Quantcast
PplWare Mobile

DxOMark diz que a câmara do iPhone 12 Pro Max não é das melhores

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Miguel says:

    O iPhone em especificações, seja da câmara ou de tudo o resto fica sempre atrás dos Android de topo no entanto parece que tudo sai melhor no iPhone. Tenho um 11 Pro Max pessoal e um S20 da empresa e a verdade é que em fotografias o iPhone é melhor (acredito que seja pelo trabalho de processamento da imagem) e em uso pessoal acho o iPhone bem mais fluido. Vou para o 12 pro Max porque aqui no Reino Unido tenho o plano de atualização anual.

    • Mike says:

      Mete mais tabaco nisso. Lol

    • Ci says:

      Traduzir “hardware mais potente” para “melhor hardware” è redutor e não reflete a experiência de utilização como ela è. O iPhone tem uma experiência de utilização bastante superior a qq Android. O hardware é só números. Ou Podemos traduzir isso como: a Apple consegue fazer muito mais com muito menos.

      Aliás, Android tem a característica de ser ótimo para vender RAM e SnapDragões. Mas depois vai-se a ver e oops…

      Salvo raras excepções como research e independent development, iPhone/iOS é muito melhor. Acho que isso é bastante notório.

      • Galo says:

        Epa já cansa essa conversa dos fãs da Apple/Iphone. Sempre a mudarem os argumentos consoante lhes interessa. Quando benchmarks apontavam o processador do Iphone como o mais potente, todos salientavam isso. Quando benchmarks apontavam outro como mais potente, já vêm as desculpas de que não se pode comparar plataformas diferentes, ou que IOS está melhor otimizado e faz mais com menos, bla bla bla.
        Sejam coerentes. É verdade que nem sempre mais “hardware mais potente” se reflete na qualidade de utilização. Mas também não é verdade que “iPhone tem uma experiência de utilização bastante superior a qq Android”. Deixemos de viver no passado. Atualmente Iphone é um equipamento de qualidade que oferece recursos e experiencia de utilização elevado. Mas no mercado há equipamentos android que não ficam atrás! E alguns até com determinados recursos/experiencia de utilização superiror!

        • Ci says:

          Até pode ser mais potente. É importante que essa potência se reflita numa melhor experiência de utilização. E isso depende muito do perfil dos utilizadores.

          No meu caso, não me interessa se é ou não “o mais potente”, interessa todo o ecossistema e a experiência que o sistema me pode proporcionar.

      • Joao says:

        em que ano é que estas? tenho 2 ipads e um pixel 4 e no pixel faço tudo mais rapido ke nos ipads. a produtividade do pixel é muito superior ao IOS. já pensei vender um ipad que ja nao o uso ha 1 ano….

    • David Guerreiro says:

      Então experimenta um Google Pixel e verás a diferença.

    • iMF says:

      O que o Miguel diz tem razão, eu gosto muito mais do sistema Android.
      Mas a Maria cá em casa tem o iPhone 11 e nota se bem que visivelmente as fotos tiradas pelo iPhone são mais apelativas que de qualquer outro telemóvel.
      Mas estou a falar a nivel de qualidade fotográfica, porque claramente aquilo parece uma foto trabalhada em Photoshop, então se formos para o modo noturno, está ali muito trabalho de lightroom depois da foto.

      Mas no fundo o que o utilizador quer e paga é isso é a foto perfeita, e nisso não há dúvida que o iPhone é impecável para por no álbum ou no Instagram.

      Na minha opinião pessoal acho que devia haver uma opção para desactivar todo aquele processo de trabalhar a imagem ( se calhar até há, mas nunca o encontrei)

      • iDroid says:

        Há uma forma de desactivar todo o trabalho que o iphone faz às fotos. A solução passa em descarregar uma aplicação de fotografia que permita tirar fotos em RAW. Este formato grava a foto como ela sai do sensor (praticamente), permitindo uma edição com muito mais controlo posteriormente.

      • Whisper says:

        Ficam mais apelativas porque são aplicados filtros de embelezamento.
        Depois vais comparar as fotos com a realidade e o outro telemovel tentou manter-se mais fiél à mesma.

        Não faz a câmara melhor… poupa-te uns clique de aplicar um filtro para colocar no Instagram.

    • Miguel (outro) says:

      O iPhone em especificações, seja da câmara ou de tudo o resto fica sempre atrás dos Android de topo por isso parece que tudo sai pior no iPhone. Tenho um S20 pessoal e um 11 pro max da empresa e a verdade é que em fotografias o S20 é melhor (acredito que seja pela qualidade da câmara) e em uso pessoal acho o S20 bem mais fluido. Vou para o S20 Ultra porque aqui em Portugal tenho o plano de atualização anual.

  2. Tadeu says:

    Com o devido respeito, mas não vejo em lado nenhum informação de que a Apple já anda a enviar o iPhone 12 Pro Max para quem quer que seja.
    Quanto ao que DxOMark diz, é apenas uma constatação sobre a lente teleobjetiva, que obviamente fica longe do zoom óptico de outras câmeras. Parece-me que os chineses andam muito stressados com o iPhone…

    • Marisa Pinto says:

      Claro que os modelos já estão a ser enviados, como sempre foi com a tecnologia nova que está prestes a chegar ao mercado. Como consolas, por exemplo, as Xbox Series X e PS5 também estão já foram enviadas.

      • Tadeu says:

        A Apple não fabrica a Xbox ou a PS5 e segue o seu próprio calendário.
        A Apple só costuma disponibilizar os seus aparelhos para “review” 1-2 semanas antes dos clientes poderem comprar – o Pro Max só vai estar disponível daqui a 1 mês. Os modelos que anda a enviar serão o iPhone 12 e o iPhone 12 Pro.
        De qualquer das maneiras, o que DxOMark diz é apenas uma constatação sobre uma propriedade duma das lentes (teleobjetiva), deixando a pergunta de como é que se vai comportar contra as outras teleobjetivas da competição com maior zoom. Assim como deixa outras perguntas noutras mensagens.
        Como é que com base apenas nisso alguém pode concluir que a DxOMark está a dizer que não é uma das melhores? Tanto pode ser como não ser, só os testes o dirão…

    • IDroid says:

      Concordo. Pelo que entendi deste post,estão a comparar os zooms, e não propriamente a qualidade de imagem.

      • Galo says:

        Verdade. Mas o titulo também não diz que a qualidade de foto do “Iphone não é das melhores”, diz “camara”…se por camara se entender o “hardware” titulo não está assim tão desajustado. Mas claro que só quando resultados forem publicados, ou equipamento estiver nas mãos dos utilizadores, é que se vai saber.

        • Lucas says:

          Mesmo que “a câmara do iPhone” no título fosse interpretada como se referindo apenas a uma das câmeras do iPhone e não ao conjunto; mesmo que dalguma maneira a qualidade duma câmera pudesse ser avaliada sem olhar para a qualidade da foto obtida (o objectivo da existência da câmera, e produto de diferentes componentes do hardware da câmera); não consegues avaliar a qualidade do hardware restringindo-te apenas ao rácio da distância focal entre lentes (Zoom óptico), tendo as lentes outras propriedades, assim como o sensor (que faz parte câmera), etc.
          Ou seja o título não é sustentado pelos argumentos usados.

          • Galo says:

            “mesmo que dalguma maneira a qualidade duma câmera pudesse ser avaliada sem olhar para a qualidade da foto obtida” – teria que se comparar a qualidade de fotos em RAW, e em diferentes cenários…

            Mas percebo em parte o teu ponto. O titulo mais correto/exato seria qualquer coisa como “DxOMark diz que a câmara do iPhone 12 Pro Max não é das que possui maior zoom óptico.”

          • Lucas says:

            Se usas fotos em RAW estás na mesma a ver a qualidade de fotos obtidas, o que iria no sentido oposto à tua possível explicação inicialmente dada para o título.
            Mas nos dias de hoje, com tanta computação a assistir no processamento de imagens, usar RAW como objecto de análise numa comparação, pode ser pouco informativo para o consumidor final. Há coisas que estas câmeras conseguem que são difíceis de duplicar apenas a partir de imagens em RAW.
            Quanto à possível correcção, lendo o que a DxOMark escreveu no Twitter a ideia que fica é que eles não estão a afirmar propriamente nada, o que basicamente fazem é levantar a questão de que como é que a câmera de 65mm do Max se vai comportar frente a câmeras da concorrência com lentes de 100+mm, ou seja com maior zoom.

          • Galo says:

            Não não. A minha explicação inicial ia no sentido da “camara” – hardware, no caso comparando a única coisa que é referida: o zoom óptico. E de facto, se duas camaras possuiram os mesmas componentes, à excepção do zoom óptico, podemos dizer que a que possibilita maior zoom óptico é melhor 😉

            Relativamente ao que a DXOMARK disse, está bem explicito no texto. Inicialmente falou que a lente do Iphone seria inferior à dos concorrentes. Depois, tentou evitar polémicas, levantando a questão: que impacto isso poderá ter na qualidade das fotografias?

          • Lucas says:

            A tua explicação inicial ia no sentido da “camara” – hardware, ou seja no sentido oposto a usar qualidade de imagem RAW como qualificativo.
            O título não assenta numa construção teórica, tem como objecto a qualidade de câmeras reais, com muitas mais diferenças do que o zoom. Como tal, resumir a maior zoom para determinar qualidade não é suficiente.

            eis o que a DxOMark escreveu no Twitter, sem necessidade de correcções com o Chinês:
            Our first impressions of the @Apple #iPhone12Pro Max :
            The device will have three cameras: a 13mm, a 26mm and a 65mm telephoto lens that will allow a 5x zoom. How will that compete with some competitors with 100+mm lenses and up to a 10x zoom? We can’t wait to find out.

          • Galo says:

            @Luca não vale a pena insistir nisto. Eu só mencionei, posteriormente a comparação das fotos em RAW, porque tu chamaste ao assunto a qualidade das fotos…e ora a foto final é resultado do hardware (camara) e do software…se queremos comparar só hardware, nao podemos comparar foto final. Percebeste?

            Quanto ao que a DXOMARK, volto a dizer: o texto da pplware era claro, e já tinha lá as transcriçoes dos DOIS momentos que a DXOMARK se pronunciou. Não vale a pena extrapolar mais do que isso, e perder tempo à volta da mesma coisa…

          • Lucas says:

            Peço desculpa mas não fui eu que chamou ao assunto a qualidade das fotos.
            Tu começaste por dizer que o título “não diz que a qualidade de foto do “Iphone não é das melhores””, e determinaste que estaria a referir-se ao hardware.
            Eu apenas apresentei no meu argumento o pressuposto de que se fosse possível medir qualidade duma câmera sem olhar para a qualidade das fotos. A isso tu mencionaste RAW – ora usar RAW não torna possível medir a qualidade da câmera sem olhar a fotos, indo no sentido oposto ao que disseste!

            O texto to Pplware menciona o que apareceu no Weibo, não o que apareceu no Twitter sem qualquer confusão de traduções. Relembrar que a DXOMARK não é chinesa, logo claro não é coisa que acontece numa tradução que necessita de correcção!

          • Galo says:

            @Lucas já deu para perceber que tu és daqueles que respondes sem ler o que os outros escreveram. O titulo fala CAMARA, e depois de ler as citações originais, percebe-se que se fala em diferença nas lentes, que levam a que a camara do iphone possua menos zoom óptico do que aquelas de equipamentos concorrentes. Percebido? Tal como levantado pela DXOMARK vamos ver como isso se reflete na qualidade das fotos…

          • Lucas says:

            Galo, li e percebi perfeitamente, e respondi de acordo a manter os teus pressupostos… mas decidiste desviar para RAW indo contra o pressuposto.

          • Galo says:

            Eu diria que basicamente andaste a tentar mostrar que estavas muito bem dentro do assunto (quando o artigo já era claro o suficiente), tentando “esconder” a essência, que é novo iphone ter saido com menor zoom optico que diversos equipamentos ja no mercado…

          • Lucas says:

            Galo, toda a gente logo no primeiro dia já sabia que o novo iPhone 12 Pro Max tinha menor Zoom que outros da concorrência… bastava olhar para os números. Mas que eu saiba saber o zoom não é saber qualidade!

          • Galo says:

            Lucas, vou deixar de te responder…não há pachorra.

            ” Mas que eu saiba saber o zoom não é saber qualidade!”

            Se lesses o que escrevi!!!!: “..se duas camaras possuiram os mesmas componentes, à excepção do zoom óptico, podemos dizer que a que possibilita maior zoom óptico é melhor”.

          • Lucas says:

            Galo, não estamos a falar duma construção teórica! Estamos a falar da qualidade de câmeras reais.

          • Lucas says:

            é com câmeras reais que é escrevem que a dxomark diz que a câmera do iPhone não é das melhores, apenas porque falam no zoom!!!

  3. Cicrano says:

    Novidades, há?

  4. ToFerreira says:

    A câmara não é a melhor, o processador não é o melhor… Isto não está a começar bem.

    • Lucas says:

      o processador não é o melhor?

        • Lucas says:

          Por favor lê isto: Why the scores of Antutu iOS version are not comparable to Android version? antutu.com/en/doc/119646.htm
          Ainda achas que o que é apresentado nessa notícia permite tirar essa tua conclusão?

          • ToFerreira says:

            a conclusão não foi minha.

          • Lucas says:

            és tu que concluis que não é o melhor. Certamente que és capaz de ajuizar as conclusões que dás?

          • ToFerreira says:

            “Testes ao A14 Bionic do iPhone 12 mostram que estará abaixo do Snapdragon 865”
            O português é claro e não fui eu que escrevi.

          • Lucas says:

            Não foste tu que escreveste aqui a conclusão? Não és tu que defendes essa conclusão, extrapolando a partir dum único teste para a conclusão de que não é o melhor? Não és capaz de pensar por ti próprio e ajuizar sobre o que tu próprio escreveste?

          • Galo says:

            @Lucas, o ToFerreira não extrapolou conclusão nenhuma. Ele referiu o resultado de um “estudo” feito usando um dos benckmarks mais conhecidos. Se queres contradizer apresenta “estudos” que apresentem resultados contrários…Sei que já referiste que não se pode comparar resultados de benchmarks obtidos em plataformas diferentes (algo que eu concordo), mas isso não parecia problema quando benchmarks apresentaram o A13 como aquele com maior pontuação, pois não? 😉

          • Lucas says:

            Galo, não é resultado de nenhum estudo, é uma mera comparação de resultados isolados, não sendo apresentada nesse artigo a afirmação que o ToFerreira faz, sendo aliás indicadas ressalvas. Ele determinar que não é o melhor é uma extrapolação dum único resultado, tirando ele próprio essa conclusão.
            Sobre o benchmark em causa, os próprios autores do mesmo dizem que não pode ser usado para comparar plataformas, e indicam diversas razões. Tal não se deve a alguma razão generalista que tu possas ou não concordar, mas a particularidades do próprio Antutu.
            Creio que qualquer pessoa com um mínimo de espírito crítico será capaz de ajuizar o que é que implica o aviso feito pelo Antutu.
            Quanto a outros benchmarks, existem aqueles que são construídos de forma a permitir comparações niveladas entre CPUs a correr plataformas diferentes em condições controladas. Pegando num conjunto de benchmarks poder-se-à avaliar o potencial de cada processador.

          • Galo says:

            @Lucas, voltaste a não ler…se tivesses lido, 80% do teu texto não era necessário. Qual a parte que não percebeste que eu sei das vantagens e desvantagens dos benchmarks, e que concordo com a tua opinião relativamente ao cuidado que se deve ter quando se tira conclusões? Agora há é que manter coerência 😉 Mesmo outros benchmarks que se dizem multiplataforma sao faliveis, e apresentam resultados variaveis. Por exemplo, Geekbench chegou a apresentar resultados pontuais em que outros equipamentos obtiveram maior pontuação que iphone (A13)…é só pesquisares.

            E já agora qual a tua definição de “estudo”? Eu diria que reunires resultados obtidos por um determinado benchmark em diferentes equipamentos, e tentares tirar conclusões (com as devidas ressalvas) é um estudo 😉

          • Lucas says:

            Galo, mas a questão com o Antutu não é as vantagens e desvantagens de benchmarks, mas dos resultados do ANtutu não darem para qualquer forma de comparação entre iPhones e Androids. Ou será que queres ignorar isso?! Serás capaz de admitir que o ANtutu não pode ser de forma alguma usado? Serás capaz de admitir que o ToFerreira tirou a conclusão que ele escreveu?

            Volta a ler o que eu disse, especialmente a parte de “CONDIÇÕES CONTROLADAS”. Em condições controladas um bom benchmark permite comparar processadores a correr plataformas diferentes, sendo preferível usar mais do que um benchmark. Com esta nota, falibilidade é primariamente de que quem corre, ignorando condições e tirando ilações que não pode fazer.

            Se queres chamar de estudo pegar em resultados isolados de proveniências desconhecidas, em condições desconhecida e indo contra um dos critérios definidos para olhar para os resultados, estás à vontade!

          • Galo says:

            Lucas, além de fixado na tua opinião e incapaz de leres o que os outros escrevem (escreves coisas que ja estao escritas e faladas), não pescas nada do assunto.
            E se eu te disser que um estudo que pegue em “resultados isolados de proveniências desconhecidas” para um mesmo benckmark em equipamentos diferentes, pode até ser mais fiavel, e mais representativo da realidade do que um estudo que pegue em “resultados” obtidos numa determinada “condição controlada”?!?
            Um estudo estatístico que se baseie em resultados de 100 mil utilizadores comuns de equipamentos androids e 100 mil utilizadores comuns de iOS, a correrem um determinado benchmark é mais fiavel que um estudo de um determinado laboratorio, que corra um benckmark em diferentes equipamentos em condições controladas (por exemplo, como habitualmente com a cache livre, sem aplicaçoes em background, ou entao a abrir uma sequencia de aplicaçoes)….

            Pela ultima vez, TODOS os benchmarks sao faliveis!

          • Lucas says:

            Galo,
            será que não és capaz de responder a simples perguntas? Ou não tens interesse e preferes resvalar para falácias Ad hominem.
            Resultados isolados de proveniências desconhecidas não te dá uma amostragem de 100 mil utilizadores – se são isolados a amostra é 1! Não andaram a fazer uma amostragem, não planearam que teste estatístico usar…

            Um benchmark em condições controladas dará muito melhor informação sobre a possível performance dum processador para realizar determinadas tarefas, já que permitirá obter resultados com menor ruído por interferência de diferentes variáveis, colocando os aparelhos em condições idênticas para determinado cenário. Repito o que disse, a falibilidade é principalmente de quem adquire e usa os dados, que não sabe interpretar e o que fazer. Falibilidade é de quem acha que consegue chegar a uma conclusão baseando-se apenas num único benchmark (algo que já referi 2 ou 3 vezes).
            Quanto a análises estatísticas… tenta lá fazer uma amostragem de 100 mil utilizadores comuns representativos com um benchmark. Isso sim seria um estudo, resta saber como vais pagar para obter uma amostra verdadeiramente aleatória e representativa da população de utilizadores comuns.

          • Galo says:

            @Lucas,

            cada vez fico mais preocupado…ou tens nível de compreensão muito baixo, ou queres fazer parecer isso.
            Obviamente que no meu exemplo, que é UM EXEMPLO apenas, seriam 100 mil utilizadores, com cada um a reportar um resultado medido numa condição real. Seriam 100 mil dados isolados (obviamente que teriam que ser do mesmo socket e plataforma). “big data” diz-te algo?

            Isso daria-te uma pontuação média (+/- um erro associado) de um determinado processador e OS vs um determinado processador e OS, medido em condições reais. Isto porque um benchmark mostra-te a pontuação máxima numa situação ideal, mas as pessoas depois, erradamente, querem fazer a transposição para o mundo real, que é muito diferente!

            Para terminar esta discussão, relembro mais uma vez, que a tua opinião não é tao diferente da minha….apenas difere pela tua falta de coerencia, ao nao admitires que mesmo os benchmarks multplataforma e executados em condiçoes controladas sao faliveis e nao representam o mundo real. Ou seja, padecem da mesma analise critica que apontaste à opiniao do colega que referiu dado do ANtutu (e artigo da pplware) 😉

          • Lucas says:

            Galo, lá continuas com o ad hominem e incapaz de responder às perguntas.
            vamos ver se entendes, resultados isolados implicam amostragem de 1 para cada tipo de objecto… a tua tentativa de oratória é simplesmente oca, principalmente dado o contexto em que o termo foi usado.
            Segundo ponto. Um benchmark sintético não é suposto representar o mundo real. Um benchmark sintético mede um conjunto de propriedades específicas do hardware num conjunto de condições definidas. Pela 3 ou 4ª vez, não nos limitamos a apenas um benchmark para tirar conclusões. E aqui fica demonstrada a falibilidade daqueles que não fazem ideia para que servem os benchmarks e como interpretar os resultados.

            Se queres representar o mundo real usas as aplicações que as pessoas usam no seu dia a dia, mas isso não mede a performance dum processador, mede a performance dum aparelho no conjunto dos diferentes componentes integrados. E mesmo com essas aplicações não vais correr de qualquer maneira e feitio, pois doutra forma tens imenso ruído.
            Quanto ao big Data, eis o que te posso dizer. Um estudo desses recorrendo a Big Data não te iria dar uma média com um desvio padrão para comparares processadores, já que iria identificar e categorizar diferentes tipos de condições em que um benchmark correu.

      • Lucas says:

        Por favor lê isto+ Why the scores of Antutu iOS version are not comparable to Android version? +antutu com/ en/ doc/ 119646 htm
        Ainda achas que o que é apresentado nessa notícia permite tirar essa tua conclusão?

      • Lucas says:

        Por favor procura por este artigo no Antutu, Why the scores of Antutu iOS version are not comparable to Android version?
        Ainda achas que o que foi apresentado nessa noticia permite tirar essa tua conclusão?

    • Galo says:

      Quem sabe se agora não acontece o contrário e se revela uma grande surpresa positiva? 😀 Antes, a camara e bateria, entre outras coisas eram sempre as melhores quando novo Iphone era anunciado, e depois, quando chegava às mãos dos utilizadores via-se que não era bem assim 😀

      • ToFerreira says:

        Já antes disso não eram os melhores, mas no geral conseguia oferecer uma melhor experiência ao utilizador, depois chegou Tim e parece ter-se focado nos números. Pode ser que estejamos a assistir a um regresso a esse passado.

  5. artur says:

    Já está encomendado

  6. upedreiru says:

    .. absurdo. Não compro apple pela câmera ou objectivas.

    • Szalyga says:

      Essa é a sua melhor desculpa? O fato é, iPhone 12 assim como foi o 10 ~ 11 são celulares topos de linha! Vocês pagam caríssimo então é obrigação da Apple colocar a melhor lente, o melhor sensor, melhor microfone, melhor tela melhor tudo! Essa é a lógica! É obrigação (era né) estar entre os melhores para fotos! Agora para piorar parece que não vão por carregador na caixa! kkkkk

  7. Szalyga says:

    ATé a data de hoje, não tem um iPhone no top 5 desse site. O melhor é o Xiaomi Mi 10 Ultra seguido do Huawei P40 Pro e etc. Nada anormal! Iphone só preço caro por causa da marca que é forte. Compra quem realmente cai na deles! Bjs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.