Quantcast
PplWare Mobile

É muito simples enganar o Google Maps e criar áreas com trânsito virtual

                                    
                                

Fonte: Google Maps Hacks

Autor: Pedro Simões


  1. Maria says:

    Tá visto… Existe muito parasita no mundo…
    Esse tipo não tem nada de produtivo para fazer? Se não tem que vá caçar gambozinos….

    • Gaspar Oliveira says:

      Este tipo mostrou algo que jamais a google maps nunca pensou, e certamente que vão melhorar o algoritmo. Para quem quer mal a empresa não tirar credibilidade ao google maps.
      Com sorte até poderia ser contratado, pode ser alguém que se lembre de mais tipos de falhas para que os programadores nem se lhe ocorra.

      • Pedro N says:

        Pensar deve ter pensado, mas será que vale a pena estar a complicar as coisas?

        Quantos tipos andam por aí com 99 telemóveis a tentar enganar o sistema?

        • PoPeY says:

          Os caçadores Profissionais de Pokemons deve fazer isso. lool

        • BA says:

          No brasil ja usam o mesmo esquema faz anos para encaminhar trafego para zonas menos recomendadas e assaltar as pessoas. Metem uns quantos zés a pé com o wazee ligado a andar para traz e para a frente numa rua para que o trafego seja “empurrado” para uma rua paralela onde estão as equipas de “recolha” de bens.

    • Gaspar Oliveira says:

      Já agora diga la o que faz nos tempos livres, será mais produtivo que este senhor?

    • Balmer says:

      Cá para mim, falou o parasita.

      Este senhor mostrou uma falha critica na logica aplicada pela Google para popular o mapa de transito, que por consequencia pode permitir à Google pensar numa aproximação diferente à situação.

      Pegou em telemóveis em segunda mão, cometeu-se a um teste, mostrou resultados, possivelmente sem ganho próprio.

      Já você senhora Maria, terá feito alguma coisa para melhorar a vida de outra pessoa que não a dos seus próximos, ou para ajudar um serviço a ficar um pouco melhor?

  2. Vasco says:

    Sempre pensei que o cálculo da velocidade média de um trajecto fosse feita tendo em linha de conta a aquisição de dados em múltiplos dispositivos com coordenadas de GPS separadas ao longo de dezenas de metros. Se o sistema de deixa enganar por um saco de telemóveis nas mesmas coordenadas… Bem, é algo que deve ser fácil de corrigir, mas revela algum amadorismo de base.

  3. Íngreme says:

    Sem dúvida que atendendo ao progresso da nossa civilização, hoje é impensável viver sem se estar dependente de alguma peça de tecnologia, seja ela qual for. No entanto observo que em certas circunstâncias as pessoas se tornaram de tal forma dependentes da tecnologia que se desabituaram de pensar. Conduzi vários anos em Lisboa numa altura em que ainda nem sequer havia telemóveis ou quando estes começaram surgindo nas suas formas mais básicas, e felizmente cheguei sempre ao destino sem incidentes de maior (para além dos inevitáveis atritos com os “chicos-espertos” habituais).
    Hoje quem não tiver um equipamento de navegação por GPS (faça ele parte do carro, seja um aparelho à parte ou um programa instalado no telemóvel) já nem sequer se atreve a aventurar-se no desconhecido. Portanto requer-se que a tecnologia seja minimamente fiável. E a ser viável a “brincadeira” que este senhor se propôs a fazer, a tecnologia automaticamente é posta de rastos. Felizmente que pouca gente deve ter 99 telemóveis para meter num carrinho de supermercado e ir passear; eu só tenho 98,35, já não posso… Mas aqui está uma falha: os GPS já permitem precisões de cerca de 3 a 5 metros, algo coincidente com o espaço ocupado numa fila de trânsito por um veículo ligeiro. Portanto aqueles 99 telemóveis estavam confinados a um espaço muito menor; será que os algoritmos de cálculo do Google Maps não incluem uma rotina de validação para despistar estas situações? Por muito grosseira que seja a “precisão” (passo a expressão), 99 carros ocupam muito espaço! Logo a leitura devia ser considerada inválida!
    Entretanto no vídeo aqui partilhado “cheira-me” a encenação. Então o senhor tinha as ruas só para ele durante aquele tempo todo?
    Uma boa semana para tod@s.

    • Toni da Adega says:

      É certo que o algoritmo precisa de ser melhorado e tem em conta varios pontos.
      Mas basta ter um autocarro cheio para se ter 100 dispositivos num pequeno espaço e todos com as mesmas coordenadas, velocidade e direção

      • Íngreme says:

        Bem visto, mas pouco provável embora possível. Imagino uma excursão onde os 52 passageiros do autocarro tivessem sido aconselhados a seguir o percurso no Google Maps.

  4. Berto says:

    Bem, simples simples também não é:
    “99 smartphones e um pequeno passeio” toda a gente sabe que as pessoas hoje em dia não sabem dar passeios. Só sabem estar sentadas no sofã a ver Netflix.

  5. Velho do Restelo says:

    Papa reformas fazem isto à anos!

  6. xano says:

    “simples”???? sim vou já à rua com os meus 99 tlms ligados ao maps

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.