PplWare Mobile

Acabaram os telemóveis e tablets nas escolas francesas


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

56 Respostas

  1. Boneco dos bots says:

    Muito mau! Sou estudante universitário e trabalhador e sempre usei telemóvel, nunca tive problemas, nunca copiei e não é porque o utilizo que tenho más notas.

    • LR says:

      Lê a noticia de novo. Aplica-se aos estudantes do secundário. Nas escolas dos meus filhos já há disciplinas onde os telemóveis são depositados dentro de uma caixa no inicio da aula, ficando a mesma guardada pelo professor(a). Todos cumprem, e corre muito bem. Acho uma medida muito positiva, e sou a favor da implementação da mesma por cá.

    • LR says:

      Correção: Aplica-se a alunos a partir dos 15 anos, que frequentam o secundário. Dos 3 aos 15 anos é proibido a 100%. mantenho a concordância.

  2. Nuno Ferreira says:

    Os alunos vão ignorar isto, vão passar multa á escola inteira?, concordo dentro da sala de aula, fora dela que se metam na vida deles, que isso já é liberdade pessoal.

    • Belmiro says:

      Franca ha muito que deixou de ser uma democracia, Macron e uma marioneta da Le Pen

    • XneloX says:

      qual a dificuldade de aplicar multas a todos os pais dos alunos da escola que não respeitarem a lei? achas que os pais irão achar piada à 1ª que tiverem que pagar? … meu filho tu teima até a carteira dos pais ficarem vazias!!! ….go go GO!

      • Nuno Ferreira says:

        Tendo em conta que são as escolas que decidem, mudam os filhos para a escolha que lhes agradar mais. Teimo?deves pensar que o estado é suberano, esta proibição é uma violação dos direitos humanos. Recorres para bruxelas e ganhas.

        • Nunu says:

          Eu concordo e vou mais além, proibição de uso apenas nas aulas de português.

          • Nuno Ferreira says:

            Sabe que isto não têm editar não sabe? Eu reparei logo no erro. Peço desculpa por o meu smartphone não acompanhar a minha velocidade de escrita.

            Mas claramente nunca se enganou. Grammar Nazis não obrigado.

            Olhe e em relação ao artigo é simples eu no meu tempo passava os intervalos na biblioteca ou na sala multimédia, a diferença é que agora poderia fazer o mesmo com o smartphone pelo que é ridículo fazerem isto, que friso mais uma vez viola os direitos humanos, esta decisão deveria pertencer exclusivamente aos pais e nunca ao estado, ou a França é agora uma ditadura?

          • Nunu says:

            Direitos Humanos? Não faça confusão Nuno.
            Antes de falar nas escolas, principais responsáveis pelos menores que la estudam durante os tempos lectivos, sugiro que comente as empresas que obrigam os colaboradores a guardar os telemóveis todos dias antes de entrar ao serviço o que é uma pratica bastante comum.
            E adivinhe porque é que o fazem. Porque muitos adultos são incapazes de gerir a atenção dispensada ao aparelho, quanto mais uma criança. Vem a lei, e já vem tarde.

          • Nuno Ferreira says:

            Mau exemplo, sim mandam guardar, nas pausas podem usá lo, logo aí cai o teu argumento por terra. As escolas francesas de quiserem proíbem a 100% se assim o quiserem. Incluindo as pausas (entenda-se recreios e/ou altura de almoço). Eu já disse que dentro da sala concordo, fora não têm nada haver com isso e a responsabilidade cabe apenas aos pais, quem decide como educar são os pais não é o estado.

        • Belmiro says:

          Usar um telemóvel ou consola nuns escola é um direito humano? LOLOL só se for no teu planeta…

          • Nuno Ferreira says:

            Direito de Liberdade, Direito de Liberdade Expressão, Direito a informação, Direito a Inclusão Digital e Direito a Comunicação Assim sem pensar muito viola esses 5 no caso do smartphone.

        • Xnelox says:

          Vais tu ganhar a Bruxelas como vão todos tb ganhar por ser proibido usar véu em Holanda, mudar de escola claro, é tão fácil como mudar de canal…

  3. Rui Nunes says:

    Agora é que a PS vita e a nintendo 3ds vão vender. Afinal de contas consolas não devem ser proibidas.

    • Nuno Ferreira says:

      Muito bem visto, explorar as leis ao máximo XD, ainda se vendem iPods? Aquilo também não são smartphones, mas tirando chamadas fazem tudo o resto.

  4. André Freitas says:

    Ei apoio incondicionalmente, penso que deveria ser proibido aqui no Brasil também.

  5. Moneldr says:

    Por um lado defende-se liberdade total, seja a ser morto, seja a escolher o sexo, e sei lá o que mais. Por outro lado tira-se esta liberdade aos estudantes…

    • Nuno Ferreira says:

      Se não puderem usar smartphones não podem mostrar o que se passa lá dentro, além que se torna mais fácil de moldar a futura geração àquilo que eles acham o ideal. Além da privação grotesca do direito à informação que estão a fazer.

      • Nunu says:

        Privação ao direito da informação? Mas não ha bibliotecas na escola? Computadores com acesso à internet? E onde fica a referencia do artigo “permitindo o acesso em caso de emergência, ou uso pedagógico”?
        De que privação está a falar? A de ir á caça de Pokemons ou do Snapchat? Seja mais especifico.
        Nem vou comentar o “mostrar o que se passa la dentro” porque é lógico que o conceito de privacidade alheia dilui-se assim que não estamos a falar de si ou da sua familia.
        Geração putos pidescos.

        • Nuno Ferreira says:

          Então fazemos o seguinte, você hoje. Só por volta das 20 horas da noite é que pode ir ver qualquer tipo de site ou noticia, e depois diga-me se foi ou não privado de informação. Computadores, então o objetivo é diminuir a dependência tecnológica e dá-me uma alternativa tecnológica.. Portanto muda o dispositivo… Os malefícios são os mesmos. Bibliotecas… São muito boas para aumentar a cultura concordo.. Mas para informação imediata (leia-se notícias) não são propriamente indicadas. Privacidade? Num local público? Meu amigo a partir do momento que está num local publico o conceito de privacidade é muito reduzido. E sim o que se passa lá dentro, quer um exemplo rápido? Lembra-se daquele frango cru? Sem smartphone provas era zero.

          • RATM says:

            Se os miúdos usassem os smartphones para aceder a informação e a partir daí criarem conhecimento,isso seria o “céu”, mas como só usam para ver perfis de FB ou mandar piadas e afins aos outros isso dá perfeitamente para guardar para final do dia,digo eu… A medida vai ser bem mais positiva para o rendimento escolar do que o liberalismo desregrado que impera atualmente. Mas vivemos na era da tolerância total, exceto para quem acha que não se deve dizer sim a tudo,esses são retrógrados e antiquados… Enfim

      • qeryy says:

        Coitadas das crianças, vao deixar de poder ver o leafy numa sala de aula, que privação de informação.

        • Nuno Ferreira says:

          Eu falei dentro das salas de aulas? Eu refiro-me fora nas pausas do almoço e no recreio.

        • Hugo says:

          O facto de se estarem a fazer de “cegos” não faz com que estejam certos.
          Eis coisas que eu podia fazer na sala de aula há 20 anos:
          -Jogar o jogo do galo
          -Enviar sms e mandar tokings (algures por essa altura)
          -Jogar snake
          -Jogar e trocar matutazos
          -Ver calendários e passar o dedo com saliva (entendedores entenderão)
          -Atirar aviões de papel
          -Atirar grampos de papel com elásticos fazendo dos dedos uma fisga
          -Atirar bolas de papel com a caneta
          -Desenha tudo em tudo o que fosse possível (secretária inclusive)
          Podia estar aqui o resto da manhã a escrever.

          Utilixzar um smartphone não é um bicho de sete cabeças.
          O problema, como já disse, é a educação e o facto de os professores não poderem impor o seu respeito como bem entenderem sem sofrerem algum tipo de retaliação.

  6. Rafael says:

    Tentativa de fazer os humanos voltarem a criar pensamentos.
    Assim como na natureza, nada se cria tudo se transforma, os smartphones trouxeram uma via expressa com largura quase infinita onde nada se cria, tudo se copia.
    A europa está tentando se livrar do esquerdismo e do satanismo, contudo o terremoto já aconteceu e o tsunami ninguém pára. Já era…

    • Belmiro says:

      +1

      A grande maioria desta malta aqui escandalizada com a proibição são miúdos ou jovens universitários que cresceram com um telemóvel na mão, ao estilo dos pais que metem os bebês com tablets e smartphone para se calarem.

      Já sei que não ficam contentes mas se a maior parte dos países do sul da Europa são fracos a impor regras, pelo menos a França está a mostrar como se faz.

      • Nuno Ferreira says:

        Eu tive o meu primeiro smartphone, no meu 1° ano de universidade, e telemóvel que raramente usava tive no 11. E sou completamente contra esta “lei” , e também não cresci rodeado por tecnologia. Pseudo Encaixo-me nos jovens universitários embora tenha 29 e já não seja universitário é ridiculo os argumentos que usam para a proibição. Como já disse anteriormente dentro das salas de aulas sou a favor mas nos recreios ridículo.
        Só vai servir para criar ainda mais problemas de bullying e discriminação social.
        Dizem que separa as pessoas. Depende como for usado.. Eu tenho grandes amigos que conheci primeiro digitalmente e só depois pessoalmente por causa das tecnologias.

      • Hugo says:

        O problema não são os gadgets, é a educação. A educação sim, está podre e não há vistas de melhoras.
        Proibir o que quer que seja não servirá para NADA, se a proibição não for acompanhada de informação e bom senso.

  7. Falcão Azul says:

    Concordo a 100% com esta medida.A França avança no bom caminho.Aqui em Portugal também esta medida havia de ser implementada em toda a sua plenitude.

  8. Jo says:

    Completamente a favor pelo menos até ao 9º Ano.

    Jovens de agora devem ser controlados sobretudo idades inferiores a 18 anos, os pais devem por obrigação tirar o telemóvel durante as aulas e durante a noite, deixando assim apenas umas horas por dia o seu filho a usar o equipamento que causa de acordo com estudos dependência e depressão/ ansiedade e além disso um grande problema neurológico como distúrbios de concentração etc…

    A geração de agora está longe de ser mais desenvolvida porque esta dependente de vícios, como tal, futuramente muitos deles serão poucos profissionais!

    Apesar de nem gostar da França aplaudo a decisão deles que “o nosso” ensino tanto precisa de melhorar, seria um ponto de partida embora haja escolas que recolhem os telemóvel durante as aulas!

  9. Azenha says:

    Eu sou completamente de acordo, só é pena ser só em França, deveria ser medida tomada pela Comissão Europeia.

  10. Pedro Miguel Santos says:

    Boas, eu li alguns dos comentários e concordo com ambos os lados, de um lado a dependência dos telemóveis e do outro o acesso à informação e à privacidade. O problema é que estamos a falar de crianças, e muito raramente elas usam os telemóveis para terem acesso a informação, muito pelo contrário, ou é para jgos, youtube, messenger, etc … O que é certo é que, por exemplo, nos recreios antigamente falavam umas com as outras, jogavam futebol, basket, etc … Agora nos recreios estão constantemente agarradas ao telemóvel em vez de conviverem umas com as outras, socializarem, o que a meu ver é muito grave. Eu acho que o telemóvel para as crianças deveria estar um pouco limitado, não deveriam ser as escolas a tomar esta iniciativa mas sim os pais. As operadoras poderiam criar software para permitirem aos pais bloquearem as funcionalidades que não querem que o filho tenha acesso. Eu sei que já existem muitas funcionalidades que permitem isto, mas a maioria dos pais não percebem nada de informática … Logo se existir uma forma prática, simples e segura de fazer isso, era uma mais valia, por exemplo limitar por tempo ou qq coisa do género … Isto infelizmente tem a ver com a mentalidade que se vive nos dias de hoje, os próprios pais têm de dar o exemplo e passar menos tempo ao telemovel/tv e mais tempo com os filhos. O telemovel para as crianças é bom no sentido de poderem contactar ou ser contactados nalguma emergência, fora isso o resto não é indispensável mas sim um componente lúdico que acaba a longo prazo por causar problemas de saúde (visual, neurológico, etc..) como a nivel social. Respeito a opinião de todos mas tentem recordar a vossa infância sem telemóveis … Precisaram disso? Sentiram que os vossos direitos foram violados pela falta de informação e/ou privacidade? Conforma se costuma dizer, Em tudo deve haver moderação e qualquer tipo de excesso é mau. Está é a minha opinião para crianças até aos 16 anos, a partir dessa idade acho que já têm outro tipo de mentalidade e poderão tirar as suas próprias ilações sobre o assunto.

  11. icardoso says:

    First World Problems

  12. Álvaro Campos says:

    No colégio da minha filha não é permitido o telemóvel em todos os ciclos, desde a pré ao 12º ano, entre as 8H30 e as 18H30 e toda a gente cumpre.
    A minha filha, antes de entrar no colégio desliga-o e deixa-o no cacifo e se precisar de me contactar ou à mãe vai ter com um funcionário.
    E toda a gente cumpre, caso contrário ficam sem os telemóveis que são entregues aos pais numa reunião com o diretor.
    Não é brincadeira! A norma existe e é cumprida e nunca vi nenhum dos putos (e putisas) tristes por não terem os telemóveis com eles.

    • Moneldr says:

      E não seria melhor integrar pedagogicamente na escola um dispositivo cada vez mais utilizado, do qual seremos cada vez mais dependentes?

      • Alvaro Campos says:

        Concordo plenamente! Só não tenho ideias para que isso aconteça.
        Tu tens? Se sim que tal deixar aqui algumas já que por aqui andam professores dos vários ciclos?

        • Nuno Ferreira says:

          Um quizz digital de respostas múltiplas por exemplo ao fim de cada aula dá para o professor perceber quem esteve atento, quem não esteve e quem têm dificuldades e quais as dificuldades.

  13. Sergio says:

    Eu nas aulas de matemática na T-84 jogava lá uns joguitos.. mas eram jogos bons para a mente 🙂

    • Hugo says:

      Sim…no meu tempo é que era. Já os meus avós diziam isso e afinal não passava de nostalgia 😛
      Antes houvesse respeito.
      Se um puto é apanhado com telemóvel ficava sem ele e era devolvido quando o conselho directivo achasse por bem, mas não, vão logo para casa a chorar e arma-se um trinta e um por parte dos pais.
      Se as crianças não respeitam os professores como irão algum dia respeitar os restantes cidadãos?

  14. Catarina says:

    Desculpe este comentário senhor Jo eu tenho 17 anos nasci no tempo onde telefones eram pedras como o Nokia N70
    Eu infelizmente nasci com problemas no sistema nervoso e ganhei com 6 anos uma depressão que dura até agora por causa do meu passado como você e muitas outras pessoas pensam que essas doenças são brincadeira que se sai facilmente disso mas não são

  15. frebia says:

    estão todos cheios de razão , mas há é uma pequena diferença entre liberdade e libertinagem e entre necessidade e lazer .
    Com base nisto e se lerem bem a notícia não sei onde existe confusão , só nas mentes desorientadas ou tecnológico dependentes.

  16. Alberto says:

    Corretíssimo, medida a adotar em Portugal, mas já este ano, se nao ficamos atrasados, ótima para o ensino, ótima prós professores, ótima também prós alunos, tiram mais rendimento. Sr. Ministro, já em setembro.

  17. Pms Cabral says:

    Isto é uma vergonha….quantos alunos comem mal por refeições servidas pela escola …e que são uma vergonha….se nao fossem algumas fotos tiradas pelos telemóveis,estava para aí certa gente a ganhar rios de dinheiro…a conta de quem precisa…..No meu tempo não havia telemóveis mas havia montes de cabines felefonicas para certas urgências….Hoje onde estão elas?E ainda querem retirar os tm aos pequenos…..tenham vergonha

  18. Bruno says:

    Não compreendo o pensamento destas pessoas… Isto de que o telemóvel nas escolas é mau sempre foi uma panca. Acho que deve ser regularizado como tudo nesta vida agora retirar por completo? Essa é uma decisão que cabe pelos pais e não ao governo. Se os pais dão telemóveis ao miúdos é porque é necessário para comunicarem com eles. Depois arranham desculpas como “Como existem alunos a utilizar o telemóvel nas aulas vamos proibi-los”. Então vamos também proibir os carros, como provocam acidentes e matam pessoas é a melhor solução. Toda a estrutura e funcionamento das escolas está mal estruturada, as formas de avaliação estão super desatualizadas, isto pode ser combatido com a ajuda das novas tecnologias dentro da sala de aula visto que podem trazer novos métodos e interação por parte dos alunos. Esta regra só mostra que França quer que os alunos continuem a levar 50Kg de livros todos os dias para a escola e continuar a utilizar o método tradicional.

  19. Munir says:

    Não concordo em absoluto com essa lei, em vez de proibirem os aparelhos tecnologicos, deviam adaptar os métodos de ensino aos dias de hoje de forma a cativar o interesse dos alunos. Fazem o mais fácil (proibirem) e ficam bonitos na fotografia. Mas o problema é mais profundo e não querem ver, ou não querem ter o trabalho de assumir as mudanças necessárias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.