Apple, Facebook e Google, quanto pagam de impostos por ano?


Destaques PPLWARE

20 Respostas

  1. Francisco Almeida says:

    Ui… mas a Apple ao que ganha ainda se queixa do que paga de impostos? Nem tinha ideia que o Facebook pagava tanto.

    Então que dirá o Zucker. Tim, paga e cala-te.

    • Dave says:

      Francisco…o homem não se queixou das taxas. Apenas foi confrontado com a questão da fuga aos impostos.

      E não só disse que os paga, como ainda atirou que se paga demasiado para apenas produzir na américa.

      Mas isto é global! Se um dia tiveres negócio vais entender e também o farás!

    • Vítor M. says:

      A questão é transversal a todas as empresas. Pagar impostos é uma questão sempre muito controversa e como a Apple tem comércio em vários países, pode fazer a gestão fiscal da forma como melhor lhe parecer. Contudo, alguns governos não concordam… com ou sem razão!

  2. Nelson N says:

    o Tim Cook disse que paga “todos os impostos devidos ao governo dos Estados Unidos.” e o resto? como ainda há poucos dias foi notícia em relação à Itália?

    • Vítor M. says:

      Exacto, está no texto o link referente a essa história.

    • JBM says:

      A questão de Itália tem a ver com a forma como uma empresa multinacional distribui os lucros de vendas entre subsidiárias e países. Não se pode esperar que uma subsidiária que não contribui para o desenvolvimento de produtos tenha a mesma percentagem de lucros de outra que desenvolva os produtos.

      • kekes says:

        A Apple básicamente faz isso en toda a Europa. Em Espanha a Apple tem dinheiro a “receber” poruqe a subsidiária da prejuízo!!! As empresas deviam estar proibidas de fazer estes malabarismos.

        • JBM says:

          Qualquer empresa multinacional faz isto e as leis nacionais e europeias permitem isso. Se tu tiveres uma empresa que exporta para outro país os teus lucros são cá, não no outro país; a lógica é algo semelhante com uma multinacional, que tem sede fora do país de venda, mas uma subsidiária local que pode nem ter grande actividade comercial, apenas tratando das relações pós-venda e marketing. Tudo depende da estrutura montada e dos custos. É claro que pode levar a abusos, mas também é claro que as mais valias sobre os produtos não estão nas subsidiárias locais. A questão é qual a percentagem de lucro a atribuir à subsidiária, qual a sua estrutura de custos, e isso não é assim tão simples e linear para se estabelecer.
          Quanto à Apple Espanha ter prejuízo, tanto quanto eu sei isso foi apenas num ano. E deduções fiscais por prejuízos têm regras, não há dinheiro a receber, apenas redução de tributação no futuro se estiver de acordo com as regras.

    • PSN says:

      O que tem Itália?

      Sabes que o governo lhes queria cobrar indevidamente, e pagaram menos, porque foram a tribunal?

      Não tens ideia, Itália é o que safa Portugal, Grécia e etc. de ficar em último na corrupção.

  3. Ajuda Por Favor says:

    Amigos, uma duvida:
    Comprei um Iphone 5s a ao carregar com ele desligado, não aparece nada no monitor é normal?
    É que no eu anterior um Samsung aparecia uma bateria a carregar, no iPhone não me aparece nada..
    Obrigado.

  4. rui pedro says:

    A apple não os paga. Por isso é que lhes andam a apertar os calos agora.

    • Andr8 says:

      Ora nem mais!

      A Apple tem mais dinheiro no “mealheiro” que a Reserva Federal dos EUA.

      Agora querem obriga-los a fazer algo que não são obrigados!

      • Mylittlelife says:

        Nos EUA não sei mas na Europa a Apple, Amazon etc fazem em esquema de tributar tudo como se estivessem no Luxemburgo, Holanda etc onde podem pagar menos impostos o que não é permitido totalmente do modo como o fazem. Ou seja, vendem produtos noutros países (Itália, etc) e pagam impostos desses lucros como estando no Luxemburgo.

        Estas grandes multinacionais tem que se lhes pisar os calos senão acham-se chico-espertos e fazem o que bem lhes apetece.

        • PSN says:

          Isso é bem sabido, e não são só essas empresas estrangeiras, as europeias e portuguesas também.

          Não fazem absolutamente nada de ilegal.

          É o espaço shengen, é a vida, é para todos!

          Pior são os armazéns dos chineses.

        • JBM says:

          As leis europeias e nacionais permitem isso, e para muitas empresas tem toda a lógica pois os seus activos intelectuais e o desenvolvimento dos produtos estão fora dos países onde são vendidos, isto é, a sede da empresa é noutro sítio. E é a sede que deve receber a maioria dos lucros; basta pensar que se uma empresa apenas usasse distribuidores locais para vender os seus produtos no país, aconteceria algo semelhante – venderia aos distribuidores quase ao mesmo preço que aplica às subsidiárias.
          A questão está na percentagem de lucros que cabe às subsidiárias, qual a estrutura de custos que pratica, e é para isso que alguns países têm olhado numa tentativa de levar a mudanças para que caibam mais lucros nos seus países.

  5. Jorge Carvalho says:

    Tendo em conta que 2/3 dos negocio da Apple é fora dos EUA até admira pagarem tanto lá. O Facebook só tem negócios lá.

    Abc

    • JBM says:

      A percentagem de impostos é no global não é só para o que pagam nos Estados Unidos. Imagino que para os rendimentos directos da Apple nos Estados Unidos sejam tributados no equivalente a 35% sobre os lucros.
      Penso que o Facebook também tem negócios noutros países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.