Raspberry Pi Zero: O computador de 5 dólares


Destaques PPLWARE

41 Respostas

  1. Ifone rei says:

    Devo viver num mundo a parte..sera que sou o unico que nunca compra abaixo de um i5 e corro os projectos todos seja em portatil seja em desktop? Ate para mediacenter tenho um mqcmini i5..n vejo utilidade em open source ou hardware barato..saca se o caro e pronto

    • Vítor Vieira says:

      Realmente não percebo, porque é há pessoas que se dedicam a estas porcarias a 5 euros, e a perder tempo a configurá-lo à sua medida, quando podia estar a dar umas voltas no seu Range Rover, e a comprar componentes, esbanjando mais ou 20 ou 30 euros quando podem comprar um MAC já prontinho pela bagatela de 600 euros….
      Sabe o que lhe digo Ifone Rei? Esta gente não sabe que fazer ao dinheiro. Você é que é um comprador sensato e poupado.

    • José Cordeiro says:

      estas a pensar errado…
      isto é um tipo de computador (se é que se pode chamar computador) que só serve para duas ou 3 coisas (ao mesmo tempo).
      porque nao há necessidade de comprar um computador dedicado para tarefas demasiado baixas alem de que consomem muita energia.

      Por exemplo na minha empresa temos alguns RaspPi. e um deles simplesmente tem um webservice a correr, ligado a uma porta COM (com conversor usb) a ler pesos de uma balança para camioes e a imprimir taloes de pesagens. está ligado 24/365 a gastar no maximo 6W enquanto que um pc/portatil/mac ou mesmo thinclients gastaria pelo menos 30W para fazer as mesmas tarefas.

      É só um exemplo….

    • César says:

      O RPi é excelente para projectos de robótica e investigação por parte de estudantes de engenharia, por exemplo 😉

      • GR says:

        Ha um ditado que diz “quando estás contra, é porque não percebes o outro lado”. Aqui, claramente que você, Paulo, não sabe o que é um rpi, nem o que pode fazer com ele.

    • R!cardo says:

      Hoje em dia com tanta informação ainda existem pessoas que não sabem e para que servem um Raspberry Pi, e depois falam em pcs como se fossem uns suprassumos da coisa.

    • Vlt says:

      Faz sentido em tantos sentidos que nem sei concretamente por onde começar.
      -Desde criação de gadgets independentes e prácticos de transportar;
      -Projectos com fácil adaptação para aquisição de fontes de energia renováveis para alimentação ininterrupta;
      -Devido ao seu baixíssimo consumo eléctrico, é muito mais práctico ter um computador destes (ou porque não mesmo um cluster?) a correr 24/7 (no meu caso, por exemplo, faço managing de sistema de vigilância com um deles, tenho um dos antigos como servidor de Minecraft (onde antes tinha alojada uma pagina Web);
      -E… porque não referenciar também… puxar pela criatividade?

      Atenção, não quero parecer ofensivo com o meu comentário, mas parece-me que estás a ter uma visão um pouco obtusa acerca das milhares de possibilidade que se pode criar com este pequeno computador.

      Existe também, por exemplo, a questão “preferência”… eu prefiro muito mais criar o meu Media Center e colocar mais algumas opções ao meu gosto e ficar tudo com um aspecto “nativo” do que pensar sequer em usar algum produto Apple (que, por si só qualquer produto Apple é anti-produtivo, apesar do todo o marketing que investem para parecer que não)

      Existem também, por exemplo, questões relacionadas com os budgets escolares, em que não têm disponibilidade para aquisição de computadores poderosos em massa. E nem sequer vou referir outros países em que a economia é muito pior e computadores nem sequer lhes é uma prioridade.

      Basta pensar um pouco out-of-the-box 🙂

  2. Mylittlelife says:

    Nem que fosse mais um dólar, mas pelo menos Ethernet 100 MBit para conexão de rede (e ligação do kodi ao NAS).

    Em todo o caso acho que a maioria irá preferir uma pen Android chinesa com Android e mais conexões.

    • alexmv says:

      Mas isso é para quem usa o raspberry para media center.. Se usares para projetos de electrónica não da para usar a box android..

    • Tchessetiger says:

      Ligação ethernet arranja se, com uma porta de rede USB

    • Diogo Santos says:

      O objectivo disto não é para construir media centers, apesar de tb o dar para fazer. O principal objectivo, como refere no artigo será para projectos em que é necessário algo programável, tanto pré, como hora, por exemplo via wireless usando uma pen na porta microUSB.
      Ideal para “wearables e small embedded applications”.

      • Mylittlelife says:

        Mas hoje em dia quase tudo está conectado em rede, nem que se seja para o controlo, e se Ethernet ficaria mais cerca de 1-2 dólares, e poderias adicionalmente fazer dele um NAS, media center, file server, web server, etc, sem essa porta ficas muito limitado. E claro que com wireless usb o preço fica muito alto e a velocidade em dúplex nada tem haver com Ethernet …

        • Diogo Santos says:

          Como disse, isto foi desenhado e pensado para coisas diferentes do que mencionaste. Se tivesse porta ethernet, as dimensões aumentavam bastante (que é um dos pontos fortes disto) de 5mm de altura para praí uns 15mm.

        • Fox says:

          A questão não foi o dinheiro…
          A questão é que o port ethernet ocupa muito espaço e os usb’s também.
          Ainda temos as versões com esses ports, esta versão é para quem quer um Rpi pequeno 🙂

    • Fox says:

      Desafio aceite:
      Fazer do raspberry pi zero um media center 😎

    • Ifone rei says:

      A tua vida e mm mediocre a tua imagem, vai mase perder virgindade

  3. Carlos Duarte says:

    Sim, pelo menos 100mbit ethernet, de resto só mesmo se for para inglês ver 🙂

  4. rfr says:

    Uma boa solução para projectos “embedded” e que poderá substituir os Arduinos em muitos casos.

    • john says:

      Volta e meia aparece esta ideia dos raspberry substituírem os arduinos. São conceitos completamente diferentes e raramente se sobrepõem. Quer dizer, para quê substituir um micro-controlador por um nano-pc, quando o que precisas é mesmo só um micro-controlador ? Cada um vive no seu seu ecosistema e são bons nisso. Não vamos confundir os conceitos …

      • rfr says:

        Eu disse que poderia substituir em muitos casos, não disse em todos. Mas as razões de substituição são óbvias: custo e performance. Se não estivermos a compar com Arduinos made in China, mesmo tendo de incluir um cartão SD, o RPi zero fica mais económico e com muito mais performance e possibilidade de expansão. Mas cada um é que sabe de facto com aquilo que gosta de trabalhar.

        • john says:

          Sim, entendo perfeitamente. Mas mesmo assim, continuo a achar mais flexível o conceito dos shields na concepção e construção de um projecto que o GPIO do raspberry.

          • rfr says:

            Quando começas a colocar muitos shields nos arduinos, além de ficar uma solução mais cara, a determinada altura podes não ter memória (FLASH ROM e/ou RAM) nos AVR para suportar as bibliotecas necessárias. Nessa altura verificas que uma board com linux (um RPi ou outro) é mais poderosa e versátil. Depende obviamente da solução que se pretende criar. Até podes usar os dois sistemas na mesma solução tirando partido dos benefícios de cada um.

      • Pedro Oliveira says:

        Não vamos confundir conceitos, mas um por 5 dólares e outro por 20 e tal, qual é preferivel usar ?
        Partindo do principio que queres fazer vários projectos em casa, em que não consegues so com 1 micro-controlador, este Raspberry a 5 dólares esta espetacular.

  5. henrike carvalho says:

    Mas isto pode ser perfeitamente um media center com a pen wireless. Eu nem estou a ver algo que o impeça de fazer tal como estou a usar o A+ para media center (tenho o B a fazer de NAS). Corrijam-se se estiver errado, mas: Quem tem o A+ a fazer de media center pode fazer deste “zero” perfeitamente isso, certo?

  6. Enio Roncarati says:

    E se o projeto for colocar pequenas e funcionais estações meteorológicas em um país inteiro ou a automatizar um estufa de hidrophonia em áreas realmente grande como as da Espanha ??? Uma ONG desta forma poderia viabilizar este projeto a baixo custo. Não pensem pequeno… São projetos que visam atender a um país e beneficiar milhões. Na esteira disso, outros fabricantes seriam obrigados a baixar os custos de projetos semelhantes. Todos nós temos a perfeita noção de produtos que são considerados conceito por um bom tempo até que sejam economicamente viáveis. Outros ainda existem somente para tentar pagar o investimento que foi feito no desenvolvimento.

  7. António Pereira says:

    Anunciado a 5$ … provavelmente vai custar-nos 5 vezes mais.

  8. Loumar says:

    Os engenheiros sabem muito bem para que serve um rasberry pi zero, o mundo dos utilizadores acha que isto é um lixo, mas para os desenvolvedores que gostam de ter um candeeiro inteligente que possa gerir a casa sem perder o tamanho continuando inexpressivamente discreto, estãomuito felizes com este pequeno novo companheiro.

    • marcos says:

      O problema é que as pessoas associam este tipo de placas a PC (Personal Computer) e não tem nada a ver.

      A quantidade de projectos indoor e sobretudo outddor que isto vai permitir é incrivel.

  9. Pavlo says:

    Tenho um Pi B dos antigos a fazer web radio na cozinha, deveria ter comprado um i5 para isso? Ficava mais bem servido? Talvez um mac mini? É que já uso um avião para ir para o trabalho…

    • Fox says:

      O problema é que eles só usam windows…
      E o windows é um ‘calhau’ e só corre decentemente em processadores intel, que tem ventoinhas e aquecem bués.

  10. Nelson R says:

    Pena que a encomenda na element14 custa quase 12,5€. No entanto é uma ferramenta muito útil para pequenos projectos para quem gosta de arregaçar a manga e fazer alguma coisa de útil. Depois há gajos que só querem a comida no prato e estão a borrifar-se para quem cozinhou. Estes são os trouxas que pagam o que lhes pões à frente e abanam a cabeça.

  11. Diogo Marques says:

    Alguem quando ou se ja está disponivel em Portugal??

  12. João Ferreira says:

    Alguém aqui comprou/pensa comprar?Se sim onde e quanto ficou com os custos de envio?

  13. Paulo F says:

    Acho que o C.H.I.P. o computador de 9 dólares que vai aparecer para o ano, já está condenado. Pode ter a vantagem de ter wifi e bluetooth incluído, mas perde em armazenamento que só tem 4 GB mmc

    • André C says:

      serve para públicos diferentes, caso queiras programar um robot que se liga por bt a um tlm, então o C.H.I.P. seria melhor, mas para a maioria dos utilizadores, ya

      há que lembrar que estes micro-computadores são mais plataformas de desenvolvimento que computadores propriamente ditos

    • Vlt says:

      Yap, não me admiro nada que este lançamento tenha aparecido para se antecipar ao C.H.I.P.
      Manter-se como alternativa (e tentar a preferência, já que possui um nome mundialmente famoso) num mercado que é muito semelhante.
      No entanto, continuo a achar o C.H.I.P. muito interessante, e provavelmente também vou adquirir um

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.