Quantcast
PplWare Mobile

iPhone 14 da Apple passa em teste de durabilidade com sucesso

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. XPTO says:

    Não vi nem vejo estes “testes” porque entendo que são as coisas mais parvas que se podem fazer. Tudo para ganhar fãs no YT e dinheiro claro

    • Method says:

      Pode até parecer parvo, mas ficas com a noção sobre a qualidade de construção, material utilizado, resistência, enfim… sim, é claro que ganham também com a visualização.

    • Hugo says:

      Não concordo. Estes testes tem, em grande maioria, correlação direta com ocorrências do dia-a-dia. Especialmente o canal em questão.

      • Luís Pacheco says:

        Sim sim. Todos eles desde o X acto passando pela chama de um isqueiro diretamente no display até dobrá-lo com toda a força possível… Quem não passa por isto diariamente. Aliás só compro depius de ver o Jerry

    • JR says:

      Se assim fosse, as marcas não lhe enviam os dispositivos para testar.
      Muitas marcas corrigem os problemas neste tipo de testes já que prova ser bastante mais económico a nivel de gastos e demonstra onde os problemas estão.
      Hoje em dia, tudo o que ele faz ali, é reproduzido no dia a dia ( dobrar o telemovel por alguma razao, riscar com chaves / moedas afins etc).
      Sem falar que ele testa o material e verifica se realmente é ou não o que foi apresentado.
      E já descobriu, informando assim as pessoas, que existiam equipamentos com informações falsas ou erradas.

    • Sabe-se lá says:

      Ele já testou 2 ou 3 telemóveis que simplesmente partiram ao meio. Podia acontecer a muito boa gente que o coloca no bolso de trás das calças.
      Se calhar, existe um antes e um depois deste vídeo para quem queria comprar tal aparelho.

    • Marisa Pinto says:

      Se não vês, como podes achar parvo?

      • XPTO says:

        Parece contraditório não é? Mas não! Basta ler a descrição que relatada. E qualquer telemóvel ou objecto sujeito ao descrito tem que apresentar danos. Portanto não prova nada quanto à sua robustez.

    • VP says:

      Desculpem mas estes vídeos apenas servem para angariar visualizações, não têm qualquer utilidade.
      Já vi vídeos de teste de pressão onde usam uma prensa hidráulica, onde se consegue saber com exactidão os quilos em que um material começa a dobrar, aqui ele limita-se a usar as próprias mãos.

      Depois são os testes dos riscos, como é que ele garante que a força que exerce na caneta que utiliza para riscar é exactamente sempre a mesma? Se estamos a fazer um estudo científico temos de eliminar as variáveis e neste caso a variável é sempre a força que ele exerce na caneta.

      Por ultimo o teste do x-acto. Com a força que ele faz gostaria de saber qual o material que temos em casa que aguenta com um x-acto daqueles.

      Já tive muitos telemóveis ao longo destes anos e garanto-vos que nunca nenhum deles ficou no estado em que ficou este iPhone, isto até mete pena. Tanto dinheiro desperdiçado e mais lixo tecnológico a ser criado.

  2. Vitolas says:

    Testa tudo menos o que acontece a maior parte das vezes e no mundo real, que é um telemóvel cair a meia dúzia de cm do chão, apanhar um lado do ecrã e no mínimo partir o touch do telemóvel e isto é transversal a todas as marcas então nos modelos com ecrãs curvos é um mimo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.