Quantcast
PplWare Mobile

Apple deixará de reparar iPhones dados como roubados ou perdidos

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Fusion says:

    A Apple até poderia fazer uma coisa, sempre que algum aparelho roubado fosse detetado nos centros de reparações, poderiam apreender o mesmo e entregar ao dono original. Não se a Apple já faz isso, ou se é até mesmo legal, mas como utilizador da marca, em caso de roubo e fosse parar a um centro de reparações Apple gostaria que eles me avisassem ou até mesmo me devolvessem o telemóvel.

    • Keyboardcat says:

      Infelizmente o problema é mesmo a parte legal. Em muitos países é difícil uma entidade privada poder apreender algo sem uma ordem policial ou judiciária.

  2. Miguel says:

    ???
    Mas então até hoje os equipamentos dados como roubados não eram comunicados as autoridades quando entravam nos centros de reparações?

    • Bruno Mota says:

      Também estou estupefacto por a Apple não declarar às autoridades policiais ter recebido material que foi declarado roubado, é que para além de imoral, a receptação de material roubado é ilegal.
      Nunca gostei dos produtos Apple por outras razões, agora tenho mais uma razão na lista.

      • Vítor M. says:

        A Apple para o fazer tinha de invadir as contas iCloud dos utilizadores. Não o podeis fazer.

        Com a alteração feita na plataforma Find my com a introdução dos AirTags, a plataforma mudou e estas informações podem hoje ser conhecidas sem haver intrusão as contas iCloud.

        Por isso 😉 nunca penses que a Apple faz as coisas por acaso. 😉

        Cada vez é mais difícil roubar e usar material Apple, e com as alterações até nas reparações vai ser possível detetar estes perdidos e roubados. 😉

        • Peter says:

          Apple não necessita de invadir a conta de ninguém, é so libertar o imei no servidor e está feito, quando o telefone comunica com o servidor se não houver nenhum registo passa para configuração de um telefone novo.

        • V.T. says:

          “Por isso nunca penses que a Apple faz as coisas por acaso. ”

          Nunca, eles fazem as coisas para satisfazerem os seus bolsos… ups, queria dizer clientes! Desculpem!

        • Bruno Mota says:

          O IMEI apesar de estar associado à conta icloud, não necessita de acesso á conta do cliente.
          Não impede que a Apple ao receber um Smartphone para conserto, pelo facto do mesmo estar bloqueado, o reparador verifique o estado do mesmo na base de dados online. Não há desculpa possível para a Apple reparar e entregar artigos roubados. É inadmissível.

          • Vítor M. says:

            Mas a Apple como sabe que esse IMEI é de um equipamento roubado ou perdido? Não sabe a não ser que exista ou uma participação às autoridades/operador do roubo (se é que foio roubo) ou se o utilizador acionar o Perdido na app Encontrar (Find my), certo? Ou está-me a escapar algo?

        • Bruno Mota says:

          A Apple, quando acede á ficha do produto, o IMEI junto com o estado do mesmo figuram na ficha do produto na base de dados. Marcas, reparadores oficiais de marcas e operadores de telecomunicações recebem a informação que o produto em questão foi roubado, sempre que há queixa por parte do proprietário junto das mesmas, em conjunto com a devida queixa junto das autoridades policiais competentes.

          • Vítor M. says:

            Aaa sempre que há queixa. Mas grande parte das pessoas não faz queixa. Ou mesmo que faça, ela não será transversal a países e fronteiras. Ao passo que o Find my é. Por isso é que sendo um equipamento referenciado como roubado e o IMEI esteja na BD de equipamentos roubado, a Apple atualmente já reporta. O que não reporta é quando está ativado o sistema Encontrar (Find my), porque até então não tinha como saber que esse sistema estava ativo para o modo Perdido.

            Essa é a grande alteração.

          • Joaquim Santos says:

            Não consigo responder a de baixo.

            Só demorou mais de uma decada a criar um sistema tão simples.. grande vantagem de um walled garden neste caso lol.

            Depois, não me acredito que iPhones roubados não fossem arranjados por lojas especializadas e oficiais. Aliás eu sei de 4 casos em alturas diferentes em 2 lojas bem conhecidas que arranjaram telemóveis que tinham sido dados como perdidos/roubados.
            Na altura disseram me que era porque como é que um cliente sabe que o telemóvel foi roubado ou simplesmente perdido quando não viu o acto de o perder ou roubar?

            Pois….

        • Bruno Mota says:

          Os operadores de telecomunicações, até podem bloquear o IMEI por forma a que o equipamento não possa aceder á rede. É prática comum desde que o proprietário o requeira junto das operadoras.

          • Vítor M. says:

            Exatamente, mas, como disseste e bem, desde que o proprietário o requeira junto das operadoras. Se só ativar o Encontrar, modo perdido, nem as operadoras podem ajudar.

        • Bruno Mota says:

          É transversal a fronteiras sim. Se o IMEI for declarado como sendo de um produto roubado, independentemente quer seja em Portugal, nos EUA ou em qualquer outro país, o IMEI consta como roubado. E há países em que são as forças de segurança que informam as empresas de telecomunicações e/ou as marcas, outros há em que tem que ser o legítimo proprietário a fazê-lo remetendo a queixa efectuada junto das autoridades policiais. O simples facto de procurar o aparelho com a aplicação de localização, obviamente não é suficiente. A aplicação serve apenas para localizar, apagar remotamente os dados, etc etc, mas não é uma forma de o declarar como roubado.

          • Bruno Mota says:

            Há até variadas páginas na internet para verificar se um determinado IMEI foi declarado roubado ou não. A base de dados é comum a todas essas páginas, operadores de telecomunicações, etc etc. Só muda o visual da página.
            Eu aqui em França, por vezes há quem me peça para reparar, desbloquear, smartphones, iPhones, etc, e utilizo sempre uma dessas páginas para verificar o IMEI. A última coisa que quero é ter em casa um produto roubado.
            Um exemplo: https://www.imei24.com/

    • RicM says:

      Provavelmente estarão a tentar “limpar a face” não me admirando que tenham existido queixas de donos que, tendo registado os telefones como perdidos ou roubados, chegaram ao conhecimento que os seus equipamentos passaram pelas lojas e seguiram caminho.
      Devem ter chegado à conclusão de que é economicamente mais vantajoso não obter receita de reparação do que ter que pagar indemnização em tribunal, mas sendo a Apfle, dão uma volta ao assunto e fazem figura de que se preocupam com os clientes.

  3. Profeta says:

    Depois o cliente tem de ir com a factura do equipamento para poder reaver o mesmo e nalguns casos desbloquear o telemovel. Porque e suposto se o cliente reportar roubo ou perdido as autoridades bloquearem o equipamento atraves do imei. Seria o mais correcto a fazer, para salvaguardar esse tipo de situacoes.

  4. joca says:

    A maior parte não querem saber se foi roubado e nem formalizam a queixa na polícia, porque quase 100% tem seguro para estes casos e recebem um novo. Existem vários que fazem isso regularmente para terem tlm novo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.