Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Que se passa com os 100 mil computadores para as escolas?

PUB

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. costacurta says:

    Administração pública, reguladores, observatórios, institutos, direções etc. Essa tralha toda precisa de levar uma vassourada das grandes. Está tudo minado de gente dos partidos, amigos, cunhas, etc. São lentos, burocráticos, pouco capazes e pouco profissionais. Até chegam ao cúmulo de emitirem estudos e pareceres contraditórios anulando-se uns aos outros. Nós a pagar este seita toda. Primeiramente para Portugal funcionar bem, antes de fundos e seja o que for, o anteriormente mencionado precisa de uma profunda reforma.

    • Técnico Meo says:

      .+11111

    • Rui says:

      Antes de comentar seria bom pensar.

      Porque motivo a MEO precisa de mais números se já lhe foram atribuídos 13 milhões?

      Se existem 10 milhões de habitantes em Portugal sendo que muitos não possuem número móvel, se existem mais duas operadoras que dividem clientes com a MEO , facilmente se percebe que a MEO aparentemente está a tentar reservar para si mais números possivelmente impedindo outros de os usar no futuro.

      Está bem o estado ao pedir esclarecimentos.

      • Tuaregue says:

        humm, alguém se está a esquecer que há quem tenha +1 telemovel da mesma operadora, há quem tenha internet fixa via 4G, há que tenha numero fixo via GSM, ha quem tenha uma empresa que “dá” telemoveis aos funcionários e internet 4g, há quem tenha internet via 4g + telemóvel. Há quem tenha iot (poucos) com 4g. Há quem tenha elevadores com cartões 4g (é obrigatorio por lei os elevadores instalados a partir de um certo ano terem comunicação, pode ser por 4g ou cabo). Há tantos casos mesmo profissionais onde se tem de ter um cartão gsm para uma maquineta qq funcionar ou enviar dados.

        Se todos usam MEO, não. Se a ANACOM poderia abrir mais uma gama para estes nr poderia.

        • Rui says:

          E não acha que seria sensato e fácil a Meo responder a Anacom temos X clientes e para poder responder á encomenda precisamos Y numeros.

          Não seria dificil certamente. Se pedem e exigem uma quantidade de numeros sem sentido cheira a esturro.

          As suas contas seriam bonitas mas convem nao esquecer que muitos numeros que os portugueses usam pertencem a Nos e Vodafone pelo que num pais onde somos 10 milhoes me parece excessivo que a Meo já possua 13 milhoes de numeros sendo que muitos dos 10 milhoes de habitantes nem telemovel usam.

      • Ribeiro says:

        Porque não são só os telemóveis e dispositivos de banda larga que usam números móvel. Temos que nos lembrar que os TPA de pagamento nas lojas também usam cartões móvel , os POS (terminais ponto de venda)das lojas também em grande parte, entre outros equipamentos. Portanto, relacionar o numero de cartões de voz/dados móvel com o numero de habitantes do pais está errado.

  2. paulo says:

    nao ha problema o governo vai ter sempre dinheiro para pagar esta gente toda! basta imprimir dinheiro com lastro no ar e dá inflacao as pessoas para pagarem, para alem dos impostos levas com este imposto invisivel! mas o ppl nao que saber disto quer e futebol e big brother!

  3. Redin says:

    Para o bem e para o mal, a democracia funciona assim.
    O povo não acorda e quando acorda tarde arriscamo-nos a levar com governos populistas.
    Temos de encontrar muito rapidamente um “Satoshi Nakamoto” para a melhorar e revolucionar a democracia.

    • O bastardo says:

      Se vires a vizinha Espanha, visto o populismo lá reinar, não há um único governo mas muitos partidos a gerir e ninguém faz (nem quer fazer) nada. No final o Sánchez fica a tocar viola e os outros a protestar. Logo cada governo autónomo desgoverna a sua própria região. É quase como ter pais que não se controlam e deixam os filhos fazerem o que querem.

      Se deixamos e fazemos o mesmo em Portugal, acabamos no mesmo: mais de 25% de desemprego jovem e um desgoverno / corrupção brutais.

  4. Jorge says:

    Por muito má que seja a regulação, é melhor que exista. Imaginem estas empresas a fazerem tudo o que quisessem. Já assim fazem…

  5. Um Qualquer says:

    Estes sempre a queixar-se, mas estão em todas.
    O estado não podia simplesmente comprar os computadores diretamente aos fabricantes, tem de dar a maminha do costume. HEHE

  6. R says:

    O dinheiro que já foi e continuará a ser desperdiçado na TAP vai fazer tanta falta…

  7. paulo says:

    da tap?? ainda é para nos, agora o dinheiro que vai para o novo banco! meu deus!

  8. sakura says:

    LoL …. “”Em face dos 13,8 milhões de números móveis””

    Portugal não tem só 10? lol esta tudo a estudar?

    • rui says:

      números móveis em uso não de pessoas, cada cartão de telemóvel é 1 número, mais bandas largas, mais tracking de carros em frotas de empresas, mais contadores energia, mais iot’s que usam gsm, etc. etc.

  9. Pedro says:

    Não me admira, só eu, tenho à minha conta, entre pessoal e profissional, 4 cartões sim (2x móvel, 1x banda larga, 1x GPS viatura)

    • Rui says:

      Existem ainda muitos portugueses que não tem cartão num país com 10 milhões.

      E não esqueça que muitos portugueses usam a Vodafone e a Nos pelo que parece exagerado a MEO ter 13 milhões de números e pedir muitos mais…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.