsoletos.

    Outro factor também é que o OGG não tem suporte de Aceleração de HARDWARE!!!….

    Por isso, h.264 para já é inevitável… e até 2016 muita coisa pode acontecer. Se eles decidirem depois dessa data aplicar TAXAS de uso, o mercado fica logo preparado para trocar o formato e novos players irão antecipar devidamente preparados para novos formatos vindouros. Estamos em 2010… 6 anos muita coisa pode rolar… e quem sabe até mesmo haver uma extensão de royalties do H.264 para sempre…

    Nunca ninguém irá pagar.. nunca mesmo. Eles não conseguem forçar isso. Por isso é que adopção do H.264 está a ser feita de bom grado e permite continuar a suportar a grande maioria de plataformas moveis, desktops e afins.

    • Sun II says:

      Tu simplesmente não entendes.

      – O H264 já está actualmente a fazer uso das patentes quando se vira contra o theora (não é ogg. ogg é o container)

      – Basta eles não darem a extensão de liberdade do uso do h264 que até para converter todos os videos de h264 para outro formato precisas de licensas

      – Dizes-te a favor do HTML5 – pois bem, o html5 vem tentar reduzir o numero de plugins para a internet e vens falar de Quicktimes e VLCs

      – Theora nao tem aceleração de hardware e falta de algumas optimizações por causa dessas mesmas patentes

      – “Nunca ninguém irá pagar.. nunca mesmo. Eles não conseguem forçar isso.” Ai pagas sim. Pagas quando compras a televisao, quando compras televisao por cabo, um descodificador ou uma maquina de filmar. E se comprares um desses equipamentos se alguma vez quiseres fazer uso comercial tens, ACTUALMENTE, de pagar licensas

      – Entende que tudo o que envolve licensas é contra o uso livre da internet.

      – Opera simplesmente nao tem dinheiro JÁ HOJE para pagar o h264 no navegador deles

      – O facto de se estar a tornar inevitável é o verdadeiro pesadelo para tudo o que se relaciona com video e para a liberdade de expressao, divulgacao e comercio de tudo o que seja relacionado com filme.

      • a Friend® says:

        Tas a ver como estas mal informado.

        O HTML5 quer reduzir a NECESSIDADE de plugins, mas não invalida que estes sejam usados.

        A existencia de um Video na WEB, em Mp4, um browser que contenha o player consegue o abrir directamente, quem tem smartphones não vai abrir no browser, ele irá abrir no player instalado no mesmo… é assim que eles querem e funcionará. É o que dá melhor qualidade e melhor suporte.

        As patentes pagas sempre, quer seja OGG ou H.264… e outra coisa é que quem tem Windows ou MacOSX estes sistemas já pagas o codec h.264 à muito. Por isso é que podes encodar nativamente este formato sem pagar um tusto! Não precisas de software extra, porque o teu próprio sistema operativo já o faz!

        E Linux igualmente… e não me venham agora dizer que ficam prejudicados porque não ficam… A liberdade existente no Linux o que não faltam são encoders de todos os formatos, formas e feitios.

        O H.264 Já existe desde 2003 e já está bem implantado e já é muito mas muito usado mesmo… todos nós que compramos produtos apos essa data, que contenham eessa compatibilidade já pagamos essa taxa.

        Se eles por algum motivo (que não vai acontecer) mudasse para OGG e todos os seus formatos achas que os produtos iam ficar mais baratos por causa disso?!… Ias pagar rigorosamente o mesmo!

        • Sun II says:

          Então tu queres aniquilar o flash, como ja disseste em posts anteriores e vens falar de coisas ainda piores?

          Estás a deduzir que o VLC tem dinheiro para pagar o uso do decoder de h264 e que te vai poder oferecer isso no opera e firefox.

          Podes, realmente, como dizes manipular, gravar, ler usar e abusar do h264 EM CASA.

          Basta venderes um video que seja, ou usares o h264 para fundos comerciais que tens o maior impedimento que alguma vez poderá haver: licensas super caras!

          E tens razao: o que dizes do h264 estar muito bem implementado entao digo o mesmo do flash. é suportado já no meu opera e está a um passinho de suportar aceleraçao de hardware. venha ele entao em vez da video tag merdosa e cheia de restricoes e tao pouco suportada a nivel mundial.

          Agora imagina lá tu, eu fotografo, filmo uma queima das fitas. Para vender o que filmei com a maquina que comprei tenho que pagar brutais custos até para converter para outro formato!

          • a Friend® says:

            Practicamente todos os smartphones modernos gravam imagens em JPEG, e video em MP4/H.264…

            Ao comprares um produto que venha com esse suporte nativo, não tens que pagar pelo uso do conteudo gerado pelo mesmo, porque já pagaste esse produto!

            Não baralhes nem mistures as coisas porque não é nada disso que tás a pintar. Nunca aconteceria isso nem nunca acontecerá.

            Compraste um SO, se ele gera MP4 é porque podes usar. Compraste um Smartphone, se ele grava em MP4 é porque tens direitos para o usar. Já pagaste essa taxa na compra, quer uses ou não.

            A quantidade de plataformas que geram Mp4/h.264 já são infimas e mais reforçam o uso do mesmo para a WEB. Gravo um video no Smartphone, faço o upload directo para o Youtube e ele á fica… lá esta…. pronto a ser usado e lido… sem ter que ser re-encodado noutro formado como por exemplo FLV.

            Vamos suporte que o OGG se tornava o padrão. Eu ao gravar um video no meu smartphone e mandar para a WEB, teria que passar pelo processo de re-encode para ser lido pelo HTML5-OGG…. não fazia sentido. Os Youtube players, por exemplo, lêem apenas o MP4 (não leem OGG nem FLV) … porque razão.. pensa lá 😉

          • Sun II says:

            Nãooooooooooooooooooooooo

            repara: só podes usar, MESMO QUE COMPRES UMA MAQUINA DE FILMAR QUE GRAVE H264, as tuas gravacoes para fins NÃO comerciais.

            QQ outra coisa está sujeita a um pagamento!

            Estás a entender agora? Pagas pelo encoder/decoder para TODOS os usos que não sejam pessoais.

            Por exemplo, compras o windows 7. Ele realmente trás embutido o codec. Agora tens uma maquina de filmar que tb o usa. Podes opera com os dois, está certo.

            Vais filmar um concerto e vendes essa pelicula. E PAGAS PELO H264!

            Queres abrir um site que use html5 com h264, uma loja de qq porcaria? PIMBA, PAGA!

            Queres usar outro codec para depois vender o filme que fizeste? PAGA!

            entendes porque é mau?

          • a Friend® says:

            @Sun II

            Mas é precisamente ai que o artigo que pus se foca. Até 2016 ninguém paga nada, estamos isentos e livres de usar, se por um acaso eles entenderem que pagamos, o mais provavel é mudar-se para outro codec, ou até mesmo a sua conversão para efeitos de negocio.

            É precisamente esse modelo e alternativa que se defende o H.264, porque por mais patentes que ele tenha estas nunca serão engulidas pelo ramo empresárial, e até 2016 muitas cabeças podem rolar.

            Ninguem sabe ao certo o que será depois de 2016, mas o que é 100% garantido é que se o H.264 vir ser a cobrado como muitos receiam, isso nunca irá acontecer porque irá existir uma corrida a todas as alternativas viaveis. E é precisamente nesse ponto que há defensores de H.264 e de livres.

            O mercado em geral nunca irá adoptar os livres, porque há sempre patentes a defender e isso é perigoso, daí jogarem pelo seguro e adoptar um modelo como o H.264. O problema não está nas patentes mas sim nos royalties inerentes, e é aqui que a luta deverá ser feita. Até 2016 está tudo ok. se eles aparvalharem, mata-se o H.264, ou seja, o consumidor tem sempre a faca e o queijo na mão. Por isso é que eu não tenho qualquer problema em aceitar o H.264.

          • Sun II says:

            omg és retarded so pode

            “Até 2016 ninguém paga nada, estamos isentos e livres de usar” ERRADO!

            não entendes que TUDO O QUE É CODEC actualmente de devido ao h264 está praticamente abrangido pelas patentes do h264!

            É isso que está acontecer! Até mesmo o theora, que é a suposta alternativa livre está a ser atacado, como vês, pela apple.

            O firefox e opera HOJE JÁ nao podem usar o h264 devido às coimas!

            É um problema actual. Tu ficas IMPEDIDO de usar livremente na internet videos teus MESMO QUE USES O theora/ogg, estás a entender?

            Não tem nada haver com 2016. Tem haver com hoje e com a atitude da Apple, Microsoft e afins que impedem a ti, utilizador de usar video quer seja theora ou não.

            ” Até 2016 ninguém paga nada” ERRRADOOOOOOOOO é isso que é MUITO ERRADO no que pensas. Já se paga. A apple pagou, a MS paga, a google paga e TU PAGAS se usares qq video que seja para fins comerciais!

            “se eles aparvalharem, mata-se o H.264” e é isso que se está a tentar fazer já HOJE com o theora/ogg e é a atitude que se vê. Quem vai desenvolver um codec livre das patentes do h264? tu? nem o theora escapa!

          • a Friend® says:

            Sun II

            Já pela segunda vez te aviso, cautela nas palavras. Se queres ser respeitado dá-te ao respeito.

            E por ultimo acorda. Ninguem te impede de usar nada rapaz! Ele não atacou o OGG, ele disse apenas o facto de ser open standard não significa ser livre de patentes! E a questão do H.264 não se trava nas patentes em si, trata-se nos Royalties do seu uso comercial!!!

            Sabes o que são patentes e royalties ao menos?

            Sabes ao menos que a Google está prestes a por cá fora o codec open também? Achas que eles iriam fazer as coisas à toa!

            Abre os olhos e lê bem as coisas, e lê o que o Steve Jobs disse no e-mail. Se quiseres traduzo-te para perceberes melhor!….

            Não é o H.264 que fechará a internet nem nunca impedirá de aparecer outros codecs. Eles querem apenas que ele seja o padrão para conteudo, e que abranja as duas areas: Livre e Pago. Coisa que o OGG não consegue porque só permite o Livre, logo não gera negocio, e sem negocio não há evolução. Ninguem vive do AR!

            A intenção do H.264 é abranger precisamente as duas vertentes. Mas ninguem te impede de um dia pegar num H.264 e converter para o formato que mais te apetecer!

          • Sun II says:

            a frind, continuas afirmar asneiras e mais asneiras

            http://www.osnews.com/story/23236/Why_Our_Civilization_s_Video_Art_and_Culture_is_Threatened_by_the_MPEG-LA

            lê.
            e nao voltes a comentar sem ler

  28. ajbadboy says:

    No final da mensagem dele dizia que a mensagem foi enviada do iPad dele e fica a questão…alguém lhe perguntou alguma coisa? É ridículo mandar uma mensagem de um ipad, iphone, pentium 133Mhz ou o que quer que seja e no final da mensagem referir “enviado do meu pentium 133Mhz 16mb Ram.

    • ajbadboy says:

      É daquelas imagens que dava para meter um contorno a vermelho com a descrição WTF?

    • a Friend® says:

      Essa moda pegou mto nos dispositivos móveis… lol

      Eu no iPhone e iPod Touch mal configurei os e-mails apaguei logo essa mensagem automática. Mas a tendencia é que cada vez mais dispositivos façam isso como forma de publicidade em tudo o que é e-mail enviado.

      O Blackberry faz precisamente o mesmo. É estilo também o HOTMAIL… quando envias um e-mail vai sempre no final a publicidade a dizer o mesmo… é chato, muito chato mesmo… mas desde que dê para remover, já não é mau 😉

  29. zéé says:

    caro Vítor,

    verifica a tua caixa de mensagens do fórum sff

  30. Marco Teixeira says:

    Falem mal da Microsoft por ser monopolista e comprem ipads e iphones e essas m####…. De mim não levam nada, de certeza.

  31. mario says:

    Off topic: Podes dizer-me que software usas para meter esses balões nas fotos? Alguém me diz programa que faça isso?

    Abraço

  32. annm says:

    Não compreendo como é que alguém pode dizer que não se importa que o h.264 se torne standard alegando que não lhe sai nada do bolso. Isso é atar as mãos e os pés de quem se importa, de quem quer evoluir. Principalmente quando falamos de algo tão importante quanto é a Multimédia nos dia de hoje.
    Sou também contra a Adobe principalmente devido ao seu CEO.
    Apesar de não saber muito sobre ele, conheço bem a sua cultura. São pessoas que ganham muito dinheiro e que se inserem no mercado não por empreendedorismo mas adquirindo outras empresas, que estagnam, porque lhes falta a visão necessária para crescer com qualidade.
    Tenho dito, posso estar enganado.

  33. Paulo Rodrigues says:

    Acrescentando mais uns dados à discussão:
    “Apple poderá ser investigada por práticas monopolistas
    As autoridades reguladoras de mercado norte-americanas poderão estar prestes a lançar uma investigação à Apple por práticas monopolistas, por obrigar os programadores de aplicações para os seus dispositivos a utilizarem as suas tecnologias.

    A informação é avançada pela agência noticiosa Reuters, citando uma fonte ligada ao assunto.

    Ao que tudo indica esta questão estará a ser analisada pelo Departamento de Justiça dos EUA e pela Federal Trade Commission (FTC), entidades que poderão decidir em breve se lançam ou não a investigação contra a Apple.

    Em causa está o facto de a Apple impor aos programadores de aplicações para o iPad e iPhone a utilização das suas tecnologias, o que já levou vários críticos a acusarem a empresa de abusar da sua posição no mercado, refere a Reuters

    O caso surge numa altura em que a Apple tem travado uma guerra de palavras bastante acentuada contra a Adobe relativamente à tecnologia Flash, que não é compatível com os dispositivos da empresa de Steve Jobs.”
    Fonte: Sol Online
    Artigo está aqui!

    Pois é, na melhor tecnologia cai o bug. Aqueles que foram uns dos principais dinamizadores das acções judiciais contra a Microsoft (e bem), são agora acusados da mesma práctica. O grande problema do Job$, não é mais do que a incompatibilidade dos seus aparelhos com o Flash da Adobe. Será que a Microsoft juntou-se à Apple por causa do Silverlight?

    Uma vez mais não estão a pensar numa internet livre ou nos seus utilizadores, querem antes ver os seus relatórios anuais com mais e melhores lucros.

  34. a Friend® says:

    O artigo que melhor explica toda esta treta em torno do H.264…

    Básicamente eles querem controlar a grande industria cinematográfica. Os pequenos vendedores e consumidores não saem prejudicadas

    O que se está a gerar polémica em torno desta questão é que muitos estão a confundir as taxas aplicadas entre venda (estilo blu-ray e afins) com a disponibilidade via Internet… que simplesmente não há forma possivel de aplicar essas taxas…como eles iriam controlar isso? Não dá simplesmente!

    O alvo deles é a industria gigante… a pagar os royalties do uso do H.264 em 0,02$ por cada DVD vendido. Taxas essas que sempre existiram nas produtoras quando comercializam algo.

    http://news.cnet.com/8301-30685_3-20000101-264.html

  35. P.VonCrux says:

    Sinceramente, não sendo fanboy ou anti-Apple, acho que o que Apple está a tentar fazer seria o equivalente à população de Alguidares de Baixo tentar mudar o papel de jornal para folhas de castanheira…
    Ambas fazem a mesma coisa, e até se vendesse o mesmo número de jornais, mas o senhor que vende o papel não ia gostar muito da conversa…

    (observação: este artigo está mesmo “on fire”… demorei aí 35 min a chegar cá abaixo…)

    Cumps!

  36. BigOix says:

    Grande parte do pessoal aqui a comentar neste artigo utiliza sistemas windows, mas eu como utilizo sistemas operativos openSource vejo isto como maus caminhos porque estou ver regressar ao passado e ter que instalar o wine um navegador da Microsoft ou da Apple só para ver uns videos-zitos, Eu quero a minha liberdade e não modas e estilos , o ogg é um bom formato, só que a indústria esta mal informada e e são atacados pelas campanhas da Microsoft e da Apple que dizem que seus produtos são os melhores.

    • viperbruno Windows7@Opera says:

      Só faltas dizer que vai haver outro anti-trust?! Não te priocupes que haverá sempre a alternativa via pulgin, tal como acontece para o Media Player ou Flash no Linux. O MP3 não vem de origem mas podes sempre instalar, será igual com o H.264 caso este vingue. Nisto tudo estou curioso como vai ficar o mundo dos smartphones…

      • a Friend® says:

        Exactamente. Quem menos se pode queixar é o Linux, que no meio disto tudo contorna sempre as patentes todas e usa o que quer.

        Smartphones é que sim, vao ficar a ganhar e não é pouco. Finalmente ver videos na net com qualidade. No IPhone nao tenho problemas mas no Youtube Player do Symbian a qualidade deixa mesmo mto a desejar, e quando abro os ficheiros em Mp4 através do Real Player é um mimo de qualidade.

        • viperbruno Windows7@Opera says:

          Pois é que o Youtube Mobile (via browser) não permite mexer na qualidade da imagem como os programas nativos do Iphone ou HTC. Alem de que player especifico para reproduzir videos do youtube (aonde usa o formato mp4 se não estou enganado) vs 3gp standard de forma a suportar desde o telemovel de 50€ até um de 400€ e isto tudo com inumeras resoluções, bem é normal que te queixes.

          Não sei se já experimentaste a aplicação disponivel para Symbian do Youtube. Aqui fica um video:

          https://www.youtube.com/watch?v=ga07Y8eWFB0&feature=player_embedded

          • a Friend® says:

            É precisamente esse player que tenho e não gosto nada do desempenho 🙁

            Agora, quando abro o youtube via browser, a conversa já é outra. Clico no Video e à semelhança do iPhone, ele abre no Real Media Player e vejo o video com grande qualidade mesmo.

            Um dia faço um video do comparativo de iPhone e Symbian… se conseguir transmitir a qualidade e desempenho de ambos lado a lado…

          • viperbruno Windows7@Opera says:

            Não precisas de fazer um video… Tenho em casa um “Symbian” (n96) e um “iPhone” (HTC touch Pro 2) e sei bem a diferença que existe entre ambos mesmo com a resolução difícil do Pro2 os vídeos tem uma qualidade 5 estrelas! Porque será que o Nokia esta a espera de dono? Bateria sucks (e o resto lol)

  37. J0n says:

    H.265 é que era, open source!

    Ainda temos o dirac muto bom também, http://en.wikipedia.org/wiki/Dirac_%28codec%29

  38. badsector says:

    Será que ng arranja uma mulher (ou se calhar um homem) ao Jobs para ver se ele se cala?!

    Já cansa..

  39. S-K says:

    Jobs = PATENT TROLL

    LOL

    Essa palahçada das patentes submarinas já existem há anos…

    Vamos por partes:

    1) Já andam há anos com ameaças. E até agora nada! Estão a espera que a patente expire? LOL

    2) O Theora é baseado no codec VP3 e doado por On2 Technologies. (fonte: wikipédia)

    3) A On2 Technologies foi adquirida pela Google. Quem quiser processar o codec Theora vai ter que processar a Google. Boa sorte! LOL

    4) A Apple nem teve tomates para processar a Google por alegadas violações de patentes no Android. Em vez disso processaram a HTC LOL

    Por último gostaria de dar os parabéns ao senhor Vitor M. pela escolha da imagem para “ilustrar” o post.
    Confessa… :p Foi para “picar” os trolls… 😛 hehehehe…

    Agora deixo aqui um vídeo interessante sobre patentes:
    http://patentabsurdity.com/watch.html

    • S-K says:

      “palahçada” –> palhaçada 😛

      já ia esquecer…

      Sent from my Ubuntu

      ROFL

    • aver says:

      Até que escreveste algumas coisas acertadas.
      Falta acrescentar duas coisas:

      – O Theora com o codec VP3, desenvolvido pela On2 (adquirida pelo Google) é um codec menos eficiente na compressão e descompressão de ficheiros vídeo do que o H.264 (o tal que só garante que é free para utilizadores da web até 2016).

      – Entretanto a On2 desenvolveu um novo Codec, o VP6, usado pelo Adobe Flash video e – diz-se – a nova geração, o VP8 é superior ao H.264.

      Então a pergunta – por que é que o Google não garante que os novos codecs da On2 vão ser free e opensource ? Note-se que até podem ser opensource e não ser “free”. Acho que o que diz Steve Jobs se refere a isso – basicamente o que diz é: “codecs open source está tudo muito bem, mas todos estão patenteados e não há garantias que continuem free”.

      P.S. Tenho lido nos comentário deste post e doutros, sobre os codecs a usar pelos browsers compatíveis com o HTML5, muito “ah, e tal a Apple quer é ganhar dinheiro com o H.264”, ninguém diz que é melhor que o actual Theora e que (pode ser) por essa razão a Apple o prefere.
      Fica o link da Open Video Alliance que o reconhece expressamente http://goo.gl/BVB0

      • S-K says:

        “Então a pergunta – por que é que o Google não garante que os novos codecs da On2 vão ser free e opensource? Note-se que até podem ser opensource e não ser “free”.”

        Duvido que o Google torne o codec vp8 opensource. (mas não é impossível a Nokia comprou a Trolltech e tornou o QT opensource)
        O que eles podem fazer, e garantir, é exactamente o contrário. Ou seja, livre de royalties (free). A Google ganha mais se os vídeos forem acessíveis a todos. Tal como o flash que é proprietário mas o plugin é gratuito.
        Já a Apple e a Microsoft ficam a ganhar com h264. Porque acabam com a concorrência do Opera e Firefox. E claro a Apple está ansiosa em matar o flash. A Microsoft tem o Silverlight. Juntou-se a fome com a vontade de comer. 😛

        O vp3 embora seja inferior passaria a ser a opção opensource e web standard.

        Na minha opinião o Google está a usar o vp8 como um “trunfo”.

        Todos falam que o Youtube já anda nos testes com html5. Mas há um pormenor… nos testes eles usam os mesmos vídeos que o player em flash usa. (Com codec h264)

        E quem garante que eles já não estão a converter tudo para vp8??? Eu sei que isso vai ser uma tarefa monstruosa, são milhões de vídeos. Mas será que eles não tem meios e capacidade financeira para isso?
        Não acredito que a Google comprou a On2 para jogar 106 milhões de dólares no lixo. E se eles compraram a On2, e porque não estão com medo das patentes submarinas. E não se assustam com os “patent trolls”.

        • aver says:

          Não sei se deste conta, mas acabas de dar razão ao que disse Steve Jobs, ao desconfiar que os novos codecs, como o vp8 sejam – ao mesmo tempo, free e open source.

          – É que se não for open-source, a tecnologia fica na mão de quem detém o codec – tal como o flash, da Adobe.

          – Se não for free, pode ser mais caro que o H.264.

          Em todo o caso, o que diz Steve Jobs parece razoável. É um alerta do tipo “Não contem com o ovo no cu da galinha – codecs bons open source e free, (ainda) não há”.

  40. J. P. Fernandes says:

    Um futuro possível: Microsoft funde-se com a Apple e toca a processar toda a gente.

    Futuro alternativo: O Jobs deixa de ser parvo e fica toda a gente feliz menos a Microsoft.

    Futuro Alternativo nº 2: Steve Jobs é apedrejado por um multidão de clientes chateados com estas atitudes à Microsoft.

    Futuro alternativo nº 3: A Apple processa toda a gente incluindo a Microsoft.

    • a Friend® says:

      Pois… mas a realidade que ninguém se pode esquecer é esta:

      Não foi o Open-Source que fez a Web nem os computadores pessoais. Foram precisamente essas duas empresas a quem queres apedrejar…

      (Não estou com isto a dizer que aplaudo monopólios nem coisa do genero, é apenas para demonstrar que Open-source sozinho não é nada… ele ajuda na evolução mas não faz a evolução) 😉

      • Rammy says:

        Não foi o open source que fez a web? A web a plataforma mais aberta do mundo, mais open source que há, e não foi o open source? Então quem foi? O closed source é que fez sites html e css e javascript e o protocolo http e ftp e data?

        Duvido muito.

        A web é open source!

      • S-K says:

        “Não foi o Open-Source que fez a Web”

        Claro que não! Foi o Steve Jobs e um primo meu da França! 😉 😛

  41. Ryan says:

    Cada vez mais detesto monopolios e de gente que pensa que os produtos deles é que são bons o resto não presta.Detesto a arrogância…. e de gente que por pretextos anda a vender apple como a coisa mais cool do mundo e no fim de contas faz o mesmo que acusa os outros de as fazerem. Em minha casa não entra nenhum mac nem coisa parecida. Quem entrar com essa coisa ficará a porta ou entao tera de ser destruído.

    • S-K says:

      Não é preciso ser tão radical. Acho que não há perigo de contágio. 😛

      Eu uso software open source. Mas não vai ser por isso que vou dizer “amém” cada vez que o Richard Stallman diz alguma coisa. 😛 Ele é radical, mas pelo menos defende os ideais dele com convicção, e sem intenções financeiras. E não precisa de ser arrogante e manipulador.

      Eu também uso software proprietário e não vejo problema nenhum nisso. Não sou um fundamentalista.

      Ridículo (até é engraçado as vezes) são os fanboys que seguem o Jobs cegamente.

      Mas o que seria do “Mundo TI” sem as palhaçadas de Jobs e Ballmer?
      Morríamos de “tédio” com o “folclore” do Richard Stallman. 😛
      https://www.youtube.com/watch?v=1BH7poMtPVU

  42. lmx says:

    @friend:
    não percebo, se ainda não abriste os olhos ou se ainda não tiraste as palas.
    repara:
    a apple não quer suportar o ogg theora, porque…não tem suporte a nível de hardware para ele, foi essa a desculpa que eles deram, sim…lol mas foi essa.
    Portanto la vai a Apple ter que adoptar o Theora, pois é um excelente formato e la vai a xilinx ganhar fama pelo excelente trabalho, não só neste formato como noutros de musica que já lançou, excelentes.

    cmps

    • a Friend® says:

      Acabei agora mesmo de tirar as palas e adivinha o que consegui ver?

      http://www.mpegla.com/main/programs/AVC/Pages/Licensors.aspx

      AVC/H.264 Licensors

      Apple Inc.
      DAEWOO Electronics Corporation
      Dolby Laboratories Licensing Corporation
      Electronics and Telecommunications Research Institute
      France Télécom, société anonyme*
      Fraunhofer-Gesellschaft zur Foerderung der angewandten Forschung e.V.
      Fujitsu Limited
      Hitachi, Ltd.
      Koninklijke Philips Electronics N.V.
      LG Electronics Inc.
      Microsoft Corporation
      Mitsubishi Electric Corporation
      NTT DOCOMO, INC.
      Nippon Telegraph and Telephone Corporation
      Panasonic Corporation
      Robert Bosch GmbH*
      Samsung Electronics Co., Ltd.
      Scientific-Atlanta Vancouver Company
      Sedna Patent Services, LLC
      Sharp Corporation
      Siemens AG
      Sony Corporation
      Telefonaktiebolaget LM Ericsson
      The Trustees of Columbia University in the City of New York
      Toshiba Corporation
      Victor Company of Japan, Limited

      Estão os gigantes todos com palas… mas tu não 😉

  43. Ricardo says:

    Retirado do site ds MPEGLA

    (DENVER, CO, US – 2 February 2010) – MPEG LA announced today that its AVC Patent Portfolio License will continue not to charge royalties for Internet Video that is free to end users (known as Internet Broadcast AVC Video) during the next License term from January 1, 2011 to December 31, 2015. Products and services other than Internet Broadcast AVC Video continue to be royalty-bearing, and royalties to apply during the next term will be announced before the end of 2010.

    MPEG LA’s AVC Patent Portfolio License provides access to essential patent rights for the AVC/H.264 (MPEG-4 Part 10) digital video coding standard. In addition to Internet Broadcast AVC Video, MPEG LA’s AVC Patent Portfolio License provides coverage for devices that decode and encode AVC video, AVC video sold to end users for a fee on a title or subscription basis and free television video services. AVC video is used in set-top boxes, media player and other personal computer software, mobile devices including telephones and mobile television receivers, Blu-ray DiscTM players and recorders, Blu-ray video optical discs, game machines, personal media player devices and still and video cameras.

    Para uso normal não precisamos de pagar royalties até 2015, o h264 deixa o vp8 para trás em termos de qualidade, a On2 deixou umas screens do vp8 comparado com o H264 mas o video convertido com H264 por eles não foi optimizado, converteram-no de propósito com definições “reles”.

    Do meu ponto de vista como alguem que tem testado a evolução do theora/h264 e tendo em conta que até 2015 o h264 não tem royalties aconselho a que utilizem o h264, tem melhor qualidade vídeo e não se esqueçam que podem com o h264 disponibilizar um vídeo online (streaming) fazer o download do mesmo e gravar num dvd/bd e ver no leitor bluray ou PS3. O vp8 está muito longe de fazer isso.

    • a Friend® says:

      Ainda não perceberam isso nem querem perceber…

      Mas deixa lá, o mesmo que passou com o Flash versus HTML5

      Primeiro o Flash nunca seria substituido pelo HTML5 (em webstandard, porque o Jobs era maluco)

      … agora já debatem que formato o HTML5 deverá usar nos videos? …tás a perceber a lógica?… 😉

      Amanha quando perceberem o intuito do H.264 e quando olharem para os smartphones que têm no bolso (com olhos de ver e não para mostrar aos amigos) vão perceber que ele já tem H.264 desde 2003…. e nunca se tinham apercebido que ele pode abrir videos da net em streaming com qualidade HD.

      Pois.. mas espera, eles gritam tanto Smartphones com HD coisa e não sabiam que o HD que ele usa é H.264… 😉

      • S-K says:

        “Mas deixa lá, o mesmo que passou com o Flash versus HTML5

        Primeiro o Flash nunca seria substituido pelo HTML5 (em webstandard, porque o Jobs era maluco)”

        A Apple e a Microsoft dizem que o html5 é o futuro? Sério? Toda a gente já sabe! Até a Maya já fez a previsão LOL.

        PRESENTE: O flash ainda não morreu!
        Não estavam a falar do futuro do flash, mas sim do PRESENTE.
        Os usuários do iPhone também foram impedidos de usar Flash no PASSADO. A Apple enterrou o Flash quando lançou o iPhone. Foi enterrado vivo LOL.

        A TDT também vai usar h.264. E depois? O que é que isso tem a ver com webstandard?
        Se conheceres algum fabricante de Televisores com TDT que paga royalties, e distribui GRATUITAMENTE os aparelhos avisa.

        Veja o exemplo do Youtube. Nós sabemos que usa o codec h.264. Isso para um utilizador do Youtube não interessa para nada. Ele só quer ver os vídeos.
        Só que o Google suporta o custo dos royalties. Mas quando passar para o html5, O CUSTO PASSA PARA O LADO DO UTILIZADOR. É isso que está em causa. Como fica a Mozilla e a Opera depois de 2016? Desde de quando é que alguém paga royalties para usar o HTML?

          • S-K says:

            “the person who sells the encoder and the person who sells the content are the ones who have to pay”

            “Using H.264 to distribute free internet video to end users doesn’t cost a thing, and won’t cost anything until at least 2015.”

            😉

          • a Friend® says:

            @S-K

            Podes acrescentar: Until and After.

            Nunca ninguém ira pagar royalties para conteudo livre.. nem faria sentido 😉

            Podes fazer um printscren do que estou a dizer! lol… que um dia vais ver que tenho razão. Por isso não se preocupem, que isso nunca irá acontecer…

            1. Não há formas de cobrar a todos os utilizadores da WEB

            2. Mesmo que houvesse, nunca ninguem iria aceitar, e das duas uma, obrigavam a ser livre ou arranjava-se alternativas…

            É uma questão lógica que eles (MPEG-LA) sabem e nunca irão tentar. Eles têm essas patentes para assegurar o modelo de negocio, sem nunca afetar o consumidor, porque eles (consumidores) são os financiadores passivos, logo nunca iriam atingir-los directamente…

  44. Ricardo says:

    Acho que ainda existe um bocado de confusão na web quando se referem ao flash (programação) e flash vídeo (flv) que são 2 coisas diferentes.

    já tentaram ver o consumo CPU quando vêm um filme em theora em fullscreen nem é preciso ser HD, experimentei num quadcore e vi 30%, comparei com um HD em h264 e andava á volta dos 3 e 4 %.

    Theora simplesmente não tem a optimização e qualidade do H264, O VP8 da google pelo que li não infringe patentes e nem a google iria disponibilizá-lo como já dissee k faria este mês sem ter mesmo a certeza que realmente não há problemas, mas o vp8 não tem a cobertura que o h264 tem… é tudo h264 hoje em dia,,,experimentei sacar um vídeo do youtube em h264 e transfiram para um telemóvel ou ipod, ps3…o vídeo é lido sem reconversão, e um dos conversores gratuitos para h264 permite agora converter para h264 que é compativel com qualquer leitor bluray e podes mesmo disponibilizar o video online (streaming) e fazer o download desse mesmo vídeo e gravar num dvd/bd (só precisas de muxar pa criar uma estrutura BD) sem reconverter o vídeo, o vp8 e theora está mtttttttttttttttt longe de ter isso, a questão que pergunto é: andamos paraa frente ou para trás?

    ps: não sou um fanboy da apple nem tenho produtos apple mas vejo claramente as vantagens do h264.

    • S-K says:

      É claro que andamos para frente.
      Não há duvidas:
      vp8 é melhor que h.264 que é melhor que theora.

      O h.264 é muito utilizado. Por isso que quase tudo lê sem fazer conversão, e tem hardware optimizado para h.264. Mas os dispositivos também não tem de evoluir?

      Mas o que está em causa não é a TDT bluray etc… E sim um padrão aberto e livre para ser utilizado na Internet. Tecnicamente não há problema nenhum em usar h.264. O codec não precisa de ser opensource. Já existe o x.264 que tem uma implementação livre (opensource), mas o uso da tecnologia, em alguns países, é ilegal.
      O problema são os royalties e a manipulação que algumas empresas estão a fazer para criarem monopólios.

      O h.264 não precisa de ser opensource não sou fundamentalista. O ideal era pagar royalties apenas para fazer “Encoding”.

      • a Friend® says:

        Mas só se irá pagar royalties quem usar para fins lucrativos como por exemplo produtoras cinematográficas. Sempre foi assim e sempre será. MPEG sempre foi o formato digital usado e quando é comercializado essas taxas são sempre pagas. (VideoCD, DVD, etc..)

        O H.264 não será excepção para negocio. Agora para uso livre, sem fins lucrativos não se paga nem quem o “encoda” nem quem o visualiza… e quem comercializa só irá pagar um royaltie de 0,02$…

        Está a gerar-se uma confusão em torno deste codec completamente ridicula. Nunca nenhum utilizador irá pagar para o usar… simplesmente nunca faria sentido isso acontecer nem seria possivel eles cobrarem isso a milhões e milhões de utilizadores que usam a Internet….

        O alvo principal deles é apenas produtores. Estes nunca poderiam vender OGG porque o que eu saiba não há DVD’s OGG, nem Blu-Ray OGG…. se o Standard de venda é MPEG, logo para comercialização este será sempre usado, como sempre foi.

        Não misturem as coisa e leiam melhor os artigos. Agora virou moda tudo gerar conflitos… anda tudo com a mania da revoluçao e Open-Source muitas vezes sem saber o significado do mesmo…

        http://www.engadget.com/2010/05/04/know-your-rights-h-264-patent-licensing-and-you/

        • S-K says:

          Eu sei muito bem o significado de “Open source”, e a diferença em relação ao “Free Software”. (“free” traduzido como livre, não sendo obrigatoriamente grátis)

          “O H.264 não será excepção para negocio. Agora para uso livre, sem fins lucrativos não se paga nem quem o “encoda” nem quem o visualiza… e quem comercializa só irá pagar um royaltie de 0,02$…”

          SEM FINS LUCRATIVOS
          …estamos quase lá 🙂

          Tens a certeza que não precisa de pagar para “encodar” mesmo que seja sem fins lucrativos? 😛

          Você conhece o http://www.medibuntu.org/? (é muito provável que sim)
          Para que um repositório “isolado”?

          Porque em alguns países (EUA por exemplo), a Canonical não pode distribuir o REPOSITÓRIO medibuntu (não estou a falar dos codecs) junto com a distribuição.
          Neste caso, o otário… perdão! Eu quis dizer… o consumidor tem de pagar o codec para ouvir uma música que ele PAGOU.
          https://shop.canonical.com/product_info.php?products_id=244
          “FOR THE PERSONAL AND NON-COMMERCIAL USE”

  45. a Friend® says:

    Já agora deixo a questão no ar para quem quiser responder (se souber o que vai responder)

    Eu tenho uma música em MP3 feita por mim, posso por na WEB gratuitamente e quem quiser pode ouvir…

    Se essa mesma música (feita por mim), eu quiser vender… posso vender assim sem mais nem menos?…ou quais os passos devo seguir para que a possa vender?

    • António says:

      Sim e sim,
      No primeiro caso, tens de ter atenção, tens de garantir de algum modo a prova de que a música é tua e criada numa dada altura, senão alguém pode-ta roubar, fazer dinheiro com ela e tu não vês um tusto (estuda o creative commons)

      no segundo caso tens de pagar impostos, claro :D, tens de te colectar.

      • a Friend® says:

        Não esquecer o IGAC e SPA 😉

        Lá está… tudo o que toca a venda, é preciso seguir todas as burocracias habituais. Não se pode vender só assim por vender.
        O mesmo se aplica ao H.264 … que era aí que queria chegar..

        Agora para usos não lucrativos, é à vontade. (segundo as licenças do H.264 até 2016….e depois disso só poderá ser)

        • S-K says:

          “Agora para usos não lucrativos, é à vontade. (segundo as licenças do H.264 até 2016….e depois disso só poderá ser)”

          Mas até lá (2016) A MPEGLA pode fazer pequenas alterações no codec e registar uma nova patente de outra característica do codec. E depois… são 20 ou mais anos de patente.

          Veja o exemplo do mp3. São várias as patentes. Sabes quando a patente do mp3 expira? 😛

          Agora não atirem areia para o olhos das pessoas. Esse link do engadget não me diz nada.
          Os consumidores não pagam nada? Isso é mentira porque o preço já esta incluído nos produtos. Quando compras um leitor mp4 ou televisor TDT o preço dos royalties estão incluídos.
          Esse é o modelo de negócio do MPEGLA. Mas não é isso que interessa. Porque estamos a falar de um “Standard” aberto e sem custos que seja homologado pelo W3C.

          Veja o exemplo que eu dei em cima do Ubuntu. Nos países onde existem patentes de software, o utilizador do Ubuntu é obrigado a comprar um pack de codecs. É claro que pode usar o repositório do mediubuntu, mas estaria cometendo uma ilegalidade.

  46. António says:

    Bem vamos lá tentar por os pontos nos iis. Usando uma analogia simples como a transferência de documentos:

    Milhões de empresas usam doc(x) e pdf para transferir documentação, por isso pode-se dizer que doc e pdf são os eleitos no que trata a documentos, mas não faz desses formatos formatos “Standard”, nunca iremos ter uma tag chamada ou , podemos ter (nada impede de a ms a colocar no ie), mas nunca será aceite pelo W3C.

    O mesmo se passa com o video, o h.264 é adoptado por toda a gente, porreiro, passou a haver descodificação por hw e barato, fixe. Mas não é um formato transversalmente gratuito, se alguém, na sua garagem quiser criar um browser, não poderia suportar a tag simplesmente porque os royalties são enormes, ora isso é um entrave à inovação, fazendo com que a adopção do h.264 seja impossível.

    Tal como o que está dentro da tag é e sempre será gratuito para toda a gente (aplicação – Criadores – Consumidores), tudo o que estiver dentro da tag também terá de ser.

    Agora, as coisas funcionam nos dois sentidos, não se pode dizer que não uso esta tecnologia (flash) porque é proprietária e fechada. Mas quero/exijo (e processo quem não o fizer) que usem outra tecnologia, que é proprietária, fechada e possivelmente uma fonte de preocupação para todos os criadores de conteúdos (ver http://www.osnews.com/story/23236/Why_Our_Civilization_s_Video_Art_and_Culture_is_Threatened_by_the_MPEG-LA). A isso, na minha terra chama-se hipocrisia e arrogância

    Espero ter ajudado a clarificar as coisas

    • S-K says:

      “Milhões de empresas usam doc(x) e pdf para transferir documentação, por isso pode-se dizer que doc e pdf são os eleitos no que trata a documentos, mas não faz desses formatos formatos “Standard”, nunca iremos ter uma tag chamada ou , podemos ter (nada impede de a ms a colocar no ie), mas nunca será aceite pelo W3C.

      Exactamente.

      E é isso que estamos a falar… da WEB STANDARDS.

      A Microsoft durante anos não seguia os STANDARDS do W3C. O IE tinha tags próprias que outros browsers não reconheciam.
      Ninguém pode negar que foi (ainda é) o browser mais utilizado do mundo. Isso faz dele um standard web? NÃO!

      Por isso h264 como web standart não faz sentido. Tinha primeiro de passar para domínio publico. Ai sim.

  47. Ricardo says:

    S-K disse:
    5 de Maio de 2010 at 2:00 am

    É claro que andamos para frente.
    Não há duvidas:
    vp8 é melhor que h.264 que é melhor que theora.

    Não é verdade, apesar do vp8 ter quebrado certas coisas com o vp6/vp7 será muito dificil baterem o x264 em termos de qualidade e como referi a on2 nas comparações utilizou umas definições “reles” nas conversões h264.

    S-K disse:O h.264 é muito utilizado. Por isso que quase tudo lê sem fazer conversão, e tem hardware optimizado para h.264. Mas os dispositivos também não tem de evoluir?

    por essa logica vamso esperar 6 anos como esperámos que o h264 chegásse onde chegou em dispositivos e pela altuar que já existissem leitores com suporte vp8 já haveria outro formato e depois acontecia o mesmo k está a contecer com o h264, não podemos esperar mais tempo, o codec é gratuito para visualização e encoding de materia livre e mesmo comercial só se paga a partir das 10000 ou 100000 encodings.

    Mas pronto vamos esperar mais 5 anos ou mais para que o vp8 se instale no mercado e depois acontece o mesmo porque o mpeg5 chegou, quem lucra com isto tudo é o s fabricantes k vêm aqui um filão.

  48. Ricardo says:

    António disse:
    Mas não é um formato transversalmente gratuito, se alguém, na sua garagem quiser criar um browser, não poderia suportar a tag simplesmente porque os royalties são enormes, ora isso é um entrave à inovação, fazendo com que a adopção do h.264 seja impossível.

    Se não me falha a memória o h264 é livre de royalties para visualização, a mpegla já o referiu várias vezes e tem sido sempre assim e com o h264 não tem sido diferente com o prazo a ser estendido até 2015, tal como tinha sido até 2010 antes.

    gratis para encodes de materia livre, gratis para encodes comerciais ate 10000 salvo erro, gratis para ser visualizado…suporte em hardware e software para ler e criar, o que será preciso mais?

    Theora?! só nos recursos que consome e qualidade é um anedota… VP8 pelo k têm circulado nos sites especializados é que o vp8 é inferior em qualidade.

    • Berto says:

      o aFriend deixou um link sobre as questões de fees, royalites e bla bla bla da engadget. Sim, os browsers tem de pagar para ter o codec (no exemplo da engadget a mozzila tem de pagar 5 milhoes de dolares por ano para o ter no firefox)

      Leiam o artigo, acaba com toda esta discussão do é assim, não é assado e afinal é cozido:

      http://www.engadget.com/2010/05/04/know-your-rights-h-264-patent-licensing-and-you/

      (O artigo é escrito por advogados, por isso devem saber o que estão a dizer em termos legais.)

    • lmx says:

      boass..
      eu tenho a minha musica em ogg , muitoo bom mesmo, mas se queres qualidade a serio tens algo quase inultrapassavel, livre claro FLAC.
      Não é preciso formatos para enriquecer alguns quando temos bons formatos livres, patrimonio da umanidade, isso diz-vos alguma coisa?…parece que não.

      cmps

  49. Ricardo says:

    Berto…a mozzila tem de pagar 5 milhões depois de 2015 porque pelo que entendo até lá não paga nada… a engadget fala disso de 5 milhoes mas não refere se actualmente ou depois de 2015… pelo que já li em sites da especialidade o youtube não está a pagar de momento pelas conversões em h264 e não vejo o porquê da mozzilla pagar se nem a fazer encodes está e a licença no site oficial deles diz que para viewing é grátis…talvez me esteja a escapar algo…mas deixemos de lados isso e concentremo-nos no aspecto do utilizador normal qie não faz dinheiro dos vídeos…é totalmente gratuito quer a converter ou visualizar e com melhor qualidade que os outros.

    Quem quiser fazer dinheiro dos vídeos acho bem que pague.

    Para mim como utilizador e distribuidor de vídeos não comerciais o h264 é o melhor em preço e qualidade de vídeo ou consumo de recursos

    • Berto says:

      Depois de ir ao google, e acabar por ler o pdf da MPEG-LA referente às licenças, sim, a firefox tem de pagar já os 5 milhões

      “For (a) (1) branded encoder and decoder products sold both to end users and on an OEM
      basis for incorporation into personal computers but not part of an operating system (a
      decoder, encoder, or product consisting of one decoder and one encoder = “unit”),
      royalties (beginning January 1, 2005) per legal entity are 0 – 100,000 units per year = no
      royalty (this threshold is available to one legal entity in an affiliated group); US $0.20 per
      unit after first 100,000 units each year; above 5 million units per year, royalty = US $0.10
      per unit. The maximum annual royalty (“cap”) for an enterprise (commonly controlled
      legal entities) is $3.5 million per year 2005-2006, $4.25 million per year 2007-08, $5
      million per year 2009-10.8”

      In http://www.mpegla.com/main/programs/AVC/Documents/AVC_TermsSummary.pdf

  50. Ricardo says:

    Berto tudo bem mas o texto aplica-se a “sold products” e o firefox é gratuito, não sou jurista para ver todas as alineas com atenção e saber as repercussões, pelo que leio e pelo teu texto:

    For (a) (1) branded encoder and decoder products sold both to end users and on an OEM
    basis for incorporation into personal computers but not part of an operating system (a
    decoder, encoder, or product consisting of one decoder and one encoder = “unit”),

    vou dar um exemplo para mim quase bi semanal… somos uma familia de 9 espalhados por 3 continentes e termos um site/blog onde cada membro publica fotos e vídeos de onde está, enviei um script a cada(a) um para converter os videos para mp4(h264+aac) e ensinei como colocar um leitor fllash no site para que todos possam ver os h264 e fazer o download do mesmo ficheiro para ver em telemoveis ou ipod…. com o vp8 ou theora não existe hipóteses de fazer isso porque não têm hardware compatível… para mim o h264 é o único que faz sentido para o presente e a médio prazo (nunca podemos pensar em longo prazo com tecnologia)

  51. Berto says:

    @Ricardo

    O que estava explicado na engadget e pelo que percebi no texto da MPEG-LA, qq produto de encoding/decoding que use o codec h.264 tem de pagar, ou seja, exemplo já dado aqui por alguem: o Firefox se usar o decoder embutido no windows 7, não tem de pagar nada, mas se criar um decoder para o firefox, tem de pagar. O que é “free” agora é o uso do codec em si, mas se fazes um produto que faz o encoding/decoding, tens de pagar. No exemplo que deste, não tens de pagar, pq simplesmente estás a usar o codec já em produtos que supostamente quando foram feitos, para converter os tais videos, já tiveram de pagar esses royalties.

    @S-K
    Se a engadget não te diz nada, imagino o que te dirá o pplware.
    Claro que pagamos os h.264, tal como pagamos o IVA dos produtos, as empresas não perdem dinheiro, faz parte do custo! Se vais fazer uma tv que usa o codec, no custo final do produto tens em conta o hardware, software, custo de produção, embalagem, etc, incluindo o codec. São duas questões separadas! Uma coisa és tu quereres fazer um encoding de um video em h264 no teu software e quanto pagas por isso, e outra coisa é o que software pagou à MPEG-LA para poder fazer o encoder do codec deles.

    Não há almoços grátis, quem acabar por pagar é sempre o consumidor. Mas era bem mais grave se por cada encoding/decoding que fizesses tivesses que pagar um fee, a lá pay-per-view.

    off-topic: Mas que grande telenovela mexicana aqui vai 😀

    • S-K says:

      “Se a engadget não te diz nada, imagino o que te dirá o pplware.”

      O link do engadget é que não me diz nada de novo.

      Porque a questão central são os web standards. Novela foi a afirmação que fizeste em cima.

  52. lmx says:

    boas..
    eu oiço a minha musica em ogg, muito bom mesmo e compro em ogg também, mas se querem um formato de musica do melhor porque não FLAC.nao é preciso encher os bolsos a ninguém meus caros, eu se isto fosse uma democracia, oferecia gratis x, quem quisesse y teria que pagar, mas apenas esses.

    cmps

  53. Ricardo says:

    lmx não queira comparar o vorbis (audio) com o theora (vídeo) tanto em qualidade como recursos para os “tocar” é totalment diferente.

    @Berto

    Num dos fórums que frequento perguntei ao dev do x264 e ele afirmou que o uso do x264 para criar h264 é gratuito até 2015 para videos não lucrativos e comerciais havia um limite de 100000 conversões. Os criadores do x264 não pagam royalties á mpegla.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.