PplWare Mobile

Cloud Computing – O Futuro da Computação


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. pph says:

    Enquanto puder, os meus ficheiros programas e tudo o que utilizo, fica no meu pc, dispositivo, ou no que quer que seja, mas que esteja em meu poder.

    O porque de pensar assim, vai da minha ideologia, e assim permanecera ate que seja forçado a depender da cloud.

    • DoContra says:

      Isso não é grave. Desde que se tenha espaço em disco, pode-se ter simultaneamente no equipamento e na cloud (o Dropbox é um bom exemplo). Depois é rezar para que não aconteça nada ao HD…

      • Vítor M. says:

        Exactamente. Mas há um conceito novo, mais barato: storage e storage backup.

        É muito simples e barato hoje estarmos seguros: podemos ter nas nossas empresas sistemas que desloquem para a cloud os dados, a vida digital das empresas, de forma encriptada e em horários de não laboração ou em horários de baixa produção.

        Como podemos rapidamente transferir esses dados, tendo em conta a qualidade já existente na largura de banda servida à empresas, facilmente em caso de SOS podemos “descarregar” um backup total ou incremental que nos ajudará a repor a normalidade. Isso é barato e é um primeiro passo para “confiar” nas potencialidades da cloud.

      • pph says:

        Eu tenho acesso a tudo o que é meu em qualquer hora do dia onde quiser, desde que tenha internet. E nao tenho nada na cloud, e assim como eu certamente existem milhares por ai fora.

        Quanto aos azares que podemos ter com os HD, é so seguir a formula de sempre no que toca a backups. O facto de existir a cloud, nao tornou os nossos discos e metodos de backups menos ou mais seguros do que sempre foram.

        • DoContra says:

          Não vou, obviamente, perguntar em que empresa trabalha, quais são os seus servidores ou que programa de vlan utiliza. Eu também trabalho numa empresa que usa (e abusa) da vlan para quadros que levam o portátil no fim de semana. Mas não deixa de ser uma cloud. Privada, é certo, mas é uma cloud. Sem acesso à Internet não há vlan…

          • pph says:

            Mas a diferença é mesmo so essa. O problema nao é a cloud ou a forma de ser dela.

            A diferença é os dados estarem numa lucalizaçao a que so eu tenha acesso, e pelas quais apenas eu sou responsavel, numa so palavra, privacidade maxima.

          • Rui says:

            “A diferença é os dados estarem numa lucalizaçao a que so eu tenha acesso, e pelas quais apenas eu sou responsavel, numa so palavra, privacidade maxima.”

            Tens tanto apenas tu acesso, quer seja no teu servidor, quer seja no servidor da empresa ou na cloud.

            O tema “apenas eu tenho acesso” é uma questão muito relativa.

          • dajosova says:

            “numa so palavra, privacidade maxima.”

            LOL

      • Dogzilla says:

        Andamos há anos a utilizar HDD, não haveria de ser por causa da Cloud que eles se iam avariar.

  2. DoContra says:

    Para quê ignorar a evolução e tentar negar que a “cloud” já chegou e será o futuro muito próximo?
    Só espero que a massificação e condições de acesso à Internet acompanhem esta evolução.
    Para quê ter um cartão único que em dia de eleições só servirá para barrar manteiga nas torradas?
    Para quando o acesso à Internet como um direito e, mais que isso, uma necessidade, quando hoje em dia há quem não consiga enviar um simples mail numa qualquer zona do Portugal real?

    • pph says:

      Ninguem tenta negar nada, a cloud esta ca para ficar.

      • Luís says:

        Concordo com o pph, mas já agora só uma ideia:
        já pensaram que basta um processo contra uma dessas empresas que disponibilizam serviços de armazenamento na nuvem para que informações de milhões de utilizadores sejam acedidos?! Ao contrário do que se houve dizer da parte de empresas de conteúdos audiovisuais e alguns políticos eu acredito que a maioria dos utilizadores não são hackers nem criminosos, logo nada têm a temer de uma acção dessas, mas não me venham com tretas porque ninguém tem o direito de fussinhar nos meus dados só porque alguém no mesmo serviço que eu é suspeito. É claro que o meu computador é igualmente inseguro mas ao menos tenho algum controlo dos meus dados. Anda paranóia no ar, uuuuuuuuhuh. lolol. Abraço

      • DoContra says:

        Este meu comentário foi publicado antes do seu. Ficou a aguardar moderação, logo não era uma resposta.
        Mas em parte concordo consigo. Também não confio a 100% na cloud e por vários motivos: fiabilidade no acesso, segurança na utilização, privacidade dos dados.
        Se já agora se “entra” com bastante facilidade nas máquinas que usamos em casa, não aceito que tal não aconteça também, talvez até com mais facilidade, nas máquinas da cloud.

  3. Sem dúvida alguma é um tecnologia que promete muito, e muito em voga.
    Vamos ver o que o mercado nos vai reservar.

    Cumps

  4. Pedro Pinto says:

    Cloud Computing – o futuro (agora)!

    Excelente artigo. Parabens

    Pedro Pinto

  5. david says:

    cloud computing só para tarefas muito especificas. Não passa de mais controlo. Simples quanto isso, podem-lhe por rosas, dar perfurme, romantizar, etc. Será tudo pago. O que nos irão dar é tudo o que não interessa. Eu prezo a minha independência em tudo. Não me venham com tretas de segurança ou mobilidade. Isto não são modernices, pelo contrário é “retrogrado”. Basta fazer uma comparação entre o sistema energético actual, qual o paradigma, e este do cloud. Os métodos centralizados são sempre um entrave ao desenvolvimento.

    • LifesGreat says:

      Não posso deixar de concordar com a tua analise. Podem ate dar a ideia que e a coisa mais segura do mundo e ate pode ser das coisas mais bonitas… eu pessoalmente penso que não passa de uma pequena farsa para controlar o que se faz. Não uso nenhum dropbox, e outros servicos que por ai andam porque o que e pessoal nao e para ser partilhado. Agora podem-nos chamar o que quiserem… mas modas… não obrigado….. ok não sou cool por causa disso… quero la saber.

  6. slooney says:

    E em Portugal? Existem empresas que oferecem estes serviços a um nível Corporativo?

    Existe pois!
    http://www.niodo.com/

    Excelente artigo!

  7. G says:

    Quem escreve isto, (e outras coisas):
    “Se já agora se “entra” com bastante facilidade nas máquinas que usamos em casa, não aceito que tal não aconteça também, talvez até com mais facilidade, nas máquinas da cloud.”

    Não está com certeza muito por dentro do tema para que o possa comentar.

    Quanto a “Enquanto puder, os meus ficheiros programas e tudo o que utilizo, fica no meu pc, dispositivo, ou no que quer que seja, mas que esteja em meu poder.”

    Bom… realmente era melhor informarem-se dos temas ou investigarem algo, ou até mesmo pensar um pouco antes de colocar alguns comentários.

    Deixem só que relembre que há apenas uns poucos anos atrás, andávamos com a informação em disquetes que se perdiam e avariavam constantemente…. voltando à actualidade… quantos de nós não anda com informação confidencial e importante em PENs ou discos externos ou cartões de memória, esses não se perdem ? Não podem ser roubados ? E já agora quantos de vocês não tem um portátil ? E esse não pode cair e avariar-se ? Não pode ser furtado ? Não andam com ele para todo o lado e se ligam a redes que nem conhecem ?!?

    Já sei que vão todos começar a responder e se calhar a usar alguma linguagem menos própria. Não quero nem quis ofender ninguém, apenas acho que se as pessoas olhassem um pouco em volta e pensassem um pouco, escusavam-se a comentários no mínimo ridículos.

    A Cloud, não será mas é já uma tecnologia a ter em conta e muito rapidamente se transformará em algo de banal como hoje são as PENs e os smartphones…

    Fiquem bem e sigam para as …. nuvens….. 🙂

    • Vítor M. says:

      Não vão nada deixar comentários menos próprios que não deixamos. Ainda por cima num comentário oportuno e sustentado, que traz à luz da discussão conceitos e verdades pertinentes.

      A verdade é mesmo essa. Os utilizadores (os júniores e os seniores) têm de “descolar” o nariz do umbigo e “olhar” em volta e para a frente. A Cloud existe há muito tempo e é usada e abusada por aqueles que “despertam” sentimentos de insegurança. Basta ver o uso que dão ao Gmail. Guardam os mails no disco é? e levam os mails numa pen até ao destinatário? 😉

      • pph says:

        Aqui nao se trata de comentarios menos proprios ou nao.

        Trata-se por vezes de atropelar opinioes pessoas com o camiao do desconhecimento, algo que neste caso correu mal, porque ja expressei claramente que é o que penso do assunto e nao o imponho a ninguem, e segundo ja tenho uns anitos disto para ter de ouvir alguem a dizer que “devia ler mais sobre o assunto”.

        E os mails estao no servidor e nos pc´s que uso. Mas acho que ainda vai um salto de emails a todos os outros formatos de informaçao.

        Espero nao ter de me explicar quanto a este ultimo paragrafo.

        • Vítor M. says:

          Não me referia a isso, referia-me a que o assunto ainda está verde, ainda existe muito o que apresentar para “financiar” segurança e credibilidade aos vários serviços existentes.

          Embora tenhamos muitos anos “disto” não é garantido que dominemos os conceitos na sua plenitude, de antemão temos de dar o benefício da dúvida e olhar para quem serve estes serviços.

          Seja como for nunca é demais lermos sobre o assunto. O mail é o exemplo mais simples de utilizar. São dados importantes que ao longo de décadas foram guardados em servidores, a tal cloud que ainda não tinha sido baptizada. Por isso é que o conceito não deve ser encarado como recente em termos de experiência.

          O que está ainda verde é a massificação de dados disponibilizados, e isso deve ser aprofundado.

      • Queimado says:

        Concordo plenamente consigo. No entanto, como em tudo na vida, há coisas, e há coisas. Também penso que o cloud computing é o futuro, e decididamente há coisas que são para colocar lá, agora há coisas que é para estarem comigo, e só comigo. Além disso, penso que a principal funcionalidade é a capacidade de processamento, fundamental para as empresas no futuro. Em vez de gastarem balurdios em equipamentos, seguramente irão “alugar” essa capacidade de processamento, e até vender, tal e qual como é feito com a energia. Em Portugal temos o exemplo da Portucel, que consume energia, mas tambem a vende á EDP.

      • Luís says:

        Olá a todos.
        Por acaso até guardo, lololol, :-P, não por motivos de segurança (o email é transmitido em texto simples, logo seria estúpido da minha parte), mas porque tenho o meu programa de email com esse comportamento. Já agora posso dizer que escolhi este comportamento porque não gosto de ter o interface web do meu email a abarrotar e não me apetece perder tempo a organiza-lo.
        Lancei uma interrogação alguns posts atrás porque achei pertinente para o tema e também porque acho que o debate sobre o acesso legal aos dados que consideramos privados deve ser feito antes de a nuvem ser a regra e achei que o pplware, onde as minhas opiniões sempre foram respeitadas, era o local ideal.
        Abraço

    • pph says:

      “”Quanto a “Enquanto puder, os meus ficheiros programas e tudo o que utilizo, fica no meu pc, dispositivo, ou no que quer que seja, mas que esteja em meu poder.”

      Bom… realmente era melhor informarem-se dos temas ou investigarem algo, ou até mesmo pensar um pouco antes de colocar alguns comentários.””

      Informa-me la tu, porque sinceramente nao sei mesmo o que devia ler para nao me sentir um iletrado ao pé de ti.

      Acho mesmo é que a vontade de debitar texto te levou a escrever compulsivamente.

      • G says:

        Parece que sempre tenho razão. Sempre ouve alguém a sentir-se ofendido.

        Apenas tentei mostrar que o que ontem era verdade absoluta hoje não passa de uma “piada”…. se é que me entendem.

        Mas pronto não continuar a “ofender” alguém que, julgo bem informado, continua a preferir “guardar o dinheiro debaixo do colchão…”

        Deixo apenas o link:

        http://lmgtfy.com/?q=cloud+computing

        Não vai faltar que ler….

        Fiquem bem e sorriam ao futuro.

    • LifesGreat says:

      Concordo com a tua analise. De toda a forma não podes garantir o que refutas. E verdade que isto e daquelas coisas que ira surgir… mas na verdade tudo o que e meu não vai andar na cloud de certeza. Por exemplo as redes sociais são modas e eu não uso nem uma. Nos Portugueses somos muito influenciaveis quando aparece alguém a dar uma opinião diferente porque não adere e logo marginalizado como se a escolha pessoal do outro fosse pior do que a minha.

      • G says:

        Apenas deixo claro que a minha opinião não se fica apenas pelo uso pessoal da cloud. A Minha opinião assenta na utilização da mesma ao nível empresarial, que arrastará com toda a certeza as pessoas ao nível individual também.

        A cloud não disponibiliza apenas espaço, disponibiliza muito mais que isso. Por algum motivo temos todas as grandes empresas internacionais, como IBM, Oracle, HP, Microsoft, SUN, etc etc a disponibilizar serviços e produtos para a Cloud e a apostarem cada vez mais nesta tecnologia.

        O exemplo que já aqui foi dado do cartão de eleitor foi fantástico. Vamos gastar uma pipa de massa, com um servidor só para que não tenhamos problemas durante cerca de 24h em cada 5 anos ?!? Bom em Portugal sim, até temos submarinos para passear…. Enfim…

        Mais cedo ou mais tarde as empresas vão esquecer os “eventuais problemas” de segurança e aderir porque o $$$$ fala mais alto. Quando perceberem que gastam fortunas em segurança que não passa de uma brincadeira a lado da segurança que apresentam algumas empresas na cloud,por muito menos dinheiro e até sem necessidade de recursos, depressa vão repensar a estratégia a seguir para as TIs das suas empresas.

        Abraço.

        • se houvessem leitores de cartão de cidadao nas urnas, como era suposto num serviço global, as pessoas não teriam que sobrecarregar um servidor, quando acabam por perceber que afinal o sistema é electronico… ou pelo menos era suposto ser, mas depois na realidade nao o é…
          o problema é a jusante… nao sao os milhoes pelo servidor, sao o fazer-se so para parecer que funciona…

    • DoContra says:

      Meu caro amigo, não sei quem anda mais alheado da realidade! A não ser que garanta a inviolabilidade dos servidores, desafio-o a provar por A+B que os dados colocados na cloud ficam 100% seguros. E por favor não entre na retórica das disquetes, flash disks (vulgo pens), etc.
      Todos sabemos que são igualmente vulneráveis. Se o meu comentário foi ridículo, agradeço que mo demonstre com dados e não com mais afirmações genéricas.
      @Vitor M, não entendi essa do GMail (e Hotmail e outros…) como exemplo de segurança. Sabe tão bem como eu que nada é seguro! Bem… há computadores seguros: desligados de qualquer rede, sem possibilidade de entrada de dados (não vá um virus descobrir)e, principalmente, inacessíveis a utilizadores desmiolados. 😉

      • Vítor M. says:

        É uma falsa questão essa da segurança. Nem estava a “linkar” o email ao conceito de segurança na cloud, estava a linkar à utilização constante por todos nós e o que afiançamos a essa utilização.

        Se o fazemos dessa forma e muitas vezes o justificamos com a qualidade dos players, porque questionamos uma “maior abrangência” desse conceito?

        Será por medo do que desconhecemos ou porque ignoramos o conceito em si?

        Se colocarmos a “vida das empresas” na cloud com providers certificados, teremos motivos de preocupação em termos de inviolabilidade dessa mesma informação?

        Teremos garantias que os dados retornarão conforme foram colocados na cloud?

        Quem se responsabiliza pelos danos (perdas), se os houver?

        Que garantias são dadas para garantir a sustentabilidade desses dados ao longo da vida útil das empresas contratantes?

        São respostas dadas há alguns anos, basta contratar os serviços mais fiáveis.

        Existem entidades que auditam os serviços e esses serviços obedecem a normas apertadas de qualidade.

        A cloud, embora ainda seja um “paradigma” é o futuro da computação… mas esse futuro começou há uns anos… só não demos por ela, pois não fomos convidados para o baptizado.

    • Tiago Azevedo says:

      Nem mais!

      Tenho até uma dúvida… Será que os dados não estarão bem mais seguros em servidores da Google do que nos nossos pcs, muitas das vezes apinhados de vírus?

      Se calhar até podem aceder aos nossos dados na cloud, não por falta de segurança do provedor mas do nosso pc, que revela as palavras pass…

  8. Tiago Costa says:

    O principal objectivo destes novos métodos de armazenamento de dados, ou talvez seja melhor dizer, a melhor defesa para as empresas que estão aderindo a este processo é fechar portas, ou razão de existir à pirataria, pois se não precisamos de ter as aplicações instaladas nos nossos PC…
    Depois, (“marketing logics”) virão as novas formas de obter lucro com essas soluções, através de limites no espaço de armazenamento, “facilmente” ultrapassadas mediante o pagamento de uma mensalidade, ou anuidade. Aliás, método esse já usado por muitas, se não todas as empresas envolvidas no processo.
    Claro que esses limites de armazenamento, parecerão suficientes no início, mas depressa nos encontraremos numa situação de barraquinha ambulante no meio do deserto, em que temos de optar se compramos os mantimentos necessários para prosseguirmos viagem, ou se voltamos para trás, perdendo tudo o que andámos até aí, ou ainda, se ficamos naquele local à espera de algum milagre, mas não esquecendo que a tal barraquinha não nos fará companhia para sempre.
    Claro que tudo isto tem a sua lógica, pois quem faz os programas com que tanto gostamos de trabalhar, tem de ganhar algo pelo seu trabalho, mas mesmo assim, não me parece muito bem, esta “armadilha” para onde estamos sendo empurrados… enfim, que fazer?

  9. Fábio says:

    A meu ver os grandes pontos fortes da Cloud Computing (CC) não foram referidos. São eles a elasticidade, a granularidade e a escalabilidade que oferece a baixos custos para empresas de pequena e média dimensão.

    Imaginem, pondo de parte desconfianças de teor de segurança que possam surgir, que o site onde os eleitores queriam tanto aceder este fds para saber o seu número de eleitor e freguesia onde podiam votar estava alojado num serviço como o AWS (Amazon Web Service). O site suportaria os picos de pedidos pois é um sistema escalável e adapta-se às necessidades. Não é necessário sobre-dimensionamento para poder servir picos de menos de 24h espaçados em 5 anos.

    Aconselho um artigo interessante sobre CC: http://www.eecs.berkeley.edu/Pubs/TechRpts/2009/EECS-2009-28.pdf

    • G says:

      Muito bom artigo Fábio. Este ainda não conhecia.
      Obrigado por partilhares.

    • Jorge H says:

      Não conhecia o Artigo…
      O meu comentário acaba por mencionar precisamente esta ideia do teu comentário.
      Concordo… a Cloud para as empresas é algo de fantástico! Está a começar a revolução… sei de fonte segura que o futuro vai estar ‘alojado’ na cloud! 😀

  10. LifesGreat says:

    A tecnologia em si e interessante sobretudo no plano profissional. No plano pessoal e para evitar ao máximo uma vez que há certos riscos sobretudo privacidade. E verdade que poderão haver serviços muito interessantes mas o que e meu não e de mais ninguém. E mesmo assim como as coisas estão hoje em termos de segurança informática já temos alguns problemas imaginem ter dados pessoais num qualquer serviço cloud. Ok só se põe la o que quisermos e verdade mas mesmo assim nunca e de fiar.

  11. Jo§e says:

    São modas. e como modas que são há que aderir sob pena de sermos rebaixados.

    Eu ainda sou do tempo em que os sistemas eram centralizados com os terminais “estúpidos”. Depois o que era bom eram os sitemas descentralizados. Depois já não são os descentralizados que são bons, mas os centralizados novamente… e por aí fora. Há que vender e para vender tem de se ir inventando novos paradigmas.

    É a vida, meus filhos.

  12. Rui says:

    Sou muito pragmático. Gosto de experimentar novas tecnologias, novos conceitos, novas abordagens e no dia em que não estiver aberto a estas novas visões do futuro e não as testar vou transformar-me num “velho do Restelo”. Daí até perder o “comboio” é um instante.

  13. muito bom artigo, acrescentou serviços e conceitos ao meu vago conhecimento da cloud

  14. G says:

    Bom… parece que há pessoas que depressa se sentem melindradas, quando apenas transcrevemos os comentários das mesmas e os comentamos de forma aberta. Se dizer que deviam informar-se melhor é igual a considerar alguém “estúpido”, então perdoem, e garanto-vos que sou estúpido todos os dias, porque todos os dias procuro informação nova.

    Alguém perguntou onde deveria ler para se informar e se sentir tão iletrado quanto eu, apenas acedi ao seu pedido e coloquei o link. Pelos vistos resultou, aprendeu depressa, tanto mais que se apressou a experimentar e a procurar as suas próprias necessidades. Não havia era necessidade de as dar a conhecer a terceiros.

    Como já referi, com o meu comentário inicial só tentei despertar como se costuma dizer “os velhos do Restelo”, (perdoem se também com este termos se sentirem ofendidos)… como dizia tentei desperta-los para as novas realidades.

    Não podemos continuar agarrados à “informação” como se fosse só nossa. Lamento não é ! Por mais que não queiramos sempre alguém conseguirá aceder a essa informação.

    Quando a garantir que os servidores da cloud são 100% seguros ?!? Bom só se fosse mesmo muito estúpido. Em momento algum afirmei tal barbaridade alias há uma premissa nessa área, “a maior falha de segurança é alguém pensar que alguma vez conseguirá ter um sistema de segurança 100% eficaz”.

    Agora reitero o que escrevi, há empresas que gastam verdadeiras fortunas em segurança, no final o sistema no qual gastaram tanto dinheiro é como uma rede de pesca.(Conheço muito bem do que falo acreditem). Não defendo a cloud, como um sistema onde apenas reina a segurança, nada disso, mas quando o serviço é disponibilizado por empresas certificadas, submetidas a constantes auditorias e constantemente actualizadas, com toda a certeza darão mais garantias de segurança que muitas empresas que tanto medo têm de colocar a sua informação cloud e continuam a achar que os seus “servidorsinhos” são o melhor em questões de segurança porque simplesmente não estão sequer ligados à internet……

    Quando falamos em cloud, não podemos apenas olhar para a segurança, sendo obviamente uma área muito importante, temos também de olhar ao tipo de serviço que pretendemos, às necessidades da empresa, a área em que actua a mesma. com toda a certeza fará mais sentido uma empresa de transportes ter serviços na cloud do que um escritório de contabilidade (apenas um exemplo aleatório e simplista).

    Cloud Computing será em breve algo imparável e por mais que se lhe resista vai vingar porque se foca num pormenor muito importante, diminui em muito os custos das empresas e melhora substancialmente a qualidade dos serviços TI das mesmas.

    Quem não gostaria de ter um servidor de Exchange, por exemplo, sempre actualizado, tanto ao nível de hardware como de software, sem gastar qualquer quantia extra ? E caso necessite de maior performance em determinado momento bastará apenas um telefonema, obviamente que se pagará o serviço, mas será certamente muito mais barato doque adquirir um servidor novo.

    Por aqui me fico. Foi bom partilhar alguma informação, mesmo com a informação menos boa aprendemos sempre algo de novo, mais que não seja que “iletrado” é alguém que investiga e tenta manter-se informado.

    Aconselho o artigo que o Fábio deixou. Muito bom.

    Abraço.

    • DoContra says:

      Creio que não fui suficientemente claro ou não me compreenderam bem. Subscrevendo o que escreve acima, lembro que não sou contra a cloud! Pelo contrário. Serei talvez um utilizador de computação em nuvem há alguns anos (o termo cloud é recente, o conceito não). Há anos atrás as empresas de grande dimensão tinham servidores centrais e terminais (sem disco nem disquete, eram meros teclados com um écran ligados por redes antigas, cabo coaxial). Os programas corriam no servidor. Não era uma “cloud” mas o conceito é parecido. Não se instalava nada nos terminais, não se actualizava nada.

      Voltando ao assunto, se ler bem o que escrevi o que ponho em causa é a nossa capacidade técnica para utilizar devidamente a nuvem. Quer por falta de equipamento decente quer por falta de ligações rápidas. Trabalhar em nuvem com ligações a 2 ou 4Mbps é impensável, mas no interior do país real é bem frequente. Nem todas as centrais telefónicas são digitais e recorrer a operadores móveis, mesmo a 7.2Mbps, poderá ter custos proibitivos.

      Assim, a cloud será só para alguns felizes “contemplados” com a banda larga barata(?), ou felizardos trabalhadores em empresas que apostem nessa tecnologia?

      Já não quero falar na questão da segurança, pois não vale a pena discutir mais esse problema. Não gosto de passar do 8 ao 80 e a insistir nesta questão isso poderá acontecer.

      Confesso que me sinto velho (não do Restelo nem de Belém), já ando a teclar há perto de 30 anos, mas asseguro-lhe que quando a cloud efectivamente entrar a sério na nossa vida à frente de um teclado, PDA, netbook ou bugiganga de última geração, serei dos primeiros a usufruir dela. Não gosto é de “embandeirar em arco” assim que uma nova tecnologia surge e é rapidamente adoptada por uma minoria de privilegiados quando a esmagadora maioria da população nem acesso decente à Internet tem.

  15. Joao Martins says:

    Pessoalmente nao acredito no sucesso desta vertente. Tem problemas de segurança na confidencialidade, privacidade e debilidades de performance uma vez que carece de uma boa infraestrutura de suporte e transmissão de dados. Só ganha na capacidade de backup ( se bem montado e gerido pelo fornecedor ). O grande objectivo, claro, é o incremento de receitas por parte dos fornecedores de aplicações, com a generalização das assinaturas pelo uso das aplicações.

  16. Ant says:

    Como será óbvio para todos, um serviço deste tipo nunca seria divulgado se não existisse medidas de segurança adequadas, mas tudo o que é feito pelo Homem também pode ser destruído.
    Hoje em dia todos nós usamos cloud computing de uma maneira ou de outra sem nos apercebemos. A própria internet é uma cloud. A única diferença é que se passa a fazer os cálculos nessa nuvem.
    Todas as preocupações que se tem de ser ou não seguro, são em teoria as mesmas que temos para a internet.
    E atenção o cloud computing não implica directamente que não deixemos de usar os hdd, ou discos, apenas vamos deixar de ter as nossas aplicações no nosso hdd ou no hdd da empresa que oferece a aplicação.
    Para saber melhor de segurança utilizada aconselho ver o protocolo TLS/SSL. É o protocolo utilizado por muitos servidores de email , por exemplo o hotmail.

  17. mart says:

    mais um grande passo para controlar todos os seres deste planeta que tenham ou venham a ter um pc,têm duvidas? eu não tenho ,está em marcha o control da net por parte de grandes empresas e por parte dos governos,que quando quiserem e bem entenderem cortam-nos o acesso a esses mesmo dados e nada poderemos fazer.
    controlam a s nossa contas bancarias.
    os nossos telefones.
    os nossos mails.
    os nossos movimentos nas ruas e lojas( nas cidades sobretudo).
    nas autoestradas.
    e ainda pensamos que somos livres. hahahahahahah

  18. Sérgio says:

    Eu acho piada às pessoas que dizem que vão continuar a manter os dados nos seus discos porque na cloud os dados não estão seguros…

    Esquecem-se de um pequeno pormenor, é que ao ligarem simplesmente o pc à internet estão para todos os efeitos a expor o pc e os seus dados a qualquer hacker que se lembre de entrar no pc… 😉

  19. Jorge H says:

    Correndo o risco de generalizar mal, e sem querer passar a ideia de sabixão, que é coisa que não sou, vejo aqui bastantes comentários que denotam alguma falta de conhecimento sobre o tema.

    Na minha opinião, o conceito da Cloud não pretende revolucionar o mercado doméstico. Não pretende agarrar o utilizador que tem as suas musicas, as suas séries… os seus documentos num disco e passa tudo pra cloud. Também terá a sua utilidade mas parece-me que não é aqui que reside o cerne da questão.

    O conceito da Cloud trás gigantes benefícios é no mercado empresarial. Só falando a nível de custos, que é para mim o factor que mais salta à vista, se compararem os custos de manutenção de um conjunto de máquinas necessárias a um determinado negócio, com os custos de ter essas máquinas/poder computacional “comprado” na cloud… a diferença é abismal.

    Não sou nenhum iluminado mas pelo que pude perceber, existem já algumas empresas a comercializar este tipo de soluções à medida de cada empresa e de cada negócio.

    Uma startup por exemplo, não tem a necessidade de comprar equipamento extremamente dispendioso e que desvaloriza rapidamente, e, em vez disso, pode alugar um serviço que especifica necessitar de x máquinas com os serviços x, y e z para alojar a aplicação xpto e que vai ter uma carga maior entre as x e as y horas… e a partir daqui, o correcto dimensionamento do cenário permite-lhe obter um preço muito mais em conta do que se tivesse de comprar as máquinas e instalar/manter as mesmas.

    Existem outros exemplos… uma universidade que tem de ter determinado equipamento no inicio do ano para permitir as inscrições on-line (que são sempre uma dor de cabeça para todos), em vez de comprar esse equipamento para 2 meses e encostá-lo durante os restantes dez, pode “usar” a cloud por um preço muito inferior.

    Respondam e opinem, porque de facto posso estar muito errado. 😀

    Cumps.

    • LMMaia says:

      O meu amigo está extremamente correcto, e acrescento ainda a possibilidade de não estarmos dependentes de sistemas operativos e dos custos inerentes. E a nível de segurança, acredito que os backups dos datacenters são bastante mais poderosos e seguros do que os backups caseiros e/ou o de muitas boas empresas que usam o termo backup mas nem sabem bem o que é isso… senão nem deixavam as tapes de backup em cima dos servidores.
      A ideia é mesmo essa, este termo de “Cloud” vai-se generalizar cada vez mais, e só temos é de nos adaptar ao mesmo. Todos os novos Smartphones, Ipads, netbooks, etc., até já são pensados para que utilizemos a Cloud para tudo, mesmo para quem diz que não usa e que não quer saber nada do assunto. É deixá-los poisar… nas nuvens 🙂

  20. Gonzaga says:

    Óptimo artigo…

    Keep the good work!

    Cumprimentos

  21. Joao says:

    Ja uso ha algum tempo. É optimo nao depender de pens nem de external drives, q ja sao obsoletas. Tudo isto é simples: a cloud existe para nos facilitar a vida. Logo usem-na.

    • dajosova says:

      Pens e discos não são obsoletos. Podem não ser o futuro mas ainda são imensamente vendidos e utilizados.

      Disquetes são obsoletas e CD’s e DVD’s para lá caminham!

  22. phixie says:

    Bem, chegou a hora de tirar o pó ao thin client que tinha ali ao canto da sala… ;S

  23. Redin says:

    A cloud terá inúmeras vantagens a todos os níveis quando comparadas a uma organização controlada.
    Mas quando esta está disponível como uma qualquer caixa de webmail pública, já se torna assustadora.
    Estou a trabalhar numa entidade que presa a segurança acima de tudo e estão a ponderar usar a “cloud” para os seus próprios serviços porque geograficamente passariam a ter vantagens enormes nas poupanças energéticas e materiais.

    Apesar de não ser uma área que eu domine, é pelo menos o que eu entendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.