PplWare Mobile

Os telemóveis que emitem mais radiação – Janeiro de 2019


Rui Bacelar

O gosto pela escrita e comunicação despontou cedo, entretanto, encontrou na tecnologia o tema perfeito e no Pplware a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo. Em leis formado, tem na leitura e aquariofilia o seu hobby, para além do ouvido exigente no que à música erudita diz respeito.

Destaques PPLWARE

  1. Belfodyl_da_Net says:

    A Huawei e Samsung, as duas marcas que lideram o mercado e Android, não constam, com nenhum modelo, é só no mínimo, estranho.

  2. República says:

    Isto depende tanto da distância a que o teste foi feito do corpo… uns são testados a 1,5cm, outros a 0,5cm. Ora, se mais distante, menor radiação o corpo vai absorver… Há que ter em conta isto.

  3. Ricardo Chivas says:

    Cuidado, manter esse telemóveis afastados dos …

  4. qiestion says:

    1 pergunta, reparo que os tlms com dual sim tem praticaemnte o dobro da radiação
    os testes são feitos com os 2 sims a funcionar?

  5. Técnico Meo says:

    Excelente artigo, com termos correctos e que desmestifica como funcionam os sinais.

    Eu prefiro ter um telemóvel com um pouco mais de potência RX, ou como lhe chamam, com mais radiação. Num ambiente menos urbano, poderá ser o suficente para alcançar uma célula mais distante e conseguir ter pelo menos voz ao contrário de um com sinal de saída muito atenuado.

    Parabéns ao proprietário do artigo em explicar às pessoas que os sinais e tecnologia sem fios não vem no bico da cegonha :):):)

  6. Diogo says:

    E as milimiter waves que vão vir com o 5G, qual o seu impacto

  7. Luis Silva says:

    a xiaomi está bem representada no inicio…..mas ironia o redmi note 5 fica quase no fim da lista…..

  8. Peace says:

    Correção, os telemóveis atuais usam frequências até aos 2.6GHz, ou 2600MHz, e não 1500 como escrito.
    E os 5G vão usar frequências ainda mais elevadas, aumentado a quantidade de radiação que é absorvida pelo corpo humano. Li aliás à algum tempo um problemas em testes do 5G que levou à morte de vacas, penso que na Suíça, e à morte de centenas de aves num parque num outro país europeu do qual não me lembro do nome.

  9. informado says:

    O meu tem 0.283 🙂 Bem baixinho 🙂 eheheheheh

  10. BlackFerdyPT says:

    «Até à data, não existe nenhum estudo, de cariz científico, que tenha identificado nos telemóveis e respetiva radiação utilizada, um paralelo ou causa de problemas no ser humano.»

    Talvez, antes de fazer uma afirmação destas, queira o autor deste artigo interrogar-se sobre quem é que financia os supostos estudos que dizem uma coisas dessas…

    (As grandes corporações, amigas e sócias das que vendem os telemóveis? Os governos, que têm interesse em espiar pessoas através dos smartphones – e que é sabido serem controlados pelos grandes interesses económicos?)

    E, quem é que noticia tais supostos estudos, em detrimento dos que dizem o contrário? Não é a imprensa controlada pelos grandes interesses económicos?

    O que dizem as muito poucas organizações científicas e os muito poucos cientistas que conseguem escapar a este controlo é o contrário – i.e. que os telemóveis causam cancro: https://www.consumeraffairs.com/news04/2011/05/researchers-say-new-studies-confirm-cell-phone-hazards.html

    • Vítor M. says:

      E quem suporta os outros estudos, os que dizem o contrário dos supostos estudos encomendados? Dá uma boa discussão, mas ao nível médico, que indícios existem no nosso dia a dia da contrariedade dos tais estudo que o caro BlackFerdyPT cita?

      • BlackFerdyPT says:

        As entidades responsáveis pelos estudos que apontam malefícios relacionados com o uso de telemóveis, pelo que eu leio na Internet, são algumas Universidades e organizações públicas (estatais) que conseguem escapar a este controlo – embora, até nas universidades públicas quem está bem informado sabe que são ditas mentiras científicas (certamente, a mando do topo governamental).

        E, o que eu facilmente consigo deduzir e sei, é que:

        1) A serem verdade estes malefícios, tem o poder estabelecido (grandes corporações, nomeadamente as que fabricam os telemóveis, e seus governos-fantoche) todo o interesse em que isto não seja do conhecimento público.

        2) E, do outro lado, não estou a ver porque é que alguém haveria de querer mentir sobre isto (quando os telemóveis, apesar de tudo, são de grande utilidade na sociedade moderna que temos).

        Quanto a indícios a nível médico,

        A razão pela qual a equipa do estudo que eu referi fez experiências em animais (no caso dessa notícia foi apenas em insectos, mas tem aqui um estudo feito em ratos: http://bit.ly/2TNbiYY) é porque existe uma forte correlação entre os efeitos nocivos em animais e os mesmos efeitos em seres humanos, no que toca às mais variadas substâncias ou radiações. Razão pela qual é tão comum falar-se em “ratos de laboratório” (e há até quem defenda o fim dos testes em animais). Sendo que, quando se descobrem efeitos nocivos em animais, isso quer por norma dizer que (muito) provavelmente os mesmos efeitos nocivos ocorrem também em seres humanos.

        Quando a provas (definitivas) de tal facto, em seres humanos… Como é que poderemos (nós, público em geral) alguma vez saber de tal coisa, se quem tem o dinheiro que possibilitaria financiar estudos sérios sobre o assunto (em grande escala, observando muitos seres humanos) são as mesmas entidades (estados, grandes corporações) que não têm interesse em que se estabeleça tal relação, de forma inequívoca?

        http://bit.ly/2TEFply

        O que eu sei, é que os casos de tumores cerebrais malignos têm vindo a aumentar: http://bit.ly/2TEFGF6

        BlackFerdyPT (a.k.a. Fernando Negro)

  11. Movimento Português de Prevenção do Electrosmog says:

    BlackFerdyPT, as microondas, especialmente através do uso e proximidade ao corpo dos telemóveis causam grandes perturbações no organismo, o cancro é só o estágio final, pelo que não recomendamos que fique à espera dele. O 5G irá fazer com que mesmo que não esteja ao telemóvel, será como se estivesse, os feixes terão uma tremenda concentração de sinal, nada a ver com 4G.
    https://electrosmogportugal.weebly.com/blogue/o-silencio-medico-e-os-factos

    • BlackFerdyPT says:

      Sim. Tenho consciência disso. Mas, como o Vítor M. me pedia “indícios”, falei apenas num possível, que poderá ser mais óbvio por ser muito visível. Sei que os telemóveis não estão ligados apenas quando se encostam os mesmos à cabeça – e também que: os casos de cancro têm disparado nas recentes décadas (embora atribua eu isto a uma multiplicidade de factores); e (tal como é referido, no primeiro estudo para o qual deixo uma hiperligação, como um dos efeitos do uso de telemóveis) que a quantidade de espermatozóides nos homens modernos ocidentais tem vindo a reduzir-se mesmo muito.

      Quanto ao 5G, há muito que tomei a decisão de que NUNCA irei usar um destes aparelhos…

      • Vítor M. says:

        Tudo muito certo, mas há indícios ou há provas concretas? Sendo de uso em massa, estando mesmo a cair os índices de certas doenças, ainda há margem para se acreditar que as radiações emitidas fazem mal? Onde estao esses resultados na prática?

        • Nuno V says:

          O consenso da comunidade científica, suportado por uma multitude de estudos, é que os telemóveis são um causador provável de cancro. Aliás estes têm pedido à WHO, para mudarem o estado de os telemóveis de serem causadores possíveis de cancro para prováveis. E os índices de cancro têm aumentado, não diminuído como dizes.

        • BlackFerdyPT says:

          A doença que aqui interessa é o cancro… E, este tem aumentado tanto no mundo ocidental que, no país (muito desenvolvido) para o qual aqui já deixei dados estatísticos sobre o caso específico dos cancros no cérebro, as estimativas são de que *metade* das pessoas na próxima década irão ter cancro (http://bit.ly/2TKbtog). Mas, como disse e repito, esta é uma doença que muita gente sabe que pode ter várias causas.

          (E, elaborando mais sobre o que eu aqui já disse…)

          Quanto às radiações dos telemóveis serem uma destas causas, o recentemente terminado estudo governamental (de 30 milhões de dólares) referido na notícia do “USA Today”, que aqui deixei, prova que as radiações usadas pelos telemóveis são, de facto, cancerígenas. Sendo que, a questão que fica em aberto é a partir de que dose é que isto acontece. E, tendo este grande estudo (feito ao longo de mais de 10 anos) sido feito de um modo que não permite estabelecer um paralelo com a quantidade de radiações a que são as pessoas sujeitas quando usam os seus normais telemóveis… Deixo à inteligência de cada um concluir se (neste caso, em particular, e não só) não haverá aqui o que se pode chamar de “má vontade”, por parte do poder estabelecido, em fazer estudos que permitam tirar conclusões definitivas, relativamente ao que mais interessa ao público, em geral.

          Mas, isto é o que se passa (ou não se passa) a nível de quem mais meios monetários tem para fazer grandes estudos (que permitam tirar conclusões mais seguras). E, da parte de entidades mais pequenas que conseguem fazer estudos mais pequenos, as conclusões são que, de facto, o uso de telemóveis provoca cancro: http://bit.ly/2TBCmKY

          (E, no mundo dos tribunais, já há juízes que tenham sido convencidos de tal relação: http://bit.ly/2TAU7df )

          • Vítor M. says:

            Claro. Mas os dados não mostram que há um crescimento dos casos de cancro tendo em conta o enorme crescimento de dispositivos móveis, as muitas antenas e o aumento considerável de horas de uso dos smartphone.

            Não deveria haver muitos mais casos a cada ano que passa? Segundo os dados, os casos até estão a diminuir. Estarei enganado?

          • BlackFerdyPT says:

            Que os casos de cancro têm aumentado imenso no mundo desenvolvido é um facto que é sobejamente conhecido, por ser repetidamente reportado pelos média de massas: https://n.pr/2TG3TL7

            Mas, se como eu digo, o cancro pode ser causado por uma multiplicidade de factores (incluindo, certamente, casos em que vários factores contribuam para um mesmo cancro) obviamente que nunca se poderá obter uma correlação que demonstre uma proporcionalidade de mesma ordem (em termos de gráficos que mostrem evoluções) com apenas um destes factores. E, alguns factores haverá certamente que ainda estarão por descobrir.

        • BlackFerdyPT says:

          Correcção: Como eu disse, por serem certos estudos científicos mais pequenos, não permitem estes que as conclusões que deles se infiram sejam tão seguras. E, por isso, podem riscar a parte “de facto” na frase que eu escrevi “E, da parte de entidades mais pequenas que conseguem fazer estudos mais pequenos, as conclusões são que, de facto, o uso de telemóveis provoca cancro”.

        • NP says:

          “Tudo muito certo, mas há indícios ou há provas concretas?”
          https://dailym.ai/2TDqBn6
          http://bit.ly/2TAZAAK
          http://bit.ly/2TEEyRS

          O juiz decidiu, está decidido…
          😛

          • Vítor M. says:

            Interessante, mas em resumo… em termos práticos provou-se algo ou são suposições?

            Vem aí o 5G…. será que vai trazer ainda mais radiação? Dizem que sim, muito mais.

          • Vítor M. says:

            Isso é velho e de resultados incongruêntes.

            Eu queria saber é se existem mesmo estudos científicos e com aceitação da comunidade científica dedicada a esta área. Existem?

  12. Movimento Português de Prevenção do Electrosmog says:

    Caro Vítor M. faça lá o favor de publicar isto, e que cada um tire as suas ilações, lá no fundo toda a gente sabe que estamos perante mais uma história igual ao do tabaco, a da talidominda, ao amianto e a tantas outras falsas e pretensas certezas científicas:

    Alterações no perfil dos tumores na cabeça
    No Reino Unido, onde eles estudam e reportam as coisas, reparou-se que entre 1995-2015, a incidência do cancro mais agressivo na cabeça duplicou. Ora, este cancro (glioblastoma multiforme ou GBM) tornou-se mais prevalente, na ordem inversa à dos outros tipos de tumores menos agressivos. Curiosamente, em termos de localização, o GBM aumentou apenas no lobo frontal e temporal do cérebro, exactamente as áreas mais expostas ao uso dos telemóveis e smartphones.

    Rate of GBM More Than Doubled Between 1995 and 2015
    | March 25, 2018; Last updated June 25, 2018:
    https://microwavenews.com/news-center/gbms-rising-uk

    Aggressive Brain Tumors Tell a Story
    GBM Rise Only in Frontal and Temporal Lobes | Octob
    er 26, 2018; Last updated October 29, 2018:
    https://microwavenews.com/news-center/gbm-frontal-and-tempral-lobes

    Etc, e por aí a fora… só que desta vez é mais grave do que o tabaco, o chumbo e o amianto. As Seguradoras já pularam fora, os riscos electromagnéticos são inseguráveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.