PplWare Mobile

MiJia Car DVR, a câmara Xiaomi para as suas viagens na estrada


Maria Inês Coelho

Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.

Destaques PPLWARE

  1. RF says:

    Marcas à parte, acho que cada vez mais se vai ver estes equipamentos, no entanto há que aplaudir o que a Citroen fez no C3, onde integrou a camara no retrovisor.. é um opcional é certo, mas parece-me ser o caminho nos carros novos, em vez de se andar com uma camara + fio pendurado.

  2. MMM says:

    Em alguns países (Rússia e Letónia por exemplo) há uma bonificação no prémio do seguro se tiveres uma câmara no carro. Ajuda muito a resolver os conflitos de responsabilidades em acidentes…
    Acho que requerem GPS logging para posição e velocidade.

  3. jAr says:

    LOL, parece que o nome foi dado por um alentejano.

  4. Castlead says:

    Modas, nada mais….

  5. Luna Pacheco says:

    Onde é que leste isso? Fontes, por favor

  6. luis santos says:

    Até quando vai ser uma ferramenta para as seguradoras . Era uma maneira mais fácil para as seguradoras resolverem os acidentes .Mas como sempre não com convém para enganar o segurado .

  7. Umx says:

    Estou a pensar comprar uma coisa destas, mas tenho GRANDES dúvidas: é legal filmar na via pública? Em caso de acidente as imagens são válidas como prova? Se eu for culpado sou abrigado a fornecer as imagens?
    Agradeço a vossa ajuda

    • ruben says:

      se fores culpado tiras a camara eheh

    • Oxodor says:

      Penso que não é legal (comissão de protecção de dados) nem serve de prova por isso mesmo. Mas nos acidentes dá sempre para passar um atestado de mentiroso a alguém que “aldrabe” os acidentes; tipo ficar calado quanto à existência do acidente captado em vídeo, a outra pessoa mente para “cozinhar” o acidente a seu favor e depois temos o vídeo para mostrar ao perito da companhia de seguros do outro que o seu segurado é um aldrabão…!
      Acidentes à parte, estas câmaras podem servir para captar outra variedade de acontecimentos dignos de youtube…!

    • Tiago Santos says:

      Boas
      Em Portugal infelizmente as imagens de nada valem e ainda te podem prejudicar, como em casos já relatados em post anteriores desta matéria.
      Abraço

      • José Rodrigues says:

        Infelizmente não, felizmente, senão virava moda como está a acontecer com a malta das motas, sempre que vejo um gajo de mota com uma go pro só me dá vontade de o empurrar da mota. Um dia que alguma imagem minha venha parar a algum lado é logo processo em cima.

        • Nelson says:

          Se o fizeres e fores identificado estás em maus lençóis. Após analisar as imagens eu como perito iria ouvir as duas versões, analisar os danos e fazer enquadramento. Facilmente provaria quem estava a mentir mesmo sem apresentar as imagens no relatório final. Mas entre companhias as imagens são válidas. Se as imagens chegarem às duas companhias a favor de quem achas que ia ser a decisão? À parte poderia incorrer um processos civil mas isso para as seguradoras já não interessa para a responsabilidade automóvel

        • Joaquim Pedro says:

          C’a biolência, carago!!!

    • Nelson says:

      Não és obrigado a ceder nada claro. Para efeitos de averiguação podem ser consideradas para análise da dinâmica do acidente ou identificação de um veículo que foge.
      Se podes ou não ser autoado por circular com uma câmara dessas é outra questão. Ou se em tribunal seriam consideradas também é incerto. Mas a lei em tribunal pode ter várias interpretações e depende do caso.

  8. Peace says:

    Atenção que estas câmaras são ilegais no nosso país

    • João Santos says:

      SIm ? aonde é que isso está escrito ? podes provar ?
      Podes filmar não podes é divulgar as imagens publicamente por causa da grande treta de protecção de dados… etc. Isto porque em portugal se favorece o crime logo as imagens não servem como prova.

    • Joaquim Pedro says:

      Então as Xiaomi, GoPro, SJCAM, Nüt e outras, são todas ilegais? Então porque estão à venda? E não são processadas as empresas que vendem equipamentos ilegais?

  9. Nelson says:

    Pode ser ilegal em tribunal mas até lá muita tinta corre e pode servir para confrontação com aldrabices. Em caso de dúvida entre seguradoras as imagens deverão ser consideradas, tal como são válidas imagens obtidas após o acidente para validar posições finais ou análise de destroços. Sou perito de sinistros e para nós todos os elementos são válidos! Até imagens do Street View servem para provar pré-existência de danos!

    • umx says:

      Agradeço a sua explicação (e a dos outros participantes também ).
      Em Janeiro sofri um acidente, em andamento numa autoestrada: um objecto foi projectado por um camião e acertou no tejadilho do meu carro, por sorte nao me entrou no vidro.. Não parei porque ia colocar a minha família em risco, identifiquei o local, o camião , data, fotos dos estragos.
      Participei à concessionária (que se descartou), participei à minha seguradora, o carro foi “peritado” e depois a seguradora do camião disse que eu é que tinha de provar que o camião causou o estrago…. as imagens ajudariam de facto nesta situação?

      • Alexandre Cunha says:

        Seria interessante ter uma resposta a esta situação.

      • Nelson says:

        Essa é a resposta para despachar o reclamante. O mais correto seria existir uma averiguação a pedido de uma das companhias em que interviria um Perito-Averiguador que iria ele tentar provar a ocorrência através de contato com a empresa do camião, motorista, tentando obter informação sobre o tipo de carga, condições de acondicionamento, registo de percurso, etc. O ideal será sempre uma abordagem ao camionista ou caso se verifique que o camião contínua a projetar detritos obter fotos ou vídeos dos mesmos. Se se conseguir provar um nexo causal entre a carga e o dano resultante poderá haver assunção de responsabilidade pela companhia do camião. Mas isto depende muito das circunstâncias. Existe muita fraude relacionada com isto e as companhias tentam descartar-se ao máximo. O mais seguro é ter cobertura de quebra de vidros que têm muito pouco peso no prémio

        • Pedro S. says:

          A gravação e visualização de imagens não autorizadas pela Comissão de Proteção de Dados é ilegal inclusive para peritos. Tal incorre em crime punível por lei, logo não pode tomar decisões com base em filmagens ou fotografias em que constem dados de identificação de pessoas, tais como face e matrículas. Para mim, uma decisão por parte da seguradora a meu desfavor com base somente nesse tipo de imagens seriam logo inviabilizadas com queixa crime junto da polícia com identificação da seguradora e seus responsáveis.

          Acerca da visualização de imagens street view muitas são antigas e não é possível correlacionar diretamente com danos já presentes. Podem até ser danos semelhantes, mas é subjectivar…

          • Nelson says:

            O bem seguro é um automóvel. A responsabilidade civil é da seguradora e não do condutor. As imagens poderão auxiliar na definição de responsabilidade. É prática comum de todas as seguradoras o fazerem. Não são é fator único mas sim integradas num conjunto de análises. Ainda gostava de ver alguém avançar para tribunal porque foi considerado responsável e existem imagens ou vídeos do qual este teve conhecimento.
            Outro exemplo. Se tiver uma câmara a filmar o seu carro e lho roubarem mas os ladrões forem identificáveis pelas imagens acha que as autoridades as vão simplesmente ignorar? Não me diga que o ladrão vai colocar o dono do carro em tribunal por ter sido filmado e apanhado. Com as fotografias e vídeos o princípio é o mesmo. São utilizadas para atingir um fim. Em caso de sinistros a melhor coisa a fazer é fotografar de imediato a posição final dos veículos em relação à via.

          • Nelson says:

            Eu falo por experiência própria e não por subjecções. Se os danos forem iguais e existirem suspeitas de aproveitamento de danos poderá servir de prova. Mas isto é uma gota de água no conjunto de análises que são realizadas quando existe averiguação

          • Pedro S. says:

            A prática comum não significa que seja legal! Mais uma vez digo, se alguém avançar para tribunal e a seguradora apenas se apoiar com base em filmagens obtidas ilegalmente, acredite que o tribunal vai anular quais factos conhecidos através das filmagens.

            Se tem dúvidas, questione a Comissão de Proteção de Dados através do site deles. Acerca do uso das filmagens com identificação de pessoas e veículos e acerca do uso de câmeras no interior do veículos, seja qual for o fim! Os fins não justificam por si só os meios!

            Exemplo: no meu condomínio queriam instalar um sistema de videovigilância. A empresa de gestão do condomínio afirmou não existir qualquer problema e era prática comum noutros condomínios. Tudo na boa! Tudo porreiro! Assim seria fácil identificar potenciais crimes e suspeitos!!!

            Abordei a CPD nesse sentido. Sabe o que me responderam? Eu digo-lhe: câmaras de videovigilância a filmar o exterior são proibidas em qualquer situação! Câmaras no interior do condomínio com autorização de todos os proprietários e/ou arrendatários. Toda a pessoa l, seja visita, desconhecido ou até criminoso, teria que se dado conhecimento de gravação​ de imagens de vídeo. Se essa pessoa assim o quisesse, o sistema teria que ser logo desactivado, caso a pessoa não autorizasse a gravação. A visualização das imagens só poderia ser efectuada por agentes da autoridade sobre forte suspeita.

            Por isso, digo: a gravação de imagens é proibida, facilmente negada em tribunal. A visualização de imagens por parte de qualquer pessoa é proibida e com sanções legais.

            Entenda como quiser…

          • Pedro S. says:

            Ah, esqueci-me de dizer: o sistema de videovigilância nao foi instalado!

            Sugiro que aborde a Comissão de Proteção de Dados para averiguar se os seus argumentos são válidos. 😉

  10. Nelson says:

    Você abriu o link e leu a decisão do tribunal que coloquei?

  11. Diogo Soares says:

    Recomendam? Vêm em Inglês ou em chinês? Estou interessado numa que filme bem tanto de dia como de noite que tenha todos os extras. GPS, wifi (opcional), save on loop, sd card, save on crash, sensores, etc.

    O que recomendam quem tenha uma?

    • João Santos says:

      Viofo A119, tenho uma e recomendo. Resolução 1440x30fps, microSD até 128Gb, GPS, muito pequena e discreta até me esqueço que lá está sempre a gravar quando ligo o carro. Não tenho por opção o parking mode ligado. Agora vou instalar outra no vidro de trás. Talvez a A119S.

    • João Santos says:

      Com wifi tens a Goluk T3, existem outras topo de gama mas tem tantos problemas de software que não valem o preço.
      Uma dica, seja qual a que escolheres nunca escolhas uma com baterias de lítio dentro do carro. Com condensadores é mais seguro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.