Quantcast
PplWare Mobile

Iron Dome de Israel bloqueia 80% dos rockets disparados pelo Hamas

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. Joao Ptt says:

    E eles não atingem todos os misseis lançados, se os cálculos indicarem que os misseis vão cair em zonas desabitadas eles deixam passar, e só tentam atingir aqueles cuja probabilidade de atingir a população seja elevada. Admira-me é que só tenham uns 1800 mísseis a todo o momento prontos, mas eles lá acham que é suficiente… também a um custo anual de 300 milhões não é nada barato.

    Admira-me é não usarem satélites e/ ou drones e/ ou radares para detectar a origem dos lançamentos e atacarem de imediato para parar os lançamentos em larga escala de um só lugar. Claro que os outros iam simplesmente lançar de múltiplos lugares, mas enfim.

    • Nightingale says:

      Eles sabem de onde eles vêm, mas o HAMAS usa os civis como barreira para não serem atacados.

      • Joao Ptt says:

        Sim, mas eles depois atacam esses locais na mesma, depois do misseis já terem sido todos lançados, idealmente atacavam durante o momento em que os outros começavam a lançá-los como se não houvesse amanhã. É tão frequente que um sistema 24h/ 365d pronto a retaliar de imediato faz sentido.

    • abilio teixeira says:

      os misseis são lançados de camiões que imediatamente depois de ataques rápidos, mudam de local.

      • Joao Ptt says:

        Daí a necessidade de mal eles começam a lançar mísseis às dezenas/ centenas os militares Israelitas necessitarem de ter equipamentos capazes de detectar as posições dos lançamentos e conseguirem destruí-los para tentar parar os ataques ou pelo menos não permitir a reutilização dos recursos, quando tal é aplicável.

        Dizem mal dos israelitas, e em muitas coisas com muita razão, mas dada a capacidade militar efectiva que eles têm admira-me não terem já posto a andar aquela gente ali à volta que os odeia e querem vê-los mortos, e criarem uma área bastante larga com quilómetros para terem uma zona “tampão” e permitirem também ter mais tempo de reacção em caso de guerra/ bombardeamento com mísseis.

        Aliás, admira-me até não terem já demolido os templos religiosos que criam tantos problemas desnecessários… embora não saiba se os outros não são idiotas o suficiente para acharem que a sua religião é aquele edifício e não os princípios da mesma.

        • zequinha says:

          Não dizes coisa com coisa.

        • Pedro Fonseca says:

          Talvez porque esses “que os odeiam” já lá estavam e viviam antes!!!

        • Ricardo Pereira says:

          Joao Ptt Sabes mesmo muito pouco sobre tudo o que se passa naquela região…
          Também não te vou explicar, era um Tese… Mas não te deixes manipular por informação favorecida dos media… Informa-te a serio, lê, abre os olhos…
          Pode ser que depois disso, deixes de fazer comentário como “Não terem demolido os templos religiosos” e “Posto a andar aquela gente ali”… Mostras um nível de ignorância e falta de cultura que até dói. E dói porque sei que como tu, mais uns quantos que não entendem nem querem entender. Colam na TV e depois cospem umas “cenas” na net e ta feito…

          Vai ler umas coisas, aqui e ali, reúne informação de vários sitios, trabalha essa informação e depois sim, mostra a tua ética e escolhe um lado, se houver um lado a escolher…

          Mas cuidado com as barbaridades que dizes… Há jovens a ler estes comentários. Não moldes mentes jovens no sentido errado…

          • Aníbal Matos says:

            Estou plenamente de acordo com a sua explicação sr. Ricardo Pereira esta gente que atira cá para fora aquelas inverdades deve preocupar -se em ler algo sobre as vidas daqueles povos e depois sim fazer a sua opinião sem aqueles comentários incorretos.

  2. Blox says:

    E tudo isto patricionado pelos EUA, EU e UK para continuar o genocídio contra os verdadeiros donos da terra que ocupam, pois a única coisa que o povo Palestiniano quer é as suas terras. Infelizmente pedras e meia dúzia de foguetes obsoletos é a única coisa que têm para combater um invasor que recebe o mais moderno equipamento militar das grandes potências mundiais e é visto pelos merdia como o povo “oprimido”…

    • David Guerreiro says:

      Bem, a ONU é que os meteu lá, mas historicamente o povo judaico já viveu ali antes. Povo esse que tem sido atacado ao longo das décadas, pelos nazis, depois pelos países árabes vizinhos. O que é certo é que Israel é desenvolvido e civilizado, olhando para a Palestina mais parece saído de um filme medieval.

      • Gr says:

        A ONU designou (não podia dar o que não era dela) aos judeus uma porção de terra e Israel desde então tem aumentado a sua ocupação ano trás ano. Em outras palavras: Tem ROUBADO área aos palestinos. Tudo isso com o apoio dos seus eternos aliados e vista grossa dessa mesma ONU.

        “O certo é que Israel é civilizado” … bom conceito de civilização tu tens.

        • Lisa Lopes says:

          Exacto.
          Primeiro dizer que os judeus viveram lá, seria o mesmo que dizer que os cristão viveram lá, logo poderiam ir para lá ocupar o território.
          E israel é um dos estados mais miseraveis do mundo, não só ocuparam o que não era deles como não pararam de roubar mais territórios, abusando da sua posicão dominante em termos tecnologicos.

        • Técnico Meo says:

          Claro. Comparar centenas de misseis enviados ao acaso indiscriminadamente para exterminar as pessoas, no contraste dos ataques militares e cirúrgicos de Israel, diz muito sobre os vizinhos de Israel… As pessoas esqueceram muito depressa o que este povo sofreu e continua a sofrer. A imagem de coitadinhos dos vizinhos sem terra já não convence ninguém. Mesmo a um dia existir um estado Palestiniano será sempre um Estado falhado pejado de gente cheia de ódio. A culpa será sempre de um Judeu qualquer, já dizia um dos maiores sanguinários do séc 20…. O que não aparece muitas vezes nas imagens é que alguns ataques de Israel em alguns edifícios é antecipado de uma foguete sem carga aparente destrutiva para avisar as pessoas para evacuarem a zona. Até nisso são melhores que muitos outros países ocidentais nas suas cruzadas pelo médio oriente…

        • Jose says:

          Que falta faz um pouco de cultura! Os judeus nunca abandonaram a sua pátria sempre lá houve após da maioria ter sido forçada a sair pela força, para acabarem devido ao jeito para os negócios perseguidos em todo o lado quando os outros visavam apenas o seu dinheiro. Os que ficaram, sofreram a invasão árabe em 638, as guerras religiosas entre cristãos e muçulmanos o de eles acabacam sempre por sofrer! No século XIX, sofriam progrons por todo lado, mas sobretudo na província da Palestina (nome atribuído pelos romanos para humilhar os israelitas), onde até as mais cortavam às criancas para não estudarem ou trabalharem. Caso paradigmático foi o de Hebron, cidade que, na altura tinha uma população maioritariamente judaica, hoje é o que sabemos. Jerusalém era um pardieiro até ao início do século XX. No momento em que os judeus a reclamaram novamente como sua capital, eis que, de imediato aperece o interesse árabe, só o haviam mostrado na altura das Cruzadas para condenar a cidade à miséria, pois onde metem os pés ficam com a mania que é tudo deles para sempre! A província da Palestina, no Império otomano, pertencia à transjordânia, na verdade, os ditos palestinos são jordano! foi dividida com o fim do Império e depois após a Declaração de Balfor de 1917 é solícitada à Grã-Bretanha – não existia ONU alguma -, o regresso à patria ancestral da diáspora judaica ao lar nacional ancestral, a repressão dos arabes acentou-se, sem efeito. Já com a ONU, e com a Declaração de independência onde os israelitas concordavam em partilhar a terra, os árabes, como sabemos agiram no sentido de destruir o novel país. Surpresa, Israel, vence, como vence em 67 e inclusive no ataque à traição em 73 na Guerra do Yom Kippur atacado como sempre por uma coligação de vizinhos árabes e participação de gentes vindas de 23 países! Foi para os árabes uma vergonha, restou-lhes inventar o terrorismo e, uma nação que nunca existiu, nem existe! Com lembraram- se de reclamar como seu, o antigo nome romano de Israel, Palestina.

        • David Guerreiro says:

          E isso começou quando os países vizinhos atacaram Israel, na famosa guerra dos 6 dias.

          • Alex says:

            E no qual Israel ganhou e o Egipto, Jordânia e Siria saíram com o “rabinho entre as pernas” e com as suas forças militares obliteradas. Em 1967 bastaram 6 dias, na atualidade bastavam 12 horas e ainda dava para os israelitas pararem no caminho para beber uns canecos e fazer uma sesta. A sorte do Hamas é usarem pessoas como escudos humanos, não fosse isso e Israel ter decência, já tinham terraplanado aquela zona toda.

          • Elsa Santos says:

            Exacto, os países vizinhos reagiram a uma ocupação ilegal de uma terra. Um dia foi na Palestina, no dia seguinte podia ser no território deles. E o que aconteceu depois veio confirmar que tinham toda a razão. Pena que falharam.

            A única razão porque israel não é obliterado do mapa é que eles controlam os EUA. Mas isso não deixa de tornar israel uma completa aberração.

            A desculpa que usas para justificar israel ocupar território palestiniano foi exactamente a mesma desculpa que os nazis usaram para ocupar os sudetas, afinal viviam lá alemães étnicos e como tal é uma razão perfeitamente normal para ocupar a região, e já agora o resto do país, afinal paga-se o mesmo.

            Mas um dia israel irá desaparecer do mapa….. e esse dia não deverá estar muito longe.

      • Jorge Costa says:

        Vou dar uma analogia muito básica:
        Os mouros estiveram na península ibérica entre 711 a 1492.
        Agora imagina que começava um movimento a exigir a restituição por parte de “poderes islâmicos” da terra ancestral dos seus antepassados. Teria apoio das potencias do momento.
        Começariam a emigrar, ocupavam terras e por fim reivindicam toda a terra por ser de seu “direito” histórico.
        Tu e o teu povo que já cá está à centenas de anos o que faria?
        Eu sei a atitude que eu teria e não era de dar a outra face. Qual seria a tua?

        PS: Isto tudo começou pela confiscação de propriedade palestina, em Jerusalem oriental. Ou seja em território palestino e em pleno ramadão.
        Outro exemplo:
        Existe um video a circular no reddit de um colono judeu a ocupar uma casa palestina. A dona pergunta a razão. Ele só responde: – Se não for eu será outro a ocupar.
        Video: https://youtu.be/95KZ-vovjo8

        Este outro video resume o que qualquer pessoa decente deveria ter em relação a Israel, expor os seus crimes:
        https://youtu.be/lWzj8duAKY4

        • Técnico Meo says:

          Não é assim, isto é uma forma muito enviesada de interpretar a Historia, na Palestina sempre teve população Judaica, nunca saíram todos. Aquilo era terra de ninguém e era terra de todos, não tinha qualquer estrutura institucional, dai que foi uma escolha ideal, ponderando diversos factores. Milhares de palestinianos cruzam todos os dias a “fronteira” para ir trabalhar para Israel e muitos casaram em conjunto. Outros são até cidadãos de Israel, não há só Judeus. Faço-lhe é o desafio de encontrar videos do racismo e irracionalidade de terrorismo cego do Hamas ou do Hezbollah

        • Jorge Costa says:

          E, agradeço que não usem a chamada “Holocaust Card” como justificação para as atrocidades cometidas pelo estado judeu (sim é como eles se definem)
          https://youtu.be/5B7ijMjc2Js

          • Jose says:

            Eles não precisam da cartada do holocausto! Têm um história de sofrimento de abusos que começa com a ocupação romana. O Holocausto, foi mais um capítulo de horrores que esse povo mártir sofreu.

        • Jose says:

          Antes dos árabes e berberes, não havia povos na Península? Era deles? Essa é boa! Não foi por acaso que existiu desde logo uma reconquista cristã! Em Portugal, os muçulmanos acabaram em 1239 com D. Afonso III, e mesmo os poucos que ficaram aceitando viver num país cristão foram a par dos judeus – que eram mais e estavam por cá há mais tempo, definitivamente expulsos em 1497 com D. Manuel. Já agora is judeus que se converteram bem ou mal – muitos forçados como sabemos- ao cristianismo sofreram um ataque em Lisboa, no dia 19 de Abril de 1506, dando origem a uma das páginas negras da nossa História, isto num país onde até existia alguma tolerância religiosa!

          • Jorge Costa says:

            Vou escrever como se fosses um bebé:
            Moras na tua casa à centena de anos….chegam outros a dizer que os seus avôs eram donos da terra. E tu deves simplesmente concordar e ir embora?

            O “sofrimento” dos judeus começou com os romanos?
            E então o êxodo do Egito não conta? A historia de fadas do Moises não existiu?

            A palestina pertenceu ao império Otomano desde 1517 até ao final da Grande Guerra. Dizer que era terra de ninguém é pura ignorância.

            Com a derrota Turca, a zona foi dividida entre franceses (Libano) e ingleses (palestina).
            Os ingleses queriam resolver o problema “sionista” e até o Uganda chegou a ser ponderado como a nova “Israel”…só que com os acontecimentos (verdadeiros – a Shoá) ocorridos na II Guerra Mundial precipitou os acontecimentos na palestina i.e a expulsão dos palestinos das suas terras (a chamada limpeza étnica) e a subsequente reação dos países árabes.
            Se não fosse o encolher de ombros dos britânicos à emigração ilegal ocorrida na altura e o apoio posterior dos EUA (cristãos fanáticos ) Israel não existiria. Pelo menos, não com a configuração atual.

        • David Guerreiro says:

          Bem, na verdade já estão a ocupar a Europa toda. As previsões é que dentro de algumas décadas, 25% da população europeia já seja muçulmana.

        • Técnico Meo says:

          Não é assim, isto é uma forma muito enviesada de interpretar a Historia, na Palestina sempre teve população Judaica, nunca saíram todos. Aquilo era terra de ninguém e era terra de todos, não tinha qualquer estrutura institucional, dai que foi uma escolha ideal, ponderando diversos factores. Milhares de palestinianos cruzam todos os dias a “fronteira” para ir trabalhar para Israel e muitos casaram em conjunto. Outros são até cidadãos de Israel, não há só Judeus. Faço-lhe é o desafio de encontrar videos do racismo e irracionalidade de terrorismo cego do Hamas ou do Hezbollah

        • PeterOak says:

          A reconquista islâmica à
          Europa já começou: França, Inglaterra, Espanha, Alemanha, Dinamarca, Suécia, Noruega… eles estão em todo o lado.

          • Jorge Costa says:

            Os portugueses emigraram à procura de melhores condições económicas.
            Já ninguém se lembra dos bairros de lata em Paris em que esses portugueses viveram.
            Será que essas pessoas de que escreves, que por acaso são muçulmanas / de cor, e que estão a fugir de pior condições do que os portugueses fugiram , não têm o direito a procurar melhor condições de vida para os seus filhos? Ou esse teu comentário é simplesmente xenófobo e só lhe devemos dar o valor que merece …lixo.

            16% da população do Luxemburgo é portuguesa…será que um dia deste “conquistamos” o principado? Já faltou mais ….

          • PeterOak says:

            Comparar portugueses trabalhadores a muçulmanos invasores é o mesmo que comparar abelhas a moscas. Uns foram para trabalhar, produzir e ter uma melhor qualidade de vida… os outros só foram à procura da melhor qualidade de vida.

          • Rodrigo says:

            Mais uma pessoa ignorante! Parabéns..nao sabes o que dizes.

          • Louro says:

            Em primeiro lugar deixa que diga que repudio qualquer tipo de religao ou manifestacao religiosa, nao confundir ser intolerante ou excluir seja quem for devido a sua escolha religiosa.

            Mas esse ponto é um pouco parvo, ser muculmano nao implica vir de um local especifico, e existem muitos portugueses que muito provavelmente nunca sairam do país e que decidiram seguir essa religiao.

            Qualquer forma, cada vez mais a populacao tende a nao seguir qualquer tipo de religiao, sendo que muitos se identificam apenas com a religiao dos seus antepassados, algo que com o passar do tempo deverá (espero eu), desaparecer após mais uma ou duas geracoes.

      • António Mestre says:

        Israel civilizado??? Actualmente nada os distingue dos nazis, os palestinianos vivem num ghetto como os judeus viveram em Varsóvia.
        Não simpatizo com o Hamas, mas a actuação israelita é criminosa.

        • Jorge Costa says:

          Não vale a pena argumentar com quem só se interessa pela argumentação de um dos lados.
          Ainda acabas a ser chamado anti-semita, parece que Israel está acima de qualquer critica por causa do que aconteceu na II GM – o Shoá.

          • Marco says:

            Esta discussão prova a complexidade histórica e religiosa deste conflito! Cada um esgrima a sua opinião mas sem se inteirar de toda a envolvência que este assunto implica. O Jorge Costa é quem está mais perto da verdade. As motivações deste conflito já começaram literalmente à séculos atrás e também seria preciso viver localmente para perceber o que sentem tanto os Israelitas como os Palestinianos. Quanto às imigrações, é inevitável que aconteça e no futuro a tendência é piorar enquanto a população global continuar a crescer e a carência de recursos naturais aumentar. Nós por cá, esperemos que os espanhóis não queiram fazer o mesmo, LOL.

        • Clara Rebelo says:

          Não meu caro, israel é muito pior que os Nazis, muito pior mesmo.
          Eles apenas não fazem um genocídio porque parecia mal, mas pouco faltará.

      • Paul says:

        “…é que Israel é desenvolvido e civilizado,..” O certo é que isto não é o conflito, o certo é que isto é o massacre, é o genocídio, é limpeza étnica. O certo é que o Israel é o Estado assassino.

      • Rodrigo says:

        Nao foi bem ONU mas a inglaterra/franca que prometeu aquela terra aos judeus ao mesmo tempo que prometia terra aos palestinianos nos anos 40. Quando os judeus foram la morar, UK/franca foram-se embora e diziam que alquilo ja nao era o seu problema. Agora Israel ‘e o pais mais desenvolvido do medio oriente..com uma qualidade de vida superior a muitos países europeus enquanto os vizinhos da Israel so pensam em lançar mísseis.
        Israel esta a abusar sem duvida mas os vizinhos nao são uns inocentes. Um pais tem um certo limite de paciência.

      • Marcos Correia says:

        +1

  3. ToFerreira says:

    O problema é que cada rocket do iron dome custará cerca de 20k e os outros custam poucas centenas de dólares.

  4. Jorge Costa says:

    Estou a ler o livro: Holocausto de Irene Flunser Pimentel (da Temas e Debates)
    Este livro deveria ser lido nas nossas escolas.
    Não devemos ignorar o passado ou negá-lo.
    Os adolescentes e muitos adultos dos n/ dias não fazem a minima ideia de quem foi Hitler, o que representa o nazismo e o que foi o Holocausto / Shoá.
    Os movimento negacionistas promovidos na internet, têm, e com sucesso, passado uma esponja nesses acontecimentos e os pobres de espirito deixam-se levar.

    Mas esses acontecimentos não justificam o que se passa atualmente na palestina e não me inibem de expor / discutir os atos criminosos realizados pelo governo Israelita.

    • PeterOak says:

      É fácil estudar o nazismo: ficou muita prova gravada em vídeo das atrocidades praticados pelos alemães, tanto fora como dentro dos campos de concentração. Basta ver os documentários no canal História ou Odisseia. No entanto, existe uma ideologia politica que matou muito mais (e continua a matar), mas que não deixa provas documentadas. Desse ninguém fala… porque não há provas.

      • Jorge Costa says:

        Já demontraste que és xenófobo e racista. Enquanto a isso estamos esclarecidos.
        Agora, totalmente fora do contexto tentas argumentar que “os nazista eram maus, mas os outros foram piores”.
        Essa é a táctica usada pelos canalhas da extrema direita para fugir de qualquer argumentação.

        A 2ª Guerra Mundial foi a chamada guerra justa. De um lado estava a humanidade, do outro, um vírus que deveria ser totalmente erradicado.
        Mas pelo vistos ainda deixaram lacaios .

        • Técnico Meo says:

          O que Eu vejo, é que o único racista aqui é o senhor, antisemita. O senhor tem dificuldade em aceitar o debate salutar, a análise dos factos de forma imparcial e é com muita facilidade que parte para o escárnio, a ofensa pessoal e o falso paternalismo. Reescreve a história com muita facilidade. Nazismo e o comunismo político são espectros opostos da mesma miséria: lidar com a gerência governativa em absolutos totalitários,sendo o comunismo bolchevique e chinês , dos piores exemplos governativos com milhões de mortos acumulados até á década de 60 do séc 20. A extrema direita cresce, devido a o seu posposto intolerante crescer também: a extrema de esquerda. A adaptação de conceitos filosóficos como marx escreveu, ou a inspiração de Nietzsche ou Schopenhauer no nazismo revelam ser impraticáveis no dia mundano, porque são conceitos, ideiais, de reflexão filosófica, impraticáveis numa sociedade no sentido literal. Podemos dizer até, que o bloco de esquerda em Portugal, tem sido o pai da extrema direita. E esta hein!

          • Jorge Costa says:

            Como qualquer ignorante de extrema direita o teu discurso é completamente irracional. Misturas alhos com bugalhos não se consegue ter um pensamento lógico nessa cabecinha.

          • Técnico Meo says:

            Lamento que não esteja ao nível o Cidadão Jorge Costa, sequer académico , para uma compreensão do exposto. Mas sim, comprova-se a sua intolerância e facilidade de insulto quando se lhe acaba a argumentação. No meu ver, existe racismo obsceno nas fileiras da esquerda radical em Portugal, um antissemitismo gravíssimo e nem sequer oculto, pleno á luz do dia. Muito grave, a negação da autodefesa a uma Nação tem por base uma esquerda radical, que apoia o terrorismo mundial e a destruição de valores históricos e institucionais sem precedentes.

    • Alex says:

      “Rocket do Hamas mata 5 israelitas que iam na sua vidinha”. (Esperai aí que tenho de coçar uma comichão aqui num glúteo)…
      “Missil de Israel destrói casa do Hamas” (Assassinos israelitas, coitados de quem vivia naquela casa, bla, bla,bla!)

      Pobre Hamas…. São uns santos e uns coitadinhos… (Tome tino nessa cabeça!)

  5. Petrus says:

    As três religiões monoteístas, todas derivadas da mesma. Todas adoram o mesmo deus, mas de formas diferentes. Desde sempre que os seus seguidores se matam uns aos outros, têm uma história de sangue. Não têm qualquer futuro minimamente civilizado. Foram, são e serão sempre esta desgraça. São um dos piores cancros da humanidade.

  6. Alex says:

    Só 80%? Não só devia parar 100% como ainda mandar de volta alguns de volta para o Hamas

  7. Jorge Costa says:

    A ignorância é atroz.
    Nunca pensaram que o simples fato da forma que Israel ocupou a palestina e o tratamento dado, desde 1948, à população palestina originou todos os recentimentos dos árabes contra o Oeste.

    Se as coisas tivessem sido feitas de outra forma, certamente, não teríamos a avalanche de terrorismo desde os anos 70. A ascensão dos Aiatolás no Irão, a radicalização dos muçulmanos.
    Tudo tem a sua origem na proteção dada a Israel pelo Ocidente.
    Se eu fosse o pai, que ontem perdeu 3 dos seus 4 filhos, o que fariam? Esse filho vai crescer e vai crescer cheio de ódio e de quem é a culpa?
    Como podem justificar ataques desproporcionados?

    • Rodrigo says:

      se queres culpabilizar alguém basta olhar para os ingleses e os franceses. Foram eles que deixaram aquilo naquele estado nos anos 40.
      Israel nao ‘e culpado mas ‘e fácil dizer que um lado ‘e mau e o outro lado ‘e inocente sem saber a historia completa.

      • Jorge Costa says:

        Isso, acho vem que procures a “história completa” pois a tua ignorância é evidente.
        Começa com as resoluções das NU. A começar logo em 1848 sobre a divisão da palestina e outras posteriores que Israel continua a ignorar (com a cumplicidade dos EUA).

    • Zé Fonseca A. says:

      Claro que Israel é protegido, são os grandes geradores de tecnologia e grandes importadores a todo o ocidente.
      Para mim judeus são um lixo, em nada diferentes que os muçulmanos, até foram capazes de matar o seu falso profeta Jesus e graças a muitos escritos inventados proporcionaram a sua imortalização e com isso o nascimento da igreja e o seu estatuto que lhes permitiu cometer inúmeros crimes contra a humanidade e impedir o progresso e que ainda hoje comete o maior crime que é o da falsa esperança que faz com as pessoas se limitem a rezar em vez de tomarem accao pelas coisas mas nas suas vidas.

      • LR says:

        Não sei se os teus conhecimentos sobre religião são para rir ou chorar. Quem “imortalizou” Jesus não forma os Judeus. Foi a posterior religião católica, que através dos textos da bíblia tornou os judeus nos maus da fita. Há muitos trabalhos sobre este assunto, basta procurar. Na famosa passagem da bíblia com Jesus e Pilatos, além de haver bastantes contradições entre os vários evangelhos (não só aqui como em muitos outros assuntos, como Maria Madalena), não deixa de ser bonito imaginar uma turbe de judeus, não ensaiados, com o calor do momento, a condenar a uma só voz, unanime, Jesus à morte (se não sabem o que foi dito, procurem). Desde sempre, quem sempre atacou a religião judaica foi a religião católica. (Para que conste, não sou seguidor de nenhuma).

  8. Rodrigo says:

    Estive em Tel Aviv em 2014 aquando do ultimo ‘conflito’ e aquilo ‘e impressionante.
    Estava eu na praia, a nadar e de repente oico um siren a tocar bem alto. Vejo pessoas a sair da agua em direcção ‘a praia e fico eu a pensar ‘O que esta a passar?’ Na minha inocência pensava que havia algum tubarão ou assim na agua e isso fez com que as pessoas saíssem da agua! Então ai decidi sair da agua tb. Quando chego ‘a praia olho para cima e vejo uma nuvem tipo quando um foguete explode no ar nas festas da freguesia. Achei estranho pq nao ouvi nenhuma explosão nem vi o rasto que um foguete normalmente traz quando ‘e lançado para o ar. So vi uma nuvem pequena que depois desapareceu após uns minutos.
    Fiquei a saber que tinha sido um míssil interceptado pelo Iron Dome. Estive em Tel Aviv durante 2 semanas e a siren tocava varias vezes ao dia. Quando tocava, olhava para o ceu e la estava a pequena nuvem. ‘As vezes havia varias pequenas nuvens no ceu.

    Agora nem quero imaginar se o Iron Dome nao existisse..a quantidade de mísseis que iriam atingir e causar estragos naquela cidade!

  9. Manuel Ceitano says:

    Paz e liberdade para a Palestina é o que desejo. #FreePalestina

  10. jimmypt says:

    Os Judeus governam o mundo.Por isso é que fazem o que querem e não lhes acontece nada.

  11. AJMS says:

    Tantos anos depois e os Palestinianos acabam por ser também uma das maiores vitimas das ações de Hitler, é triste ver quando a vitima depois se torna opressor.

  12. PeFerreira98 says:

    E que tal… Ouçam esta… Tratar o pedaço de terra pelo o que ele é? Pedaço de terra?
    Sabem? Tipo viver em harmonia e tal e rezar ao seu deus lá nas suas casinhas ou nas suas paroquias/igrejas wtv mas sem invadir a liberdade dos outros?
    Ah e tal o meu vizinho construiu a casa dele neste terreno que há uns valentes 1000 anos pertenceu a um ascendente meu! Guerra!
    I mean… Temos que ser sempre tão coninhas? Tem que haver sempre alguém que se não mandar 1 míssil num mês fica com urticária ou um mal estar no estomago?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.